sexta-feira, maio 7, 2021

Gripen para o Brasil

Array

Rafale na Marinha dos EUA?

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.aereo.jor.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

Há cerca de 20 anos atrás o Rafale foi cogitado para ser o substituto do Hornet e do Intruder na USN. Mas a política (sempre ela) não permitiu


No início da década de 1990, quando o mundo passava por uma grande transformação e diversos programas militares foram cortados, surgiram várias iniciativas bastante peculiares.

Com o cancelamento do programa A-12 Avenger II, que propunha desenvolver uma aeronave embarcada de ataque, a USN ficou sem um substituto para o A-6 Intruder.  Era necessário adquirir uma aeronave que pudesse entrar em serviço em, no máximo, dez anos. Este avião seria o “caça tampão” até que o programa AX fosse concluído.

Uma das alternativas era adquirir um caça no exterior. Descartando os aviões russos, não sobraram muitas opções. Facilmente chegou-se à conclusão de que a única alternativa viável era o Dassault Rafale, cujo protótipo naval (Rafale M) voaria ainda no primeiro semestre de 1991.

A ideia era interessante e o Rafale M na USN parecia ser uma opção ideal para preencher o “fighter gap” que existia até a chegada do AX. Mas naquela época não era fácil para os Estados Unidos aceitarem um vetor desenvolvido e produzido fora do país.

O momento político-econômico também não ajudava. Com a redução do parque industrial  norte-americano de defesa na década de 1990 era politicamente inadmissível adquirir um caça no estrangeiro. Com explicar isso para o contribuinte, enquanto ele assistia aos cortes de postos de trabalho neste ramo industrial?

Por essas razões o Rafale não foi nem cogitado pelo Departamento de Defesa. A vaga que poderia ser preenchida pelo Rafale hoje pertence ao Super Hornet, um dos seus principais rivais. Como seria o mundo sem o Super Hornet e com o Rafale com mais de 700 unidades fabricadas?

Essas e outras histórias serão contadas com mais detalhes no texto “Do Hornet ao Super Hornet”, que será publicado com exclusividade aqui no Poder Aéreo.

Aguardem!

FOTOS: USN, via Poder Naval.

- Advertisement -

111 Comments

Subscribe
Notify of
guest
111 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
MOKITI

Ele é o melhor do FX,é o segundo melhor caça do Ocidente!!!

Ivan

Bosco,

Me explica aí, que eu não ‘tô’ entendendo mais nada…

Se o Rafale foi ‘sugerido’ para substituir o venerável A-6 Intruder, mas foi preterido pelo desenvolvimento do SuperHornet…
então quer dizer que o SuperHornet é mais novo que o Rafale?

Mas o SuperHornet não era o velhinho?

Me explica aí… por favor.

Ka ka ka ka…

Ivan.

Ivan

MOKITI em 22 jan, 2010 às 15:08 Mokiti, Hoje, VOANDO, o segundo melhor caça do ocidente é F-18 E/F SuperHornet, com radar AESA, mísseis BVR AMRAAM AIM-120C7, mísseis WVR de 5ªgeração SideWinder AIM-9X e HMD (mira integrada ao capacete)… Em 2014 o Rafale e o Typhoon deveram ter todos estes recursos integrados aos seus programas, quando então estarão no mesmo nível do SuperHornet de hoje e poderão ser até superiores… caso a Boeing não melhore seus vetores. Assim sendo, HOJE, Rafale e Typhoon dividem o segundo posto, com ligeira vantagem para o frânces. Claro, meu preferido, o Gripen NG, corre… Read more »

Eduardo

Nossa… agora a tropa de choque americana vai a loucura rsrsrsrs
Quem diria… a toda poderosa USN sondou o Rafale???? kkkk
E é claro, o senado americano barrou.
Afinal já pensaram? os Yankes voando aeronaves dos “comedores de queijo podre”, “tomadores de vinhos horrorosos” (afinal para Yanke vinho bom vem da Califórnia), dos imperialistas, e blá blá blá…
É bom que algumas verdades venham a tona para calar a boca de muito vassalo aqui.

jsilva

Como CDF(Caça de Defesa de Frota) acho o Rafale mais caça, como polivalente também, agora como plataforma de ataque o F-18E/F é superior.
Obs: O Rafale F-3, ou seja, com AESA.

Ivan

Poggio,

Vc sabe jogar voley?

Eu não tenho dúvidas, estou só levantando a bola para o Bosco…
Ka ka ka ka…

Ivan.

Tales

Mas como diria o Felipe, QUEM É A USNavy para escolher um caça???
Ainda mais se eles escolheram o “queijo fedido francês”…

Eduardo

O pior seria explicar para o povo bitolado americano que, a suas forças armadas fariam uso de equipamento estrangeiro. Essa que é a real.
Eles lutaram e lutaram contra a invasão automobilística japonesa… deu no que deu…
não tenho nada contra estado unidense. Mas as vezes acho que eles tem que sair desse sentimento de superioridade.
É só o mundo se unir contra e bau bau…
Venezuela, China, irã, Coreia do Norte, e outros paises não alinhados, podem até cometer crimes contra a humanidade e o escambal, mas são os unicos que peitam os caras.

Felipe Cps

“era politicamente inadmissível adquirir um caça no estrangeiro”

Hehehe, era? 🙂

Bem que a US Navy poderia mesmo ter comprado a jaca naval como tampão. Aí já teria se arrependido amargamente e hoje disputariam o FX2 só o F/A-18E e o Gripen.

Sds.

jsilva

Guilherme Poggio,

Vc tem razão, talvez já estivesse no F-4. É um belo avião, não posso negar o orgulho que teria vendo o Brasil participando de exercícios Ref Flag com Rafales.

Giordani RS

Deu…agora as viuvas do Gripen e do SH vão abrir a choradeira…

humberto

Senhores,
Este estudo não foi barrado pelo congresso americano, nem sequer chegou lá. Os gringos compraram vários helis franceses (para a guarda costeira) ou seja, comprar eles até compram, mas um caça não rola (se não querem remotorizar o B-52 com motores RR que é ingles..imaginha Frances)..
Abraços

Bosco

Ivan,
me inclui fora dessa.rsrs…

Eduardo,
eu mesmim (rsrs) de cabeça poderia citar pelo menos umas 20 “armas” usadas pelas forças armadas americanas de origem estrangeira. Vai desde pistola até navio, passando por avião e helicóptero (que não deixa de ser avião também). rssr

casag

Aquela primeira imagem é uma foto e não uma montagem, né?
Já houve operação do Rafale, ou mesmo um pouso/decolagem, em Nae americano?

Sds.

Alexandre Galante

Sim, já houve operação de Rafale a bordo de NAe americano, mais de uma vez. Tem post lá no Poder Naval.

http://www.naval.com.br/blog/2009/07/20/rafale-e-e-2c-franceses-no-eisenhower/

Mauricio R.

“Assim sendo, HOJE, Rafale e Typhoon dividem o segundo posto, com ligeira vantagem para o frânces.”

Não concordo, pois o Typhoon tem carga alar mais baixa pq tem mais asa e mais potencia, portanto em teoria manobra melhor e voa de forma + confortável alem de ser capaz de supercruise.
Alem de ser melhor armado.
O Rafale só é bom de press release.

Nick

Fico imaginando o Rafale voando na US Navy….asdhasuhasduhasduhasuh! Ia ser no mínimo surreal 🙂

[]’s

casag

Já vi no Naval. Foi no Eisenhower.

Mauricio R.

A choradeira foi qndo a Boeing se atreveu a pensar em por o Mirage F-1, o unico Mirage que merece respeito, no lugar do eterno F-4 Phantom na USAF…

Mauricio R.

Foi qndo aquele cvn deles, de brinquedo foi p/ a assistência técnica.

Thierry
Eduardo

Bosco,

Tá, o harrier, que foi “americanisado”, o EH-101, os Helis da guarda costeira, os CASA 295 e e …

João Augusto

HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAH
“É só o mundo se unir contra e bau bau…”
Depois eu que fico fantasiando avião de papel e fazer Gripen NG Naval é que é utopia.
Morro de rir. Só o mundo se unir. Simples assim, tão simples que é “só”.
Os americanos são tão desgraçados e FDPs que se o mundo se unisse eles não estariam inclusos. Afinal, são alienígenas!
HAHAHAHAHAHHAHAHAHAHHAH
Ler o forum aqui é melhor que acessar sites de humor. XD
Galante! Tá engordando, meu velho? XD
Abraços, abraços.

João Augusto

Sobre o orgulho norte-americano e sua crença de superioridade e talz, bem, se tivéssemos metade desse ego, seríamos uma país muito melhor.

Justin Case

Amigos,

Outro dia, em resposta ao post que alertava sobre o problema que é para um avião de asa delta visualizar o flight deck durante o pouso, acharam que o assunto não era importante.
Vejam, na segunda foto, a linha de visada do piloto sobre o nariz da aeronave.
É um problema previsível para o NG naval, uma vez que a versão atual do Gripen tem o nariz mais longo e menos angulado que o RAFALE.
Abraços,

Justin

“Justin Case supports Rafale”

Eduardo

Xiiiiiii

A tropa de choque chegou… ai ai ai…

Pancho

Pessoal, não estranhem a notícia… até pq o orgulho da marinha americana sempre foi os caças britânicos Harrier…srsrsr

Thierry

Justin Case em 22 jan, 2010 às 16:08 100% en acordo read that(in french) DASSAULT Nos amis suédois sont optimistes et il faut l’être effectivement La navalisation ne se résume pas à un taux de descente et des capacités de décollage court. En STOBAR, l’intérêt militaire de la machine semble un peu limité. Et ce n’est pas l’appontage qui est forcément le plus contraignant pour la cellule. En CATOBAR; le choc engendré par la rupture du holdback secoue bien plus au moment du catapultage. Les campagnes d’essais à Patuxent River et Lakehurst faites par Dassault ont donné lieu à des… Read more »

Tales

Ivan em 22 jan, 2010 às 15:10 “então quer dizer que o SuperHornet é mais novo que o Rafale? Mas o SuperHornet não era o velhinho?” o Hornet me passou um link com um estudo muito interessante sobre o SH e que pode servir para desenvolvermos alguns debates por aqui sobre o F/A-18. Uma das críticas que esse estudo faz é que o SH usa muito POUCO materiais compostos na sua estrutura. Infelizmente não lembro o link, mas acho que tu podes pedir para que o Hornet o indique para vc. Ah: o estudo conclui que o SH não é… Read more »

grifo

Putz mais uma concorrência que o Rafale perdeu!

Eduardo

Grifo,

Corta essa vai… cara quer criticar beleza. Agora faça com um pouco de inteligência… ta certo que tu deves ser pago pela Saab… mas mude o discurso vai… tu perdeste kra…
Mas quem sabe vocês não vendem…. sei lá.. para o Uruguai?… Peru?… Gabão?… Indonésia? hehehehe

Felipe Cps

grifo em 22 jan, 2010 às 16:14

“Putz mais uma concorrência que o Rafale perdeu!”

AHAHAHAHAHAHA, É MESMO, RSRSRSRS…

Eita, a jaquinha nunca desmente a fama, rsrsrsrs…

Abs.

Ivan 2

Tem que ser igual a China! se não liberarem os códigos e transferirem a tecnologia, demantam e copiam! hehehe! ignore as petente e direitos autorais!

grifo

Eduardo, eu não recebo nada da SAAB, mas pela sua falta de humor devo assumir que você trabalha para a Dassault?

Eduardo

Grifo,

Putz que me dera… na boa…
Mas que deve rolar um “jabazinho” deve vai… nem eu que sou fã incondicional do Rafale sou assim…
Além do que esses ataques aos Franceses e ao Rafele é mesquinharia e complexo de inferioridade… vai… cara perderam, perderam! e ponto. Tem um monte de paiseco para o gripen.
E tenho dito.

Francisco AMX

Hum, este queijo fedido já foi cogitado pela USNAVY? e isto que era apenas o início do brinquedo no cenário! e só não foi adiante por razões óbvias que todos sabem, e ele não serve para a FAB… mas para a maior força naval do mundo serveria? é… coisa estranha essa!

O Rafale deixa os americanos babando quando pousa no NAe deles… pq será? de ser pq ele é desengonçado, se aproxima todo guenzo e lento… só pode!… rsrsrrs

Caipira

grifo em 22 jan, 2010 às 16:14

Putz mais uma concorrência que o Rafale perdeu!

KKKKKKKKKKKKK

Essa foi de rachar.

Eduardo

Agora me digam cá: como a Saab irá desenvolver a versão naval do Gripen se nem porta aviões eles tem???? nem sabem como é operar a bordo de um Nae?
A é conversa para boi dormir… e tem cucaracho que cai… o meu deus…

MOKITI

Caipira te digo uma coisa pior do que perder concorrencias,é o próprio país não bancar o desenvolvimento do caça.

kkkkkkkk

Bosco

Míssil Penguin, pistola M-9, metralhadora M-240 e M-248, veículo LAV, helicóptero MH-68, morteiro M252, morteiro M-120, treinador T-45, canhão M-68, canhão M-256, obuseiro M-119, canhão M-777, helicóptero HH-65, transporte C-23, transporte C-27, caça minas Avenger, canhão 40L60, canhão 57mm, canhão 76mm, etc…..

MOKITI

Sabe porque o grippen não seria cogitado para servir a USN,por ser um desastre segundo o Diteror da Boeing

grifo

Eduardo, somente nos seus comentários deste post você chamou os fãs do SH de “vassalos”, chamou o povo americano de “bitolado”, e agora os fãs do Gripen de “cucaracho”.

Sinceramente, acho que quem tem complexo de inferioridade e e quem precisa criticar os outros com mais inteligência não sou seu.

Caipira

MOKITI em 22 jan, 2010 às 16:36

Pois é, rsrsrs, nunca fui muito simpático ao NG(sempre oscilei minha preferencia de entusiasta entre o SH e o Rafale), mas é que aquela pérola do grifo foi demais.hehe

Um abraço!

Francisco AMX

“A auditoria concluiu o que todo mundo já sabia. O Super Hornet é outro avião. Mas a política….”

E tb concluiu que o Santa Claus existe mesmo e que mora, agora, na América do SUL, pois eles constataram que muita gente, juram ter visto o bom velhinho! rsrsrsrs

Na minha opinião esta auditoria só quis embasar o grande gasto gerado, para justificar dizendo: “mas é um outro avião sr” “apesar do Sr. não conseguir ver diferença alguma eu juro!” rsrsrssrs

Sds!

Luan

“Como seria o mundo sem o Super Hornet e com o Rafale com mais de 700 unidades fabricadas?” ahhhhhhahahaha! Nunca será!nunca será! Quem cogiou foi a Us Navy,ainda teria que ser aprovado pelo Dod e departamento de defesa,e a propria Us Navy teria que prova-lo.O Desenvolvimento do SH mal era estudao e como disse o texto,a US Navy não tinha opções. Outra coisa muitissimo importante,a US Navy quando escolheu o SH pensou em custos,economizou muito com o SH e gostou disso,Queria ver com a hora de voo do Rafale alta que só depois do orçamento de todas as forças comelariam… Read more »

Dalton

Bosco…

acrescentando à sua lista, há varios navios da “prepositioning
force” construidos na Coreia do Sul, Japão, Alemanha e por aí vai!

abs

Bosco

Tem também:
AT-4, Carl Gustav, M-72, SMAW, míssil Popeye, M-32 (MGL), bomba Durandal, caça Harrier e treinador T-6A.

Leonardo

Boa noite

É realmente há muito equipamento de origem estrangeira nas forças amrmadas americanas, é dificil lembrar mas acho que essas duas que estou citando são utilizadas por eles:

As pistolas Desert Eagle fabricadas pela IMI, submetralhadoras alemães HK-MP5, as mais utilizadas pelas forças especiais.

Cahê Gündel Machado

Acho que a principal razão era o fato de ser um caça FRANCÊS. Esse mesmo “francesismo” que está sendo usado pelo governo brasileiro para adquirir o Rafale.

Reportagens especiais

PAMA-SP 2014: Poder Aéreo no Domingo Aéreo – parte 1

Caça F-5EM da FAB realizou diversas passagens baixas sobre o Campo de Marte, em São Paulo. Um jato de...
- Advertisement -
- Advertisement -