segunda-feira, junho 21, 2021

Gripen para o Brasil

‘Há opção política pela França’, diz Jobim sobre caças

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Segundo o ministro da Defesa, as empresas terão que dizer o que é transferência irrestrita

vinheta-clippingO ministro da Defesa, Nelson Jobim, afirmou hoje durante audiência pública na Comissão de Relações Exteriores do Senado, que o processo de compra dos caça FX, que irão substituir os aviões Mirage, não está fechado, mas reconheceu que há efetivamente uma opção política pela oferta francesa. “Basta que eles façam cumprir a transferência de tecnologia e o valor final”, afirmou o ministro. Jobim lembrou que o prazo final para a apresentação das ofertas é 21 de setembro e que todas as empresas estão apresentando novas propostas e detalhando as existentes. “Todas as empresas estão apresentando novas ofertas, e tudo isso é ótimo. Chega de o Brasil ser um mero comprador de “a”, “b” ou “c”, ou de ainda receber instruções de “A”, afirmou.

Jobim referia-se às restrições como as que os Estados Unidos fizeram ao Brasil em 2005 quando impediram a venda de super tucanos para a Venezuela. Jobim lembrou que é advogado e, como tal, trabalha com antecedentes. Na sua avaliação, os antecedentes dos Estados Unidos nesse tipo de negociação não são bons.

Segundo o ministro, as empresas terão que dizer o que é transferência irrestrita (oferta da França) e o que é transferência necessária (oferta das autoridades americanas). Segundo Jobim, a França informou que a transferência irrestrita é total. No caso das conversas com as autoridades americanas, ele disse que foi mencionada a dificuldade de integração do sistema de armas, o que para o Brasil é considerado um problema.

O ministro informou que durante as conversas ocorridas há dez dias, o presidente da França, Nicolas Sarkozy, garantiu ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva a redução do preço da hora de voo do caça Rafale para 9,8 mil euros o custo total. Segundo o ministro, esse número foi calculado com base em fórmula francesa e, o valor que superar esse custo, o governo francês banca. Ele não mencionou o valor da proposta anterior mas, segundo fontes do mercado, a oferta inicial da França previa o custo total da hora de voo em 14 mil euros.

Na conversa, relatou Jobim, o governo brasileiro informou que não seria possível fechar o negócio com os franceses em 7 de setembro exatamente por causa do preço, considerado muito alto, o que levou Sarkozy a apresentar uma nova oferta.

FONTE: Estadão

- Advertisement -

67 Comments

Subscribe
Notify of
guest
67 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Rodrigo Torres

Incrível como é caro o voo do Rafale, 120 rafales serão impossíveis de manter. 30 mil reais por hora de voo é sacanagem para um pais que não da nem comida aos seus soldados.

Harry

Caros
Retiro a minhas desconfianças quanto ao franceses desde que se cumpra o que Jobim diz “Segundo o ministro, as empresas terão que dizer o que é transferência irrestrita (oferta da França)”.

“o que é transferência necessária (oferta das autoridades americanas)” Quanto a isso não precisa dizer que, é aquilo, que eles
consideram o que podemos e não podemos ter como tecnologia.

Isso é uma concorrencia aberta nada parecido Sr. Deputado Raul Julgman com o SIVAM.

Abs.

matheus

Ainda na Comissão do Senado Jobim anuncia como fato relevante proposta da Família Wallemberg, controladora da SAAB, porém não a detalha.

Felipe Cps

O mais interessante achei isso: “No caso das conversas com as autoridades americanas, ele disse que foi mencionada a dificuldade de integração do sistema de armas, o que para o Brasil é considerado um problema.” Ou seja: os caras não estão nem um pouco a fim de fornecer os códigos-fontes do sistema de armas. Isso deve ser (suponho eu – me corrijam se estiver errado) porque os códigos fontes devem ser únicos para as aeronaves e para os mísseis americanos: para que o míssil se comunique com a aeronave (e com o piloto), ambos devem ter o mesmo software, construído… Read more »

JC

Nao irei mais nem ler essas noticias, jah esta definido q eh o Rafale e pronto. Eh soh assinar logo e chega…

Que a corja do PT e da Odebrecht faca bom proveito do nosos $ e que sobre $ pra campanha da ministra ano q vem.

Saquinho, por favor!

Deio

Harry, muito boas colocações. Felipe Cps. Você foi lógico e preciso. Alguém venderia algo que no futuro poderia se voltar contra si? O que os EUA fazem possui duas vertentes: comercial e de defesa. Vendem do jeito que querem para poderem lucrar com isso mais e mais adiante. E não permitem vender algo que possa lhes causar dano futuro. Querer isso ou aquilo qq um pode. Aí vem um sujeito e diz que fará do jeito que o comprador quer. Como nesse tipo de negócio não há PROCON (França x Israel na década de 60 e EUA x Irã nos… Read more »

mauro dias

Ou seja , para o Titio sam na verdade só existe a venda pura e simples , e esse papo de aliança mais profunda com o Brasil, é conversa mole , o que vale para eles é total dependência dos seus meios.
Caso considerasse o Brasil um parceiro não haveria essa dificuldade com armamentos, eles jogam verde para ver se cola.Depois de feito o negócio, aí eles ditam as cartas.Neste caso eles diriam o que nós iríamos ter ou não.Ou seja total dependência

Hornet

Harry, acabei de responder a vc no outro post. Se eu tivesse lido sua resposta aqui, nem precisava ter respondido lá…hehehe Mas é isso mesmo, tal como vc disse. E como eu disse a vc no outro post: o Brasil fará um bom contrato, pois estamos tomando todas as precauções possíveis. Essa fala do Jobim é muito clara. Foi-se o tempo que alguém empurrava ou impunha coisas por aqui. O Brasil, até que enfim, já passou desta fase. E no caso do Jungmann, ele deu uma bola fora, pois confundiu a época do Sivam com o FX2…enfim…coisas diferentes. É que… Read more »

JULIO

A diferença entre as nações está em comentários que demonstram a visão de curto prazo. VEjo o Rafale mais que apenas um avião, vejo como uma aula, como uma escola. Pensar na comida dos soldados é o que nos diferencia, por exemplo, dos Americanos, que quando entendem ser necessário dar a vida de seus militares cidadãos em prol de seus objetivos estrategicos o fazem, sem hesitar. Aqui, alguns comparam o futuro da naçãos desenvolvimento tecnologico e toda sorte de desenvolvimento que ós negocios trarão aos cidadãos brasileiros, ao prato de comida dos soldados. São por pensamentos como esses que por… Read more »

Alexandre G.R.S.

prezado JC, Realmente não entendi o seu post. Você realmente prefere o sistema EstadoUnidense aos outros sistemas? Qual é o ganho objetivo disso? se já foi dito que é imperioso a abertura dos Weapon code-keys, e como já era previsto o mesmo NÃO ACONTECERÁ. Agora dentro desses parâmetros de analise, o que deve fazer o governo? comprar o sistema EstadoUnidense e passar mais 30 anos dependente? 30 anos? isso justifica uma escolha? onde você quer estar daqui a 30 anos? Realmente não consigo entender, sobre essa ótica, os defensores do sistema EstadoUnidense… Se nós temos a possibilidade de avançarmos porque… Read more »

Patriota

O Rafale é a melhor opção para o Brasil em todos os sentidos .

URUTAU

Boa Tarde Senhores Bem como ja citei por diversas vezes os 3 vetores são excelentes com qualidades e logico problemas tambem eu semprei defendi a seguinte equação 36 Rafales ou SH agora num 1* contrato e mais 12 num pós venda estes complementados por Gripens NG desenvolvidos numa parceria BRASIL-Suécia para serem totalizadas 120 ou ate 150 aeronaves ou caçadores mas com uma condição sine qua nom abertura dos códigos fontes mas aparentemente os EUA se negam a libera-los por motivos creio eu tambem assim como o amigo Felipe Cps bem explanou ou seja muito provavelmente todo o sistema aéreo… Read more »

URUTAU

Em tempo senhores

Não sou antiamericano pelo contario no inicio desejava esta dobradinha mas com SH-Gripen NG mas sem código fonte aberto não existem as minimas condições para isso

Forte abraço

Alexandre G.R.S.

Prezados,

Não é questão de ser anti-americano. Alias esse foi um termo cunhado na guerra fria para distinguir aqueles que eram contra o seu sistema.
Não temos que perpetuar animosidades com o pais Anglo-Saxão. Muito pelo contrário. Devemos manter uma relação clara e estreita porém respeitando-nos como não faziamos antes. Temos que ter uma personalidade mais presente!
Chega de nos acharmos inferiores! isso foi algo incutido em nós durante séculos!
Vamos nos relacionar bem sim. Com todos. Mas mantendo um orgulho se si!

LBacelar

Com a declaração do vice-presidente de projeto da boing, um dos responsáveis pelo SH, o preço do F18 fabricado no Brasil superaria muito os 70 mi por unidade do RAFALE. Todos nós sabemos que isso é mentira, pois com um caça com mais de 400 unidades fabricadas, a produção já bancou mais que o triplo do valor de projeto, o q acontece é que eles não querem que nós brasileiros dominemos a técnologia desse afamado caça. Mas agora eu vos pergunto, quem garante que o avião fabricado e montado lá no interior do Arkansas será igual ao utilizado na us… Read more »

Hornet

Os EUA estão certos, do ponto de vista deles. E nós também, do ponto de vista nosso. Queremos uma coisa, os EUA têm receio em vender. Sem problemas, podemos comprar em outro lugar. Não há problema algum nisso. Não estamos declarando guerra aos EUA por causa disso e nem acusando os EUA de fazer algo errado. O ponto central do FX2, só pra relembrar: TT irrestrita. O que a Boeing diz sobre isso (está publicado hoje, no Estadão): “Boeing admite transferir só parte da tecnologia. Moacir Assunção O vice-presidente da divisão de produtos da Boeing Integrated Defense Systems, Robert Gower,… Read more »

URUTAU

Preazado amigo Alexandre G.R.S.

Com abertura de código fonte o SH é um excelente vetor não ficando com débito algum perante aos outros concorrentes agora sem a devida abertura de código fonte nem pensar

Forte abraço Alexandre

Alexandre G.R.S.

Prezado Hornet,

Concordo em muito quando você diz que temos que escolhers entre elevação de Status x Independencia.

E não consigo entender o porque dessa escolha ser tão dificil. Acredito que seja uma trauma que permeia o nosso inconsciente coletivo.

É chegada a hora, enquanto nação, de fazermos a nossa catarse! para que possamos andar de cabeça erguida!

É o que eu sinto quando eu leio os post´s aqui. Ok. Até entendo preferências. Mas não entendo uma falta de consciência enquanto nação!

Inclusive usarei esse tema para a minha dissertação.

Hornet

só complementando meu raciocínio: Achar que os EUA sabotariam o FX2, ou que venderiam os caças com dispositivos “milagrosos” e essas coisas, eu particularmente já acho demais da conta. Os EUA, como qualquer outro país, tem milhares de defeitos…mas não são imaturos. E nem nossa relação com os EUA é imatura. Muito pelo contrário. As relações diplomáticas, políticas, culturais e econômicas entre Brasil e EUA não se resumem a uma possível venda de 36 caças e nem tão pouco começaram ontem. Os caças são mais importantes para nós que para os EUA, podem acreditar nisso. Se eles conseguirem nos vender,… Read more »

Felipe Cps

Mauro: perfeito seu comentário. Outro dia um grande cliente me procurou com um problema que precisava equacionar. Fizemos reuniões, apresentamos propostas, discutimos métodos de trabalho, melhoramos propostas, discutimos de novo, e o negócio não saiu. Culpa minha? Culpa do cliente? Não, apenas o negócio é que não era bom o suficiente para ambas as partes. Acontece oras. Com as nações se dá o mesmo. Tivéssemos nós um alinhamento incondicional com os EUA e talvez a conversa fosse diferente: talvez os caras tivessem oferecido o F-35 com TT. Mas se é verdade que os EUA já pisaram na bola com a… Read more »

Jonas Rafael

Felipe Cps, Código Fonte em Programação é o código original, inteligível para quem desenvolve, a partir do qual é gerado o Código Objeto, em linguagem de máquina, que os computadores entendem. Para alterar o Código Objeto final você precisa possuir os Códigos Fontes. Eu entendo que o Código dos sistemas da aeronave não seja o mesmo do armamento, até porque um programa pra gerir um avião não é o mesmo para controlar o míssil. O diálogo entre dois sistemas distintos é normalmente feito através de algum protocolo de comunicação comum, um padrão no envio de informações para que eles possam… Read more »

Jonas Rafael

Essa resposta era pra questão lá em cima, é que quando fui postar o site caiu fora do ar pra mim. Ainda bem que copio e colo antes de Enviar…

André

Pessoal, concordo que a TT irrestrita é um fator fantástico, mas quem garante que, no caso da França,saindo o Sarkozy e entrar um Jean MArie le Pen, ultra nacionalista francês, dará continuidade ao processo?

Adrik

Hornet, vc podia marcar um encontro dos leitores do blog do RJ em copacabada… podiamos tomar uma cervejinha e ver outros aviões passando na praia…

abraços

Hornet

Alexandre G.R.S. não sei se é trauma ou não. Mas precisamos apenas entender nosso momento atual. O Brasil está buscando seu espaço no mundo do pós-Guerra Fria, com maior independência dos antigos laços impostos pela bipolarização do mundo, apenas isso. E os caças, os submarinos etc. fazem parte dessa busca. Mas essa busca não se resume a isso, evidentemente. O Brasil é muito mais forte em outras áreas, e está crescendo de importância no mundo a cada dia. A Defesa está apenas tentando acompanhar este desenvolvimento do Brasil mais geral, pois precisamos de Defesa mais forte também. Defesa faz parte… Read more »

Colt

Há questão é que o termo usado “decisão política” é incorreto. Por uma questão cultural há uma dificuldade de se deixar claro a natureza da decisão. Há um certo temor em se declarar a sua verdadeira natureza. Ela não é política. Ela é ESTRATÈGICA! Significa aceitar que o mundo é perigoso, as nações são entes muitas vezes egoístas que, se necessário, inventam as maiores desculpas para projetar seu poderia bélico e atacar outras.( ex. USA no Iraque) A decisão é ESTRATÈGICA porque o BR tem uma história de amizade com a França… nossos interesses, nossas culturas, nossos povos tem mais… Read more »

Hornet

Adrik,

boa idéia! Quem sabe não dá certo?!!

abração

Alexandre G.R.S.

Quem compactua com o modelo Monroe ou Marshal comete um crime de lesaPátria.

Walfredo

É totalmente possível fazer um sistema que comunique aeronaves e armas diferenciado para cada comprador, basta criar um drive com senha criptografada na comunicação com o armamento.

Ou seja, é possível vender a aeronave, transferindo o código-fonte de operação (por um preço significamente maior), sem ter que, necessariamente, ver seus sistemas inutilizados.

Felipe Cps

Colt: pegue tudo que você escreveu e coloque “EUA” no lugar de “França” e verá que faz até mais sentido: O Brasil tem uma história de amizade com os EUA, abaladas por crises pontuais menores ainda que com a França (Invasões Francesas, Guerra da Lagosta, “Brasil não é um país sério”, etc.); Nossos povos (Brasil/EUA) tem mais semelhanças do que diferenças (nação “nova”, do mesmo continente, ambos países colonizados por europeus, com elevada taxa de imigrantes, populações negras e indígenas, etc); Os EUA precisam de um parceiro forte e rico (?) como o Brasil nas próximas décadas; O Brasil quer… Read more »

Mauricio R.

O sr. ministro de diz advogado, então que trabalha c/ antecedentes.
Mto convenientemente esqueceu os maus antecedentes dos franceses c/ relação aos helos montados em MG.

Angelo Nicolaci

Não querendo sair um pouco do foco no Rafale e SH. mas o que o pessoal acha de irmos de Gripen NG? já temos tecnicos rumando para suecia para participar do projeto, é um avião mais condizente com os recursos de nossa FAB, tem menor custo por hora de voo e além do mais advem de um projeto modular, muitos criticam por utilizar componentes de diversas origens, mas tem uma qualidade que nem Rafale nem SH apresentam, o Gripen pode facilmente adotar novos sistemas por se tratar de uma plataforma modular de combate, que permite a rapida integração de sistemas,… Read more »

GERSON VICTORIO

Felipe CS,

qual entre esses dois países teve mais ações intervencionistas neste século?

EUA?

França?

Walfredo

Basta colocar mais uma turbina e vender metade da SAAB pro Brasil, de preferência com aumento de capital, montando uma unidade aqui.

Angelo Nicolaci

Adrik e hornet

Vamos marcar sim um encontro com a galera do blog em copacabana, poderia ser até no forte de copacabana, haveria lugar mais apropriado??? rsrsrs

Abraços e vamos avaliar essa idéia, kd o galante???

Lembrando que estou esperando um retorno da MB para visita ao A-12

Angelo Nicolaci

Ah , galante gostaria de pedir s sua permissão para divulgar meu blog, onde apresento questões variadas, seria uma honra ter a visita dos amigos aqui do blog em minha pagina, saõ comentarios simples de diversas noticias politicas,militares e sociais, espero que o pessoal deixe sua critica e me ajude a desenvolver este projeto.

http://www.brasilnicolaci.blogspot.com

Angelo Nicolaci

Mauro
concordo com seus sonhos, seria realmente muito bom se houvesse um projeto como este.

Com relação ao chopinho vamos ver com a galera quando vai ser o proximo feriadão e marcar, pode ser no forte mesmo, pois é um local histórico, onde houve a revolta dos 18 do forte, e este poderia ser até o nome de tal evento, encontro dos 18 do forte.

Colt

Caro Felipe Cps
Não vou responder suas considerações.

Hornet

Mauro e Angelo, precisa ser em um feriado, sim (o choppinho), senão complica…e num feriado prolongado, pois moro bem longe de Copacabana…hehe mas enquanto o choppinho não vem…notícias de última hora sobre a visita do Jobim ao Congresso: “Extra – Ainda na Comissão do Senado Jobim anuncia como fato relevante proposta da Família Wallemberg, controladora da SAAB, porém não a detalha. – Propostas comerciais serão analisadas até o dia 26 Setembo. – Segundo Jobim a FAB informou que os três aviões são similares em performance. A única exceção seria Gripen por ser monomotor e que afetaria a segurança em combate.… Read more »

Hornet

e aqui tem uma análise, realizada ontem, do Godoy sobre a situação toda do FX2. Vale a pena ver.

http://tv.estadao.com.br/videos,AVIACAO-APESAR-DO-ANUNCIO-NEGOCIO-COM-A-FRANCA-NAO-ESTA-FECHADO,71285,0,0.htm

abraços a todos

Hornet

Mauro,

eu também gosto do Godoy. Ele é um diferencial na imprensa leiga sobre assuntos de Defesa. Isso é bom.

abração

Nunão

Mauro e Hornet: acabei de fazer um post do vídeo.

Saudações,
Nunão

Hornet

Mauro e Nunão,

ok. Valeu!

Mais rápido que o som, mais rápido que a luz, mais rápido que o pensamento…hehehe

abração aos dois

ps. E tá travando o servidor ainda…ô dureza!!!

Tiago Jeronimo

Nicolas Sarkozy, garantiu ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva a redução do preço da hora de voo do caça Rafale para 9,8 mil euros o custo total. Segundo o ministro, esse número foi calculado com base em fórmula francesa e, o valor que superar esse custo, o governo francês banca. Parece ser bom demais pra ser verdade, falar é fácil, quero ver colocar isso no papel. E com uma ressalva, com a cotação do euro a 2,649 o valor da hora de voô ficará em quase R$ 26.000,00 bastante mais caro que o Super Hornet. Esse é um jogo… Read more »

Tales

Felipe Cps em 16 set, 2009 às 15:21 “Isso deve ser (suponho eu – me corrijam se estiver errado) porque os códigos fontes devem ser únicos para as aeronaves e para os mísseis americanos: para que o míssil se comunique com a aeronave (e com o piloto), ambos devem ter o mesmo software, construído com o mesmo código-fonte.” “Código fonte (código-fonte, ou até source code em inglês) é o conjunto de palavras ou símbolos escritos de forma ordenada, contendo instruções em uma das linguagens de programação existentes, de maneira lógica. Existem linguagens que são compiladas e as que são interpretadas.… Read more »

Tales

Só agora li o que escreveu o Jonas Rafael em 16 set, 2009 às 17:06 Mas a essência da idéia dele (“Eu entendo que o Código dos sistemas da aeronave não seja o mesmo do armamento, até porque um programa pra gerir um avião não é o mesmo para controlar o míssil”), confirma minhas suspeitas. Complementado o que ele disse (“O diálogo entre dois sistemas distintos é normalmente feito através de algum protocolo de comunicação comum, um padrão no envio de informações para que eles possam conversar.”), lembro que no F-16, até o Block 60, esse “diálogo” entre “avião” e… Read more »

GUPPY

Gostaria de ser um dos “18” do Forte.

GUPPY

Se o “Xat” tiver no ar e alguém levar um Laptop poderemos ficar “on line” na ocasião. Se o Marcelo Ostra puder comparecer, o encontro poderá ter o nome mudado para Cervejex ou Choppex(lembram do Almocex?).
Abraços a todos e desculpas ao Marcelo Ostra.

Abraços a todos!

Felipe Cps

Gerson Victorio: como disse o amigo Mauro, se levarmos em consideração a história toda, o páreo é feio. Amigo, franceses nunca foram santos… Colt: é lógico que vc não vai comentar. Nem precisa, eu sei que estou correto em minhas considerações… Jonas Rafael e Tales: obrigado pela aula, como disse não entendo muito de informática, embora me recorde de Basic e Cobol. Mas tendo a achar que a coisa é mais complexa do que os amigos disseram e os tais códigos-fonte impliquem em abertura de alguns dados que os americanos, talvez, não possam abrir prum mero comprador de material bélico,… Read more »

eduardo

Felipe CPS,concordo com suas colocações sobre a relação Brasil Estados Unidos. A denúncia do acordo militar entre nós e os EUA feito pelo Pres. Geisel terminou com o alinhamento automàtico em termos de equipamento militar que existia até meados dos anos 70. As pessoas falam muito de aliança estratégica com a França, mas o que está sendo feito é uma negociação de equipamentos militares. Aliança estratégica exigiria que o Brasil tivesse um projeto de longo prazo para o país e que esse projeto fosse condizente com o projeto de longo prazo da França. Acho que eles devem ter uma noção… Read more »

Reportagens especiais

Viggen, I’m your son! – parte 2

Em 3 de junho de 1992, o Parlamento Sueco concedeu à FMV a aprovação para a encomenda do segundo...
- Advertisement -
- Advertisement -