segunda-feira, agosto 2, 2021

Gripen para o Brasil

Há um ano Poder Aéreo anunciava: Brasil é o primeiro comprador internacional do Rafale

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.aereo.jor.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

Caça francês desbanca concorrentes sueco e americano

Concorrendo com o Saab Gripen e do Boeing F/A-18E Super hornet, o caça francês Dassault Rafale venceu o F-X2 da FAB. O avião já era considerado o favorito, embora não tivesse obtido nenhuma vitória nas concorrências que participou.

O caça bimotor francês, que rivaliza com o Eurofighter Typhoon, surgiu como ACT (Avion de Combat tactique) e ACM (Avion de Combat Marine), destinado a substituir os Jaguar da Armée d l’Air e os Crusaders e Super Etendards da Aéronavale.

O primeiro vôo do protótipo demonstrador de tecnologia Rafale A aconteceu em 4 de julho de 1986, propulsado ainda por turbinas norte-americanas GE F404, pois as turbinas francesas, desenvolvidas para ele, não tinham ainda alcançado a maturidade requerida. Somente no início de 1990 é que aconteceu o primeiro vôo com uma turbina SNECMA M88.

Os protótipos Rafale C01 (monoplace para a Força Aérea), Rafale M01(monoplace naval), e Rafale B01 (biplace para a Força Aérea) voaram em maio de 1991, dezembro de 1991, e abril de 1993, respectivamente.

Uma célula de testes, na configuração Rafale M, foi entregue ao CEAT de Toulouse em 10 de dezembro de 1991, para testes de fadiga em terra. Entre aquela data e 2 de março de 1993, foram completados mais de 10.000 vôos simulados, incluindo 3.000 catapultagens e 3.000 pousos a bordo. A validação estrutural foi atingida em 15 de dezembro de 1993.

Inicialmente, o Rafale B era para ser apenas um treinador, mas as experiências da Guerra do Golfo e do Kosovo mostraram que um segundo tripulante era inestimável em missões de ataque e reconhecimento e, sendo assim, mais Rafale Bs foram encomendados, substituindo alguns Rafale Cs. Foi decidido que 60% dos aviões seriam biplaces e a Aéronavale, que inicialmente não tinha encomendas de aeronaves de dois lugares, também quis obtê-los; a decisão, no entanto, foi posteriormente cancelada pela Marinha.

Prejudicado pela falta de recursos

As demandas do Governo Francês pela redução de custos levaram à suspensão do programa Rafale em novembro de 1995 e o bloqueio dos fundos em 1996.

Os planos para três versões do Rafale em níveis diferentes de sofisticação foram abandonados, e substituídos por uma versão padrão e outra de exportação, com três softwares (F1, F2 e F3) de missão sendo introduzidos progressivamente nos aviões em produção.

Inicialmente as Forças francesas esperavam receber 294 aviões: 232 para a Força Aérea e 60 para a Marinha. Mas, com passar do tempo e a elevação dos custos, este número caiu para somente 120 Rafales.

Os aviões estão sendo entregues em três lotes distintos, sendo a encomenda mais recente a do final de 2004, para 59 Rafales, embora o Ministério da Defesa francês tenha revelado que este número pode cair para 51 aeronaves, com o mesmo “custo global” . Foi mencionado o sacrifício de 8 a 12 aeronaves para permitir a introdução de novas versões dos sensores desenvolvidos pela indústria francesa.

O Rafale M teve prioridade na produção inicial pela necessidade de substituição dos velhos Vought F-8 Crusader da Aéronavale. As primeiras entregas começaram em 2001, com o primeiro esquadrão, Flotille 12, formado em 18 de maio de 2001. A unidade iniciou as operações no NAe Charles de Gaulle em 2002, tornando-se plenamente operacional em 25 de Junho de 2004, depois de uma extensa opeval (avaliação operacional), que incluiu vôos de escolta e missões de apoio aéreo na Operação Enduring Freedom, no Afeganistão.

Suíte eletrônica

Dois sistemas eletrônicos principais foram desenvolvidos para o Programa Rafale: o radar multimodo de varredura eletrônica RBE2, e o sistema de auto-proteção SPECTRA.

O RBE2 (Radar à Balayage planos Electronique 2) é uma radar desenvolvido durante os anos 90. É um equipamento do tipo PESA (passive electronically scanned array), considerado inferior aos AESA mais recentes, como o AN/APG-79 do F/A-18E/F do Super Hornet. Por isso está sendo desenvolvida a versão RBE2-AA (active array), que deverá entrar em serviço em 2012.

Diz-que o RBE2 pode rastrear até 40 alvos simultaneamente e engajar 8 deles, com alcance máximo em torno de 120km, para alvos do tamanho de um caça.

O sistema defensivo do Rafale é o SPECTRA, uma suíte de sistemas defensivos que combina sensores capazes de acusar emissões de laser e de radiação eletromagnética, lançadores de chaff e de flares, interferidores eletrônicos para “jammear” sistemas inimigos e detectores de lançamento de mísseis guiados por infravermelho.

O Rafale também tem um sistema eletro-óptico Thales/SAGEM OSF de busca e rastreamento infravermelho, instalado no nariz da aeronave.

Alto custo de desenvolvimento e preço salgado

Segundo algumas fontes, o custo total do Programa do Rafale foi de € 28 bilhões (cerca de US$ 38 bilhões), o que se traduz em um custo unitário de cerca de € 95 milhões. Só o desenvolvimento da versão de exportação, Rafale Mk.2, custou €1,3 bilhão!

O “flyway price” de 2006 era de € 51,8 milhões (cerca de US$ 72,5 milhões) para a versão da Força Aérea, e € 56,6 milhões, para a versão naval.
Nas concorrências de Singapura e Coreia do Sul, o Rafale foi oferecido por US$ 95 milhões.

Até agora, avião não tinha vencido nenhuma concorrência internacional

Apesar de vários países terem demonstrado interesse no Rafale, o avião não conseguiu vencer nenhuma concorrência. Em 2002, o Rafale competiu com o Boeing F-15K para o F-X da Coréia do Sul, mas acabou perdendo. Em 2005, o Rafale perdeu novamente para o F-15, na disputa pelo melhor caça para a Real Força Aérea de Singapura.

Em 2006 foi anunciado que a Líbia queria comprar de 13 a 18 Rafales por US$3,4 bilhões, mas o negócio não foi concretizado. Em 2007, o Rafale também participou de uma concorrência no Marrocos, perdendo para o F-16.

NOTA do BLOG: o subtítulo da matéria original (veja link abaixo) é o cumprimento de uma promessa feita um ano antes a um leitor do Blog, quando foi utilizada a palavra “desbancaram” numa matéria sobre derrota internacional sofrida pelo Rafale no Marrocos, frente aos F-16. Apesar da situação ser diversa, prometemos ao leitor utilizar a palavra quando o Rafale ganhasse sua primeira competição internacional.

SAIBA MAIS:

- Advertisement -

74 Comments

Subscribe
Notify of
guest
74 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Edmar

Caros Amigos.:

A um anos atrás poderiamos ter o “Dassault Rafale F-3” já que naquela ocasião o mesmo teria sido anunciado. Mas, tudo foi alarme falso!!!

E hoje? O que vai ser.

RenanZ

Poxa..

O Rafale é um baita dum avião…
MAS, infelizmente, é incondizente com a realidade da FAB. ($$)

LIVRE PENSADOR

Quanto mais fraca fica a FAB,mais forte fica o GF.

Cor Tau

Sabendo o que sei e sabendo o que sabes e o que não sabes e o que não sabemos….Ambos saberemos se somos sábios….Sabidos ou simplesmente saberemos se somos sabedores…………

Nick

Sarkô vai aparecer hoje em Brasília??

Impressionante… Um ano depois do “anúncio” do Sr Presidente, ainda estamos discutindo sobre o FX-2. O que mudou de lá para cá?? Será que a “parceria” andou para frente?? Atuamos em conjunto nas políticas internacionais? E na esfera econômica??? Ou foram apenas acordos comerciais militares para a França???
A “escolha” do MD continua na gaveta???

Enquanto isso os canopis dos F-5 M vão se soltando……

[]’s

jomado

“…E dizer dque tudo é culpa da maldita manguaça e das pernas da Carla Bruni.”

Vader

É… um ano… eu estava aqui…

Fábio Mayer

Há um ano, alguém falou pelos cotovelos (para não ser mau-educado e dizer outra parte do corpo) e deixou a acreditar que tinha vontade política para solucionar esta questão. Não tinha vontade, não tem vontade e vai deixar a questão para outras primaveras… Escolha técnica ruim, porque o Rafale é caro de comprar e manter e não tem compradores externos, o que significa que em 15 anos, terá um mercado extremamente restrito de peças de reposição. Escolha equivocada sob o ponto de vista político, porque a França não se alinhou ao Brasil em absolutamente nada desde então, na arena internacional.… Read more »

Darkman

A Jaca já foi escolhida faz tempos !!! Agora depois das eleições é que vamos saber do anúncio que todos já sabem que é o Rafale. O único caça que não ganhou nenhuma concorrência Internacional, que teve sua escala de produção reduzida na França pelo seu alto custo e que finalmente foi escolhido para ser a ” Rainha de Hangar” da FAB por uns 30 anos. Realmente a FAB tem que ser ovacionada pois não quis os Russos e agora vai de Rafale. Parabéns a FAB e o GF pela sua escolha !!!! Parabéns aos Brasileiros que vão ajudar a… Read more »

jakson almeida

Agora o poder aéreo vai noticiar a “desescolha” do rafale.HAHAHAHAHA!!!

Vader

Darkman disse:
7 de setembro de 2010 às 10:04

Pô PR, quem não quis o avião acrobático russo foi o gf através do Alencar, parceiro… A FAB não teve nada a ver com a parada…

Curvo

O Rafale ainda não foi “oficialmente” escolhido por que:

– O avião é mais caro e será mais custoso politicamente, por conta da nossa parceria estratégica com a França, e por isso será anunciado após as eleições ???

– Ou por conta da nossa parceria coma França, o avião sairá mais caro e mai custoso politicamente ?????

curvo

Caros:

– O Rafale é mais custoso (custo de aquisição e de manutenção maior) e terá o maior custo político, por conta da parceria com a França, ou

– Por conta da parceria com a França, o Rafale é mais custoso e terá o maior custo político ???

Sê fôsse tão bom, e se o nosso GF estivesse tão seguro de sua superioridade, há um ano está história estva encerrada, mas o cheiro de podre continua ruim no “Reino da Dinamarca” (velho chavão, mas sempre atual !!! hehehehehe)

Robson Br

LIVRE PENSADOR disse: 7 de setembro de 2010 às 8:32 Concordo contigo!!! Os tempos são outros. Indiferente ao progresso e o bem-estar principalmene da classe média nos anos 60/70 e 80, ninguem quer mais isso. A consolidação do poder civil passa pelo aperfeiçoamento do exercício da democracia. A FAB tem que se redirecionar. A MB que que está certa. Optou apenas pelo exercício da sua função constitucional, que são suas funções de caserna e a cada dia tem novidades. Enquanto isso….mais um ano….e agora nossos gloriosos super caças da década de 70, soltando pedaços em cima da população. Poderíamos já… Read more »

Darkman

Vader,
Meu caro você se engana a FAB tb renegou os Russos !!!
Essa história que muitos pensam, mas a FAB não quis mesmo os Russos.
E agora o Sr. Samurai está tendendo ao Rafale ao contrário de outros comandantes que querem o F18 SH assim como a MB.

Abs.

Rodrigo

Esta análise MDsística da FAB não fazer apenas o seu papel, ser arrogante, etc. que eu não entendo.

A FAB fez apenas o seu papel de analisar técnicamente o aparelho.

Se a escolha política for o pior da análise técnica não é culpa da força.

Os políticos que justifiquem a sua escolha e ponto final.

lucio da silva moraes

O RAFALE é melhor dez vezes que F5- M2000- AMX tá bom demais. RAFALE já

curvo

Concordo contigo Lúcio da Silva Moraes, mas tem o pior ganho na geração de empregos, tem a pior transferência de tecnologia (somente à partir da 36 ª aeronave – ué o pacote atual não é para somente 36 !!!) , tem o maior custo de aquisição e manutenção do FX2, e a tecnologia embarcada nêle é considerada pior do que a do F-16 (palavras sábias de técnicos dos EAU), devo continuar ou basta ???
Melhores (muito melhores) opções F-18 S/H ou GRIPEN E/F, viste ??

Cidadão

Sou mais F-18 Super Hornet, aquilo sim que é avião… não é esse monte de metal que custa uma fortunae nem sabemos se realmente presta para voar em combate.

curvo

Somente nossos politicos do governo atual começando por LuLLa Lá e seus assclas (digo auxiliares) é que o acham melhor, realmente vai dar uma beleza de rainha de hangar, sem uma ferrugenzinha sequer hehehehehahahahaha

curvo

assclas = asseclas OK ? Desculpem a emoção e a fome …. hahahaha

Michel Lineker

Mesmo não sendo o ideal era melhor te-lo do que nada!

curvo

Robson Br disse: 7 de setembro de 2010 às 10:53 Caro Robson, em primeiro lugar vá vêr como está a situação econômico -financeira da MB, nem receber pelos gastos da procura do avião francÊs eles receberam, e estão com o chapéu na mão para arecadar din-din para o programa de subs !!! A FAB só fez a análise técnica e luta por suas posições, aliás creio eu que quem entende de avião é a força aérea, não é ? E com relação à consolidação do poder cívil sobre os militares, bom é que no GF atual alguém gosta de ler… Read more »

curvo

Michel Lineker, prefiro o Gripen, muito mais comercial, tão poderoso quanto, menos oneroso e com muito mais transferência de tecnologia, agora do o francês .
Não concordo em pagar mais e os de Paranoá (com mudança de nome, mas ainda os mesmos) sabem disso, que o RAFALE vai ser o maior pé na JACA desde a compra de caças francêses por Israel e que não foram entregues, pois foram embargados !!!

curvo

Quaisquer dúvidas sobre o embargo francês, favor consultarem o blog, tem matérias a respeito disso !!!

A7X

Há um ano, apesar de não fazer comentários, já acompanhava o Aéreo.

Um ano se passou e nosso governo ainda não teve o mínimo de competência para comprar 36 caças de quarta geração.

Enfim… Isso mostra que ainda flata muito pra que sejamos uma nação realmente séria e grande.

Abs.

Luiz Eduardo

Eai, galera! Feliz 7 de Setembro!

Pô, acabei de entrar na internet pra ver se tinha alguma novidade e olha a primeira coisa que leio:

http://noticias.terra.com.br/brasil/noticias/0,,OI4664044-EI7896,00-Decisao+sobre+compra+de+cacas+deve+sair+apos+eleicoes+diz+Jobim.html

É, F-X2 subiu definitivamente no telhado… e por culpa do GF, não da FAB…

Bom feriado a todos!

Sol

“Inicialmente as Forças francesas esperavam receber 294 aviões: 232 para a Força Aérea e 60 para a Marinha. Mas, com passar do tempo e a elevação dos custos, este número caiu para somente 120 Rafales.” Errado total number of Rafales ordered by France to 180, out of a planned total of 286 aircraft: 228 for the air force and 58 for the navy. However, the French MoD retains the option to order 9 additional aircraft so as to return the program to the nominal number of 295 aircraft. “Os aviões estão sendo entregues em três lotes distintos, sendo a encomenda… Read more »

Vader

É… Sarkozy não deu as caras neste nosso 7 de setembro…

Então… aguardarei até às 23:59 o anúncio, novamente anunciado internet afora pelos “insiders” de que o prevfidente anunciaria a JACA hoje…

Deveria ter contado quantas vezes os “insiders” disseram que a JACA seria anunciada, desde o 7 de setembro de 2009… nesse meio tempo perdi as contas…

No aguardo. Mas sentado. 🙂

Vader

Luiz Eduardo disse:
7 de setembro de 2010 às 12:21

MWAHAHAHAHAHAHA… eu já sabia… 🙂

Rodrigo

Aqui no UOL já diz que são 24

http://noticias.uol.com.br/politica/2010/09/07/compra-de-cacas-sai-este-ano-diz-ministro-da-defesa.jhtm

De dúzia em dúzia, vamos chegar no nro real de 0 unidades compradas este ano.

Luiz Eduardo

Robson Br disse: 7 de setembro de 2010 às 10:53 Você como um dos membros do time de Apoiadores Incondicionais do GF, tem que arrumar um “bode expiatório” por simplesmente não poder assumir que o seu “maravilhoso” governo foi INCOMPETENTE na condução do processo… A FAB fez o que lhe cabia, o GF que quis peitar meio mundo fazendo uso político do F-X2, e se deu muito mal … e com direito a diversas rasteiras dos “aliados estratégicos”… Então o Sr. culpe quem de direito deve ser culpado pelo fracasso do processo, que foi o seu “amado” e “perfeito” governo… Read more »

Wagner

Lutamos com honra, gripeiros. Infelizmente, prevalecerá a política !

Não obstante, pode vir Rafale ou Fokker Dr1 Triplano, o que importa é que aumentem a verba da Fab para operar suas aeronaves.

Vão aumentar ??

Michel Lineker

Caro Curvo mais vale um canarinho piquininho fraquinho na gaiola do que uma harpia e um carcara(se é que me entende) voando em outros ares.Mas tens razão o Gripen seria melhor por ser mais barato e eu demorei a perceber isso, por que não vão aumentar o orçamento da FAB.

Rodrigo

Rafale já é carta fora do baralho, tem que virar muito o jogo para ele voltar.

O que me preocupa é a EADS.

Vader

Eu quero saber é onde estão todos os malditos “insiders” numa hora dessas…

Ah, já sei… entocados em algum lugar próximo ao Lago Paranoá… ou em algum departamento inútil e sem importância da Unicamp…

Nick

http://www1.folha.uol.com.br/poder/795086-jobim-diz-que-decisao-sobre-cacas-ficara-para-logo-depois-das-eleicoes.shtml

Vai ficar para depois das eleições, segundo o Jobin, que nunca erra nas suas previsões…..

Ivan

Se o tema é um caça francês,
me permitam a citação de um pensador francês:

“Todos nós sofremos, mas o falar nos dá alívio.”
__________________________ (Voltaire)_____

Abç,
Ivan, o Antigo.

ZE

Sol disse: 7 de setembro de 2010 às 12:22 Não, o Blog não está errado. Você está errado !!!!!!!!!!!!!!!!! Há 82 Rafale construídos. O número total de encomendas firmes é de 120 vetores !!!!!!!!!!!!! Portanto, faltam 38 vetores a serem construídos em larguíssimos anos ! Os outros 60 vetores (do total de 180 que você postou) são apenas opções de compra que NÃO SERÃO exercidas, pois os franceses NÃO TÊM dinheiro !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! O que se comenta na França é que o número total de Rafale que serão construídos será de 180. E esse número só será atingido daqui a muitos… Read more »

ZE

Aliás, todos nós lemos nas últimas semanas, que há foristas aqui que juraram que o Rafale será escolhido ainda hoje.

Estou na espera !!!!!!!!!!!!!!

[ ]s

vassili

Então o Jobim finalmente abriu o bico para revelar qe o FX-2 foi pro bebeléu…………………

Ainda tenho esperanças que o Gripen NG venha à ser o escolhido.

Sou Gripeiro mesmo.

abraços.

Tony

Se pegarmos essa Jaca daqui a uns 6 ou 7 anos(considerando a entrega dos primeiros aviões em 2014, nossos “Rafales” vão estar que nem os Mirage III do posto “Portões abertos BAAN 2010”, no chão.

(usando apenas a foto como referencia é claro, ja que o MIII ta aposentado hehe).

Nick

Caro Rodrigo,

24? será que é verdade? Ae complica heim… mas a concorrência (que não existe) não seria para 36??

Estariam ajustando as compras à realidade?

Que venham os Gripens, que poderiam ser 60 com o $$$ de 36 Rafales…

[]’s

Vader

Aliás, ZE, por falar em França, este país nesse momento:

http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2010/09/100907_franca_greve_df.shtml

Sds.

Mauricio R.

Mas o Rafale não é produto da EADS, este é o Typhoon e o “maledeto” Super Caracal do ovo de serpente Eurocopter.
A EADS chantageou 7 governos europeus facinho, facinho, ameaçando 10.000 empregos na Europa, se não subscrevessem os prejuízos dela c/ o A-400M.

Luiz Eduardo

Uma nota mais completa:

http://www1.folha.uol.com.br/poder/795086-jobim-diz-que-decisao-sobre-cacas-ficara-para-logo-depois-das-eleicoes.shtml

Wagner, aumentar o orçamento em tempos de Copa e Olimpiadas? Pode ficar esperando – se os Rafales viessem, seriam pra ficar que nem os SU-30 da Venezuela: só pra dizer que tem… se tivessemos dinheiro disponível aos tubos como os EAU pra arrumar os “problemas” de projeto do Rafale (geração de energia, novo radar, nova motorização, etc.), até acharia uma compra interessante tbm…

Rodrigo, que negócio é esse de EADS? EF-2000?! Fikei curioso agora..

A-Bomb

E pensar que o próprio Sarko vai mal das pernas na França.
Vai ser difícil ele ser eleito novamente.

E se mudar na França sabe Deus como vai ficar essa tremenda Comédia que virou o FX.
Não precisa ser nenhuma mãe Dina para adivinhar que ia ficar para depois das eleições pois agora o desgaste político iria ser muito grande.
Isso é sinal que os Rafinhas vão levar ( o que não é nenhuma novidade).
Caso contrario eles iriam anunciar antes (seria difícil explicar os altos custos de aquisições e manutenção dos Rafas)

vassili

Zé,

Esse número de 180 só será alcançado que alguma nação estrangeira aceitar comprar o Rafale.

Os EAU estão em cima do muro faz tempo……………talvez esperando uma decisão sobre o nosso Fx-2.

A Líbia nem comenta mais o assunto;

O MRCA indianico aponta para outros lado, muito provavelmente USA ou Russia;

Nosso FX-2 virou novela mexicana faz bastante tempo……….

Assim Serge Dassaut num encontará nunca o merecido descanso do Paraíso…………….

abraços.

ZE

Para clarificar: Só há encomenda firme para 120 Rafale. Desta encomenda, 82 Rafale já foram entregues, restando entregar os outros 38. A linha de produção do Rafale, outrora capaz de produzir 25 vetores ao ano, sofreu um encolhimento por FALTA DE ENCOMENDA para que pudesse produzir 11 aviões (esse é o número mínimo economicamente viável de produção). Para se ter uma ideia, em 2015, apenas 1 Rafale será construído. A opção de compra dos outros 60 Rafale (totalizando 180 aviões) NÃO FOI EXERCIDA, pois a França NÃO TÊM DINHEIRO PARA TAL !!!!!!!!! Portanto, espera-se que em 2025 a França esteja… Read more »

Vader

Caros Maurício R. e Luiz Eduardo: o Rodrigo se refere ao próximo Min Def, o sujeito lá do Acre, lobista da EADS…

O Typhoon ainda tem chances. Por incrível que pareça…

Últimas Notícias

Pilotos russos usaram receptores GPS feitos nos EUA durante missões de combate na Síria

Pilotos militares russos usaram receptores comerciais GPS de navegação por satélite durante suas operações de combate na Síria, de...
- Advertisement -
- Advertisement -