sábado, abril 10, 2021

Gripen para o Brasil

Array

5º/8º Gav – Esquadrão Pantera

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.aereo.jor.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

bolacha_esq_pantera Sediado na Base Aérea de Santa Maria, no Rio Grande do Sul, o Quinto Esquadrão do Oitavo Grupo de Aviação (5º/8º Gav), conhecido como Esquadrão Pantera, é originário do Quinto Esquadrão Misto de Reconhecimento e Ataque (5º EMRA), que foi criado com a finalidade de atender a evolução da Força Aérea Brasileira na aviação de Operações Aéreas Especiais. A Unidade foi prevista pelo Decreto nº 66.314, de 13 de março de 1970, sendo ativado pela Portaria nº R-014/GM3, de 19 de julho de 1971, com a criação e a ativação do Quarto Esquadrão Misto de Reconhecimento e Ataque (4º EMRA), o primeiro esquadrão desse tipo formado na FAB.

No dia 11 de agosto de 1971, a nova unidade começou a receber as suas primeiras aeronaves Bell UH-1D Iroquois e Bell OH-4 Jet Ranger, oriundas do então Centro de Instrução de Helicópteros (CIH), então baseado em Santos, São Paulo. O 4º EMRA possuía três esquadrilhas, sendo a Primeira Esquadrilha e a Terceira Esquadrilha compostas com o pessoal e o material do 1º ERA e elementos e algumas aeronaves da 3ª ELO, sediadas, anteriormente, na Base Aérea de Canoas, também no Rio Grande do Sul. A Segunda Esquadrilha, como visto acima, foi composta com o pessoal e o material do CIH.

Com a junção dessas três esquadrilhas, somam-se também as suas tarefas operacionais de combate e respectivas missões, ou seja, as Operações Aéreas Especiais.

esq_pantera_h-1h-foto1-fab

Com pouco mais de 3.000 horas de vôo e um ano de intensa atividade, o 4º EMRA, através da Portaria R-025/GM3, de 10 de novembro de 1972, teve a sua denominação alterada para Quinto Esquadrão Misto de Reconhecimento e Ataque (5º EMRA), seguindo a filosofia de que esse tipo de unidade seria numerada de acordo com a Zona Aérea que ele estava localizada, ou seja, a 5ª ZAé sediaria o 5º EMRA.

Como 5º EMRA, a Unidade viveu um período de importantes operações e muitas realizações, formando um grande número de equipagens operacionais, tomando parte da maioria dos acontecimentos que envolveram a FAB nessa época, como as Manobras Reais de 1976, 1977 e 1978.

Quase oito anos após a sua ativação e com mais de 47.000 horas voadas, o 5º EMRA, atendendo o contido na Portaria R-239/GM3, de 9 de setembro de 1980, é desativado e transformado no Quinto Esquadrão do Oitavo Grupo de Aviação (5º/8º GAv), permanecendo, contudo, com a responsabilidade pela execução da mesma missão operacional e permanecendo nas instalações da Base Aérea de Santa Maria.

Diversas aeronaves foram empregadas pelo Esquadrão Pantera desde a sua criação: Cessna L-19A/E Bird Dog, Bell OH-4 Jet Ranger, North American T-6D/G Texan, Neiva L-42 Regente ELO, Bell UH-1D Iroquois, Embraer AT-26 Xavante, Neiva T-25A/C Universal e Embraer U-7 Seneca, para transporte leve e ligação. A partir de 1979 foram utilizadas as aeronaves Bell UH-1H Iroquois, apelidados internacionalmente de “Huey” e conhecidos na FAB como “sapão” e “H-zão”.

esq_pantera_h-1h-foto2-fab

Em 1997, a unidade foi equipada com os Bell UH-1H oriundos de um lote adquirido junto ao governo americano e que operavam na Europa, motivo pelo qual vieram dotados de pintura especial e iluminação de painel diferenciado, que permite a sua operação com os óculos de visão noturna (NVG – Nigh Vision Goggles), propiciando um enorme leque de missões do Esquadrão Pantera durante a noite.

Em 2006 a FAB alterou a designação de todos os seus helicópteros, retirando a letras C e U do nome, dessa forma, o Bell UH-1H do 5º/8º Gav passou a ser designado Bell H-1H Iroquois

FOTOS: FAB

- Advertisement -

4 Comments

Subscribe
Notify of
guest
4 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
angelo

Os “sapões” andam sumidos dos céus aqui em Santa Maria. Será que estão indisponíveis? Era comum ouvirmos seu ronco ao sobrevoarem a cidade.

angelo

Os “sapões” andam sumidos dos céus aqui em Santa Maria. Será que estão indisponíveis? Era comum ouvirmos seu ronco ao sobrevoarem a cidade.

marco antonio de marco

gostaria de saber se alguem tem algum documentario em dvd sobre o esquadrao pantera, entrar em contato com marco pelo imail(demarcobombeiro@ig.com.br, obrigado

Francisco

Em 1976, tive a honra de pertencer ao 4º EMRA, então, na Base Aerea
de São Paulo, (Cumbica) e participei da manobra em 1976 em Uberaba-MG. Foi uma grande experiência e uma bela aventura!
Parabens à nossa gloriosa Força Aerea!!!

Combates Aéreos

Táticas de combate aéreo: ‘Head on Attack’

Este é o primeiro de uma série de vídeos da Força Aérea da República da Coreia (ROKAF) com manobras...
- Advertisement -
- Advertisement -