quarta-feira, abril 14, 2021

Gripen para o Brasil

Finalmente explicado porque os F-18 canadenses precisam dobrar as asas

Destaques

Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

O título acima é obviamente uma brincadeira: as razões para os F-18 canadenses (assim como os espanhóis, suíços, finlandeses e outros) manterem os dispositivos que permitem dobrar as pontas das asas são várias, e fica para os freqüentadores do Blog do Poder Aéreo a discussão a respeito. Mas esta foto de um Hornet sendo deslocado por rodovia em 2006, para participar de uma exposição, sem dúvida mostra uma utilidade inusitada para um dispositivo próprio de aeronaves embarcadas.

Foto: C. Coulombe – Força Aérea Canadense

- Advertisement -

24 Comments

Subscribe
Notify of
guest
24 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
gaspar

esse F18 nao seria a versao naval ????
a Marinha da Suica que o diga…

RL

Quando este “aeromóvel” chegar nas lojas brasileiras, eu vou querer um.

Poh, com um deses nos trânsito, pra que ficar estressado????

Rsrs…

Hornet

É, mas desarmado do jeito que ele está, não sobreviveria no trânsito de SP….hehehehe

abraços a todos

Luciano Baqueiro

Se é p/ misturar avião e carro, que seja c/ muito estilo, por isso eu sou mais este aqui : BUGATTI Model 100 Racer

http://www.airventuremuseum.org/collection/aircraft/Bugatti%20Model%20100%20Racer.asp

Storm

Vou arriscar as razões pelas quais o dispositivo é mantido: Até onde eu sei Tanto o Hornet, quando era fabricado e o Super Hornet atualmente, são fabricados em uma só versão, não existe versão naval e “não naval”. Dai a fleximbilidade desse avião que sendo operado por uma força aérea, pode em uma emergência arriscar um pouso em porta aviões. é sabido também que as asas dos aviões projetados para operar em porta aviões são maiores que os aviões normais. pois é preciso uma sustentação maior para poder ter uma velocidade menor na hora da aproximação para o pouso. Sendo… Read more »

Francisco AMX

Espero que este dae não seja o que eu comprei semana passada e ainda não chegou! comprei por Encomenda Aérea! 🙂

Meio Aéreo

Muito irada essa foto! Já estive no Canadá, visitei o Museu da Aviação em Ottawa e é muito interessante!

Aliás descobri o Poder Aéreo só hoje e gostei! Temos um blog sobre aviação também… passe por lá!

Portal Meio Aéreo | Aviação Civil & Passagens Aéreas

Tiago Jeronimo

A razão pra manter é simples, se o seu carro viesse com ar-condicionado de série e mesmo se você não gostasse de ar-condicionado ia pedir pra tirar?

edilson

Mas olha que não é má idéia. esconder os aviões dentro dos centros urbanos e asceder a pistas de rodovias confundindo o inimigo…

Vassily Zaitsev

Edilson,

Aí nesse caso, não mais seria F-18; seria Gripen e a Guerra Centrada em Redes à moda suéca.

[…] Segundo a RAF, não se trata de mera coincidência o fato de que o Wing Commander Simon Dowling, da Base de Gibraltar, passou a maior parte da sua carreira voando justamente esse tipo de aeronave, que operou na Real Força Aérea entre 1974 e 2007. Para ver uma outra foto noturna curiosa como esta, clique aqui. […]

[…] de um CF-18 Century Hornet, um Snowbird tutor pintado nas cores  do “Golden Centennaire”e um  […]

gaspar

esse F18 nao seria a versao naval ????
a Marinha da Suica que o diga…

RL

Quando este “aeromóvel” chegar nas lojas brasileiras, eu vou querer um.

Poh, com um deses nos trânsito, pra que ficar estressado????

Rsrs…

Hornet

É, mas desarmado do jeito que ele está, não sobreviveria no trânsito de SP….hehehehe

abraços a todos

Luciano Baqueiro

Se é p/ misturar avião e carro, que seja c/ muito estilo, por isso eu sou mais este aqui : BUGATTI Model 100 Racer

http://www.airventuremuseum.org/collection/aircraft/Bugatti%20Model%20100%20Racer.asp

Storm

Vou arriscar as razões pelas quais o dispositivo é mantido: Até onde eu sei Tanto o Hornet, quando era fabricado e o Super Hornet atualmente, são fabricados em uma só versão, não existe versão naval e “não naval”. Dai a fleximbilidade desse avião que sendo operado por uma força aérea, pode em uma emergência arriscar um pouso em porta aviões. é sabido também que as asas dos aviões projetados para operar em porta aviões são maiores que os aviões normais. pois é preciso uma sustentação maior para poder ter uma velocidade menor na hora da aproximação para o pouso. Sendo… Read more »

Francisco AMX

Espero que este dae não seja o que eu comprei semana passada e ainda não chegou! comprei por Encomenda Aérea! 🙂

Meio Aéreo

Muito irada essa foto! Já estive no Canadá, visitei o Museu da Aviação em Ottawa e é muito interessante!

Aliás descobri o Poder Aéreo só hoje e gostei! Temos um blog sobre aviação também… passe por lá!

Portal Meio Aéreo | Aviação Civil & Passagens Aéreas

Tiago Jeronimo

A razão pra manter é simples, se o seu carro viesse com ar-condicionado de série e mesmo se você não gostasse de ar-condicionado ia pedir pra tirar?

edilson

Mas olha que não é má idéia. esconder os aviões dentro dos centros urbanos e asceder a pistas de rodovias confundindo o inimigo…

Vassily Zaitsev

Edilson,

Aí nesse caso, não mais seria F-18; seria Gripen e a Guerra Centrada em Redes à moda suéca.

[…] Segundo a RAF, não se trata de mera coincidência o fato de que o Wing Commander Simon Dowling, da Base de Gibraltar, passou a maior parte da sua carreira voando justamente esse tipo de aeronave, que operou na Real Força Aérea entre 1974 e 2007. Para ver uma outra foto noturna curiosa como esta, clique aqui. […]

[…] de um CF-18 Century Hornet, um Snowbird tutor pintado nas cores  do “Golden Centennaire”e um  […]

Combates Aéreos

Combate aéreo Índia-Paquistão: um relato minuto a minuto da batalha aérea de Abhinandan

As evoluções da manhã de 27 de fevereiro duraram 16 minutos, desde o momento em que os jatos paquistaneses...
- Advertisement -
- Advertisement -