segunda-feira, maio 17, 2021

Gripen para o Brasil

Reunião de Aviação de Caça celebra a história e o presente na BASC

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.aereo.jor.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

Com a missão de lembrar os feitos heróicos dos militares da Força Aérea Brasileira durante a II Guerra Mundial, na tarde do dia 17 de abril reunidos na Base Aérea de Santa Cruz, nove Esquadrões de Caça com suas 40 aeronaves riscaram os céus do Rio de Janeiro num espetáculo aéreo.

Recebidos pelo Comandante da Terceira Força Aérea (III FAE), Brigadeiro-do-Ar Antônio Carlos Egito do Amaral, e pelo Comandante da BASC, Coronel-Aviador Gilson de Barros Caputo Júnior, os militares e suas aeronaves F-5EM (Tiger II modernizado), F-2000 (Mirage 2000), A-1 (AMX), A-29 (Supertucano) e AT-26 (Xavante), se dispuseram no pátio ao lado do histórico Hangar do Zepelin para a foto oficial.

Tradicionalmente, todos os anos é celebrada a Semana da Caça e na edição deste ano os pilotos terão uma programação repleta de lembranças, palestras, treinamentos operacionais e torneios.

A Ópera do Danilo

“Entre os vários exemplos de coragem, força de vontade e capacidade de adaptação ao inesperado de nossos pilotos, um foi transformado em espetáculo musical homenageando o Tenente Danilo Marques Moura. Após ser abatido em território inimigo, Danilo empreendeu uma espetacular fuga caminhando mais de 340 quilômetros, sempre de dia e contra todos os ensinamentos de segurança, até retornar 30 dias depois e 19 quilos mais magro, a sua base em Pisa.”

Com textos explicativos como o anterior, toda a atmosfera da Itália foi revivida dentro do Hangar do Zepelin. A Praça Tarquínia foi completamente refeita e todos se emocionaram quando os veteranos da Segunda Grande Guerra, acompanhados do Comandante da FAB, o Tenente-Brigadeiro-do-Ar Juniti Saito entre outras autoridades, puderam relembrar os momentos de heroísmo e dedicação ao Brasil.

A encenação ocorreu num teatro improvisado ao lado da Praça Tarquínia, num cenário composto de aeronaves P-47 e F-5 do 1º GAVCA, onde pilotos e integrantes de diversas Unidades acompanhados por atores profissionais puderam homenagear os autores de uma incrível história real. O projeto foi apoiado pela Rede Globo de Televisão.

Os pilotos treinarão para uma demonstração operacional, que ocorre após a cerimônia militar, alusiva ao Dia da Aviação de Caça – 22 de abril, quando os convidados, acomodados em um palanque situado a uma distância segura, poderão comprovar o emprego real de nossas aeronaves em lançamentos de diversos armamentos.

FONTE: CECOMSAER

- Advertisement -
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
marcelo tadeu

Pessoal, tive o privilégio de ir à BASC no dia da Aviação de Caça em 2003 quando eles abriram os portões para o público, o que não é de praxe, pois, as comemorações da Caça são eventos fechados só para convidados.

É espetacular a chegada dos aviões de todos os 11 esquadrões da Caça!

sds

Luciano Baqueiro

O desempenho dos nossos pilotos na 2ª Guerra foi verdadeiramente notável, superior em nº de missões por piloto e de eficiência aos de todas as outras unidades americanas no teatro italiano ( creio até que em toda Europa ), chegando ao ponto de tropas do Exército americano dar preferência ao solicitar apoio de bombardeio tático de brasileiros, pois sua precisão e destemor ( p/ ser preciso tinha que se aproximar ao máximo dos alvos expondo-se ao fogo AA ) evitam vítimas por fogo amigo e os alvos eram aniquilados. SENTA A PUA !

marcelo tadeu

Pessoal, tive o privilégio de ir à BASC no dia da Aviação de Caça em 2003 quando eles abriram os portões para o público, o que não é de praxe, pois, as comemorações da Caça são eventos fechados só para convidados.

É espetacular a chegada dos aviões de todos os 11 esquadrões da Caça!

sds

Luciano Baqueiro

O desempenho dos nossos pilotos na 2ª Guerra foi verdadeiramente notável, superior em nº de missões por piloto e de eficiência aos de todas as outras unidades americanas no teatro italiano ( creio até que em toda Europa ), chegando ao ponto de tropas do Exército americano dar preferência ao solicitar apoio de bombardeio tático de brasileiros, pois sua precisão e destemor ( p/ ser preciso tinha que se aproximar ao máximo dos alvos expondo-se ao fogo AA ) evitam vítimas por fogo amigo e os alvos eram aniquilados. SENTA A PUA !

Reportagens especiais

John Boyd, o piloto de caça que mudou a arte do combate aéreo – parte 3

Depois do caça F-86, os projetistas americanos desenvolveram uma crescente fascinação pela sofisticação nos caças, pela incorporação do avanço...
- Advertisement -
- Advertisement -