quarta-feira, abril 21, 2021

Gripen para o Brasil

Malásia informa que comprará 12 EC 725

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.aereo.jor.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

A Malásia comprará 12 helicópteros Eurocopter EC 725 por 686 milhõesde dólares, informou o periódico The Straits Times. O anúncio vem após dois anos do congelamento das negociações por questões econômicas.

Em outubro de 2008 o governo malaio suspendeu o contrato para a aquisição de 12 Cougar EC725 por causa da crise financeira mundial. Além disso, o bloco parlamentar que faz oposição ao governo também denunciou irregularidades no negócio, negadas pelo executivo. Espera-se que a primeira entrega ocorra em 2012.

FONTE: The Straits Times

- Advertisement -

38 Comments

Subscribe
Notify of
guest
38 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
RoninSnkShit

Deve dar uma super dor na coluna, ficar naquela metralhadora durante uma missão de 3 horas.. 😀

FighterSkill

Peraí!

Os 12 Sabres que o Brasil comprou com uma determinada serie de transferencia de tecnologia e barganha comercial custaram 400,00mil…e este custará 700mil?!

Hummm…então o Ministério da Defesa fez um exelente negócio..!

Poxa…sou mais o Tanque Voador Sabre do que o EC.

Nick

Será que a Helibrás(Eurocopter subsidiária) fabricará partes desses EC725?? Nem que sejam as pás do rotor já seria alguma coisa.

[]’s

emerson

57 milhões de dolares por aeronave

carl94fn

mais um cliente… né??

ué mas é só o Brasil que compra esse helicóptero “jaca, lixo frances e outras abobrinhas” não é mesmo???

Esse helicóptero é relativamente novo e de bom desempenho provavelmente haverá mais clientes no futuro… mas fica como um exemplo pra aqueles que só falam abobrinhas

HARPIA

Eles irão receber em 2012, E os nossos? Quando virão??????
Derrepente em 2057. Quem sabe, né…
Ao menos, eles verão os helicópteros voando um pouquinho antes do fim do mundo, segundo as previsões Maias. 😀

A7X

Nick disse:
22 de abril de 2010 às 19:48

“Será que a Helibrás(Eurocopter subsidiária) fabricará partes desses EC725?? Nem que sejam as pás do rotor já seria alguma coisa.”

Fiquemos na torcida.

Galileu

Bem lembrado fight os MI35 custaram metade dos EC725 Maláios….

E não é que já tem MI na FAB ao contrário de EC725.

É que a Russia tem fama de fazer porcaria e não entregar ou demorar pra entregar…..hahahahahaha

Não me venham falar que o EC725 tá demorando, porque só tapado acredita nessa história que eles serão “nacionais”, no máximo uma pintura e a linha de montagem, peças MADE in French….hahahahah

Fsinzato

Ótimo, que venham mais encomendas desta aeronave.
Bom para Helibras/Eurocopter e bom para as FA e o Brasil.

Abs.

J Jacahead da Silva

“Bacia de Santos ai vou eu” (Um Super Puma pensando alto)

Musashi

Para quem não sabe procurar.

http://www.naval.com.br/blog/2009/09/03/cronograma-das-entregas-de-submarinos-e-helicopteros-ec725/

* 2009- Desembolso: € 83.333.333,00; helicópteros entregues: 0
* 2010- Desembolso: € 258.295.595,95; helicópteros entregues: 3
* 2011- Desembolso: € 70.341.804,66; helicópteros entregues: 1
* 2012- Desembolso: € 367.671.383,17; helicópteros entregues: 4
* 2013- Desembolso: € 322.791.190,31 ; helicópteros entregues: 11
* 2014- Desembolso: € 314.066.364,61; helicópteros entregues: 9
* 2015- Desembolso: € 222.870.890,10 ; helicópteros entregues: 14
* 2016- Desembolso: € 145.007.505,22; helicópteros entregues: 8
* 2017- Desembolso: € 62.976.049,98; helicópteros entregues: 0

TOTAL- Desembolso: € 1.847.354.117,00; helicópteros entregues:50

Lanterna Verde

Pois é caros senhores, esta é para os críticos de equipamentos franceses engolirem, e quem disse que receberemos nossos EC em 2057 esta completamente enganado, pois as 3 primeiras unidades estão programadas para serem entregues este ano, e além do mais várias partes do helicoptero serão produzidas aqui no Brasil, a fábrica da Helibrás esta sendo ampliada pelo motivo das encomendas do governo, e a partir de 2013 os EC serão produzidos aqui, pois ainda não temos infraestrutura necessária pra a produção dos mesmos, e aliás a 2º turma de estudantes de Eng. Aeronautica esta preparando as malas para fazer… Read more »

ezeca

e né a jaca republica Bolivariana do Brasil .
parece que não vai ser decepção ?
nem seremos os compradores de“luxo´´
abs…

drcoakroach

A Taxa de juros do financiamento foi acima da taxa de juros de mercado, por conta da transferencia de tecnologia. Mas o preco da ToT jah estava incluido no valor total. Sobre-preco? []s! “autorização para contratar operação de crédito externo, no valor total de até € 1.764.020.784,00 (um bilhão, setecentos e sessenta e quatro milhões, vinte mil, setecentos e oitenta e quatro euros), entre a República Federativa do Brasil e um consórcio formado pelos bancos Société Générale, BNP Paribas S. A., Santander S. A. e Calyon S. A., cujos recursos destinam-se ao Projeto H-X BR … Segundo a Mensagem, a… Read more »

Mauricio R.

“Será que a Helibrás(Eurocopter subsidiária) fabricará partes desses EC725??” A Helibrás não, mas na Indonésia uma parceira da Eurocopter deve fabricar as caudas. ““Bacia de Santos ai vou eu” (Um Super Puma pensando alto)” Coitado, vai dar de cara c/ os S-92, que já estão por lá. “…e além do mais várias partes do helicoptero serão produzidas aqui no Brasil,…” Ué a ToT é do helo inteiro ou não??? Pq ToT de somente algumas partes, não nos interessa e nem nos faz falta alguma. “…se vocês não consideram isto TT eu não sei o que pode ser.” ToT é transferir… Read more »

Lanterna Verde

Caro amigo Marcelo R. Respeito sua opinião, mas deixe-me esclarecer algumas coisas que vossa senhoria talvez não tenha entendido, o Brasil não possui massa crítica o suficiente para a produção de certas partes do helicoptero, incluido sistemas digitais, motores, sensores, ext. O que eles estão oferecendo é a produção nacional do que temos capacidade para produzir. TT não é pegando e passando um monte de dados e pronto, já sabemos produzir helicopteros ,caças etc. TT significa formar massa crítica para desenvolvermos com as próprias pernas certas tecnologias, por isso nosso estudantes estão fazendo um intercâmbio com empresas e instituições de… Read more »

Ivan

” Emerson disse:
22 de abril de 2010 às 19:51

57 milhões de dolares por aeronave”

Será que não estaria incluido: treinamento, Suprimentos e peças de reposição?

Rodrigo

Lanterna verde, faço minhas as suas palavras…

Mas infelizmente NJ não pensa assim.

Ele acha que vamos aprender do alto sem ter a base do desenvolvimento.

Rodrigo

Para quem acha que o EC225/725 é grande coisa, sugiro procurar o histórico de acidentes do tipo e as causas..

Notadamente: “Structural Failures” está sempre entre em causas…

Fabio Mayer

A FAB anunciou que os “sapões” serão desativados, substituídos pelos MI-35, Black-Hawks e EC-725.

Convenhamos, vai meio na contramão do processo de padronizar a linha logística.

Penso que a substituição dos “sapões” deveria ser feita exlcusivamente com com Black Hawks, jé bem testados no cenário amazônico. E que os MI-35 deveriam se manter apenas nas funções COIN e ataque, uma vez que, substituindo os sapões, estariam nas áreas de transporte e SAR também.

Quanto soa EC-725. Não duvido que sejam ótimos helis, mas talvez fosse mais correto concentrá-los em apenas uma das forças, quem sabe a marinha.

Rodrigo

Os Hueys serão substituídos pelo BH, os EC725 são uma outra categoria e os Mi35M uma aposta.

Realista

Vídeo muito bacana! parabéns ao Blog pela postagem!

Se alguém não viu, assista! vale a pena! principalmente pelos equipos usados nas operações!

Sobre o Heli, penso ser este um heli maduro, já aprovadíssimo na função, e sem bem equipado dará conta do recado por muito tempo ainda!

Seja bem vindo EC725!

Francoorp

Rodrigo disse: 23 de abril de 2010 às 8:13 “Lanterna verde, faço minhas as suas palavras… Mas infelizmente NJ não pensa assim. Ele acha que vamos aprender do alto sem ter a base do desenvolvimento.” Não entendi… foi ele que quis e fez assinar este contrato, se pensasse que começaríamos do “alto” ele nem teria pedido tecnologias na compra destes Helis, ou teria feito questão somente de Tecnologias de Software, coisa que não resulta, pois até mesmo peças parecem estar inclusas. Se tivesse contratado somente os Datalinks e Software variados até concordaria contigo, seria sim querer começar do ALTO, mas… Read more »

Mauricio R.

“…o Brasil não possui massa crítica o suficiente para a produção de certas partes do helicoptero, incluido sistemas digitais, motores, sensores, ext. Puxa, que coitados nós somos, apesar de termos a 3ª maior fabricante de aeronaves do planeta, instalada em nosso pais. E ainda de quebra desprezou, o restante da indústria aeroespacial, que gira em torno das atividades dessa mesma empresa!!! Como se aeronaves de asa fixa não usassem sistemas digitais e sensores, ainda fez pouco do restante do parque industrial nacional. “O que eles estão oferecendo é a produção nacional do que temos capacidade para produzir.” Eu lí direito???… Read more »

grifo

Tecnologia se transmite p/ engenheiros experientes no mercado, em chão de fábrica.
São esses profissionais, dada a experiência acumulada por anos de trabalho, que entendem com se faz p/ absorver tecnolgia no setor produtivo.

ISSO!

Tecnologia não se aprende em sala de aula, até mesmo porque boa parte (ou a maior parte) do que é transferido são técnicas de produção. Fazer as vezes é até fácil, fazer em escala industrial na qualidade necessária e a um custo de mercado é que são elas…

Nick

Caro Lanterna Verde,

Só questiono uma coisa sobre essa formação de massa crítica não me parece nada diferente por exemplo, de a Volkswagen mandar engenheiros para a Alemanha estudarem e voltarem para assumir postos dentro de suas unidades no Brasil. Conceitualmente será que o conhecimento gerado é do Brasil ou continua dentro de uma multinacional de Helis?? Não vejo muita TT nisso. Os Helis que forem desenvolvidos na Helibrás da Eurocopter são de design nacional ou de uma multinacional que tem plantas no Brasil??

Sinceramente tenho dúvidas sobre essa TT dos Helis.

[]’s

Francoorp

Mauricio R. disse: 23 de abril de 2010 às 10:57 “apesar de termos a 3ª maior fabricante de aeronaves do planeta, instalada em nosso pais. E ainda de quebra desprezou, o restante da indústria aeroespacial, que gira em torno das atividades dessa mesma empresa!!! Como se aeronaves de asa fixa não usassem sistemas digitais e sensores, ainda fez pouco do restante do parque industrial nacional.” Olha que eu creio que a maioria dos componentes da Embraer são importados, principalmente estes sistemas e sensores… tem nada fabricado aqui não… a Embraer só monta esses componentes no avião, certo que para isso… Read more »

A7X

Amigos, Não sou o maior fã dos produtos franceses, mas acho que o “preconceito” de alguns aqui passa dos limites. Vejam, os EC-725 podem não ser os helicópteros mais modernos ou com melhor desempenho no mercado, mas são bons vetores. Além do mais, creio que o Brasil não tem recursos para comprar e manter produtos top de linha. Em relação a transferência de tecnologia, creio que ela ocorrerá sim. Claro que os franceses não irão nos passar tudo, mas concerteza haverá uma evolução na nossa atual capacidade(?) de produzir equipamentos militares. Nick disse: 23 de abril de 2010 às 11:50… Read more »

Lanterna Verde

Caro amigo Marcelo R. 1º A Embraer ao contrário do que você mencionou é uma MONTADORA de aviões, e a grande maioria de seus componentes são de origem extrangeira, como motores, aviônica e sensores, se você acha que produzimos tudo isto aqui , não sou eu que sou ignorante e desconheço totalmente os fatos. 2º Mais uma vez, mostrou sua falta de educação em seus comentários, desrrespeitando a mim e a outros leitores, sujiro ao site, editar os comentários deste senhor, pois tenho certeza que este não é este o intuito do site. 3º Deve-se dar prioridade ao ensino do… Read more »

Mateus Lobo

Lanterna Verde,
Comentários perfeitos para o pessoal saber um pouco mais de TT antes de criticar.

vassili

Peraí pessoal,

Ja que a conversa descambou geral para o lado da Embraer, fica minha pergunta:

Quantos helis ela ja montou até os dias de hoje????????? ela desenvolve, fabrica a maioria das partes e realiza a montagem de aeronaves de asa fixa ou de asas rotativas??????????

Credo, como alguns costumam misturar a conversa…………….

Depois falam que sou eu o “rei das abobrinhas”……….rsrsrsrsrsrs.

abraços.

Curvo

Só uma dúvida, por favor não me levem à mal, tenho visto quanto à fabricação dos Helis, que o “Brasil” ao término do contrato, vai estar capacitado a fabricar e inclusive “criar” um heli 100% nacional, mas o que se vê na realidade (tal como no casso do FX2), é que ao término deste pacote (50 helis) não teremos a tal TT ampla e irrestrita, talvez se chegarmos a 100, talvez, talvez, vamos comprar mais 50 ? A Eurocopter vai ajudar às emprêsas (todo o leque envolvido) brasileiras a adquirirem a expertise necessária ? A Helibrás não é 75% Francêsa… Read more »

Curvo

De acordo com o que aqui foi postado, receberemos neste ano ao menos 3 unidades em regime de CKD, sendo que à partir destes serão transferidas as tecnologias para a fabricação de algumas partes e peças aqui em terras tupiniquins, alguém sabe do cronograma de transferência e em que pese quais serão as peças a serem aqui fabricadas ?

O silêncio que não quer calar

Um pouco de informação para aumentar o grau do debate: O que é a Helibrás? A Helibrás foi criada em 1978, em São José dos Campos (SP). Em 1980, foi transferida para Itajubá. A empresa é subsidiária brasileira da empresa francesa Eurocopter, maior fabricante mundial de helicópteros, e faz parte do grupo EADS. Atualmente, a Helibrás é a única do ramo na América Latina e, na prática, é responsável pela MONTAGEM, VENDA, APOIO PÓS-VENDA e MANUTENÇÃO dos helicópteros no país, pois é da Eurocopter que vem toda a tecnologia aplicada na fabricação dos helicópteros. A empresa atua no mercado civil… Read more »

O silêncio que não quer calar

O que é a EADS? A EADS é um conglomerado de grandes empresas europeias do ramo aeroespacial, líder mundial do segmento. É composta pela Airbus fabricante de aeronaves; Eurocopter fabricante de Helicópteros; Astrium líder europeia em produtos espaciais (satélites, lançadores de satélites); e a Defence & Security (Defesa & Segurança) voltada para área militar de comunicação, fabricação de caças, sistema de mísseis, eletrônica de defesa e serviços. Na crise de 2009, a EADS teve um prejuízo líquido de 763 milhões de euros (R$ 1,855 bilhões aproximadamente), fazendo com que a busca de novos contratos e mercados se tornassem fundamentais para… Read more »

O silêncio que não quer calar

Transferência de Tecnologia? O papel de submetropole do Brasil faz parte da nova ordem de divisão mundial da produção, onde os países desenvolvidos detêm o controle da alta tecnologia e dos setores e segmentos mais importantes e lucrativos do comércio mundial, enquanto os subdesenvolvidos ficam incumbidos de fornecer matéria-prima, mão-de-obra barata e baixas tecnologias. Assim, para os países subdesenvolvidos só restaria galgar cada vez mais espaço no submundo da produção, fazendo parcerias com as multinacionais onde estas entram com alta tecnologia e ficam com o filé (segmentos mais lucrativos). Empresas menores entram com baixa tecnologia e serviços elementares e ficam… Read more »

O silêncio que não quer calar

Pra mim que acompanho de perto este mundo, faz muito sentido! A Helibras há 30 anos passou pelo mesmo, processo. Existia uma parte do Governo (militares, diga-se de passagem) que sustentavam o sonho de termos uma fabricantes de helicópteros militares no Brasil. Fizeram todo o lobby do mundo e conseguiram criar a Helibrás para fornecer 150 Esquilos para a FAB em 20 anos. Mas a aeronave não conseguiu ser produzida totalmente por aqui, ou seja, não conseguiu-se que a INDÚSTRIA se desenvolvesse. Em 5 anos não foram entregues sequer 40 aeronaves. O contrato acabou sendo extinto e a Helibras manteve-se… Read more »

Brandalise

Jah que o assunto descambou mesmo para esse lado… “O que é a Helibrás? (…) é subsidiária brasileira da empresa francesa Eurocopter, (…), e faz parte do grupo EADS. (…) na prática, é responsável pela MONTAGEM, VENDA, APOIO PÓS-VENDA e MANUTENÇÃO dos helicópteros no país, pois é da Eurocopter que vem toda a tecnologia aplicada na fabricação dos helicópteros.” Ou seja, pessoal que trabalha com criacao, somente no depto de marketing, neh? Ou nem isso? Me impressiono que nem para instalar armamento a empresa se presta. Afinal, pelo que sei, nao existe versao armada do Esquilo. O que existe eh… Read more »

Reportagens especiais

Poder Aéreo nos Estados Unidos: CAF AIRSHO – parte 2

Como dissemos na primeira parte desta reportagem, no nosso primeiro show aéreo nos EUA não pegamos um tempo muito...
- Advertisement -
- Advertisement -