Home Armée de l´air Boeing recebe contrato para modernizar frota francesa de AWACS

Boeing recebe contrato para modernizar frota francesa de AWACS

214
17

AWACS francês - foto Boeing

As quatro aeronaves da frota deverão começar a modernização em 2012, com término planejado para 2015

A Boeing informou na última quarta-feira, 3 de fevereiro, que recebeu um contrato no valor de 364 milhões de dólares, via FMS (Foreign Military Sales) do Electronics Systems Center da Base Aérea de Hanscom (Massachusetts, EUA)  para modernizar a frota de quatro aeronaves E-3F AWACS  da Força Aérea Francesa (Armée de l´air), assim como sistemas de solo. Trata-se, segundo a empresa, do maior upgrade já realizado na frota francesa de aeronaves de controle e alerta aéreo antecipado, que proporcionará melhorias na consciência situacional, com redução da carga de trabalho dos operadores graças a novos computadores de missão, permitindo que mais tempo seja ocupado no controle da arena de combate aérea.

Considerada uma modernização de meia vida na frota francesa, e baseada no padrão AWACS Block 40/45 das aeronaves da Força Aérea dos Estados Unidos (USAF), a modernização deverá aumentar dramaticamente o potencial dos quatro aviões para operações centradas em rede, assim como diminuir os custos do ciclo de vida e aumentar a capacidade de execução das missões, confiabilidade e efetividade.

Segundo a Boeing, a modernização inclui:

  • Display primário AWACS, que amplia a consciência situacional por meio de uma interface intuitiva e uma base de dados de mapas detalhados.
  • Upgrades no interrogador amigo / inimigo (Identification Friend or Foe), incluindo capacidades Modo 5 e Modo S
  • Quatro novos consoles de missão das aeronaves, aumentando de 10 para 14 a quantidade embarcada em cada uma.
  • Um moderno processamento computadorizado de missão, permitindo melhoria na missão AWACS pelo uso de ferramentas avançadas de gerenciamento do combate como a Automatic Air Tasking Orders, Airspace Coordination Order updates, e decisões automatizadas.
  • Melhoria nas capacidades de identificação de combate por meio de sensores integrados e datalinks.
  • Multi-Source Integration process – integração automática de dados provenientes de sensores como radar, Electronic Support Measures e Link 16, melhorando a capacidade de acompanhamento dos alvos.
  • Controle e gerenciamento digital do rádio, por meio de novos subsistemas computadorizados de missão.
  • Arquitetura aberta de sistema para permitir rápidas atualizações do software, com menos hardware.

Está programado que a Air France Industries iniciará a instalação dos sistemas em suas instalações do aeroporto de Le Bourget (próximo a Paris), em 2012, para que toda a frota complete a modernização no terceiro trimestre de 2015.

FONTE / FOTO: Boeing

NOTA DO BLOG: veja nos links abaixo, de outras matérias publicadas no Blog, mais informações sobre a modernização de aeronaves de combate Mirage 2000 com o link 16 e sobre equipamentos IFF interoperáveis com os modos 5 e S, da OTAN – características apresentadas na relação de modernizações dos AWACS franceses

SAIBA MAIS:

Subscribe
Notify of
guest
17 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Robson Br
Robson Br
10 anos atrás

Não tem nada de mais nisso. Os franceses são parceiros dos americanos, inclusive foi a França que ajudou a criar a arma aérea do exercito americano na primeira guerra mundial.

A diferença está na independência deles. Basta ver o que sera colocado no recheio dessas aeronaves.

Rodrigo
Rodrigo
10 anos atrás

Também acho que não tem nada demais, eles são membros da OTAN.

A única mentira que cai por terra quando acontece este tipo de coisa é que os franceses são 100% independentes.

carl94fn
carl94fn
10 anos atrás

bem na verdade devemos lembrar que os americanos também compram tecnologia militar francesa entre outros, não tem como em um mundo globalizado se 100% independente… vc sempre ira atrás do melhor pra se somar ao melhor. (se vc tiver dinheiro)

Tadeu
Tadeu
10 anos atrás

“Arquitetura aberta de sistema para permitir rápidas atualizações do software, com menos hardware.”

Se isto significa que os softwares são open source (de código aberto), permitindo inclusive aos técnicos militares franceses customizações e soluções próprias, será uma vantagem significativa.

Luis F Curvo
Luis F Curvo
10 anos atrás

O problema da venda dos caças franceses ao Brasil é como aquele Sr. Merialdo da Dassault disse num post daqui mesmo, “Além disso, um investimento vai permitir a geração, no Brasil, de uma capacidade de manutenção de motores de aviões supersônicos, que ampliará a atual capacidade nacional de manutenção de motores a jato.” Num momento ele fala em transferÊncia irrestrita de tecnologia, em outro afirma que apenas será a transferência para manutenção, são muito ambiguos estes franceses, isto tudo que prometem está no papel ? Registrado em cartório ???? Ou a história se repetirá ? Os franceses estão se demonstrando… Read more »

Rodrigo
Rodrigo
10 anos atrás

Arquitetura aberta neste caso são interfaces de desenvolvimento.

Não é um fonte OpenSource da vida que você pode ter ele integralmente.

Este era o objetivo inicial da FAB antes do GF meter o bedelho e inventar acordos com os franceses.

Luis F Curvo
Luis F Curvo
10 anos atrás

Da forma como está posto, esta capacidade já temos (F5, Boeing, etc..)

Luiz Eduardo
Luiz Eduardo
10 anos atrás

Tadeu em 05 fev, 2010 às 12:15

(ironic mode=on) O que??? “Yankees imperialistas” oferencendo softwares open source??? Deve ser mentira, só os bonzinhos franceses permitem isso aos seus aliados!!! :-S

vplemes
vplemes
10 anos atrás

Engraçado, os franceses não parecem ter medo de embargo americano. Compram AWACS americanos, as catapultas do CDG são americanas, os chips do rafaleco são americanos. Só mesmo o Jobim pra vir com uma conversa mole destas, e pior ainda, tem quem engula.

th98
th98
10 anos atrás

quem mais no mundo fabrica processadores e catapultas????

Nick
Nick
10 anos atrás

Uma pergunta :

Em um eventual conflito Brasil X Estados Unidos ou OTAN,

de que lado a França se colocaria??

[]’s

Luiz Eduardo
Luiz Eduardo
10 anos atrás

quem mais no mundo fabrica processadores e catapultas????

Ué? E a Soberania e Independencia 100% Francesas???

Raptor
Raptor
10 anos atrás

Nick em 05 fev, 2010 às 13:59

Uma pergunta :
Em um eventual conflito Brasil X Estados Unidos ou OTAN,
de que lado a França se colocaria??

Não daria tempo de se colocar em lado nenhum.
USA acaba conosco em uma semana.
Só a quarta Frota ja da conta.

Marco Antonio Lins
10 anos atrás

Ilmo Amigos

Não existem ninguem independente não!Tudo isto é bobagem! Na compra dos vetores o problema, que se tenha pelo menos 50% da Independencia.E não sejamos um mero montadores!No Brasil não se pode confiar em dizer que se vai fabricar conjuntamente um caça. Vejamos o caso do AMX, unica coisa que fabricava-mos era as asas o reto era com a Italia.Então vamos ao comodismo! Comprar e montar …Pegue qualquer avião nosso,o que fabricamos? O Rafale é pelo modelo estrategico que vai ser desenvolvido com a França é o que se adpta melhor.

Andre
Andre
10 anos atrás

E o Brasil, quando vai ter um AWACS como deve ser??? vamos continuar com os AEWC? O Brasil é enorme, e se esperar precisar pra comprar, vai ser tarde…

Leonardo
Leonardo
10 anos atrás

Boa tarde a todos Mudando um pouco de assunto, será que valeria a pena investir em uma modernização dos nossos sucatões, pois dizem que suas estruturas ainda têm poucos ciclos de uso, poderiam realizar revisão geral substituir seus velhos motores Pratt & Whitney por novos turbofan’s CFM 56-3 como provavelmente está utilizando este E-3 francês da foto, são motores confiáveis a qual se tem grande experiência no país, devido habitual uso na aviação civil, e consequentemente, sem qualquer tipo de empecilho no que diz respeito a manutenção, pois há várias versões destes motores em operação no Brasil, pois são utilizados… Read more »

Leonardo
Leonardo
10 anos atrás

Quis dizer esteve na FAB!!!