terça-feira, junho 15, 2021

Gripen para o Brasil

Irã apresenta avião não tripulado de longo alcance

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Drone Irã - R7

Imprensa oficial diz que aeronave pode atingir alvos no solo enquanto voa rapidamente

O governo do Irã apresentou neste domingo (22) seu primeiro drone – avião não tripulado – de longo alance desenvolvido e construído inteiramente dentro do país.

A exibição do Karrar, como foi batizada a arma de guerra, acontece apenas um dia depois da inauguração da usina nuclear de Bushehr, construída com apoio da Rússia e destinada à geração de energia na República Islâmica.

De acordo com a imprensa oficial iraniana, o Karrar pode bombardear alvos no solo enquanto voa em grande velocidade. O drone – que tem 4 m de envergadura (distância da ponta de uma asa à outra) – foi apresentado em cerimônia oficial pelo presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad.

Aviões não tripulados são recursos cada vez mais utilizados por forças armadas do mundo todo, especialmente pelos Estados Unidos. Somente no Afeganistão e no Paquistão, mais de mil supostos insurgentes já foram mortos por bombardeios feitos por drones.

Críticos da arma dizem que os ‘pilotos’ e comandantes das operações, que muitas vezes ficam a milhares de quilômetros de distância enquanto controlam a aeronave por controle remoto, perdem a capacidade de julgar corretamente a necessidade ou não de um bombardeio.

Reportagem do jornal O Estado de São Paulo traz mais dados divulgados na apresentação

O equipamento, batizado de Karrar, ou “atacante” em persa, tem um alcance de mil quilômetros, o que não é suficiente para atingir Israel. Ele pode carregar duas bombas de 115 quilos cada ou uma de 230 quilos, é teleguiado e não pode ser detectado por radares. Durante a apresentação, Ahmadinejad chamou a aeronave de “Mensageiro da Morte”.

Segundo o presidente iraniano, o bombardeiro “carrega uma mensagem de paz e amizade”, mas foi projetado para fins de dissuasão, defesa e para “manter o inimigo paralisado em suas bases”. Ahmadinejad disse ainda que o programa militar do país continuará “até que os inimigos da humanidade percam a esperança de atacar a nação iraniana”.

O Irã lançou um programa de desenvolvimento de armas durante a guerra contra o Iraque, nos anos 80, para compensar o embargo imposto pelos EUA. Agora, Teerã produz seus próprios tanques, veículos blindados, mísseis e até aviões de combate. O país faz frequentes anúncios de novos avanços em tecnologia militar, que não podem ser verificados independentemente.

Na sexta-feira Teerã testou um novo míssil, o Qiam-1, que conta com um avançado sistema direcional. Os iranianos também desenvolveram mísseis com alcance suficiente para atingir Israel e a Europa Oriental. No início do mês, o Debka, site ligado à inteligência israelense, afirmou que o pai do programa de veículos não-tripulados iraniano, Reza Baruni, morreu em um ataque a bomba em sua casa na cidade de Ahwaz, perto da fronteira com o Iraque. Nenhuma fonte confiável confirmou o ataque.

FONTES / FOTOS: R7 e Estadão (com AP e Guardian)

VEJA TAMBÉM:

- Advertisement -

95 Comments

Subscribe
Notify of
guest
95 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Guilherme Beck

Hahahahaha !! Tremendo alvo aéreo…. nossa, lembrei dos Firebee. Olha a cara do Ahmadinejad. esse cara é um tremendo fanfarrão. E o drone ainda tem uma Mk83 pendurada. Que comédia.

Rodrigo

O irã é mais uma arma fantástica destruidora de yankees-capitalistas-ocidentais-corruptos-decadentes-sionistas da semana.

claudio (RJ)

Remake da V-1, estão pensando em ir à guerra com Fieseler Fi -103 modernizada e lancha com .50 e lança rojão.
Estão jogando para o publico interno, dando uma falsa esperança de vitória, semelhante as chaves de plástico para abrir as portas do paraíso que eram entregues as crianças antes de entrarem a pé nos campos minados lançados pelos Iraquianos.
Triste, muito triste e pensar que apoiamos este tipo de traste que não respeita a vida do próprio povo..

roni

isso so pode ser brincadeira menssageiro da morte ta bom

Ricardo_Recife

Ué! Recussitaram a V1(http://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:V1-20040830.jpg)? Se tiver o tal Karrar – o “Mensageiro da Morte”, o ceifador de ocidentais e israelistas (Qua, Qua, Qua,Qua, Qua, Qua, Qua, Qua, Qua) – tiver a mesma precisão dos Vergeltungswaffe originais, Israel não vai ter muito com que se preocupar.

Este generico de V1 não passa de um drone ruim!

roni

o ira e so mais uma bala de festin assim como o iraque

ZE

Deixa eu colocar os pingos nos Is.

Essa coisa ultra-super-hiper-mega moderna não passa de uma V1.

Eles demoraram 65 anos para fazer algo que a Alemanha Nazista já fez.

A V1 deve ser irmã do ultra-super-hiper-mega caça Saeqeh.

Para quem não sabe, o caça acima é uma versão piorada do F-5.

Olha, deve ter General da USAF morrendo de medo dessas armas ultra-sofisticadas.

[ ]s

relampago

Claudio,como voce pode afirmar que o ira esta tao fraco assim e chegar
ao ponto de dizer que estao iludindo a populaçao interna?E´so´uma
discordancia da minha parte,penso eu que os iranianos estao cumprindo
bem o papel de uma naçao que corre o risco de ser invadida a qualquer
momento e por um simples negocio chamado petroleo.Mudando de assunto pelo que vejo esse pode ser o primeiro vant hipersonico com
motor igual ao de um foguete,e´so´reparar no final do texto que diz que
o karrar pode atingir altas velocidades e disparar bombas no solo.

Baschera

Ontem, justamente esta pensando em que este aparto impusionado por foguete de conbustível sólido é quase uma V-1 alemã.

Dizem que tem 1000 km de alcançe, mas poderia ser abatida como patos indefesos ante uma “stchopa” de canos duplos !!

Bem…. teria uma chance, se fosse (e não é….. pelo projeto), supersônico e dotado de GPS com um bom cep, ou então, como bomba planadora…. de qualquer modo não assusta.

Israel tem aparatos muito mais atuais e sofisticados. Qualquer modo, em breve saberemos…… o relógio de um ataque milimétrico já está andando.

Sds.

Baschera

Putz…ERRATA: Impulsionado …. e….combustível. Desculpem-me !!

Sds.

Baschera

A nota diz que “não pode ser detectado por radares”….. quá, quá, quá…… e deve ser mesmo, basta identifica-lo pela fumaça de queima do buster-foguete…….e o sistema de orientação que usa deve ser igual ao meu GPS de 4,5 pol.

Basta um único F/A-18G Growler interferindo eletronicamente….

Este Ahmadinejad é uma parada !!!

Vader

TIC, TAC, TIC, TAC, TIC, TAC… 🙂

Franco Ferreira

Com o necessário respeito aos comentaristas – mas sem sair do eixo da observação de cada um deles, este “cruise missile” parece-me mais um Martim B-61 Matador ou um Regulus (ambos americanos da década de 40).

A tecnologia atual permite supor que a decisão o ponto de impacto ocorra por dados eletrônicos ou inerciais, e não pelo esgotamento do combustível (como era o caso das V-1).

roni

pensando bem coitados dos iranianos pois sabem que nenhum tipo de arma que eles tem ou possam vir a terem podem impedir um ataque americano deve ser assustador saber que nao tem defesas contra o inimigo

Rodrigo

Baschera disse:
23 de agosto de 2010 às 21:10

Pior que vai aparecer comunista em fórum afirmando que isto é o supra-sumo da tecnologia e por isto os gringos vão se ferrar no Irã.

Nick

Junto com as terríveis V-1 , eles estão lançando uma nova arma revolucionária: lanchas torpedeiras da 2ª guerra mundial . 😀

ps: Pelo menos os chinas compiam armas mais atualizadas…..

[]’s

Nick

errata :

compiam : copiam

[]’s

MatheusTS

kkkk prefiro os da Policia Federal e FAB Até a FAB abate esses V-1 com tucanos e se revitalisar o Gloster Meteor o avião que na 2 guerra foi encarregado de destruir essas coisas voadoras….. eu não entendi uma coisa ele não usa o motor dele porque pelo oque da pra ver ele só tem a saida de enfeite ali na foto o motor ta embaixo… Seria apenas um lançador dizendo (Ou sinalizador) Dizendo “EU TO AQUI”…. Mais uma coisa que GPS eles uzam? E ele pode até chegar a 1000KM mais o sinal do controle remoto chega???? Perguntas bestas… Read more »

Joker

Pelos menos drones proprios eles tem…

Não me entendam mal, mas o Brasil deveria ter pelo menos um UAS MALE de (bom) nivel a pelo menos uns 2 anos…

O timing ao desenvolvimento dessa tecnologia está a se esgotar a paises como o Brasil!

Galileu

ahahhaahhhaha olha lá se a V1 não for melhor!!!

Mikhail Aleksandrovitch Bakunin

Joker, não se iluda, eles NÃO tem drones próprios. Isso não passa, assim como a maioria dos “novos” e “revolucinários” equipamentos iranianos, de velho material americano fornecido nos anos 70. Os coitados só pintam uma sucata qualquer e rebatizam com um nome persa.

Pelo jeitão, tem cara desse drone com uma MK 82 pendurada na barriga:
http://en.wikipedia.org/wiki/BQM-74_Chukar

Enquanto esses panacas brincam de potência militar, Tio Jacó não brinca em serviço e desenvolve tecnologia de ponta. Coitado do povo nas mão desses enganadores.

Mikhail Aleksandrovitch Bakunin

Sistema antiareo americano devidamente maquiado pelo Irã:
http://www.forte.jor.br/2010/04/12/novo-sistema-antiaereo-iraniano/

Madvad

AUHAUhUAHUAHuAHAUH UAV?

Cade os trem de pouso?

Isso aí deve ser mais tosco que um Ryan Firebee da época do Vietnam.

AceCombatV2

Irã não deveria fazer propagandas enganosas esse drone ou imitação de drone é um fiasco de mal gosto o Ahmadinejad deveria pensar sério sobre o que ele pretende fazer, embora os eua não cheirem bem e alguns aqui sabem disso eles chefes de estado deveriam sentar-se a mesa e negociar eua: eu quero o seu petróleo Irã, Irã ok eua vendemos a preço de banana para vocês contudo que vocês nos deixem desenvolver armas nucleares.

Alfredo.Araujo

Isso é tecnologia russa da decada de 70…
Apos a missão ele abre um paraquedas em “pousa” verticalmente… xD

Segue um exemplo de UAV russo lançado atraves de foguete…

http://www.kommersant.com/photo/512/News/2008/09/04//KMO_088203_00001_1m.jpg

paulomaffi

Ponto positivo pro Irã

[…] Follow this link: Irã apresenta avião não tripulado de longo alcance | Poder Aéreo … […]

evandro

Brincadeira!!!! Este VANT do Irã não passa de uma “engenhoca”

ALDO GHISOLFI

É um vetor de ataque, em caminho de mão única, igual à V1.

Não foi construído para atacar e retornar.

Quanto ao alcance que não pode atingir Israel é papa furado; o aumento da autonomia é conseguido apenas aumentando o recipiente do combustível.

Eleazar Moura Jr.

Nada que um Tomahawk lançado do Golfo Pérsico não resolva rapidinho……..

Daniel Rosa

Acho que o alcance citado está muito “inflado”! Por ter citados 4m de envergadura, suponho que tenha um comprimento de 5m. É o que parece na foto! Dar a ele este alcance supostamente carregando uma bomba de 230kg seria quase que dizer que nossos vetustos Xavantes tem capacidade “super-cruise”! Não creio que seja verdade… de qualquer forma, parabéns para eles por terem a iniciativa de conseguir suas armas sem dependência externa… devemos nos lembrar que os primeiros sistemas eram tão toscos como estes, e a melhor forma de se aprender a fazer algo, é metendo as caras, mesmo que se… Read more »

massa

A grande questão é, o Irã tem dinheiro pra ficar sustentando esse investimento todo? O que eles ganham com isso? Todo gasto militar de uma país tem uma lógica por trás, por exemplo: Incentivar o desenvolvimento tecnológico, dar segurança institucional, interesses externos, etc. Ok, mas cadê a lógica dos iranianos nisso, afinal essas armas não irão impedir um ataque dos EUA ou mesmo de Israel, muito menos servem como elemento de dissuassão, certamente desenvolvem à industria do país, mas vale a pena? De certo isso levará a uma lógica perversa, grandes investimentos militares precisarão ser justificados um dia, uma hora… Read more »

Alexandre GRS

Prezados, A despeito de muitos comentários acima postados, acho prudente uma análise mais apurada dos fatos. Obviamente que esse sistema deva ser uma mescla de tecnologias procedentes de diversas nações. porém ressalto aqui a capacidade dos engenheiros Persas, que desde de tempos outros sempre foram conhecidos pela sua altivez e perspicácia. Logo, fazer uma análise simplória pode ser tornar um grande erro. Lembro de um célebre combate entre o mestre Miamoto Musachi e um outro samurai no então Japão feudal… Mesmo utilizando uma espada de bambu, Musachi vence a batalha e mata seu oponente demonstrando assim que nem sempre o… Read more »

Rodrigo

A Eagle Claw deu errado por condições Meterológicas e algumas técnias. Não teve nada a ver com algum tipo de retaliação iraniana. Acredito que os iranianos não acharam uma maneira de criar tempestades de areia e tecnicamente não existe paralelo entre os gringos daquela época e hoje em dia. Não da para comparar a guerra moderna com nada que tínhamos antigamente. Os gringos estão com duas guerras em curso, uma mal conduzida( Afeganistão) e outra que os militares não pediram( Iraque). Espero que no caso do Irã, os políticos se metam menos e deixem os militares a vontade. Pelo menos… Read more »

robert

Desafio poder Aereo!

Esse arma é cópia de qual armamento????

eaoihaioehaeoih

q q adianta fazer um marketing desses pra uma arma que carrega uma bomba só? coisa ridicula

hms tireless

Desafio aceito!

A geringonça aí é uma cópia ligeiramente modificada do drone Northrop BQM-74 Chuckar. ALguns foram fornecidos ao Irã na época do Xá. Provavelmente recebeu um motor mais potente para poder levar uma bomba.

Alexandre GRS

Prezado Rodrigo, Se guerra fosse tão fácil assim como você descreve, não teriamos tantos “se´s” nas história das guerras. Converse exatamente isso que você descreveu com um experiente comandante e veja o que ele tem a dizer. Até admiro o seu entusiasmo. Mas… quantos exércitos já pereceram em batalha devido a ele?… O Irão é um país de cultura milenar. A mais de 3 mil anos eles são invadidos, invadem, travam batalhas em seu território. Nenhum comandante despreza isso, vide outros exemplos como napoleão/Russia, Reich/Russia, URSS/Afeganistão, França/Argélia, França/Indochina, UK/Aden, UK/Bornéu, USA/Vietnã, USA/Somália, dentre outros tantos. Mais um vez repito: aos… Read more »

Alexandre GRS

Prezado Rodrigo,

“Vai ser um tal de F15 e F16 “malhados” aparecendo na TV, que vai ser sensacional para desespero dos comunistas e anti-israel do nosso país.”

Com todo o respeito: o que tem a ver alhos com bugalhos?

Sds.

Leonardo

Olha o Afeganistão!!!!!

O país que já estava bastante arrasado pelos russos ainda não foi tomado por completo pelos americanos, outro fato a ser levado em conta é que já estão os mesmo tempo dos russos, logo, não é tão simples assim, se realmente o fosse já teriam atacado, tanto Israel quanto os EUA.

Ou será que estariam esperando que os persas se fortaleçam para que houvesse uma guerra mais justa???? Pelo amor de Deus, né!!!!!

Vader

Alexandre GRS disse: 24 de agosto de 2010 às 10:23 Prezado, a gente aqui brinca com a coisa pra tirar onda com a caterva antiamericana e anti-semita (via de regra vermelhuxos), mas podes crer que tanto americanos quanto israeleses não levam a coisa na brincadeira; ao contrário, levam muito a sério. Podes ter certeza que o ataque contra o Irão será feito com precisão cirúrgica, acuidade matemática e apuro invejável. Não será feito como um passeio no parque, pois nem Tio Samuel nem Tio Jacó brincam com essas cousas. Quanto à ditadura dos aiatolás, pode fazer o que quiser, desenvolver… Read more »

Alexandre GRS

Prezado Vader, Nunca idealizei uma “invasão tosca”. É justamente o que eu estou contestando aqui. Óbvio que ninguem se arriscaria em invadir o refereido território. E caso o fosse, só nos moldes da velha “blitzKrieg alemã” e com perdas incomensuráveis. Mesmo um ataque aéreo maciço também mui faltalmente incorrerá em baixas uma vez que é justamente por essa via que os Persas esperam o ataque e lembremo-nos que os EUA e seus aliados guerreiam no seu lado (afeganistão). Logo nunca defendi nenhuma “invasão tosca”. Só procuro me atentar a fatos que muitos aqui nem sonham existir. Muitos aqui só conhecem… Read more »

Taz Miranda

Também fiz um desses com garrafas PET, gelo seco, água com gás e peças de um helicóptero de brinquedo… Infelizmente, assim como os iranianos, esqueci de por um trem de pouso e.. bom… sabemos o resultado… O meu pelo menos abriu um rombo no telhado do vizinho…

Alexandre GRS

Prezado Vader,

Quando me referia a um ataque aéreo maciço me referia à quantidade de meios disponiveis e não a acuidade dos mesmos.

Sds.

Rodrigo

Alexandre GRS disse:
24 de agosto de 2010 às 10:23

Deixe os políticos de lado…

E não vai sobrar nem pedra para os iranianos jogarem na mulherada.

marlos barcelos

Eu não acredito nessas armas do irã, mas um ataque aéreo é temeroso porque eles tem os tors que são sistemas modernos, com alcance de 12km, são tão precisos que podem destruir mísseis, eles tem 12 sistemas, cada um com quatro mísseis, ou seja, podem lançar 48 tors quase ao mesmo, o que seria, hipoteticamente, capaz de destruir metade da força aérea israelense, além disso possuem 24 j-10, que são caças modernos, capazes de enfentar os f-16 israelenses.

Vader

Alexandre GRS disse: 24 de agosto de 2010 às 11:07 “Mesmo um ataque aéreo maciço também mui faltalmente incorrerá em baixas” De fato, baixas estas que quem tem uma força militar de primeira linha como o USA ou Israel tem de estar preparado para aceitar; e eles decerto estão. Mas serão infinitamente menores do que as que ocorreriam numa invasão clássica. “Muitos aqui só conhecem batalhas através de jogos de computador.” Caríssimo, creio que o único leitor de toda a Trilogia, (e a única pessoa com menos de 70 anos que conheço, aliás), que efetivamente já esteve em combate, é… Read more »

Vader

marlos barcelos disse:
24 de agosto de 2010 às 11:36

Prezado Marlos, quando a Força Aérea (USA e/ou Israel) entrar no embate com seus caças convencionais (F-15/F-16/F-18, etc.) é porque já não terá sobrado nada das defesas iranianas.

Sds.

Alexandre

Prezado Vader,

Perfeito. Concordo com as suas assertivas. Mas continuo afirmando que aqui vemos muitos “aprendizes de feitiçeiro”. Mas tudo bem, faz parte.

Sds.

Raul

Antes desenvolver uma maquete de papelão do que não desenvolver nada.
Critiquem seu próprio país primeiro e respeitem os outros.

Reportagens especiais

O Saab Gripen E/F de Nova Geração

A filosofia de melhoramentos nas aeronaves, no caso do Gripen, é introduzi-los gradativamente, sem os grandes saltos normalmente realizados...
- Advertisement -
- Advertisement -