quarta-feira, janeiro 26, 2022

Gripen para o Brasil

Boeing pode licenciar o Super Hornet para o Japão

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Super Hornet

vinheta-clippingA Boeing afirmou hoje que pode licenciar o Super Hornet para fabricantes no Japão, caso o governo japonês decida comprar seu avião para substituir seus F-4 Phantom II, cujo projeto é da década de 1960 e que estão cada vez mais difíceis de manter.

A Mitsubishi Heavy Industries vai encerrar a produção do seu caça F-2 em 2011, levantando questões sobre o futuro da indústria de caças a jato do Japão.

O país estaria de olho em cinco outros candidatos: Boeing F-15 Eagle, Lockheed Martin F-35 Joint Strike Fighter, Dassault Rafale e Eurofighter Typhoon.

A escolha preferida seria o Lockheed F-22 Raptor, considerado o caça mais avançado atualmente, mas os EUA não aceitam vender a aeronave para proteger sua tecnologia “stealth”.

Joe Song, vice-presidente da Boeing para a Ásia e o Pacífico, disse numa entrevista que a empresa está preparada para colaborar com a Mitsubishi Heavy Industries  e outros fabricantes menores para fabricarem o F/A-18 Super Hornet localmente.

A Boeing espera receber o RfP ainda no primeiro semestre de 2010 e poderá entregar 10 jatos Super Hornet ao Japão em 2015, se o governo decidir comprar o avião ainda este ano.

Uma fonte do Ministério da Defesa disse que o Japão planeja uma decisão este ano, pois o país está sob pressão para substituir os  F-4 Phantom e a decisão já foi adiada por três anos.

FONTE: Reuters

SAIBA MAIS:

- Advertisement -

43 Comments

Subscribe
Notify of
guest
43 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
LBacelar

Legal, o Japão tem a licensa total, enquanto nós fabricaremos as asas…

Depois tem gente que reclama quando o Nersão não leva os americanos a sério

vplemes

E tem gente que ainda fala que o SH tem um futuro incerto. A Boing já esta pensando em uma nova versão dele o “Global Hornet”. Quantos outros caças atuais, do mesmo nivel, já tem este tipo de planejamento?

João

Enquanto isso no Brasil…

A novela F-X2 – A Saga continua!

ezeca

se não for um caça tampão!
não acho que seja uma boa opção
para o japão ,pois eles tem capacidade
de produzir um caça equivalente se não
melhor ,além de outras poténcias irem de
f-35 ou typhoon .

OTV

Ele tão querendo fazer do SH um F5 conteporaneo.

Zoio

E depois falam que só o Brasil que opera avião antigo.

Alexandre G.R.S.

Prezados, A tamanha insistência do governo japonês em adquirir o sistema de armas F-22, explica-se pelo fato da China estar desenvolvendo seu caça de 5° geração. Obviamente que o Japão não deseja perder a deterrência na região e, paripasso, um avançado sistema de armas como esse, coloca o arquipélago nipônico em forte ameaça. Porém, para a substituição dos vetustos F-4, eu vejo como boa essa opção. Até porque, creio ser umas das únicas que fazem frente aos Su-27/30 e J-11 sem se desviar da aliança estratégica histórica com os EUA. A pressão, parece estar voltada para a substituição emergêncial dos… Read more »

emerson

Caros, A nota da Boeing pode ser uma contra-informação para influenciar o FX2. Fica engraçado dizer que os japoneses estão considerando o Rafale mas que a Boeing planeja fornecer a licença aos japoneses. Perceba a sutileza de dizer que se o gov.japonês decidir pelo SH-F18 ainda esse ano, então será possível entregar 10 jatos em 2015. Para mim, isso é balão de ensaio focando o FX2. Mas vamos lá. Pode ser então que a Boeing poderia entregar praticamente um esquadrão de F18 para a FAB até 2015, mas considerando que o F2000 estará em operação até 2013, como ficaria Anápolis… Read more »

PilotoVirtual

EU ME PERGUNTO SE AQUI NO BRASIL, A FAB RECEBEU O MESMO TIPO DE PROPOSTA… ESSA EU DEIXO PARA O Hornet RESPONDER…
Abraços, galera…

Leamartine Pinheiro de Souza

Em tempo de crise, sucata virou reciclável !!!

PilotoVirtual

FX-2… AME-O OU DEIXE-O…

Edgar

O Japão, tendo em vista sua economia e influência e o bloqueio do F-22, deveria optar pelo F-35, uma vez que, como já dito pelos colegas do blog, a própria LM disse que este será mais avançado e eficiente que o F-22, que ainda possui itens que remetem à guerra fria. Enquanto nós, fugindo do escopo do tópico, que temos o foco na área social, por sermos um país que não destina nem o necessário de verbas para suas forças, etc., devemos escolher a opção mais rentável, que mais movimentará a economia, e que, a longo prazo, nos ajudará a… Read more »

MOsilva

Reportagem muito interessante. E leva a muitos questionamentos. A primeira informação que chamou a minha atenção foi o encerramento da produção do F-2 em 2011. Será que uma economia forte, como a do Japão, não tem condições de financiar todas as etapas (desde o projeto) da produção de um novo caça? Ou o aparelho se mostrou aquém das necessidades do país? Por que, de qual quer forma, parar o desenvolvimento da aeronave? Outro ponto: uma possível concorrência internacional para compra de novos caças. Não soa estranho parar o desenvolvimento de um caça doméstico para comprar um outro equivalente (exceção feita… Read more »

Alexandre G.R.S.

Prezado MOsilva, O encerramento da linha de produção do F-2 se deu pelos elevados custos que o projeto tomou. Todo o sistema de FBW teve que ser estartado do zero pois essa tecnologia não foi repassada às equipes Nipônicas. Com isso, o custo final de cada aparelho mais que dobrou o que inviabilizou a compra de mais vetores. Quanto a compra do F-15 SE, não se enquadraria na substituição do F-4 em questão. Obviamente que há a clara impressão de que o Japão não optou e nem optará por operar somente um tipo de vetor mas sim um Pool. E,… Read more »

MOsilva

Olá Alexandre G.R.S. Sim, é sabido que o preço dos F-2 acabaram por ser muito mais elevados que o originalmente planejado, devido as condições por você expostas na sua mensagem (desenvolvimento de novas tecnologias a partir do zero, produção em escala reduzida). Como o Japão não pode vender material bélico, as vendas internacionais, que poderiam reduzir os custos, estão descartadas, o que faz o vetor ter somente o seu mercado local. No entanto, o desenvolvimento (e propriedade) de novas tecnologias bélicas trás independência e a possibilidade de uso irrestrito do equipamento. O crescimento bélico da China poderia justificar tal investimento.… Read more »

Skyrider

Não podemos comparar a abertura dada ao Japão com a proposta dos americanos para o nosso FX-2. O Japão possui, desde o fim da II Guerra, uma tradição de aliança com o USA, é uma força de autodefesa, não representando uma ameaça aos americanos, possui uma economia industrial sólida e tendo já grande experiência na fabricação de aeronaves de combate de alto desempenho. Bem diferente de nós, que fletarmos com Chavez, Irã, etc.

Skyrider

Corrigindo:

“…diferente de nós, que flertamos…”

Desculpem-me

Almeida

Eu acho que a necessidade do Japao é a mesma que a australiana e brasileira: PRAZO. Por isso a oferta da Boeing. O F-4 ja estao pra la de usados e eles precisam de algum vetor intermediario para ontem. So a Boeing com o Super Hornet pode prover isso. O F-15SE ainda esta em desenvolvimento, assim como o F-35, que ainda por cima tem uma fila enorme. Claro que Rafale e Typhoon poderiam entrar nessa disputa, e de fato estão, mas a preferencia dos japoneses sempre foi por licenciar material norte americano. Acho que o Japao ficaria muito bem de… Read more »

Alexandre G.R.S.

Prezado MOsilva,

Excelente análise. Concisa e objetiva.
Porém, faço alguns apontamentos para enriquecer a discussão.
Obviamente que a substituição dos F-4 pelo F-15 SE seria natural. Porém o Japão já opera o F-15C e pelo o que tenho lido a intenção é de substituir o F-15C por outra aeronave. Logo em se substituindo o F-4 pelo F-15 SE você teria uma aeronave mais capaz que os atuais F-15´s. Não sei se os requisitos operacionais são compatíveis com um vetor dessa classe. Mas é uma opção sem dúvida.

Sds.

OTV

O F18SH ainda vai estar nos céus por muito tempo. Quando os F35 entrarem em serviço, e caso os caças russos de 5G realmente se tornem operacionais, o F18SH ,muito mais que o Rafele e Gripen, se tornarão uma opção econômica de vetores (estou aprendendo) para forças aéreas de países pobres ou em desenvolvimento.
A Boing sabe que ainda vai lucrar muito com SH.
Por isto eu disse, vão fazer do SH o “novo” F5.

Nick

Melhor solução para Japão à curto prazo é fabricar sob licença F-15SE, e posteriormente o F-35. Para o Japão não é interessante desenvolver internamente, apesar de eles terem capacidade tecnológica para tal. Isso foi demonstrado no desenvolvimento de um mock-up de caça stealth, o ATDX.

Com relação ao F-18SH ele se tornaria uma opção interessante(para nós inclusive) a partir de uma versão stealth, com mudanças profundas na célula…seria o Stealth de exportação dos EUA para competir com o SU-50 a preços competitivos…

[]’s

Bruno Rocha

emerson em 16 mar, 2010 às 11:45 Com todo respeito colega, mas por que você acha que o governo dos ESADOS UNITOS ia querer foca uma venda de 36 caças para o Brasil podendo muito bem vender 100 para o Japão???? Lembrando que no caso do Brasil, é uma venda com “suporte” a geopolitica. No caso do Japão, é proteger o Japão (que é dos EUA) contra a China, elmbrando que os Japão e Taiwan são o “braço” dos EUA na Ásia contra a China. Nós ja temos a nossas 7 bases, e em breve teremos mais uma duzia. Quando… Read more »

Francisco AMX

“O país estaria de olho em cinco outros candidatos: Boeing F-15 Eagle, Lockheed Martin F-35 Joint Strike Fighter, Dassault Rafale e Eurofighter Typhoon.”

Pois é… cadê o NG nesta disputa?? Japonês não é bobo!
Sabe separar alhos de bugalhos, o único monomotor é o F-35, que é de geração 5,5….

Agora pq a Boeing não licenciou o SH aqui, com a EMBRAER?? só asas??? rsrsrs – depois a FRança, que oferece seu melhor, é que não vale nada…!

Sds!

Rodrigo

O SH é a única opção disponível atualmente e 100% operacional, com preço acessível e projeto mais recente. Rafale e Typhoon são caros, complicados e ainda não estão 100% desenvolvidos. O F16 Block 60 foi um produto feito para a necessidade de um cliente em especial, não faz parte do portifólio padrão da LM. Sobraram os russos e o SH. Dinamarca, até o final do ano também deve aderir ao SH e abandonar o F35, pelos custos crescentes. Na Índia o SH é fortíssimo candidato, dada a aproximação com os EUA. Enquanto isto a moça francesa segue encalhada e com… Read more »

JOSE

Isso mostra que a tal transferencia sem precedente pelos E.U.A,JÁ NÃO É TÃO SEM PRECEDENTE assim,é mais uma transferencia a meia boca,depois dessa é rafale na cabeça!

Galileu

Lbacelar, e o que a Embraer sabe fazer a não ser asas….

Sem contar que os Japão é bem mais parceiro do tio san

motta_eiras

Que diferença no trato entre Brasil e Japão. Para nós transferêcia de tecnologia “necessária”, para eles naturalmente. Para o japão licenciamento. EUA ,”c’est ne pas un pais serious”.

Walderson

Pessoal,

estou achando estranho os EUA estarem oferecendo alguma coisa neste sentido para o Japão, pois a Mitsubishi foi pega vendendo tecnologia para o Irã. Não me lembro a revista em que eu li isso. Talvez seja por isso que eles não querem vender o F-22 para o Japão.

LBacelar

Galileu em 16 mar, 2010 às 14:16

pior que vc tem razão rsrsrs

Rodrigo

Amigos, os japoneses montam sob-licença é diferente do que se pretende aqui.

Eles não estão pagando por tecnologia, só pela linha de montagem e bem aos poucos vão incorporando seus próprios desenvolvimentos aos aviões.

Luiz Eduardo

OTV em 16 mar, 2010 às 13:19

Concordo com vc! O SH me passa essa ideia de “flanker” americano: Simples, robusto e poderoso! Tenho certeza que assim como fizemos com o F-5, resolveriamos todos os “problemas” dele e tornariamos melhor ainda que o original americano! Ex: tirar os reforços estruturais (navais), asas fixas (não dobráveis), e quem sabe até “alterar” o motor do padrão GE para o padrão Volvo do Gripen NG + Datalinks suecos, avionicos Israelenses, etc. Ficaria muito superior ao “original de fabrica”.

Ultima observação: Que belissima foto!

Sds.

Wagner

eles deviam voltar ao Zero…

Luiz Eduardo

Claro que isso na improvável vitoria do SH no F-X2 – ou na opção que mais me agradaria: opção Hi-Low F-18SH + Gripen NG (ainda mais com esse governo) – vai ficar só nos meus sonhos mesmo.. hehe 😛

Acho que se o F-X fosse simples compra de prateleira, este seria o escolhido da FAB pra seus 120 “Faz-Tudo” – sonhando lá na frente com os F-35 😉

Sds.

Wagner

até o Irã ta produzindo sozinho, no meio de um bloqueio, seus proprios aviões e a gente está aqui pedindo esmola por gringo…
logo
Compremos o Shafaq !! ah ah ah !

Fabio

Os americanos não são bobos. Eles dominam a tecnologia Stealth a decadas. Avião “convencional” para eles virou produto de exportação. Pra que se preocupar com SH F18 se eles tem F22 ?? Podem exportar a vontade os F15, F16, F18 … Isso para eles já é tecnologia a muito tempo dominada e superada. Quanto ao Japão de preocupar com a china… olha sinceramente não acredito.. Os japas sabem que tem pela frente um gigante nuclear… Seria o mesmo que o Brasil querer se armar contra os EUA… besteira… Agora… Tecnologia STEALTH quem quiser que debruçe na prancheta e desenvolva o… Read more »

Felipe Cps

MOsilva em 16 mar, 2010 às 12:14 “O F-15 SE não seria mais interessante, já que o Japão é parceiro (tecnológico, comercial e bélico) dos EUA? Não seria o F-15 SE um vetor mais capaz que os outros concorrentes (exceção, mais uma vez, F-35), podendo a Boeing dar um “cheque mate” na possível concorrência internacional?” MOsilva, muito pertinente seu questionamento. Tenho a impressão que o projeto de um F-15 Silent Eagle foi pro vinagre. Nunca mais se ouviu falar nada dele, a não ser que foi abandonado o conceito de estabilizadores na diagonal, por alguma impossibilidade técnica, retornando-se aos estabilizadores… Read more »

egreg

É só ir no ferro velho pegar umas carcaças de F-5 e dar uma modernizada.

egreg

À medida que o Brasil for fazendo por onde os EUA vão tratar melhor.
Tem um povo aqui que é muito abusado com este país.
Simples.

MOsilva

Caros Felipe, Alexandre e demais leitores do fórum. Nas minhas mensagens, quando escrevi F-15SE, me referi ao Strike Eagle e não ao Silent Eagle, que ainda está na fase de desenvolvimento. Meu erro, deveria ter escrito F-15E para evitar confusões. Minha análise foi feita sobre este vetor (F-15E Strike Eagle). Pensei nele por ser uma evolução multi uso do F-15C/D, já em operação no Japão (a operação logística foi pensada também).O F-15 Silent Eagle ainda vai demorar um tempo até estar plenamente operacional (se é que algum dia estará, como bem apontou o Felipe), o que dificulta a chance de… Read more »

Dalton

“salvo engano há inclusive F-22 e B-2 em Okinawa ou Guam).”

Felipe,

não há F-22 nem B-2 em Okinawa e Guam. Ocasionalmente estas aeronaves são enviadas para estas bases avançadas para treinamento,
sendo que a totalidade de B-2s encontra-se na Base Whiteman.

Quanto aos F-22, já operam fora dos EUA, porém apenas nos Estados do Alasca e Havai.

abs

massa

Eles estão desenvolvendo seu próprio caça stealth de 5a geração chamado ATD-X Shinshin (http://en.wikipedia.or/wiki/Mitsubishi_ATD-X).
O problema deles é que o avião não ficará pronto antes da vida útil dos F4s, assim sendo, eles precisam urgentemente de um caça tampão para substituirem essas velhas aeronaves enquanto desenvolvem este novo caça…
Os F35 iriam demorar muito pra chegarem ao Japão, pois a prioridade de entrega é das forças armadas dos EUA…
O objetivo do governo japonês é substituirem seus F15 pelo ATD-Xs, enquanto os F4 seriam substituidos por um outro modelo intermediário…

Wagner

Concordo que o Japão não vai comprar equipamento europeu depois de 50 anos escravizado pelos USA. Com certeza vão comprar SH. Para ele é a melhor opção, considerando-se que já tem F 15. O problema é que em TEORIA os Sukhois esmagam os F18, logo, o governo japonês terá de optar justamente como alguem aí disse, entre o “F35 A Pirâmide Voadora” ou seu próprio projeto. Mas eu tambem acho que um lote de Silent Eagle seria uma excelente opção. Considerando-se que eles tão sem $$$$$$$$$$$ para desenvolver um caça stealth, vão realmente entrar no F35. E arrastarão os Phantom… Read more »

Felipe Cps

Wagner em 17 mar, 2010 às 14:29 “Concordo que o Japão não vai comprar equipamento europeu depois de 50 anos escravizado pelos USA” Escravizado? O Japão? Um dos 5 maiores IDHs do mundo e a maior expectativa de vida da humanidade? Quem dera os EUA nos escravizassem assim… Adoraria que pudésemos ser “escravos de americano” desse jeito… Brincadeira hein parceiro? “O problema é que em TEORIA os Sukhois esmagam os F18” Amigo Wágner, de onde tiraste tal afirmação? Pode prová-la ou é só uma conjectura sua? Referiu-se ao F-18 Hornet ou acaso cometeste a insensatez de sugerir que Sukhoi “esmaga”… Read more »

Últimas Notícias

Embraer conclui com sucesso reintegração do negócio de Aviação Comercial

São José dos Campos, 26 de janeiro de 2022 - A Embraer concluiu com sucesso a reintegração dos principais...
- Advertisement -
- Advertisement -