sábado, abril 10, 2021

Gripen para o Brasil

Gripen Demo atinge supercruise em teste

Destaques

Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

gripen-demo-foto-rollout-gripen-international

A Gripen International divulgou que durante um voo de testes realizado nesta quarta-feira, 21 de janeiro de 2009, o demonstrador de tecnologia Gripen Demo provou sua capacidade de atingir supercruise, ou seja, de manter velocidade supersônica sem o uso de pós-combustão. A aeronave, na ocasião, teve nos controles o piloto de testes da Saab Magnus Ljungdah. O Gripen Demo, que fez seu roll-out há nove meses (foto acima) é o protótipo demonstrador da versão NG (Next Generation) que disputa o programa F-X2 da FAB. Na foto abaixo, pode-se ver a aeronave em seu primeiro voo.

gripen-demo-primeiro-voo-trem-baixado-foto-gripen-international

O teste desta quarta-feira faz parte de um programa abrangente de voos supersônicos com diferentes cargas transportadas. Porém, não foi divulgada em que configuração a aeronave estava quando demonstrou a capacidade  supercruise. Segundo Ljungdah, a manutenção da velocidade de Mach 1,2 sem o uso de pós-combustor deu-se na altitude de 28.000 pés, sobre o mar Báltico, e o experimento foi interrompido quando a aeronave chegou ao limite da área de testes.

Fonte e foto: Gripen International

- Advertisement -

207 Comments

Subscribe
Notify of
guest
207 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Alfredo_Araujo

Considero a capacidade de supercruizer o grande trunfo do Gripen NG..
É uma capacidade q nenhum dos outros concorrentes tem!

Fábio Max

A cada demonstração de força como esta, do Gripen e do Super Hornet, fico cada vez mais longe do Rafale…rss… se bem que minha opinião não serve de nada nesse processo mesmo..ahahahahh!

Edilson

Muita hora nesta calma, supercruise liso é uma coisa, armado com armamento básico como 4 BVR e 2 h Off-boresight, por exemplo é outra…
claro que aposto no gripen NG, assim como aposto nos demais pois o que quero é melhor e o mais adequado a nossa Força aérea, mas é preciso ainda ver isto com mais calma.
pois não sei se o F-18 e o Rafale não teriam a mesma capacidade se submetidos às mesmas condições.

Zero Uno

Realmente é algo que precisa ser pensado… O problema do Gripen são seus diversos fornecedores de equipamentos e se os mesmos estão dispostos a repassar suas tecnologias de acordo com a concorrêcia do RFP da FAB. Bae Systens, Thales, GE (o mesmo motor do Super Hornet) e por aí vai… São empresas, Americanas, Inglesas, Francesas e Suecas. Com os suecos acho que não teremos problemas. Duro vai ser as outras. Já imaginaram como se sentiriam francêses e americanos caso percam para a Saab?

Que vença o melhor.

Patriota

kara este e que deveria ser o nosso avião tô nem ai pros franceses
e americanos o brasil é um país enorme um caça com supercruizer
seria uma vantagem fantastica para nós.

Rodrigo

E se a SAAB anunciar uma versão naval para o GRIPEN NG???

O Gripen pode oferecer uma grande transferência de tecnologia.

Ficar só na mão dos franceses pode não ser legal.

Tem um ditado inglês que diz: Nunca confie em um fracês. RSRSRS….

Zero Uno

Realmente se o Gripen for “navalisado” aí sim as chances dele aumentariam muito! Seu Peso máximo/descolagem: 16000 Kg! Ideal para o NaE A12 São Paulo que pode suportar até aeronaves de 20 toneladas… Fica aí o suspense.

Zero Uno

SOBRE A “DISPENSA” DO SU35.

Se os moderadores permitirem gostaria de postar um site que explica o porque da desclassificaçõ do SU35 no programa FX2. Lá estão expostas considerações sobre os aviões que vão permanecer na disputa e o porque da desclassificação de outras aeronaves.

Seria muito interessante principalmente para aqueles que torciam e ainta torcem para ver os SU35 nas cores da FAB. Lí e, sinceramente , achei válido os motivos da FAB.

ESTE É O LINK DO SITE:

http://www.areamilitar.net/noticias/noticias.aspx?NrNot=656

Edmar

O “Gripen NG” já provou ser mais econômico que os outros dois concorrentes, e além disso seu raio de ação também é maior que os dos outros concorrentes.
Os Suécos já disseram também que vão transferir tecnologia, então…

Porque o Brasil está demorando tanto em escolhel-lo?

É bem certo que para o Brasil o melhor é o Gripen NG, e caso ele não vier, então venha o “Rafale” mesmo.

Edmar

O “Gripen NG” já provou ser mais econômico que os outros dois concorrentes, e além disso seu raio de ação também é maior que os dos outros concorrentes.
Os Suécos já disseram também que vão transferir tecnologia, então…

Porque o Brasil está demorando tanto em escolhe-lo?

É bem certo que para o Brasil o melhor é o Gripen NG, e caso ele não vier, então venha o “Rafale” mesmo.

Marlos Barcelos

A desvantagem do gripen é que ele é monomotor, ou seja tem menos potência, e outra desvantagem é que o gripen tem muita tecnologia americana ceca de 70%, vocês acham que os EUA deixariam o Gripen vir ao invés dos f-18? Agora os melhores caças na minha opinião RAfale e f-18, a grande vantagem do gripen a fácil manutenção, pode pousar em pistas não pavimentadas (ideal para defesa da amazônia) e precisa de poucos mecânicos para mantê-lo voando e o custo de manutenção mais baixo. Acho que o ideal é termos 2 vetores, o Gripen protegendo a amazônia e o… Read more »

Edilson

O Mauro tem razão, a espectativa até poderia ser viável se a índia o escolhesse ou quem sabe se os Britânicos por delírio e loucura dessem um tchau no JSF, mas a esta altura sua majestade teria que tomar muito chá de cofumelo. rssrsrr

max

Com essa o Grippen não é mais cavalo morto segundo a minha opinião dentro do FX-2!

Edilson

ops, o “cofumelo” já fez efeito, ou melhor cogumelo…

dumont

Olha, creio que o q foi dito sobre potencia e monomotor não é exatamente preciso… se não vejamos: o F35 é monomotor e é mais potente que o Rafale… na verdade um parametro mais importante é a relação pesoXpotencia, onde o gripen volta a se dar bem. Ser bimotor aumenta é as chances de sobrevivencia do caça (pois ele pode até perder um motor que continua voando), mas mesmo isso tem q ser avaliado com cuidado. Também sobre pistas não preparadas… pistas não preparadas na Suécia são autoestradas de 1a linha. E em geral são trechos já pre-definidos que são… Read more »

welington

Malos não consigo entender esta metodologia sobre 60 Gripens e 60 Rafales, pois os dois tem um desempenho super similar mesmo o gripen sendo monoreator, os sensores do Gripen são muito similares ao do Rfall, sendo que o radar vai ser o mesmo(derivado), os caças tem características muito parecidas a diferença é que um tem o custo de hora voada mais cara, manutenção mais cara, e a única vantagem ser BI reator o que lhe da mais persistência e um pouco mais de potencia nos combates(vantagem que é igualada pelo menor peso do Gripen),não vejo vantagem em possuir dois vetores… Read more »

Fábio Max

Que eu saiba, a Suécia e os operadores de Gripen não têm porta-aviões,de modo que duvido muito que eles invistam numa versão naval do avião.

Marlos Barcelos

São caças totalmente diferentes, tem autonomias diferentes, velocidade diferente, capacidade de manobra diferente, sensores diferentes, contramedidas diferentes, velocidade diferente, o Rafale é mais poderoso que o gripen, tem mais pontos duros para colocação de mísseis sistema IRST integrado ao radar, maior velocidade, maior autonomia, contramedidas mais modernas com o Specta.

As vantagens do gripen são: capacidade de pousar em pistas não pavimentadas, baixo custo, uma gama de armamentos mais variados.

Um complementaria o outro um caça “Hard” que seria o Rafale e um “Low” que seria o gripen, assim como os f-15 e f-16.

Pedro

Sempre defendi um mix entre bi reatores (rafales ou F18 E/F) e monoreatores (grippens NG). Colocar todas as fichas em um único vetor parece muito arriscado. Ademais, parece que o Rafale e o F18 não possuem a capacidade super-cruise, todavia como bi reatores tem maior capacidade de carga (o alcance dos três é identico se forem verídicos os acrescimos alcançados no NG) 60 Grippens NG e 60 rafales seriam um salto quantico ao que temos agora, e um cheque-mate em relação a todas as forças aereas do cone sul. (lembrando que ainda teremos algumas dezenas de F5 Br operacionais para… Read more »

welington

O Gripen NG é mais rápido que o Rafall(diferença insignificante), tem um maior alcance, possui o mesmo radar, é um vetor muito manobrável, alguns de seus armamentos tem mais alcance do que os do Rafall, o Gripen não necessita de tanta infra estrutura, é mais barato de se adquirir, de manter suas oras de vôo e de efetuar sua manutenção alem de ser mais simples, são aeronaves muito similares em desempenho de vetores e sensores porem em se tratando de alcance de armamentos o que é uma vantagem imensa levando em conta que vão possuir o mesmo radar com o… Read more »

Marlos Barcelos

welington rafale 200km/h mais rápido, tem maior alcance 3.700km, todos seus sistemas são totalmente integrados radar, IRST, contramedidas, pode voar com radar desligado, pois além do IRST, tem o radar passivo, que a busca de radares inimigos determinando a posição do inimigo, possui contramedidas mais modernas, specta. O gripen vai instalar o irst, mas não tem e nem terá a integração que o rafale possui com outros sistemas, além disso, não possui radar passivo, tem menos potência, por ter uma só turbina, quanto ao alcane das armas, com o radar desligado voando por IRST o rafale só vai ser localizado… Read more »

Paulo Taubaté

Cabe a pergunta: em que condições foi atingido o Supercruise?

Zero Uno

Pessoal. Gostaria de fazer uma pergunta sobre o F18SH. Quem fabrica o SH é a Boing certo? Ela também fabrica o F22 Raptor certo? O Brasil com o FX2 além de adquirir caças de superioridade aérea, busca também no fornecedor vencedor desta concorrência, um parceiro para o projeto do caça de 5a Geração para a FAB, correto? O que o Brasil ganharia se escolhesse o F18SH? A Boing já tem o seu caça de 5a Geração portanto, não iria desenvolver com o Brasil outro caça de 5a Geração. O próximo passo para ela seria o UCAV. Finalizando: Acho melhor o… Read more »

Patriota

O gripen e o melhor caça para o Brasil baixo preço de aquisição menores dimenções capacidade de atuar em pistas despreparadas alem de capacidade de supercruise algo que seria estrategico para um pais grande como o nosso, o Rafaele passa longe de ser melhor que o gripen, pois apesar deste ser um avião monomotor possui uma potencia maior muito pouco mais possui, o Rafaele so faleria a pena se os franceses transferissem uma grande quantidade de tecnologias. Ha boatos de que o motor do gripen já e fabricado pela volvo na Suecia sob licença alguem sabe de alguma coisa sobre… Read more »

Marlos Barcelos

Além de poder detectar um caça inimigo pelo radar passivo a 100km de distância.

welington

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK estou falando do Gripen NG! O Gripen NG é mais rápido que o Rafall (insignificante), tem maior alcance, possui o mesmo radar, e integração de sistemas caso você não saiba e feito por um software que fundi os dados e projeta em uma tela para o piloto ter uma noção situacional mais ampla e mais simples alem claro de comandar os sensores e fazer os messmos trabalharem em conjunto), um gripen detecta e da um lock no Rafall a mesma distancia que o Rafall o faz a diferença é que o Gripen pode atacar primeiro já que tem um… Read more »

welington

Marlos detectar não é dar lock.
O SU-35 BM detecta o F-22 a 90km de distancia mas não da um lock a esta distancia.

Hornet

Zero Uno, também defendo esse mesmo pensamento. Não tenho nada contra o Super Hornet, muito pelo contrário, o considero um dos melhores aviões da atualidade. No entanto, se prestarmos bem a atenção nos requisitos exigidos pela FAB e pelo MD para o FX2, o SH talvez seja o menos capacitado para nos oferecer um desenvolvimento em conjunto do futuro FX-BR. OS EUA, como todos sabem, tem desenvolvimento de tecnologia até de sobra…o problema não estaria aí. O problema estaria em como combinar uma parceria envolvendo tecnologia militar de ponta entre o Brasil e os EUA. Neste caso, acho que uma… Read more »

Francisco AMX

O F-22 é da Lockheed, foi o vencedor da disputa entre ela e a Northrop se não me engano, assim como o F-35 que levou a Lockheed vencer a Boeing, não seria isso? 🙂 Pessoal, este aviãozinho aí é casca! e depois perde muito valor de mercado, como os volvos! 🙂 Tb não vejo razão em ter 2 vetores de 4,5 ger e meia na nossa força, dividios igualmente, são similares, hoje. Teria mais sentido termos, então, hoje, os 36 Rafales/SH e uns 36 F-16MLU+ modernizados para o padrão aproximado do B50, que a Elbit é mestre em fazer, já… Read more »

dumont

eu estou com o Welington, creio que são caças equivalentes. Só um detalhe, a tática de dispersão é quase regra geral nos países da Escandinávia. Tive oportunidade de visitar esses países e uma vez numa viagem de carro notei que a auto-estrada ficava mais larga. Perguntei porque e a resposta foi que esse era um ponto no qual podiam aterrissar caças. Ou seja, uma coisa é pousar em pistas não ou semi preparadas (tipo rodovias), outra coisa é posar em pistas NÃO PAVIMENTADAS, isso nenhum caça faz… Sobre isso posso garantir que os caças são equivalentes mais uma vez, o… Read more »

Abrivio

O debate é sempre o mesmo: qual o melhor caça? Já estamos a anos debatendo isso e o pessoal ainda não entendeu que dados divulgados pelos fabricantes (sempre muito questionáveis) não são a base da concorrência. A vantagem do Rafale é a parceria que o governo brasileiro está estabelecendo com o francês na área de defesa. Por outro lado seria muito arriscado realizar todos os projetos com um só parceiro. A FAB já teve experiências negativas com os franceses antes, com o ntigo mirage III, e recentemente com o 2000 (ainda aguardamos o envio dos mísseis). O que será decisivo… Read more »

dumont

Sobre a questão monoXbireator acho que que o pessoal já deixou claro quais as vantagens e desvantagens. Agora diferente do que o Mauro colocou não houve uma opção generalizada pelo bireator. O F35 é o caça mais novo que existe e é mono! O F16 é o caça de maior sucesso na história moderna da aviação (ok, depois do MIG 21)e é mono (alias o MIG é mono)! Isso em produção, pq operando tem o Mirrage (França), Harier (GB), AMX(IT)… É certo que numa avaliação 1 para 1 ter 2 motores é melhor mas se consideramos logística, custo de aquisição,… Read more »

Abrivio

Muita gente apostava no Su-35 e quebrou a cara por causa disso. Uma coisa é a concorrência, outra coisa é o debate de qual é o melhor caça. A chance do Su-35 era a exportação de carne e transferência de tecnologia. Mais uma observação: a FAB não está nem aí para o caça que a marinha vai empregar. Isso é um ponto não discutido nessa concorrência. Eu acho outra coisa, mas para mim é isso que está sendo feito. Se vc perguntar, a resposta será: ué, eles não vão modernizar os A4? É claro que a padronização deveria ser feita,… Read more »

welington

É pessoal o Rafall pode sim utilizar o AIM-120, tinha me esquecido deste fato, alias até os SU-30MKI podem utilizar mísseis ocidentais, dado a igualdade do Gripen e do Rafall de lançar mísseis de mesmo alcance iguala mais ainda os vetores, o que como já foi explicado não da bases para se ter vetores de desempenho de armamentos, sensores, vetores similares, a única vantagem seria o aumento dos custos o que não iria trazer nenhuma vantagem em termos de vetores já que são bastantes similares em desempenho. Ninguém disse que os caças monoreatores são superiores ao vetores bi reatores, muito… Read more »

welington

O Gripen tem dados de desenpenho similares ao Rafall e o Typhoon que são caças médios e o Gripen um caça leve, mas em momento algum o Gripen poderia ter um desenpenho similar ao do SU-35 BM pois o mesmo é um caça pesado com desenpenho bastante superior a vetores de clases menores.
Kkkkkkkkkkkkk, o SU-30MKI usa barramento ocidental, o mesmo pode ter integrado com facilidade armamentos ocidentais normalmente, alias foi este o motivo deles o colocarem.
Um abraço a todos.

Abrivio

Critério Técnico X Critério Político e/ou Econômico Usuários do Typhoon – fabricantes do consórcio + Aústria (União Européia) + Arábia Saudita (compradora histórica de equipamento inglês) Usuários do F-18E/F – fabricante e Austrália (aliada histórica dos EUA) Usuário do Rafale – só o fabricante, apesar de ser um caça excepcional Usuários do Gripen – Suécia (um dos fabricantes) + Republica Tcheca, África do Sul, Hungria e Tailândia (forças pequenas que não poderiam pagar por um caça mais caro) Usuários dos Flanker em geral – fabricante + Venezuela, Etiópia, Eritréia, Belarus, China, Indonésia, Vietnã (paises tradicionalmente compradores russos ou que não… Read more »

welington

O Tejas poderia ser considerado um caça peso mosca, mas a mesma não existe, sobre seu desconhecimento sobre o assunto é normal.

Hornet

Caro Francisco AMX, a questão da dependência que vc coloca é interessante e, ao meu vcer, muito importante…mas antes de mais nada deixa eu falar que também gostaria de ver a FAB do futuro com um mix Hi-lo, e não apenas com um único vetor…mas esse mix que gostaria de ver seria o FX2 com o FX-Br…até lá, teremos um mix de F-5M e FX2 (além dos AMX, é claro) por um bom tempo. Mas voltando a sua ponderação relativa à dependência…eu vejo assim, e não sei se os amigos do blog concordam: quem é mais dependente, a França e… Read more »

Wladimir

Eu não entendo por que muitos dos colegas aqui têm aversão ao Rafale. Afinal, a França o tem como a espinha dorsal de combate. E todos sabemos que a França é uma potência militar. O Rafale é um dos melhores caças hoje em dia; para mim, o segundo melhor, passando até o Typhoon II. Eu prefiro o Francês.

Tiago Jeronimo

O F-18 é o caça mais indicado para a FAB no momento se levarmos em conta apenas o desempenho do Vetor, O SH possui radar AESA, AIM-120, AIM-9X e etc. Mas não confio na politica americana de transferência de tecnologia, portanto não escolheria o SH. Já o Rafale que ainda não possui a versão F3 a qual também possuirá AESA, futuramento o Meteor, possui como o SH versão naval para mim é a melhor escolha para a FAB visando o futuro já que a França mostra-se mais receptiva a idéia de transfência de tecnologia e sempre teve uma politica de… Read more »

welington

É lógico, pois esta é mais uma vantagem para o vetor não precisar depender somente de um fornecedor de armas, só uma ressalva os Russos tem dificuldade em vender seus caças? Kkkkkkkkkk, o Rafall não vendeu uma unidade para nenhum país rsrs! Os dados técnicos são comprovados, pois os sensores, e os vetores são evoluções de vetores que já estão operacionais em varias forças (só para salientar o SU-35 BM tem o um desempenho bastante similar ao dos seus antepassados, um pouco superior já que o mesmo é uma evolução não uma involução) atuando em prol da mesma, são dados… Read more »

welington

Em termos de vetor e custos de operação e manutenção e disponibilidade de armamentos o Gripen é o melhor para o Brasil, porem em se tratando de vetor o F-18 é o melhor dos três para o combate BVR pois seu radar tem o maior alcance e o mesmo possui um RCS similar ao dos concorrentes, em combates a media distancia os mesmo se equiparam pois todos tem a mesma noção situacional mas em um combate a curta distancia o F-18 é inferior aos outros vetores por ser menos manobrável, mas em se tratando de transferência tecnológica os únicos que… Read more »

welington

É verdade, mas ninguém contestou isto, estamos falando de mercados onde a disputa e não uma aquisição nacional.

Almeida

Eita discussao boa! 🙂

Abrivio, seu comentario eh totalmente valido! No final todas as plataformas sao bem similares no quesito performance e o que vai indicar o ganhador serão fatores políticos e financeiros, ponto final!

Eu torço pelo Gripen NG, acho que levando em consideração todos os fatores, ele é o melhor caça para o Brasil. Assim como o Rafale é o melhor para a França, o Typhoon para a Arábia Saudita, o Su-30MKI para a Índia, etc.

Wolfpack

Embora acredite na vitória do Dassault Rafale e torça para ele, vejo que temos três ótimas opções de vetores que certamente vão elevar e muito a capacidade operacional da FAB. O Gripen NG é sem dúvida uma excelente aeronave, mas vejo nele o mesmo problema que encontramos no EADS EF2000 Typhoon, o JAS39 NG é um agregado de tecnologias que envolvem muitas nações, e isso pode estar certo pode ser alvo de boicotes e vetos. Que seu motor é G&E (Americano), sua suite de armamentos da BAe Systems (Inglês) e seu Radar AESA da Thales (Francesa), sem contar os armamentos,… Read more »

Almeida

Wellington, preciso te corrigir novamente amigo:

O radar da Rafall F3 (tô aprendendo contigo!) não é o mesmo radar do Gripen NG. Apenas a antena (emissores e receptores) AESA fabricada pela Thales é comum aos dois. Os processadores de sinal do Rafall F3 são os mesmos que os do F2, fabricados também pela Thales, e os do Gripen NG os mesmos do Gripen C/D, fabricados pela Ericsson, com pequenos updates no software e aumento de capacidade de hardware. Isso faz MUITA diferença na performance geral de cada radar, logo, eles não são o mesmo radar ok? Abraços!

pedro

A discussão é Rafale F3 (versão que a Dassault afirmou que disponibilizará ao Brasil) x Grippen NG (versão ofertada pelos suecos) x F18 E/F. Não dá pra discutir eurofigther ou SU 35 porque eles não fazem mais parte do rol de escolha, o que é uma pena pois sempre entendi o eurofigther tranch 3 como a escolha adequada ao brasil e ainda que eu entenda totalmente desnecessário todo esse processo, já que a compra para materiais bélicos sensíveis pode ser direta, sem frescuras. Continuo achando arriscado colocar todos os ovos em uma cesta só. Tá, o grippen tem supercruise, mas… Read more »

Almeida

Wolfpack, nem sempre diversificar seus fornecedores é ruim, muito pelo contrário! Isso só mostra a capacidade dos suecos de integrar o que há de melhor, e mais em conta, em uma plataforma projetada desde o começo para receber upgrades e trocas constantes, evitando-se assim uma situação de dependência de um único fornecedor. Isso torna-se evidente quando comparamos os armamentos e sensores integrados ao Gripen com os integrados à concorrência. Vetores norte-americanos, armamentos e sensores norte-americanos, vetores franceses, vetores russos… Você sabia que uma das opções de motorização do Gripen NG era a Rolls-Royce/Fiat/DMC EF-2000 do Typhoon? Que a GE-404F foi… Read more »

Marcelo RJ

Pena que ainda é um protótipo, enquanto o SuperHornet e o Rafale já são uma realidade.

welington

Almeida concordo, aias a Ericsson no quesito radar esta muito bem colocada vide radares R-99, porem tirando a antena e o gerador de sinal o resto não faz tanta diferença assim não, com certeza não são o mesmo conjunto de radar porem a filtração e seleção por software é mais uma vantagem no que se diz a selecionar alvos, não se reflete no alcance dos mesmos.
Só uma ressalva a antena será fabrica pelas Thales na França.
Um abraço a todos.

Combates Aéreos

‘Travado no F-16’: mensagem de rádio do piloto da IAF antes de ejetar do MiG-21

NOVA DELI: "R-73 selecionado", foi a última transmissão de rádio do Wing Commander Abhinandan Varthaman de seu caça MiG-21...
- Advertisement -
- Advertisement -