domingo, maio 16, 2021

Gripen para o Brasil

Agenda de discussões para visita de Obama ao país continua indefinida

Destaques

Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

Selecionamos abaixo alguns trechos da matéria original, bem mais extensa, destacando as questões mais ligadas aos temas de Defesa. Para ler o texto completo (via Notimp da FAB), que trata também do comércio entre os dois países e outros assuntos de Relações Internacionais, clique aqui.

O interesse das empresas americanas no mercado brasileiro e a necessidade de apoio governamental para aumentar as exportações brasileiras aos Estados Unidos são, até agora, os principais assuntos escolhidos pelo Palácio do Planalto para marcar a visita do presidente dos EUA, Barack Obama, ao Brasil, em meados de março.

São praticamente nulas as possibilidades de que a presidente Dilma Rousseff escolha a americana Boeing para fornecer os novos caças da Força Aérea Brasileira, mas não se descartam convites aos americanos para fornecer equipamentos à Petrobras.

Não há, nem no Palácio do Planalto, nem no Itamaraty, muita esperança de que o presidente Obama traga o apoio a um assento permanente para o Brasil no Conselho de Segurança das Nações Unidas, iniciativa que inauguraria uma fase inédita na relação entre os dois países.

Obama deve chegar na sexta-feira, 11 de março. Passará o sábado em Brasília, onde terá almoço no Palácio do Itamaraty, e, no domingo, irá ao Rio, onde está prevista a visita do presidente americano a favela controlada por Unidade de Polícia Pacificadora (UPP). Ele pretende falar ao público, no Rio.

Um graduado assessor de Dilma garante que é certo que, embora ela tenha determinado a revisão do processo de escolha para os novos caças da FAB, ela compartilha com o ministro da Defesa, Nélson Jobim, as desconfianças em relação às promessas americanas de transferência de tecnologia. Embora a Casa Branca tenha obtido apoio do Congresso americano para oferecer inéditas condições de transferência tecnológica, a cúpula do governo crê que qualquer reviravolta política no Legislativo dos EUA pode deixar o Brasil refém das decisões do governo americano na manutenção da frota da FAB, caso opte pelos aviões da Boeing.

Dilma não anunciará, pelo menos até meados do segundo semestre, nenhuma decisão sobre a compra dos caças, negócio que pode chegar a US$ 8 bilhões. A presidente, segundo um ministro, considera um anúncio desse tipo incompatível com o momento atual, em que o governo se esForça para mostrar austeridade no ajuste das contas públicas.

FONTE: Valor Econômico (reportagem de S. Leo), via Notimp

- Advertisement -

10 Comments

Subscribe
Notify of
guest
10 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Antonio M

Mas os orçamentos da Câmara dos deputados, Senado que sustentam uma série de privilégios e mordomias, nesses ninguém mexe !!!

ZE

Vamos lá: Ao contrário do que diz a matéria, Dilma e Obama vão traçar ações conjuntas contra a proposta de TABELAMENTO das COMMODITIES AGRÍCOLAS (somos grandes exportadores). Uma equipe norte-americana esteve em Brasília na semana passada justamente para afinar o discurso e colocar o tema na pauta de discussão ! O Obama não vai apoiar um assento permanente no Conselho de Segurança da ONU, porque NÓS escolhemos apoiar ditaduras horrendas como a do IRÃ, VENEZUELA… A título de curiosidade: o grupo narco-guerrilheiro FARC, os grupos terrorsitas ETA, HAMMAS, HEZBOLAH…NÃO SÃO CONSIDERADOS GRUPOS TERRISTAS PELO BRASIL ! O único grupo considerado… Read more »

tplayer

Essa visita vai definir algumas coisas que podem acontecer nos próximos anos na américa latina.

Especula-se que o próximo alvo dos EUA seja a Venezuela, nosso atual parceiro. Creio que a Dilma irá abrir as pernas (não literalmente) e atender todas as solicitações do Obama.

No setor agrícola o Brasil nem tem o que discutir, basta se aliar com os EUA e ir contra o tabelamento.

ZE

OFF TOPIC MUITO IMPORTANTE: “Líbia passou a noite em tumultos e tem manifestação amanhã: A Líbia viveu esta noite graves tumultos com centenas de pessoas em confronto com a polícia e apoiantes do regime de Muammar Khadafi na cidade de Benghazi, depois da prisão de um advogado conhecido com crítico férreo do governo. O Iémen, Argélia e, mais recentemente, o Bahrein têm sido igualmente palco de manifestações contra os respectivos governos. Apesar de as autoridades terem entretanto libertado Fathi Terbil – que representa as famílias dos prisioneiros alegadamente massacrados pelas forças de segurança líbias na prisão de Abu Slim em… Read more »

Rodrigo

Rafale, cheio de componente americano na Líbia só em sonho desesperado da Dassault.

Observador

Senhores, A Dilma não é como o incompetente que a antecedeu: ela não vai escolher avião nenhum no afogadilho, seduzida por promessas ouvidas entre uma dose ou outra de caipirinha. Ela vai fazer o que qualquer pessoa prudente faria e vai escutar quem REALMENTE entende do riscado. Sobre a pretensão do Brasil a uma vaga permanente no Conselho de Segurança da ONU, a mesma está MORTA e ENTERRADA graças aos delirantes, incompetentes, traidores que comandaram a nossa política externa nos últimos anos. Não vou nominá-los. Todos sabemos quem são. Se esta corja tivesse o mínimo de inteligência, teria rezado pela… Read more »

Observador

Em tempo:

A próxima grande guerra (mundial ou não) não será travada por território, petróleo, religião, ideologia, rotas comerciais ou por mercados comsumidores.

A próxima guerra será por COMIDA.

Nós temos. Eles não.

Eles tem armas. Nós não.

O que acham que vai acontecer?

Baschera

Observador disse:
16 de fevereiro de 2011 às 17:46

Vamos ser assaltados ??

Não se preocupem, chamem o Lulla Chapolin e seu martelo com punho adaptado para 9 dedos e meio…..

Sds.

Vader

Observador disse:
16 de fevereiro de 2011 às 17:29

Brilhante comentário! Parabéns.

Apenas pontuo que espero mesmo que a coisa mude; mas não acho que irá ocorrer.

Abraço.

Wagner

Ze, só um detalhe.

NÓS não escolhemos nada, foi o LULA que escolheu. Por causa do ódio dele aos países ricos, ódio aos europeus, recalque da pobreza dele. O Lula culpa as pessoas como eu, de olhos azuis, pelas mazelas do mundo, então, era natural que fosse escolher aliados sob critérios do séx XIX…

Concordo que devemos buscar novas parcerias, mas poxa, daqui a pocuo estaremos dizendo que Mianmar é uma democracia !!!

Reportagens especiais

O AT-26 Xavante, conforme visto (e voado) por Franco Ferreira

  O texto abaixo é de autoria do nosso amigo Gustavo Adolfo Franco Ferreira, tenente-coronel aviador reformado da FAB, especialista em Segurança...
- Advertisement -
- Advertisement -