terça-feira, junho 15, 2021

Gripen para o Brasil

Array

Sai da frente

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

C-5A-69-0010-KAEX-06May10-2

C-5A Galaxy fazendo “touch and go” em Alexandria, Louisiana.

FOTO: Matt Ellis

- Advertisement -

47 Comments

Subscribe
Notify of
guest
47 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
A7X

Uau!!!

emerson

a gente até tem razão em ter inveja…

czarccc

Pois com pelo menos uns 4 C-17 já me dava por satisfeitíssimo. Alguém sabe se essa possibilidade deixou ou está perto de deixar o terreno das expeculações?

Challenger

Alguns C-17 Globemaster já estaria bom, a FAB estaria bem servida.

Nick

Quem sabe 4 C-17 não sirvam de contra partida para os 100 ST?? Se o GF quer mostrar serviço fora da AS (como a missão humanitária no Haiti) precisa de Transportes Pesados.

[]’s

emerson

Mas falando sério, não acho que o C17 caiba no desenho da FAB. Os transportes de táticos estão sob a responsabilidade do C105, enquanto que o transporte estratégico esta com os KC135 e futuramente com os KC390. Acho que com a substituição dos KC135 por novos Aibus ou Boeings, não haverá espaço para um avião como o C17

Qual seria a função do C17 na FAB? Não vejo nenhuma

mas é uma foto linda.

Andre

O C17 faria exatamente o que faz nos EUA, transportar material, veículos pesados, etc, pq hoje precisamos urgentemente de ao menos 4 aeronaves dessa para dar apoio ao Exército.

Galileu

Eu não sou especialista, mas na minha opinião capacidade de carga, numa aeronave dessa finalidade, nunca é demais!!

uns 6 C17 seria o que há pra FAB

czarccc

Esse da foto é um dos convertido em C-5M?

czarccc

Quanto ao transporte estratégico da USAF, fico me perguntando. A algum tempo ouço falar que a linha dos C-17 está por ser fechada, que o que pode mantê-la por algum tempo seriam clientes extrangeiros, como a Índia, que manifestou interesse recentemente. Mas me pergunto, não poderiam mais Globemasters se constituirem em bons substitutos aos C-5? Pois veja, os C-5A entraram em operação ainda na década de 60, na sua parte final. Algumas células se apresentam bem surradas e possuem já algum histórico de problemas estruturais. Já o Globemaster, apesar de possuir carga paga um terço inferior, cumpre a maioria das… Read more »

emerson

Ao custo de 200 milhões de dolares por aeronave, acho que seria muito caro para a FAB. Com preço de um único C17 será possível adquirir 4 KC390. Consideriando que os KC390 serão construidos no Brasil, que terão manuntenção mais barata, terão hora de vôo mais econômica e que terão uso mais flexível, ainda não tenho certeza se os C17 teriam uso prático na FAB.

Por outro lado, o KC135 tem prazo de validade e provavelmente será substituido em breve por novas aeronaves. Só não sei qual.

Tiago Jeronimo

C-5A? Pfff é velho, se fosse pelo menos o C-5B 😛

/sarcasmo

RenanZ

Legal é ver vocês falando de C-17 Globemaster, quando na verdade a foto é de um C-5 Galaxy

czarccc

RenanZ disse: 7 de maio de 2010 às 0:23 “Legal é ver vocês falando de C-17 Globemaster, quando na verdade a foto é de um C-5 Galaxy” Na verdade sou um pouco culpado disso. Peço desculpas. è porque o C-5 me lembra do C-17 automaticamente, não consigo evitar. E como já houveram especulações de que o Brasil poderia comprar alguns, acabei manifestando meu entusiasmo pela idéia. Mas o Emerson tem um bom ponto. A vantagem que vejo em se ter uma aeronave da categoria do C-17 seria por sua grande capacidade de carga, mas mais do que por isso seu… Read more »

emerson

Olá Czarccc Fico feliz em ajudar na análise. Também acho esses cargueiros aeronaves lindas, tanto o C17 quanto o C5. Mas isso não é suficiente para acreditar que teriam um papel a desempenhar na FAB que não seria melhor realizado pelos KC390 e pelos futuso C-X. Para o esquadrão Corsário, não basta ser apenas um transporte, mas tem que possuir a capacidade de transporte de pessoal que os KC135 possuem hoje, mas com a simplificação que não precisam mais ser os reservas das viagens presidenciais, papel dado aos VC02. Apostaria no A300/A310, que pode chegar a 260 passageiros e quase… Read more »

Harry

Caro Emerson parabens ,

já esta na hora do Brasil iniciar conversações com Ucrania sobre um possivel projeto de um cargueiro pesado acima de 40 toneladas (afinal o KC-390 já embalou, é ladeira a baixo)

e como disse NICK já que o governo quer mostrar serviço fora da AS
pensar não só para transporte mais para reabastecimento.

Abs

emerson

Na verdade, gostaria de parabeniza-lo amigo Harry por nos alertar sobre a foto… eu já havia embarcado e sentado na janelinha do C17.

Sobre a parceria com os ucranianos, você acredita que exista mercado para um novo grande cargueiro para o futuro? Talvez seja mesmo um caminho muito bom para a Embraer investir em transportes do que enfrentar a Boeing e a Aibus no setor de passageiros.

desse modo, você acaba contratado pela Embraer para dar consultoria.

um forte abraço

sr.ricardo

Por Favor, não me atirem pedras mas, detro dessa discução sobre o C-17, caberia a consideração daquela versão alongada do il-76 Candic só que ocidentalizado ? Mesmo pq existe um il-78 – versão reabastecedora, o que o C-17 não oferece.

Sobre a foto, Se o Galaxy já impõe respeito, o Ruslan dá Medo e o Mrya pânico !

sr.ricardo

ops.
Mrya -> Mriya

emerson

Caro Ricardo,

Lembro do vídeo de um desses gigantes chegando em guarulhos com os F5 da jordãnia…. são impressionantes.

sr.ricardo

Harry e emerson,
Acho que o il-76 pode ganhar mais espaço no mercado de cagueiros se for ocidentalizado. Se a Embraer topasse ser a intermediadora desse processo, acho que ela se daria muito bem.
De certa forma a embraer já concorre com as versões “nanicas” dos jatos da Boeing (717) e da Airbus (A319 alguma coisa).
A tendencia é que ela (Embraer) procure novos mercados em aviões de maior porte ou recupere a fatia dos turbo-hélices que ela ababdonou.
Acho que ela AINDA não tem fôlego para encarar as duas gigantes.

sr.ricardo

emerson,
“Dizem” que a Antonov vai fabricar mais An-225 para sua prórpia companhia de carga e para a força aérea russa.
E sobre o il-76 esticado e ocidentalizado ? O que me diz ?

emerson

grande Ricardo, Acho que concordamos sobre a incapacidade da Embraer de compertir com a Airbus e Boeing em aviação comercial de passageiros. Por outro lado, não sei se esse mercado de turbohélices realmente existe no mundo, ou se já não foi realmente substituido por jatos regionais. Eu, havendo opção, pago mais e evito turbohelice. Uma vez comentei que um mercado muito interessante para a Embraer seria o de trens de alta velocidade. Aliás, acho que veremos no Brasil e na America Latina um crescimento de trens de alta velocidade ligando cidades a uma distancia de 3h. Li uma vez que… Read more »

emerson

Sobre o mercado de aviões de carga, admito desconhecer seu tamanho e tendência. As vezes, me parece que não haveria espaço para grandes cargueiros, pois no caso de grandes cargas, a preferencia seria navio, e para cargas expressas, me parece que a logistica aponta os modelos comerciais adaptados.

Mas realmente não sei dizer. Me parece um mercado pequeno e bem especializado.

sr.ricardo

emerson,
A ideia dos trens é boa, mas antes deveria vir a “infraestrutura”. As linhas férreas foram privatizadas para isso e o que fizeram ?

Sobre o mercado de transporte de cargas, parece que ele tem se aquecido cada vez mais.

Sobre os turbo-hélices em certaas regiòes do país ele existe sim e atente uma demanda que, em alguns casos não existem opções nem de jatos e nem de ônibus. Afinal o Brasil foi integrado pelo ar.

sr.ricardo

emerson,

a pergunta do il-76 esticado ocidentalizado era sobre a incorporação pela FAB.

Harry

Caro emerson

o melhor supercargueiro esta na Ucrania e depois russia
e já estão precisando de uma nova roupagem.

Põe embraer/Brasil e Ucrania juntos em um projeto desse e eles ganham no sentido robustez, simplicidade e custo.

Abs

emerson

Olá Ricardo, Os trens de alta velocidade necessitarão de linhas proprias. Pelo que sei, a linha Campinas-São Paulo – Rio estará pronta para a Copa, depois será apenas manter o investimento, ampliando a linha ano após ano, como fizeram os japoneses e europeus. Sobre os il-76 para a FAB, acho improvável. A FAB já tem certo que terá seus 20 ou 30 KC360 e talvez chegue a 4 ou 5 KC-X (provavelmete um Airbus A300 ou A330.. pensando melhor acho que o A330 será o futuro KC-X) Sobre o transporte russo, acho que a FAB não tem espaço para um… Read more »

Bruno Rocha

Emerson

O C-17 levaria quase uma base toda. Soldados, blindados, um ou outro helicoptero. Claro que o An-225 faria mais, e como faria.
Enquanto no Brasil, para fazer o que fazem os EUA com o C-17, precisariamos de uns 2 ou 3 aviões.

Bruno Rocha

Outra coisa, esse ai não é o C-17.
Pode-se perceber isso no topo da cauda em T.

Reparem bem.

C-5
https://www.richard-seaman.com/Aircraft/AirShows/Oceana2005/Highlights/C5Arriving.jpg

C-17
http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads/2010/01/c-17-foto-boeing.jpg

Bruno Rocha

Gente, o Antonov An-225 morreu e eu não estou sabendo?

Henrique Sousa

Então resumindo a conversa, um transporte tático com a capacidade do C-17 não se encaixaria nas necessidades da FAB, e sim um transporte estratégico com o perfil (perfil, não propriamente o avião) do C-5? Mas como o cobertor e curto não poderíamos duplicar os meios e este transporte estratégico teria que cobrir tb a função de REVO??

Taz Miranda

Em 1997, em razão da visita do Presidente Clinton ao Brasil, uma dessas gracinhas ficaram estacionadas no pátio VIP da Base Aérea de Cumbica… Eu no no auge dos meus dos meus 19 anos tive o privilégio de conhecer um pouquinho mais a fundo esta máquina… Lembro que os americanos eram extramente bacanas e tinham orgulho de mostrar a capacidade do C5. Infelizmente naquela época não existiam celulares que tiravam fotos e câmeras em quase sua totalidade eram de filme 35mm e a única foto que tirei, foi do mesmo taxiando na pista, foto aliás que não sei mais onde… Read more »

emerson

Olá Bruno, Concordo com a capacidade de transporte dessas aeronaves, mas acho que dentro do desenho das forças armadas brasileiras e de sua missão, esse tipo de aeronave não faz sentido. 1) a FAB e o EB precisam de uma aeronave de transporte tático para deslocar rapidamente equipamentos e tropas dentro do territorio nacional, eventualmente para lugares mal preparados. Nesse desenho, o C295 e o C95M fazem isso bem. 2) a FAB e o EB precisam de uma aeronave para transporte até locais bem preparados, daí o KC390 fará isso perfeitamente. Mesmo para deslocamento no raio da América do Sul,… Read more »

Ivan

Emerson, Harry, czarccc e demais amigos, A foto é do C-5 Galaxy mas o assunto é aviação de transporte mesmo. Então, se me permitirem, gostaria de levantar algumas questões. A primeira é de cunho estratégico internacional. Se o Brasil pretende ser um player global, precisa desenvolver uma capacidade efetiva de projeção de poder. Este poder não precisa ser necessariamente de bombardear ninguém, mas colocar em curto espaço de tempo e a longa distância uma tropa de estabilização (policial) ou de forças especiais (comandos ou pqd), um destacamento de bombeiros, um hospital militar de emergências, máquinas pesasdas de resgate entre tantas… Read more »

Nick

Só para enriquecer o debate segue alguns dados AN-225 Mriya:payload 225 tons, alcance 4000km C5 Galaxy : payload 123 tons, alcance 5520/4400km C17 Globemaster : payload 72 tons, alcance de 5200km Antonov AN 70 : payload 35 tons, alcance de 3800km C-130J Hercules: payload 19 tons, alcance de 3200 km Embraer KC-390:payload 19 tons, alance de 2683km (estimativa do projeto) Portanto, o KC390 é o que os americanos chama de transporte intra-teatro. Para a FAB operar só na América do Sul, está de bom tamanho, mas se a perna for maior temos de pensar em algo mais pesado. Nesse caso… Read more »

Vader

Que monstro. Um ou dois desses na FAB já estaria excelente. Mais seria exagero.

Uma correção: o “carrinho de mão” da Embraer não será um transporte estratégico, mas sim tático.

Sds.

Humberto

Particularmente acho o Galaxy mais bonito que o C-17 (acho que tem algo meio desproporcional nele) e creio também que o C-17 traria bem mais efetividade ao transporte para a FAB, contudo a prioridade ATUAL da FAB é o KC-390 e o substituto dos KC-137, para mim será um outro cargueiro civil (em 767 ou airbus usado modificado para isto).
[]

M1

Caracolixxxxs!!!!!!!!

Vader

emerson disse: 7 de maio de 2010 às 2:26 “Os trens de alta velocidade necessitarão de linhas proprias. Pelo que sei, a linha Campinas-São Paulo – Rio estará pronta para a Copa” ????????????????? 🙂 Amigo, estou mais ou menos bem informado sobre isso, pois moro em Cps e esse projeto muito interessa à população da região. Só lhe digo uma coisa: tire seu cavalinho da chuva (risos) porque o primeiro trecho do trem de alta velocidade (Viracopos-SP) só ficará pronto depois de 2016, se tudo der certo. Quanto ao trecho SP-Rio acredito que sequer chegue à fase de projeto antes… Read more »

MA

Nick, tem ainda o An-124-210 com alcance de 5950km com carga de 120ton e carga máxima de 150ton. É o mais próximo do estilo das aeronaves ocidentais, mas sem dúvida, eu acho o C-17 nossa melhor opção.

Almeida

Linda essa pintura fosca da USAF.

sr.ricardo

Os dados dos cargueiros americanos são com ou sem REVO ?
Que eu saiba os Antonov não possuem esse recurso.
O KC-390 nào é pra substituir os (K)C-130 ? Pq estão misturando com o KC-135 ?
Alguém sabe dizer se um Airbus militarizado “aquenta” 1 MBT?
Acho q o il-76, o C-17, e os pesadões aguentam.

Brandalise

Boa a sua analise, Emerson, mas eu discordo dos pontos 3 e 4: “3) o MinDefesa precisa de uma aeronave para transporte de tropas para longas distâncias, como no caso do Haiti. Nesses casos, o transporte de equipamento é feito pela MB e as tropas pela FAB, mas geralmente com um bom planejamento. Hoje isso é feito pelos KC135 e acho que no futuro serão A330 (ou A310/300).” Essas aeronaves exigem uma estrutura aeroportuaria minima, e nao podem transportar veiculos, carros de combate, etc. Estes ficam na dependencia de transpote por navios da MB, e aih perdemos em flexibilidade. Seria… Read more »

Brandalise

Pergunta do Sr. Ricardo: “Alguém sabe dizer se um Airbus militarizado “aquenta” 1 MBT?” 1 MBT pesa umas 40 toneladas, mas o problema nao eh soh o peso. Minha duvida eh como por um MBT desses dentro do Airbus, e depois tirar. Haja infraestrutura! Uma rampa de carga resolve este problema e reduz em tempo e custo toda a operacao de carga e descarga. Alem disso, a rampa de carga permite o pouso em mais aeroportos, incluindo aeroportos menores e c/ menos infra. Minha opiniao eh que precisamos sim de um transporte destes. Nao precisamos de nada maior, e temos… Read more »

vassili

Vader,

Parece que te conheço, rsrsrsrs…………

28º BIB??????

Será que acertei??????

O pior inimigo dos PeTralhas???????

abraços.

vassili

Pessoal,

Concordo que devemos dar clara atenção no KC-390, mas como substituto do C-130 Hércules………….. essa é a intenção do projeto, desenvolver um transporte tático, e para essa função ele se sairá muito bem……

Transporte estratégico de alcance global é outra coisa totalmente diferente, e a FAB ainda não tem………
Os B-707/ KC-137 não conseguem mais cumprir essa função com desenvoltura, principalmente por causa da origem do projeto civil……

abraços.

Reportagens especiais

Infográfico: Caças a jato da Europa Ocidental – 1944 a 2003

A ameaça da União Soviética obrigou as nações da Europa Ocidental a desenvolverem continuamente seus aviões de combate No infográfico...
- Advertisement -
- Advertisement -