Home Estratégia Brasil é o primeiro comprador internacional do Rafale

Brasil é o primeiro comprador internacional do Rafale

353
240

Caça francês desbanca concorrentes sueco e americano

Concorrendo com o Saab Gripen e do Boeing F/A-18E Super hornet, o caça francês Dassault Rafale venceu o F-X2 da FAB. O avião já era considerado o favorito, embora não tivesse obtido nenhuma vitória nas concorrências que participou.

O caça bimotor francês, que rivaliza com o Eurofighter Typhoon, surgiu como ACT (Avion de Combat tactique) e ACM (Avion de Combat Marine), destinado a substituir os Jaguars da Armée d l’Air e os Crusaders e Super Etendards da Aéronavale.

O primeiro vôo do protótipo demonstrador de tecnologia Rafale A aconteceu em 4 de julho de 1986, propulsado ainda por turbinas norte-americanas GE F404, pois as turbinas francesas, desenvolvidas para ele, não tinham ainda alcançado a maturidade requerida. Somente no início de 1990 é que aconteceu o primeiro vôo com uma turbina SNECMA M88.

Os protótipos Rafale C01 (monoplace para a Força Aérea), Rafale M01(monoplace naval), e Rafale B01 (biplace para a Força Aérea) voaram em maio de 1991, dezembro de 1991, e abril de 1993, respectivamente.

Uma célula de testes, na configuração Rafale M, foi entregue ao CEAT de Toulouse em 10 de dezembro de 1991, para testes de fadiga em terra. Entre aquela data e 2 de março de 1993, foram completados mais de 10.000 vôos simulados, incluindo 3.000 catapultagens e 3.000 pousos a bordo. A validação estrutural foi atingida em 15 de dezembro de 1993.

Inicialmente, o Rafale B era para ser apenas um treinador, mas as experiências da Guerra do Golfo e do Kosovo mostraram que um segundo tripulante era inestimável em missões de ataque e reconhecimento e, sendo assim, mais Rafale Bs foram encomendados, substituindo alguns Rafale Cs. Foi decidido que 60% dos aviões seriam biplaces e a Aéronavale, que inicialmente não tinha encomendas de aeronaves de dois lugares, também quis obtê-los; a decisão, no entanto, foi posteriormente cancelada pela Marinha.

Prejudicado pela falta de recursos

As demandas do Governo Francês pela redução de custos levaram à suspensão do programa Rafale em novembro de 1995 e o bloqueio dos fundos em 1996.

Os planos para três versões do Rafale em níveis diferentes de sofisticação foram abandonados, e substituídos por uma versão padrão e outra de exportação, com três softwares (F1, F2 e F3) de missão sendo introduzidos progressivamente nos aviões em produção.

Inicialmente as Forças francesas esperavam receber 294 aviões: 232 para a Força Aérea e 60 para a Marinha. Mas, com passar do tempo e a elevação dos custos, este número caiu para somente 120 Rafales.

Os aviões estão sendo entregues em três lotes distintos, sendo a encomenda mais recente a do final de 2004, para 59 Rafales, embora o Ministério da Defesa francês tenha revelado que este número pode cair para 51 aeronaves, com o mesmo “custo global” . Foi mencionado o sacrifício de 8 a 12 aeronaves para permitir a introdução de novas versões dos sensores desenvolvidos pela indústria francesa.

O Rafale M teve prioridade na produção inicial pela necessidade de substituição dos velhos Vought F-8 Crusader da Aéronavale. As primeiras entregas começaram em 2001, com o primeiro esquadrão, Flotille 12, formado em 18 de maio de 2001. A unidade iniciou as operações no NAe Charles de Gaulle em 2002, tornando-se plenamente operacional em 25 de Junho de 2004, depois de uma extensa opeval (avaliação operacional), que incluiu vôos de escolta e missões de apoio aéreo na Operação Enduring Freedom, no Afeganistão.

Suíte eletrônica

Dois sistemas eletrônicos principais foram desenvolvidos para o Programa Rafale: o radar multimodo de varredura eletrônica RBE2, e o sistema de auto-proteção SPECTRA.

O RBE2 (Radar à Balayage planos Electronique 2) é uma radar desenvolvido durante os anos 90. É um equipamento do tipo PESA (passive electronically scanned array), considerado inferior aos AESA mais recentes, como o AN/APG-79 do F/A-18E/F do Super Hornet. Por isso está sendo desenvolvida a versão RBE2-AA (active array), que deverá entrar em serviço em 2012.

Diz-que o RBE2 pode rastrear até 40 alvos simultaneamente e engajar 8 deles, com alcance máximo em torno de 120km, para alvos do tamanho de um caça.

O sistema defensivo do Rafale é o SPECTRA, uma suíte de sistemas defensivos que combina sensores capazes de acusar emissões de laser e de radiação eletromagnética, lançadores de chaff e de flares, interferidores eletrônicos para “jammear” sistemas inimigos e detectores de lançamento de mísseis guiados por infravermelho.

O Rafale também tem um sistema eletro-óptico Thales/SAGEM OSF de busca e rastreamento infravermelho, instalado no nariz da aeronave.

Alto custo de desenvolvimento e preço salgado

Segundo algumas fontes, o custo total do Programa do Rafale foi de € 28 bilhões (cerca de US$ 38 bilhões), o que se traduz em um custo unitário de cerca de € 95 milhões. Só o desenvolvimento da versão de exportação, Rafale Mk.2, custou €1,3 bilhão!

O “flyway price” de 2006 era de € 51,8 milhões (cerca de US$ 72,5 milhões) para a versão da Força Aérea, e € 56,6 milhões, para a versão naval.
Nas concorrências de Singapura e Coreia do Sul, o Rafale foi oferecido por US$ 95 milhões.

Até agora, avião não tinha vencido nenhuma concorrência internacional

Apesar de vários países terem demonstrado interesse no Rafale, o avião não conseguiu vencer nenhuma concorrência. Em 2002, o Rafale competiu com o Boeing F-15K para o F-X da Coréia do Sul, mas acabou perdendo. Em 2005, o Rafale perdeu novamente para o F-15, na disputa pelo melhor caça para a Real Força Aérea de Singapura.

Em 2006 foi anunciado que a Líbia queria comprar de 13 a 18 Rafales por US$3,4 bilhões, mas o negócio não foi concretizado. Em 2007, o Rafale também participou de uma concorrência no Marrocos, perdendo para o F-16.

NOTA do BLOG: o subtítulo da matéria é o cumprimento de uma promessa feita no ano passado a um leitor do Blog, quando foi utilizada a palavra “desbancaram” numa matéria sobre derrota internacional sofrida pelo Rafale no Marrocos, frente aos F-16. Apesar da situação ser diversa, prometemos ao leitor utilizar a palavra quando o Rafale ganhasse sua primeira competição internacional.

SAIBA MAIS:

240 COMMENTS

  1. Tanto a Aeronáutica como o Ministério da Defesa concluíram que o País precisa de no mínimo 102 novos caças de última geração. A decisão do governo é que nos próximos 20 anos sejam comprados 36 caças, com total transferência de tecnologia, de maneira que os outros 66 possam ser fabricados no Brasil, por empresas nacionais.

  2. Que venha o Rafale!!
    Tanto a Aeronáutica como o Ministério da Defesa concluíram que o País precisa de no mínimo 102 novos caças de última geração. A decisão do governo é que nos próximos 20 anos sejam comprados 36 caças, com total transferência de tecnologia, de maneira que os outros 66 possam ser fabricados no Brasil, por empresas nacionais.

  3. Finalmente a novela do FX 2 terminou !!!!!
    Vamos ver se realmente iremos receber a transferencia tecnologica pretendida ! (Torço para que sim !)
    Agora é so aguardar para vermos os Rafales em nossos céus ! Abraços !!!

  4. Notícia mais do que esperada e sabida.
    O Brasil agora tem que se preparar para as represálias por parte do norte americanos, que certamente virão.
    “ajoelhou, tem que rezar”!

  5. Espero que tenha sido uma boa escolha, ainda mais com a possibilidade de quem sabe poder ter a versão naval.

    Mas acredito que foi uma decisão política, e não técnica.

  6. Até que enfim!!!!! Doze anos!!! Dava para ter desenvolvido um nacional!!! Mas que seja, qualquer um é bem vindo!! Agora um novo tanque pesado para o exército!! Quem sabe um desenhado e construido no Brasil.

  7. Bom agora que acabou essa novela, que venha o Rafale com toda tecnologia que dissem que virá, quanto aos EUA já passou da hora de cortar o “cordão umbilical” bom voos Rafale pelos céus do Brasil.

  8. Puxa nem acredito que a novela ACABOU!!
    Se passaram quase 10 anos de espera!!
    Espero q daqui pra frente só venham frutos!!
    Agora é trabalhar pra fazer esse negocio decolar!!
    Se represarias dos yanques virão isso é com certeza!! Mas vamos se virar pois agora o negocio e com o Brasil mesmo!!

  9. Bom …. !!!

    Como havia dito ao meu amigo Hornet …

    Dessa data em diante MEU caça predileto é o RAFALE … que essa parceria com a França dê bons frutos à NAÇÃO BRASILEIRA !!!

    Parabéns Brasil !!

    Que tenha sido a decisão certa !!

    abc
    Kaleu

  10. Comecei a acompanhar o blog faz pouco tempo tendo, inclusive, dificuldade em compreender os termos mais técnicos, mas achei lamentável a escolha do governo brasileiro. Achei que se fosse obedecido o critério técnico iria dar o Gripen.
    É temeroso o país ficar tão dependente dos franceses, no caso da Marinha e, agora, da Aeronáutica. Outro ponto a considerar é o preço, tanto de aquisição quanto de manutenção. Sempre fui funcionário público e conheço o processo de sucateamento que sofre a máquina pública depois que os holofotes apagam, acredito que esses aviões correm o sério risco de ficarem parado por quaquer problema causado por falta de dinheiro, quiçá até para comprar pneus. Não me convenci que o preço do Rafale, em comparação com o Gripen, se traduzisse na mesma proporção em qualidade da aeronave. Por acaso o Rafale possui o dobro de qualidade que o Gripen?
    O gasto que o país terá com o Rafale, não seria melhor comprar mais Gripens? Estou convencido ser essa mais uma decisão que demonstra a falta de cuidado na gestão do dinheiro público.
    Alguém poderia comentar e, agradeceria, mostrar que estou enganado?

  11. Bem, se acabou mesmo (tudo indica que sim), espero que a decisão tenha se baseado em critérios objetivos (e não subjetivos: “gosto mais desse do que daquele” ou “vou ganhar mais nesse do que naquele”), ainda que não apenas técnicos.

    Estou com o amigo Kaleu: a hora é de comemorar porque a novela parece ter chegado ao fim (ou será que apenas começou? – rsrsrs). De fato o Dassault Rafale é um excelente caça, talvez, tecnicamente, o melhor dos três concorrentes. Agora é torcer para que a opção seja a mais acertada e os futuros governos respeitem a trajetória do Projeto.

    No mais, aguardemos o pronunciamento da FAB. A partir de hoje sou Rafale desde criancinha e o F3 é a melhor aeronave de caça do mundo, rsrs…

    Abs.

  12. o LeandroRS, só tem que levar em conta que o rafale não depende da boa vontade dos ianques, israelences, sul-africanos, ingleses, alemães e etc. o gripen é um monstrinhos que tem de tudo que pais, podendo ser vetado a qualquer momento.

    o rafale só fica depedendo dos franceses, que, não tens motivos até agora para reclamar.

  13. Caros amigos,

    Como eu digo viva o Brasil e viva a França!!! que nos liberta de uma dependencia de decadas e antes que digam que vamos ficar dependentes eu digo que não pois acredito firmemente que a França passara a tecnologia e também acredito que nossos engenheiros já tem um bom conhecimento, falta apenas alguns detalhes que certamente eles vão captar e melhorar em prol do Brasil. vejam o exemplo do físico do IME que provol algo que muitos de nós já sabiamos ou seja o Brasil tem o total conhecimento e condições para montar assim que preciso bombas nucleares. Senhores tevemos acreditar que nosso país apartir de hoje entra totalmente em uma nova era! desde a descoberta do pre-sal, além das riquezas que já tinhamos o país não pode mais pensar que ninguem vai tentar tomar as nossas riquezas, até porque os recursos naturais e tambem o comercio dos grandes países estão a perigo. Portanto, viva o Brasil e Viva a França!!!!

  14. Finalmente o Martelo foi batido!!!

    Acredito que os 3 finalistas eram ótimas aeronaves….mas gostei muito da escolha do Governo. O Rafale é o caça mais robusto, e mais perto das necessidades militares continentais do Brasil.

    O Gripen, apesar de apresentar um bom custo de manutenção, é uma aeronave que nem existe ainda…é um protótipo, e é monomotor, não tendo a possibilidade de deslocamente tão poderosa quanto o f-18 e o rafale.

    Certamente o acordo trará divisas tecnológicas ao Brasil, já que se firmou uma extensa transferência de tecnologia e abertura de códigos-fonte. Era isso que nosso governo queria….um parceiro para que a longo prazo nós mesmos possamos fabricar um caça 100% nacional e de última geração.

    Depois desse pacotão com a França, seremos, em pouco tempo, a 2a potência militar das américas, perdendo apenas pros EUA.

    Abraços!

  15. Amigo Kaleu,

    acabei de ler as notícias…

    Bem, o Rafale agora não é da França, é da FAB. Somos todos Rafale de agora em diante.

    abração

    Amigo João Curitiba,

    até que enfim vou poder tomar aquela champagne!

    um brinde a todos os que acreditaram na capacidade da FAB e do MD em levar o FX2 até o fim, contra tudo e contra todos!

    um brinde a nós!

    abração

  16. Qualquer um que fosse escolhido era otimo. A FAB merece!
    Agora, desejo que doze destas belezas vão primeiro para o PAMPA e os coloquemos ao alcançe destes bolivarianos de m…

    ” JÁ TE ATENDO, TCHÊ” diz o líder Pampa sobre o carimbo ao abater dois SU-30.

    Sejamos perseverantes – não sossegarei até ver 12 destes no Pampa e 24 no Jaguar e a linha de produção no Brasil…

    Não tá morto quem peleia!

  17. Não entendo uma coisa: dizem que o gripen é mais “barato”; mas sera que a autonomia iria valer a pena? + o numeros a mais para cobrir p território…

    E como aconteceu no caso dos submarinos, vai vir gente (viúvas) reclamar que não foi escolhido aquele por “politica” e blá blá blá

  18. Por favor, essa de pré-sal é uma reedição do “O Petróleo é nosso” do sr. Getúlio Vargas, reencarnado em Lula. Menos, menos….

  19. Kaleu e Felipe CPS,
    parabéns pela postura! vcs são brasileiros de verdade! eu teria feito exatamente o mesmo!
    Saibam que meus temores não morrem com a escolha do Rafale, devemos fiscalizar e denunciar qualquer desvio de conduta dos franceses para com esta ampla parceria que se desenha! e que a FAB não sofra um segundo sequer com problemas de “indisponibilidade” francesa!

    Amigo Hornet e Mauro! Congratulações aos perseverantes amigos que sempre acreditaram no FX-2, e nunca desmoreceram, fui um pessimista desde o início, comecei a mudar mais recentemente!
    QUE BOM QUE VCS VENCERAM! lembram!? sempre torci pelo “inimigo” rsrsrsrs, que vcs tivessem razão e eu não, com esta mania de Hard (Oh céus, Oh vida!..) Mas continuo a torcida por vcs! pois só vou me render, de fato, quando os Rafales estiverem voando nas cores da FAB!

    E continuamos nossa vida de aeronautas “frustrados” (pelo menos eu rsrssrs)

    VIVE LE BRESIL! VIVE LE FRANCE! VIVE LE FAB! VIVE RAFALE!
    Que façam “miséria” na primeira REDFLAG que participarem!

    Abraços!

  20. Foi a melhor notícia que eu poderia ter nesta Segunda-Feira…PARABÉNS, BRASIL! Acabou a novela FX-2 com o MELHOR desfecho possível, com o país assegurando TOTAL superioridade militar em todo o Hemisfério Sul, além de um pacote IMBATÍVEL de benefícios com nossos irmãos franceses. De quebra, abrimos o mercado mundial para os MELHORES cargueiros médios do mundo que serão produzidos pela Embraer, os KC-390.

    Uma vez mais, congratulações ao governo brasileiro por uma estratégia de defesa cada vez mais clara e direcionada ao pleno desenvolvimento da indústria bélica nacional…PARABÉNS neste Dia da Independência!

    Rafale, DE LONGE a melhor escolha de caças multi-role para o Brasil e um dos 3 MELHORES aviões da categoria no mundo. Nosso país já pode, com orgulho, se considerar como a MAIOR potência militar do Hemisfério Sul, e líder ABSOLUTO da América Latina.

    E claro: CHUPEM os inferiores bolivarianos, bem como os imbecis apoucados e entreguistas à la FHC que sempre defenderam submissão eterna aos EUA; para não mencionar aqueles que continuam a perpetuar o complexo de vira-lata em nosso país, que saiu MUITO MELHOR da crise do que qualquer outra potência.

  21. Apesar de simpatizar pelo Rafale, mas por ter sido mais uma decisão política(megalomaníaca) do que técnica e pelo seu alto custo operacional, corre o risco de parte da frota no futuro ficar impossibilitada de voar por falta de verba para manutenção, custo este pelo menos três vêzes maior do que o do Gripen.

  22. Vemos aí uma decisão nitidamente politica, fruto do alinhamento com a França. Se a avalicao fosse meramente técnica, nao tenho duvidas que o Gripen seria melhor escolha.

    Nao duvido que essa venda já tenha sido acertada juntamente com o pacote para Marinha que inclui tecnologia para o submarino nuclear.

    à medio ou longo prazo talvez seja uma opção inteligente, caso o Brasil queira realmente desenvolver uma industria belica sustentavel. Se isso nao acontecer poderíamos ter gasto muito menos para termos Forças Armadas adequadas ao nosso papel geopolitico.

  23. era de imaginar que um governo burro como esse iria fazer aliança com um país que é isolado com o resto da europa, ao invés de fazer aliança com alguma superpotência. Vai fazer aliança com um paizinho medíocre que fabrica as próprias sucatas, e é sucata mesmo tanto que nao ganhou nenhuma concorrência ainda, e pros amigos que acham que ficaríamos submissos aos americanos, agora vamos ficar submissos aos franceses, e o pior de tudo, com equipamentos ridículos e EXTREMAMENTE CAROS (nunca iremos conseguir comprar 120 caças com o preço dessa sucata! O rafale não é nem perto de ser um dos melhores do mundo e os scorpene, nem a própria marinha francesa o usa de tão ruim que é!
    íncrivel, só esse governo pra fazer umas burradas dessas!

  24. chegaram em 2014.
    sobre o nosso amigo guga, os scorpenes não são usados na marinha francesa por que eles só usam submarinos nucleares.

    sem contar que o U-214 não é muito diferente…

  25. Estou acessando I blog via celular e deixaria esta data passar em branco. Viva FAB e MD e Brasil. Nao poderia ser em data mais especial do esta. Venceu a melhor proposta a mais logica a melhor para a Embraer que sempre teve vinculos muito estreitos com a Dassault. Venceu o melhor vetor, nao importa os custos, venceu os institutos de pesquisa do Brasil, venceu a Dassault Systems, a Snecma, Thales e todo um complexo militar que desenvolve e produz o vetor número 1 Frances, o que agrega todos os conhecimentos de um Forca como Armee de l’air. Venceu acima de tudo o Brasil. Parabens FAB acima de tudo.

  26. É, já que deu Rafale, é a única chance da MB se beneficiar com o FX-2.
    Cancelemos já a modernização do A-4. É a grande chance de as autoridades navais entrarem novamente no circuito e reativarem o desejo de verem alguns modelos Rafale F1 operando a partir do A-12 mesmo antes de a FAB receber os 36.
    O desafio técnico de instalar um ski jump não é impeditivo, aliás já foi feito antes e essa aeronave já operou no FOCH, com limitações, é claro. Os franceses da DCN poderiam nos auxiliar.
    É a única chance de a MB pegar carona nesse “gasto”, pois outra compra como essa, só na próxima era glacial. Assim como foi feito com o EC-725, poder-se-ía negorciar no contrato pelo menos 6 dúzia de F1 para a MB, conforme já foi oferecido.

  27. No fim, espero que ele se de bem no Brasil, já esperava esse resultado. Critiquei muitas vezes o Rafale, mas é um vetor muitíssimo capaz. Sem dúvidas quem ganhou foi o BRASILLLLL!

    É o fim da novela, finalmente!!! Gostaria que fosse o SH, mas com o Rafale estamos muito bem servidos também. Nem acredito nesse resultado.

    Abraços

  28. nossa aleluia!!! quando essa novela começou:
    celular era um tijolo;
    titanic estava em cartaz no cinema;
    ninguem tinha olvido falar no obama;
    o papa era o joão paulo;
    michal jackson ainda tinha cara de gente;
    ninguem sabia o que era tsuname;
    o povo pedia romario na seleção;
    ou seja faz tempo!!!

    seja bem vindo rafale!!

  29. amigo Chicão,

    “sempre torci pelo “inimigo””…kkkkkkkkkkk

    Não tem essa de inimigo, etávamos e estamos todos no mesmo barco….quer dizer, no mesmo caça…hehe

    Acho que eu e o Mauro (entre outros) apenas confiamos na capacidade das FAs e na conjuntura favorável para que todas as coisas bacanas que estão acontecendo agora pudessem acontecer.

    Ninguém tem bola de cristal, mas uma coisa é certa: todos estavam querendo que o FX2 chegasse ao final – a FAB, o MD, o governo, os vendedores dos caças, nós todos – por isso que eu não entendia a descrença e o “agouro das Hienas” (ó vida, ó azar…hehehe).

    Se fosse aquela conversa, a FAB quer, mas o governo “está pensando”, “esta analisando ainda” (hehe)…certamente não saia nada. Mas quem mais defendeu e apostou no FX2 (assim como submarinos, helis etc.) foi justamente o governo!!! Então, não tinha outro final a não ser esse, dos programas chegarem até o fim e se concretizarem.

    É claro, precisamos fiscalizar e criticar tudo. Mas existem maneiras e maneiras de se fazer isso. Uma maneria é a racional, calcada em dodos concretos, a outra é a emocional delirante. Tanto nos submarinos (atualmente) como no caso do FX2 (desde sempre), nem sempre a razão esteve em primeiro plano. No caso dos submarinos, os ataques de parte da imprensa foram irracionais, mentirosos, criando factóides, manipulando a opinião pública, enfim, verdadeira baderna o que alguns panacas tipo Jânio de Freitas fizeram. Mas, faz parte do jogo. A MB os torpedeava a todo momento, mas os caras não aprendem e nem sabem ler, fazer o quê?…hehee

    Mas voltando ao ceticismo…Muitos confundiram a Defesa do Brasil e a END com suas crenças e preconceitos políticos (e aí, num raciocínio simplista e paupérrimo, fizeram a seguinte ligação: como eu não gosto deste governo, por algum motivo qualquer que não vem ao caso, então tomara que dê tudo errado para eu poder afirmar e ratificar meu preconceito idiota…uma coisa assim. Isso não apenas é simplismo, é burrice também. E, claro, estão quebrando a cara a todo momento. Eu só dou rizada disso…muito divertido acompanhar meio de longe esta questão, em vários blogs, não só no “nosso”…hehehe).

    E ainda nesta questão, do simplismo, vieram todas as desconfianças mais…muitas vezes questionando a própria capacidade das FAs, seja a FAB ou a MB, em escolher seus próprios meios. Todas as escolhas foram feitas pelas FAs. Todas. A aliança com a França se efetivou devido so submarino nuclear (foi por causa do sun nuc que a aliança foi assinada, não apenas, mas principalmente). E no caso do FX2 são mais evidentes ainda as escolhas da FAB.

    Se a FAB não quisesse o Rafale, ele não teria sido indicado inicialmente (assim como não houve indicação inicial do Mig 35, do F-15, do Chengdu J-10 etc…todos excelentes caças de quarta geração, mas que a FAB, por algum motivo, achou por bem nem sequer cogitar a possibilidade deles no projeto FX2) e nem tão pouco teria sido incluído na short list (quando a FAB não quis o Mirage 2000-5, não ficou com ele. Um dos motivos do FX, o finado, ter sido adiado foi esse. A FAB não queria o Mirage 2000-5, pois sabia que era uma roubada naquele momento).

    A partir da short list, o que pesaria para a escolha final foi aquilo que a FAB e o MD sempre deixaram claro para todos: transferência de tecnologia. Não era preço, não era capacidade ténica (pois os 3 caças possuíam essa capacidade técnica de cumprir o que foi estabelecido pela FAB), não era nada disso.

    Os caças SU-35, F-16 e Typhoon também cumpririam tecnicamente os requisitos da FAB, mas no caso do Flanker, ingenuamente ou por qualquer outro motivo, a Russia fechou a porta de antemão para uma conversa mais aprofundada sobre TT (e o Su-35 era tido como um dos favoritos no quesito TT, junto com o Rafale. Mas fecharam a porta, dançaram).

    No caso do Typhoon, por ser um consórcio, ficaria difícil negociar a TT. E no caso do F-16, perdeu para o Super Hornet (pois o Super Hornet é, de certo modo, mais versátil que o F-16 no seguinte ponto: é um caça naval. E esse ponto não pode ser menosprezado, assim como o Rafale é um caça naval também…isso está em acordo com a END: padronização dos meios, o que inclui a possibilidade de a FAB e a MB vir a operar um mesmo caça. Isso reduz custos no médio e longo prazo. Além de deixar tanto a FAB como a MB equipadas com caças de ponta).

    Voltando ao assunto. Após a Short List qual foi então a discussão que norteou o FX2: transferência de tecnologia. Não foi preço, não foi capacidade de combate (os 3 caças são muito próximos neste ponto, com vantagens e desvantens muito pequenas), não foi nada disso. Foi TT. E as negociações foram se fazendo. Negociou-se com os 3 fabricantes. Descarto por completo qualquer tipo de suspeita sobre isso, pois toda semana existiam notícias sobre isso aqui no blog. Foi um processo com a clareza que processos desta natureza permitem. Foi uma negociação de meses, com representantes dos 3 fabricantes vindo ao Brasil e com autoridades brasileiras indo a França, EUA e Suécia a todo momento.

    E no final, ganhou a melhor (no sentido de mais confiável e maior amplitude) proposta de TT. O processo todo foi uma escolha técnica e política ao mesmo tempo, pois TT é uma escolha técnica, e a viabilização disso é política. Não tem como negar isso. Pois o FX2 não começou ontem, começou no final de 2007. Precisamos enxergá-lo como um todo. E de preferência com a razão, e não com preconceitos políticos ou coisa deste tipo.

    Veja o que está anunciado nos jornais de hoje sobre o FX2. Qual foi o destaque? Qual foi o motivo alegado para a escolha do Rafale? Transferência de Tecnologia total.

    Vai começar agora o FX-naval. Para os escoltas (fragatas) da MB. A França é favorita de novo. Por que? TT e parceria estratégica. A França foi muito inteligente ao construir essa aliança com o Brasil (e essa aliança vem sendo pensada desde 2005, na época do Chirac, não começou ontem, e nem com mo Sarkosy…quer dizer, Carla Bruni…heheh) e deixou os países que tinham maior influência no Brasil, como os EUA, de calças na mão. Quem teve mais competência de enxergar o Brasil emergente como potência mundial (econômica, política etc.) foi a França e não outros países que poderiam ter feito o mesmo e até estavam em posição mais favorável. Mas não quiseram, por qualquer motivo que seja. Azar de uns, sorte de outros. E o Brasil tem muito a ganhar com essa aliança com a França, muito mais que caças e submarinos.

    Quem quiser vender equipamentos militares ao Brasil de agora em diante vai ter que oferecer mundos e fundos em relação a TT, senão não vende nem uma “espingardinha de chumbo” mais. E não basta só oferecer a TT, tem também que cacifá-la, respaldá-la politicamente, torná-la concreta e viável numa relação de respeito mútuo e de respeito à soberania do Brasil.

    Desculpa o “postão” (post longo)…mas achei que valia a pena!…hehehe

    Já sobre ver os caças novos nas cores da FAB, vai demorar um pouco ainda…acho que só em 2015…até lá vc pode continuar “malhando”, tem minha total compreensão…kkkkkkkkk

    abração bro!

  30. Parabéns a todos Brasileiros pela escolha, embora não era aquele que preferia… mas ok…
    Agora não sei se foi escolha política ou técnica…
    E como disse um grande amigo meu… o futuro dirá se foi acertada ou não, para o bem do país que para todos vocês que amam a nação, espero sim.
    Uma pergunta… a versão que virá é o F3?
    Se irá ter represálias dos EUA? Provavelmente… estão á espera de que?… de uma garrafa de champanhe?
    No mundo as coisas funcionam assim e se caso fosse americano o caça outro acordo do subs e helis.. poderia estar em risco… o franceses também não iriam gostar.
    Não coloquem os americanos como o mal do mundo…
    Claro que isto é a minha opinião e só espero que a partir de agora o rafale venha com o que foi prometido… caso contrario as coisas vão ser mais duras e tristes para o Brasil.
    A minha duvida é… se a França está a desenvolver tal tecnologia de ponta… será que vai mesmo repassar mesmo esses desenvolvimentos… só se estão mesmo desesperados em vender o caça… esse ponto pode ser a próxima novela… ou então não virá com os últimos desenvolvimentos.
    Um abraço amigos Brasileiros e boa sorte com este belo caça.

  31. Diferente do Gripen o Rafale é cem por cento francês, portanto a cadeia logística fica mais facilitada, além de não dependermos de nada dos EUA para mantermos o caça operacional; o que nos dá muita segurança, considerando que os americanos já vetaram para nós até mesmo a venda de canhões Vulcan para o AMX sabe-se lá se não nos negariam também a manutenção desse componente super crítico em qualquer aeronave, já que as garantias que nos fizeram estavam atreladas a uma conjuntura política e não a uma relação histórica de confiança nesse quesito, portanto, considerando que as circunstâncias mudam, e mudam rápido, logo, rapidamente, poderiam dizer não para o os itens do Gripen sob sua responsabilidade; aí meus amigos, Inês é morta.
    Em que pese não ser o Rafale o caça ideal, pelas razões que vários amigos leitores já expuseram, ele era o melhor entre os ofertados, já que o Gripen, apesar de mais barato, tinha esse calcanhar de Aquiles, consequentemente estaríamos sempre dependendo das contingências políticas dos EUA, que nos consideram como seu quintal e não conseguem compreender bem nossa vontade de exercer soberania, vem daí a dificuldade deles, inclusive, de aceitar que operemos um porta aviões. Sábia escolha Jobim, sem nenhuma coincidência – 07 de setembro – Independência e Soberania. Brasil!

  32. Putz além do PoderAereo cair toda hora o BlogNaval e o Forte tão fora do ar… Efeito Nicolas Sarkozy os francos tão podendo mesmo. Na proxima visita tomara ki ele traga a Carla Bruni ki não deu o ar da graça desta vez, pode trazer também umas Fremm pra marinha e uns Tiger pro exercito… Volta logo Sarkozy e vive le france…

  33. Caramba, não é que o Lula realmente fez alguma coisa de útil!
    Viva o fim do FX-2, viva a França e viva o Rafale!!!

    Abraços

  34. “E no final, ganhou a melhor (no sentido de mais confiável e maior amplitude) proposta de TT. O processo todo foi uma escolha técnica e política ao mesmo tempo, pois TT é uma escolha técnica, e a viabilização disso é política.”

    Não houve escolha técnica. A FAB sequer terminou o processo de escolha e não chegou a apresentar o relatório. Foi atropelada em uma “negociação” apressada do Nelson Jobim com os franceses, feita a toque de caixa e sem a participação dos militares.

    Como disse antes, é uma vergonha que um processo que estava sendo conduzido com seriedade e honestidade seja bruscamente interrompido pelo lobby e pela propina. Perdeu a Aeronáutica e perdeu o país.

  35. Já resolvemos o problema da FAB estamos resolvendo o da marinha só falta o EB agora, novos carros pesados, leves, helicópteros de ataque, fuzis e uniformes modernos sem fala no programa soldado do futuro, ou seja, falta tudo ainda + vamos lá.

  36. Não tem ‘represália americana’… A represália foi brasileira por eles terem inventado essa história de bases na Colômbia !!!! Perderam a carteira dos maiores compradores de armas da América do Sul que somos nós !!!!!
    Bem feito para os EUA que agora vão ter que lidar com um vetor moderno, que eles não conhecem totalmente, além de aguentar uma parceria estratégica com a França que inclui um sub. nuclear … Tá mole ou quer mais !!

    Dá-lhe Brasiiiiillll !!!!

    U-huuuu é Rafale !!!!

  37. Venho lendo diversas notícias e seus comentários, apesar de não conhecer muito de aviação de caça, tenho me esforçado bastante para entender os prós e contras com relação àquelas finalistas deste projeto F-X2 e sinceramente, tenho cá minhas indicações, tanto, táticas, políticas e estratégicas, porém, nunca sequer desrespeitei um em relação a outro, pois, por tras de tudo existe uma coisa importante chamada Brasil que muitos se esquecem por simplesmente preferirem um a outro. Porisso, tenho a certeza de que o Brasil, independentemente da minha preferência fez a escolha certa para o momento. E isto é um gesto de soberania, maturidade, o que devemos agora é fazer o papel de regulador destes contratos e não deixar a coisa degringolar. Não se esqueçam de que a quantidade é insuficiente para todos os acordos feitos até agora devido a dimensão continental do país, porisso a transferência de tecnologia é importante para futuros produtos. Agora, resta-no avaliar quem é a favor e contra o país neste pontos e também no Pré-sal, pois este sim foi o fator preponderante para as referidas aquisições. Tenha em mãos o direito de voto, divulgue quem é contra o país, vote consciente que com orgulho poderemos ver o Brasil melhor do que é hoje. Vocês aqui do BLOG são pessoas inteligentíssimas diga-se de passagem, porisso, não é vantagem ficarmos negativando a postura brasileira, temos é que apoiar o conceito e não a compra em referência e ver apartir daí quem é contra, seus motivos e avaliar o que é bom e ruim para o país. MAS POR ENQUANTO VIVE RAFALE!!!!!!

  38. Também acho que TT foi fundamental para a vitória do Rafale.

    Pela primeira vez na história estamos com um avião de caça decente na FAB!! FATO!

    Viva o Rafale!!!

    Abraços

  39. Não poderiam ter feito melhor, todos os ovos na mesma cesta: caças, sub, helicopteros, etc.

    A hora que a francesada der pra traz, como fizeram em sua parceria com a Espanha nos submarinos, so para ficar na pisada de bola mais atual, onde so os franceses queriam opnar, na hora que os espanhois quiseram dar opniao sobre o projeto e no que poderia se melhorado e principalmente barateado, os franceses se emburraram e sairam da parceria.

    Se isso acontecer aqui no Brasil vai ser uma mar de lagrimas e vai faltar orelhas de burro para os que fecharam esta parceria.

    CPI ja CPI agora, temos que analisar os contratos e porque TUDO frances, neste mato tem coelho e alguem esta levando muito.

    Os caças sao os mais caros e os sub são os mais caros, senhores faz tempo que deixei de ser crinça e acreditar em papai noel, coelhinho das pascoa, mula sem cabeça.

    E mesmo que nao se ache nada a CPI sera boa para deixar o pessoal esperto com tudo que foram assinar.

    Ja falei isso em outro comentario, frances nao e confiavel, iremos nos arrepender por esta parceria

  40. Parabéns ao Brasil pelo caça,só espero que o governo tenha consciencia do gasto que assumiu, e tenha responsabilidade com nosso dinheiro, pois eu preferia o custo beneficio do gripen, mas deu Rafale, é um bom avião também, apesar de caro e de a França deixar um pouco a desejar quando se necessita mais de suprimentos e peças. vale lembrar de nossos Mirrage III, quem lembra sabe do que eu digo. Abraços a todos e parabens aos que apostaram no caça mais caro e como o F/A-18 de futuro duvidoso em nosso inventário

  41. Hoje é um dia singular, pois parece que temos a confirmação de uma visão estratégica de país, e políticas para nos conduzir a um novo patamar geopolítico internacional.
    A assinatura do contrato com os franceses oficializa um certo distanciamento da politica de alinhamento automático com os interesses americanos, e aponta a uma politica de afirmação, de um país realmente interessado em se tornar protagonista previlegiado de um novo cenário mundial.
    Os analistas apontam para um mundo, não mais hegemônico, mas polarizado com novos atores, cada um com sua área de influência e interesses globais.
    Dentro deste cenário é fundamental possuir, não apenas, capacidade de defesa, mas capacidade de produzir seus meios de defesa, e de equipar e proporcionar meios de defesa a seus aliados.
    Parece que passamos do estágio em que sonhavamos tornar-mos “aliados preferenciais”, para sonharmos em ser um BRASIL em maiúsculo.
    Ter capacitação para defender-se de agressões, não implica em capacidadede subjugar os mais fracos. A grande lição que o Brasil dá ao mundo hoje, é que é mais barato e eficaz, dar dinheiro ao povo e aos vizinhos incomodos, que acaba fomentando a economia, do que manter um conflito desgastante e insoluvel.
    Espero que os próximos governantes, qualquer que seja, tenha uma visão nacionalista do país, e nisto concordo totalmente com o post do Hornet, que diz que os franceses, foramos primeiros a captarem as aspirações e o potencial do Brasil.
    Espero mais finais de semana como esta, “dando chocolate nos Argentinos”, vendo Maradona com cara de bunda, e boas notícias como essa.
    Dos franceses ainda falta o “troco”, pelas duas derrotas na copa do mundo, e a visita da Carla.
    Abraços felizes a todos.

  42. Graças a Deus.

    Meu preferido como produto, apesar de ter bons olhos a proposta da Suécia.

    Más enfim, venceu certamente o MELHOR.

    Agora só falta comprar-mos algumas unidades para a MB e nós repassarmos os A-4Skyhawk modernizados para a Armada Argentina e ainda vendermos um pacote de modernização para mais unidades dos A4-AR sem contar com os 12 Mirrage 2000 para a FAA e futuramente, alguns novissimos C-390 também para aquele país.

    E por falar em C-390. Amei essa cartada final da França onde se mantem intenção e comprometimento em adiquirir algumas unidades desse avião.
    Parceria 100%, pois dessa forma, cortamos em definitivo o “cordão umbilical” com os EUA.

    Brasil forte, Brasil Independente.

    Viva a FAB.
    Viva o 7 de Setembro.
    Viva o MD.
    Viva a França.
    Viva o Rafale.

    Viva o BRASIL.

  43. Eu preferia o F18 super Hornet por ser um caça comprovademente melhor, mas não deu. O pacote de transferencia de tecnologia que os americanos ofereceram era muito menor que o oferecido pelos Franceses. Acho que a transferencia de tecnologia foi o principal motivo que levou o governo a escolher o caça frances. Se os franceses cumprirem o que estão assinando vai ser extremamente vantajoso para o Brasil, a Embraer vai adquirir know how para produzir seus proprios caças no futuro, sem dizer que os franceses se comprometeram a comprar o futuro cargueiro leve da Embraer o KC390

  44. E não vão ser entregues os caças propriamente ditos, e sim, a tecnologia, os caças serão entregues a FAB em 2014 9o primeiro lote é de 36 unidades)

  45. Segundo o Blog do Nassif, ainda não está 100% fechado:

    “Acabou agora a coletiva no Alvorada e nem o presidente nem o Ministro da Defesa Nelson Jobim quiseram bater o martelo de que o processo está encerrado e que F-18 e o Gripen estão fora. Apenas reafirmaram a nota divulgada, na qual a França aceita participar do KC-390, inclusive com aquisição de 10 aviões, e o Brail inicia negociações para aquisição de 36 Rafales.
    A dubiedade é proposital, para que os franceses não entendam que está tudo já garantido. Afinal, estão na parte comercial. Os avanços foram obtidos numa reunião que foi até a madrugada.
    O Itamaraty deve colocar a nota no site ainda hoje.”

  46. Putz!!! que massa !!! não vejo a hora de ve-los voando nos céus do Brasil com a estrela da FAB. Vrrrrruuuuuuuuuuuuuummmmmmmmmmmmm xxiiiiiiiiiiiiiuuuuuullllllllll Altos loop mano !!!

  47. SENTA A PUA ! agora de Dassault Rafale M, acho que foi uma boa compra, vai suprir a necessidade de defesa aerea do brasil, tomara que realmente aconteça a transferencia de tecnologia para que em breve estejamos debatendo sobre como sera o nosso AMX-2, imagino um avião de caça totalmente brasileiro, ainda bem que se pode sonhar !

    Sds.

  48. Bom, creio que agora é questão de tempo!

    Parece que a morte do FX-1 fez bem a todos:

    1. teremos um avião mais moderno
    2. receberemos transferÊncia de tecnologia
    3. “ganhamos” F5 M
    4. os franceses participarão do KC 390
    5. os franceses comprarão o mesmo avião
    6. outras cositas más…

    Allez Rafale Brasiliene!!!

  49. Grande escolha!

    O caça é excelente e isso é inegável. Sempre achei o Gripen a melhor escolha, mas, todos os produtos finalistas eram muito bons e, com certeza, o escolhido será muito útil para o nosso país.
    O Brasil fez sua escolha e foi muito claro, agora, vamos ver como se comporta a França no momento de honrar seus compromissos comerciais e político/estratégicos.
    Só uma coisa está me incomodando, o FX2 era um dos assuntos mais debatidos no Blog nestes últimos anos. Qual será seu substituto?

  50. Nossa… Que otima noticia!!!

    Espero que a Franca realmente cumpra o prometido. E que o BRASIL possar dominar as tecnologias sensiveis, para ter novamente a INDEPENDENCIA, agora tecnologicamente…

    ps: O duro vai ser esperar 4 anos para ver essa bela aeronave sobrevoando o ceu do Brasil com as cores da FAB!!!

  51. Será que está tendo festa na casa do Hornet, regada a muita champanha francesa?
    Em tempo: será que a França exigiu transferência de tecnologia para adquirir os KC 390?
    Falando em KC 390, vamos ver se a Boeing ainda quer participar do desenvolvimento do avião, ou era só papo de vendedor.
    Abraços a todos

    PS: Caro Hornet. Eu sei que você ficou frustrado porque a visita do Nicolas não foi exatamente como você esperava, mas paciência. Nem tudo é perfeito…… Eh eh eh

  52. Prezado karlus73

    A sua dúvida sobre ser F3 com AESA está respondida no próprio texto divulgado pelo Blog. A versão RBE2-AA só estará disponível em 2012.

    Abraços

  53. Prezado karlus73

    A sua dúvida sobre ser F3 com AESA está respondida no próprio texto divulgado pelo Blog. A versão RBE2-AA só estará disponível em 2012.

    Abraços

  54. Nada contra o Rafale embora preferisse o F-18 SH, mas acho lastimável a forma como foi anunciado o vencedor.
    Com a presença do presidente francês, desfile de militares franceses e apresentação da “esquadrilha da fumaça” francesa. Lamentável!
    Um verdadeiro circo de horrores bem típica da classe política brasileira, que a exemplo de outra classe não muito diferente, se acha formada por ‘homens honrados’.
    Pelo forma como foi feita o ‘anúncio’ dá pra se ter uma idéia de como foi o processo de seleção.
    Um abraço a todos.

  55. Nada contra o Rafale embora preferisse o F-18 SH, mas acho lastimável a forma como foi anunciado o vencedor.
    Com a presença do presidente francês, desfile de militares franceses e apresentação da “esquadrilha da fumaça” francesa. Lamentável!
    Um verdadeiro circo de horrores bem típica da classe política brasileira, que a exemplo de outra classe não muito diferente, se acha formada por ‘homens honrados’.
    Pelo forma como foi feita o ‘anúncio’ dá pra se ter uma idéia de como foi o processo de seleção.
    Um abraço a todos.

  56. Mais paciência com o Karlus73 Adler! 🙂
    te fiz uma pergunta noutro post… tu é judeu? abraço!

    Karlus, o Rafale tem componentes, menos importantes e substituíveis, americanos e europeus, por questões econômicas, componentes estes que podem ser fabricados por nós, brasileiros, porém a alma do caça, sua tecnologia principal é francesa sim! motor, radar, sistema (software), armas integradas… e quase tudo menos importante também é francês! esperar que um caça tenha 100% dos componentes nacionais é surreal no mundo de hoje.

    abraço amigo

  57. Amigos,

    Estou feliz por (aparentemente) terminar a novela FX-2…
    O Rafale é um caça espetacular, de geração 4,5.

    Mais, infelizmente, sou cético com os franceses.
    Peço desculpas aos amigos, neste momento de felicidade, mas sou cético com os franceses.

    O Brasil, país que eles disseram que não era sério, está SALVANDO a Dassault e o ideal francês de ter um caça indepedente.
    Sim, pois o resto da Europa aderiu ao Typhoon, mas a França valentemente resolveu seguir seu caminho singular.
    Veremos agora o que estarão dispostos a dividir com este país, que é muito mais sério e vibrante do que falou o narigudo De Gaulle.

    Estaremos fabricando 50 Pumas supermodernizados, mas eles estão implantando o NH-90.
    Os Pumas atualizados estão ótimos para nossa necessidade, mas ninguêm se iluda, estão repassando uma linha de montagem que não interessa mais a eles.

    Estamos gastando vários Bilhões de dólares, euros ou reais, tanto faz, mas eles não são confiáveis…

    Se estes franceses nos traírem ficaremos numa grande ‘m…’.
    Mas nós somos muito mais sérios que o narigudo falava, portanto, acho bom os gauleses botarem as barbas de molho e VER que a melhor chance que a França tem de continuar independente (da Europa e dos EUA) é a parceria com o Brasil.

    Nós temos opções para tudo – suecos, alemães e americanos do norte.
    Eles? Tentam com a China – mas os chineses só querem tomar; com a India – não avançou muito, alguem quiz ser mais esperto; com a Rússia – mas eles tem coisas parecidas a oferecer.
    Não, nós somos a melhor opção para a França.
    Veremos se nossos governantes farão eles entenderem isto…

  58. OK! Parabéns à todos nós. Agora, é sugar a tecnologia francesa e nos prepararmos para criarmos, quem sabe junto com os franceses, um caça de quinta geração (sem tripulantes?).
    E vamos vender o KC-390 pra todo mundo, inclusive para os americanos, que não vão retaliar coisa nenhuma. Eles querem é o petróleo do pre-sal, biocombustiveis e que patrulhemos o atlantico sul com navios de preferencia fabricados por eles. E querem tb cooperação na Amazônia contra os bolivarianos. Aliás, em que pese a “simpatia” deste governo pelo Chaves, está bem claro agora: estamos nos armando para nos defendermos deles. Para enfrentar uma superpotência, só a guerra irregular (e popular). O resto, é papo furado. Mais uma vez, parabéns à todos nós. Os Rafales virão, com certeza, completos (e será o F3). E dez pro governo Lula, pelo menos desta vez…

  59. Em tempo.

    Eu e o comando da Força Áerea dos Emirados Árabes Unidos continuamos a achar os motores M-88 da atual versão F-3 do Rafale meio “fraquinho”.
    Dá para melhorar, digamos de 7,5 para 10 ton de empuxo.
    Eu, humildemente, sonho com isto; mas eles, os “caras” de Dubai, exigem isto da Snecma, e aparentemente conseguiram um acordo de governo para governo.
    Tomara que venha nova geração de motores, pois super-cruzeiro não deveria ser opcional, mas original de fábrica.

  60. Adler Medrado:
    Não preocupes já estou em Portugal e nem quero encher saco a ninguém e muito menos a ti.
    Disse alguma coisa de mal? Os editores se prenunciarem e disserem que isto é apenas para o pessoal do Brasil, fique descansado, vou-me embora. E apenas fico como leitor, pois há pessoal por aqui que sabem o que escrevem e têm bom senso comum, dá para aprender muito. Aquilo o que não sei, pergunto para saber e argumentar, se isto não é um lugar para trocar ideias, também me esclareça sobre isso, se tens o poder da sabedoria e razão… informam-me que gostaria saber algumas coisas para o futuro.
    Em relação ao rafale, nunca falei mal, não tenho duvida que é um bom caça… mas e torno a repetir que não é o melhor caça para o Brasil… a este assunto não me esquecerei o teu nome e iremos debater no futuro. (Caso os editores assim o permitirem) Pois ainda tem muito que se diga. Quero ver esse País bem, porque gosto dessa nação e tenho muitos amigos que são grandes brasileiros. Outra razão que me fez participar por aqui.
    Ser Homem é saber ganhar e perder, participar e saber escutar.
    Por agora vou me ausentar… e “falaremos” assim que for oportuno.
    Abraços de Portugal

  61. seja como for…….bom ou mal……caro ou não….politico ou não…terminou…….qualquer um dos tres seria otimo, e fim de papo. Ainda operamos xavantes e F5……..rafale ta otimo……

    Bittencourt

  62. como disse alguém aqui…colocamos todos os ovos numa mesma cesta. Quando os franceses se prostituirem e derem para trás tal como fizeram no vergonhoso episódio dos Mirage 5 de Israel, o que as massas apoiadoras do Rafaele irão dizer?

  63. Serão dezoito, repito, dezoito caças rafale M para o opalão. De antemão, a primeira aquisição será de seis aeronaves.
    O anúncio será feito entre dezembro e fevereiro.
    A negociação, ainda não concluída, inclui não somente a montagem no Brasil, mas manufatura e capacidade de construir grandes percentagens do caça. Um dos temas futuros é o desenvolvimento da capacidade de constuir nacionalmente as turbinas.
    Aos céticos solicito que aguardem. O Lobo não fala muito, mas o pouco que disse até agora, acertou… na vespa, digo, na mosca.

  64. “Não duvido que o anuncio saia hoje mesmo…”

    Foi o que eu disse no começo da manha…..

    Excelente escolha!!!!!!!…A decisão política deve ter casado com a técnica…Deve ter muito nego com o rabo entre as pernas agora….Por ai….

    Espero que algum dia façamos o nosso proprio vetor…100% nacional…Estou aqui comemorando mesmo…..Bistecas….Batatas….Cerveja….Brinde a todos..Que venha as Fremm e o resto tambem….Só espero que na proxima visita o presidente frances traga a Carla Bruni………Foi broxante ter que me contentar com aquela mulher do Jeca Tatu……Pobre Jeca…….Como és bonito no romance e feio na realidade…….

    “Quem quiser vender equipamentos militares ao Brasil de agora em diante vai ter que oferecer mundos e fundos em relação a TT, senão não vende nem uma “espingardinha de chumbo” mais. E não basta só oferecer a TT, tem também que cacifá-la, respaldá-la politicamente, torná-la concreta e viável numa relação de respeito mútuo e de respeito à soberania do Brasil.”

    Perfeito Super Hornet…….

    “Finalmente um 7 de setembro que valha a pena…..Um 7 de setembro historico…….

    “Mas o acordo entre Brasil e França vai além de caças e submarinos, não podemos nos esquecer disso. Esse acordo vai nos colocar (já está nos colocando) em um outro patamar político nas decisões mundiais”

    É….Acabei de constatar mesmo no bom dia Brasil….O fator politico sera preponderante…..”A França tem interesse estratégico político(Alianças externas) e industrial. Há um conjunto de benefícios que ela poderia tirar de uma aliança com o Brasil, que tem economia considerável, para conseguir a boa vontade do país em outras áreas”…Essa afirmação foi confirmada mesmo no telejornal…

    “Um presidente “sem noção” feito o nosso deveria ficar proibido de tocar no assunto que é de interesse da Força Aérea Brasileira”

    É a cachaça amigo…..A qualidade do churrasco depende da cerveja que foi comprada…..rssrsrsrs………..

    É O ANO DA FRANÇA NO BRASIL MESMO……Desta vez levaram mais do que lagostas………Tudo de la esta vindo pra ca(No multiplo sentido)….Esta mais do que claro……..Esta tão obvio que os torcedores dos outros vetores ja estão chutando o balde…..rsrsrsrs……Não duvido que o anuncio saia hoje mesmo…Como eu disse tudo de la esta vindo pra ca….Para o 7 de setembro….Até o presidente de la esta vindo pra ca….É a invasão francesa….Ta tudo dominado……

    Amigo Hornet:

    Sem problemas…Ai vão as respostas…….

    já que vc abriu esse “espaço” (de explicar as dúvidas etc), tenho uma curiosidade sobre o seu nick (é um nickname, eu imagino!) já faz um tempo.

    Eu conheço o TAU, com alguns significados:

    – como símbolo dos fransciscanos;

    Acertou……Concedei-me Senhor Que Vos Conheça Para Poder Agir Sempre Segundo A Vossa Luz E De Acordo A Vossa Santíssima Vontade..Senhor Fazei-me Instrumento De Vossa Paz…..

    – como última letra do alfabeto hebraíco (grafado em forma de cruz, e com simbologia místico-religiosa);

    Acertou mesmo…..Quem Fez A Urso O Órion O 7 Estrelo E As Recâmaras Do Sul…Poderás Tu Atar As Cadeias Do 7 Estrelo Ou Soltar Os Laços De Órion?….Procurai O Que Faz O 7 Estrelo E O Órion E Torna A Densa Treva Em Manhã E Muda O Dia Em Noite O Que Chama As Aguas Do Mar E As Derrama Sobre A Terra…O Senhor É O Seu Nome……………….

    Por um acaso vc se inspirou, ou usa seu nick, em algum desses sentidos?

    Os dois….Uso o nick pelo os muitos significados ou sentidos(Passado~antiguidade~historia~civilizações~culturas~contextos) por de tras…Pessoal…Psicologico…Militar…Religioso…Astronomico…Astrologico…Mistico…Toten…Alpha Tauri conhecida como Aldebarã ou Aldebaran é a estrela mais brilhante da constelação Taurus…É também designada pelo nome de Cor Tau……O seu nome provém da palavra árabe Al~Dabarān que significa “aquela que segue”….Referência à forma como a estrela parece seguir o aglomerado estelar das Plêiades durante o seu movimento aparente ao longo do céu nocturno…..Identificamo-la rapidamente se seguirmos a direcção das três estrelas centrais da constelação de Orion(designadas popularmente por “três Marias” ou “Três reis Magos”) da esquerda para a direita(no hemisfério norte) ou da direita para a esquerda no hemisfério sul….Aldebarã é a primeira das estrelas mais brilhantes que encontramos no seguimento dessa linha…..

    TAU é vermelho também no sentido de cor de sangue, sangue de Cristo, sangue de quem sofre etc…

    Adentrou-se bem no significado religioso…….Glorioso São Jorge Em Nome De Deus Estenda-me O Seu Escudo E As Suas Poderosas Armas Defendendo-me Com A Sua Força E Com A Sua Grandeza E Que Debaixo Das Patas De Seu Fiel Ginete Meus Inimigos Fiquem Humildes A Vós Me Guarda Em Ti Me Leva Ao Céu Em Tua Montaria Assim Seja Com O Poder De Deus De Jesus E Da Falange Do Divino Espírito Santo………..

    já avisei este detalhe antes que algum mal informado, paranóico e debilóide associe a cores políticas ou coisa do tipo…hehe, não é?

    huahuahuahua…..Pelo Amor De Deus…Concerteza…rsrsrsrsrs………

    Não me associe a ideologia ou politica nem de brincadeira viu….Só em imaginar ja me da agonia e colapso……rsrsrssrs……

    Acho muito legal seu nick!

    Muito obrigado amigo…….

    e como vc sempre se expressa de uma maneira bem peculiar e bem interessante, vou me despedir (por agora) do meu modo, citando um camarada que eu gosto muito e que certamente vc também o conhece:“Quando a verdade for demasiado débil para se defender, terá de passar ao ataque”.abração brechtiano!

    Esta é a minha canção favorita…A trilha sonora de mim…Que dedico a ti…Preste atenção na letra…Procure pelo significado dela e você entendera a mensagem a você…Essa canção mistura muitas línguas já extintas….

    É o ano da frança no brasilsilsilsil………VIVA AO BRASIL…VIVA A REPÚBLICA……VIVA AO LULA………………………Brincadeirinha…rsrsrsrs………….”

  65. Prezados,

    Era a crônica da morte anunciada. No comando da aeronáutica ja se sabia. Foi de fato uma decisão tecnica/politica.
    Mas é isso ai. Querer ser grande e ter influência passa por esses processos. Quem venham os tão esperados caças RAFALE.
    Colega Karlus, realmente não se chateie com certas pessoas que nesse blog comentam. Gosto muito dos seus comentários. Muito salutares. Existem pessoas que se fazem de vitima, se colocando sempre na posição de coitados mas que por sua vez, comentem injustiças maiores do que a dos seus supostos algozes. A eles a nossa compaixão.
    Parabéns ao blog pela excelente cobertura e a ajudar a manter esse espaço o mais aberto possivel.

  66. Karlus,
    sua presença é muito bem vinda e seus comentários também.
    Nós, brasileiros, nos damos ao direito de falar mal de qualquer um, seja caça, país, presidentes, etc.
    Somos um bando de ‘comedores de presunto’ que gostamos de ‘arrotar caviar’. Nisso o seu país tem grande culpa, já que era uma potência mundial quando nós sequer éramos um esboço de nação, e provavelmente muito de nossos defeitos morais advenham desse fato. Questão de baixa auto-estima, que nos faz querer parecer o que não somos.
    Devemos ter cuidado em chamar Portugal de ‘buraco’ sob pena de sermos confundidos com o que costuma sair do ‘buraco’.
    Um abraço meu caro amigo.

    Ah! Só pra informar alguns, ‘blogs’ são espaços virtuais e portanto, não são limitados por fronteiras e não são pertencentes a nenhum país em especial, tanto é assim que vivemos discutindo sobre caças do país X, armas do país Y, etc, com a maior naturalidade como se a nós dissesse respeito.

  67. Quanto a haver retaliação pelos Estados Unidos da América?

    Bem, na minha visão a resposta é NÃO.

    Nós crescemos e eles, olhando para o “umbigo”, não enxergaram.
    Agora vão querer lutar conosco? Por que?

    Somos a segunda maior democracia das Américas, só que NÓS temos eleições diretas para Presidente.
    Somos quase autosuficientes em Petróleo, com reservas para exportar no futuro.
    Somos autosuficientes em COMIDA, ítem que está em falta no mundo e deveríamos cobrar um “preço justo”.
    Somos autosuficientes em ÁGUA, outro ítem que tá ficando escasso.
    Somos um povo alegre, resultado da feliz mistura de muitas raças e queridos por todos.
    Com um detalhe que todos esquecem, nossos soldados, sempre simpáticos e corteses quando a missão determinava, já deram mostras de terríveis combatentes, até mesmo temíveis em terríveis momentos.

    Melhor coisa que Obama pode fazer é DEMITIR o staf do Departamento de Estado para América Latina, ou pelo menos para o Brasil, pois está provado que são IMCOMPETENTES. Em seguida chamar o Brasil para ser parceiro de verdade em questões mundiais, como ecologia, fome, exploração espacial.

    Que ninguém se espante dentro de pouco tempo uma missão conjunta militar Brasil-EUA discutindo medidas anti-terror, ou os americanos nos oferecendo material bélico semi-novo sem pedir nada em troca, apenas para manter contato.

    Bem, como fala um velho amigo, DEIXA A BALEIA CORTAR ÁGUA…

  68. Prezado Hoenet,

    O seu “postão” está fantástico. Amplio em muito minha visão sobre tudo isso que está acontecendo com as forças armadas brasileiras neste momento tão importante.

    Obrigado e um Abraço.

  69. O AMX/A-1 sofreu com embargos Americanos, teve que optar pelo Canhão DEFA 30mm, por que teve vetado pelo Departamento de Estado Americano o Canhão Vulcan M61A1 20mm que equipa a versão Italiana, o mesmo veto ocorreu com o Radar, e Suite Aviônica e de contramedidas.

  70. KARLUS 73,

    Estava escrevendo e vi apenas agora seu post.

    De imediato NÃO SE VÁ!

    Sou Brasileiro, mistura de Português, Índio, Negro, certamente com uma boa parte de sangue espanhol de Valência, portanto com uma pontinha de Mouro (eh eh eh – moreno claro de sardas, só com sangue mouro), devo ter também antepassados Cristãos Novos (Judeus convertidos à força pela inquisição), e por aí vai o trem da história.

    Então amigo, vou me atrever a chamá-lo de Irmão.

    Mesmo que não houvesse o sangue lusitano que nos une, somos homens, filhos de Deus, e, portanto, Irmãos.

    Se o mar nos separa os interesses comuns nos reune (com ajudinha da Internet e iniciativa do Galante, Poggio e Cia Ilimitada)

    Faça como um outro valente português, que foi nosso Imperador, DIGA AO POVO QUE FICO!

  71. Caro Karlus73,

    Peço para que não deixe de participar do Blog. É muito importante a sua participação. Todos nós podemos não agradar a alguns e isso é natural. Gosto de ver a bandeira portuguesa no Blog.

    Um abração!

  72. Os riscos da França dar para trás, a priori, são os mesmos riscos dos americanos darem para trás (não se esqueçam que eles prometeram transferência total de tecnologia também!).

    Se formos sensatos, veremos que o Rafale é a melhor opção. O Gripen parece atraente, mas tem muitos problemas, é inferior tecnicamente em vários quesitos e tem peças de diversos países, o que é um enorme problema. Apesar do gripen teoricamente ser mais barato, o governo brasileiro foi em busca de uma parceiria sólida e preferiu fechar vários pacotes com a França. É claro que ao fazer isso, nosso governo ganha cacife para cobrar mais na hora de fechar os contratos.

    Tem gente dizendo que o Rafale é mais caro…mas é claro que o governo francês cobraria um valor para além de um caça convencional. Eles estão nos vendendo tecnologia também…estão nos repassando conhecimento estratégico. Isso não é de graça.

    Se há quem desconfie dos franceses….o que dizer dos americanos???

    Parem e reflitam.

  73. PARABÉNS AO BRASIL!

    É A PRIMEIRA VEZ NA HISTÓRIA QUE COMPRAMOS UM “EQUIPAMENTO” COM TANTA “PROMETIDA” TT!! SÓ ISSO JÁ É ALGO QUE VALE A PENA BATER PALMAS.

    SE FOI UMA ESCOLHA POLÍTICA OU MILITAR, É O QUE MENOS IMPORTA! O QUE TEM QUE SER DESTACADO É QUE, DIFERENTE DA COMPRA O F5 OU DO MIRRAGE III, NÃO ESTAMOS COMPRANDO CAÇAS DE UMA “PRATELEIRA”, SEM DÚVIDA É O PRIMEIRO PASSO PARA UMA REAL INDEPENDENCIA.

    CLARO QUE MUITO AINDA TEM QUE SER PERCORRIDO, MAS EU FICO PENSANDO O QUANTO A TECNOLOGIA NÃO VAI AJUDAR A EMBRAER, OLHA O QUE O AMX FEZ?? IMAGINEM O RAFALE!!!

    MAS O QUE EU ACHO FUNDAMENTAL É QUE EM ALGUMAS DÉCADAS TEREMOS UM UNICO VETOR DE COMBATE NA FORÇA AÉREA, IMAGINEM O QUANTO ISSO VAI ECONOMIZAR NA FORMAÇÃO DE MÃO DE OBRA E MANUTENÇÃO???

    COMO GRAU DE COMPARAÇÃO IMAGINEM A “DOR DE CABEÇA” QUE É NO EXÉRCITO QUE TEM VÁRIOS TIPOS DE BLINDADOS, TODO DOM CHASIS DIFERENTES/MOTOR/TRANSMIÇÃO/ETC…A MANUTENÇÃO É UMA LOUCURA!!! E SÃO GASTOS MILHÕES SÓ PARA MANTER FUNCIONANDO!

    QUANDO A ALIANÇA COM A FRANÇA, É O UNICO PAÍS EUROPEU QUE CONSEGUE MANTER UMA INDEPENDENCIA EM RELAÇÃO AOS EUA (E RUSSIA É CLARO), INGLATERRA, ITALIA, ALEMANHÃ, ESPANHA, HOLANDA, ETC…TEM BASES AMERICANAS NOS SEUS PAISES QUERENDO OU NÃO, COISA QUE NEM O BRASIL TEM!!!

    BOM…PARABÉNS AO BRASIL…INICIO DE UMA NOVA ERA!!!!

  74. “…O AMX/A-1 sofreu com embargos Americanos, teve que optar pelo Canhão DEFA 30mm, por que teve vetado pelo Departamento de Estado Americano o Canhão Vulcan M61A1 20mm que equipa a versão Italiana, o mesmo veto ocorreu com o Radar, e Suite Aviônica e de contramedidas….”

    Pelo que sei, havia uma lei que proibia maiores investimentos militares americanos em países com ditaduras eo Brasil foi enquadrado em parte.

  75. karlus73 em 07 set, 2009 às 18:57,

    amigo, sugiro ler a entrevista do representante da Dassault no Brasil ( sem o ‘http://’ p/ não ficar esperando liberação dos editores do blog ) :

    defesabrasil.com/site/noticias/fab/exclusivo-db-entrevista-jean-marc-merialdo-diretor-da-dassault-no-brasil.php

    Creio que achará várias coisas interessantes lá.

    Abraços.

  76. Hornet em 07 set, 2009 às 17:47

    Lindo comentário

    Zeke A6M em 07 set, 2009 às 18:40

    Lindo comentário

    Parabéns a nós mesmo, e parabéns a posição de ajuda que nos torna diferentes dos outros países, ajudamos até a quem nos da tapa na cara. Uma atitude digna de respeito e um exemplo para o mundo. Sem duvidas nós cresceremos e nos tornaremos uma potência monstruosa nas próximas décadas. E que esse ideal de poder, bondade, respeito e boa vontade continue se perpetuando nos meios políticos de nossa nação.
    Parabéns ao Blog. E digo de novo, não sou bem um entusiasta, sou um admirador no que se refere a aviação em geral. Ficam meus agradecimentos aos colaboradores do Blog (editores e leitores), brasileiros.
    Que papai do céu esteja jogando bênçãos em nós, para melhores decisões futuras.
    Até amanhã e boa noite.

  77. Algumas considerações que, acho eu, cabem neste momento:

    1. As discussões aqui no Blog são de pessoas interessadas no assunto e não mais que isso. Não podemos e não vamos influenciar as decisões dos altos escalões do governo, assim, acho que deveríamos manter um nível razoável de civilidade e tranquilidade;

    2. O Blog sempre foi um espaço de livre opinião sobre os temas propostos, fazer qualquer tipo de patrulhamento parece ser contra o espírito deste espaço;

    3. Sobre o assunto em pauta propriamente dito, não acredito em “sacanagem” por parte dos franceses, nem em retaliações americanas. As grandes nações, do mundo de hoje, são muito mais pragmáticas, sabem da importância de terem aliados fortes e manterem sempre as possibilidades abertas para o futuro. Ou seja: posições ideológicas não comportam as muitas necessidades capitalistas de nossos povos.

  78. penço que se comprasse mos os caças dos americanos , ou suecos tambem poderia mos ter surpresas ruins, com relação a tranferencias de tecnologia, prefiro confiar mais nos franceses.

  79. Tenho certeza de que após o anúncio da vitória do Rafale no Brasil, outros países vão escolher o caça francês em suas concorrências.

    Em se tratando de armamento militar, quase nenhum país quer ser o primeiro a comprar. A maioria vai no “certo” ou seja, nos mais vendidos. Mesmo que muitas vezes o “certo” não seja o melhor.

    Eu acho que a compra dos RAFALE foi o melhor presente de 7 de setembro que o Brasil poderia ter!

    Viva o Brasil!!!
    E que venham os RAFALES brasileiros!!!!

  80. E pensar que o FX-2 foi declarado morto uma boa centena de vezes….E pensar que o F-18 “era o cara”….E pensar que o Su-35 é que prestava….
    Nosso Brasil acabe de se posicionar…. 36 Rafales (do lote inicial, eu rezo!!), combinados com R-99 e A-1 e F-5 modernizados serão uma força de respeito!
    Se é o melhor avião ou não isso já não importa mais, porque quando o contrato for assinado passará a ser nosso ca~ca de primeira linha. Torço por ele desde já, e que os tempos difíceis fiquem para trás! Torço por uma dúzia para o São Paulo, por novas escoltas (10 KDX, minhas preferidas) e por 3 SNA.
    Um já foi,faltam dois!!!

  81. Grande Hornet!

    PERFEITO O “LONGO” COMENTÁRIO!

    Não vou criticar mais não! rsrsrsr não quero morder mais a língua do que já mordi!

    Ah Karlos73, esqueci-me! CONTINUE CONOSCO! tem gente muito estressada por aqui, eles vão refletir! não esquenta a cabeça!

    VIVE LE RAFALE, VIVE LE BRASIL, VIVE LE FAB!

  82. Tailhooker,

    O São Paulo não precisa de Ski Jump para operar o Rafale. Aquele aparato que aparece no lançamento do Rafale, na época Foch, era uma adaptação no sistema de engate com a aeronave. Nada mais do que isso.

    Sds,

  83. Não haverá nenhuma, repito, nenhuma represália americana à escolha do Rafale, por um motivo simples, os rapazes (norte americanos, pois somos americanos do sul) são bons vendedores, não maus perdedores.
    Há ainda as compras do FX da marinha, precisaremos adquirir alguns navios, eles (norte americanos), é claro, vão tratar de abrir o olho e não só não perder o mercado, como a influência que ainda “podem” ter, ou esperam ter no futuro. A esta hora está claro que perderam bastante, mas não querem perder toda.
    Então rapazes, lembrem, não haverá represálias.
    Nenhuma.
    Haverá novas compras, isto sim.
    Negócios apenas, nada pessoal.
    Seu Lobo.
    Precisaremos de parceiros para explorar o pré-sal… O Brasil cresceu meus caros… crescemos… O recado está bem dado.

  84. Se não me falhe a memória, durante a compra dos Mirage III, os franceses levaram alguns Xingus de contrapartida, nos mesmos moldes da compra aual dos KC-390.

  85. Uma ameaça no passado…Uma ameaça do passado tentando~buscando ser nossa maior aliada~parceira….Nunca na história desse país viu……….Nunca na história desse país……….Só espero que o proximo vetor não seje adquirido quando os outros estiverem pilotando astronaves espaciais…..

    “Bosco em 07 set, 2009 às 20:31”

    Perfeito amigo Bosco………..

  86. PRA MARINHA TUDO, PRA FAB TUDO, E PRO EXERCITO ???????????????????? , so a VBTT, ea troca dos fuzis, eos elicopteros,soldado do futuro e muito pouco,alguem sabe se existe um bom plano estilo FX para o EB.

  87. Boa Noite Pessoal,
    A França não esta dando TT (transf.de tec), esta vendendo TTT (Total Transferência de Tecnologia), e isso irá ser colocado em um contrato multi-nacional, com financiamento externo, amparado por varias instituições financeiras internacionais, inclusive francesas, o FX-2 não foi encerrado, apenas foi dado o nome do vencedor, para que se possa colocar a termos as negociações, se a França não cumprir, o que particularmente, não acho que possa acontecer, pois estrategicamente para a França, foi um grande negocio, apenas mudamos o fornecedor, tentamos comprar helicópteros do EUA com TT, eles não deram, compramos dos russos com TT (12 Mil MI-35), no caso dos submarinos, que é diferente, pois só a França se dispôs a fazer TT, se melasse, bye bye TT de outro país, e teríamos que comprar de prateleira, e desenvolver o sub-nuc por conta própria, agora a coisa ficou bem melhor para o Brasil, TTT em tudo, senão a França vai perder e muito com a quebra de contrato, por fim HOJE dia 7 de Setembro de 2009, alcançamos o nosso 2º DIA DA INDEPENDÊNCIA, e isso tinha que ser dito por alguém, a partir deste dia histórico, o Brasil passa a ser independente por completo, sem precisar baixar a cabeça para ninguém, assumindo assim o futuro que lhe foi predestinado, “BRASIL O PAÍS DO FUTURO”, e este futuro chegou, e graças a Deus eu ainda estou vivo.
    Saudações a todos os que amam esta pátria.

  88. Tem mais coisas por aí.
    Leiam o que está sendo postado !

    “O acordo firmado hoje abre caminho também para que os dois países desenvolvam uma indústria aeronáutica em parceria.”

    “Queremos desenvolver uma grande indústria aeronáutica, construir aviões em conjunto, vender aviões em conjunto”, disse o presidente francês, Nicolas Sarkozy, a jornalistas em Brasília, após ter participado das comemorações do 7 de Setembro.

    ….é muito para um dia só !

  89. 36 caças, poderiam dividi-los em tres esquadroes com 12 unidades cada uma, sendo 2 bi-place e 10 monoplace. Anapolis, Rio e Canoas? Ou seria mais interessante estrategicamente ter um destes grupos em Manaus?

  90. salve moçada!

    hein,sobre o RBE2-AA,se só entrará em serviço em 2012 e o primeiro lote virá em 2014, teremos ou não esse radar??

    sobre a escolha do rafale acho que era até meio obvia, pq os americanos já são nossos velhos conhecidos e os suécos só tem o protótipo, daí fica + fácil.

    sobre as retalhações,acredito que existirão, mas nada muito desproporcional,no max. não poderemos vender os Supertucanos para o
    “EMO VORALEZ”(hehe)e as bases americanas na colombia fecharam a tampa do cachão para o SH.

    abs 😉

  91. Não haverá retaliação. Durante o processo do FX-2, os próprios norte-americanos diziam que se o Rafale fosse o escolhido, não haveria problema.

    Parem com essa mania de perseguição.

    E Viva o Rafale!

    Abraços

  92. Rafale, Rafale, Rafale, Rafale, Rafale, Rafale, Rafale, Rafale, Rafale, Rafale, Rafale, Rafale, Rafale, Rafale, Rafale, Rafale,Rafale, Rafale, Rafale, Rafale, Rafale, Rafale, Rafale, Rafale,Rafale, Rafale, Rafale, Rafale, Rafale, Rafale, Rafale, Rafale,Rafale, Rafale, Rafale, Rafale, Rafale, Rafale, Rafale, Rafale,Rafale, Rafale, Rafale, Rafale, Rafale, Rafale, Rafale, Rafale,Rafale, Rafale, Rafale, Rafale, Rafale, Rafale, Rafale, Rafale,Rafale, Rafale, Rafale, Rafale, Rafale, Rafale, Rafale, Rafale,Rafale, Rafale, Rafale, Rafale, Rafale, Rafale, Rafale, Rafale,Rafale, Rafale, Rafale, Rafale, Rafale, Rafale, Rafale, Rafale,Rafale, Rafale, Rafale, Rafale, Rafale, Rafale, Rafale, Rafale,Rafale, Rafale, Rafale, Rafale, Rafale, Rafale, Rafale, Rafale,Rafale, Rafale, Rafale, Rafale, Rafale, Rafale, Rafale, Rafale,Rafale, Rafale, Rafale, Rafale, Rafale, Rafale, Rafale, Rafale

  93. Neste momento em que uns comemoram e outros lamentam, não podemos esquecer de uma pessoa que mudou a mentalidade da Defesa, semeando a idéia de agregar desenvolvimento às compras militares. A tal da transferência de tecnologia. Trata-se do ex-ministro Roberto Mangabeira Unger. Felizmente o ministro Nelson Jobim adotou a idéia e, pelo jeito, até o presidente Lula comprou a idéia.
    Mais do que armas, nós estamos comprando um futuro promissor para o Brasil e seu povo. A semente começou a germinar.

  94. Feliz 7 de Setembro a todos!
    Parabéns ao pessoal do blog pelo excelente trabalho!

    ..vale lembrar da união da agrale com a Renault trucs defense francesa..

    Lula Molusco Nota 10 de novo!!

  95. Karlus73 Karlus73 Karlus73 Karlus73 Karlus73 Karlus73

    Não váa!!!!!!

    O que me chama a atenção nos brasileiros são as mais variáveis formas de fazer amizades, sobretudo na internet.
    Amigos como nós (que não sabem nem o nome um do outro) são do tipo “uma grande família”. E ai de quem fala mal de um de nós que o resto do bando vem pra defender feito louco.
    Deixe o comentário agressivo do outro amigo pra lá. O que importa é que sem você esse Blog fica sem graça.
    Seus comentários são uns dos melhores, muitas vezes imparcial (coisa em falta aqui) e bem explicativo. E so de saber que temos uma pessoa de outro país opinando nos enche de orgulho, pois sabemos que somos reconhecidos em outros lugares do mundo.
    Por favor, eu te peso, não vá embora! Você é um de nós! Se você for eu irei também.
    Só uma coisa. Por que você acha que o Rafale não seria uma boa opção para o Brasil? Agora eu fiquei curioso.
    Abraços

  96. Realmente o Rafale é um aparelho caro e não tão maduro e provado em combate, mas o mesmo vale pra qualquer caça de concepção mais recente. Contudo, os projetos mais antigos também já passaram por essa mesma prova e estão aí. Por exemplo, dizem que a única vez que o SU-27 entrou em ação realmente foi no conflito da Eritréia com a Etiópia. Não bastou o aparelho ter derrubado todos os seus oponentes para no conceito de alguns, poder provar seu valor. O Tornado por sua vez, quando teve seu batismo de fogo no conflito do Golfo Pérsico, passou um tremendo vexame. Penso que o desempenho de um caça é medido pelos seus feitos e não pela grife de quem o fabrica agradar esse ou aquele fã. Se requer mais tino analítico pra poder traçar um paralelo entre um aparelho e outro, além do papel cumprido por cada qual comparado.

    O que os EUA oferecem é sempre de maneira discriminada de cliente pra cliente. Quando lhes é interessante, são capazes de por uma aeronave de alto desempenho a preço de banana nas mãos de quem seja. Quando não, aparecem com coisas totalmente secundárias (ou pior) do seu inventário pra oferecer e ainda dizem que é produto de ponta. No caso do F-15, é uma aeronave com muito desempenho e força bruta, mas sem qualquer possibilidade de representar um avanço tecnológico além de tudo que já mostrou. E penso que essa versão “silent” seja o canto do cisne pra velha águia, que nem com reza brava pode ser considerado um avião stealth de verdade, ou mesmo, ter um desempenho furtivo que um avião de geração seguinte teria usando o mesmo material na fuselagem. Em exercícios, O F-15 já foi batido até pelo Typhoon e não seria surpresa se fosse pelo Rafale. São aviões mais modernos, com área alar menor e de formato mais discreto. O F-16 então… Melhor nem comentar. De qualquer maneira, prevaleceu a tônica de um país receber armamento por um custo mais acessível de um aliado político. Singapura, Coréia do Sul, Marrocos são exemplos típicos disso e não levar esses parâmetros em consideração seria uma leviandade.

    Sinceramente, alguém duvida que o Typhoon ou o Rafale sejam mais modernos que o F-15 ou o F-16? Caso contrário, porque estaria aí o F-22 (caça campeão mundial de custo unitário) e o F-35 saindo do forno? Alguém pode contestar a superioridade técnica do SU-27 perante o F-15, F-16 ou qualquer F-18? Mas se são mais acessíveis… Aí é outra estória.

    Abraços.

  97. “richar em 07 set, 2009 às 21:48
    Se não me falhe a memória, durante a compra dos Mirage III, os franceses levaram alguns Xingus de contrapartida, nos mesmos moldes da compra aual dos KC-390.”

    Richar,
    À época do contrato dos Mirage IIIEBR/DBR, no início dos anos 70, o Xingu ainda não existia. A contrapartida dos Xingu (assim como dos Tucano) foi relativa a compras de helicópteros, muito tempo depois.

  98. LIBERDADE A GUIANA FRANÇESA, INDEPEDENCIA A GUIANA FRANÇESA, ESSES IMPERIALISTAS DA AMERICA DO SUL, A FRANÇA E O UNICO PAIS QUE TEM UMA COLONIA NA AMERICA DO SUL EM PLENO SECULO 21.

  99. Grande notícia essa do Rafale. Eu amo os franceses. Viva a republica francesa, viva e escolha brasileira do melhor caça da disputa, viva tudo o que está acontecendo no setor da defesa no Brasil. A maior, melhor e mais poderosa força aérea do continente é o que teremos em breve. Junto dessa magnífica notícia tem outra, de que a França deseja participar no desenvolvimento do KC-390 e acena com a possibilidade de adquirir, no mínimo, 10 unidades. Melhor impossível.

    Vive La France!

  100. Senhores,

    A questão de preço não pesou à escolha final do FX-2. Durante todo o processo, foi dito inúmeras vezes, que a escolha seria definida a quem disponibilizasse um “pacote” mais amplo na transferência de tecnologia. Todos os três finalistas tinham prós e contras e, diga-se de passagem, excelentes vetores. Mas o Brasil, além de buscar tecnologia para sua aviação, busca uma parceria estratégica sólida com uma potência mundial.

    A França sabia que nós éramos a sua chance ouro! Com essa aquisição, o Rafale não é mais um avião “encalhado”. Novos países irão analisar a proposta com “outros olhos”(MRCA), já que o vetor possui mais de um cliente. E pela primeira vez na história, adquirimos um avião de ponta, elevando nossa força aérea a um novo patamar! Não há rivais na AL!

    Sr. Lula, você ficará marcado na história do Brasil. Graças à Deus o FX-2 acabou!

    Abraços

  101. Rafale!!!!!!!!Gente retaliação seria contraproducente pros americanos, pois dariam espaço pra ressentimentos e só pioraria a situação na política externa pra américa latina. Já o medo dos franceses ruerem a corda nos contratos, aí eles vão enviar uma mensagem mto ruim pro mundo e o marketing deles iriam pro sal. Aproveito para pedir ao colega lusitano que continue a participar do blog sim e que na medida do possível fale tb de suas forças armadas, pois aqui o espaço é democrático!!!

  102. Quem tá se mordendo de raiva e inveja, por que fez de tudo para melar esse negócio e não conseguiu, é o pseudo-jornalista da Folha de São Paulo, o aleijado moral do Janio de Freitas. Ele até já saiu com um novo artigo (tá no Defesanet) dizendo horrores sobre os acordos Brasil-França. Ele não reconheceu, ainda, que já caiu no mais completo descrédito, e que ninguem mais leva em conta suas considerações. Ficou falando sozinho, aquele idiota.

    Vive la France!

  103. Parabéns pra gente Brunão, vai ser um grande passo pro país. Ótimo pra França e mais ainda pra nós. A galera do blog também tá de parabéns, traçamos muitas discussões aqui. Muitos participantes assíduos colaboram muito pro nível do blog. Penso que esteja todo mundo satisfeito com essa decisão. Agora esperemos pra colher os frutos…

    Abraços amigo.

  104. Não há duvidas que entre os três finalistas, o Rafale é o que atende melhor as necessidades brasileiras.Que venha toda essa transferencia de tecnologia.
    Finalmente ficamos livres das presilias amaricanas, que sempre impuseram barreiras para transferencia de tecnologia militar.

  105. Os EUA não podem retaliar o Brasil, porque a França é aliada importante dos EUA, principalmente na OTAN, como eles explicariam qualquer tipo de retaliação?

    Quando lular abriu comércio com a África, muitos disseram que era mais importante negociar com os EUA, inclusive FHC, e quando os EUA entraram em crise todo mundo deu graças a DEUs o Brasil ter comércio com países africanos e asiáticos.

    Deixemos de ser submissos a qualquer potência. Compramos dos franceses porque eles estavam mais dispostos a nos vender. Lutaram muito para nos vender seus caças, submarinos, etc. A França está nos oferecendo o melhor que tem, os EUA estão? ofereceram os f-35, os f-22? os f-15 silent? não. nos ofereceram os f-18 que estão saindo de linha para entrada dos f-35. Agora temos um caça de primeiro mundo, de ponta, melhor da europa, acham pouco? foi o melhor caça que nos ofereceram, é incrível o rafale, que diga-se de passagem, os franceses são os melhores construtores de caças da europa, antes dos rafales tinham os mirages e os ingleses, espanhois e alemães tinham o que? que caça frabicavam?

  106. Não era o meu escolhido, mas não deixa de ser uma das melhores aeronaves hoje em produção. Agora é só rezar para que ao custo de US$95 milhões, os tão sonhados 120 caças se tornem realidade. Parabéns a FAB ao MD e ao Brasil por agora poder contar com uma aeronave que de fato poderá nos dar uma real superioridade aérea em toda América Latina.

    Um abraço a todos

  107. Deu a lógica galera, escolhemos o melhor, que tende a ficar melhor ainda. Quem não gostar que torça o nariz até quebrar. E com certeza, tem gente detestando isso. Inclusive aquele povinho da Folha, rsrsrs…

  108. Caros,
    A escolha do Rafale está oficialmente confirmada? Eu li a o documento publicado da declaração conjunta assinado pelos presidentes Lula e Sarkozy e ali não é mencionada a compra dos Rafales. Vale lembrar que o Lula é famoso por suas falas de improviso, sem se preocupar muito com “detalhes”. Será que ainda poderemos ter surpresas? Alguém tem, efetivamente, uma idicação (documento formal) de que o Rafale é o vencedor do programa FX-2?
    SDS.

  109. Amigo João Curitiba,

    festa não teve, não…mas tomei a champagne.

    Já aquela ingrata da Carla Bruni nem pra aparecer (aqui em casa!). Mas tá bom!…hehehe

    abração

  110. Caro Hornet,

    Uma coisa voçê vai ter que concordar comigo: o presidente Nicolas Sarkozy é o cara mais sortudo do mundo.Além de vir ao Brasil e assinar acordos importantíssimos para os dois países,vai voltar e ainda dormir com a belezura da Carla Bruni.

    Sds.

  111. João Curitiba, desculpe-me, mas a verdadeira responsável pelo sucesso de TT e Offset é a própria Força Aérea, pois desenvolve essa área desde o início do Projeto AM-X, e aplica em todos os seus Projetos X, e a muitos anos.
    Hoje na pessoa do Maj Brig Nôro, Presidente da COPAC, um cara guerreiro e discreto, ele sim, foi quem apontou o Norte ao MD e a SAE sobre o tema, até por estar a 3,5 anos a frente do F-X2, ou seja desde a sua reabertura, e ainda foi Gerente do AL-X como Cel. Logicamente os méritos políticos irão para o Planalto, MD e SAE, afinal políticos sempre estarão na vitrine. Mas, vamos dar a César o que é de César, TT e Offset, nos moldes atuais, nasceram na FAB.

    Aproveitando, parabéns a essa pequena e desconhecida OM da FAB, SDDP/COPAC, que administra todos esses Projetos, sempre comentados aqui, composta por um efetivo diminuto, que nem chega a 100 militares/civis, pelo sucesso do F-X2. Sabendo que agora sim a guerra vai começar.
    Então: “Aller à la chasse.”

    PS: Nunão, os Xingus foram contrapartida dos Pumas, pois quando os Mirage III foram adquiridos, nem os Banderas estavam operando direito, e o Xingu não tinha nascido.
    Sds

  112. Amigo Cor Tau,

    poxa, vc ainda deu mais algumas definições (do seu nick) que eu não sabia. Grato por isso.

    Não se preocupe, sem relações políticas com seu nome…hehehe

    Aliás, eu mesmo já tinha avisado antes, pois vc sabe como funciona aqui né?…hehehe

    Muita bacana a música. Junta o arcaico com o moderno, o religioso com o secular…eu gosto dessas relações.

    Deixa eu retribuir com uma música também. No final deste vídeo, tem uma imagem (que foi gravada espontaneamente, pois o filme todo foi feito assim) que certamente vc vai gostar e entender o significado (reproduz a imagem de um quadro renascentista bem conhecido). Aqui está o link:

    O compositor é o Philip Glass e o filme chama-se Powaqqatsi.

    abração

    conhece esta?

  113. Meirelles,

    nem me fala isso. E a ingrata nem para dar o ar da graça, né?

    Tem nada não, o mundo dá voltas…também não vou até Paris pra ver ela…kkkkk

    abração

  114. LeandroRS em 07 set, 2009 às 14:56

    Quem te disse que a Saab ofereceu o Gripen NG (um projeto ainda, vale lembrar) pela metade do preço do Rafale? Até onde sei esse dado é sigiloso. Mas eu gostaria de saber tua “fonte”, pois ela não confere com o que tem sido publicado na imprensa.

    “Achei que se fosse obedecido o critério técnico iria dar o Gripen.”
    Discordo de ti. O Gripen atual sequer tem radar AESA e o futuro Gripen NG terá um, que será desenvolvido em parceria com quem? OS FRANCESES…
    O Gripen atual não tem um sistema eletróptico como o Rafale F-3 JÁ tem (o OSF).
    O Rafale tem uma suíte dedicada à guerra eletrônica (SPECTRA). O Gripen não tem nada parecido. Claro, esse tem o data-link, mas aposto que isso tbm será oferecido ao Brasil, pois a FAB já usa ese sistema.
    O Rafale é bimotor, etc, etc, etc…
    Como tu és novo aqui, não deves saber que já foram muito discutidas as capacidades de cada vetor. E quem deu/venceu na enquete do blog sobre o caça preferido para o FX-2? O RAFALE.
    Seguinte: faz uma busca/pesquisa aqui mesmo no blog e leias os prós e contras de cada vetor!
    Vive La France, Viva o Brasil, FAB avec Rafale!
    E dá-lhe Sport Club Internacional!
    Saudações sulistas

  115. Quando se selecionou o Mirage III na virada dos anos 70, as razões da compra eram essencialmente diferentes da escolha, agora, do jato francês. Naquela época houve uma decisão técnica, até pelo fato dos americanos não abrirem para nós nada que fosse melhor do que o F-5A. Não dá pra garantir que não haja tido algum $ por debaixo dos panos, porém o governo (militar) dispensou o BAC Lightning FMK-3, que viria no bojo do financiamento da Ponte Rio-Niterói..
    Daqui a alguns nós vamos acabar descobrindo que a conta deste ou daquele político foi sensivelmente engordada em função da opção pelo Rafale, assim como ocorreu nas democracias japonesa, alemã e italiana nos anos 70, com a escolha dos caças Starfigther e dos C-130 da Lockheed.
    Recomendaria acompanhar a evolução dos bens patrimoniais do Lulinha , da Lurian, do José Dirceu, do Luiz Eduardo Grenhalg, do Glushiken, do Genoíno, dos aloprados…quem sabe aparecerá uma alma caridosa pra quebrar o sigilo do Palocci e dos outros figurões do Partido dos Cleptocratas..(rs)

  116. Noel em 08 set, 2009 às 1:56

    “os Xingus foram contrapartida dos Pumas”
    Não mesmo. Os Xingus do Arme del’Air foram contrapartidas dos Phanter do EB! Tem uma edição recente da RFA (do anão passado, se não me engano) que traça todo um histórico dos “off-set” nacionais, no âmbito aeronáutico.
    Saudações coloradas!

  117. Esse foi realmente o ano da França no Brasil.
    Vieram aqui e levaram a bolada toda(Subs,helis,caças,e talvez escoltas) e de quebra comprarão alguns C-390 da embraer.
    Até aqui tudo bem.O atual(e sortudo) presidente françes,Sarkozy, prometeu transferir até sua mulher,se fosse por nós exigido para poder
    comprar o Rafale.Não sabemos dos futuros presidentes da frança e se haverá algum desentendimento político.Resta a nós torcer pra isso nunca acontecer e que realmente haja a tão comentada transf. de tecnologia e faça valer esse caro investimento.

    Sds a todos.

  118. Excelente noticia !!! Estou realmente feliz pelo desfecho desta novela FX-2 . . .

    Agora uma pergunta interessante:

    Qual será o pacote de armas oferecido pelo governo frances , para nossa força aerea ?

    Quais serão os Misseis Ar-Terra , Ar-Mar e Ar-Ar a serem escolhidos ?
    Pods e equipamentos auxiliares ?

    Vamos aguardar mais noticias !

  119. Boas amigos…(obrigado pelo apoio) não me vou embora só iria fazer uma pausa… é que este estes blog´s são fantásticos. Se sei mais um pouco sobre estes assuntos devesse a todos vocês… tem sido uma enciclopédia de conhecimento … ainda vão ter que aturar mais por muito tempo.
    Desculpem-me de defender um caça que perdeu… como alguém já disse qualquer um seria bom… tendo os seus prós e contras.
    Quem em dera que o meu país tivesse o potencial que o Brasil tem.
    Eu tenho um belíssimo trabalho que me dá acesso um muita informação, baseio-me em factos que adquiro e tento contrabalançar, pesquisar para poder argumentar. Faz parte da minha maneira de ser.
    Estive a ler toda a informação sobre o rafale… a informação que deixaram é muito boa, obrigado pelas respostas.
    Será que haverá divergência entre os políticos e militares? Quando sabermos o que realmente existe no papel poderemos “discutir mais um pouco”.
    Outra parte que fundamentava era em relação ao 390 da Embraer , preferia a parceria com a Boeing para essa construção… tinha mais lógica para o Brasil, o EUA não têm nada igual e o mercado militar americano poderia levar muitos mais do que a França.
    Mas “C’est La Vie”, os franceses levaram a melhor.

    (Vou em breve de férias… vou viajar com o minha mulher e com o meu notebook”… estes blog´s são um vício, não quero perder a informação que é postada por aqui)… Ela vão ter ciúme do notebook. Rsssssss
    Muitos parabéns aos criadores e aos aqui que participam, vocês são muito bons…

    Abraços irmãos
    Karlus73

  120. Caros Amigos.:

    “Dassault Rafale F-3” para o Brasil!!!
    Na minha modesta opnião, o “Dassault Rafale F-3” é o melhor para o brasil. Nós vamos ter transferencia de tecnologia e vamos fabricar aviões aqui na “Embraer”.
    A própria “Embraer” vai fazer a manutenção dos “Dassault Rafale F-3”.

    Abraços.

  121. Caros Amigos.:

    “Dassault Rafale F-3″ para o Brasil!!!
    Na minha modesta opnião, o “Dassault Rafale F-3″ é o melhor para o Brasil. Nós vamos ter transferencia de tecnologia e vamos fabricar aviões aqui na “Embraer”.
    A própria “Embraer” vai fazer a manutenção dos “Dassault Rafale F-3″.

    Abraços.

  122. Caros Amigos.:

    O próximo país a adquirir os “Dassault Rafale” agora será a “Líbia” que já tem interesse na compra de 16 unidades (12 monoposto e 4 biposto).
    Outro país que manifestou interesse é os “Emirados Árabes Unidos”.
    E uma coisa digo a todos: agora vai ter mais compradores do “Dassault Rafale”.

    Abraços.

  123. muitos aqui falam do alto custo de manutenção do Rafale. O gripen custa a metade da manutenção do rafale, mas é uma concha de retalho, tem peças americanas, inglesas, da africa do sul, e pasmem, peças importantes francesas, seriamos dependente de vários e vários países, fazendo raiva a um deles o caça nem voa.

    O f-18 tem um custo de manuntenção parecido com o rafale, e entre os dois nem vou dizer qual é o melhor, basta ver que o rafale surgiu em 2001 e o f-18 em 1983, só aí dá pra ver que rafale tem tecnologias mais modernas e é um avião ainda em desenvolvimento, já o f-18 é um caça decadente que será substítuido pelo f-35, fizemos a melhor escolha, pegamos o melhor caça europeu, nunca o Brasil teve um caça de ponta, o rafale é um caça de ponta.

  124. O rafale sem dúvida dos tês concorrentes é o melhor caça de superioridade aerea!Agora a grande questão é a suíte eletrônica que acompanhará o Rafale e principalmente os armamentos que equiparam os novos caças brasileiros espero que possamos contar com armamnetos como o missil meteor, armamentos guiados, o exocet e o missil de cruzeiro Storm Shadow SCALP EG, e o a-darter!
    Espero que esse grande caça possa vir com tudo de melhor ou então o Fx2 não fará sentido!E que possa vir agora o fx naval e particularmente torço pelas Fremms!

  125. Bom Dia Senhores

    não quero jogar agua no chopp de voces mas recomendo esta excelente leitura para todos e digo de coração aberto e brasileiro até a morte só espero que eles tenham mudado pois caso contrario estaremos literalmente em maus lençóis mais dia menos dia

    http://www.naval.com.br/historia/lagosta/lagosta1.htm

    MEU BRASIL BRASILEIRO VIVA TEU NOME TUA HISTORIA TEU POVO TUA TERRA

    SDS Senhores

  126. Senhores, enfim o bom senso venceu. A lógica venceu. O Rafale F-3 venceu.
    Senhores, me respondam??? Como que os EUA queria vencer com o F/A-18 se eles nem fizeram tanta questão, ou seja, a papelada da transferencia da tecnologia do F/A-18 nem tinha chegado no Senado Americano. Vejam o pouco caso dos EUA com o Brasil.
    Senhores, os EUA estão mais preocupados com as suas futuras bases na Colômbia do que com o Brasil.
    Senhores, agora o Brasil tem que tomar conta do ‘Pré-Sal’ e da ‘Floresta Amazônica’, pois, são riquesas que não tem preço.
    Senhores, será os mísseis ar-ar vão ser: Curto ‘Alcance A-Darter’ e Médio ‘Alcance Mica’ e longo ‘Alcance Meteor’???

  127. Senhores

    materia de um jornal frances leitura muito interessante também

    Bilhete premiado’

    O acordo entre França e Brasil também foi destaque no jornal francês Libération, segundo o qual, trata-se de um “bilhete premiado” para a indústria bélica francesa, que atualmente atravessa uma crise.

    O diário informa que os aviões Rafale, que o Brasil deve importar, serão vendidos “nus”, o que deve obrigar o país a comprar também da França os armamentos que vão equipar as aeronaves.

    O Libération diz ainda que, sem o mercado brasileiro, a fabricante do Rafale, a Dessault Aviation, poderia fechar.

    SDS Senhores

  128. VIVE LE FRANCE ET VIVE LE BRÉSILE, TORCI PRA CARAMBA PRA TERMOS ESSE TECO-TECO FRANCÊS, VOANDO EM NOSSOS CÉUS, HOJE AZUL, BRANCO E VERMELHO. PARABÉNS AO NOSSO QUERIDO PRESIDENTE LULAKORZY, HEHEHEHEH

  129. Bem apesar do Su-30 custar à metade que o Rafale custa e o Su-30 ter desempenho de 2 Rafales bem o Rafale foi o melhor dos 3 finalistas.

    O F-18E/F é cheio de restrições e os americanos são um cocô em suporte.

    O Jas-39 em pouca autônomia e é um avião de CADIM ( Cadinho de Inglaterra, Estados Unidos e suécia) de todo mundo e que tambem iria vir cheio de restrições.

    Os 36 unidades do Rafale é pouco para o tamanho do nosso país na minha opnião tinha que ser ao menos 120 unidades para cobrir todo o espaço aéreo e o míssel A-Darte é fraco para o Rafale o Brasil deveria comprar lotes de Mica,Meteor,Apache,SCALP e até o ASMP (Míssel nuclear com ogiva de 300kt e 300km de alcance). Aí sim ficariamos em PAZ de verdade

  130. Tales em 08 set, 2009 às 2:32
    Tanto eu como vc erramos em relação ao aquisição do Xingú pela França, eu errei pelainformação recebida a muitos anos passados, e vc pela Revista FA, até pq os Xingu foram adquiridos em 83, ou seja antes mesmo da criação da aviação do EB, em 85, e os Panther também chegaram depois, em 87.

    A operação de Offset envolvendo os Xingu tiveram relação com a implantação do Sistema DACTA. Fonte: IFI
    Sds

  131. LeandroRS em 07 set, 2009 às 14:56

    Comecei a acompanhar o blog faz pouco tempo tendo, inclusive, dificuldade em compreender os termos mais técnicos, mas achei lamentável a escolha do governo brasileiro. Achei que se fosse obedecido o critério técnico iria dar o Gripen.
    É temeroso o país ficar tão dependente dos franceses, no caso da Marinha e, agora, da Aeronáutica. Outro ponto a considerar é o preço, tanto de aquisição quanto de manutenção. Sempre fui funcionário público e conheço o processo de sucateamento que sofre a máquina pública depois que os holofotes apagam, acredito que esses aviões correm o sério risco de ficarem parado por quaquer problema causado por falta de dinheiro, quiçá até para comprar pneus. Não me convenci que o preço do Rafale, em comparação com o Gripen, se traduzisse na mesma proporção em qualidade da aeronave. Por acaso o Rafale possui o dobro de qualidade que o Gripen?
    O gasto que o país terá com o Rafale, não seria melhor comprar mais Gripens? Estou convencido ser essa mais uma decisão que demonstra a falta de cuidado na gestão do dinheiro público.
    Alguém poderia comentar e, agradeceria, mostrar que estou enganado?

    Leandro RS

    eu concordo com suas observações, e eu acho que teria sido melhor se tivessemos privilegiado os quesitos tcnicos operacionais, e não os politicos, pois estamos nas mãos da França, uns dizem que o gripen era multi-nacional, mas anets fosse ele, pois ele possui uma suite modular que permite uma rapida integração de qualquer sistema disponivel no mercado, e os equipamentos franceses bem sabemos que tem pouca capacidade de assimilar equipamentos de outras origens, vale lembrar os problemas que sofremos com os mirrage, mas fazer o que nosso povo é sem memoria, lembra-se que collor foi deposto e hoje esta devolta a politica, nosso povo é sem vergonha e nosso gover tem uma história longa de privilegiar gastos absurdos onde sempre tomamos na cabeça no final.

  132. Antonio M

    Em parte concordo contigo, acho infantil esse movimento anti=americano, que vai criar uma linha militar totalmente oriunda da frança, em pequena escala de outros paises. O que em parte torna-nos muito dependente deste, se fossemos realmente uma nação madura e disposta a andar com as proprias pernas, não sairiamos por ai apoiando a compra de um arsenal de um mesmo fornecedor, ainda mais que o mesmo assim como os americano visa apenas seus interesses.
    Com relação aos americanos eu não acredito em represália diretamente, mas que se precisarmos de alguma coisa deles, pode ter certeza que vão nos negar ou impor dezenas de sanções. Pois temos é que antes de sair por ai com feber de TT é preparar nosso país pra saber o que fazer com TT, o que adianta ter TT se não temos gente capacitada para expandir o conhecimento? O que temos hoje é um celeiro de analfabetos funcionais em nossa rede de ensino, o que é lucrativo para os meios politicos que se valem desta massa de manobra que como asnos seguem o que os corruptos em nosso governo (não se salva um na direita ou esquerda) que que façamos, estou cansado desses camaradas que falam de viralatismos, americanismos e tantos outros “ismos”, pois eu os vejo como pessoas prepotentes que desrespeitam a opinião do proximo, quando a sua é totalmente insensata;.

  133. Só para lembrar vcs, o gripen tem importantes componentes franceses, portanto ficaríamos nas mãos dos franceses do mesmo jeito, mas incluiriamos a africa do sul, inglaterra e eua, portanto ficaríamos dependentes de 6 países se fosse o gripen, inclusive a frança, portanto é melhor ficar nas mão de 1 que de 6. Outra coisa a frança nunca nos negou nada, nenhum tipo de equipamento, podemos comprar o que quisermos, os EUA, é uma briga, a arabia saudita comprou caças f-15 e não pode instalar os misseis que queria, grande porcaria um caça assim, os arabes estão vendendo seus caças americanos para adquirir caças europeus porque tem menos restrições, o Brasil tá seguindo uma tendência mundial. Os EUA só venderam caças para a austrália, marrocos, israel (mas o dinheiro dos caças de israel é dado pelos EUA), taiwan, japão e outros países se não receberem stealths disseram que vão comprar caças europeus, porque continuar com os mesmos caças não dá, precisam de coisa mais moderna. Os EUA como vendedor de caças está perdendo para a russia, e em breve para a europa.

  134. Até que enfim!!
    To doido pra ver os primeiros aviões chegando novinhos…
    Com essa transferência de Tecnologia, espero que sejamos capaz de produzir uma turbina totalmente nacional…

  135. Senhores, nota da ‘Folha On-Line’.
    *********************************************************************************
    Brasil e França querem formar indústria aeronáutica conjunta
    Publicidade
    da Folha Online, em Brasíla
    da Efe, em Brasília
    da Reuters, em Brasília

    Brasil e França divulgaram nesta segunda-feira um comunicado em conjunto para confirmar um acordo de cooperação militar entre os dois países que fornecerá tecnologia à indústria brasileira e tem como foco o mercado na América Latina.

    Pelo acordo, o Brasil comprará da França 36 aviões de combate Rafale e 50 helicópteros. Já a França, vai adquirir dez aviões de transporte militar KC-390, que serão fabricados pela Embraer.

    O acordo firmado hoje abre caminho também para que os dois países desenvolvam uma indústria aeronáutica em parceria.

    Apesar de demonstrar a preferência pelos caças Rafale, o governo brasileiro sinalizou que quer uma redução do preço cobrado pelos franceses.

    “Queremos desenvolver uma grande indústria aeronáutica, construir aviões em conjunto, vender aviões em conjunto”, disse o presidente francês, Nicolas Sarkozy, a jornalistas em Brasília, após ter participado das comemorações do 7 de Setembro.

    O presidente Luiz Inácio Lula da Silva comemorou o acordo, que permitirá ao Brasil fabricar e vender as aeronaves a outros países da América Latina.

    “A visita do presidente Sarkozy é mais que uma visita, é a consolidação de uma parceria estratégica entre dois povos que têm muita coisa em comum”, disse Lula.

    Lula justificou a decisão de renovar as aeronaves da FAB (Força Aérea Brasileira) citando a necessidade de o país proteger a Amazônia e as reservas de petróleo encontradas na camada pré-sal.

    Helicópteros e submarinos

    Os acordos assinados hoje também estipulam as bases para a construção de cinco submarinos, um deles de propulsão nuclear, e 50 helicópteros do modelo EC-725, da empresa Eurocopter, filial do grupo europeu EADS, que serão adquiridos em sua totalidade pelo Brasil.

    Segundo os convênios, os navios e helicópteros serão construídos no Brasil —que obterá toda a tecnologia, exceto a nuclear– e as fábricas que serão erguidas com esse fim serão responsáveis pelas possíveis e futuras vendas a outros países latino-americanos.

    Toda essa operação, que será cumprida em várias etapas até 2021, custará ao Brasil US$ 12,317 bilhões, dos quais cerca de US$ 9 bilhões serão destinados à compra dos equipamentos militares.

    Caças

    Em entrevista coletiva conjunta com Sarkozy, Lula anunciou o interesse em adquirir 36 aviões de combate Rafale, mas não informou se isso significa o anúncio final de uma licitação na qual também concorrem a sueca Saab, com os caças Gripen, e a americana Boeing, com o F-18 Super Hornet.

    “É somente uma decisão de iniciar negociações”, disse Lula, que, no entanto, deu sinais mais claros depois ao apontar que Brasil e França não estão negociando uma simples associação comercial, mas pretendem ‘criar, construir e vender muito juntos’.

    O ministro das Relações Exteriores Celso Amorim disse que as negociações com a Dassault não se referem a “uma mera compra”, porque a França ofereceu “a possibilidade de que os caças sejam fabricados no Brasil”, para vendê-los inclusive a outros países da América Latina.

    Também indicou que “o principal atrativo da oferta francesa é a transferência real de tecnologia”, o que não representa somente “o acesso ao conhecimento, mas também o acesso livre a este tipo de operação comercial”.

    Sarkozy afirmou que o Brasil ‘é um parceiro obrigatório’, e ressaltou que a França está convencida de que, em conjunto, os dois países podem ‘construir uma grande indústria aeronáutica comprometida com a segurança mundial’.

    Essa convicção ficou evidente no comunicado no qual os dois governantes anunciaram sua “decisão” de transformar seus países em “parceiros estratégicos também no domínio aeronáutico”, área na qual “possuem vantagens importantes”.

    Sarkozy, que chegou ao Brasil na noite de ontem, assistiu hoje junto com Lula ao desfile Dia da Independência, que pela primeira vez contou com a participação de soldados e aviões de acrobacia franceses.

    ************************************************************************************

    Senhores, sobre um assunto que comentaram no paragráfo acima falando da guerra da Lagosta, isso é, passado, mas, o Brasil não quer confiar na França, e sim, quer a tecnologia e aprender a projetar seus próprios aviões caças, submarinos, navios e helicópteros. Senhores, o que o Brasil quer é a transferencia de tecnologia. Ninguém pode confiar em ninguém. E os EUA que já fez planos para invadir a ‘Amazônia’ Brasileira no fim da década de 80 e início da década de 90. Só não houve devido a guerra do golfo. Porque alguém não comenta isso???
    Senhores, fique bem claro, o Brasil quer tecnologia para desenvolver seus armamentos, e a França ofereceu mais, é só por isso.

  136. Foi mal pessoal. Eu estava sem paciência ontem. E meu comentário já foi censurado mesmo então relax. Blz?

    Ah Nunão, da próxima vez que alguém vier com comment ofensivo (como já ocorreu comigo antes), espero que você use seu poder de censura também. Aquele abraço…

    E Karlus, eu peguei pesado mesmo. Desculpa aí. Tchau.

    Francisco AMX, sou descendente de judeus e sigo o judaísmo.

    abraços a todos.

  137. O F-15 é o caça de superioridade aérea atual. Não é páreo para o F-22. Portanto, o Rafale terá um campo de atuação limitado, coisa que os outros dois também teriam. A próxima geração será stealth.
    Quanto à tecnologia francesa, vou informar um fato baseado na vida real. Existem 3 maneiras de projetar um equipamento: o jeito certo, o jeito errado e o jeito francês. Vamos ver o que acontecerá.

  138. Os relatório técnicos da Força Aérea até aqui divulgados apontam equilíbrio entre os 3 concorrentes. Ponto. Agora, em uma democracia de verdade, a palavra final é do chefe civil maior da nação: o presidente da república com seus ministros civis da área (Defesa, Relação Exteriores). Há mais interesses do que apenas a melhor e mais pura tecnologia. E é o poder civil constitucional constituído quem tem que dar a palavra final. Alguém acima disse que o anúncio de todo o pacote de defesa no 7 de Setembro foi simbólico. Parabéns pela leitura. Realmente este 7 de Setembro terá repercussão na história do pais e do mundo.

  139. Agora sim estamos começando a desfrutar a INDEPENDENCIA do BRASIL

    Ainda bem que logo logo estas máquinas estarão em nossos céus, voando e protegendo o Brasil.

    Vamos comemorar a vitória do Rafale e fiscalizar, para que tudo que foi acordado seja cumprido.

    Abraços e vamos de Rafale

    Viva o Brasil, viva a França

  140. Estou extremamente feliz, pois o programa FX teve inicio em 1995 ou seja 14 anos para a escolha do vetor que defendera nossa pátria e nos trazerá os conhecimentos necessários para o nosso desenvolvimento tecnológico e que por fim nos trazerá a nossa tão sonhada independência tecnológica a longo prazo….
    Acompanho esta concorrência há 10 anos, mais precisamente dede abril de 1999 e sei o quanto isto é importante e representa para o país….
    Gostei da decisão final, o Rafale nos dará uma excelente capacidade de defesa ao mesmo nível dos outros vetores de 4.5G do mundo, mas nos dará o conhecimento de novas tecnologias para o desenvolvimento tecnológico no setor e a tão sonhada independência tecnológica…
    O Rafale cumpre as necessidades da FAB e os Franseses nos garantiram acesso as tecnologias do Rafale, porem a de se ressaltar que não serão a 100% e sim a tecnologias especificas, porem sem restrições, alem de podermos produzir o vetor em solo nacional para a FAB e para exportação dentro do nosso cenário de influencia em conjunto com a França. Por fim estou ciente que a FAB tomou a decisão certa…
    Concluindo agora somos todos Rafale….
    Um grande abraço a todos….

  141. pagar bilhões pela tecnologia de submarinos que POSSIVELMENTE ajudarão no desenvolvimento do SSNB de emprego estratégico é aceitável, mas bilhões em um caça tático que perdeu todas as concorrências que participou, inclusive, ao que parece, também no Brasil, só se justifica por razões ideológicas do governo.

  142. Noel em 08 set, 2009 às 9:12

    Tchê: fiz uma busca no IFI e tua segunda informação está certíssima!!!
    Não sei se fui traído pela memória, mas hoje à noite vou procurar a edição da RFA para reler a matéria sobre os offset.
    De qualquer forma, segue abaixo o endereço da página do Instituto de Fomento Industrial e o excerto do texto sobre a estória do offset:

    http://www.ifi.cta.br/desenvolvimento-industrial_offset_nocoes-gerais_historico.php

    “Outra operação de offset ocorreu quando, por ocasião da aquisição do Centro Integrado de Defesa e Controle do Tráfego Aéreo – Cindacta I, à empresa francesa Thomson, foi negociada a venda para a Força Aérea Francesa de 41 aeronaves Xingu, que ainda equipam um esquadrão de treinamento de pilotos de transporte.”

    Valeu pela correção.
    Abraço

  143. billy em 08 set, 2009 às 13:20

    Nosso sub será movido a energia nuclear (SSN), mas não levará mísseis balísticos (SSNB)!
    Quanto às concorrências anteriores, cada uma teve sua peculiaridade e NÃO SERVEM DE PARÂMETRO para esta.
    Além da exigência de TT, vale a pena lembrar que o radar AESA do Rafale foi homologado apenas recentemente e ainda não entrou em operação com qualquer OM.
    Na concorrência da Coréia do Sul (a última anunciada antes do Brasil), em que o Rafale foi vencido pelo F-15K, os franceses ofereceram a versão passiva do RBE-2, que é bem inferior em alcance e capacidade de processamento.
    Mas com o radar RBE-2 AESA altera em muito a capacidade do Rafale! E esse é o radar ofertado ao Brasil!
    Sauds.

  144. “Noel em 08 set, 2009 às 1:56 editar
    PS: Nunão, os Xingus foram contrapartida dos Pumas, pois quando os Mirage III foram adquiridos, nem os Banderas estavam operando direito, e o Xingu não tinha nascido.
    Sds”

    Noel, se vc ler direito o meu comentário, ao qual vc faz referência, vai ver que era uma resposta a outro leitor, justamente para dizer isso que você escreveu, que Mirage III não tinha nada a ver com Xingu.

    Longe de mim relacionar cronologicamente um com o outro (até ia deixar passar essa questão, mas tenho uma reputação pra zelar, né?…)

    Mas vi que depois você e outros foram ainda além na busca da informação a respeito, e que a contrapartida também não era relativa a helis, como escrevi de cabeça no mesmo comentário. Isso é muito bom – é pra isso mesmo que o Blog serve.

  145. Ok, Nunão, apenas pequenas panes de memória. A grande pane mesmo, está na possível declaração do Min Jobim sobre o F-X2. Até pq, dentro da própria FAB, também tem muita gente não entendendo nada.
    Sds

  146. Pessoal,
    Estava no interiorzão do Paraná, e acompanhando tudo isso, o dia mais especial a anos para nossas Forças Armadas, o ponto de inflexão que a tempo sonho. Isso tuod está tomando forma, de uma maneira que desagrada a muitos, haja visto já as reportagens Folha de São Paulo a fora, mas como sempre são reportagens rasas, superficiais e feitas por amadores. Não importa mais nada, hoje o Brasil dá um primeiro passo e aqueles que perderam devem ler isso e não fazer o que fez a HDW e a Thyssen Krupp, pois perdem novas oportunidades, infinitas desde do trem bala ligando os dois principais centros do Brasil a tomar parte na exploração das riquezas do Pré-Sal.
    Uma parceria se constrói durante anos, não é com uma carta da Hillary ou Obama que as coisas iriam aprumar. Hoje o acordo Brasil e França se faz entender como um acordo estratégico entre duas nações que se complementam. Aguardemos os TGVs e as FREMMS.
    Viva Marcel Dassault, Viva a França e principalmente Viva Nosso Brasilsão.
    Que os Comandantes das três Forças e o Ministro da Defesa tenham paciência para os bombardeios que se avizinham.
    Que pensam aos jornalistas que conversem primeiro com Chile, Colombia, Venezuela e Peru e observem seus últimos passos.
    Parabéns o Rafale está anos a frente dos concorrentes com tecnologia americana Gripen NG e F18E/F Super Hornet.

  147. Escutei um comentário de que a FAB ainda estaria aberta a receber outras propostas dos finalistas do F-X2 e que o negocio ainda não estaria totalmente concretizado. Esperamos que isso não seja verdade e que esteja tudo certo, pois sem dúvida o Rafale é o melhor dos três.
    Um abraço a todos.

  148. Dizer o que mais ???

    Parabéns à FAB.

    Em qualquer lugar que se vá, em sites e forúns extrangeiros, no dia de hoje, só dá Brasil.

    Como havia dito, por bem ou por mal, escolheram um bireator.

    Viva o Blog também, com mais de 20.000 acessos num dia.

    Sds.

  149. A nova versão RBE2-AA (active array), que deverá entrar em serviço em 2012, será fornecida ao Brasil ou receberá a versão anterior?

  150. billy em 08 set, 2009 às 19:42

    Ok Billy, concordo que “emprego estratégico” não quer dizer necessariamente mísseis com “cabeças de guerra” (ogivas) nucleares.
    Ocorre que tu usaste, no teu texto, a sigla SSBN, que significa “Sub-Surface, Ballistic missile, Nuclear powered”, em português: designação naval para submarinos de propulsão nuclear com mísseis balísticos!
    Nosso sub será um SSN (Sub-Surface, Nuclear powered).
    Só chamei a atenção para o uso da sigla correta, para não termos confusão, ok?
    Sauds.

  151. Resta saber se vamos ter condições de deixar os rafales operando regularmente, não vai adiantar de nada ter uma ferrari e deixa ela estacionada na garagem…

  152. Ponto que acredito que tenha pesado na escolha são os constantes bloqueios americanos a nossas vendas de equipamentos militares, em especial ao ST. Penso que a tendencia seja substituirmos os itens criticos americanos por franceses e daí podermos vender pra quem quiser comprar, como o caso de Venezuela e Bolivia.

  153. Brasil o único troxa otário a comprar este lixo. Nunca vendeu para ninguem, a Dassault esta com um rombo no caixa deste projeto, até a França suspendeu a entrega total das encomenda feitas. Caro de manter, caro para comprar. Logo logo estara aqui em nossas unidades como os antigos jaguares todos rapinados para manter os demais. Uma hora de voo do Gripen é um terço deste Rafale e francamente o Gripen não deve em nada ao françes, muito pelo contrário. Chega deste domínio fraçes em nossa FAB o passado e negro para eles.

  154. O Brasil vai servir só de plataforma de lançamento para a Dassault que está as minguas. Não esqueçam que eles são sócios da EMBRAER que é uma boa e talvez única fonte substancial de receita.

  155. Prezado Leoamx
    O preço da independência custa caro, é por esse motivo que ele está caro, falta escalabilidade.
    O Rafale tem perdido pros Estados Unidos, devido a ingerência política, na Coréia para o F-15 e Marrocos F-16, particurlamente todos são defasados quando comparado com o Rafale.
    sds

  156. Se engana quem acha q acabou, o FX-2 ainda não está definido, os concorrentes ainda tem até o dia 21 de setembro para entregar a proposta final, o alarde q fizeram sobre o Rafale foi uma estratégia genial q fez com q ficasse ainda mais competitivo essa escolha ou seja vai ter americano oferecendo F-18 a preço de banana agora.
    Em resumo ainda não tem nada decidido, mesmo q tudo aponte para o Rafale ele ainda não é o escolhido, a briga agora ficou melhor ainda pq o Brasil demonstrou forte interesse no caça e isso provocou inveja nos concorrentes q agora vão fazer de tudo para não perderem essa…
    A novela ainda não acabou, agora é q vai ficar boa mesmo.

  157. Lucas realmente sempre pagamos um preço muito caro para manter os nossos jaguares até os dias atuais. E o ponderavel seria não seguir nesta mesma linha. Temos que ser dependentes sim mais de dois fornecedores de peças de reposição de motores(sistema mais importante e dispendioso no que refere a manutenção de em qualquer aeronave) a GE e a Volvo. A família F-404/414 são as turbinas mais utilizadas por aeronaves de linha no ocidente, isto sim é economia de escala.
    Não pensem que o Brasil vai sair vendendo com facilidade o vencedor do programa F-X2, e apostando nisso para obter vantagem em economia de escala. Temos que ser realistas com os meios que possuimos. As nossas Forças Armadas estão com sérios comprometimentos orçamentários para suportar seu custo operacional. Optar por um Rafale só por que ele pode ter 20% mais de autonomia e 30% mais de capacidade de carga são fatores muitos pequenos diante da totalidade da FAB.

  158. Apesar do que juram os suecos,o Gripen NG jamais seria uma opção “independente”para um país de dimensões continentais como o Brasil. Mesmo que ele fosse dotado de CFTs,e levasse 5 tanques grandes sob as asas,o máximo que ele teria de armas seriam 5 mísseis. Contem os pontos duros sob as asas dele e me corrijam se eu estiver enganado. Francamente,o que seriam 5 mísseis para um hipotético duelo com um Su-30 bolivariano,com 12 aams sob as asas,alcance de radar e raio de combate muito maior? Para onde iria a manobrabilidade e o RCS do Gripen nesse caso? Com tantos componentes de origem americana, que a Suécia não fabrica inteiramente em seu parque industrial,como têm os suecos cara de pau de se alegarem “opção independente”,sem sequer terem projeto de incorporação de itens de outras procedências para substituição dos americanos? Quem é ingênuo o suficiente de confiar irrestritamente na palavra dos americanos,com o histórico que eles tem e depois deles terem querido nos vender dispositivos de GPS com desempenho sabotado para os Super Tucanos ?

  159. Brasil é o primeiro comprador internacional do Rafale?

    Second= U.AE or…Switzerland?
    Last info: (Source) RSR( state public swiss french radio) and Neue Luzerner Zeitung (swiss german newspaper), 13 +14 december

    http://info.rsr.ch/fr/rsr.html?siteSect=5001&broadcastId=715546&bcItemId=11603422

    The evaluation committee has selected the Rafale (against the Eurofighter and the Gripen)
    Like in Brazil , politics will make the final difference ,already the journalist say some swiss german speaking part deputies and senators react against this sudden choice
    The audio podcast of the swiss RSR journalist inside the link above is in french

  160. Interesting link, Thierry. I’ll try to get more information about this.

    Who knows? Maybe a race (hehehe) will begin not just for the country to be the second buyer, but the first – sometimes things happens a bit slower in Brasil (but not only here), after some (false?) starts with pomp and circunstance.

  161. Nunão

    sometimes things happens a bit slower in Brasil (but not only here)
    Yes,not only here.. ,right now in France winter and cold is there he he and because 12(or 17) nuclear reactors are in maintenance on a total of 58 ,France is obliged to import electricity and the network is close to full load breakup!

    Back to the swiss FX2 I am sure of the evaluation committee choice but it can take long time(normally 2010 first part)but politics + citizen rights to ask for a vote yes or no(“votation”) to invest 2 CHF billions in fighters.Populism or excessive use of citizen rights can give harsh results.Hope not for their air force modernization.

    • Thierry,

      I wish you good luck this winter in France…

      About the Tiger Replacement program: the last thing I saw being discussed about this subject was the evaluation of the noise impacts of the contenders. It appeared in the Armasuisse news about the program but also in the press, wich talked about all the three being noisier than the tigers (and I heared the tigers roaring much times, and I can assure they are not quiet fighters… Anyway, most of the jet fighters are not quiet…).

      I’m finding no sucess in accessing the note published in the Neue Luzerner Zeitung, maybe it’s not in the online version. German is not a “friendly” language to search, anyway. Have you checked the information there?

      Regards,
      Nunão

  162. “Have you checked the information there?”

    just searching and same difficulties finding .I keep searching and as soon as I find will let you know

    The audio podcast is the following(in french);
    “”..Paul Niederberger un PDC membre de commision de politique de securité a mesuré les pressions exercés par les 3 constructeurs en lice pour cette commande de plus de 2 milliards.Et le conseiller aux Etats de Niedwald se dit très surpris de voir les experts se decider aussi rapidement pour l’appareil français au detriment de ses concurrents le Gripen suedois ou l’Eurofighter de l’européen EADS.Une sous commission du parlement qui s’occupe aussi du dossier a rencontré les fabricants mardi dernier.Etonnement aussi de 2 deputes de Suisse centrale,le radical Eddy Engelberger ne comprends pas pourquoi le responsable de la commission d’experts n’a pas profité de l’occasion pour evoquer l’imminence de son choix,à moins que mardi dernier la décision ne soit déja tombée,suggére l’écologiste Jo Lang.Le Zuggois lançe cette hypothese en se souvenant de l’air victorieux des vendeurs de Dassault ce jour là”

    • Thierry,

      From German to English the translation is really better than the same one made to portuguese. If it’s done phrase to phrase, even better.

      Offset contracts signed with all the three contenders, that’s the news, basically. Raw data exists about the evaluation. A complete report is expected to January / February and could be presented to the authorities until April.

      Not so interesting as the rumours… Let’s wait for more stuff in the days to come.

      Regards,
      Nunão

  163. You are right Nunão
    Coming back to automatic translators, I have the same result when translating this site where we are from portuguese to english instead of french .Google is american and their native language I am sure has been better worked on + first international language
    http://www.reverso.net for short texts is better in french but then you have to pay for the full version
    Best regards
    Thierry

  164. Demorou anos e a “burrocracia” se concretizou.
    Azar da FAB, que pagará mais caro por um modelo notadamente inferior ao Super Hornet.
    Qualquer “inteligente” sabe que a Marcel Dassault “jamais” ira transferir toda a tecnologia sensivél para a Embraer.
    Só o Lula mesmo (com a cultura que tem) para cair nessa.

  165. I’m a french (and a patriot) and not a Brazilian.
    But I would be surprised that so few Brazilians want their country to be important at international stage and stay only a vassal of americans like rest of South America.

    American does no share their power and their technology and its secrets.
    If you buy an american weapons, you have software locks and dependancies which prevent you to use freely those weapons in independence from US will.

    France has interest to partner with some other democratic nations which share its views.
    So we are willing to share our technological secrets with a partner as we need allies of the same global power than France and not much more powerfull like USA, which consider others as vassals.

    Rafale is the best plane for pure military capabilities and free of use unless F18E or even Gripen with its american engine.More stealth, more ECM, more air to air capabilities etc.
    It is not free but not that expensive if you consider you would obtain freely decades of expensive R&D and experience return.
    We have granted Brasil a quite fair price.
    For my self I consider that people who prefer vassality and to see their nation in dependancy are traitors to their nation, in France or elsewhere.
    But USA lobby is strong to prevent democratic countries to acquire independence from them and criticize them at UNO like in 2003.
    They want to be the only one leader of occidental camp.
    If Brazil goes for USA dependency we would go for an other partner.

  166. Em relaçao ao historial nem Francess nem americanos tem um bom historial em relaçoes militares como Brasil
    Agora ja escutamos ate declaraçoes de amor etc ..
    Espero de verdade que essa seja a melhor escolha se bem que essa licitaçao tem muitas caras ocultas como tudo que se faz no Brasil.
    Como se explica o Sukoi ter ficado de fora dessa forma ?
    A mim me parece mais claro que o Brasil mais uma vez cedou a pressoes americanas e tirou o Sukoi de jogada.
    De repente se tem acordo militar com os americanos oferecem desenvolver o biocombustivel para os caças junto com o Brasil.
    Algo aqui nao esta batendo ja veremos ao longo dos anos o resultado.
    Espero que esse equipamento realmente seja a metade do que dizem ser porque precisou de uma ajuda para tirar um concorrente da jogada.
    Seremos os primeiros a nos aventurar com o aviao sorte pra nos porque vai sair bem caro o brinquedinho.

  167. Eu acho que o Brasil tem que valorizar mais as suas forças armadas,esta descisão de comprar estes caças tardou muito, espero que seja a desisão certa, ja que no passado o brasil fez negocios com a frança e na minha opiniaõ não foi muito feliz,convivi com os mirage na base aerea de canoas, e eles so não davam problemas quando estavam em cima dos tambores.
    Se o Brasil podera produzir as peças de reposição para estas aeronaves, ou talvez ate as propias aeronave, isto torna a vida util destes aviões quase sem limites, ja que no pais possuimos tecnicos altamente capasitados para continuar desenvolvendo estas aeronaves.
    Levando em conta o tamanho do nosso mar territorial, é de extrema urgencia que as autoridades, principalmente ligados marinha tambem se agilizem para que esta aeronave tambem tenha uma versão naval.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here