sexta-feira, agosto 12, 2022

Gripen para o Brasil

Japão reafirma plano de voar o ‘Shinshin’ em 2014

Destaques

Fernando "Nunão" De Martini
Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

Além do novo demonstrador furtivo, também está nos planos aquisição de, provavelmente, 42 caças já existentes, numa disputa entre F-18 Super Hornet, Eurofighter Typhoon e F-35.

Segundo o site Flightglobal, o Ministro da Defesa do Japão reafirmou o cronograma para voar o Mistsubishi ATD X Shinshin, um demonstrador de caça furtivo. Segundo o Ministro, “o primeiro voo do ATD-X está programado para o ano fiscal japonês de 2014.

O Ministro também afirmou que “o ATD-X é um demonstrador de um avião furtivo de alta manobrabilidade, adotando diversas tecnologias no estado-da-arte e que podem ser aplicados em futuros caças, confirmando e verificando a viabilidade e a efetividade operacional de sistemas em diversas condições de voo. Também objetiva o estudo da defesa aérea contra caças furtivos que poderiam ser empregados na nossa região vizinha no futuro”.

O Poder Aéreo já havia trazido aos leitores essa notícia na matéria “Protótipo do ‘Shinshin’, o caça furtivo japonês, deve voar em 2014“. Porém, poucos dias depois, ocorreu o terremoto e tsunami que prejudicou duramente o país. A declaração do Ministro parece demonstrar uma vontade de manter o projeto como prioridade, assim como um outro programa caças, o F-X, que visa a substituir a atual frota de F-4 Phantom do Japão.

Disputam o programa de aquisição  inicial de 12 caças a Boeing, com o F/A-18E/F Super Hornet, o consórcio europeu Eurofighter, com o Typhoon, e a Lockheed Martin, com o F-35A Lightning II. Mas as aquisições do programa F-X podem ir além das 12 aeronaves planejadas para os anos de 2011-2015, pois a Boeing, em uma coletiva de imprensa no Paris Air Show, afirmou que o requerimento é para 42 caças.

A Boeing também afirmou que ofereceu o Super Hornet para o programa, ao invés de uma versão do F-15, porque o Japão busca uma diversidade de modelos de caça. Como já opera uma grande quantidade de F-15J, há preocupação quanto à disponibilidade no caso de algum problema atingir um tipo específico de aeronave, o que afetaria toda a frota do modelo que tenha esse problema. O programa F-X contempla a produção de substanciais partes da aeronave selecionada no Japão, e as propostas deverão ser submetidas no final de setembro. Segundo o Ministro da Defesa, os fundos para a aquisição do F-X serão disponibilizados no ano fiscal de 2012, para introdução da aeronave em 2016.

FONTE: Flightglobal (tradução, adaptação e edição: Poder Aéreo)

Colaborou: Maurício R.

- Advertisement -

19 Comments

Subscribe
Notify of
guest

19 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Vader

Off-Topic URGENTE:

http://vaderbrasil.blogspot.com/2011/07/ironias-de-jobim-podem-derruba-lo-ate-o.html

Será que dessa vez nosso General-Genérico e lobbysta oficial da Dassault vai pra guilhotina?

Nick

Isso sim é determinação política. Apesar dos Tsunamis e Usinas Nucleares rachando, eles seguem em frente com o programa.

Aqui, até ajuste fiscal é usado como desculpa, mesmo a aquisição do FX-2 sendo em sua maior parte financiado à longuíssimo prazo.

[]’s

Nick

Caro Vader,

Nem ele aguenta mais ficar decorando o gabinete do MD. hehehehe. 😀

Já deu para o Jobin, vá com Deus e seja feliz em Paris.

[]’s

Grifo

O Jobim está neste momento em audiência conversando com a presidente.

DrCockroach

Olha teria sido interessante se ele tivesse esperado mais 16 dias p/ sair, quando completariam exatos 2 anos daquele suspeitissimo jantar no chateau da Dassault (http://www.aereo.jor.br/2010/07/17/faz-um-ano/)…

Veremos o que mais irah aparecer…

[]s!

Marine

Interessante notar que os recentes acidentes do F-15 nos ultimos anos – aqueles que deixaram toda a frota no chao durante as investigacoes, marcaram a memoria dos japoneses ao ponto de decidirem diversificar e por consequencia aumentar a cadeia logistica de sua aviacao de caca.

Sds!

Observador

Esta notícia mostra como um país sério trata o seu setor de defesa. Vejam o que é pensar em termos estritamente militares e não em termos financeiros: “…o Japão busca uma diversidade de modelos de caça. Como já opera uma grande quantidade de F-15J, há preocupação quanto à disponibilidade no caso de algum problema atingir um tipo específico de aeronave, o que afetaria toda a frota do modelo que tenha esse problema.” Não que fosse o recomendável para o Brasil, onde falta dinheiro para tudo (menos para a safadeza e o desperdício), mas segue a mesma visão da Índia: não… Read more »

Observador

E como um forista falou anteriormente (acho que o Grifo):

“O Japão vai de Shinshin; o Brasil vai de Nãonão;”

Antonio M

Observador disse:
1 de julho de 2011 às 13:36

Excelente, apenas discordando de “não fazendo economia com o orçamento das FAs” pois acho que é justamente o contrário, eles sim que sabem fazer economia!!!!

Obivamente que tem problemas, mas mantém seus ótimos dados sociais, de infraestutura, de indústria, comércio e serviços, empregam pessoas do mundo inteiro, investem na educação e tecnologia portanto sabem onde estão e com quem lidam. Fazem economia pois há grana para tudo isso, para reconstruir partes destruídas do pais e ajudar essas populações e ainda assim, não descuidam da segurnaça externa.

Mauricio R.

O Japão pensa a longo prazo, procura diversificar suas capacidades industriais, abordando diversas oportunidades do mercado. Neste momento tentam uma vaguinha no mercado das aeronaves regionais c/ o MRJ, se propondo a disputar market share c/ a Embraer e a Bombardier. Seguem desenvolvendo um novo cargeiro militar entre o C-130J e o C-17A e uma nova aeronave de patrulha marítima, ao invés de simplesmente subscreverem o P-8A americano. Aeronave essa que alguns comentaristas acham, será a base de um futuro transportador de passageiros. O Japão pretende continuar a ser um player no mercado e para tanto procura se manter viável… Read more »

Ivan

O mapa! Lembrem do mapa! http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/japao/imagens/mapa-do-japao-5.gif O Japão é um conjunto de ilhas, mas que tem alguns vizinhos poderosos e outros encrequeiros. Talvez alguns poderosos e encrequeiros… …quem sabe? Do outro lado do Mar do Japão, uma ‘marzinho’ bem pequeno, fica a gigantesca Rússia e a instável Coreia do Norte. De sudoeste para oeste fica o Mar da China, por onde navega os navios do faminto Dragão Chinês, que cresce a taxas inusitadas e com ambições milinares de poder. Do outro lado do Estreito da Coreia, ou melhor, o histórico estreito de Tsushima, que separa a ilha japonesa de Kyushu… Read more »

DrCockroach

O Japao gasta 1% do PIB com defesa: http://milexdata.sipri.org/result.php4 Quanto ao NJ, procurei o audio do discurso dele mas nao achei, mas como tb foi publicado na Folha imagino que conferiram a procedencia. Embora nao tenha nenhuma simpatia pelos atuais ocupantes do GF, me parece que dizer que “trabalha cercado de idiotas” uma expressao totalmente inapropriada p/ um evento publico. Eh de se perceber tb que os atuais membros do GF, ao contrario do Nosso Ex-Guia, tem demonstrado uma atitude democratica ao reconhecerem algo dos governos anteriores. Na homenagem que participavam haviam lideres do governo presente; foi, me parece, uma… Read more »

Ivan

Dr. Barata,

A impunidade é terrível, pois alimenta e estimula os maus hábitos.
Se tantos falam (e fazem) tanta besteira e continuam impunes, ou quando punidos são simplesmente transferidos, sem perdas pecuniárias, o que esperar do nosso futuro?

Sds,
Ivan, o Antigo.

Observador

Caro Antônio M: Eu não me expressei direito: o termo “economia” foi usado pejorativamente. É a mesma economia do sovina que se desloca pulando num pé só, para economizar a sola do sapato. Ou seja: quis dizer que para economizar algumas centenas de milhões reais (e que são disperdiçados em outras áreas), o GF inviabiliza a força dissuasória de nossas FAs, levando-as a um nível de prontidão (ou falta de prontidão) temerário. Caro Nunão: Só vai mudar algo na proximidade das eleições e olhe lá. Garanto que em 2014 viveremos mais uma época de ufanismos, de planos grandiosos de investimento… Read more »

Almeida

Nhaonhao seria mais apropriado aqui hehehe…

Espero que não fique apenas como demonstrador e venha a se tornar um caça de verdade, está muito bonito!

A entradas de ar, embora não sejam DSI, estão belas e bem agressivas indo exatamente da metade da fuselagem até embaixo. O cone do nariz e o canopí, porém, não me parecem muito furtivos.

DrCockroach

Ivan disse: 1 de julho de 2011 às 15:07 Prezado Ivan, Li duas vezes seu comentario: preciso! No off-topic do post: NJ disse que se referia a “imprensa” com o termo idiotas…Ou seja, no evento publico a um ex-presidente que ele elogiou o mesmo e disse que no tempo do Nelson Rodrigues os “idiotas chegavam devagar e ficavam quietos. O que se percebe hoje é que os idiotas perderam a modéstia” ele se referia, com o paralelo, a imprensa :). Escolha a alternativa: a) Usou uma homenagem publica a um ex p/ reclamar da assessoria de imprensa do MinDef, ou… Read more »

Grifo

“O Japão vai de Shinshin; o Brasil vai de Nãonão;”’

Bem lembrado, Observador.
Mas na verdade o autor da piada foi o Baschera, não o Grifo.

Realmente não fui eu, mas eu assino embaixo do comentário do Baschera 🙂

LuppusFurius

DrCockroach
O Nelsinho ” Borrou-se Teirinho”, não têm “Kulhão”……..
Para ele IDIOTAS somos nós brasileiros…….
Mudando o papo prá não estragar o fígado, o Brasil deveria ir de tampão, com o F-35A/B uns 72 só, tá bom. E fazer parceria com o Japão…….
Agora será que o ShinShin tranforma-se em robô ou torradeira?

Últimas Notícias

FAB realiza resgate de tripulante em navio na costa cearense

Missão foi realizada pela tripulação do 1º/8º GAV – Esquadrão Falcão, nessa segunda-feira (08/08) O Primeiro Esquadrão do Oitavo Grupo...
Parceiro

LAAD 2023

- Advertisement -
- Advertisement -