Home Estratégia No corte de R$ 4,3 bi, Defesa preserva projetos estratégicos

No corte de R$ 4,3 bi, Defesa preserva projetos estratégicos

136
41

Raymundo Costa e Ribamar Oliveira

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, define até o fim desta semana o corte de R$ 4,3 bilhões no Orçamento de investimento e custeio do Exército, Marinha e Aeronáutica. Jobim já decidiu manter os investimentos previstos na lei orçamentária deste ano para os projetos de construção do submarino nuclear, do avião cargueiro KC-390 e de 50 helicópteros EC 725, a serem destinados para as três Forças Armadas. Em contrapartida, vai cortar a compra de 12 helicópteros russos para a Força Aérea Brasileira (FAB), conforme previa a peça aprovada do Orçamento Geral da União.

Na definição entre o que manter ou cortar, Jobim levou em conta a manutenção de projetos importantes, como o de desenvolvimento de uma indústria nacional de material bélico, e daqueles considerados estratégicos para dotar o país de uma força armada, que permita ao Brasil buscar um espaço internacional comparável à sua crescente estatura econômica, sobretudo após descoberta de um mar de petróleo sob a camada do pré-sal, em 2007.

Um exemplo do primeiro caso é a fabricação do helicóptero EC-725 Super Cougar pela Helibras, numa parceria com a Eurocopter, líder mundial do setor. “A Helibras não está produzindo sozinha. As turbinas estão sendo produzidas pela Turbonet, uma empresa com sede no Rio de Janeiro. A aviônica é parte da Aeroeletrônica, que está em Porto Alegre, por exemplo”, diz Jobim. “Essas empresas são montadoras, há uma enorme capilaridade de fornecedores. Se parar agora, atinge todo um ciclo. Então não faço. Tem que segurar o andamento dessa indústria, que é de alta tecnologia.”

O ministro da Defesa disse ao Valor que nem mesmo o ritmo inicial de execução desses investimentos – submarino, KC-390 e os helicópteros EC-725 – será reduzido. O orçamento do ministério previa R$ 1,85 bilhão para o submarino, que está sendo desenvolvido pela Marinha em parceria com a França. Para o projeto KC 390, feito pela Embraer, o orçamento reserva R$ 100,6 milhões.

“Estamos em fase de construção do estaleiro e da base de Itaguaí (RJ)”, disse Jobim, em relação ao submarino. “Na Nuclep, estamos construindo a parte do reator do submarino. Temos 30 engenheiros na França.”

O KC-390 é um cargueiro com capacidade de transportar 21 toneladas com grande potencial de mercado – a Embraer já dispõe de pelo menos 60 intenções de compra. O protótipo fica pronto em 2016. Em 2018, estará no mercado. Esse prazo é considerado fundamental, porque em 2018 se encerra o ciclo de vida de 1.500 aviões Hércules no mundo.

“O KC-390 não só substitui o Hércules, como será capaz de pousar em uma pista de 1.300 metros”, diz Jobim. O cargueiro foi desenhado a partir de especificações da FAB, que precisava de uma aeronave para pousar nas pistas curtas da Amazônia. A aeronave tem asa alta, como o russo Antonov, e é bojudo, assemelhando-se a um sapo.

“Fizemos economia nas compras de equipamentos, e não nos investimentos que envolvem a indústria nacional”, explicou o ministro. Outro projeto preservado foi o da fabricação do blindado Guarani, de seis rodas, que está sendo feito pela Fiat Iveco.

O blindado Guarani será uma espécie de sucessor do Urutu. O carro terá 18 toneladas, motor diesel eletrônico, tração 6×6, capacidade anfíbia, podendo transportar até 11 militares e deslocar-se a uma velocidade de até 100 km/h. O motor e 60% dos componentes serão de produção nacional. O objetivo é diminuir os custos de produção e manutenção do blindado sobre rodas.

De acordo com Jobim, cada um desses projetos envolve a compra de equipamentos de indústrias nacionais e uma paralisação dos investimentos teria repercussão negativa em cadeia. Por essa razão, o ministério fez um grande esforço para manter cada um deles em andamento. O corte da verba para o desenvolvimento do KC-390, por exemplo, chegou a ser anunciado pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, quando foi anunciado o aperto fiscal de 2010.

O que a Defesa conseguiu foi manter o volume do corte, mas defini-los de acordo com as prioridades das Forças Armadas e da Estratégia Nacional de Defesa, entre as quais está o desenvolvimento industrial e tecnológico do país. Jobim não quis revelar quais compras foram adiadas e nem onde o corte foi realizado.

“Ainda estamos concluindo o ajuste”, disse o ministro. É certo, no entanto, que foi cancelada a compra de 12 helicópteros da Rússia para a FAB. Aliás, o governo brasileiro tem se queixado da falta de cumprimento de cláusulas contratuais por parte dos russos.

O adiamento da compra do primeiro lote de 34 caças para a FAB não foi considerado no corte, pois, segundo explicou Jobim, o impacto financeiro dessa despesa não ocorreria este ano. “Mesmo que a decisão sobre a compra saia ainda em 2010, vamos levar de 10 a 12 meses apenas para negociar e fechar o contrato”, afirmou. Esse foi o prazo ocorrido em outras grandes contratações da Defesa, depois de definida a licitação.

O orçamento do Ministério da Defesa para este ano previa gastos totais de R$ 15,1 bilhões. Desse total, R$ 4,8 bilhões são de despesas obrigatórias, que não podem sofrer cortes. A chamada “base contingenciável”, que reúne as despesas discricionárias, é, portanto, de R$ 10,3 bilhões. Com o corte de R$ 4,3 bilhões, essas despesas foram reduzidas para R$ 6 bilhões.

Sem dar detalhes sobre os cortes feitos no ministério, Jobim disse que a orientação foi destinar os recursos para o custeio básico, e mais um pouco para que as coisas continuem no ponto em que estão, o que é chamado de manutenção operativa. Nesse sentido, o ministro não cortou os recursos necessários para a manutenção dos equipamentos existentes.

FONTE: Valor Econômico

Subscribe
Notify of
guest
41 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Nick
Nick
9 anos atrás

Manter os programas do KC-390 e o ProSub é uma boa notícia. são os programas mais prioritários das FAs.
Manter o programa EC-725 , diante das revelações do não cumprimento dos acordos de OffSet, é político . Deveria ir para a vala também.
Os MI-35 dariam um grande ganho operacional para a FAB, é uma pena o cancelamento dessa compra. Para compensar poderia encomendar 12 Battle Hawks .

[]’s

Rodrigo
Rodrigo
9 anos atrás

Me repetindo….

Faz tempo que eu não levo mais a sério, o que vem do EX-MD e dos seus assessores.

Ivan
Ivan
9 anos atrás

Estou surpreso com a seguinte frase do Min Def Nelson Jobim:

“A Helibras não está produzindo sozinha. As turbinas estão sendo produzidas pela Turbonet, uma empresa com sede no Rio de Janeiro.”

Procurei no google pela Turbonet e não encontrei nada em relação a motores aeronáuticos. Mas posso ter me enganado.

Montar uma turbina aeronáutica seria um grande avanço… produzir seria o sonho da indústria aeronáutica nacional. Mas como o mundo real funciona acordado, acredito que tem algo de ‘estranho’ nesta declaração.

Sds,
Ivan.

Vader
9 anos atrás

Nick, os russos também não estão cumprindo o contrato dos Mi-35. Aliás, até onde fiquei sabendo as peças que estão chegando vem através de um certo atravessador paquistanês com contatos na Ursa. Senão nem isso viria…

Quanto ao Caracal, já vai tarde…

Grifo
Grifo
9 anos atrás

Procurei no google pela Turbonet e não encontrei nada em relação a motores aeronáuticos. Mas posso ter me enganado.

Caro Ivan, o engano não foi seu. A empresa se chama Turbomeca do Brasil, e sua participação se resume a montagem final e manutenção dos motores, não produção.

A Turbomeca do Brasil é parte da mesma empresa que se recusa a cumprir o contrato de transferênca de tecnologia com a MB, segundo notícia da Alide discutida aqui. Só que ao invés de ser punida, o Nelson Jobim quer é garantir o pagamento dela.

Paulo José
Paulo José
9 anos atrás

Caro Vader,

até onde eu li, não tinha nenhuma informação que os EC-725 estariam sendo cancelados?Pode me explicar esta informação sua?

Abc

Paulo

Vader
9 anos atrás

Paulo José disse:
4 de abril de 2011 às 14:09

Paulo, dê uma olhada e tire suas próprias conclusões:

http://vaderbrasil.blogspot.com/2011/04/programa-dos-ec-725-mergulha-em-aguas.html

Abraço.

Nick
Nick
9 anos atrás

Caro Lord Vader,

Se os russos estão pisando na bola, deram motivos para cancelar o contrato. E como não tem muita sustentação política, foi fácil cancelar a compra. Agora o EC-725 vai continuar em frente, mesmo descumprindo acordos, infelizmente. O apoio político que a Helibrás(EADS) tem é muito grande.

[]’s

Vader
9 anos atrás

Nick, posso estar enganado, mas pra mim o Caracal tá no bico do corvo. E o gf (leia-se: Mantega) já tem a desculpa que precisava pra meter a tesoura.

Abraço.

Rodrigo
Rodrigo
9 anos atrás

Turbonet – deve ser o provedor de internet que o MD contratou na França, a peso de ouro, para transferir tecnologia de modem serial de 4800bps.

Desculpem, não resisti 🙂 🙂

Vader
9 anos atrás

Esse Jobim é uma besta mesmo…

ZE
ZE
9 anos atrás

Ah, o Jobim de novo ! O Ministro da Defesa deveria se DECIDIR sobre o que fala: “A Helibras não está PRODUZINDO tudo sozinha. As turbinas estão sendo PRODUZIDAS pela Turbonet (sic), uma empresa com sede no Rio de Janeiro. A aviônica é parte da Aeroeletrônica, que está em Porto Alegre, por exemplo”, diz Jobim. “Essas empresas são MONTADORAS…” Meus caros, ou se está PRODUZINDO, ou se está MONTANDO. Ponto final !!!!!!!!!!!!! A verdade é que a APERTAPARAFUSOBRÁS, e as outras empresas mencionadas pelo Jobim são MON – TA – DO – RAS. Em tempo: agente já aperta parafusos há… Read more »

Ivan
Ivan
9 anos atrás

Rodrigo,

Valeu… 🙂 🙂 🙂
_________________________

Grifo,

Estou meio lento hoje… he he he… mas qual é mesmo a atividade da Celma-GE no Rio de Janeiro?

Pelo que sei a GE não tem nenhum offset para cumprir, mas mantém uma operação significativa no Brasil, inclusive com turbinas a gás aeroderivadas, para geração de energia.

Abç,
Ivan. 🙂

ZE
ZE
9 anos atrás

Esse helicóptero NÃO TEM ESCALA. Parece que SÓ o Jobim gosta dele (só D’us sabe o porquê) ! A própria França, SÓ opera 14 desses aparelhos. De bobo, ela não tem nada. Ela nos empurrou algo velho que vem sendo recauchutado ao longo dos últimos 40 anos !!!!! Um pouco de história para vocês (eu já cansei de explicar isso, mas…): Tudo começou com o SA 330 Puma que voou pela primeira vez em 1965 (mil novecentos e sessenta e cinco) e foi introduzido em 1968 (mil novecentos e sessenta e oito). 20 anos depois, ele foi recauchutado, e recebeu… Read more »

Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
9 anos atrás

Em sintese: continuamos sem defesa. O KC-390 pode ser muito bom, mas e um cargueiro (Logistica). O Sub-nuca pode ser muito bom, mas e um projeto de quase duas decadas. O elemento mais importante para a supremacia aerea (cacas de combate), continua no limbo. Quando vejo no YouTube, todas essas capitais e metropoles brasileiras completamente desprotegidas (nem me falem de F-5, AMX, Super Tucano), eu fico pensando: So Deus mesmo, para proteger esse pais. Eu acho que eles (GF) pensam que se houver necessidade em caso de emergencia, e so comprar os avioes e botar nas maos dos pilotos. Aviao… Read more »

edcreek
edcreek
9 anos atrás

Olá,

Parabens Ministro Jobim, não queriamos o corte mas ele veio agora precisamos priorizar:

1-Submarinos;
2-KC;

Os Helis ao meu ver pode diminuir o ritmo, mas são necessarios e desenvolverão a industria nacional, apesar da torçida contra!?!

Abraços,

ZE
ZE
9 anos atrás

O link da notícia já foi postado pelo Vader. Agoro, passo a postar a notícia em si: “Programa dos EC-725 mergulha em águas cada vez mais turbulentas Escrito por Felipe Salles Seg, 04 de Abril de 2011 02:14 O programa de aquisição de novos helicópteros médios europeus para as três forças armadas brasileiras entrou recentemente numa fase muito complicada. Nenhum pagamento deste contrato foi feito desde 2009, e apenas a sua conta de multas contratuais já passou da casa dos 5 milhões de euros. Nenhum dos três clientes militares brasileiros, até aqui, sequer se esforçou para demonstrar uma fração do… Read more »

Wagner
Wagner
9 anos atrás

Mas ja chegaram os primeiros Mil mil 35, que problemas são esses ???
e os pilotos que estao na Russia treinando ??

Rodrigo
Rodrigo
9 anos atrás

O lance com os russos, já vem mal desde o treinamento na Rússia. Nave obsoleta, manutenção ruim, treinamento ruim, suporte pior ainda. Não é porque vende é boa…. Falta de opções no preço dele ajuda bastante. Vai o conselho, sempre vejam com olhos críticos o que sai na mídia. O Saito diz o que mandam dizer, da mesma forma que o Heleno foi proibido de dizer. Outro dia veio um rapaz debater comigo, que estava tudo lindo com o Hind, pois tinha lido na ASAS. O resultado está ai 😉 Eu não boto fé no que vem do Jobim e… Read more »

Mauricio R.
Mauricio R.
9 anos atrás

Simplesmente hilário, a mesma má fé demonstrada no episódia das baterias do Scórpene se repete agora no projeto do míssil MAN-1, mas não aparece ninguém p/ colocar o MD do Jobim e seu suspeitíssimo “balcão de negócios” na linha.
Na índia, mto mais enrolada que o Brasil em termos de compras militares, o almirante que comprou aquele porta-aviões russo perdeu o emprego, está escapando de uma corte marcial, mas perderá a pensão.

(http://www.informationdissemination.net/2011/04/professional-standards.html)

Baschera
Baschera
9 anos atrás

Tá bom….. estou colocando aqui meio tarde.. mas vai aí : Fazia tempo que eu e o Rodrigo, além de poucos outros, já falavamos mal do MI-35, não até do aparelho, mas dos russos e sua falta de capacidade de prover soluções as necessidades da FAb em Porto Velho. Os MI-35 vieram com manuais em russo, com amperagem diferente da aqui usada, sem APU, com as ferramentas de manutenção faltando, com problemas nas hélices, ete.etc….. e o pessoal que veio dar instrução e montar os helis aqui….. vivia de porre e não entendiam a língua…entre o que se pode escrever,… Read more »

Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
9 anos atrás

Para mim, heli de ataque sao os SuperCobras, os Apache, os Tigers…

Esses helis russos sao banheiras voadoras e nao vao durar muito naquele clima humido e quente la do norte.

Corrosao, falhas eletricas, ou pior ainda, falha nas turbinas, serao um fato corriqueiro.

Russian junk. Rsrsrsrsrs.

Baschera
Baschera
9 anos atrás

Recebi a info….

Serão sumariamente devolvidos os MI-35 que já chegaram.

Fim das compras russas….. queimou geral !!

Sds.

DrCockroach
DrCockroach
9 anos atrás

O Lobim tem chefe, a responsabilidade eh dela tb se o que for imprescindivel for cortado e se manter, por exemplo, os EC-725 (detalhes ainda precisam emergir). O processo: – O Guido “chutador” Mantega avisa que sao necessarios cortes de X; – O NJ comunica os Comandantes p/ realizarem os cortes “sem reclamar”; – O Saito sugere cortar isto e aquilo; – O NJ rejeita porque “naquilo” nao se toca: corta “outra” coisa qualquer (muita mais que apenas os MI-35, diga-se de passagem), mesmo que paralize a FAB; – O Saito faz o que? a) diz p/ o NJ: #$@%@%^!^&~!&^@%$#@!$!… Read more »

Rodrigo
Rodrigo
9 anos atrás

Baschera disse:
4 de abril de 2011 às 23:48

Quem sabe em breve estaremos contribuindo para a recuperação do poder aéreo russo, para aguardar o Wagner..

Mais meia-dúzia de cacarecos para a Rússia..

Esta compra ao meu ver sempre foi irracional, seria mais lógico comprar BHs e colocar o Kit do Arpia ou do Battlehawk..

No fim, é o que provavelmente teremos.

O Hind é mais um programa da era Jobim indo para o vinagre.

Rodrigo
Rodrigo
9 anos atrás

Ops…agradar o Wagner.

Grifo
Grifo
9 anos atrás

Agora, voltando a vaca fria, acerca dos helis russos… o que FOI cancelado …. para mim não está claro…. cancelarão a encomenda dos MI-35 que noticiou-se iriam para o Exército… ou vão cancelar a entrega dos atuais MI-35 que JÁ estão em Porto Velho e o restante da encomenda de um total de 12 unidades prevista ??? Caro Baschera, acho que o cancelamento se refere a um novo lote. Os Mi-35 que estão em PVH já foram aceitos, pagos e são aeronaves da FAB. A justificativa do Jobim para não cortar um centavo do EC-725 porque se trata da indústria… Read more »

Vader
9 anos atrás

Eu vinha falando há tempos que os Mi-35 só estavam mais ou menos por conta do atravessador paquistanês que fez a venda.

E olha que a minha “fonte” é completamente outra do Baschera e do Rodrigo.

Muito bem. Os russófilos sempre pediram por uma “prova de fogo” de seu equipamento nas Forças Armadas do Brasil.

A oportunidade foi dada e foi desperdiçada. Os russos mostraram que não tem competência para cumprir um contrato.

Que tentem de novo daqui há 20 ou 30 anos…

edcreek
edcreek
9 anos atrás

Olá,

Se não pode ser com os Russos, que venhão mais ECs, hauhauahuah.

Abraços,

Antonio M
Antonio M
9 anos atrás

Se fizerem uma auditoria de verdade nesses acordos Brasil-França e Brasil-Rússia vão pegar um monte de gente com a “mão molhada”, isso sim ……

Vader
9 anos atrás

edcreek disse:
5 de abril de 2011 às 8:34

Se eu fosse a “Apertaparafusobrás” colocaria as barbas de molho, porque “o Italiano” tá de olho nos ECs do Seo Jobim…

E que venham BHs e Cobras pras Forças. Que aliás é o que elas sempre quiseram.

Leonardo
Leonardo
9 anos atrás

Rodrigo disse: Vai o conselho, sempre vejam com olhos críticos o que sai na mídia. Outro dia veio um rapaz debater comigo, que estava tudo lindo com o Hind, pois tinha lido na ASAS. Caro Rodrigo reconheço que fiz tal afirmação, mas apenas informei o que havia lido, de qualquer forma vou seguir seu conselho e ficar atento a algumas notícias que rolam por aí na mídia, na verdade confesso que sempre achei está compra um tanto estranha, rolou pela net na época que as empresas americanas resolveram não participar da licitação por considerarem que as regras do edital “privilegiavam”… Read more »

edcreek
edcreek
9 anos atrás

Olá,

Amigos vcs falam de vão achar mão molhada(eu não tenho duvidas) mas quem vai pega-los? Todos tem suas negociatas ninguem levanta a lebre o custo será alto para todos.

Vcs pregam isso a todo momento, mas temos que ser realistas por mais que doa, no Brasil as coisas só funcionam assim, plagiando o Vader republica bananeira é assim mesmo….

Temos um PIB absurdo, dinheiro tem e muito o que falta é vergonha na cara dos Ptralhas e PSbistas e nos amados eleitores Brasileiros.

Abraços,

Antonio M
Antonio M
9 anos atrás

edcreek disse:
5 de abril de 2011 às 9:55

Por isso que frequento esse espaço, que é democrático de fato, por ter um mínimo de esperança de que as coisas podem mudar e tendo a chance do debate em alto nível.

O que não podemos é desprezar a história, insistindo nos erros, acreditando que um erro conserta ou justifica outro ….

edcreek
edcreek
9 anos atrás

Olá, Antonio M esse é o meu motivo tambem, mas a mudança começa de nos nas eleições, com o voto de continuidade( na camara e no senado ) as coisas nunca vão mudar. Não desprezo a historia de forma alguma, mas hoje e pelos proximos dez anos no minimo, o Brasil continuará sendo é m….. que todos conheçemos. São palavras duras, a cada dia vejo coisas ainda piores, não só nos meios militares, mas em cada instancia e cada grupo governamental a corrupção está instalada completamente em todas instituições desde o palacio do planalto até o posto de saude vizinho… Read more »

Rodrigo
Rodrigo
9 anos atrás

O Hind, representa um conceito falido que somente ele tem.

Nem é de ataque e nem é de transporte.

O Hind vende porque é barato, na Rússia mesmo existem conceitos mais modernos.

Se são grande coisa eu não sei, mas o Hind é um belo freguês do Taliban.

O EC725, foi entregue mas não foi aceito ainda.

Observador
Observador
9 anos atrás

Senhores, Caso não tenham lido a Veja desta semana, tem lá uma informação que casa perfeitamente com o adiamento do FX-2. Lá se coloca que o Jobim e outros ficaram em cargos chaves por pelo menos um ano após a posse; em troca a turma do Lula não ia falar mal do governo atual. Ou seja, a Dilma teve que ENGOLIR o Jobim e o está mantendo na geladeira pelo período de um ano. Neste período, não será decidida nenhuma compra importante. Mais uma prova que a compra do Rafale não vai sair. A presidente armou para, na hora da… Read more »

Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
9 anos atrás

Prezados,

Ficarei muito feliz se de fato devolverem essas banheiras para os russos.

Por que nao compramos os Super Cobras, ou Apaches ou os Tigers alemaes???

Vader
9 anos atrás

Tadeu Mendes disse: 5 de abril de 2011 às 16:34 “Por que nao compramos os Super Cobras, ou Apaches ou os Tigers alemaes???” Prezado Tadeu, escolha a alternativa correta: 1. ( ) Porque no Brasil gostamos de ser “diferentões”. O mundo vai em uma direção e nós vamos para outra, só pra dizer que somos “independentes” (o que eu defino como “complexo de vira-latas ao revés”). 2. ( ) Porque nada no Brasil é feito sem propina e geton, como diz o Edcreek. 3. ( ) Porque somos burros. 4. ( ) Porque somos antiamericanos. 5. ( ) Todas as… Read more »

Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
9 anos atrás

Vader,

Triste…mas parece que a resposta certa e a #5.

[]s.

Rodrigo
Rodrigo
9 anos atrás

A intenção do projeto não é mobiliar com helicópteros de ataque puros.. Era ter um helicóptero armado com maior alcance, o que não é bem o maior predicado do Hind.. Para a missão que entubaram o Hind, basta o BH ou os SP/EC725. Quem acompanha esta compra do Hind, da pra ver que tudo foi sempre conduzido de maneira amadora pelos russos, com muita tentativa e erro e isto compromete a confiança do cliente. 1º – Iam integrar os nossos foguetes não guiados ao Hind, mas desta vez o Plug & Play russo não deu certo; 2º – Iam converter… Read more »