sábado, março 6, 2021

Gripen para o Brasil

Suíça recebe AIM-9X

Destaques

Defesa aérea da Sérvia atingiu outro F-117 durante a Operation Allied Force

A história de como um jato de ataque stealth F-117 Nighthawk da Força Aérea dos Estados Unidos foi abatido...

HENSOLDT: Sistemas antidrone e de proteção de áreas críticas e estratégicas

Nos últimos anos, a venda de drones cresceu muito no mundo. Esses objetos voadores, cada vez mais comuns em...

FAB coordena Operação Escudo Antiaéreo

Operação aconteceu de forma conjunta entre a Marinha do Brasil, o Exército Brasileiro e a Força Aérea Brasileira No período...
Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

A Armasuisse, agência reponsável pela aquisição de equipamentos de Defesa da Suíça, aceitou o recebimento de último lote de mísseis AIM-9X, guiados por infravermelho, adquiridos em 2003. Os mísseis foram transportados para a Suíça a bordo de C-17 Globemaster III.

O AIM-9X é a última geração do Sidewinder, cuja família pode ser vista no quadro abaixo. A versão ‘X-Ray’ é capaz de engajar alvos em ângulos fora do eixo longitudinal do avião lançador (capacidade off-boresight), é muito mais manobrável e sensível.

O AIM-9X está substituindo o AIM-9P na Força Aérea Suíça, equipando os jatos F/A-18 Hornet. O número de mísseis adquiridos é confidencial, mas custou 115 milhões de francos suíços.

AIM-9

NOTA DO EDITOR: Os F-5EM da FAB ainda aparecem em fotos usando o vetusto AIM-9B, o que é uma péssima propaganda para a Força. A Marinha do Brasil, por sua vez, usa o AIM-9H.

- Advertisement -

25 Comments

Subscribe
Notify of
guest
25 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Tiago Jeronimo

Mas a FAB não usa o Pyton 3 em vez dos AIM-9B?

Pra proposta do Super Hornet ficar quase perfeita só faltava uns desses no pacote :/

Joaca

Senhores
A FAB temum estoque elevado de AIM-9B ainad!
Ao meu ver, temos que lança-los e substituí-los por Piranhas;
A
Joaca

Jonas Rafael

O Piranha atualmente produzido é equivalente a o que?

Bosco

O Piranha atual é equivalente a um míssil entre a terceira e a quarta geração. Ele seria o que poderíamos chamar de 3,5ªG.
No quadro acima ocuparia uma numa posição abaixo do AIM-9L.

Bosco

Mas pra mantermos um rigor e não irmos pela vereda do achismo (rsr…) ele é de Terceira Geração. Ou seja, da mesma geração do AIM-9L.

Tomcat

É legal ver que até a versão X, todas tinham a configuração com aletas dianteiras móveis para direção e as traseiras fixas para dar estabilidade. O X mudou tudo: aletas dianteiras e traseiras fixas, com bocais móveis, fazendo empuxo vetorado, para guiagem.

Francisco AMX

Bosco, será mesmo que o Piranha tem a capacidade do AIM-9L?? duvido! acho que tá mais para um B melhorado!

Pq será que os USA não nos ofertaram o AIM-9X??? bem estranho isso… nos ofertam o AMRAM C-7 e negam o X??? 🙁 ou a FAB não tinha interesse? duvido!

Walderson

Caro Bosco,

vc está falando da primeira versão do Piranha? Pois, parece-me que a Mectron está desenvolvendo a segunda versão. Ou estou enganado?

Outra coisa, quem produzirá no Brasil o A-Darter? A Mectron, que é uma das representantes da FAB frente à Denel?

Um abraço.

Bosco

Tomcat, as aletas traseiras também são móveis em harmonia com o bocal TVC para prover manobrabilidade aerodinâmica quando o combustível acaba. Francisco, pelo anunciado pela Mectron ele parece se encaixar na terceira geração. Se formos levar em consideração tudo que eles dizem ele seria um terceira e meia. Independente disso ele e melhor que um B porque tem capacidade all-aspect. Quanto ao C-7 ter sido liberado e o AIM-9X não ter sido eu acho que foi devido ao interesse da FAB como você disse. Não me entra na cabeça que o AIM-9X tenha tecnologia mais sensível que o C-7. Talvez… Read more »

Bosco

Walderson,
eu me referi a versão atual (MAA-1B Piranha II) que é bem mais capaz que a primeira versão. Diz o fabricante que ele é quase tão capaz quanto um R-73 em alguns quesitos e similar ao Python IV (por incrível que parece).
A versão inicial estaria mais para um AIM-9B como disse o Francisco.
Um abraço.

Bosco

Eu acho que o A-Darter deverá ser produzido aqui no Brasil pela Mectron mesmo.
Eu tenho é receio desse programa não dar em nada.
Um abraço.

Francisco AMX

Walderson,

A primeira versão do Piranha era inferior até a um AIM-9B…

Felipe Cps

Joaca em 23 out, 2009 às 12:38

“Senhores A FAB temum estoque elevado de AIM-9B ainad! Ao meu ver, temos que lança-los e substituí-los por Piranhas; A Joaca”

Apoiado! Vamos bombardear Caracas, rsrsrs 🙂

Sds.

Tomcat

Bosco, você tem razão sobre as aletas. Não havia me tocado que ficaria sem manobrabilidade quando o combustível acabasse. De qualquer forma, a versão X inverteu os comandos em relação à todas as versões anteriores.

Sobre o A-Darter, também tenho receio de que o programa não dê em nada.

[ ]’ s

aviãozinho

Nossa que vergonha!
A MEctron está a tanto tempo produzi do esse piranha, gastando muito dinheiro nisso para acabar cum um missel novo e ao mesmo tempo defasado.
Quando é que esse país vai aprender a inovar????????

aviãozinho

Diz, o nosso até o momento Ministro da Defesa, que o Brasil não comprará quaisquer armas que seja “velhas e ou usadas”. Mas convenhamos, com o atual orçamento das defesas, ou compramos novos “vagabundo chineses” (genérico) ou não compramos nada!

Getulio - São Paulo

Se o Super Hornet for o escolhido, seu armamento será o AIM9-M, que segundo os americanos atendem às necessidades da FAB.
Como se vê ou a FAB não pediu o último modelo, o AIM9-X, ou vamos continuar a sofrer a discriminação dos americanos, entre aliados (com AIM9-X) e compradores em geral (com AIM9-M).
Quem deve responder a esta pergunta é a FAB.

Hebert

Francisco AMX e Bosco,

O AIM9-X e o AMRAAM C-7 não seriam mísseis de categorias diferentes???
O primeiro é um WWR com guiagem infravermelha para curto alcance…
O segundo é um BVR com guiagem por radar ativo para medio/longo alcance…
Eles nao seria excludentes, mas complementares.

Atenciosamente

Hornet

um offo-topic:

“Acidente com F-18 dos Marines na Florida

Dia 17 de outubro último um caça McDonnell Douglas/Boeing F/A-18D “Hornet” do VMFA – AW -224 (Marine All Weather Fighter Attack Squadron 224) procedente da base aeronaval de Beaufort, estado da South Carolina, quebrou o trem de pouso esquerdo ao pousar no Aeroporto americano de Jacksonville, estado da Florida. A pista ficou fechada mas não causou atrasos aos voos civis. Nenhum dos tripulantes do caça ficou ferido.”

http://moraisvinna.blogspot.com/2009/10/acidente-com-f-18-do-marines-na-florida.html

abraços a todos

Luan

Não precisamos do AIM-9X,logo o “padrão” FAB sera com o A-DARTER e possiveis versões mais novas do Piranha.

Não é o caso nem necessidade de termos três misseis para a mesma função,sendo que fabricamos 2 destes.

No caso do SH ganhar o FX,usariamos o AIM-9M até integrarmos os outros.não precisamos pagar mais caro para levar oque não vamos usar para sempre.

Abraços.
TKs

Bosco

Herbet,
com certeza o AIM-9X e o AMRAAM são de categorias diferentes e complementares. Nossos comentários (meu e do Chicão) foram no sentido de mostrar nossa surpresa ao ver o melhor míssil BVR americano liberado, mas uma limitação (proibição?) em relação ao melhor WVRAAM que é o AIM-9X.
Um abraço.

Bosco

Interessante que os países ocidentais pularam da terceira geração para a quinta, sem passarem pela quarta, após um gap de 20 anos. Exceção apenas de Israel com seu Python IV de quarta geração. Só por curiosidade a primeira geração tem como exemplo o Falcon e era de baixíssima confiabilidade. A segunda geração tem como exemplo os primeiros Sidewinders e apresentava uma melhor confiabilidade. A terceira geração tem como melhor exemplo o Sidewinder AIM-9L introduzindo uma cabeça de busca ‘All-aspect” e um maior ângulo de disparo. O AIM-9L foi o divisor de águas em relação a confiabilidade dos mísseis de alcance… Read more »

baschera

Bosco em 23 out, 2009 às 21:23

Caro Bosco…perfeito seu comentário.
O Piranha MAA-1B sequer esta integrado ainda. O MAA-1A não vingou por que sem verbas , demorou mais de 15 anos vegetando, quando ficou pronto….. já era.
O A-Darter está em fase de testes aéreos, de carga G, de massa e de alcance. Mas está nitidamente atrazado…..

Sds.

Thierry

@Hornet Hornet 23 out, 2009 às 16:47 cf Sao Paulo(ex Foch) Rafale M- SH futur Salut l’ami Trouvé sur l’internet français – discussion pilotes- “Le Rafale a un gros avantage. Il peut atterrir partout. Le Rafale M est simplement adapté à atterir sur piste très courte (genre, le Charles de Gaulle) de porte avion. Il peut aussi atterir sans peine sur une piste bitumé. Quel différence avec le Super Hornet? Et bien le Super Hornet n’aime pas les pistes bitumés. Faites atterir 200 fois un F-18 sur le Bourget et observez les trains d’atterrisage. Vous allez payer cher l’entretien, moi… Read more »

Francisco AMX

Hebert, ninguém falou que eles são excludentes, e sim que era estranho não oferecerem o “kit do momento” e sem ofereceram uma solução “boa do momento” com o AIM-9M…

Combates Aéreos

Franceses comemoram 100 anos da primeira vitória em combate aéreo

Comemorações realizadas na Base Aérea 113 de Saint-Dizier, que incluíram exibição em voo de caça Rafale, ocorrem no mesmo...
- Advertisement -
- Advertisement -