sábado, abril 17, 2021

Gripen para o Brasil

Venda do F/A-18 ajudaria aprofundamento das relações entre EUA e Brasil

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.aereo.jor.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

Entrevista com a subsecretária de Estado para Controle de Armas e Segurança Internacional dos EUA Ellen Tauscher

Patrícia Campos Mello

O venda dos caças F-18 da Boeing à Força Aérea Brasileira aproximará os governos dos Estados Unidos e do Brasil e tornará a relação estratégica entre os dois países mais dinâmica e profunda. Esse foi o recado passado pela subsecretária de Estado para Controle de Armas e Segurança Internacional, Ellen Tauscher. “É uma grande oportunidade de aprofundar nosso relacionamento com o Brasil”, disse Tauscher, que se reporta diretamente à secretária Hillary Clinton e esteve no Brasil em agosto para entregar ao governo brasileiro a carta da secretária.

“O mais importante desse acordo é nosso relacionamento com o povo brasileiro e o governo brasileiro”, disse Tauscher, em entrevista ao Estado. Comentando a vantagem que os franceses, fabricantes dos caças Rafale da Dassault, teriam na disputa, Tauscher afirmou: “Não estamos confusos sobre o que oferecemos; ainda temos o melhor avião, a maior empresa aeroespacial do mundo e ainda somos os Estados Unidos da América; acreditamos que, no fim, esses são os parâmetros.”

Segundo ela, a secretária de Estado, Hillary Clinton, o secretário de Defesa, Robert Gates, e o presidente americano, Barack Obama, estão pessoalmente empenhados nessa venda. “Francamente, seria uma pena (o Brasil) não levar o melhor avião e a melhor oportunidade.”

Abaixo, trechos da entrevista concedida ao Estado.

O governo brasileiro está finalizando o processo de escolha dos 36 caças que serão comprados pela Força Aérea. Por que o Brasil deveria comprar os F-18 fabricados pela Boeing?

Porque é o melhor avião, com a melhor tecnologia, transferência completa. O presidente Barack Obama está empenhado na venda e é uma oportunidade de aprofundar o relacionamento com o Brasil.

Quais são os próximos passos do ponto de vista dos EUA?

Nós esperamos ser escolhidos.

Mas o governo brasileiro já indicou várias vezes que os franceses têm vantagem….

Veja, não estamos confusos sobre o que oferecemos. Ainda temos o melhor avião, a maior empresa aeroespacial do mundo e ainda somos os Estados Unidos da América. Acreditamos que, no fim, esses são os parâmetros, e nós temos boa chance de ganhar.

O governo brasileiro tem preocupações em relação à transferência de tecnologia. O Brasil teve uma má experiência quatro anos atrás envolvendo a venda dos Super Tucanos para a Venezuela – os aviões da Embraer tinham tecnologia americana sensível e os EUA vetaram a venda. O governo americano pode garantir que isso não vai se repetir?

Esse é um novo governo e uma nova venda. Nós garantimos a transferência. Essa é uma oferta sem precedentes de transferência de tecnologia.

Por que é sem precedentes?

Porque inclui maior transferência do que estava previsto originalmente. Mas o mais importante desse acordo é nosso relacionamento com o povo brasileiro e o governo brasileiro. A Boeing é a maior empresa aeroespacial do mundo, há oportunidade de gerar empregos bem além da produção desses 36 jatos. Isso significa conectar a Embraer e o Brasil à maior rede de produção de aviões do mundo. Tivemos o secretário de Defesa, Robert Gates, a secretária Hillary Clinton e até o presidente Barack Obama empenhados. Isso vai aproximar os dois governos.

Os suecos (fabricantes do jato Gripen, da Saab) e os franceses melhoraram suas propostas, oferecendo mais contratos para o Brasil.

Aposto que eles fizeram, é difícil competir com os EUA.

Sim, mas então, há alguma coisa mais que vocês oferecem?

Os Estados unidos acreditam que esse é o início de uma relação muito importante em um grande mercado.

Existe alguma chance de o Congresso americano interferir na transferência de tecnologia?

Eles não podem interferir. O Congresso americano teria de passar uma lei para bloquear a transferência de tecnologia e, como o Executivo quer aprofundar o relacionamento com o Brasil, isso não vai acontecer.

Para o relacionamento estratégico entre o Brasil e os Estados Unidos, qual é o significado da venda dos caças?

Nós temos uma relação muito forte com o Brasil, compartilhamos valores e interesses. O sentido do acordo é assegurar que esse relacionamento se torne mais profundo e mais dinâmico.

Os EUA ficariam decepcionados se não ganhassem a concorrência?

Claro que sim. Mas sabemos que há várias razões para as pessoas tomarem decisões, que não são a qualidade do produto e os detalhes específicos do acordo. Nos méritos do acordo, nós temos o melhor avião, a melhor transferência e a melhor parceria estratégica. Nós vamos continuar amigos do Brasil se não ganharmos, mas, francamente, seria uma pena o Brasil não levar o melhor avião e a melhor oportunidade.

FONTE: O Estado de São Paulo, via Notimp

- Advertisement -

90 Comments

Subscribe
Notify of
guest
90 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Invincible

Sem dúvidas a capacidade de barganha dos EUA é muito grande. Tenho percebido uma mudança no discurso americano falando de parceria estratégica, dizendo que querem estreitar as relações com o Brasil. Os EUA sabem que o Brasil se tornou definivamente uma potência em seu quintal e sabem que sua nossa influência é importante. Sabem que as compras de armas do Brasil serão grande e acima de tudo sabem que temos muito petróleo e matéria-prima. Em todo esse contexto eles sabem também que de todas as potências emergentes somos o que tem a cultura e a forma de viver mais parecida… Read more »

Wilson "Giordani" de Souza

“Nos méritos do acordo, nós temos o melhor avião, a melhor transferência e a melhor parceria estratégica. ”

Fora a parte do “melhor avião” – que eu não tenho capacidade técnica para discutir – acho que o restante ela não como saber, a menos que tenha lido as outras duas propostas, não é?

[]s

Ivan

Wilson, O NorteAmericano é arrogante mesmo. É o jeito deles. Tudo que eles fazem, fazem com vontade e com todas as forças que possuem. Como são muito fortes então tudo que fazem termina sendo gigantesco. Esta arrogância vem do sucesso de seus empreendimentos nos últimos dois séculos. Houve fracassos, mas eles aprendem com eles e se abraçam com os sucessos. Acredito que podemos usar a experiência do Japão e da Coreia (do Sul) e usar esta arrogância a nosso favor. Com o acordo dos subs e dos heli o Brasil deu sinais claros que os tempos mudaram, e queremos mais… Read more »

Paulo Renato

Belas palavras Ivan,

Podemos sair ganhando com os Americanos, tudo vai dependo do contrato que possa ser feito.
Acho que a França já levou a cota deles e até demais, agora precisamos de outros acordos.
Quem viu a reportagem ontem no fantástico viu a diferença de preço dos vetores o absurdo que é o Rafale.
Acho que a combinação de SH e Gripen é possível e seria muito bom para a FAB.

Mas está tudo entregue nas mãos do Presidente ele vai decicdir o que vai fazer.

Abs.

flaviodepaula

“Não estamos confusos sobre o que oferecemos; ainda temos o melhor avião, a maior empresa aeroespacial do mundo e ainda somos os Estados Unidos da América; acreditamos que, no fim, esses são os parâmetros”

grandes coisa…

a arrogância de sempre, no melhor modo USA.

Ivan

É verdade Flávio, eles são arrogantes mesmo.

Vamos usar isso a nosso favor, tipo: ‘vocês são muito fortes e nós estamos crescendo, vamos trabalhar juntos… mas o invesitimento seu será maior, pois vocês são mais ricos.’
Ou tipo: ‘somos as duas maiores democracias da América, vamos trabalhar juntos?’

Sei lá, sempre que encontrei um arrogante na minha vida pessoal tratei de usar esta característica em favor dos interesses da empresa que representava. Dá para trabalhar.

Ivan

Amigos, sou apenas um entusiasta e como tal posso levantar idéias impossíveis. Assim sendo, peço licença para insistir em uma sugestão que venho repetindo, mesmo que apenas para ‘ouvir’ a repercussão. Uma idéia maluca, que seria uma combinação HI/LOW: HI – Comprar um pacote de 36 SuperHornet (e apenas estes), aeronaves grandes com alcance e poder de fogo suficientes para impor respeito à qualquer um. Ao mesmo tempo usar todos os benefícios oferecidos pelos Gringos da América, inclusive com possíveis vendas para USAF e USNavy. LOW – Desenvolver com os Gringos Escandinavos o Gripen NG, no prazo necessário, maior que… Read more »

Ivan

Em tempo.
Haverá mercados que não caberá os F-18 SuperHornet ou os Rafales F-3, por questão de custo.
Caberá sim os Mig-35, J-10 e, quem sabe, os Gripen NG da Saab/Embraer… quem sabe.

Paulo Renato

Para um entusiasta vc não está nada mal heim rs..rs..
Bem melhor do que eu meu caro, mas vc não está errado e quem sabe o governo não está pensando assim ???
Pode sim ser o pensamento do governo no momento, ontem quando vi os valores do Rafaleco quase cai do sofá, será uma burrice enorme e sem tamanho adquirir esses rafalecos.

Mas eu acho que poderíamos ter uns 40 Super Hornet aumentar um pouquinho seria melhor.

de ersto concordo contigo.

Abs.

Robson Br

Coitado dos frandeses, não tem mesmo vez aqui. Ninguem coloca as propostas e as qualidades deles. Não tenho preferência. Só não acredito que para imediato que o Gripen seja a solução. Baseado no que aconteceu com o AMX onde os custos e o tempo superou em muito o programado. No desenvolvimento do Gripen NG estão muitos componentes importantes de origem americana, tais como o Radar que será baseado no deles, sem contar as turbinas e vários sensores, onde a solução brasileira seria baseada na Aeroeletrônica que nada mais é que uma representante dos israelenses, o que poderia gerar um caça… Read more »

Robson Br

Só mais um comentário. Seria até útil o desenvolvimento de um caça de menor custo, pois não vejo mercado futuro para caças do porte do SH e Rafale, simplismente pelo fato que poucos países terão condições de comprar e manter equipamentos assim. Ter o equipamento já é caro. sem o armamento não vale nada. Somente países que detem tecnologia em sistemas e armamentos modernos tem codições de manter um caça deste tipo, pois além da dependência do fornecedor, sempre deverão passar por atualizações. Aí que entra a nova filosofia do END e a tal TT. Sem a abertura dos códigos,… Read more »

Ivan

Robson, Vc tem razão em vários pontos. 1º. Também sinto falta de vários blogeiros, muito bem informados e diria muito bem formados. Não sei o motivo da ausência, mas gostaria de ‘ouvir’ o que eles tema ‘dizer’. 2º. Acredito, como vc, que há um mercado para caças de segunda linha, ou melhor dizendo, caças leves, com menos recursos eletrônicos caríssimos mas que cumprissem a maioria das missões para uma força aérea de 3º mundo. Algo parecido com o conceito ORIGINAL do F-16, porém menor e mais barato. Existiu um caça soberbo, o Foland GNAT, utilizado com sucesso pelos Indianos na… Read more »

Francisco AMX

Apesar da arrogância da moça, eu torço muito para um afinamento com nosso principal cliente futuro! como torço! e, apesar de não achar o SH o ideal para a FAB, isso pouco importará se formos um aliado “bacana” dos USA, não se trata de subserviência, e sim de negócios, de confiança! além do mais tenho razões pessoais para torcer para isso! se acontecer sou SH desde criancinha! 🙂

Abraços

flaviodepaula

Ivan em 02 nov, 2009 às 13:06 Caro colega, realmente, muito arrogantes. Duvido muito que entrem na história que você falou, de trabalhar juntos, principalmente com eles gastando mais que nós. o F18 ta fechado, não tem mais o que “trabalhar” nele. Apenas nós, claro, vamos pagar uma conta por uma tecnologia muito boa, só que mais antiga que as concorrentes. A sua idéia de Hi-Low é excelente. eu também defendo este ponto de vista, só que com o Rafale como hi, e o Gripen Low. Porque? Acho o Rafale mais capaz que o SH. Ta certo que é mais… Read more »

Francoorp

Ilusão acreditar na palavra dos U.S.A.

BLA, BLALALAL, Blàààààààààà, BLAblabla

Não acaba nunca este FX, sempre o sòlito blablabla!

Conversa fiada destes americanos, sò para lembrar, e terminar as ilusões, e se talvez alguém ainda não tenha assistido, ai vai o vídeo do venâncio de novo:

http://www.youtube.com/watch?v=GBP4RnKHRlg

osorio

flaviodepaula em 02 nov, 2009 às 16:27 “Porque? Acho o Rafale mais capaz que o SH. Ta certo que é mais caro de comprar e de manter, mas se estamos preocupados com preço, vamos de F5 modernizados. Acho que o Rafale tem muito mais a evoluir do que o SH e se fizermos um bom contrato, pegando o francês pela caneta, podemos arrancar muito mais tecnologia deles do que dos americanos, pois estão loucos para vender, muito mais que os americanos.” Caro Flavio,o seu anti-americanismo já chegou ao ponto de se doer por causa da arrogancia da menina acima,ela pode… Read more »

osorio

E quanto ao contrato acho que os franceses são um bando de safado,e olha que eles já são assim a um bom tempo

Tales

Ivan em 02 nov, 2009 às 13:36 “Uma idéia maluca, que seria uma combinação HI/LOW:” Ivan, de fato é MALUCA essa idéia defendida por ti e por outros blogueiros de uma combinação HI/LOW, independentemente dos vetores escolhidos. Uma das necessidades operacionais que deram origem ao programa FX foi a de facilitar a logística e diminuir custos pela padronização de vetores de combate usados pela FAB. Quem acompanha o processo FX desde o início sabe MUITO BEM DISSO! Por isso um dos requisitos operacionais do FX era a de multifuncionalidade: o vetor deveria ser capaz tanto de efetuar missões ar-ar, como… Read more »

osorio

O meu amigo Francoorp,cara vc deve ser do PSOL,tem o sobrenome russo,ou sei lá deve ter se apaixonado pro alguma top model russa.rsrsrsrsrsrsrsrs
Quem disse que os russos tem palavra e cumprem contratos arrisca,só por que venderam umas lesmas vodaras para o molusco?
So muito mais os Augusta A-129 Mangusta ou os Tiger II,são muito melhores que o lesmão

Tales

osorio em 02 nov, 2009 às 17:44 “Discordo de vc quanto ao rafaleco ser superior ao SH,e tem mais para o rafaleco evoluir mais ele terá que ser fabricado denovo e numa versão sthealt” EU INSISTO: o que se pode avaliar objetivamente são números, pois os números não mentem e não se precisa ser piloto para avaliar os números de desempenho dos 3 vetores que, por si só, já revelam qual é o melhor caça… Qual é a aeronave mais veloz e rápida, com maior taxa de ascensão, menores taxas de giro instantâneo e sustentado, menor raio de curva, menor… Read more »

Tales

MAIS:
até essa questão do preço, convenhamos, porque será que o Rafale é o mais caro???
Porque um BMW 325 custa mais que um Ford Ka 1.0???
Será que a resposta não é óbvia??

Felipe Cps

Franceses não são confiáveis… nem comunistas…

Sds.

Tales

Felipe Cps em 02 nov, 2009 às 18:41

Facistas também não são confiáveis…
Imperialistas também não são confiáveis…
Afinal, quem´é confiável????
O negócio são os contratos…
Pacta sunt servanta…

flaviodepaula

Infelizmente existem pessoas aqui no blog que não sabem debater um assunto sem levar as coisas para o lado mais pessoal. osorio em 02 nov, 2009 às 17:44 Amigo, com todo respeito, eu NÃO SOU ANTI-AMERICANO. Eu sou BRASILEIRO, e defendo meu país baseado nos meus pontos de vista. Caso o caro colega queira rebater um argumento que eu tenha deixado no blog, faça como outros colegas que debatem com fatos e perguntas, e não me xingando de anti-americano, ou de russo, ou de francês, de americano, sueco, inglês ou qualquer outra coisa. Outra coisa…. a Ellen Tauscher acima é… Read more »

flaviodepaula

Felipe Cps em 02 nov, 2009 às 18:41

“Franceses não são confiáveis… nem comunistas…”

Caro Felipe, na verdade, eu acho que ninguém neste mundo é confiável. Ainda bem que inventaram os contratos

Tales

flaviodepaula em 02 nov, 2009 às 19:18

Concordo Flavio.
Mas indo na linha do Felipe, políticos e advogados tbm não são confiáveis por NATUREZA das suas profissões, eheheheh…
Agora, números são objetivos e precisos e acho que esses revelam CLARAMENTE qual o melhor caça dos 3 vetores finalistas…
Abrs.

Luan

Caro Tales.Concordo,os numeros estão ai,e estes mostram que o Rafale não é caça para o Brasil. Não é preciso ser um expert em estrategia para saber que os custos do Rafale impedem de operar no Brasil. Qualquer caça que vier,possibilitara um grande salto para a FAB,para a insdustria e para o Governo Brasileiro.Seja operacional,doutrinaria,estrategica,tecnologica,emprego/manutenção,armamento,industrial e la vai porrada.Esse é o ponto de vista do governo,ele quer isso,a FAB,primeiramente,quer um avião que voe. Não adianta falar que tal é o melhor,por isso sera o melhor para nós,infundavel,e não adianta comparar carro com aviões de combate. Não adianta falar que os americanos… Read more »

Luan

Rafale não é para país pobre,entendam. Ele pode ser sim o melhor,mas não é essa a questão. Qualquer vetor que chagar aqui,representara um grande salto para a FAB,para a industria e o Governo.o Brasil entrara em um outro patamar,seja operacional,doutrinario,estrategico,tecnologico,de nivel de manutenção e conhecimento,armamento,emprego e la vai termos ainda… Confiavel? hm,ninguem é 100%,porém,temos quase 70 anos de parcerias com os americanos,no que diz material bélico,sem grandes problemas e,por favor,não em venham mostrar o video do Brigadeiro de novo,o brasil que não soube fazer negocio,colocou a mão no contrato e depois pediu o braço,levou uma dedada,muito bem dada,diga-se de passagem.… Read more »

Francisco AMX

Amigo Osório! Honre o nome que carrega e nos diga pq o SH é um caça novo! pode ser? onde ele é diferente, aeronauticamente falando, do F-18 pai! mas se não puderes me permita: MAIOR DIMENSÃO e entredas de ar – basicamente Motores, alguns materiais RAM, mais 2 cabides, Radar e aviônica melhorada podem ser aplicados a maioria dos caças deste porte. mas ele vôoa melhor? é mais rápido? ascende melhor? nada! sabe pq? pq ele é um remendo (não julgo sua efetividade)! uma ampliação! ele tem o mesmo desenho! é um F-18 “maior” e com avanços em aviônica, alcance… Read more »

Francisco AMX

Continuando… o Rafale não é um Mirage 2000 II!

Luan

Francisco,Negativo! Por mais que as semelhanças apontem,o Super Hornet pode ser cara,mas não é semelhança com os antigos Hornets. não foi só o tamanho,Motor,sensores e avionicos que mudaram. Foi refeito todo um trabalho estrutural,visando a divergencia de angulos por toda a aeronave,visando uma diminuição do RCS do vetor,não foi só os sensores e tomadas de ar,não.o tamanho foi mudado para acomodar uma nova gama de sensores e equipamentos para o aperfeiçoamento do vetor,para atender as solicitações da US Navy,o que basicamente,nos dias atuais,é 70% do avião,os outros 30 ainda estão a frente do seu tempo,assim como o rafale,cujo desenho basico… Read more »

R_Cordeiro

eu não gosto do Super Hornet imperialista sem TT
eu não gosto do Gripen suina sem produto acabado
eu não gosto do Rafaleco e de pão frances, pq em frances não se confia.

eu não gosto de Skois (Sukoi) pq a vodka não desce redondo e pq os estagiários de lá não sabem ver e-mail.

ai ai ai.. essa novela FX2 não acaba não??

Luan

Cordeiro:HUAHAUHAUHAUHAUHUAHAUHAUHAU

Boa,Boa.

abraços.

Francoorp

Verdade cordeiro não acaba NUNCA!!!! Tudo que foi dito sobre esta novela jà foi dito, agora é decidir!!!! Não sou a favor dos russos, mesmo porque eles estão fora do FX2 da muito tempo. A proposito dos Helis OSORIO, o Augusta A-129 Mangusta e o Tiger II, são unidades de ataque puro, diferente do MI-35, que é também para transporte de tropa, mas no caso de comparação, estes dois citados por você, não chegam nem aos pès do MI-17 Havoc, que é uma unidade de ataque puro, como os sopra citados. Não misturar as coisas amigo. Karo Kompanheiro Felipe cps,comunista… Read more »

Felipe Cps

LUAN: PERFEITO!!!!! 🙂

Abraço.

Francisco AMX

Luan, eu estava falando em termos aeronáuticos, não force a amizade :)! mudaram a estrutura do SH? claro! ele pesa mais! claro que mudaram algumas coisas da estrutura interna, superfície e angulos! mudariam até mesmo se fossem fazer um F-18 II de mesmo tamanho, sabe o que é evolução? pois é! não é isso que falo! falo da capacidade aeronáutica do vetor! tanto que as características de vôo continuam as mesmas! ou praticamente! o SH não ascende mais, não decola com menos pista, não rola, não absorve mais Gs, não faz curva sustentada melhor… é disso que falo! e o… Read more »

Francisco AMX

Linda foto dos SH… saudades do F-14 e suas pinturas que marcaram época… principalmente nos anos 70 e início dos 80!

Wilson "Giordani" de Souza

O engraçado é que seja qual for a decisão do governo, ela será criticada.

[]s

Luan

Francisco,Não estou forçando a amizade,pelamor!! 🙂 rss Mas eu continuo discordando,não vou falar de Rafale,neste nós concordamos que é moderno,atual e super capaz. Mas discordo das posições do SH,não sei se seu desenpenho em relação a “manobrabilidade” em relação aos mais antigos melhorou,eu tinha essa ideia ainda,mas de forma alguma,é pouca coisa,mesmo as versões antigas são ultra manobraveis.Um “tiquinho aqui,outra la” de mudanças…não é bem assim,pergunte a um engenheiro sobre as mudanças dos tucanos para os super-tucanos,esteultimo é mais pesado,menos manobravel,mas não é o mesmo avião,e olha que o T-27 é dos anos 80,o Super tucano esta em concorrencias no… Read more »

Felipe Cps

Giordani: democracia é assim mesmo. Ainda bem que sempre cabem críticas pois é só assim que se aproxima da verdade fática.

Enquanto tivermos o poder de criticar significa que estamos longe do pensamento único totalitário, que tanto mal já fez à humanidade.

Ou, como diria Nelson Rodrigues: “a unanimidade é burra”.

Abs.

Luan

Minha mensagem anterior ficou toda misturada rsss

abraços.

Wilson "Giordani" de Souza

Felipe Cps em 03 nov, 2009 às 11:54

Foi uma observação para lembrar que aqueles que tem coragem para decidir merecem um mínimo de respeito, mesmo que não concordemos com as decisões que eles tomem.

Empurrar o problema com a barriga seria bem mais fácil.

[]s

Felipe Cps

Giordani: dependendo do “decididor”, BEM mínimo, rsrsrsrs 🙂

Quanto ao problema, empurrar com a barriga seria o que a maioria faz. Mas nem por isso aquele que “não empurra” faz mais do que sua obrigação. Não merece crédito algum por fazer o que a lei e a lógica lhe impõe.

Sds.

Francisco AMX

Perfeito Felipe! e sabe de uma coisa eu acho que tenho simpatia pelos que discordam de mim, de forma cortez e não leviana, claro, como tu faz, por exemplo, tentando me convencer. Pois penso o seguinte: se o cara está tentando me levar para o seu lado eu devo ter alguma importância para ele, mesmo que inconscientemente, e isso para mim conta bastante! o problema é que tem gente aqui que nem se esforçando, sabe atacar, de forma pontual, uma posição contrária, ataca a persona e não a idéia da mesma! Abração meu brodi! Luan! (forçar a amizade foi brincadeirinha… Read more »

Wilson "Giordani" de Souza

Felipe Cps em 03 nov, 2009 às 12:24

Não estou pedindo carreta em praça pública, nem estatúa… um simples “congratulações” já seria o suficiente… 🙂

Quanto ao resto do comentário, é que a “lógica” no país está invertida há tanto tempo que acabamos tendo que de alguma forma reconhecer aqueles que fazem o que é sua obrigação.

[]s

Luan

Francisco,me desculpe,não entendi o jargão rss.

Quanto os Blue Angels,sim eles usam o Hornet,foi uma brincadeira,de sua manobrabilidade e o que os caras fazem com ele,e adoram o Hornet,tanto que os Blue Angels são considerados melhores que os Thunderbirs da USAF com os Viper,e os pilotos gostam muito dele.

Concordo tbm que o Canard eleva o rafale a um patamar diferente,mas ainda sim,por ser delta,limitações existem,mas são minimas,quase inesistentes.

Hehe,mas não adianta,nenhum vai consiguir mudar a opnião de cada 🙂

Grande abraço a todos.

Bosco

Francisco, os EUA não desdenharam o TVC não. Na verdade eles derão enfase no combate BVR enquanto deixaram seus parceiros europeus por conta do míssil de curto alcance. Tendo em vista a morosidade dos europeus em desenvolverem o míssil, eles foram em busca de uma solução doméstica. Também não podemos negar que os americanos deram e dão muito crédito aos seus mísseis Sidewinders e não se preocupavam em demasia com o aparente ‘gap’ tecnológico entre eles e o R-73. Confiavam em suas aeronaves, em sua tática e em seus pilotos para fazerem frente a uma vantagem tecnológica e aguardaram pacientemente… Read more »

Bosco

“DERAM” e não “derão”.

Bosco

Francisco, eu não creio que o MICA IR fará parceria com o METEOR. Acho que os franceses deverão buscar integrar algum outro míssil WVR. Provavelmente o IRIS-T (?). Chute puro. O MICA é caro (deve ser quase tão caro quanto o próprio Meteor) e não tem a mesma performance em curto alcance de legítimos mísseis WVR de quinta geração. Com a entrada em operação do Meteor nas forças armadas francesas o Mica (EM ou IR) não terá futuro nem como BVRAAM nem como WVRAAM. Caso o Rafale vença o F-X2 provavelmente receberemos o MICA EM e o R550 Magic 2.… Read more »

Francisco AMX

Luan, se os Blue Angels fazem melhor que os “Thuds”, imagina se eles pilotassem o Falcon… Amigo, não dá para comparar um caça como o Falcon com um F-18, veja os números! na boa, é forçar a amizade novamente! rsrsrsrs Sobre o Jargão, quer dizer mais ou menos isso: Que o que o amigo fala é tão “fora da casinha” que coloca em risco a amizade entre os 2! é isso, mas no caso tem relação com o alto grau de amizade! entendemos? 🙂 Bosco, pois é, mas que eles colocaram em dúvida a efetividade do TVC,ah colocram! por isso… Read more »

Reportagens especiais

Poder Aéreo nos Estados Unidos: Fort Worth Aviation Museum – última parte

No Fort Worth Aviation Museum tivemos também a oportunidade de conhecer a área de restauração de aeronaves. Nela estavam os clássicos Republic...
- Advertisement -
- Advertisement -