sábado, fevereiro 27, 2021

Gripen para o Brasil

Array

Mais Super Hornets para a Austrália?

Destaques

Defesa aérea da Sérvia atingiu outro F-117 durante a Operation Allied Force

A história de como um jato de ataque stealth F-117 Nighthawk da Força Aérea dos Estados Unidos foi abatido...

HENSOLDT: Sistemas antidrone e de proteção de áreas críticas e estratégicas

Nos últimos anos, a venda de drones cresceu muito no mundo. Esses objetos voadores, cada vez mais comuns em...

FAB coordena Operação Escudo Antiaéreo

Operação aconteceu de forma conjunta entre a Marinha do Brasil, o Exército Brasileiro e a Força Aérea Brasileira No período...
Guilherme Poggiohttp://www.aereo.jor.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

O desenvolvimento do revolucionário “Joint Strike Fighter”, principal caça da Royal Australian Air Force para o século XXI, está com o cronograma de desenvolvimento bastante atrasado e a RAAF pode comprar mais 18 caças Super Hornet por cerca de 1,5 bilhão de dólares para “tapar a lacuna”

Autoridades militares da Austrália partirão para os EUA esta semana com o propósito de obter junto à Lockheed Martin uma melhor estimativa do cronograma do programa JSF, agora conhecido como F-35 Lightning II.

O noticiário ‘The Australian’ acredita que o atraso será significativo e gerará uma lacuna imensa na defesa aérea do país a partir de 2020.

Segundo relatório recente do ‘Accountability Office’ do governo dos EUA, o programa JSF, que já está atrasado e muito acima das previsões financeiras, deverá enfrentar novos atrasos e aumento de custos.

A Australia pretende comprar perto de 100 F-35 em um negócio estimado em 16 bilhões de dólares, e já encomentou os primeiros 14 exemplares para formar um esquedrão em 2018.

Autoridades da Lockheed Martin insistem que os problemas enfrentados pelos EUA não terão impacto na entrega dos primeiros 14 aviões australianos.

Mas existe uma grande dúvida do governo de Camberra sobre o assunto e os atrasos dos EUA significariam atrasos para a RAAF também.

O problema principal é que por volta de 2020 os atuais Hornets da Austrália atingirão o limite da vida útil, mesmo com diversos programas de atualização e modernização.

O governo de Howard comprou 24 Super Hornet por seis bilhões de dólares em 2006 para substituir os F-111 dA RAAF que foram retirados de serviço antes do programado.

Especialistas do governo estão preparando uma série de opções para o país tapar a lacuna e a mais provável seria a compra de mais 18 Super Hornet por U$800 milhões cada. Outra opção seria a reforma dos atuais Hornets.

FONTE: The Australian

NOTA DO BLOG: acredita-se que os valores sejam em dólares australianos, pois a fonte original da informação é australiana.  Mas mesmo assim existem números que saem da realidade, como o valor unitário do Super Hornet (informado como sendo de 800 milhões!).

- Advertisement -

10 Comments

Subscribe
Notify of
guest
10 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Ivan

Pode haver um duplo engano no texto original. Na introdução da matéria no The Australian a referência é de 18 caças por 1,5 Bilhões de dólares, sem deixar explícito se americanos ou australianos. “RAAF may need to buy 18 more Super Hornets for $1.5 billion…” Mas como os valores de negócios com armas é normalmente noticiado em dólares americanos ou euros, a simbologia subentendida seria de US$. O valor total dividido pelo número de caças seria igual a US$83,333,333.33; ou seja, cerca de 83 (oitenta e três) milhões de dólares americanos. Pelo câmbio atual de aproximadamente 1 USD (Dólar Americano)… Read more »

Renato Oliveira

Um terceiro erro, agora seu, Ivan: 24 SH por 6 Bilhões e não Milhões de dólares rsrs

Antonio M

O erro mesmo é o Brasil postergar seus planos para a defesa, enquanto a Austrália erra apenas na grafia, acertando em cheio nas escolhas de seus equipamentos ! rsrsrsrsr!!!!

Tadeu Mendes

E se nao estou enganado, a economia australiana esta ha anos luz atras do Brasil.

Entao como se explica isso??? A Australia bombando Super Hornets e o Brasil bombando na garage de reformas dos F-5 ??

E bonito isso????? Chico Anisio. rsrssrsrs.

Vader

83 milhões de dólares (australianos ou americanos?) por aeronave não está caro.

Sempre lembrando que os SH australianos já vem preparados para serem convertidos em Growler.

Ivan

Renato Oliveira,

Desculpe a falha técnica.

É que o revisor está de férias… he he he.

Grato pela revisão,
Ivan. 🙂 🙂 🙂

Ivan

MiLorde Vader,

Agora é minha vez de revisar o texto… ka ka ka.

Apenas metade dos Super Hornets australianos foram encomendados com preparação para conversão em aeronave de guerra eletrônica.

Este é outro argumento para defender a permanência do Vespão ao lado dos futuros F-35A Lightning II.

Abç,
Ivan. 🙂

Mauricio R.

Aqui já nem mais é o enterro, que segue, mas a enrolation!!!
Os F-111 foram retirados de serviço antes do programado e a revelia de boa parte da RAAF, agora novamente setores do governo antecipam novo gap, devido aos mais recentes atrasos no programa JSF.
Parece haver um grupo um tanto afobado, no governo australiano.

ZE

Com esses atrasos, eu ainda acho que o número de Super Hornets ainda vai bater na casa dos 600 exemplares construídos.

[ ]S

Vassili

Zé,

Eu acredito que esse número vai ser ultrapassado.

Tb acredito que a FAB vai contribuir nesta cota com 36 unidades.

abraços.

- Advertisement -

Combates Aéreos

Caças F/A-18 Hornet da Finlândia treinam com Mirages 2000 franceses

A cooperação internacional aprimora a capacidade de defesa da Finlândia e faz parte das atividades diárias da Força Aérea Em...
- Advertisement -
- Advertisement -