segunda-feira, maio 17, 2021

Gripen para o Brasil

Embraer, a noiva cortejada do projeto F-X2

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

gripen-ng

vinheta-clippingQualquer que seja o resultado da concorrência que definirá os novos caças da FAB, um vencedor parece mais do que definido. Como a quarta maior fabricante de aviões do mundo, a Embraer virou a noiva cortejada em um negócio de US$ 2 bilhões que pode aumentar ainda mais sua participação no mercado internacional. Isso porque, encerrada a fase de fechamento das propostas de parceria com empresas nacionais para a transferência de tecnologia, tanto a Boeing (F-18E/F Super Hornet) quando a Saab (Gripen NG) declararam que o namoro com a brasileira está pelo menos anunciado.

A diferença entre as cantadas americanas e suecas é a abordagem. Os gringos, detalhistas e diretos, fecharam 10 dos 27 pontos de offset com a brasileira. Já os suecos tentaram ganhar a atenção da eventual sócia com um acordo mais abrangente e potencialmente, em termos, bastante atraente, por não ser limitado aos termos da concorrência.

De acordo com o diretor da Saab no Brasil, Bengt Jáner, a Embraer será a única fabricante de jatos de caça no Hemisfério Sul e será também a única a poder comercializar o caça no mercado mundial. Ainda que o volume de encomendas não seja tão expressivo nesse momento – o NG, de Next Generation, ainda está em desenvolvimento – trata-se de uma possibilidade importante para que os brasileiros possam se tornar construtores e vendedores globais.

É importante lembrar que a Suécia é o único país fora os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU que também produz aeronaves de caça. Essa associação dá ao Brasil uma posição muito vantajosa – explica Jáner, em um encontro esta semana no aeroporto Santos Dumont.

De acordo com as exigências do edital criado pelo Ministério da Defesa, os três concorrentes no páreo final (além do Gripen e do F-18 o Rafale francês) precisam apresentar contratos de tranferência de tecnologia 80% em termos diretos, ou seja, para uso na plataforma do jato, 15% indiretos – aplicações em softwares para controle de vôo, por exemplo – e os 5% restantes para aplicações à escolha da empresa.

Seguindo o estilo diferenciado da proposta sueca – menos atrelada às estratégias das autoridades militares do país nórdico e muito mais às comerciais – uma das empresas escolhidas é a Akaer, um escritório de design de São Paulo.

– Esse é o caso em que, independentemente do resultado da concorrência, nos interessa ter um tipo de desenvolvimento de produtos permanente – afirma o diretor da Saab, citando ainda como parceiros diretos a Mektron, a Atec e a Aeroeletrônica.

A parte indireta da transferência também reforça a imagem que tive ao conhecer as cidades da Ciência no interior sueco, verdadeiras incubadoras em massa de novos produtos e tecnologias. De acordo com Jáner, há conversas adiantadas, por exemplo, com o Porto Digital, de Pernambuco, e com outros centros de produção de softwares na Bahia e mesmo no Rio, com a Coordenação de Programas de Pós Graduação da UFRJ (Coppe). Um pacote assim também seria maior atrativo para a participação da Embraer.

O representante da Saab está seguro quanto ao que os adversários atribuem como desvantagem do NG ser um avanço – o fato de não estar em produção deixaria claro que o Brasil poderá desenvolver o produto da forma que achar necessário, junto com os suecos. As soluções técnicas dariam ganho estratégico aos militares brasileiros. Outros pontos a favor são conhecidos: ser um jato monoturbina (que os rivais criticam porém significaria US$ 50 milhões a menos em manutenção) e a sua flexibilidade. Jáner cita o esquadrão Grifo, da FAB, que usa os SuperTucanos da Embraer. Como o desempenho do NG é parecido em alguns pontos – capacidade de pousar e decolar em pistas curtas ou estradas, como no conceito nacional de defesa da Suécia – poderia haver um aproveitamento dos pilotos treinados para o turbohélice direto para a operação com o Gripen NG.

FONTE: JB Online

- Advertisement -

181 Comments

Subscribe
Notify of
guest
181 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Ronin

Putz… agora a duvida realmente pairou no ar! Rafale, Gripen ou F18?
Hummm… desse jeito vai no Uni-duni-tê! hehe..

Só nao pode vacilar e deixar morrer essas boas propostas que estão surgindo.
Agora eu pergunto: mesmo após o BAFO é possível que as empresas melhorem as ofertas??

Abs!

Matheus

Soh tenho uma coisa a dizeh e foge ligeiramente do assunto a embraer eh terceira e nao quarta maior fabricante do mundo

João

Gripen e F18 tem que ter aval do governo americano… Se para vender um parafuso você tiver que falar com o meu MASTER toda hora vai ser complicado.

Wilson Johann

Se o Rafale não estivesse nesta disputa, eu apostaria minhas fichas neste avião. É um caça bom de briga. Por tudo o que já conheço sobre estes três concorrentes, que já foram analisados a exaustão, não apresentando mais segredos para ninguém, este é o segundo melhor caça da disputa, apesar de ser menos potente que os outros dois, na minha opinião empata em desempenho com o Rafalle, sendo, junto com este, os projetos mais avançados e com maiores chances de desenvolvimento futuro. O F-18 é um avião já explorado ao extremo quanto ao seu desenvolvimento, e dele não devemos esperar… Read more »

Paulo

Vixe pessoal vocês assistiram o jornal da rede globo está um lobby danado os americanos estão jogando pesado eu particulamente estou perdido eles não vão desistir desse acordo com o Brasil.
O governo brasileiro deve exegir do congresso americanos para aprovarem esse acordo antes de ser assinados.
Não somente os americanos também os franceses e os suecos.Vai vir mas lobby dos americanos segundos o jornal o presidente americano vai ligar pro Lula vem mais lobby.

abraços

Lucas Calabrio

Prezado
Acabou de passar na globo duas declarações (Obama e James F. Albaugh) que haverá tranfeência de tecnologia
sds

Lucas Calabrio

e olhem que o jogo só está começando

Paulo

Está muito fácil essa concorrência vocês não acham ?
O governo Lula deve está com a orelha quente agora imagina lá em baixo que lobby agora vamos ver no final no que vai dar.

abs

Paulo

Tem que ver se o congresso americanos aprovam essa tal transferência pro Brasil já deu pra ver o que acabaram de aprontar com a Bolivia.senão vão fazer o mesmo com nós.

abs

Cmdt Oliveira.

Tudo leva ao Super Hornet. Sera um bom vetor. A França ja fechou bons acordos c o Brasil na area de defesa. A aliança com os Americanos tbem é importante para nos. Apesar de achar o Rafale ser mais avançado, o SH sera melhor para o Brasil.

Paulo

O Lucas eu perdi a declaração do Obama me amigo que hora ele falou segundo o reporte dizer que o Obama ia ligar para Lula.

abs

Paulo

Desce do meus primerios comentário eu sempre comento que o Brasil vai fazer acordo com os três. se algum duvida disso estou aguardando.Sabem porque?
O Brasil não tem como sair desse pessoal.Está ficando cada vez mais complicando é muitos lobby.

abs

Igor

http://video.globo.com/Videos/Player/Noticias/0,,GIM1101267-7823-BOEING+QUER+INVESTIR+PESADO+NO+BRASIL,00.html

acho que é esse video de que o Calabrio falou.

Paulo

Valeu Igor

Paulo

Foi o video que eu assisti no jornal da rede globo

abs

Lucas Calabrio

Prezado Paulo
Tens razão não foi declaração e sim que ele teria falado com o Lula
e que iria falar com ele novamente(entendi isso).
Paulo eu sou partidario de no mínimo 2 vetores na FAB
1 Superioridade aérea (Rafale)
2 Caça de ataque em profundidade (longo alcance) (F-18SH) ou Gripen NG
sds

Lucas Calabrio

Prezado Paulo
interessante seria ter os 3 caças com TT e pelas compensações comerciais que são muitas, mas acho pouco provavel da no máximo um bimotor + gripen ng
Abraço

Mateus_LB

Cada um nesse blog tem sua queridinha. Eu sou meio infiel comecei com a francesa pois era a melhor depois mudei para para a suéca porque era quase tao boa , mas,era mais fácil de manter. Mas agora voltei para o meu primeiro amor porque a francesa além de ser melhor é mais independente e isso me atrai,além de me parecer ser mais fiel(pena que é tão cara de manter,mas sabe como é que é, qualidade tem preço).Nunca dei bola para a americana, ela é a mais bonita na minha opinião, mas, não é confiável e nem tão moderna, mas… Read more »

Lucas Calabrio

o ideal seria 36 de cada totalizando 108 unidades

Mateus_LB

Wilson Johann parece José Sarney.kkkkkkkkkkkk

Paulo

Sabe Lucas eu penso o seguintes:Os caças F-18 ficariam carregado de deveder o Brasil um longo alcance ocêanica seria o caças ideal para isso porque pode levar grande quantidade de arma e combustível, logo em segunda veria talvez o rafale ou Gripen. Ficaria ótimo

abs

bulldog

Tem coisa que não dá pra engolir… tudo o que está escrito aqui sobre o Gripen é parte verdade. MAS…. como podem dizer que vai custar só isso a unidade se ainda é um projeto??? Qualquer um que entenda um pouco de engenharia sabe que projeto não dá preço final..até pq é mais fácil o custo subir durante a produção..aliás..nunca vi descer! Entaõ calma lá..a versão NG não existe..acredito que vai existir e será muito boa e competitiva.. também acredito que a FAB teria como “por a mão” no projeto dos seus (como a MB fez com o Tikuna) e… Read more »

Mateus_LB

Essa imagem do Gripen tá linda demais deve ser porque quase não aparece os estabilizadores dianteiros.

Paulo

É bulldog o Gripen só vai ter o preço só no final o governo fai acabando fazendo o acordo os Estado Unidos e a França já tem o caça e tbm o preço o resto é conversa para boi dormi

abs

Pensador

O Gripen ficou bonito na foto.

Carlos

Atê agora a proposta mais detalhada foi a do rafale, e acho tambem a mais confiavel junto com o grippen. Estou preocupado com o lobby americano que encontra aqui simpatizantes entreguistas na mídia. O Brasil vai cometer o maior erro se fechar esse acordo com os americanos, nao nos esquecamos do que já disseram a décadas atrás; “NAO DEVE HAVER POTENCIA ABAIXO DO EQUADOR”, e esta politica nao perdeu validade nos governos atuais, eles estao de olho no pre-sal e na amazonia, só. Se eles estivessem bem intencionados deveriam oferecer o F-22 ou o F-35 e nao um caca que… Read more »

Felipe Cps

Pois eu acho que na impossibilidade de fechar os três, o que a FAB deveria fazer é um hi-low com o F/A-18 SH e o Gripen NG, que aliás compartilham o mesmo projeto de turbina (economia de escala). E deixa o caríssimo Rafale para o futuro (se o caso).

Quem viu a entrevista postada pelo Igor entendeu o que o gringo quis dizer: compartilhamento da propriedade intelectual, ou seja: o que produzirmos do Super Hornet poderemos comercializar.

É isso: Gripen NG pelo desenvolvimento, SH pelo vetor e armamentos, e o futuro F-BR garantido.

Abs.

LBacelar

A Dassault apresentou a melhor e mais concreta proposta, e acredito que o rafale nos atenderia muito bem, tendo em vista uma possível ameaça dos SU30 do chapolim… Gosto muito do Gripen, mas eu acho meio sem sentido, produzir um avião e vender p/ os vizinhos, se houver algum ataque mpor parte deles estaríamos em igualdade de tecnologia. Mas o pior de comprar um projeto inacabado, é talvez ficarmos que nem os indianos no caso do porta-aviões comprado da Rússia. No inicio o projeto custava X e ia ser entregue em N dias, vários anos depois o valor subiu demais… Read more »

André

Muitos falam que se os EUA estão jogando pra nós um avião de 2º linha e que tal acordo só deveria ser feito se eles tivessem oferecido o F-22 e/ou o F-35.
Entretanto cabe resaltar que o F-35 foi oferecido e descartado pelo ministro Nelson Jobim. Não tem como esquecer a declaração do Brig. Saito dizendo ao lado do NJ que teriamos um poder dissuasório muito bom se obtivessemos o F-35.
Portanto nessa questão os americanos estão limpos.
Foi oferecido, quem recusou foi o ministro.

Agora F-22 é um devaneio. Esse caça vai ser unicamente usado pela USAF.

Harry

Caro Felipe Caps Gripen NG ainda ta na parada. Proposta séria sem pretenções obscuras, levando a sério este pais como parceiro.
Sr. Paulo “Desce do meus primerios comentário eu sempre comento que o Brasil vai fazer acordo com os três. se algum duvida disso estou aguardando.Sabem porque?
O Brasil não tem como sair desse pessoal.Está ficando cada vez mais complicando é muitos lobby.”
Ta chamado o pais, ou o governo, ou o povo, de Burros? ou de Covardes?
Seria essa a sua atitude se fosse o presidente?
Abs

Kfonseca

Defendo o Gripen. 1 – Sobre o preço: Por ser projeto, não tem preço ainda definido como os suecos dizem. Porém, a lógica diz que será mais barato que os outros 2, e de manter será ainda muito mais barato. 2 – Sobre ser projeto: não sei se esse NG já decolou, porém as versões C/D já estão operacionais, e as diferenças não são absurdas, excelto pela nova motorização da versão NG, que usa a GE F-414 do F/A-18 SH, e que permitiria (segundo a SAAB) supercruise portando até 4 AAMs. 3 – Sobre o alcanse: Não acreditei qdo li… Read more »

Flavio

Felipe Cps Concordo…compartilhamento de da propriedade intelectual….o que produzirmos, poderemos vender… Mas, vamos vender só as asas??? os estabilizadores??? Já sei, já sei, vamos ao mercado e vamos anunciar, “pessoal, temos excelentes asas para F18, alguem quer comprar??? ou melhor, quando abrirem uma concorrencia para caças, vamos dizer…Oh, nós vendemos os pods, ai é só vocês procurarem o resto e montarem…fica mais fácil é?” Brincadeira, vamos deixar de se contentar com lixo… Os americanos passaram décadas nos tratando como lixo do submundo, nos humilhavam nos impondo seus “acordos”, nunca nos venderam material nem de segunda, quando mais de primeira. Agora,… Read more »

Flavio

Desculpem, leia-se boeing onde esta boing. a indignação era tanta que até as palavras sairam errado

HDS

Os americanos estão jogando limpo eles ofereceram o f35 o MD o recusou quem sonha com f22 esquece até os maiores aliados dele não conseguiram agora vem o nosso pais que fala mal deles sonhar com o f22 o f18sh é perfeito para nós é barato manutenção rápida e a maioria dos pilotos da FAB estão acostumados a pilotar aeronaves americanas (f5).

glauber

AFF maria sai fora F18 e lixo perto do
Rafale e do Gripen!!
Pode asté ser um bom caça mas os americanos sempre nos trataram mal!
que deus de discernimento as autoridades que vão escolher o nosso novo avião!!e que não fassam _____________,pois a França e a Suecia estão nos oferecendo ótimas propostas,construção de aeronaves aqui no Brasil e envio de tecnologia para nós,coisa que nunca esses americanos de ___________nos iam nos dar,se eles escolherem o F18 sera um Fracasso.

Almeida

Finalmente uma materia bem escrita sobre defesa e segurança em um grande veiculo de comunicaçao! Para nao acharem que eu so reclamo, tai meus parabens para este jornalista. Alias, qual o nome do sujeito?

Paulo Renato

A proposta da França é muito boa, mas a pressão dos americanos é grande, não queria estar na pele do Lula.

Se a escolha for pela França, alguma coisa vai ser comprada dos americanos para não ficar mal na fita.

Essa é minha opinião.

Abs.

Dallembert

Tenho acompanhado este blog há algum tempo, principalmente, pela minha curiosidade sobre o desenrolar do FX2 e, sempre achei que o melhor seria adiquirir duas aeronaves diferentes e hoje li varias opniões neste sentido. A despeito de parecer meio megalomaníaco (dando o devido desconto de todos os problemas, exaustivamente descritos, sobre a nossa capacidade orçamentária), o nível das propostas atingiu um ponto, que torna perfeitamente possível fazermos mais de um escolha. Mesmo porque, todas preveem reinvestimento no país no valor da compra, o que garantiria a permanência destes recursos aqui mesmo. Acredito que o momento é o ideal para “darmos… Read more »

Felipe Cps

Flávio: O que eu quero, e acho que todo aquele aqui que é patriota quer, é um dia ter um caça de ponta genuinamente nacional, ainda que nem todos os componentes sejam de origem nacional (lembrando que algo 100% nacional é praticamente uma utopia – o maior exemplo disso é o Dassault Rafale, que também usa tecnologia americana em pequena escala). Quero algo para o Brasil similar por exemplo ao Projeto Gripen, que é um excelente caça e oferece total proteção para a Suécia, e do qual a Suécia detém todas as licenças de exportação (desde que para países sérios… Read more »

Paulo

Eu acho que o Governo brasileiro deveria aproveitar a cartada do Pré Sal (mencionado pelo James no Jornal da Globo) e fazer o que é preciso. Renovar a integralidade das FAs. Como o André bem lembrou às 10:05 os EUA ofereceram F35, quem não quiz foi o Jobim! Pois está na hora de rever tudo e fechar o negócio pra ontem! Ou EUA não querem “tomar o Pré Sal” como alguns manés pensam, eles querem uma parceria comercial de exploração e comércio a longo prazo. Vão injetar grana na prospecção e produção em troca da garantia de venda de determinada… Read more »

Felipe Cps

Grande Harry:

Vou mais longe ainda broe: podemos escolher entre fechar o FX2 com americanos ou franceses, mas em hipótese alguma podemos nos dar ao luxo de perder a proposta de desenvolvimento conjunto do Saab Gripen NG apenas por conta de “imediatismos”, “achismos”, “pressismos” ou “medismos”. O FX2 pode até ser cancelado. Mas o Brasil não pode perder uma oportunidade como a oferecida pelo suécos.

Mas quem sou eu para definir alguma coisa… Confio na FAB, mas não confio no MD nem muito menos no governeco PeTralha.

Abs.

Harry

Caro Felipe Caps ainda persiste a duvida em alguns pergunto, haveria no mercado turbina que podesse substitur o americano?
ou mesmo que venha o americano a Saab poderia (teria capacidade de )em parceria com o Brasil desenvolver um substituto?
A Suecia tem ou não capacidade de engenaria aeronautica para o projeto Gripen NG?
Abs

CADU

Felipe Cps Bom Dia, amigo, admiro seus comentários, mas as vezes não entendo a sua opinião, TODOS sabem que dos 3 vetores, o projeto mais antigo e já sem possibilidades de desenvolvimento (até porque este vetor até 2015 irá ser substituido pelo F-35) é o F-18, agora pegar o proprio por causa de “6” de bombas “baratinhas” ( você vai ver o preço da próxima remessa, “se houver” )e mais o radar, sem transferência de tecnologia, pois transferencia só de parte do caça, e olhe lá, não bate com seus comentários, ou você é fã de americano?, de tecnologia americana,… Read more »

Felipe Cps

Paulo: Concordo plenamente e digo mais: se o Brasil se aliar aos EUA na questão do pré-sal, em algumas décadas corremos o risco de nos ver entre as cinco maiores potências do globo. O que eles querem é comprar petróleo oras! Não exigem sequer garantias de preço (a OPEP por exemplo nunca ofereceu isso aos gringos), só querem ter a certeza de que venderemos! Aí eles se livram do Iraque, do Irã, dos Sauditas e dos Russos. Aí os anti-americanos idiotas perguntam: “Ah, e se virarmos as costas para eles, como eles viraram para a gente depois da SGM?” Bem,… Read more »

sonic wings

GRIPEN BR já, oportunidade é igual cavalo arreado, não passa todo dia.

Minhas preferencias pela ordem do dia, pq todo dia tenho uma visão diferente hahaha:

– GRIPEN BR
– RAFALE F3
– SUPER HORNET

ABS

Lucas

O nó mais importante de toda esta discussão é curiosamente a turbina. O Brasil não fabrica suas próprias turbinas e nada indica que o fará em um curto espaço de tempo. Aliás existem mais países no mundo fabricando armas nucleares do que suas próprias turbinas a jato capazes de atingir velocidades supersônicas. A maior deficiência da Embraer, até hoje, é que não conseguimos fabricar nossas próprias turbinas. Aí temos que importar turbinas para equipar nossas aeronaves. Claro que também não fabricamos vários dos aviônicos, mecanismos de controle de armas ou softwares embarcados. Mas são tecnologias que podemos adquirir de qualquer… Read more »

Lucas

Ah, e sobre o pré-sal, me parece muito, muito ruim negociar esta riqueza assim a troco de aeronaves importadas. O pré-sal tem que ser usado para desenvolver a tecnologia nacional. O excesso de dólares das reservas cambiais, até pode valer a pena usar parte disso pra comprar armamentos. Aliás em poucos anos teremos dinheiro pra comprar empresas militares estrangeiras e incorporar a tecnologia, transferindo pra cá os laboratórios e produzindo no exterior. Mas aqui dentro, os recursos que virão da exploração do pré-sal são estratégicos. Claro que uma parte vai acabr indo parar na saúde e na educação, mas se… Read more »

Rodrigo Marques

Só lembrando que o pré-sal já tem uma empresa inglesa e outra portuguesa no negócio.

Flavio

Paulo, Não sei se entendi errado, e longe de mim querer convencer alguém de algo, mas, vamos analisando o que você postou, não concordei muito. Ao que parece, você esta propondo vendermos petróleo a preço “fora de mercado”, e comprarmos “equipamentos usados.” Que isso? Vamos deixar de ESTUDAR, PROJETAR, PLANEJAR, DESENVOLVER, FABRICAR aqui dentro, para comprar lá fora, só porque eles tem equipamentos bons? Porque não usar o dinheiro do Pré-sal para financiar as escolas de base, os centros de pesquisa?? Porque não usar este dinheiro para criar pelo menos mais uns 15 ITA’s? Porque vamos comprar equipamentos semi-estado da… Read more »

Flavio

Felipe Cps, sobre o post que voê direcionou para mim, concordo com você, também quero um caça fabricado aqui. O que discordo é que este caça seja o F18. Realmente acredito que os americanos não vão cumprir a TT, ou se vão, vão transferir coisas triviais, simples. Por exemplo, no detalhamento feito por franceses, aparecem os itens da transferencia…os americanos só mostraram armamentos(venda de armamentos, e não TT de armamentos). Os franceses se propuseram a transferir tecnologias super-sensíveis, como integração de radares, optrônica, engeharia de estrutura. Isso seria formidável para o Brasil, pois são tecnologias que não dominamos 100%. Concordo… Read more »

Reportagens especiais

Além do Gripen: Saab apresenta fábrica de aeroestruturas do caça, no Brasil, de olho no mercado mundial

Grupo sueco, que venceu o programa F-X2 de 36 caças para a FAB, apresentou em São Bernardo do Campo...
- Advertisement -
- Advertisement -