quinta-feira, junho 30, 2022

Gripen para o Brasil

A participação da Força Aérea Italiana nas missões da OTAN na Líbia

Destaques

Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

A Força Aérea Italiana (Aeronautica Militare) divulgou uma nota sobre a sua participação nas operações da OTAN sobre a Líbia, desde 30 de março.

Oito de suas aeronaves foram transferidas para a autoridade da Otan, para participação em missões de garantia da zona de exclusão aérea sobre a Líbia. São quatro caças Eurofighter Typhoon e quatro aviões de combate Tornado, baseados em Trapani.

Os Typhoons cumprem missões de patrulha aérea de combate, enquanto que os Tornados estão envolvidos em operações de Guerra Eletrônica (Electronic Warfare – EW) e também de reconhecimento, vigilância e inteligência (Intelligence Surveillance Reconnaissance – ISR), empregando as versões ECR (Electronic Combat Reconnaissance) e IDS (Interdiction Strike) da aeronave.

Além dessas oito aeronaves de combate, a Força Aérea Italiana também vem empregando seus KC-130J e Tornado IDS em missões de reabastecimento em voo.

A Força Aérea Italiana disponibilizou o uso de sete bases aéreas para as operações da OTAN: Trapani Birgi, Gioia del Colle, Sigonella, Decimomannu, Aviano, Amendola e Pantelleria, sendo que as cinco primeiras estão sendo utilizadas atualmente. Além disso, também tem fornecido serviços de apoio às operações de voo, 24 horas: apoio logístico, abastecimento de combustível, controle de tráfego aéreo, serviço meteorológico, combate a incêndios, primeiros socorros e acomodação.

A Itália também decidiu reforçar sua defesa aérea, mantendo os Typhoons do 4º Stormo de Grosseto e do 36º de Gioia del Colle, além dos F-16 do 37º Stormo de Trapani, prontos para decolar em poucos minutos e interceptar qualquer aeronave suspeita ou sem autorização de voo.  

Por fim, uma bateria de mísseis terra-ar SPADA está baseada em Trapani para reforçar a defesa aérea do aeroporto, e helicópteros de busca e salvamento (SAR) estão alocados às bases.

FONTE / FOTOS: Força Aérea Italiana (Aeronautica Militare)

- Advertisement -

3 Comments

Subscribe
Notify of
guest
3 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Renato Oliveira

8 aviões para um país muito perto do TO… simbolismo é isso…

Antonio M

E os AM-X ? Estão no afeganistão?

Últimas Notícias

45 anos do EMB-111 Bandeirante Patrulha

O projeto do EMB-100 Bandeirante, iniciado antes mesmo do nascimento da Embraer, deu base ao desenvolvimento de diferentes aeronaves,...
- Advertisement -
- Advertisement -