Home Aviação Comercial Sucata a céu aberto

Sucata a céu aberto

928
36

Hospedado no Hotel Quality Suítes Congonhas em São Paulo, para cobrir o workshop da Saab em São Bernardo, não pude deixar de fotografar parte do patrimônio da Vasp que apodrece a céu aberto.

Os aviões e equipamentos da antiga companhia aguardam decisão da Justiça para o seu destino final. Foi informado que no último leilão, não apareceu ninguém para comprar os aviões pelo alto preço pedido.

Enquanto isso, o Aeroporto de Congonhas, que precisa das áreas ocupadas pela Vasp, tem que aguardar pacientemente.

Para quem viu a Vasp operando, é triste ver essas imagens.

Subscribe
Notify of
guest
36 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Junior (SC)
Junior (SC)
9 anos atrás

Triste ver isso dos azuizinhos.
E o aeroporto não consegue ocupar a área por que existe pendências judiciais da VASP.
Será que os aviões ainda prestam!

Danilo
Danilo
9 anos atrás

Uma pena e um desperdicio, no estado que as aeronaves estão até se forem doadas a outras empresas que tenham condições de opera-las o negócio ja saiu caro.

pedro
pedro
9 anos atrás

Vc ve essa cena em Confins, Brasilia, Cumbica, Manaus, alem desses tem os da Transbrasil tb.
Pelo menos não temos o desgosto de ver aviões da Varig abandonado.

Mauricio R.
Mauricio R.
9 anos atrás

Isso aí me lembrou da Panair, aconteceu o mesmo c/ boa parte da frota.

Cesar
Cesar
9 anos atrás

A VASP tinha a melhor revista de bordo que eu já li até hoje, a “Viaje Bem”, era muito boa.

Pena que chegou a este ponto, principalmente por causa de um aventureiro chamado Wagner Canhedo. Que sirva de lição para as Web Jets da vida.

GMC
GMC
9 anos atrás

Triste ver o fim destas aeronaves da VASP, que um dia já cruzaram os céus do Brasil, ao lado dos 747 da Varig (que tambem virou só um layout diferente para aviões da Gol); pior ainda a demora para dar um destino aos aviões e liberar a área para ser utilizada mais produtivamente

Tio
Tio
9 anos atrás

É muito triste ver estas imagens, sinto saudades da VASP e também da VARIG.

Grandes empresas, grandes aviões.

Jacubão (19 Kg mais magro)
9 anos atrás

É triste mesmo. Os B737-200 já deveríam ter virado barras e chapas de alumínio, já os 737-300 e os AIRBUS ainda poderiam estar voando e até mesmo nas cores da FAB, como aconteceu com os EMB-145 da Cruzeiro do Sul, apesas de ser uma situação diferente pois os EMB-145 da Cruzeiro foram devolvidos ao BNDS e repassados a FAB e a PF.

Nick
Nick
9 anos atrás

A VASP foi a primeira a receber um A-300, foi um acontecimento naquela época…

Triste ver que as 3, Varig, Vasp e Transbrasil se foram. Só sobrou a GOL, visto que a TAM foi comprada pelos Chilenos.

[]’s

Paulo
Paulo
9 anos atrás

Está na hora de se criar um “estacionamento” de aeronaves no Nordeste, numa região que chova pouco.

Lucas
Lucas
9 anos atrás

Da um aperto… =/

mto
mto
9 anos atrás

a FAB esta precisando de avioes tanques porque ela nao oferece uma proposta de comprar para esses avioes que tem condiçoes de voar as coisas no brasil andam a passo de tartaruga eles demoram tomar decisoes

Daniel Rosa
Daniel Rosa
9 anos atrás

Eeeeeeee Justiça Brasileira!!!!! Mais lenta que ela só o bicho-priguiça! Quando resolverem dar destino a esse monte de entulho, acho que nem esqueleto vai ter mais…. que tranqueira!!!!

emerson
emerson
9 anos atrás

Essa história da VASP merece uma bela investigação. Primeiro porque a VASP originalmente era do governo de São Paulo e durante o governo Oréstes Quércia foi privatizada, sendo adquirida pelo Canhedo. Era fato que o governo de SP não conseguia mais manter a VASP naquele período de inflação descontrolada e economia estagnada. O fato foi que um década depois, a VASP faliu e me lembro até das turbinas que foram escondidas em um galpão fora do aeroporto para que não fossem inventariadas na massa falida. Me lembro do desespero dos funcionário da VASP sem salários e até hoje sem indenização.… Read more »

Cesar
Cesar
9 anos atrás

Talvez o melhor lugar para se criar o estacionamento de aviões fora de operação fosse nas proximidades de Brasília, devido à baixa umidade relativa daquela região. Por sinal, o aeroporto JK está cheo de aviões da Transbrasil largados, se deteriorando.

Estes locais de guarda de aviões deveriam ser controlados, evitando a deterioração e depredração das aeronaves, havendo a possibilidde de reaproveitamento.de aeronaves e peças, ao invés de largar ao relento, proporcionando imagens lamentáveis (também vistas em Confins e no Santos Dumont).

Sds.

Rodrigo
Rodrigo
9 anos atrás

São raros os AD sem sucata.. No Campo de Marte tem muita da FAB e de particulares. O problema de remover a sucata também tem a ver com a legislação. O proprietário é responsável pela remoção, porém tem que estar com todas as taxas aeroportuárias pagas para dar baixa da aeronave. Se por algum motivo a nave foi deixada lá, em 99% das vezes vai ser pela falta de capacidade financeira de mantê-la.. Acaba virando bola de neve, as taxas vão se acumulando e até que um belo dia que a União resolve tomar posse do bem. Só que o… Read more »

Leandro RQ
Leandro RQ
9 anos atrás

Como o Jacubão falou, a justiça deveria repassar os aviões que ainda tem capacidade operacional, para a FAB. É lógico que deveria se estipular um prazo para isso acontecer, mas teria que ser “jogo rápido”. Tipo, marca um leilão, se ninguém aparecer marca outro pra um mes depois. E se não aparecer comprador, doa os avões(com capacidade operacional) para a FAB. E as sucatas doa para alguma associação de catadores de lixo pra fazer reciclagem. Eles canibalizam a aeronave rapidinho, no mesmo local, igual no filme “Senhor das Armas” hehehehehehe Mas no Brasil a justiça é tão lenta que daqui… Read more »

Vader
9 anos atrás

Isso é Brasil senhores. Essa é a verdadeira face do “Brasil-Potência”, a que nós operadores do Direito somos apresentados todo santo dia. E isso aí é a ponta da ponta da ponta do iceberg do desperdício em que esse país assenta-se. E não adianta culpar a “justiça”. A “burocracia”. As “leis”. Nem mesmo “os políticos”. Sabem de quem é a culpa? Tentem adivinhar. Adianto: NOSSA! Somos NÓS que colocamos quem faz as leis lá. E estas são cada vez mais severas e cada vez mais complicadas e burocratizantes porque NÓS burlamos a lei que está feita. Sabem aquela coisa do… Read more »

JORGE TERRA NACER
JORGE TERRA NACER
9 anos atrás

ISSO É BRASIL ! COMO DISSERAM: ” O BRASIL NÃO É UM PAÍS SERIO”

Anônimo
Anônimo
9 anos atrás

Os maiores problemas do Brasil: 1 – Judiciário – este que é o responsável por julgar e condenar os desatinos, mas que vive num mundo “diferente” do nosso… um mundo de salários de marajás, e que “trabalham” 10 meses por ano!… tive uma ação, da qual eu era o autor, embasei toda minha ação, com provas periciais e tal, e na primeira audiência, que era a primeira do dia tb, a Sr. Exma Juiza, chegou atrasada, 15min, de cabelo molhado, e perguntou o que estava acontecendo… pois ela não teve tempo de ler o processo! isso mesmo! bando de lunáticos!… Read more »

Fábio Mayer
Fábio Mayer
9 anos atrás

Isso aí é o resultado de: a) Leis mal redigidas; b) Juizes incompetentes, formalistas e preguiçosos. Porque ABSOLUTAMENTE NADA impede que numa falência, um juiz determine a utilização dos bens da empresa para gerar receitas para a massa falida. O juiz pode, ainda, adiantar procedimentos com vias a impedir a obsolescência de bens ou mesmo sua perda total ou parcial, o que faz mediante alvará e ordem para o gestor da massa tomar as medidas cabíveis. Ou seja, o juiz da causa poderia ter determinado que os aviões operacionais da VASP fossem locadas a outra companhia aérea interessada. Os inservíveis… Read more »

Rodrigo
Rodrigo
9 anos atrás

Fábio Mayer disse: 3 de dezembro de 2010 às 10:44 No caso dos aviões tem um fator complicador. O comum é o avião ser anexado a frota via leasing e em geral estas empresas não ficam no Brasil. Quando VASP, Transbrasil e outras que foram para a sacoleta começaram a ir para o brejo e deixaram de pagar os seus leasings. A demora da justiça em reintegrar o bem ao proprietário serviu para degradar ainda mais o bem e no fim também não valia a pena para o proprietário vir até aqui buscar aviões em muito canibalizados, que precisariam ser… Read more »

Solskhaer
Solskhaer
9 anos atrás

Foi triste também ver essas imagens!
Minha primeira viajem e susto foi a bordo de um desses aviôes com destino a Maceió. Tivemos que fazer 3 arremetidas devido ao teto baixo, estava um toró daqueles e à noite mais graças a Deus foi tudo de bom depois!
Creio que era um 737-300!

Giordani RS
Giordani RS
9 anos atrás

O A-300 era bonito de se ver chegando. Eu ficava na cabeceira da pista do Salgado Filho só apreciando os jorros de vapor que saiam das pontas das asas… Quando eu era estudante de Mecânica aeronáutica havia um jato comercial da varig “encaixotado”! Toda a fuselagem. As asas jogadas num canto sob uma lona toda rasgada. A diferença que a varig era privada e a vasp estatal. Quantos milhões de dólares desperdiçados! E na VASP ainda tem a questão dos motores que “sumiram” da noite pro dia e na qual ninguém viu! ninguém foi! Pelas imagens, é tudo sucata! Brasil… Read more »

fabio
fabio
9 anos atrás

já entrei ali.. transbrasil e vasp galpões abarrotados de coisas e muita mas muita sujeira. Um amigo meu trabalhava na pista, pegou toxoplasmose (10% de visao hoje) porque passava por essa porcariada toda

Solskhaer
Solskhaer
9 anos atrás

Aqui em Brasilia, os da Transbrasil:

http://maps.google.com.br/maps?hl=pt-br&tab=wl
Caro amigo. Estas aeronaves estão podres. Nunca mais poderão voar. Não compensa nem tentar pois as mesmas ficaram abandonadas sem nenhum cuidado. O nível de corrosão é alto e para coloca-las no ar, teria antes que resolver todas as pendengas judiciais. Esquece. Sai muito mais barato ir no deserto nos EUA e comprar um daqueles que estão muito bem guardados.OK?

Humberto
Humberto
9 anos atrás

Um pouco de preciosismo do post do Jacubão.
Os EMB-145 não eram operados pela Cruzeiro do Sul e sim pelo Rio Sul que era uma empresa do grupo Varig, por sinal, o Cruzeiro acabou sendo absorvido pela Varig. Creio que o Jacubão acabou se confundido com tanto suL rsrsrssrs.
[]

Pinguim
Pinguim
9 anos atrás

Que pena essa visão para mim. Meu pai era funcionário da Vasp nos anos 70/80 e cansei de brincar nesses hangares nas festas de fim de ano, que eram abertas para as famílias dos funcionários. Podíamos entrar nos aviões, nas oficnas, etc. Posso garantir uma coisa: não tem mais nada que preste aí no meio. Mal serve pra sucata mesmo, tipo vendido por kg. Os “ratos” já levaram há muito tempo quelquer coisa que tivesse o mínimo de valor. Incrível como nosso sistema juduciário não serve para nada, nem que seja desocupar um terreno tão valioso e necessário. Sinto isso… Read more »

Solskhaer
Solskhaer
9 anos atrás
Rogerio Cirino
Rogerio Cirino
9 anos atrás

Em Brasilia tem duas carcaças que eram das Transbrasil. Fiquei sabendo que eles so servem pra sucata.

Alberto
Alberto
9 anos atrás

Existem dois avioes VASPs parados (e apodrecidos) no pátio do aeroporto de SSA.

Alberto
Alberto
9 anos atrás

Além da transbrasil tem vasp tb aqui em brasilia e um fokker 27 da tavaj.

Fabio
Fabio
9 anos atrás

Triste foi ver a VARIG definhar e praticamente acabar… A VARIG que fez parte da StarAliance, a VARIG que teve 747, MD11, DC 10, Electra entre outros aviões fantásticos !!! enfim… acho que tão cedo não veremos uma companhia com o gigantismo da VARIG.

SCintra
SCintra
9 anos atrás

Os Airbus A-300 da VASP não poderiam servir à FAB pois foram adquiridos para configurações de alta densidade, + passageiros e – cargas. Sómente 4 unidades desse modelo foram construidas (2 da Vasp e 2 para uma companhia asiatica), embora relativamente novos, não servem pra ninguem. Qdo. foram abertas as fronteiras à VASP, o máximo que esses aviões foram empregados, foram nas rotas pinga-pinga. “Boi nos aires” – “Porco alegre” – “Sua Paulo” – “Riu” – “Suador” – “Díficis”. Pinga – pinga mesmo pois a tancagem era pequena. Mas quem operou, diziam maravilhas.

Eduardo RA
Eduardo RA
9 anos atrás

Alberto,
são 3 breguinhas da Vasp aqui em Salvador