sábado, maio 15, 2021

Gripen para o Brasil

Embraer pode modernizar F-5s do Quênia

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

O diretor de Marketing e Vendas da Embraer, Antonio Carlos Neubarth, informou ao Blog do Planalto que dentro de dois meses uma delegação da Guiné Euqatorial desembarcará no Brasil para conhecer a fábrica da empresa, em São José dos Campos (SP). A pedido do presidente Lula, Neubarth apresentou ao presidente da Guiné Equatorial, Obiang Nguema Mbasogo, o avião Embraer 190, que integra a frota da Força Aérea Brasileira (FAB).

“O presidente Lula tem um papel fundamental no incentivo às empresas brasileiras. Isso é muito importante. Se os presidentes de outros países, como por exemplo, Estados Unidos fazem o mesmo, temos no presidente brasileiro um incentivador do produto nacional”, contou Neubarth.

Além dos negócios abertos na Guiné Equatorial, o diretor da Embraer conseguiu fechar outro pacote na visita ao Quênia. Em Nairóbi, capital queniana, 22 aviões F-5 passarão por processo de substituição de equipamentos eletrônicos feitos pela Embraer. Neubarth aposta em concluir a viagem na África do Sul com a abertura de mais oportunidades para a companhia.

FONTE: Blog do Planalto

- Advertisement -

36 Comments

Subscribe
Notify of
guest
36 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
CARLOS

os do Quenia, ficarao prontos primeiro do que os da FAB

Marcelo

realmente, podem falar mal de uma série de coisas sobre o Lula, mas que ele defende e ajuda a vender o produto nacional, isso é verdade. Não lembro nem de longe governos passados fazerem isso.

Wilson Giordani de Souza

Será que o Sr. Neubarth teve tempo o suficiente para conversar com presidente sobre o FX-2?

Pedro

Não sou PeTista, nem muito menos votarei (………………………………………………….), mas enquanto a isso, concordo com o comentário acima. Lulla(não sei o porquê dos dois “LL” =x), realmente vende e faz comércio com quem nunca tivemos nem ao menos representação política( sei que há comentários a respeito do CS), mas nisso ele é craque.

ABRAÇOS.

COMENTÁRIO EDITADO: VER REGRAS SOBRE PROPAGANDA POLÍTICA

Vader

O perigo é, além dos F-5 quenianos ficarem prontos antes dos da FAB, ficarem melhores, como os Super-Tucanos colombianos são melhores que os da FAB…

Isso porque esse governo investe nas Forças Armadas… imaginem se não investisse… 🙂

Mauricio R.

Alguém deveria avisar ao Quenia p/ contratar esse overhaul diretamente aos israelenses, sai mais barato qndo vc elimina intermediários.
Afinal são a tecnologia e os avionicos deles.

Paulo

Caro Mauricio R.
Por favor, não jogue contra.

Fuzila

É bom para a EMBRAER que investiu um bocado na criação de modelos computacionais do F-5 e no estudo da integração de novos sistemas. O Lula apesar de bom vendedor, está fazendo o que se espera de um chefe de estado, que é valorizar e divulgar o produto nacional. O único risco do contrato de modernização dos F-5 do Quênia é a FAB gostar tanto deles, fazer uma proposta de compra e cancelar o FX-2 … Paulo não se assuste, aqui no blog são sempre os mesmos que torcem contra, no caso do amigo Mauricio R., se você mencionar o… Read more »

Mauricio R.

“Por favor, não jogue contra.”

Se vc sabe da realidade, sabe que não escrevi nenhuma asneira…

Mauricio R.

“…investiu um bocado na criação de modelos computacionais do F-5 e no estudo da integração de novos sistemas.”

E o investimento em criar picuinhas c/ a Elbit, aliás a “dona” da tecnologia do update de nossos F-5???

Eleazar Moura Jr.

E haja espaço em Gavião Peixoto!!!

Bruno Fernando

Depende da configuração que o país de Quênia pedir. Discordo com alguns cometários que disse que os caças F-5 da FAB podem ficar inferiores aos F-5 quenianos. Assim como os EMB-314, depende da configuração, a Força Aérea Brasileira pediu uma e a da Colômbia outra.

Seal

Isso faz parte da estratégia do Governo Brasileiro.Ter um país da África como ponta de lança com equipamentos mais modernos.

vassili

Tomara que esse contrato realmente seja assinado. É a garantia de que nossos técnicos e engenheiros que trabalham em Gavião Peixoto continuem empregados por mais um tempo. E devemos lembrar que são empregos bem remunerados, o que é extremamente benéfico para o país.

abraços.

Mauricio R.

“É a garantia de que nossos técnicos e engenheiros que trabalham em Gavião Peixoto continuem empregados por mais um tempo.”

Xí, não tem tanto F-5 assim no mundo, pois já há operadores substituindo a aeronave e não fazendo updates.

Leandro

Acho que o Lula não deveria só empurrar a modernização dos F-5 para os países da África, mas deveria também empurrar o EMB-314, acho que seria uma aeronave perfeita para muitos países da África…

Alexandre Galante

Leandro, veja o vídeo.

Craveiro

O Uruguai está interessado em Tigers americanos via FMS (segundo a última revista Força Aérea), cerca de 12 unidades.
Quem sabe esta não será mais uma oportunidade de negócios?

Leandro

Mas só isso de ST??? E Moçambique, Angola, África do Sul, Marrocos, Argélia…

Johan

Não entendo por que tem gente reclamando da modernização dos F5 do Quênia. realmente e torcer contra!!

Mauricio R.

“O Uruguai está interessado em Tigers americanos via FMS…”

Até ai o Uruguai tb está interessado no Pampa, que substituiria ao Pucará.

Leandro

O Uruguai poderia substituir os Pucará pelos ST…e os Dragonfly por alguns F-5 usados e encomendar uma modernização a Embraer!!!!

Craveiro

Mauricio R. disse:
11 de julho de 2010 às 17:27
————————————-

Os F5 americanos substutiriam os Pucará, segundo a publicação que mencionei.
———————————————————————————
O Chile também tem interesse no Pampa, mas em uma versão melhorada. Argentina e Chile também estudam projetar um novo treinador básico.
———————————————————————————
Vamos aguardar. Os Pampa devem ter um custo de operação mais baixo, mas é bem capaz de os EUA fornecerem a preço de banana podre. Aí o Uruguai teria uma aeronave supersônica com capacidade de interceptação e de interdição, desde que elas não venham fora de condições do voo.

João Gabriel

Acredito que essas modernizações a Embraer poderia estender aos Mirages 5,F 1 e A 4 de nações amigas,são aviões que embora antigos,ainda tem algum potencial como nossos F 5…

Abçs

airacobra

otima noticia

muito bom para a impressao da industria nacional la fora, são negocios assim que fazem a diferença, que pais da america latina tem essa capacidade alem do brasil? navios patrulha para namibia, misseis para o paquistão, corveta para guine equatorial, super tucanos para colombia, chile, guatemala, equador, republica dominicana, equador, indonesia e etc

e agora essa modernização dos f-5

em nenhum outro governo se teve tantas exportações em material de defesa

Mauricio R.

Mexer c/ velharias de 2ª geração não desenvolve ninguém, a menos que seja o Museu da TAM ou o Musal.
Mas como não temos nada ao menos de 3ª geração, p/ poder desenvolver nossa própria tecnologia, achamos esses negócios uma maravilha.

Robson Br

O que é ruim merece críticas e o que é bom elogios.
Não é só empregos que se preserva, mas também conhecimento.

A própria sobrevivência da industria nacional depende em grande parte do mercado internacional.

A modernização de vetores é um grande passo, é um grande início para setor de exportação de serviços.

Vemos no caso da MB que tem nas classes Grajaú e Macaé um grande potencial de entrada neste mercado. Agora já vemos a Barroso indo para o mesmo caminho. São navios pequenos, mas num nincho grande. Igual aos supertucanos.

Edmar

Caros Amigos.:

Além da modernização dos caças F -5 da Força Aérea do Quênia, será que não vai haver modernização de outros caças F-5 para a Força Aérea Brasileira?
Será que não haverá mais compras de F-5 por parte do Brasil?

Vamos aguardar…

Abraços.

Marcos

Tenho medo que estes “MIKES” acabem ficando por aqui.

marcospoorman

Aqui sempre tem uma briga sobre transferência de tecnologia, não existe transferência de tecnologia se não tem cientistas, engenheiros, técnicos, até o zezinho que limpa o chão de fábrica (desculpe o termo), ou seja, mesmo que seja uma tecnologia que é defasada mas é preferível manter a linha e as mentes funcionando, conseqüentemente a tecnologia. Quanto mais células nossa indústria faz mais conhecimento vamos gerando. Veja o exemplo da Engesa, onde estão os engenheiros agora ? (para os que querem ressuscitar o Osório) Quantos engenheiros e técnicos foram formados desde 1980 nesta área? Não adianta todoa os desenhos em papel… Read more »

Curvo

Modo irônico ON É claro, é sempre bom termos um governante fechando excelentes negócios com players internacionais, senão de alto impacto na economia mundial, mas também com players menores com democracias implementadas e respeitadores dos direitos humanos, os quais eram tão evocados a algum tempo atrás e que atualmente parece que se esqueceu. Modo irônico OFF Fechar negócios com países cujos dirigentes são “por assim dizer” meio que deixados de lado, por conta da ditadura imposta aos seus, é fácil, agora com países formadores de opinião e cortejados por todos, com democracia e respeito pelos direitos humanos, é que são… Read more »

Carlosgoes

Pessoal, tem gente aqui que somente sabe criticar. Vamos então derrubar com exemplos. Vejamos os israelenses. No começo da fundação do “Estado de Israel”, somente utilizavam equipamentos oriundos da IIWW. Após a primeira guerra arabe, incluiram nos seus inventários, armamanto sovietico usado e em más condições de uso. Com o embargo a venda de armas modernas dos paises industrializados, oque eles fizeram?? Aprenderam a reconstruir, a reformar e a expandir as capacidades dos armamentos usados e antigos. Vejam oque os mesmos fizeram com veiculos M4/M51 frente aos T54/T55 e T62 na guerra dos seis dias? E se tratavam de equipamento… Read more »

Carlosgoes

Vale lembrar também, que o conhecimento adquirido pelo desenvolvimento de upgrades militares é muito mais barato do que desenvolver projetos novos, uma vez que você primeiramente tem de fazer engenharia reversa para poder conhecer o equipamento, para dai sim poder pensar em melhorias.

Desta forma, não é violada nenhuma patente internacional, sem contar que aprende-se muito mais rápido sobre o conceito sem precisar ficar gastanto milhões com testes diversos, revisões e revisões de projeto, manutenção de prédios, segurança, sistemas computadorizados e tantos outros gastos.

Como dizem os chineses, é muito mais barato copiar e depois melhorar doque criar algo novo.

Fabio Mayer

A notícia é boa. É grande o mercado de modernização de aeronaves de combate.

Fabio Mayer

Mas…

…fala-se que o Brasil não vai sequer modernizar os F-5 jordanianos, ou seja, se aqui dentro não prestigia, vai querer mercado lá fora como?

Edu Nicácio

Contrato para fornecimento de Corveta Barroso, contrato para modernização de caças supersônicos, contratos em bioenergia… Realmente, se há uma coisa que o presidente Lula sabe fazer muito bem, é vender o Brasil ao mundo.

E que venham mais encomendas! Só assim para garantirmos que nossos cérebros fiquem no país e contribuam para seu desenvolvimento tecnológico. A nação agradece.

BRASIL POTÊNCIA

Reportagens especiais

Os AMX da FAB no Red Flag 98-3

Os AMX (A-1) brasileiros também mostraram sua capacidade no Exercício Red Flag, em Nellis nos EUA. Em agosto de 1998,...
- Advertisement -
- Advertisement -