quarta-feira, maio 12, 2021

Gripen para o Brasil

Escola de Especialistas de Aeronáutica forma mais 666 novos sargentos

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

EEAER 2009A Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR), localizada em Guaratinguetá (SP), formou nesta sexta-feira (27), 666 novos sargentos da Força Aérea Brasileira (FAB). Participaram da cerimônia de formatura o Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro-do-Ar Juniti Saito, e integrantes do Alto-Comando da instituição. Autoridades civis, como o prefeito da cidade, Antonio Gilberto Filippo Fernandes Junior, também prestigiaram o evento.

Os novos sargentos, 380 homens e 286 mulheres, são provenientes de três cursos de formação: 229 alunos do Curso de Formação de Sargentos (CFS),com duração de dois anos, 163 do Básico de Controlador de Tráfego Aéreo-Modalidade Especial (BCTME), de um ano, e 274 do Estágio de Adaptação a Graduação de Sargento (EAGS), de seis meses de instrução.

Na solenidade, o Tenente-Brigadeiro-do-Ar Juniti Saito ressaltou que a Escola de Especialistas oferta à Força Aérea Brasileira mais um seleto grupo de sargentos, preparados e convictos do papel de perpetuadores dos ideais de uma instituição íntegra, coesa e respeitada. Também salientou o início de uma nova etapa na vida dos recém-formados.

“Será uma caminhada repleta de desafios, mas também, de muitas e inesquecíveis realizações. Tenham convicção de que os senhores e as senhoras receberam, nestes pátios e galpões, as ferramentas e conhecimentos essenciais ao exercícios de suas funções. Reflitam sobre a responsabilidade depositada sobre seus ombros de manter forte e operacional a Aeronáutica que lhes foi legada pelos valorosos especialistas que por aqui passaram”, explicou o Tenente-Brigadeiro Saito.

A Escola de Especialistas de Aeronáutica foi criada em 25 de março de 1941, ocupando inicialmente as instalações da extinta Escola de Aviação Naval na Ponta do Galeão, no Rio de Janeiro. O primeiro concurso de admissão foi realizado em abril de 1941, com 200 vagas, mas apenas 34 candidatos passaram na prova. Ao longo de sua história , a EEAR formou mais de 60 mil graduados para a FAB.

A recém-formada pelo CFS, Joisebel Mendes Guedes, 25 anos, primeira colocada de sua turma, passou a fazer parte dessa estatística. Natural de São Gabriel, no Rio Grande do Sul, ela disse que os dois anos na Escola lhe ofereceram muito aprendizado.

“Era um sonho que sempre tive de seguir a carreira militar. Nesses dois anos extrai muitas lições aqui nesta escola e uma das mais importantes foram as várias amizades que fiz aqui. Convivi com pessoas de todo os estados do Brasil, isso foi muito bom”, disse Joisebel. “Agora pretendo crescer como profissional na Força Aérea”, completou.

As expectativas de Sad Mychaeell Batista de Oliveira, primeiro colocado do BCTME, também são a de buscar e conquistar espaço em sua nova função.
“Acho que temos um futuro promissor. Foi muito sacrifício e esforço para chegar até aqui. Mas hoje a gente percebe que tudo valeu a pena. O apoio da minha família foi decisivo. Como sou do nordeste, fiquei praticamente seis meses sem ver os meus parentes e sem o apoio deles nada seria possível”, explica o militar natural de Natal, Rio Grande do Norte. “Eu já era militar, mas a gente sempre acaba fortalecendo certos preceitos como companheirismo e disciplina”, afirmou o sargento que já sonha com o oficialato.

Em Família

Os filhos se espelham nos pais. Essa máxima não poderia se adequar de forma mais perfeita à família do Suboficial Agnaldo Ferreira Pinto Cabral, 43 anos, do efetivo da EEAR. Na cerimônia de formatura, ele não escondia a satisfação ao ver sua filha, Tamires Gonçalves Cabral, 19 anos, passar pelo rito de jogar o quepe para o alto e concluir o curso.
“É uma emoção muito grande. Além de ser minha filha, foi minha aluna, pois era encarregado do esquadrão ao qual ela pertencia. Por isso, para mim foi um orgulho redobrado. Não tem emoção igual. Desde pequena a Tamires sempre vivenciou esse dia a dia militar e sabia como era a nossa rotina. Talvez esse foi o motivo que a fez se interessar em seguir a carreira”, disse o suboficial. Apesar da convivência no mesmo esquadrão, o que prevaleceu foi o profissionalismo. “O pai era dentro de casa. Aqui na escola nossas relações se mantinham entre a aluna e o suboficial”, enfatizou o militar.

“Eu estou muito feliz. É um curso muito corrido, e a nossa função, de controle de tráfego, requer muita responsabilidade, mas foi muito bacana. Agora vou trabalhar em São Paulo e no próximo ano farei um curso em São José dos Campos. Há muita coisa ainda para se aprender”, dizia a Sargento Tamires Gonçalves Cabral.

Os sargentos Joisebel Mendes Guedes, Vinícius Martinez Campos e Sad Mychaeell Batista de Oliveira receberam os prêmios “Ministério da Defesa” e “Força Aérea Brasileira” por terem sido os primeiros colocados, respectivamente, nos cursos CFS, BCTME e EAGS.

FONTE: CECOMSAER

- Advertisement -

1 Comment

Subscribe
Notify of
guest
1 Comentário
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Adler Medrado

Sargentos from hell.

Reportagens especiais

Armamento ar-ar para o AT-29, uma análise da eficácia operacional

Por 1o. Ten.Av. FABIAN Antônio Machado O trabalho a seguir ganhou o Prêmio Pacau Magalhães-Motta, ano de 2005 no.1. O...
- Advertisement -
- Advertisement -