segunda-feira, maio 17, 2021

Gripen para o Brasil

Austrália pensa em operar o Super Hornet por mais tempo

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Super Hornet cutaway

A Real Força Aérea Australiana pode esticar a vida útil dos seus F/A-18F Super Hornets até 2030. Os primeiros aviões de 24 encomendados começam a entrar em serviço em março e deverão cobrir a lacuna da saída dos F-111, ate a chegada dos F-35 Joint Strike Fighter, esperada para 2014.

Os australianos consideram que se o Super Hornet estará em serviço na US Navy até 2030, eles também poderão fazer o mesmo.

A Austrália deve receber 4 F/A-18F no primeiro quadrimestre e 12 aeronaves até o final do ano, atingindo a IOC (initial operating capability).

As outras 12 aeronaves poderão receber o cabeamento para a conversão a E/A-18G de ataque eletrônico, o que ainda está sendo decidido.

- Advertisement -

34 Comments

Subscribe
Notify of
guest
34 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
ZE

O mais correto seria dizer que o Super Hornet estará em serviço na US Navy até, PELO MENOS, 2030.

Desta feita, os autralianos, poderão fazer o mesmo.

Devido às conjecturas econômicas, não só as Forças Armadas do Grande Satã do Norte, mas também TODAS AS OUTRAS NO MUNDO (COM A EXCEÇÃO DOS NOSSOS AMIGOS CHINESES), estão revendo seus respectivos cronogramas e cortando custos.

Está sendo assim, por exemplo, com o upgrade do motor F-414.

[]s

Ivan

ZE, Houve muita polêmica aqui acerca de uma aposentadoria do F-18 E/F SuperHornet antecipada pela entrada em serviço do F-35 Lightning III. Fui voto vencido, por assim dizer, ao argumentar que o SuperVespa iria emplacar 2030 na US Navy e na RAAF, sendo que os Lightning III deverão substituir basicamente os F-18 A/B/C/D Hornet, ocupando algumas missões com Interdição e SEAD/DEAD que os Super tiveram que assumir dos A-6 Intruder. Por pouco não apanhei, mas sou teimoso. Estava disposto a esperar 10 (dez) anos para provar que acertaria a minha previsão… talvez não precise. Os SuperHornet, como TODAS as aeronaves… Read more »

carl94fn

Obvio que SH é uma ótima aeronave e ninguém vai joga ela fora, suas missões até podem mudar, mas ele continuará voando por muito tempo assim como o F-16C/D e o F-15E/F.

MA

Não concordo Ivan… Existem exemplos que a necessidade de um bom número de aeronaves com capacidade para determinada tarefa era mais importante do que ter um número reduzido de aeronaves mais modernas fazendo o mesmo.

A-1, o cansado J-7, J-8, o veterano F-4 e outros… A versão modernizada padrão SH E/F é relativamente moderna, acho que dura PELOMENOS 10 anos, e acredito que só irão sendo postos fora de operação bem aos poucos…

Miguel

Apesar de considerar o Super Hornet um excelente caça,não vejo com bons olhos a possibilidade da FAB operar por 30 ou 40 anos um vetor que é uma evoluçao de um projeto de 30 anos atrás.

Baschera

Ainda não me convencí das maravilhas das aeronaves de 5G e seus preços estratosféricos.
Porém acredito que a diferença se fará por outras coisas, como os sensores e armamentos modernos. Uma plataforma 4G munida de sensores, armas e demais complementos em estado da arte e pilotos realmente bem treinados, perde pouco para um 5G.
Combates de simulação virtual não valem.
Investe-se agora em radares e sistemas de alerta capazes de complicar as tecnologias stealth. Acho que é por aí……

Sds.

Galileu

concordo com o pessoal……a economia mundial não está lá aquelas coisas…e o pessoal deve manter seus SH, já aqui a economia está consolidada falta pouco para o espetáculo do crescimento..kkk, e ainda usamos o chevette 69 ou F5 como queiram.

Eu queria saber como que a grécia falida que só a tempos, tem f16 block 50, e nois nesse espetáculo do crescimento ainda de chevette

tem coisas que só Mister “M” pode explicar

Lecen

Eu sou a única pessoa no blog que defende a escolha do Super Hornet pela Força Aérea brasileira?

ricjam

O Gripen NG não incluiu armas em sua proposta… A FAB pretendia operá-lo com mísseis A-Darter, Derby (uma droga limitada de míssil de embargo) e AIM-9M. Ou seja. O avião é mais caro, mas trata-se de algo concreto, que transfere tecnologia (não no mesmo nível que a Rússia transferiria) e tem armas, que inclusive poderão ser fabricadas parcialmente no Brasil. Em termos estruturais, o pacote sueco é muito abrangente.

X-nobe

É uma pena que a disputa do FX-2 esta entre o caríssimo Rafale e o nanico Gripen. Com a saída do SU-35 O f-18 é na minha opinião o mais adequado para atender as necessidades territoriais da nação brasileira (interesses sobre a soberania e não da industria ). Bem o importante é que não de Gripen nanico.

X-nobe

Lecen

Você não é o único a defender o F-18, embora eu faça mais torcida anti-gripen do que pro-super hornete hehehehe…

Abraço.

Bosco

Lecen,
eu também defendo o SH, mesmo porque ele é o único que já destruiu até os discos voadores gigantes tripulados por aqueles insectóides androgênicos mutantes homicidas que queriam nos invadir no dia da independência dos States. Lembra?
Não me lembro de ter visto nem Gripens e nem Rafales no combate que salvou todos nós. rsrsrs
Um abraço.

Ronaldo

Bosco em 19 fev, 2010 às 19:45

Esqueceu de dizer que o presidente dos states era o lider da frota que salvou o mundo, devemos estar gratos a eles rsrsrs

carl94fn

Bosco

Bem lembrado Bosco, mas até hoje eu me pergunto e o bom F-16 e o F-15 que droga só o SH nada contra ele, mas e os outros 🙁

Falando serio o SH (hot dog podre) vai dura muito tempo, só espero que não aqui ^^, é um ótimo avião, mas prefiro o Rafale (queijo fedido).

rsrsrs desculpem a brincadeira ^^

JC

Lecen, tb sou favoravel ao SH.

Esdras

É o tipo de noticia sem noção…os caras terminaram de receber o avião e já estão falando em 2030!!! fala sério.. acho que eles estão tendo aulas com o pessoal da FAB.

Ivan

MA em 19 fev, 2010 às 17:47

MA,

Acredito que há um mau entendido.

Eu defendo as qualidades do SuperHornet e que eles vão continuar operacionais na US Navy e RAAF até 2030, sendo que após esta época serão substituídos por outras aeronaves que ainda não estam voando.

O F-35 Lightning irá substituir os F-18 A/B/C/D Hornet e AV-8 Harrier na US Navy e no US Marine. Quando terminar esta substituição, algo em torno de 600 e 300 aeronaves respectivamente, já haverá outra aeronave para substituir o SuperVespão.

Sou gripeiro, mas reconheço as grandes qualidades do SuperHornet.

Abç,
Ivan.

Esdras

Gente falar em 2030 agora é insanidade, porque tem tanta coisa para mudar na tecnologia, que isso é inválido. Previsão correta, se faz com no maximo 10 anos.

Robson Br

ricjam em 19 fev, 2010 às 19:22

Se a proposta da SAAB não inclui armamentos, o preço do gripen está extremamente caro. Para usar o armamento que está no arsenal da FAB nem precisa um caça desses. Põe AMX-2 nisso.

Realmente a proposta desse tal de gripen a cada dia se torna muito desvantajosa para o Brasil. Ainda bem que temos dois concorrentes prontos com propostas mais concretas para o Brasil.

Luiz Eduardo

Baschera em 19 fev, 2010 às 18:32

Tenho a mesma visão q a sua. O F-22 na mira do EA-18 Growler prova q caças de 4,5G com eletronica avançada e doutrina podem fazer a diferença contra os de 5G. A vida dos caças de 4ºG ainda vai muito longe mundo afora…

Lecen, tbm torço peça proposta da Boeing – na verdade gostaria da opção Hi/Low com F-18 + Gripen por respeitar/concordar com o relatorio da Copac de ambas serem as melhores propostas de TT.

Sds.

OTV

2030,2020,2019,2397, o negócio primeiro é o FX2, daqui a pouco empurrarão o FX2 para 2031.
Melhor chamar o cara do aeromodelismo, o tal alemão.

ZE

Ivan em 19 fev, 2010 às 17:35

Amigo Ivan, você é um dos foristas que eu tenho mais consideração aqui no Poder Aéreo, devido à qualidade dos seus posts.

Quase sempre eu concordo com eles. Desta vez, não se fugiu à regra.

[]s

ZE

ricjam em 19 fev, 2010 às 19:22

O consórcio do Gripen NG incluiu armas em seu pacote. A FAB requisitou os respectivos armamentos aos 3 concorrentes.

[]s

ZE

À época, chegou-se a comentar que a FAB iria abrir uma nova licitação (ou como vocês queiram chamar esse quiprocó) só para o pacote de armas.

[]s

ZE

Por estas e outras, vê-se que essa “licitação” foi tudo, menos transparente.

Ninguém sabe realmente os termos dessa COISA. Pelo Princípio da Equidade, a FAB teve que solicitar os respectivos pacotes de armas. Daí, tenha se falado de uma nova licita…sei lá, para o armamento.

[]s

Bosco

O radar APG-77 do F-22 deve ter sido detectado e interferido pelo EA-18G o que provocou um fechamento da distância de combate para o alcance visual de modo a que o EA-18G pudesse ter condições de colocar o caça furtivo na mira. Algumas considerações podem ser feitas sobre esse acontecimento. Primeiro, o F-22 só entrou no campo visual por que quis. Com supercruzeiro poderia ter evitado o combate de curto alcance sabendo que seu radar estava sendo interferido. Segundo, o “abate” fica apenas no campo do “faz de conta”, já que o EA-18G não possui um canhão e nem mísseis… Read more »

Bosco

Só agora depois de redigir meu comentário das 8:22 é que fui rever os acontecimentos. Na verdade foram “dois” F-22 abatidos por Super Hornets. Um pela versão E e outro pela versão EA-18G. O que está no HUD não foi o que foi “abatido” pelo EA-18G e sim por um F-18E Super Hornet. Acho difícil mas não impossível. Claro que pode ser um dia de azar do piloto do F-22 em que nada deu certo e que teria sido melhor nem sair da cama já que contra todas as possibilidades ele foi abatido por um caça nitidamente inferior, não fazendo… Read more »

HMS TIRELESS

E uma pena que o Super Hornet não será escolhido pois ele é um vetor extremamente flexível que impõe um potencial dissuatório espetacular. O Su-30/35 possuem maior alcance mas a o Vespão possui maior capacidade de armas e o leque de armas também é muito maior.

Luiz Eduardo

Caro Bosco. Obg por mais essa “aula” 😉

Bah, mas tem q concordar comigo, é BOM esse F-18, heinho?!
Naves de ataque e Naves-mãe alienigenas, F-22 Raptor…

O que o Lula ta esperando pra fechar com a Boeing??? Hehehe 😛
(só pra descontrair)

Sds.

Baschera

Lecen em 19 fev, 2010 às 19:05 Não…. não é…. é que somos, digamos mais discretos. Já o nosso amigo aqui à baixo: Isto É (também conhecida como Quanto é) Nada a declarar O ministro da Defesa, Nelson Jobim (PMDB), não vai tratar da compra dos caças na audiência que ocorrerá esta semana na Comissão de Defesa Nacional do Senado. Responderá a perguntas sobre o Programa Nacional… O ministro da Defesa, Nelson Jobim (PMDB), não vai tratar da compra dos caças na audiência que ocorrerá esta semana na Comissão de Defesa Nacional do Senado. Responderá a perguntas sobre o Programa… Read more »

Nick

Seria interessante uma rasante de uns 4 F18E com boom supersonico bem na hora que o Jobin estivesse fazendo sua defesa do Rafale na Comissão de Defesa Nacional do Senado. 😀

[]’s

Bosco

Luiz,
eu concordo plenamente. O F-18E/F é um ótimo caça e o meu preferido para defender o Brasil, embora tenha consciência que todos os 3 são igualmente competentes.

Ronaldo e Carl,
eu acho que quem defendeu a Terra dos alienígenas pilotado pelo heróico presidente americano foi o Hornet e não o Super.
Mas como dizem que ele é uma cópia continua valendo. rsrs

Um abraço a todos.

Joao

Sou entusiasta do SH por motivos geopolíticos, comerciais, industriais e estratégicos. E no F-X2, em segundo lugar viria o Rafale, Ne minha opinião, devemos entrar no desenvolvimento do Gripen fora do F-X2. Sds.

Felipe Cps

A proposta da Boeing para o FX2 é fantástica: boa, séria, honesta e realista. Mas ainda acho que perde em custo-benefício para a da SAAB. De qualquer maneira, desde que não venha a JACA-QUE-NINGUÉM-QUER, o STINKY-CHEESE, o vulgo PROPINOPLANE da Dassault, estarei feliz o bastante… Mas sei que minhas espoeranças são vãs… A propina e o lobby francês falarão mais alto, como sempre foi nesse governo… Bom mesmo seria cancelar esse FX2 e ir bater na porta da LM e do Obama para comprar, com a grana, pelo menos o dobro, 72 F-35A, sem a fantasiosa e odienta “ToT irrestrita”…… Read more »

Reportagens especiais

Além do Gripen: Saab apresenta fábrica de aeroestruturas do caça, no Brasil, de olho no mercado mundial

Grupo sueco, que venceu o programa F-X2 de 36 caças para a FAB, apresentou em São Bernardo do Campo...
- Advertisement -
- Advertisement -