quarta-feira, abril 14, 2021

Gripen para o Brasil

Array

C-390 ou KC-390?

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.aereo.jor.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

kc-390_reabastecendo AMX

Durante o primeiro dia da LAAD, o destaque principal ficou por conta da assinatura dos contratos de desenvolvimento do KC-390 e da modernização dos A-4 da Marinha. Mas por que KC-390 e não C-390? Na verdade o projeto nasceu como C-390 quando foi anunciado na LAAD anterior, em 2007.

Ao longo de 2008 o projeto sofreu muitas reavaliações como as mudanças na cauda, alteração no desenho das asas, fuselagem redesenhada e inclusão de pods subalares para reabastecimento em voo. Em relação a este último item, ele será integral à aeronave, pois todas elas sairão de fábrica prontas para executarem REVO. Desta forma, a Embraer decidiu renomear o projeto de C-390 para KC-390.

- Advertisement -

121 Comments

Subscribe
Notify of
guest
121 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Fabio Bett

Como todos vão poder executar REVO…estratégicamente falando…é um grande ganho para a FAB…podendo assim contar em qualquer canto do País com um cargueiro/reabastecedor…derrepente mantendo uma base fixa, como é o caso hoje do C/KC-130…mas com alguns espalhados pelo brasil junto com o C-105…tem a parte logistia/manutençao que seria dificultada…mas talvez seja uma possíbilidade.

massa

Não é possível, esta foto só pode ser ilustrativa…
Pois o avião é exatamente idêntico ao projeto C-X da Kawasaki, copiaram igualzinho ao avião de transporte japonês.

Ver link:
https://aviationweek.typepad.com/photos/uncategorized/2007/06/03/1904cx.gif

Wolfpack

KC390 pode se tornar uma aeronave AEW&AWACS?

Mauricio R.

“Como todos vão poder executar REVO…estratégicamente falando…é um…”

Ser um reabastecedor “full time” implica ter permanentemente obstruindo o “cargo hold”: tanques de combustível, mangueiras, bombas; caso contrário ficará restrito ao combustível carregado nas asa.

“KC390 pode se tornar uma aeronave AEW&AWACS?”

Sim, é somente o caso de testar a melhor forma, de montar uma antena de radar no dorso do avião.
Mas aí será necessário deixar os apetrechos de REVO em algum lugar, pois as consoles p/ a missão AEW tomam considerável espaço.

Ricardo

Ficou muito melhor com o Profundo alto, pelo menos não fica na esteira de turbulência do motor 🙂

Mas sera que ele vai pousar no mesmo tipo de pista do antigo Bufalo ?

[ ]´s

Ricardo

* corrigindo ” Profundor/Calda ”

Digitar rápido é uma droga 🙂

Tiago Jeronimo

Não seria mais sensato fazer duas versões uma de carga e outra de reabastecimento? Com uma fácil mudança de configuração entre ambas? Afinal se um utilizador for comprar o avião apenas para carga os pods se tornaram inuteis.

Bosco

Massa,
não existem muitas alternativas para aviões de transporte militar atualmente. Todos possuem configurações muito parecidas.
Em geral os que usam turbofans adotando o sistema EBF (sopro na superfície inferior) é tudo parecido.
Se fosse usado o conceito USB (sopro na superfície superior) todos seriam parecidos com o YC-14 ou com o AN-74.
Um abraço.

Tailhooker

Massa,

É verdade. Já tinha notado isso com o cargueiro C-1 também produzido pela Kawasaki. Com o C-X tá mais parecido ainda. Parece até cópia.

joaquim

Num tem essa de cópia. O KC-390 é um projeto original, pensado e pode ser considerado feliz desde já. Os americanos, europeus e russos apostaram em aviões de transportes inadequados e deu no que deu. A-400M no bico do corvo, AN-70 emperrado e o C-130J num carrega volumes que o KC-390 será capaz. Se o cliente não quizer o equipamento para REVO é só dispensar no contrato,dai o avião ficará até mais barato.

joaquim

Mais um comentario….o KC-390 será mais barato do que o C-130J

joaquim

Comentario final. O Buffalo operou numa época em que a Amazonia era só vegetação, terra e agua e a maioria de seus habitantes eram indios e animais selvagens. A urbanização era ainda rudimentar e as pistas de pouso despreparadas. O KC-390 começará a operar em 2015 e até lá a infra-estrutura aeroportuaria da região terá melhorado em função da Estratégia Nacional de Defesa e as pistas asfaltadas estarão presentes nos principais pontos estrategicos daquele vasto territorio.

Hornet

Caro Joaquim,

penso de forma semelhante. Tanto em relação a originalidade do projeto quanto em relação ao desenvolvimento da região da Amazônia.

um grande abraço

lucas lasota

nos rincoes da amazonia, somente o cessna caravan, bandeirante e, no maximo, casa-295. o kc-390 vai pra poucas cidades.

Brasileiro

Cópia descarada do Kawasaki mas como o Bill Gates falou, “quem não tem capacidade de criar tem que ter coragem de copiar”

Abraços

celio andrade

Alguem sabe se ouve comercialização do KW ?

KungFusion

No Wikipedia diz que este modelo teve problemas estruturais no estabilizador horizontal, e fissuras na fuselagem e trem de pouso dianteiro. Fora que o governo japonês não vai comprá-lo ainda, por questões orçamentárias.

http://en.wikipedia.org/wiki/Kawasaki_C-X

E tb sabemos que os japoneses criam produtos para uso próprio, como o F-1 e F-2. Engraçado como eles não tem a tradição de exportar produtos militares. A falta de centros de suporte e confiabilidade tb fazem com que este não seja um concorrente ao KC-390, do qual a Embraer percebeu uma oportunidade em tentativas frustradas dos outros.

KungFusion

Seria muito mais barato o modelo já ter capacidade de REVO desde fábrica do que ter que adaptar depois. Por isto a Embraer já o fez assim, como padrão. Se o cliente não quiser REVO ou nem tem aviões capazes de receber combustível, ele pode optar por não querer pagar as partes extras, negociando o preço. Com certeza a Embraer poderia considerar oferecer um modelo mais básico deste, sem esta capacidade, por um preço pouco menor. Mas para a FAB, a estratégia é ter TODOS com REVO, pois sabemos quantos caças temos e o tamanho do nosso território!

edilson

Correção caro Mauricio R.
Todos os aviões virão com tanques subalares, o que implica que todos estarão aptos a reabastecer, porém com capaciade limitada.
no entanto, todos serão aptos a receber um kit especial removível o qual contem o tanque interno com mais capacidade.
o interessante é que todos poderão ser convertidos em poucas horas em aviões puramente KC, mas no dia dia, serão C, com limitada capacidade KC.
esta solução não é só inteligente é também revolucionária pois preza pela muti operacionalidade de todas as plataformas.

cumprimentos

Victor

Vc tem coragem de se denominar Brasileiro? e ainda por cima com B maiúsculo? Depois postar um comentário destes?

Cópia descarada do Kawasaki mas como o Bill Gates falou, “quem não tem capacidade de criar tem que ter coragem de copiar”

Cria vergonha!

Roberto CR

Caro Brasileiro

Acho que o exemplo que usou não é adequado. Bill Gates é, provavelmente, o empresário que mais burlou leis mundo afora com os produtos da sua empresa. Só por aqui ele é endeusado. Seria interessante você pesquisar sobre a vida dele.

Abs

Roberto CR

Desculpe o off-topic

Eu gostaria de saber porque estou sendo censurado no blog poder terrestre. Toda mensagem que eu mando fica aguardando moderação mesmo que não possua link. E agora, um comentário que fiz ontem, 19/04/09, lá pelas 19:30, simplesmente não foi publicado. Não tinha palavrão, não tinha mensagem ofensiva. Qual é o problema? Estou postando aqui porque mandei esta mesma mensagem lá e apareceu a mensagem de aguardando moderação. Isso é só comigo?

Tailhooker

Se é cópia eu não sei, mas que a aparência vai além de uma similaridade de configuração, isso é inegável, é só comparar as fotos.
Com relação ao lema: “Quem não tem capacidade de criar, tem que ter coragem para copiar” atribuo a um dos mandamentos do falecido Comandante Rolim para a TAM.
Se o Rolim copiou as palavras do Bill Gates, para mim foi novidade.

Bosco

Sem querer defender o “Brasileiro”, mas os produtos chineses que aparecem por aqui são também taxados de imediato como sendo cópias dos EUA, Inglaterra, Alemanha, etc, só por “parecerem” com os similares desses países. Nessa semana fomos brindados com uma série de matérias no blog mostrando produtos brasileiros que são visualmente idênticos a alguns estrangeiros. Ex: bomba guiada SMKB, VANT da Avibrás, míssil Piranha. Ou seja, ou nos omitimos frente aos produtos chineses no sentido de não fazermos comentários que os denigrem, ou somos por coerência obrigados a fazermos os mesmos comentários e questionamentos sobre os produtos nacionais que apresentam… Read more »

Wolfpack

A Kawasaki fornece as asas para a família ERJ. E o projeto da Embraer KC390 é muito parecido com o projeto CX Japonês. Analisando o desenho parece que a capacidade do cargueiro brasileiro é maior que o do japonês. Nãi acho que tenha algum problema basear um desenho de uma aeronave em outra… A Airbus já fez isso baseando sua família de aviões nos 737,767, etc…, assim como quem copiou quem no projeto Tu144 x Concorde?

Brasileiro

Bosco,
é exatamente isso que eu quis dizer, não vejo problema nenhum em copiar e ou melhorar algo que já existe, foi usando o conceito de Santos Dunont e dos Irmãos Wrigh que temos a aviação de hoje e é assim que chegaremos a tão sonhada independência tecnológica sem rodeios e nem tentativas de reinventar a roda.

Abraço

joaquim

Permitam-me mais algumas considerações. O KC-390, segundo a Embraer, terá um trem de aterrissagem capaz de operar em pistas semi-preparadas, portanto, não necessariamente asfaltadas.
E uma boa noticia para a FAB e para os fãs do Buffalo. A empresa Viking Air de Victoria, capital da província Columbia Britânica, Canadá, pretende retomar a produção do Buffalo em pequena escala e oferecer pacotes de modernização. A Viking já esta fabricando o DHC-6 Twin Otter e 40 unidades já foram entregues. Os direitos de fabricação das duas aeronaves (Buffalo e Twin Otter) foram comprados da Bombardier em 2005.

André Castro

Sobre o Bill Gates se alguem ver ele dando sopa porai diz para ele dar uma melhoradinha no windows ,ontem essa porcaria travou perdi tudo que tinha no PC. Voltando ao assunto o Japão não pode exportar o C-X ,ta na costituição que o pais não pode exportar quarquer tipo de material belico ,costituição praticamente feita pelos EUA depois da 2ºguerra. Desde o sempre todos copiam ,a primeira bomba atômica da Uniâo sovietica foi feita com base no projeto roubado da “Fat Men”,Mais com certeza a Embraer não precisa fazer copia ela tem know how suficiemte .As outra que copiam… Read more »

Mauricio R.

“A-400M no bico do corvo, AN-70 emperrado e o C-130J num carrega volumes que o KC-390 será capaz. Se o cliente não quizer o equipamento para REVO é só dispensar no contrato,dai o avião ficará até mais barato.” O A-400M tem 192 unidades vendidas e carregará o que o ac da Embraer nem sonha em carregar, fruto da necessidade percebida no Afeganistão. E enquanto está “no bico do corvo”, tem alavancado vendas do C-17A e do próprio C-130J. O C-130J tem pelo menos 250 unidades vendidas e perto de 140 entregues e operando. Será o coadjuvante do A-400M, pelo menos… Read more »

Ivo

Acho que não tem nada de copia, a questão é que as especificações dos aviões são as mesmas, um avião de carga que atende as mesmas necessidades por isso a semelhança.

Mauricio R.

“Correção caro Mauricio R.
Todos os aviões virão com tanques subalares, o que implica que todos estarão aptos a reabastecer, porém com capaciade limitada.”

Edilson,

VC ao menos entendeu o que eu escreví???

Ser um reabastecedor “full time” implica ter permanentemente obstruindo o “cargo hold”: tanques de combustível, mangueiras, bombas; caso contrário ficará restrito ao combustível carregado nas asa.

Entendeu, ou ainda não???

Mauricio R.

“Vc tem coragem de se denominar Brasileiro? e ainda por cima com B maiúsculo? Depois postar um comentário destes?”

Victor,

Cronológicamente ele está certo, o ac japones apesar dos problemas está á frente, do programa brasileiro.

Mauricio R.

“VANT da Avibrás”

Este sim é produto americano, fabricado aqui sob licença.

Mauricio R.

“Analisando o desenho parece que a capacidade do cargueiro brasileiro é maior que o do japonês…”

Salvo alguma alteração de ultima hora, o ac japones tem “payload” de + 30 ton.; contra 19ton.; ou 22ton.; ou 25 ton. vai lá se saber ao certo, do projeto brasileiro.

São as 3 perguntinhas do milhão:

1-) Qual será a real capacidade de carga deste C/KC-390?

2-) Quais as dimensões de seu compartimento de carga?

3-) Qual será a sua motorização?

Caio

esse site fala sobre o kc-390, responde algumas perguntas.

http://www.defesabr.com/FAB/fab_embraer_kc-390.htm

lucas lasota

Mauricio R.

Se e produzido aqui sob licensa, significa que houve toda transferencia de tecnologia, portanto, podemos alterar o projeto, ja que os direitos industriais sobre o produto agora sao do licensiante. Se realmente ocorreu isso, ponto pra nos.

Logicamente estamos especulando aqui, ou vc fala com propriedade?

lucas lasota

*licensiante nao. licenciado.

perdoem-me.

Baschera

Maurício R,
Segundo o folder do EMB- KC 390….

1-) Qual será a real capacidade de carga deste C/KC-390?

Carga Paga máxima nas três versões (tática, normal e logistica) : 19 Ton.

2-) Quais as dimensões de seu compartimento de carga?

Altura >>> Corpo: 2,97 m. Porta Trazeira: 3,20 m.
Comprimento >>> P/Carga: 15,62 m. P/Paraquedistas: 12,15 m.

3-) Qual será a sua motorização?

Turbo-fans, mas seu modelo e fabricante não foram divulgados oficialmente.

Sds.

massa

Mais informações sobre o C-X: Deverá operar em pistas de 2300m (curtas) e com peso máximo para descolagem de 141tons, será capaz de transportar um máximo de 37.6tons. Terá também um alcance máximo de 10,000 km (sem carga). Dois motores CF6-80C2 foram selecionados, que são os mesmos do Boeing KC-767 e E-767. A aeronave também será equipada com um sistema automático de carga e sistema de carga baía. Reabastecimento aéreo e sistemas de visão noturna também serão incorporados. Problemas com fornecedores americanos de rebites fizeram que os “roll-out” fossem adiados, mas a aeronave conseguiu ser lançada em 4/7/2007 junto com… Read more »

massa

Foto interno do avião C-X e sua irmã P-X

http://www.asagumo-news.com/graph/PXCX.html

Mauricio R.

Obrigado, Baschera!

Se é isto:

“1-) Qual será a real capacidade de carga deste C/KC-390?

Carga Paga máxima nas três versões (tática, normal e logistica) : 19 Ton.”

No mercado, ninguem tá precisando de um “C-130H á jato”, mas de MAIS capacidade p/ transportar MAIS carga do que no momento.

Mauricio R.

“…portanto, podemos alterar o projeto, ja que os direitos industriais sobre o produto agora sao do licensiante.”

Lucas,

Em tese se isto estiver escrito em um contrato.

Mas qnto ao que nos interessa, seguem 2 links.

Site do fabricante do UAV “Scorpion”:

http://www.freewing.com/products.html

Link p/ foto do UAV Scorpion no stand da Avibrás na LAAD 2009:

http://www.google.com.br/url?sa=t&source=web&ct=res&cd=6&url=http%3A%2F%2Fdefensenews.com%2Fblogs%2FVSDL%2F2009%2F04%2F14%2Fscorpion-uav%2F&ei=66_rSfGQNoqmM5rS_dwF&usg=AFQjCNG-jyFvjeUOZArkA8wwcsTiS3Si2w

Cara de um, focinho de outro.

joaquim

Prezado Mauricio O A-400M custa no minimo US$ 135 milhões. A capacidade de carga projetada era de 37 toneladas, entretanto, segundo as ultimas noticias do programa, essa capacidade ficará abaixo de 30 toneladas !!!!. Com certeza a maioria dos paises usuarios de C-130 não migrarão para o A-400M. E ainda, muitos usuarios de C-130 estão optando por modernização de seus aviões ao invés de comprar o C-130J que custa US$ 80 milhões. O espaço interno do KC-390 será suficiente para levar a maioria das cargas usadas pelas Forças Armadas, incluindo-se veiculos VBTP 6×6 ou 8 x 8. Poucos paises possuem… Read more »

João Gonçalves

in jornal “Expresso” de 18 de Abril (http://aeiou.expresso.pt/) OGMA candidata a novo avião. A empresa de Alverca quer fabricar componentes para o cargueiro militar da Embraer. A OGMA — Indústria Aeronáutica de Portugal afirma-se bem posicionada para concorrer ao fabrico de componentes para o novo avião de transporte que a Embraer (que detém uma participação de 65% na empresa) decidiu lançar esta semana. “Seria interessante estudar uma possível parceria para o fornecimento de algum segmento desta aeronave”, revelou ao Expresso o presidente da OGMA, Eduardo Bonini. O mesmo responsável admite, igualmente, trabalhar em coordenação com as duas fábricas que a… Read more »

Mauricio R.

“O A-400M custa no minimo US$ 135 milhões. A capacidade de carga projetada era de 37 toneladas, entretanto, segundo as ultimas noticias do programa, essa capacidade ficará abaixo de 30 toneladas…” E mesmo assim será considerávelmente superior ao KC-390, aliás tem até + unidades vendidas. “…muitos usuarios de C-130 estão optando por modernização de seus aviões ao invés de comprar o C-130J que custa US$ 80 milhões.” No mercado o C-130J padrão USAF que é o que está sendo vendido, custa 65 milhões USD; fora comunicações e suite de autoproteção. “O espaço interno do KC-390 será suficiente para levar a… Read more »

marcelo tadeu

Cara, é impressionante, esse Maurício R não é a favor de nada que se constrói no país, por ele a gente vendia a Embraer, o INACE, acabava com as Forças Armadas, caramba, veja os seus comentários. Ele tem a mania de recortar o que a gente escreve. Tudo ele~´e contra, será que ele teria alguma idéia melhor para o C-390? Até um dia desses o Brasil importava aviões, hoje a gente exporta idéias, deve estar todo o mundo de olho no C-390, vc pode matar dois coelho de uma só vez. Resolver o problema do Revo e da substituição do… Read more »

Noel

Sem querer ser advogado de ninguém, talvez o Maurício R fique irritado com algumas comparações desnecessárias, tipo, achar que o C-390 será o substituto mundial do C-130, algo a meu ver impossível, por toda capacidade, e variedade, operacional que o Hércules apresentou e ainda apresenta. Não quer dizer que o C-390 não possa ser um bom, ou ótimo, avião. Pelo menos para uso na FAB ele será de primordial importância. Fazendo uma analogia, grosseira, com a história da aviação de transporte na FAB, o C-390 esta para o C-130, como o C-95 esteve para o C-47(outro consagrado pela história), pode… Read more »

Mauricio R.

“…cima só fala numa tal Fragata KDX, como se a Coréia exportasse navios…”

Marcelo Tadeu,

Grato pela preocupação, mas a fragata é a francesa “Floreal”.

No mais eu somente sou contrário a esse oba-oba, bonitinho qndo se trata de escola de samba, inutil qndo se trata de material bélico, vcs são mto deslumbrados, aceitam qq afirmação, desprezam as entrelinhas.

joaquim

Pelo que vejo, a Embraer e a FAB estão erradas.Os engenheiros, Diretores, estrategistas e outras pessoas da area de defesa estão equivocadas. Vou mandar uma carta pro Nelson Jobim indicando o Mauricio como conselheiro ai o pais não correra riscos de produzir aviões inadequados.

Edmar

É, tomara que o projeto da “Embraer” vingue e que além de termos um avião nosso, que esse projeto gere muitos empregos no Brasil.

Combates Aéreos

Um difícil começo

Traduções inéditas por Roberto F.Santana A primeira unidade da IDF/AF a operar o Shahak (Skyblazer), como o Mirage III ficou...
- Advertisement -
- Advertisement -