quarta-feira, abril 21, 2021

Gripen para o Brasil

Armée de l´air e Haiti: pronta resposta a partir das Antilhas

Destaques

Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

haiti1 - foto Armee de lair 

A Armée de l´air (Força Aérea Francesa) informou que, já no dia 13 de janeiro, às 13h30 (hora local), três aviões CASA do esquadrão de transporte de ultra-mar das forças das Antilhas decolaram, a partir da base aérea 365 em Fort-de-France, na Martinica, com destino a Porto Príncipe, no Haiti.

As aeronaves transportaram, no total, 25 bombeiros da defesa civil, 18 gendarmes, 1 cão e mais de 3 toneladas de carga, que incluiu material médico e de busca de desaparecidos. Até segunda ordem, após o pouso os aviões deveriam permanecer no Haiti para realizar evacuações médicas.

Outros recursos e pessoal foram posteriormente enviados a partir da França.

haiti3 - foto Armee de lair

haiti4 - foto Armee de lair

FONTE / FOTOS: Armée de l´air

NOTA DO BLOG: o fato de manter uma base em ultra-mar, próxima ao Haiti, em uma região em que interessa à França marcar sua presença (Mar do Caribe), certamente fez toda a diferença para a velocidade da resposta, em se tratando de um país europeu.

- Advertisement -

17 Comments

Subscribe
Notify of
guest
17 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Thierry
Ivan

Toda a ajuda é importante neste momento.
Acredito inclusive que a velocidade, ou seja, o tempo de reação é mais importante do que a quantidade.
Os haitianos estam precisando de socorro rápido, imediato para salvar o máximo de vidas possível.
A quantidade se fará necessário em seguida, mas agora a ajuda tem que chegar na ilha.

Em tempo, alguém sabe com está a organização das ações de resgate e tratamento dos feridos?
Quem coordena?
Nesta hora é preciso baixar a guarda e procurar definir uma coordenação que funcione. É uma questão humanitária.

Abç,
Ivan.

kaleu

off topic: Domingo, 17 de janeiro de 2010 – 08h26 [quote][b][size=150]Caça francês Rafale é ´´grande mico“, afirma analista[/size][/b] Fernando Serpone brasil@eband.com.br O caça francês Rafale, o preferido pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva para renovar a frota da Força Aérea Brasileira (FAB), é um “grande mico”, o pior disparado entre os concorrentes, na opinião de [b]Fernando Arbache, presidente da Arbache Consultoria, doutor em Inteligência de Mercado pelo ITA (Instituto Tecnológico de Aeronáutica) e professor da FGV (Fundação Getúlio Vargas).[/b] De acordo com o professor, o Rafale, produzido pela Dassault, é mais caro, não oferece a possibilidade de desenvolvimento conjunto… Read more »

kaleu

O Cara não sabe “nada” :

Fernando Arbache, presidente da Arbache Consultoria, doutor em Inteligência de Mercado pelo ITA (Instituto Tecnológico de Aeronáutica) e professor da FGV (Fundação Getúlio Vargas).

Experiência Acadêmica: Professor da Fundação Getúlio Vargas/Rio de Janeiro. Professor IBMEC nas cadeiras de Logística e Administração de Projetos. Professor do Alto comando da Marinha de Guerra Brasileira nas cadeiras de Logística e Sistemas de Informação. Professor da pós-graduação do IME (Instituto Militar de Engenharia).

Só isso !

abc
kaleu

Felipe Cps

Grande Kaleu, não tenha dúvidas de que tem muita gente dentro e fora da FAB pensando como a gente. Mas tenha a certeza que bem poucos deles no Governo Federal. Eles perseguem a sua peculiar agenda, não os interesses da nação.

Abs.

kaleu

Grande Felipe,

Os “patetas de marx” são apátridas, seu amor pela ideologia supera o amor ao país.

Agora a moda é dizer que a compra de aviões não é uma transação visando a questão economica, como se o motivo do RAFA ficar na LANTERNA fosse somente o absurdo preço dele … envolve mais, não há transferência de tecnologia por.a nenhuma, e o equipamento não é aquela brastemp não !

AIDA acredito que se não houver CONSENSO o rafa não leva nada.

abc
kaleu

Ivan

Kaleu, Obrigado pelo texto (e link). Duas coisas me chamaram a atenção: 1ª) Estava certo que os códigos fonte (pelo menos isso) seriam entregues com a aeronave, permitindo a FAB integrar o armamento que desejasse. Houve alguma mudança? Por que o Dr. Arbache falou que Dassault não iria ceder os códigos-fonte? Acredito que ele está enganado, pelo menos quanto aos códigos fonte, pois a entrega destes é condição pré-estabelecida no certame. 2ª) Falou que a França “vendeu três usinas nucleares, que foi assinado às escuras”, notícia que eu ainda não ouvi ou li em nenhum lugar. Energia sempre foi um… Read more »

Ivan

Voltando aos códigos fonte, até a Boeing se comprometeu a entregar os do Super Hornet, e olha que americano adora segredo.

Tem algum engano.

Ivan.

grifo

“Houve alguma mudança? Por que o Dr. Arbache falou que Dassault não iria ceder os códigos-fonte?” São coisas diferentes. A Dassault prometeu fornecer o *direito de uso* dos códigos-fontes, de tal forma que o Brasil poderia alterar e customizar o software para os *seus* aviões. A Dassault não prometeu (e não irá) fornecer o *direito de propriedade* deste software. A Embraer não terá o direito de usar este software ou partes dele nas aeronaves que produzir, a não ser com autorização e pagamento de royalties a Dassault. As condições da proposta da Boeing são as mesmas. O único concorrente que… Read more »

Ivan

Grifo,

Agora eu entedo.
Se já era gripeiro…

Grato,
Ivan.

Rogério

Nuossa já preferia o Gripen depois desta entrevista então.

[]s

Thierry

kaleu em 17 jan, 2010 às 11:15 “[b]eBand – Ao menos em dois casos – na Guerra dos Seis Dias e na Guerra das Malvinas – a França deixou clientes de seus equipamentos bélicos na mão.[/b] Arbache – Totalmente na mão.” Very cheap french bashing from a rather ignorant ungrateful jewish ?Brazilian who lies on the history of Israël.Dimona nuclear power plant received a 24 Megawatts reactor and hundreds of french technicians were there in 1958 for the building of this site.Not the french fault if Israel moved from a heroic positioning in 1948 to some kind of hegemonic inspired… Read more »

grifo

“Very cheap french bashing from a rather ignorant ungrateful jewish…”

Este foi o comentário mais estúpido que eu já li aqui no blog. E não é só pelo inglês de nível primário.

Felipe Cps

Só faltava isso mesmo. Anti-semitismo no Aéreo (putativo, eis que a menos que se tenha escarafunchado, nem se sabe a ascendência do tal Fernando Arbache). E engraçado que veio de uma fonte que não se espera, normalmente…

O que gringo talvez não entenda é que, graças a Deus, não existe “brasileiro-judeu”, ou “brasileiro-coreano”, ou “brasileiro-italiano”. O que existe é “brasileiro”. E só. Todo mundo fala de seus antepassados, mas somos todos brasileiros.

De qualquer forma, lamentável. É por essas e outras que os nazistas foram tão bem sucedidos em sua marcha sobre a Europa…

Sds.

Felipe Cps

Peço desculpas aos demais leitores e ao Aéreo, requerendo que, se possível retire meu comentário das 08:29. Apesar de não ser o caso, pode-se interpretar que se trata de manifestação da Lei de Godwin, a qual não devemos prestigiar.

Antecipadamente agradeço.

Ivan

Felipe, Por favor, pense melhor antes de colocar comentários acerca dos episódios acerca das marchas e contra-marchas dos nazistas na Europa, em particular com relação à França. O sofrimento foi terrível para todos, franceses, alemães, poloneses, holandeses ou qualquer outro povo, seja cristão, judeu ou agnóstico. Quanto ao anti-semitismo temos, todos nós, de sermos muito mais cautelosos ainda. Não preciso lembrar a vc da inquisição, então é melhor ter todo o respeito neste assunto. Tenho inúmeros amigos judeus e cristãos novos (um inclusive – Limeira – que se reconverteu ao judaísmo) e todos são brasileiros, mas com laços com Israel.… Read more »

Thierry

grifo em 18 jan, 2010 às 8:08

same kind of answer when I gave you some swiss FX2 operating costs.You refuse the truth and prefer attacking my person.
I do not speak about the ridiculous anti semitism accusations.Arguments of the defeated FX2 candidate.

Reportagens especiais

Visita ao National Naval Aviation Museum – parte 4

Os aviões fotografados nesta parte do National Naval Aviation Museum representam uma época muito criativa da aviação naval da...
- Advertisement -
- Advertisement -