Home Noticiário Internacional Tesouradas preocupam os militares

Tesouradas preocupam os militares

114
10

Corte de R$ 4 bi no Ministério da Defesa agravará o sucateamento das Forças Armadas

 

Assinado com pompa pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva e pelo ministro da Defesa, Nelson Jobim, há pouco mais de dois anos, o Plano de Defesa Nacional que previa uma estratégia de modernização das Forças Armadas pelos próximos 50 anos teve o primeiro revés, muito antes do esperado.

Pelo documento, o reaparelhamento militar brasileiro seria voltado para a compra de caças de combate com transferência de tecnologia e a construção do submarino de propulsão nuclear para patrulhar a costa brasileira. O corte de R$ 4 bilhões anunciado pelo governo para a área de Defesa colocou uma incógnita justamente sobre o cronograma previsto para esses planos e irritou profundamente os militares.

Para especialistas em segurança nacional, a tesoura anunciada pelo governo federal torna dramática a situação de sucateamento das Forças Armadas brasileiras. Atrasada desde a década de 1990, a aquisição dos caças responsáveis por substituir uma frota hoje composta por pelo menos três modelos de aviões corre sério risco de não sair do papel ainda em 2011.

A situação mais urgente é a dos caças Mirage 2000, que serão aposentados até 2015. A atual frota de cinco submarinos, que deveria receber o reforço de mais quatro embarcações convencionais e uma nuclear até 2022 pelo Programa de Desenvolvimento de Submarinos (Prosub), também seria insuficiente para as necessidades do país em um curto espaço de tempo, especialmente com o início da exploração do pré-sal.

Treinamento

Em um primeiro momento, além da construção dos submarinos e da compra de caças, também entrou em estado de espera a modernização das aeronaves AMX e o desenvolvimento dos aviões de carga KC-390 da Embraer. Como a tesoura atinge principalmente investimentos e custeio, a consequência imediata será a diminuição das horas de voo destinadas ao treinamento das tripulações, em especial as mais custosas, tal como as dos pilotos de caça.

 “A situação é delicada tanto no caso dos submarinos quanto na dos caças. Boa parte dos aviões atuais estará aposentada em, no máximo, quatro anos e um contrato para compra de novos costuma demorar pelo menos dois anos para o início das entregas”, aponta o professor de Relações Internacionais da FAAP-SP e especialista em Segurança Nacional pela Georgetown University, Gunther Rudzit.

Como a compra dos caças só entraria no orçamento do ano que vem, muitos militares creditam somente às pressões políticas o atraso na definição do modelo vencedor — embora não exista clima para aprovar compras desse tamanho, em meio a um corte de R$ 50 bilhões no orçamento. “O contingenciamento não afetará objetivamente o Programa FX 2, visto não serem previstos dispêndios no ano-base 2011. Os motivos do adiamento, na minha opinião, têm fundamento em motivações políticas. Não seria politicamente correto decidir um investimento da ordem de bilhões de dólares em época de aperto de cinto”, critica um oficial da reserva.

FONTE: Correio Braziliense (reportagem de Ivan Iunes), via Notimp

10
Deixe um comentário

avatar
10 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
7 Comment authors
RodrigoNickDarkmanMauricio R.ZE Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Antonio M
Visitante
Member
Antonio M

“…Os motivos do adiamento, na minha opinião, têm fundamento em motivações políticas. …” A minha também e de muita gente pois parece muito óbvio. Não levam em conta o que um investimento desses para fabricá-lo aqui (no caso do FX2), o quanto poderia gerar de empregos, aquisição de know-how que por sua vez geraria outras demandas, mais empregos, cursos e qualificações que no final das contas acabam gerando arrecadação de impostos em cima dessa movimentação. Mas falar de impostos para nossos governantes não é melhorar, fiscalizar, racionalizar o gasto público, para eles o negócio é criar novos impostos ou ressuscitá-los… Read more »

Vader
Visitante
Member

PND, END, Braço Forte, FX2, PAEMB, tudo palavras jogadas ao vento pelo demagogo governante anterior, que queria fazer-nos crer que o sol finalmente havia raiado para as FFAAs.

Papel aceita tudo…

De concreto? Nada até agora. E até o Bolsa-Blindado e o Sub-Odebrecht estão sob severo risco de redução/cancelamento.

Culpa de quem? NOSSA!

Enquanto não elegermos políticos realmente preocupados com a segurança nacional, nosso destino é esse: fugazes e bombásticos anúncios, seguidos de cancelamentos dolorosos.

Quanto à FAB, já me convenci: vai se tornar na melhor empresa de transporte VIP do mundo, a única com alguma capacidade de combate (com STs).

ZE
Visitante
Member
ZE

É isso aí, precisamos dos submarinos para ontem. Temos que tê-los para ontem e em quantidade, no mínimo, 3 vezes maior ! Senão os gringos aparecem e metem o pré-sal debaixo do sovaco e se pirulitam. O caso da FAB é igual. Não vou discutir mais isso com NINGUÉM !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! É uma pena que as pessoas ainda tenham essa ideia de joguinhos como o WAR ! Creio que na mente da maioria, o importante é ficar desfilando com submarinos e aviões de caça, AO INVÉS DE SE PREOCUPAREM COM O QUE REALMENTE IMPORTA !! Eu já comprei o meu binóculo… Read more »

ZE
Visitante
Member
ZE

“Por caças, Brasil amplia negociações: Considerada estratégica para elevar o Brasil à potência militar, a compra dos caças supersônicos para a Força aérea recebeu contornos políticos e comerciais da presidente Dilma Rousseff. Embora a transferência de tecnologia ainda tenha peso na escolha do fornecedor, o governo agora pretende obter em troca uma serie de vantagens econômicas. O primeiro sinal de que houve mudança de rumo foi a inclusão nas negociações do ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel. As discussões envolvem desde a abertura do mercado americano para o etanol brasileiro até o apoio ao sonho de obter… Read more »

ZE
Visitante
Member
ZE

Aliás, a ministra das Relações Exteriores da França, Michèle Alliot-Marie, enviou uma carta pedindo sua demissão ao presidente Nicolas Sarkozy. Para quem não se lembra, a referida ministra é aquela que veio ao Brasil há uns 10 dias atrás bater um papo com o Jobim e a Dilma. A então mininstra, fez aquelas promessas engana otário de sempre: falou na Transferência Irrestrita de Tecnologia, e da tal Parceria Estratégica com o Brasil, dentre outras bobagens. Alliot-Marie esteve no centro de uma tempestade política após a revelação de que passeou pela Tunísia em dezembro enquanto protestos populares sacudiam o país e… Read more »

Antonio M
Visitante
Member
Antonio M

“…– Os americanos não são confiáveis. Eles vêm com promessas, mas depois não cumprem – diz um brigadeiro. Nos hangares da FAB, o supersônico preferido é o sueco Gripen. ” Se for verdade deve ser a opinião de UM ou pouquíssimos brigadeiros pois seria uma contradição condenar os EUA e preferir o Gripem que tem muitos componentes norte-americanos. E sabemso que se a FAB tem alguma coisa hoje em dia de vanguarda relacionado à aviação de caça, é de procedência norte-americana majoritariamente. “..Considerada estratégica para elevar o Brasil à potência militar, a compra dos caças supersônicos para a Força aérea… Read more »

Mauricio R.
Visitante
Mauricio R.

“– Os americanos não são confiáveis. Eles vêm com promessas, mas depois não cumprem – diz um brigadeiro.”

É da ativa???
Então dá um pijaminha de Píu-Píu, que ele se aquieta.

Leia mais (Read More): Tesouradas preocupam os militares | Poder Aéreo – Informação e Discussão sobre Aviação Militar e Civil

Darkman
Visitante
Darkman

Espero que o corte apenas fique em 2011 e que em 2012 seja tudo botado em prática novamente.
Na minha opinião acho que o F18 Super Hornet vai levar essa e que o FX2 vai ser apenas um complemento nas negociações comerciais com os americanos.
Infelizmente os Políticos estão pouco se importando com as condições operacionais das Forças Armadas.
Estamos na penúria faz anos e pelo jeito vamos continuar assim !!!

Abs.

Nick
Visitante
Member
Nick

Do UOL Notícias: “28/02/2011 – 13h45 Mantega diz que país não tem dinheiro para comprar caças Da Redação, em São Paulo O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse que o governo não tem dinheiro para comprar caças novos para as Forças Armadas neste ano. “Não temos previsões para a aquisição de caças neste ano. Não há recursos disponíveis, portanto, acho bastante improvável que se faça aquisição de caças neste ano. Não há espaço fiscal”, afirmou. Há uma disputa para a compra dos aviões militares desde o governo Lula. Esperava-se uma definição da presidente Dilma Rousseff. A declaração foi feita durante… Read more »

Rodrigo
Visitante
Member
Rodrigo

E ontem mesmo o NJ que nada disse mais uma vez que nada será afetado e que vai levar o a assunto para a Dillma.

Quantas vezes ele já falou que vai levar o assunto para a Dillma?

De boa….
O Jobim está mais frito que frango a passarinho, seria mais honroso ele ligar para o RH e pedir as contas dele.