sexta-feira, maio 14, 2021

Gripen para o Brasil

‘Correio Braziliense’ entrevista Robert Gower

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.aereo.jor.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

Executivo da Boeing questiona propostas de concorrentes para venda de caças

super-hornet-australiana-na-linha-montagem-foto-boeing-p-george

vinheta-clippingA empresa norte-americana Boeing, que concorre no programa F-X2 da Força Aérea Brasileira (FAB) com o caça F-18 Super Hornet, considera que está mais na disputa do que nunca. Segundo o vice-presidente da Boeing para o programa F-18, Bob Gower, a última oferta, apresentada ao governo brasileiro em 2 de agosto, traz argumentos “muito convincentes”, como um preço até 40% menor que a da francesa Dassault — fabricante do Rafale — e a transferência de “toda a tecnologia pedida pela FAB”. “Acredito que seríamos até 40% mais baratos que o Rafale, tanto nos custos de aquisição como de manutenção”, revelou Gower ao Correio.

O representante da Boeing, que se reuniu com o ministro da Defesa, Nelson Jobim, nesta semana, questionou a “transferência de tecnologia irrestrita” oferecida pelo governo francês. “Para nós, isso significa ofertar tudo o que é preciso para projetar e construir uma aeronave. Eles possuem, por exemplo, os direitos do chip da Intel, que está dentro da plataforma do avião?”, indagou.

Quanto à outra concorrente, a sueca Saab, Gower alertou para o fato de o caça Gripen NG ainda ser um avião em desenvolvimento, e de os custos e prazos para entrega, nestes casos, sempre serem maiores do que o estimado. Sobre a recente ofensiva da Saab no Brasil — que, nos últimos 10 dias, teve uma audiência pública no Senado, convocou uma coletiva de imprensa e tem publicado anúncios do Gripen NG em jornais brasileiros —, Gower ironizou: “Alguns concorrentes estão mais desesperados por uma venda, porque sem uma venda, eles (os aviões) potencialmente não existem.”

Em visita à Suécia, nesta semana, o presidente Lula disse que a única proposta que ele conhece é a da Dassault. Isso torna a disputa desigual?
O nosso entendimento é que a Força Aérea Brasileira ainda está avaliando as três propostas e levará suas recomendações ao ministro Nelson Jobim e ao presidente Lula. E quando isso acontecer, o presidente poderá ter acesso a todas as propostas, já com as recomendações da FAB. Nós temos argumentos muito convincentes sobre a mesa, considerando que a nossa proposta sairá muito mais barata ao governo brasileiro do que a do Rafale, e o nosso programa de transferência de tecnologia. Acredito que seríamos até 40% mais baratos que o Rafale, tanto nos custos de aquisição como de manutenção.

A Saab disse que, em 40 anos, o custo dos outros concorrentes equivaleria ao de dois Gripen NG. Não seria mais interessante para o Brasil investir então na proposta sueca?
É preciso observar que, hoje, o Gripen NG não é um avião pronto, então qualquer projeção que se faça sobre ele não tem base em uma trajetória. Além disso, a nossa experiência com o desenvolvimento de aviões mostra que os custos sempre acabam sendo bem mais altos do que o esperado e o prazo para entrega, maior. E esse é o grande risco de um programa que ainda está sendo desenvolvido.

O que a Boeing melhorou na sua proposta?
A principal mudança é a possibilidade de finalizar os caças aqui. Nós já tínhamos oferecido fazer uma parte significante da fuselagem e as asas, mas agora temos a oportunidade de entregar os caças a partir do Brasil. Outro ponto significativo é que conseguimos, no início de setembro, a aprovação do Congresso para toda a tecnologia que foi oferecida. Então, não precisamos de nenhuma aprovação adicional.

Mas o que, de fato, poderá ser produzido aqui?
A montagem final dos 24 últimos aviões será feita no Brasil. Isso inclui unir a fuselagem, as asas, colocar a cauda, instalar toda a aviônica (instrumentos de voo) e testar o avião para ver se ele está pronto para voar. Mas, mais do que isso, vamos fazer a frente da fuselagem e uma parte significativa das asas para as 36 aeronaves aqui. E essa fuselagem produzida aqui não será apenas para os caças vendidos ao Brasil. O país poderá produzir para qualquer outra venda internacional que fizermos.

O garoto-propaganda dos caças franceses tem sido o presidente Nicolas Sarkozy, que veio pessoalmente ao Brasil em 7 de setembro. Faltou um pouco desse empenho do governo americano?
Toda a nossa proposta passou pelo governo americano, que enviou ao Brasil assessores próximos ao presidente Barack Obama para reafirmar que Washington aprova a oferta e a transferência de tecnologia. Eles fizeram o que era preciso nesta campanha. O fato de alguém vir aqui e falar sobre compromissos é uma coisa; se preocupar em colocar isso no contrato é outra.

A França oferece transferência de tecnologia irrestrita, e os EUA, transferência de tecnologia necessária. O que é isso significa?
Quer dizer que vamos transferir toda a tecnologia que foi pedida pela FAB. Honestamente, nós não conseguimos entender como alguém oferece transferência de tecnologia irrestrita, porque, para nós, isso significa ofertar tudo o que é preciso para projetar e construir uma aeronave. Eles possuem, por exemplo, os direitos do chip da Intel, que está dentro da plataforma do avião? Nós não fazemos esse tipo de oferta. Essa é a diferença.

Por conta da recente ofensiva do governo sueco, alguns têm considerado apenas a Saab e a Dassault no páreo…
Nós estamos muito mais na disputa do que antes, e a nossa proposta falará por si só. No entanto, alguns concorrentes estão mais desesperados por uma venda, porque sem uma venda, eles (os aviões) potencialmente não existem.

FONTE: Correio Braziliense, via Notimp

- Advertisement -

156 Comments

Subscribe
Notify of
guest
156 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Felipe Cps

Kompanheiro Frankoorp:

“Vimos no que deu né? Ficamos a ver navios com as peças, equipamentos e aviònicos do F-5…se isso é cumprir contrato…”

É ficamos mesmo a ver navios… Kompanheiro, retrofitamos uma autêntica “peça de museu” e ainda queriamos que os gringos tivessem peças depois de uma década de já haverem parado de fabricar a aeronave?!!

Sabe o que é um F-5 pra quem constrói F-22??? Xulé de peido-de-véia!!!

Sds.

ToP GuN

Podem falar o que quiser, mas aonde está a quebra contratual americana conosco? Firmado o acordo, os gringos não dão pra trás.

Abraços

Tanus

Nós brasileiro também somos um perigo, mal ganhamos destaque e já aprontamos em Honduras. Falamos em imperialismo americano, mas na América do Sul muitas vezes se fala em imperialismo brasileiro. Por isso esse tipo de jogo ideológico é um risco. Espero que a FAB analise e escolha o melhor para o Brasil e eu não sei qual é a melhor proposta, mas imagino que a FAB saiba. Só não acredito nesses estigmas positivos de uns e negativos do outro. Queremos independência, tecnologia? Então escolhamos a melhor proposta do F-X2 e corramos para o F-X3, ou a tecnologia do F-X2 logo… Read more »

Francoorp

Kompanheiro!!!

Francisco AMX

Felipe! tb acho! o problema é que eu e tu sabemos que os petralhas não vão deixar! he he, não culpo os USA por isso! eles estão na deles! admiro este país pra caramba! gostaria de viver o resto da minha vida numa cidadezinha do interior, no sopé da montanha…rsrsrs! Mas quanto ao Rafale! os franceses fariam este caça de qualquer maneira, sem ou com o chip da intel! eles tem capacidade e indústria para isso! agora, se vale a pena? não sei! Os USA nunca conseguiriam embargar o Rafale, de verdade, podem atrasar, mas não seria inteligente da parte… Read more »

Francoorp

Felipe Cps Kamarada é coisa de fascista, eu sou Companheiro. Concordo que devemos fazer um contrato com todos os pingos nos “i”, mas creio que a FAB, não tenho o material na mão; tenha colocado no contrato de compra do nosso melhor caça da Frota(F-5), a garantia de fornecimento de peças e aviònicos, pois ainda não ouvi falar em nação que compra equipamentos sem pensar nas reposições dos materiais! Vimos no que deu né? Ficamos a ver navios com as peças, equipamentos e aviònicos do F-5…se isso é cumprir contrato…pode ser que sim, pois como disse falta o material na… Read more »

Harry

Caros

O americano esqueceu de dizer que a crise tembém bate no EUA mais do que em qualquer outro pais. Papo furado.

É verdade quando diz:
” alguns concorrentes estão mais desesperados por uma venda, porque sem uma venda, eles (os aviões) potencialmente não existem ”

O que pode tornar a proposta Sueca a melhor, já que seria verdadeiramente uma parceria.

Quero ver mais essa parceria e que o EUA faça aquilo que eles sabem fazer de melhor conosco. Embargar tudo que é deles.

Assim passamos a produzir

Abs

Felipe Cps

Chicão AMX: Eu particularmente acho que deveriamos parar com essa bobeira anti-americanista de ficar dando murros em ponta de faca, contrariando os caras e ficando amiguinho de tudo quanto é bolivariano de merla, ditadorzinho e assassino em massa terceiro-mundista e inimigos declarados deles, apenas para ocuparmos um podre assento permanente no falido Conselho de Segurança da “ONG gigante” ONU, para tentarmos nos tornar um aliado de primeira ordem do EUA, como Japão, Inglaterra, etc., e nos beneficiarmos, aí sim, profundamente, de suas tecnologias. Enquanto não fizermos isso, enquanto não nos tornarmos reais e profundos aliados dos americanos, enquanto peferirmos digladiar-nos… Read more »

Carlos Augusto

Vai sonhando Felipe, porque você vai acabar acordando com os 36 Rafales na FAB, e vai ficar mais irritado quando souber que logo logo virão mais, para completar os 120. O Brasil e a FAB merecem o melhor. Você viu a linha de montagem do Rafale, que coisa linda, agora eu queria ver a do Gripen NG, mas parece que ninguém nunca viu, e se depender do Brasil, nem vai existir.

Sds.

Felipe Cps

Chicão AMX: A verdade é que não existe independência absoluta, e a menos que se desacredite do executivo da Boeing, que deve ter suas informações para afirmar o que afirmou, o Rafale carrega peças de procedência americana. PONTO FINAL! Se o DoD mandar a Intel parar de vender chip para a Dassault, porque o Brasil escolheu o Rafale ao invés do SH, “dançamos” tanto quanto se mandar a General Electric parar de vender a turbina F-414 para a Volvo. Ou seja: a tal “independência” dos EUA que muitos diziam ser o diferencial do Rafale NÃO EXISTE! É UM MITO! É… Read more »

Francisco AMX

Felipe, os americanos cumprem contratos, isso é fato, mas e o governo dos USA? amigo se eles acharem que devem eles embargam e proibem as empresas americanas de darem qualquer assistência a seus “clientes”, foi e sempre será assim!

Patriota

“Eles possuem, por exemplo, os direitos do chip da Intel, que está dentro da plataforma do avião? ” Isso cheira a embargo , com o Chile foi a mesma conversa os yankes prometeram que venderiam mísseis AIM-120 AMRAAM porem na ultima hora disseram que só entregariam estes quando julgassem necessario. Os americanos são trapaceiros e gostam de mudar as regras quando querem , se eles acham que um chip da Intel não pode ser substituido eles estão muito enganados pois a Tales certamente deve ter capacidade de produzir um chip superior que possa a vir a substitui-lo. “Isso inclui unir… Read more »

Francisco AMX

Outro fato! os USA se negam a vender componentes e produtos! sem TT mesmo! simplesmente vender algo que nos capacitaria a produzir nossa tecnologia própria ou manter um nível melhor em nossa defesa! apenas vender! mas vendem estes para europa e Asia…

Felipe Cps

Francoorp em 09 out, 2009 às 15:33: Karo Kamarada Frankoorp, os americanos são bons cumpridores de contrato sim. Aliás, o americano em geral respeita muito a palavra empenhada, e joga limpo com seus clientes: o que dá pra fazer dá, o que não dá, não dá e ponto final. Você vê muito pouco americano aplicando “golpe” em seus clientes mundo afora; o mesmo já não se pode dizer de muitos outros povos, inclusive franceses e brasileiros… Basta ver que 90% do mat bel brasileiro até hoje é de origem americana, inclusive o melhor caça da frota brasileira, o Northrop F-5.… Read more »

Francisco AMX

O Blog sabe mecher com as “lombrigas” das quase viúvas! he he é só jogar um “pãozinho” “mofo e requentado” que elas se reviram no bucho deles! he he Chip Intel!??? he he. Os caças americanos possuem peças da Alemanha, Inglaterra e, muito provavelmente, da França e de muitos países europeus, deve ter até componentes fabricados no Brasil… China…, só que são componentes de mercado! que não estão sujeitos a embargos governamentais, e são escolhidos por princípio econômico! se não puderem ser usados, terão substitutos! será que o Sr. Bob vai dizer que só os USA tem Chip??? por favor!… Read more »

Francoorp

Tanus:

Sim…os precedentes não faltam, mas qual nação tem mais precedentes deste tipo conosco?

-Os USA!

Francoorp

Wesley

Concordo com Você que mais alguns BI a mais seria melhor, mas na ONU acho que o jogo jà está feito pra nós.

Não acredito que a reforma será assim como o nosso governo nós diz, os países do mundo (80%) são contrários a mais assentos permanentes na instituição, estes querem que acabe o “Veto” dos grandes, e não que novos grandes entrem no direito de veto.

Veremos o que acontecerá, mas pela nossa amiga França, entramos no novos grandes.

gil

O avião podia ser qualquer um dos três, todos são ótimos. Uns transferem mais conhecimento técnico que poderá ser agregado a nossa capacitação da engenharia de desenvolvimento e produção deste tipo de armas, outros entregam menos o ouro, contudo em vinte ou trinta anos o Brasil já terá se emancipado nisto com ou sem FX-2, poderemos encurtar o caminho com este processo, mas ele não é condição absoluta. O que é condição “sine qua non” para nossa independência é a “vontade de fazer”, a politica de “pesquisa e desenvolvimento” com programas e verbas sem contingências, emfim, uma “política de estado”… Read more »

wesley

É uma sinuca de bico, pagar mais caro e capitalizar a dessault pra ter uma garantia maior de que a TT vai ser transferida,ou ir de saab(o mais barato ao menos no papel) e torcer pra não haver embargos, ou ir de USA e torcer pra que eles tenham boa fé e nós deem a TT que pedimos.

Tanus

Francoorp, eu já vi esse video, mas intenda que os EUA não podem ser acusados de não transferir tecnologia numa época que não haviam se comprometido com isso, ou a França pode ser acusada de nunca ter transferido a tecnologia dos mirage ou de seus misseis numa época em que não havia se comprometido como isto? E o que realmente aconteceu com os misseis argentinos???
Se for assim todos tem maus precedentes…

R. Delilian

Provavelmente o blog nao falou nada do Su-35, pq os russos estavam sobre forte efeito de vodka…. o Su-35 esta fora do FX-2, e eles sabem disso, pelo fator de transferencia de tecnologia… oq eles devem ter notado, eh q precisavam da grana pra industria deles, soh q bem depois do prazo, e resolveram apresentar uma proposta se eh boa ou nao nao sabemos… no fx-2 eh impossivel dar su-35 pq senao vamos sofrer pesados processos judiciais… mas que o su-35 eh o melhor de todos, sem duvida é!! e se a proposta for tão sedutora… o MAXIMO q pode… Read more »

Francoorp

Errada esta coisa do contrato.

Mentira que eles(USA) cumprem sempre o contrato.

Lecen

Por que o blog nao falou nada da entrevista do diretor geral da roboronoxeport para o defesanet sobre a participacao do Su-35 na licitaçao???

Francoorp

Tanus:

Veja o Video de algumas paginas antes, e verás que os USA não cumprem os contratos quando querem , mas exigem que os outros(pigs) cumpram com eles.

Bruno Rocha

________________PODER AEREO______________

Nunão, Galante, Editores e Cia. Apresento-lhes esses vídeos para verem e tirarem suas próprias conclusões.

Embraer Video Institucional, 2007
http://www.youtube.com/watch?v=lRI4NO5vvu0&feature=related

Motor Aeronáutico a álcool
http://www.youtube.com/watch?v=_RU7vP2DuKo&feature=related

Rafael

Esta história de transferência irrestrita de tecnologia é a mesma do ” la garantia soy yo” ou seja , balela, papo furado de vendedor, na hora do pega pra capar, ai teremos um ” veja bem….” O que temos é que analisar a MELHOR proposta, colocar em contrato e FECHAR!Vejo aqui uma onda anti-americana ridícula, SE for colocado em contrato, não tem como eles nos sacanearem, depende unicamente de NÓS fazermos nossa parte e exigirmos um contrato com claúsulas claras.Agora comprarmos um produto pelo menos 40% mais caro, com o nosso orçamento?Leio alguns comentários aqui e dá pra entender como… Read more »

wesley

Francoorp
um contrato de 4 bi faria muita diferença , bem é o q eu acho, ainda mais dpois do governo ter dado quase certa a vitoria da dassault.Nenhum deles ali é confiavel, mas os franceses ao menos conosco foram mais justos historicamente.Já na questão da ONU promessa ele pode terfeito, mas e a influencia? falar na frente é uma coisa quero ver atrás dos bastidores…

Tanus

Não entendo a proposta da Saab, o principal argumento da Saab é que o Brasil aprenderia muito projetando um caça, mas parece que o Gripen ng não é um novo caça é apenas a modernização de meia vida do Gripen (radar, avionicos, turbina) necessária a qualquer caça. O que há de diferente é o realocamento do trem de pouso para caber mais combustível, além disso não sei como o Brasil vai aprender a projetar se o projeto já esta feito. Modernizar um caça é muito diferente de projeta-lo. Não sei qual das propostas é melhor para o Brasil, inclusive nunca… Read more »

wesley

Eu não iria de SH é um tremendo retrocesso, não depois dos milhares de embargos que já sofremos e tals, accho injusto recorrermos aos americanos de novo, tudo bem que não temos como nos livrar deles mas tbm já é fato os franceses levaram essa, e já ta otimo pra quem tem caças “lixo”, pensem nisso como o começo da nossa aviação ehehe o problema é capitalizar a dassault mas dessa não vai ter escapatoria.

JC

Felipe, que oposicao? Aqueles boca moles que ainda nao entenderam que estao deixando o pais afundar em um mar de lodo do qual soh sairemos em 50 anos? Bom, quanto ao mulla e o NJ terem de justificar alguma coisa…po, nem devolvendo dinheiro de impostos eles estao, assumindo na cara dura…imagine se vao dar alguma satisfacao. Vc jah conhece estes canalhas. Quanto ao aviao, que venho o F18 e que sejamos aliados da maior nacao do planeta, USA!! Nada de se alinhar com almofadinhas europeus, chinas, comunas, russos mafiosos, bolivarianos e afins. Mas se der Gripen tb fico muito feliz.… Read more »

Francoorp

Wesley O nosso ministro da defesa jà começou a “questionar” a proposta do Sarkò, pois a promessa de 100% de tecnologia feita pelo governo “François”, pode não ser confiável, pois a Dassault é uma empresa privada, e é ela que decide, e não o governo que possui uma cota de ações da empresa mas sem direito de voto. Coisa nova esta noticia…ou serà velho o discurso, serà que ainda fazem pressão nas empresas para ter mais Off-Sets, ou serà que começam a preparar a Dassault para uma derrota no FX2? Quanto ao Desaponta-lo, a França jà tem 6 Bi €… Read more »

Tiago Jeronimo

Transferência irrestrita de tecnologia é coversa fiada, não existe só os tolinhos pra acreditar nisso.

Eu continuo torçendo pelo Super Hornet.

Felipe Cps

R. Delilian em 09 out, 2009 às 14:33: “ele deu dois recados… o primeiro é que a proposta francesa de tecnologia pode até ser superior a da americana, e provavelmente é, mas tbm nao eh irrestrita… e o outro que pode ser lido… é que se o brasil estiver fugindo do f18 para evitar futuros embargos americanos, nós nao precisamos nos dar ao trabalho, pois eles tbm podem vetar ou pelo menos atrapalhar um bocado futuros negocios tanto do NG como do SH.” Perfeito colega! É UTOPIA DA MAIS IDIOTA ACHAR QUE IREMOS “NOS LIVRAR” DOS AMERICANOS TÃO FACILMENTE, COM… Read more »

Wesley

Francoorp
realmente não, mas o principal defensor do Brasil no conselho é Sarkozy, experimente desaponta-lo… , eu acho que todos os três tem pros e contras… ou seja, dessa vez o governo ta na pic* do saci.

Luiz Antônio Cavalcanti

Esse FX-2 ainda vai arder em brasas por muito tempo. Não vai se encerrar tão cedo!

Francoorp

Wesley

O FX2 não dà cadeira pra ninguém!!!

No contexto mundial o FX2 é sò um Pingo no “i”, dentro uma enciclopédia Larousse!!!

Ou seja é coisa muito pequena, para uma poltrona no C.S.-ONU.

BassMan

…”E essa fuselagem produzida aqui não será apenas para os caças vendidos ao Brasil. O país poderá produzir para qualquer outra venda internacional que fizermos”….
Essa parte chegou doer meus pobres testículos.

Wesley

esqueci de comentar o que está em jogo ai é mais a cadera no conselho de segurança da ONU do que o proprio avião em si.

Francoorp

Pessoal, Rafale é basta!!!!

Temos somente que começar à aprender a projetar uma aeronave militar supersônica, o resto projetaremos, depois, mas muito depois do FX2.

Erich Hartmann

Excelente artigo Felipe cps e bate com o que tenho lido em publicações como força aéréa Brasil e outras que os pilotos preferem o Super Hornet por já estár efetivado ,enquanto que a FAB preferiria o Grippen NG (Grippen anterior desde o FX1…) pela abertura maior de parcerias embora hajam algumas posições contrárias que o consideram um “beco sem saída” como o AMX…Já o executivo ou aspecto político prefere o Rafale…

(todos os 3 concorrentes tem seus partidários…)

Francoorp

Para os substituir os Chips Intel, podemos usar os AMD!

Vive la France!!!

R. Delilian

Felipe Cps em 09 out, 2009 às 14:33 Sim, eu creio que os maiores defensores do Rafale sejam os politicos, mais precisamente lula e jobim, nao que o aviao nao seja bom ele é otimo… mas sei lá pq a fab e a embraer vem dado a entender discretamente que se só eles fossem responsaveis pela escolha então… o rafale nao seria tão favorito, mas ainda assim poderia ganhar se nao fosse tao caro com um custo de voo tao caro com uma manutenção tao cara e pra finalizar oq eh caro e eh apenas um pouquinho melhor do q… Read more »

Wesley

Os americanos são Os Caras, porém alguém confia? , bem se não for de saab vai de boing, eu não quero ver o Brasil fortalecendo uma concorrente direta da embraer.

R. Delilian

Flavio, Na verdade isso foi uma pergunta simbólica, entendo que não se trata só de um chip, embora toda a produção e tecnologia do Rafale seja francesa, existem centenas de milhares de componentes que integram um avião, e alguns deles não são produzidos por franceses, pois embora tenham conhecimento de como faze-lo, a relação custo/demanda, e como os americanos tem um parque industrial completo, algumas pecinhas acabam sendo vendidas para a frança, que se benificia com o custo, pois produzi-las seria muito mais caro do q compra-las… A mensagem dada ai foi provavelmente uma indireta… a intel eh dos estados… Read more »

Felipe Cps

Off-Topic (mas no tema) interessante, via Defesanet, do Correio Braziliense: “O PREFERIDO DA FAB Luiz Carlos Azedo Com Guilherme Queiroz Até o fim de outubro, depois de sucessivos adiamentos, a Comissão Gerencial do Projeto F-X2 deverá concluir os trabalhos de avaliação das propostas enviadas pelas empresas concorrentes à venda dos caças para a Força Aérea Brasileira (FAB). Não será nenhuma surpresa se os brigadeiros derem o troco no anúncio precipitado de compra dos caças Rafale pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, durante a visita do presidente da França, Nicolas Sarkozy, e descartarem o modelo francês como primeira opção de… Read more »

Paulo Renato

Isso aí caro Felipe Cps !!!

Belo comentário, tb acho que os Rafales não são totalmente Francês e agora ainda cm essas palavras de Bob Gower !!!

Mas esse FX2 já está marcado, vai de Rafale e vamos ter que aturar o Sarkosy.

Abs.

Felipe Cps

“Eles possuem, por exemplo, os direitos do chip da Intel, que está dentro da plataforma do avião?” KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK!!! Um verdadeiro espancamento com luva de pelica, rsrs… E como pra bom entendedor meia palavra basta, traduzo o que disse o Bob Gower: “Pierre, pare de mentir, senão Titio Samuel fica bravo, e quando Titio Samuel fica bravo, num deixa Pierre colocar chipizinho de Titio Samuel dentro do computador de bordo de aviãozinho de Pierre…” 🙂 Detonou a esdrúxula tese de que o Rafaleco é 100% frances, rsrsrs… NINGUÉM TRANSFERE TECNOLOGIA QUE NÃO LHE PERTENCE!!! No mais, a proposta americana é excepcional… Read more »

Flavio

“Para nós, isso significa ofertar tudo o que é preciso para projetar e construir uma aeronave. Eles possuem, por exemplo, os direitos do chip da Intel, que está dentro da plataforma do avião?”

Desde quando é preciso conhecer os detalhes de fabricação e a tecnologia do chip da intel somente para coloca-lo no avião? Será que a boeing tem esta tecnologia? será que a Intel entregou para a boeing? Até onde eu saiba, é preciso saber os dados de desempenho, e não da tecnologia em si….

Se quer dar exemplos, que dê exemplos mais concretos e bem feitos

mane

“Para nós, isso significa ofertar tudo o que é preciso para projetar e construir uma aeronave. Eles possuem, por exemplo, os direitos do chip da Intel, que está dentro da plataforma do avião?”

Excelente pergunta. Mas segundo o sr. Ministro da Defesa existe um compromisso da França para a “transferência de tecnologia irrestrita”, uma “parceria estratégica”, então os fatos não importam.

Erich Hartmann

Valores de 40% menores que o Rafale dentre outros,muito boa proposta e intenções…

Questionamento aos experts no assunto : Existria alguma forma ou possibilidade de “reset” (por transmissão criptografada/codificada direta no hardware/software por meio de transmissão não detectável comunmente…) nos sistemas computadorizados desses SH/F-18,Rafale e Grippen NG?

Se existe isso,sinceramente com histórico(sem anti-yankees aqui ok?) diversos embargos diretos ou indiretos dos EUA(pé atrás com Franceses vide Malvinas…),não podemos confiar numa transferência eficaz de tecnologia(segurança dos sistemas contra violações/interferências externas)e eventual “abertura de códigos” da parte deles,teriamos que ter muita segurança quanto a esse aspecto.

Reportagens especiais

A estrela da semana foi o Gripen E, mas a Saab não se esqueceu do Gripen C

Empresa sueca ainda espera conquistar novos clientes para a versão atual do Gripen, nos próximos 5 a 8 anos - Fernando...
- Advertisement -
- Advertisement -