terça-feira, dezembro 7, 2021

Gripen para o Brasil

O que diz a END sobre os caças para a FAB?

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Um dos pontos positivos do Governo Lula foi a criação da Estratégia Nacional de Defesa.

Nela estão delineadas também as aquisições de novos meios. Vejamos a seguir o que diz a segunda edição da END, nas páginas 30 e 31, sobre os futuros caças da FAB:

Dentre todas as preocupações a enfrentar no desenvolvimento da Força Aérea, a que inspira cuidados mais vivos e prementes é a maneira de substituir os atuais aviões de combate no intervalo entre 2015 e 2025, uma vez esgotada a possibilidade de prolongar-lhes a vida por modernização de seus sistemas de armas, de sua aviônica e de partes de sua estrutura e fuselagem.

O Brasil confronta, nesse particular, dilema corriqueiro em toda a parte: manter a prioridade das capacitações futuras sobre os gastos atuais, sem tolerar desproteção aérea. Precisa investir nas capacidades que lhe assegurem potencial de fabricação independente de seus meios aéreos de defesa. Não pode, porém, aceitar ficar desfalcado de um escudo aéreo enquanto reúne as condições para ganhar tal independência.

A solução a dar a esse problema é tão importante, e exerce efeitos tão variados sobre a situação estratégica do País na América do Sul e no mundo, que transcende uma mera discussão de equipamento e merece ser entendida como parte integrante da Estratégia Nacional de Defesa.

O princípio genérico da solução é a rejeição das soluções extremas – simplesmente comprar no mercado internacional um caça “de quinta geração” ou sacrificar a compra para investir na modernização dos aviões existentes, nos projetos de aviões não-tripulados, no desenvolvimento, junto com outro país, do protótipo de um caça tripulado do futuro e na formação maciça de quadros científicos e técnicos.

Convém solução híbrida, que providencie o avião de combate dentro do intervalo temporal necessário mas que o faça de maneira a criar condições para a fabricação nacional de caças tripulados avançados.

Tal solução híbrida poderá obedecer a um de dois figurinos. Embora esses dois figurinos possam coexistir em tese, na prática um terá de prevalecer sobre o outro.

Ambos ultrapassam de muito os limites convencionais de compra com transferência de tecnologia ou “off-set” e envolvem iniciativa substancial de concepção e de fabricação no Brasil. Atingem o mesmo resultado por caminhos diferentes.

De acordo com o primeiro figurino, estabelecer-se-ia parceria com outro país ou países para projetar e fabricar no Brasil, dentro do intervalo temporal relevante, um sucedâneo a um caça de quinta geração à venda no mercado internacional.

Projeta-se e constrói-se o sucedâneo de maneira a superar limitações técnicas e operacionais significativas da versão atual daquele avião (por exemplo, seu raio de ação, suas limitações em matéria de empuxo vetorado, sua falta de baixa assinatura radar).

A solução em foco daria resposta simultânea aos problemas das limitações técnicas e da independência tecnológica.

De acordo com o segundo figurino, seria comprado um caça de quinta geração, em negociação que contemplasse a transferência integral de tecnologia, inclusive as tecnologias de projeto e de fabricação do avião e os “códigos-fonte”. A compra seria feita na escala mínima necessária para facultar a transferência integral dessas tecnologias.

Uma empresa brasileira começa a produzir, sob orientação do Estado brasileiro, um sucedâneo àquele avião comprado, autorizado por negociação antecedente com o país e a empresa vendedores. A solução em foco dar-se-ia por sequenciamento e não por simultaneidade.

A escolha entre os dois figurinos é questão de circunstância e de negociação.
Consideração que poderá ser decisiva é a necessidade de preferir a opção que minimize a dependência tecnológica ou política em relação a qualquer fornecedor que, por deter componentes do avião a comprar ou a modernizar, possa pretender, por conta dessa participação, inibir ou influir sobre iniciativas de defesa desencadeadas pelo Brasil.

Para concluir, gostaríamos de deixar nosso recado ao Presidente Lula e à futura Presidente Dilma Roussef. Por favor, façam valer a END!

NOTA DO PODER AÉREO: no primeiro figurino descrito na END, os autores provavelmente queriam dizer “um sucedâneo a um caça de quarta-geração à venda no mercado internacional” e não de “quinta geração”, que é a alternativa do segundo figurino.

- Advertisement -

37 Comments

Subscribe
Notify of
guest
37 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Humberto

Sou um eterno otimista.. Mas estamos patinando no mínimo 10 anos para comprar 12 a 36 caças de quarta (ou plus) geração. Quem diabos vai vender toda a tecnologia de avião de quinta geração? HOJE..só os gringos..Se nem os Britanicos vão ter isto, imaginem nós..Os Russos com o Pak? Se os Indianos já chegaram atrasados (não vão participar de todo o desenvolvimento) nós vamos conseguir o que? Não rola.. Vamos participar de parceirias para desenvolver um caça? Ótimo..melhor caminho, mas alguém aqui acredita que algum governo vai bancar um projeto de mais 10 anos custando bilhões de dolares para algum… Read more »

Korolev

“De acordo com o segundo figurino, seria comprado um caça de quinta geração, em negociação que contemplasse a transferência integral de tecnologia, inclusive as tecnologias de projeto e de fabricação do avião e os “códigos-fonte”. A compra seria feita na escala mínima necessária para facultar a transferência integral dessas tecnologias.”

Caça de quinta geração? Transferência integral de tecnologia? Sei…É por e outras coisas que eu sempre achei a END pura bravata.

(Peço aos moderadores para apagarem o meu primeiro post pois deu pau no navegador na hora que eu ia postar =D)

ZE

Essa END é uma bobagem surreal feita na coxa !

Ela só serve para se ficar debatendo em fóruns da internet, e nada mais, pois a sua EFETIVIDADE será ínfima diante das ESPECTATIVAS !

Se quisessem fazer algo que PRESTASSE, os Agentes Políticos e a SOCIEDADE deveriam ter sido mobilizados. Não houve mobilização, só tirinhas em jornais !

Uma equipe multidisciplinar deveria ter sido reunida (o Ministro da Fazenda, economia etc etc etc).

O Mangabeira Unger viajou na maionese !

Estou esperando os 2 porta-aviões.

[ ]s

Soldier

Papel aceita qualquer coisa…

Nem falo deste atual governo e sim dos antecessores dele e pela história recente deste país.

Uma lástima…

shungria

Na minha modesta opinião toda esta END (FIM, em inglês) não é muito acertada. Dadas as características pacíficas do Brasil, nossos esforços deveriam se concentrar em DEFESA. Sistema de radares, mísseis, anti-mísseis, mísseis de longo alcance, aviões não tripulados, estratégias de defesa das amazonias.. Para mim seria isso o ideal. Abçs.

Vinícius Dutra

Como já disseram aí, papel aceita tudo. O Brasil é o país mais avançado do mundo, mas só no papel.

Zavva

END: “em negociação que contemplasse a transferência integral de tecnologia”

Quem escreveu a END não sabia que não existe transferencia integral de tecnologia, nem mesmo para o F-5.

Ricardo

TRISTEZA…

Nick

Maior problema que vejo na END , é a falta de sustentação econômica. Única forma seria uma lei que obrigasse que pelo menos 2,5% do PIB fosse destinado exclusivamente para a Defesa e sem possibilidades de cortes, ou contigenciamentos. Especificamente em relação aos caças, O primeiro figurino, seria desenvolver aqui um caça de 4.5ª geração mas configurado de tal maneira que poderia ser chamado de 4.75ª geração. Seria a construir por aqui por exemplo F-18 E Silent Hornet, ou o F-15 Silent Eagle. O mais próximo dentro do FX-2 seria o Gripen Ng, desde que configurado com casulos furtivos. O… Read more »

RolandTFlackphayser

The END para o END!

Garanto que nehuma empresa jamé pássaria ou passará as suas tecnologias para qualquer que seja o governo do mundo. Se o governo estava esperando isso de o povo acreditar que a Dassault ou mesmo da Saab iriam fazer isso de bom grado, é melhor tirar o cavalinho da chuva e aceitar que as estórinhas da carochinha não colam mais com esse papo de decisãio estratégica e blábláblá.

Quer comprar? Tem pra vender!

Quer fabricar? Então que faça o seu por que aqui no mundo de verdade só tem pra vender!

rodrigo ds

Será o END (fim) da FAB ??!!

RolandTFlackphayser

RolandTFlackphayser disse:
8 de dezembro de 2010 às 17:22

Corrigindo:

Decisão onde se está grafado incorretamente decisãio.

Poker

PAK-FA a Dilma não é a mãe do PAK?

Francisco de Bem

Sou só eu ou o Gripen se encaixa quase perfeitamente no primeiro figurino, com a correção do blog?

Em tempo, me junto aos que acreditam que o melhor para o Brasil seria fazer engenharia reversa nos F-5 (não demoraria muito tempo, hehehehe). E depois disso partir para um F-BR

defourt

Poker disse:
8 de dezembro de 2010 às 17:57

“PAK-FA a Dilma não é a mãe do PAK?”

🙂

Odenir Finkler Geraldo

Não quero dizer bobagem, mas a Embraer não poderia ser mais agressiva na sua estratégia comercial e lançar no ar um desenho conceito de um caça de 5ª geração brasileiro? Sabemos claro que o avião de transporte KC-390 é longe de ser apenas um mero conceito, porque é na verdade um projeto, ou seja, é só começar a fabricar, porque ele já está projetado, desenhado e na prática voaria mesmo (e muito bem, pelo tanto de países que se interessaram nele), então não é disso que estou falando, estou falando de desenho conceito mesmo. Existem várias empresas aeronáuticas que fazem… Read more »

Douglas

É uma vergonha para o Brasil ,enquanto nossos vizinhos compram F-16 e Flankers ,a FAB fica com as misérias de meia duzia de Mirrages com tecnologia da década de 80 ,e F-5 modernizado eo AMX em processo de modernização ,não creio que a FAB com esses meios possa defender o Brasil de possíveis ataques .Acho que esse END é pura invenção de mal gosto ,que deixa nossos guerreiros do ar irritados e idguinados .

Lysias

Só deu pra ler até a metade….

zao

tem que fazer igual a china…..comprar de pratileira….e fazer a transferencia de tecnologia na base da engenharia reversa…e depois deixa eles reclamararem mais ai a ines e morta ja era

Asimov

Texto confuso e mal redigido.

tell

A Pouco tempo aqui neste site eu via discuções a respeito das eleições e em quem votar para assegurar a compra dos aviões e apesar do curriculum de Dilma muitos aqui e na área militar votaram no PT. Fervorosos defensores do Lula acreditaram na forissima propaganda do governo e acreditaram que o Brasil tinha saido da crise e estava com uma economia de 1º mundo. É triste saber que nossos militares não sabem das artimanhas daqueles que seguem a cartilha. Agora é a hora da decepção, a hora da verdade. E a verdade é dura para aqueles que acreditaram neles.… Read more »

Vader

Texto confuso, redigido a quatro mãos por um jurista nefelibata em fim de carreira e um cidadão que viveu tanto tempo no estrangeiro que esqueceu o português, além de jamais ter vivenciado a realidade brasileira atual…

A END tem algumas (poucas) coisas boas, mas na parte que toca aos caças é uma completa viagem. Fazer um caça 100% nacional com base em ToT estrangeira? Ah tá, conta outra…

Faz-me rir muito… Tomara que a Dilma ignore essa porcaria ou melhor ainda: passe a borracha nela…

joao

A unica saída é torcer para o Chaves fazer alguma cagada. Bem que ele podia mandar uns Sukhois dar uns razantes la em Brasilia pra ver se o povo acorda! rs

adriano

BRASIL O TIGRÃO DE PAPEL

adriano

Agora é hora do batman e robin (putin e medvedev) e a sukhoi tirar vantagem!!!

andeso

João, se os Sukhois do Chaves darem rasantes em Brasilia o povão vai achar que é show aereo, se os sukhois bombardearem algo em brasilia o povão e Molusco & Cia. acharão que é espetáculo de fogos de artifício, se os sukhois fizeram ataques kamikases em Brasilia, quero ver se não vai ter gente falando que foi montagem da rede globo. Em outras palavras, como já disse o general Charles de Gaulle(pelo menos atribuem a ele essa frase): O Brasil não é um país sério. E como eu já disse em um post: Não acredito mais no Brasil e cada… Read more »

andeso

Tigrão de papel?? O Brasil não passa de um ursinho de pelúcia rosa e de papel, nem para tigrão de papel serve mais.

RL

Vou expressar um pensamento que tive aqui com meus neurônios. Depois os amigos podem dizer se o RL é doido ou não. Conforme o ND a aquisição teria de ser de um caça de 5 geração. Todos leram ai. As aeronaves deste projeto como todos também sabem, é de quarta geracao. Lembram de Mangabeira Unger? Ele quem foi a Rússia quando nos foi feito o convite para participarmos do projeto PAK-FA T-50. Até ai Ok. Depos a novela do FX-II tomou o rumo que todos conhecem até alguns fatos relevantes: 1 – A tão esperada “mão amiga” da França para… Read more »

ZE

joao disse: 8 de dezembro de 2010 às 21:05 “A unica saída é torcer para o Chaves fazer alguma cagada. Bem que ele podia mandar uns Sukhois dar uns razantes la em Brasilia pra ver se o povo acorda! rs” Não dá, ele tá sem dinheiro. Sua economia está em frangalhos. O armamento russo que ele compra é devido à uma linha de crédito com o Grande Urso. Sua economia, antes baseada EM PARTE na meritocracia, agora está toda na mão de seus apadrinhados, fazendo com que ela se torne menos produtiva. O Camarada Chávez nem conseguiu o dinheiro para… Read more »

tell

Não desanimem pessoal a coisa não é tão ruim assim, pelo contrario, acho que o Rafale era um mal negocio para o Brasil. A realidade é dura, mas temos que encarar, portanto, acredito que a compra de usados é um ótimo negocio. Depois da crise mundial aumentaram as ofertas e os preços caíram muito. O Brasil ainda não esta preparado para adquirir essa tecnologia. A compra dos códigos fonte não iria ajudar muito, pois, não fabricamos os Chips e processadores que esses equipamentos utilizam. O Brasil precisa pegar essa verba e investir em tecnologia e na indústria bélica, esse é… Read more »

Carcará

O Brasil já poderia anteriormente ter adquirido uma solução mais barata, com transferência de tecnologia como o F-16, Gripen ou mesmo Mirage 2000-9, passiveis de manutenção e modernizações por empresas brasileiras.
Teríamos assim como planejar um FX-3, com um caça de tecnologia própria para o futuro, ou através de uma parceria.
Deixamos o acesso à tecnologia sempre para depois, essa é a tradição do Brasil, infelizmente.
Veja Israel.

Carcará

A Sra Dilma foi Ministra da Casa Civil do governo atual, por isso me levanta dúvidas sobre o desconhecimento relatado, que impede a tomada de decisão. Veja Texo FONTE: Folha.com Sob pressão, Jobim insiste em definição sobre caças da FAB Publicidade DE BRASÍLIA Apesar da decisão da presidente eleita, Dilma Rousseff, de jogar o anúncio sobre os novos caças da Aeronáutica para depois da posse, o ministro Nelson Jobim (Defesa) pressiona para que o processo seja concluído ainda no atual governo. O comandante da FAB, Juniti Saito, relatou anteontem, durante almoço com os três comandantes militares, temor de que haja… Read more »

Edu Nicácio

O que poderíamos fazer (desde que encerrado o FX-2):

Passo 1 – Absorver o que for possível das tecnologias de 4ª geração
Passo 2 – Construir todos os 120 caças pretendidos
Passo 3 – Lá pra 2014, abrir uma nova RFP para cooperação em projeto de 5ª geração nacional
Passo 4 – Em 2016, estabelecia-se o vencedor
Passo 5 – Em 2017 iniciaria-se o projeto
Passo 6 – Em 2025 concluiria-se o projeto
Passo 7 – Em 2026 iniciaria-se a produção
Passo 8 – Finaliza-se o recebimento de mais 120 unidades em 2032

Ainda bem que sonhar não custa nada…

RL

Edu Nicácio disse:
9 de dezembro de 2010 às 12:49
O que poderíamos fazer (desde que encerrado o FX-2):

Passo 7 – Em 2026 iniciaria-se a produção
Passo 8 – Finaliza-se o recebimento de mais 120 unidades em 2032

*Amigo Edu Nicácio, até q

Até que sua idéia não é um sonho tão absurdo e eu aprovaria. Porem, o tempo ai estipulado pelo amigo é longo demais.
Até 2026, os caças de 5 geração estarão obsoletos nos céus sendo abatidos pelas NAVES DE DARTH VADER E LUCK SKYWALKER

AHAAHHAAHHA

Abraços.

Vanderlei Victorio

Meu Deus ! eu não consigo entender como e nem porque os Brasileiros tem esta paranóia de achar que os Estados Unidos e os Europeus são nossos amigos e protetores. Acorda Brasileiros, o eixo do mundo esta mudando rapidamente. Nós Sul americanos temos que seguir o curso da vida e assumirmos a nossa própria defesa e independência. Os Americanos do Norte e a União Européia sempre nos virão como colônias e nada mais, e só estão de olho nas nossas riquezas naturais e não se impor tão em nada com quem esta encima destas terras, porque para eles não somos… Read more »

Mauricio R.

Essa END não merece comentários, alimentem as máquinas de picar papel, somente!!!

tell

Parabens Vanderlei é isso mesmo, mas não para ai não. Não vamos esquecer a Russia e a China que também não passam a tecnologia pra nós porque disputam com o Brasil por uma posição de destaque. Pelo que pude acompanhar o Jobim esteve na Russia para conversar sobre o FX e não viu interesse em transferência de tecnologia. Precisamos encarar a verdade:- Ninguém vai nos dar nem vender tecnologia de ponta….. Temos que ter coragem, audácia e criar a nossa, assim como fez a marinha. Não temos AMIGOS!!! Nessa guerra é cada um por si e que se dane os… Read more »

Últimas Notícias

Desaer apresenta o ATL-300, turboélice para 40 passageiros

A nova fabricante brasileira Desaer apresentou nesta terça-feira (7) na 6º edição da Mostra BID Brasil o novo modelo...
- Advertisement -
- Advertisement -