terça-feira, dezembro 7, 2021

Gripen para o Brasil

Gigante dos céus em Natal

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Pousou hoje em Natal um Antonov An-124 Ruslan, que foi durante muito tempo o maior avião do mundo, isto antes da chegada do An-225.
O An-124 pode levar até 150 toneladas de carga e o peso máximo de decolagem é de 405 toneladas.

- Advertisement -

40 Comments

Subscribe
Notify of
guest
40 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Italo

Afinal o que ele troxe?????????

Flick

É, faltou dizer o que trouxe ou o que veio buscar!

nob_br

Pois é, qual é a carga? é o 2º lote dos MI-35 da FAB?

[]´s

lucio da silva moraes

troxe armamento russo ?

Alexandre Galante

Infelizmente a FAB não informou ainda o que ele trouxe.

Fabio

Humm… ta virando uma constante isso por aqui…

luiz otavio

esfihas.

brujhar

Baterias anti-aéreas S-300. rsrsrs

rodrigo ds

Deve ser mais F5 enterrados no deserto para modernização e retiradas de peças, hehehe!!!!!

Milan

Eu não teria coragem de voar num desses…

robert

trouxe vodka!

poderiam trazer uns S-300, uns Mi-28, uns Moskit…

Andre

Ou seriam os Rafales chegando pra Cruzex? 😉

Thiago

“Libyan Air Cargo” ..?O Antonov An-124 Libico prestou sò serviço de trasporte para terçeiros ou esta diretamente relacionado com algo vindo da Libia? O que tem a Libia de interessante para o Brasil ? Ou contario—–> Brasil —-> Libia

Andre

Realmente um gigante, soh comparavel ao C-5. Alias este ultimo nao eh operado comercialmente.

Joker

Nem deu pra ir ve lo no Augusto Severo, mas quando ele decolou indo embora deu pra ve lo…

Muito lindo!!!

Thiago

150 toneladas de carga Vs. 23 ton. do KC 390(” carrinho de mao”) da Embraer….

luiz otavio

foto interessante para:
– notar a vantagem de espaço com a asa acima da fuzelagem
– o sistema pneumático que abaixa a frente para diminuir o degrau.

parece que a Ucrania voltará a produzí-lo, afinal ele não tem similares.

Francisco

O Antonov an – 124 veio trazer equipamentos que a França usará na Cruzex

Phacsantos

“Thiago disse:
5 de novembro de 2010 às 15:47

150 toneladas de carga Vs. 23 ton. do KC 390(” carrinho de mao”) da Embraer….”

Pois é…..vai morar na Libia então ué!

Phacsantos

Sem falar que o “carrinho de mão” pode aterrissar em locais que o antonov nem sonha! Custa muito menos! E vai vender feito pastel quente!

Justin Case

Amigos,

“O avião-gigante russo Antonov 124 pousou nesta sexta-feira (5) em Natal com 80 toneladas de carga com material de apoio para os caças franceses Rafale e Mirage. A capital potiguar recebe ainda aeronaves do Brasil, Argentina, Chile, Estados Unidos e Uruguai para o treinamento Cruzex V, que começa no próximo dia 8 e vai até o dia 19 de novembro.”

http://novo.tribunadonorte.com.br/noticia/aviao-russo-pousa-em-natal-com-80-toneladas-de-material-para-cruzex/164390
Abraços,

Justin

“Justin Case and AN-124 support Rafale”

Vaaalney

E acabou de chegar o C-17 GlobeMaster

http://twitpic.com/345qr7

http://twitpic.com/345the

Nick

80 toneladas…. o.0
Será que para qualquer desdobramento o Rafale precisa de um Antonov AN-124? o.0

Temos de encomendar uns 2 desses ae 🙂

[]’s

Edu Nicácio

Taí o avião que venho defendendo há tempos como cargueiro estratégico para nossas FFAA. São 150 toneladas pela metade do valor de um C-17…

Acredito que o trio KC-390, An-70 e An-124 seria perfeito para o Brasil, com os seguintes números (pelo menos):

60 KC-390
20 An-70
8 An-124

Sonho…

Justin Case

Nick,

Lembre que o apoio é para o Rafale e para o Mirage 2000.

São duas aeronaves, motores, materiais de apoio completamente diferentes.

Nas outras operações, o apoio também veio de Antonov, se não me engano, e eram apenas os Mirage 2000 deslocados.

Abraço,

Justin

“Justin Case supports Rafale”

luiz otavio

Phacsantos disse:
5 de novembro de 2010 às 16:18

Caro Phac, já vi documentário (do 225) que informou que tanto o 225 como o 124 podem pousar em pistas rudimentares, o 124 foi projetado para pousar nos cantos remotos da Sibéria e atualmente nos trabalhos humanitários na Africa certamente não há grandes pistas. o 124 também era utilizado no Paris Dakar, quando ainda era na África. acho que é por isso que tem o trem de pouso gigantesco.

Nick

Hahaha ,

Só uma pequena provocação caro Justin 🙂

Não posso dizer se é muito ou pouco um AN-124. Por exemplo e se fosse a FAB fazendo desdobramento de 8 ou 10 Rafales, seriam necessários 3 ou 4 KC-390? É algo a ser pensado.

[]’s

Galileu

Trouxe SU35 e Vodka!!

Deivid

Opa!! CHEGO AS PIZZAAAA!!!!!!!!!!!!!!!

POXA FALEI QUE ERA EM SÃO PAULO POH!!! AAA ASSIM NÃO DA!!

Thiago

Phacsantos, nao leve a mal XD Eu atè gosto do “carrinho de mão” ,com tantas coisas pessimas(FX ) esse è um dos poucos projetos que fazem esperar em algo de bom no futuro das FA , foi sò sacanagem….MAS o An-124 è outra categoria e com mais de 40 unidades( algo formidavel para um aviao dessa categoria) produzidas ,poucos concorrentes podem competir com essa maravilhinha de engenheria atè hoje em atividade. “..Custa muito menos! E vai vender feito pastel quente!” Claro que( vai!futuro!) custa menos porque vale menos do An-124, existe diferença ent re valor preço das coisas,o An-124 è… Read more »

grifo

Não posso dizer se é muito ou pouco um AN-124. Por exemplo e se fosse a FAB fazendo desdobramento de 8 ou 10 Rafales, seriam necessários 3 ou 4 KC-390? É algo a ser pensado. Caro Nick, a coisa não é simples assim. Primeiro você tem que ver se a carga cabe no avião. Tem coisa que não pode ser desmontada (ou serrada no meio) para ser transportada, e se não couber é obrigatório um avião de transporte maior. O fato da França ter contratado um avião russo de uma empresa comercial líbia para o transporte pode indicar que existam… Read more »

Justin Case

Amigos,

Como já disse antes, em operação anterior, o apoio do Mirage 2000 francês (apenas) já veio em Antonov. E o avião de apoio dos nossos Mirage é sempre feito de C-130.

Dizer que o apoio de solo do Rafale (um avião que nasceu para operar embarcado) não cabe em A-340 e B-747 cargueiro é forçar demais.

Abraços,

Justin

“Justin Case supports Rafale”

grifo

Senhores,

A Armée de l’Air tem 2 A-340, 14 C-130, e um sem número de Transall C-160.

No entanto, para o deslocamento do Rafale (um avião que nasceu para operar embarcado), ela usou no Afeganistão os serviços dos C-17 americanos, e no Brasil um Antonov líbio.

Só para constar.

Para quem tiver curiosidade, os nossos C-130 atravessam o Atlântico regularmente, com escala na ilha do Sal. E eles tem alcance menor do que o modelo usado na AdlA.

Rodrigo

Justin Case disse: 5 de novembro de 2010 às 16:24 Quem não tem capacidade expedicionária precisa disto mesmo. Só vocês para acharem que os franceses tem grandes capacidades para alguma coisa. Durante a Tigre II, na mesma BANT a USAF trouxe um C-5 e um C-141.. Agora um C-17. ——————– grifo disse: 6 de novembro de 2010 às 9:39 Só um complemento.. A FAB enviou faz um tempinho uma turma para a França para examinar o A330 e alguns problemas foram identificados.. Ele é full pax ou cargo, não dá para usar nos mix que a FAB usa e na… Read more »

grifo

Ele é full pax ou cargo, não dá para usar nos mix que a FAB usa e na função carga ele só tem espaço para um M88.

Caro Rodrigo, se for isto mesmo pior para a FAB, porque parece que o negócio vai sair de um jeito ou de outro.

Justin Case

Amigos, só para re-reforçar:

No avião veio o apoio para 6 RAFALE **** E *** 6 MIRAGE 2000.

O material de apoio de cada projeto é completamente diferente. Deve ser quase o dobro daquele que seria necessário para 12 Rafales ou 12 Mirage.

E provavelmente é mais vantajoso alugar um Antonov do que fazer viagens transatlânticas de, no mínimo, cinco(?) C-130, além de ser mais rápido e simples.

Abraço,

Justin

“Justin Case supports Rafale”

grifo

Deve existir alguma lógica que explique como é mais vantajoso contratar uma empresa de carga estrangeira do que usar os aviões da sua própria força aérea para transporte de material militar.

Para o próximo avião de transporte da FAB, grifo supports Fedex.

Justin Case

Na página da Cruzex a informação é que teriam vindo 70 toneladas no Antonov.

Quantas toneladas transportaria um C-130 em voo transatlântico? 14 toneladas?

Até que não chutei tão mal. 😉

Abraços,

Justin

“Justin Case supports Rafale”

Rodrigo

Justin Case disse:
6 de novembro de 2010 às 10:22

O esquema é este mesmo…

Nem os gringos trazem tudo em um vôo só..

Na Tigre II foi um C5 e um C141.

Você que é françático, sabe o que os franceses levaram para a RedFlag ?

grifo

Acredito que a FAB *jamais* utilizaria os serviços de uma empresa comercial estrangeira para apoiar o deslocamento de um esquadrão, exceto no caso de absoluta impossibilidade de fazê-lo por meios próprios. Pode ser que na Armée de L’Air a coisa seja diferente. Eu acho que não é. Acredito que ela não faça porque não pode. Se isso é um problema do Rafale ou se é dos esquadrões de transporte da AdlA, eu não sei. Por via das dúvidas, é bom pegar aí o cartão do chofer líbio. Se o Lula escolher o Rafale, acho que vamos precisar dos serviços dele.… Read more »

Últimas Notícias

O novo objetivo da Força Aérea dos EUA? Livrar-se de aviões que não assustam a China

SIMI VALLEY, Califórnia - O secretário da Força Aérea dos EUA, Frank Kendall, disse que a USAF precisa com...
- Advertisement -
- Advertisement -