Home Indústria Aeroespacial Lockheed Martin vai preservar ferramental do F-22 para uso futuro

Lockheed Martin vai preservar ferramental do F-22 para uso futuro

432
58

A Lockheed Martin confirmou que a USAF decidiu reter o ferramental de produção do F-22 em Marietta, Georgia, depois que a linha de montagem for fechada em 2012.

A decisão significa que a Força Aérea poderá reparar e modernizar a aeronave, bem como produzir novos Raptors no futuro.

As ferramentas poderão ser usadas para um programa de extensão de meia vida para os caças “stealth”, ao mesmo tempo em que se preserva a opção de se reiniciar a produção em futuras administrações, que decidam que a USAF precisa ter mais que 186 F-22.

FONTE: Flightglobal / FOTO: USAF

BATE-PAPO ONLINE: Converse com outros leitores sobre esse e outros assuntos no ‘Xat’ do Poder Aéreo, clicando aqui.

Subscribe
Notify of
guest
58 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Vader
Vader
10 anos atrás

Muita gente já tinha cantado essa bola…

Uma jogada de mestre dos americanos, apesar de eu particularmente achar que os Raptors que o USA já tem, mais os F-35 que terão, dá pra aguentar o tranco por muuuuuuuuuito tempo (a não ser que, talvez, estoure a TGM)…

CANGA
CANGA
10 anos atrás

modernizar o f-22 no futuro? só deus derruba essa caça!

Alexandre Galante
10 anos atrás

Vader, o número de 186 F-22 é claramente insuficiente para a USAF. Num provável conflito com a China sobre Taiwan, 186 não dá.

Vai ser como os P-47 e P-51 contra os Me262 na WWII, os últimos eram muito bons, mas contra NÚMERO, qualidade somente não basta.

A USAF precisa de no mínimo uns 700 Raptors, que era o plano inicial.

Vader
Vader
10 anos atrás

Alexandre Galante disse:
30 de julho de 2010 às 13:13

Discordo Galante, o F-35 dará conta do recado. E virá um número maior tb…

Abs.

Tiago Guimaraes
Tiago Guimaraes
10 anos atrás

Pq nao continuar com os F22 em vez de utilizar os F35 que sao inferiores?

Alexandre Galante
10 anos atrás

Não dá conta Vader, F-35 é avião de ataque, não chega perto do F-22 em performance.

E vai demorar pro F-35 ter número…

Rodrigo
Rodrigo
10 anos atrás

Se caso um dia o PAKFA entrar em produção e tiver 10% das capacidades que as viúvas das URSS falam em fóruns, eles reabrem a linha do F22 no dia seguinte, idem para o equivalente chinês.

Invincible
Invincible
10 anos atrás

Mas no caso de um conflito com a China devemos ponderar o seguinte: O F 35 é inferior ao F 22. Correto! Mas o F 35 é inferior ao SU 30 (Cópia dos Chinas)? Não vejo a possibilidade da China comprar o PAK por questões óbvias de propriedade intelectual e porque a Índia não vai querer também. Portanto, se considerarmos isso temos uma certa vantagem americana. Sem contar que em caso de conflito iminente o TIO SAN coloca sua máquina de guerra para funcionar. Aí a coisa fica feia. Mas esse debate é muito interessante. É claro que quanto mais… Read more »

Alexandre Galante
10 anos atrás

Invincible, não há vantagem por causa da imensa quantidade caças J-11 (Flanker) chineses, J-10 e outros. E vai demorar para os EUA terem o F-35 em quantidades operacionais.

Isso sem contar que a China também terá seus caças stealth até 2020.

Por isso a linha de produção do F-22 vai ficar em stand-by.

Francisco AMX
Francisco AMX
10 anos atrás

Mas o NG…. he he… calma Galante!

Francisco AMX
Francisco AMX
10 anos atrás

Que avião “feio”!… meu teclado tá todo molhado…

Francisco AMX
Francisco AMX
10 anos atrás

Olha o criticado Super-Trunfo ae………

Alexandre GRS
Alexandre GRS
10 anos atrás

Prezados,

Eu pessoalmente acho que essa medida visa a continuidade da produção da aeronave para outros operadores, em especial, o Japão. Mas para tal, A Lockheed e o governo Japonês terão que dobrar a tropa de choque repulicana EstadoUnidense, tarefa essa nada fácil.

Sds.

Miguel
Miguel
10 anos atrás

na espera pela volta dos republicanos ao poder para continuar a produção

Ivan
Ivan
10 anos atrás

Galante, Acredito que é mais grave ainda. Vc calcula com o peso do combate sobre a US Air Force ou, no máximo, somando a US Navy e US Marines. Para enfrentar o Dragão será necessário guantidade, além da qualidade já tida como pressuposto americano. Mas os yankes já tem vários compromissos militares, então é melhor que eles pensem em termos de coalizões efetivamente capazes de lutar. No sudeste asiático terá que contar com Japão e China, sendo que mais abaixo, na Oceania, contar com a Austrália. Estes aliados precisam ter efetiva capacidade de opor qualidade e quantidade, mesmo que apenas… Read more »

Alexandre GRS
Alexandre GRS
10 anos atrás

Prezado Miguel,

Muito dificilmente os Republicanos retornarão ao poder tão rapidamente. Espera-se um período Democrata no poder nos próximos 8 ou mais anos.
Logo, o projeto F-22 só tornaria-se viável para o mercado externo. É um trade-off interessante.

Sds.

Barca
Barca
10 anos atrás

Uma pergunta Galante a china está com esse poder aereo todo ?,pelo que tenho visto esse J-10 e o J-10B não são caças excepcionais estão segundo alguns mais para um F-16 melhorado,nada que os E.U.A consigam reverter,já o J-11 tem apresentado problemas,principalmente relacionado aos motores,esse Jxx chines é uma incognita,se eles não conseguem fazer um motor de alto desempenho para os caças que já existem no caso J10 e J11,acho improvável a china lançar esse Jxx em tão pouco tempo,e os pilotos chineses são conhecidos na asia como pilotos não muito habilidosos,se os japones são melhores que eles,imagina os americanos,os… Read more »

Giordani RS
Giordani RS
10 anos atrás

Era óbvio que os gringos não iam deixar barato essa decisão do seu oba-oba-obama… Se não me falha a memória, a USAF enfrentou esse problema com o A-10, encerrando a produção em um numero bem abaixo do estimado, que também(me corrijam) era de algo em torno de 700 a 800 aeronaves e acabou por ficar nuns duzentos e trinta e alguma coisa, se não me engano. O Sr. Dassault que me perdõe, mas esse aí voa bem sem ser bonito! O Espírito do Raptor Certa vez um Raptor se viu numa enrascada, O índio velho se desgarrou da tropa e… Read more »

Alexandre GRS
Alexandre GRS
10 anos atrás

Prezados, No mais, é míster os EUA reavaliarem suas ameaças e possíveis ameaças. Não existe hoje uma ameaça difinidamente aberta, como nos tempos da guerra fria. Existe sim a ameaça do terrorismo, essa totalmente assimétrica e imprevisível. Agora uma ameça de cunho mais complexo ainda não está completamente definida. Hoje, com o mundo globalizado, é mais vantajoso brigar-se através do mercado e outras formas não belicosas do que intervir militarmente. A opinião pública EstadoUnidense não aguentaria outro conflito. Isso é ponto pacífico entre os analistas. Logo, tomando por bases as possíveis ameaças que serão encontradas, definir-se-ão os meios para combatê-las.… Read more »

Vader
Vader
10 anos atrás

Prezado Galante: 1. O F-35, como multirole (e não caça), dará conta de qualquer coisa do mundo exceto, talvez, o F-22. Mas terá de vir em quantidade, obviamente. 2. Jamais haverá guerra direta entre China e EUA: os dois tem armas nucleares (para se matarem mutuamente), e um depende do outro como irmão siames: se a China vender suas reservas de títulos, os EUA quebram. Se os EUA decretarem moratória, a China quebra. Jamais haverá guerra: não fosse assim e a China já teria tomado Taiwan, e o USA já teria (via CS) tomado a Coréia do Norte. 3. Penso… Read more »

Alexandre Galante
Reply to  Vader
10 anos atrás

Pois é Vader, mas você embora tenha poderes da Força, jamais poderá afirmar que não haverá guerra entre EUA e China. O futuro a Deus pertence e quanto à guerra, é obrigação dos militares estarem preparados para ela.
Simulações mostram que a USAF pode até perder em combate aéreo contra a China sobre Taiwan, por causa da questão numérica e da dependência da base de Guam, então os EUA fazem bem em deixar a linha de produção do F-22 em stand-by. Seguro morreu de velho.

Gabriel T.
Gabriel T.
10 anos atrás

700????? Calma lá. Isso era na época da guerra fria. Num hipotético conflito com a China, os Su-27 chineses iam cair antes mesmo de saber o que lhes atingiu. O F-22 já estaria acompanhando o Su-27 antes que esse veja alguma coisa nos seus sistemas. Isso se conseguir um dia.
Não tem como fazer milagre. Diante da 5° geração muito pouco se pode fazer quando não se tem furtividade.

luiz otavio
luiz otavio
10 anos atrás

sempre que olho o raptor tenho e impressão de ver o futuro, as vezes vejo as discussões dizendo “certo avião não existe”, mas acho que o raptor não existe, só pode ser montagem, mas não é, é ele e os alvos.

Ivan
Ivan
10 anos atrás

Barca, Sabemos que os caças chineses ainda são inferiores aos ocidentais, segundo alguns malvados comentaristas “sota pecinha”. Mas estão evoluindo. Se antes era só cópia de MiG, hoje já voam projetos mais originais, sem relaxar as cópias de MiG e Sukhoi. Os motores também estam em franca evolução, inclusive fabricando o velho e confiável Spey inglês. Certamente já não “soltam tanta pecinha”, começaram a ser mais criativos, investem intensamente em Ciência & Tecnologia, possuem uma escala interna incomparável, possuem um potencial de crescimento inigualável e, para terror do ocidente, um sistema política autoritário que não dá satisfação a ninguém, nem… Read more »

Gabriel T.
Gabriel T.
10 anos atrás

Eu concordo com o Vader. O F-35 vai substiuir o F-16. Para quem não sabe, o F-16 é caça de 1° linha de muitos países. Os caças de 4° geração tiveram o seu tempo. Agora está entrando em cena os caças de 5° geração. Hoje temos mais países entrando no F-35 e T-50 do que comprando NG, Super Hornet e RAFALES, juntos.

Ivan
Ivan
10 anos atrás

Felipão,

50 anos passam rapidíssimo…
A 2º Guerra mundial terminou a 65 anos.
O muro de Berlin foi derrubado a 21 anos.

Mas vc está certíssimo ao lembrar das “Voltas do Mundo”.

Podemos especular acerca do futuro.

Abç,
Ivan.

Renato Clemente
Renato Clemente
10 anos atrás

Um dos maiores fiascos da hostória da USAF. O caça é excelente mas, caro de mais. Nem mesmo os EUA conseguem compra-lo em grande número. “O caça é isso, é aquilo, o avião de supremacia aérea definitivo.”. Taí, investiram bilhões em seu desenvolvimento e o número de caças comprados até agora, acredito eu, não pagou o custo de seu projeto.

Giordani RS
Giordani RS
10 anos atrás

Alexandre GRS disse: 30 de julho de 2010 às 14:03 Prezados, …A opinião pública EstadoUnidense não aguentaria outro conflito. Isso é ponto pacífico entre os analistas…O que esté ocorrendo hoje no EUA é uma profunda análise Geo-Política para uma melhor adequação de atuação harmonisando assim as relações entre governo/sociedade sem onerar demasiadamente o erário. Estamos passando por um fase de transição. Estamos saindo de uma sociedade do conhecimento (quarta onda) para entrarmos na sociedade da Ética. Isso fica evidenciando na própria eleição de Barack Obama. Devemos estar atentos à esses movimentos e acompanha-los, para não ficarmos a margem dos acontecimentos.… Read more »

Ivan
Ivan
10 anos atrás

Giordani RS,

Este seu “traço” filosófico é surpreedente! 🙂

E merece reflexão.

Abç,
Ivan, o AlviRubro.

Klevston kstonboner
Klevston kstonboner
10 anos atrás

Eu acho que o F 22 Raptor, voltará a sua produção normal, pelo menos ela não deverá ser fechada.Com o implemento do Pak Fa, provavelmente a produção do F 22 Raptor deverá ter seu aumento significativo aposto nisso, depois vocês verão que a previsão será correta.

Nick
Nick
10 anos atrás

Tudo que a USAF quer é a China apresentar seu 5ª Geração Xing-Ling. Pronto, já teriam motivo para o lobby de mais encomendas do F-22. E realmente 186 são poucos, 700 talvez seja muito, quem sabe em torno de 400 caças. Fora que seriam os F-22C -> com alguns recursos do F-35 como o DAS e o EOTS e um AN-APG77 atualizado. Outra alternativa é acelerar o desenvolvimento do F-XX, caça de 5.5ªgeração. Vader, Só F-35 não basta, visto que ele terá de substituir centenas de F-16, A-10 e F-18 e até F-15. Tudo bem que ele é multirole, mas… Read more »

Luiz Ricardo
Luiz Ricardo
10 anos atrás

Bom… e os F-15? em um conflito contra a China eles não iriam ficar de fora.. assim como os F-18 SH . Não adianta só pensar no F-22, temos que pensar no conjunto.

Abraço

Andre
Andre
10 anos atrás

Nao creio que os EUA exportem o F-22 pra aliados considerando curto e madio-prazo. Mas eh interesse estrategico manter a linha “aberta” pra qualquer eventualidade.
In short a LM deve ter chamado a USAF e dito: ok, se nao tem novas encomendas nao faz sentido manter meu chao de fabrica ocupado com todo esse ferramental. Se querem mesmo, levem tudo pra voces porque manter aqui parado tem um custo elevado.

MA
MA
10 anos atrás

Só lembrando que no caso do conflito contra a China em Taiwan, os EUA contam com menos de 6 bases no TO, todas numa distância superior a 500km da costa Chinesa, nenhuma com hangares blindados/camuflados.
Isso significa que além da pouca quantidade de caças os EUA teriam um grande impecilho operacional para manter um grande número delas operando simultâneamente no front…

Antecipando o contra-argumento dos Carrier Groups, estes teriam de ficar a uma boa distância para evitar a defesa anti-navio costeira chinesa.

MA
MA
10 anos atrás

Luiz, contra aeronaves convencionais a concentração de defesas anti-aereas de longo/médio alcance na costa chinesa, combinado com o grande número de aerodromos (reforçados, diga-se de passagem) e aeronaves disponíveis tornaria o cenário totalmente desfavorável a aeronaves convencionais.

Sem chances.

luiz otavio
luiz otavio
10 anos atrás

é sempre mais difícil combater o inimigo no território dele.

Rodrigo
Rodrigo
10 anos atrás

Alexandre Galante disse:
30 de julho de 2010 às 15:02

Se brincar ainda sairá um F22 Light, para exportação.

Vader
Vader
10 anos atrás

Caros MA e Galante:

Vossa Excelências estão a olvidar que as Forças Armadas Norte-Americanas não dependem necessariamente de “bases” em terra para manter sua superioridade aérea.

Eles tem bases móveis de montão… pelo menos uma 10 sempre ativas e vagando “por aí”… e muito bem acompanhadas, por sinal… 🙂

Abraços.

Alexandre Galante
Reply to  Vader
10 anos atrás

Nobre cavalheiro Vader, esqueceu-se que a China desenvolveu um míssil balístico “carrier killer”? E os submarinos chineses?
Os NAe americanos não podem passear tranquilamente pelo mar amarelo não, esqueceu do susto que o Kitty Hawk tomou, quando um submarino chinês emergiu no meio da cobertura americana?
Ali a coisa é mais complicada, não é Iraque nem Irã, é o Dragão Celestial.

Fabio Mayer
Fabio Mayer
10 anos atrás

Num suposto conflito China X EUA a China venceria pela proximidade, seria impossível aos EUA mobilizarem forças capazes de combater, senão para manter um empate por algum tempo. Combater no território do inimigo é difícil. Combater em um território inimigo gigantesco, mais difícil ainda. Combater um inimigo em território gigantesco, com parque industrial gigantesco, ainda pior. Hitler aprendeu isso quanto invadiu a Rússia. É certo que Stalin contou com a ajuda ocidental, mas mesmo sem ela, no médio prazo venceria os nazistas. Num conflito como este, seria necessário ter F-22 em quantidade… mas em Taiwan! E o inverso tambem vale.… Read more »

hms tireless
hms tireless
10 anos atrás

Seria interessante ver alguns F-22 envergando a estrela de davi na Heyl Ha’Avir. Certamente os iranianos iriam baixar a bola rapidinho.

Rodrigo
Rodrigo
10 anos atrás

hms tireless disse:
30 de julho de 2010 às 16:00

Isto que ainda me faz acreditar em um F22 para “exportação”

robert
robert
10 anos atrás

Estamos passando por um fase de transição. Estamos saindo de uma sociedade do conhecimento (quarta onda) para entrarmos na sociedade da Ética.

gostei disso… mas há de se pensar que isso acontece em países ricos e desenvolvidos…. aonde os cara tão passando fome ainda é outra coisa…

vai falar isso pra um cara que mora na Líbia ou na Somália.

Edcreek
Edcreek
10 anos atrás

Olá,

Pessoalmente eu não acredito em F-22 fora dos EUA por no minimo 10 anos os Japoneses deram com a cara na porta uma 3 vezes já, nesso momento isso é impossivel, num futuro proximo pouquissimo provavel.

Abraços,

Edcreek
Edcreek
10 anos atrás

Olá,

Bem lembrado Galante, eles foram pegos com a calça curta!

Abraços,

Barca
Barca
10 anos atrás

Galante vc se esqueceu de analisar num provavel conflito entre E.U.A X China,da atuação do Japão,certamente eles iriam lutar ao lado dos E.U.A.
E as Bases japonesas,a marinha japonesa é uma das melhores do mundo,seus pilotos são ótimos,sua tecnologia em seria um fator para os americanos,pra quem pensa que o japão está morto,lembro o seu novo Porta Helicoptero,seu Tanque Mitsubishi type 10.

Alexandre Galante
Reply to  Barca
10 anos atrás

Não esqueci do Japão não, Barca, o Japão está sempre na equação.

Ivan
Ivan
10 anos atrás

Barca,

Bem lembrado.

A China é tão grande que para se defrontar com ela será preciso mais de uma país.

Em tempo, não é necessário entrar em guerra, pois eles também brincam de super-trunfo para saber quem pode mais.

Abç,
Ivan.

Vader
Vader
10 anos atrás

Fabio Mayer disse: 30 de julho de 2010 às 15:59 “É óbvio que o ferramental do F-22 será mantido por muitos anos por se tratar de uma reserva estratégica para defesa do território próprio dos EUA. Mas a quantidade em operação é suficiente para o quadro atual onde não se vislumbra guerra, senão assimétrica, ondea necessidade não é de caças dessa natureza.” Exatamente o que eu quis dizer. robert disse: 30 de julho de 2010 às 16:07 “vai falar isso pra um cara que mora na Líbia ou na Somália.” Ou no Brasil… 🙂 Alexandre Galante disse: 30 de julho… Read more »

Alex
Alex
10 anos atrás

Galante.
não tem possibilidade de o Kitty Hawk, já estava observando o submarino da china, bem de pretinho, sem dar alarde, e observar o seu material, ou também ficar calado sem mostrar suas armas, e deixar o inimigo achar que esta abafando. ou seja deixa o lobo entrar, mas na saída tem uma surpresa.

Alexandre Galante
Reply to  Alex
10 anos atrás

Não ALex, não tem essa possibilidade. Na época do ocorrido foi o maior escândalo na US Navy.

Alex
Alex
10 anos atrás

ok, obrigado Galante.

MA
MA
10 anos atrás

Barca, as bases no Japão não dispõem de hangares blindados, estão a uma distância de aprox. 1100km de Taiwan. São vulneráveis, aeronaves baseadas nesses aerodromos teriam de ser armazenadas em pátios a céu-aberto, nada, se comparado aos hangares subterrâneos de 5 aerodromos próximos a Taiwan. Vader… A concentração de SAM na China é enorme, os Carrier Groups não poderiam se aproximar muito graças aos novos DF-21 adaptados com mísseis balísticos anti-navio. A saturação de mísseis cruise não daria certo ( a China não tem a malha anti-aerea do Iraque), os caças americanos não teriam muito tempo de estadia suficiente sob… Read more »

Groo
Groo
10 anos atrás

F-22 : – I’ll be back!