domingo, abril 11, 2021

Gripen para o Brasil

Array

RAF será segundo usuário de RC-135

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.aereo.jor.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

RC-135 - USAF

A Royal Air Force estuda a possibilidade de adquirir três aeronaves Boeing KC-135R e transformá-las em RC-135V/W Rivet Joint. O estudo está adiantado e somente depende de alguns trâmites legais para que o contrato seja formalizado.

A família RC-135 compreende uma série de aeronaves derivadas do Boeing 707 e utilizadas para diversas funções de apoio ao campo de batalha incluindo reconhecimento, inteligência e espionagem. São especialistas nas funções Elint, Comint e Sigint. Até hoje somente a USAF possuía este tipo de aeronave, todas elas baseadas em Offutt-Nebraska e pertencentes à 55a Ala Aérea. Recentemente as diversas versões de RC-135 passaram por um processo de modernização que incluiu remodelação da cabina de pilotagem com a integração de um painel tipo “glass cockpit” e novos equipamentos de navegação; substituição dos turbojatos TF-33 por turbofans CFM-56 e diversas atualizações no equipamento eletrônico.

O RC-135, desde que foi introduzido em serviço em 1967, participou de praticamente todas as ações militares dos EUA desde então. Os britânicos puderam compartilhar de muitas das valiosas informações coletadas por estas aeronaves durante a Guerra Fria e nos conflitos regionais subsequentes que estiveram envolvidos. Agora pretendem operar três destas aeronaves. Mas tudo isto tem um custo. A aquisição de somente três células e a sua conversão em RC-135V/W Rivet Joint custará perto de 1,1 bilhão de dólares.

- Advertisement -
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
edilson

É OS NIMROD???

Poggio

Excelente pergunta edilson! No meu ponto de vista existem duas questões básicas. Os britânicos operaram muito próximos dos norte-americanos tanto no Iraque como no Afeganistão e viram o quanto esta aeronave é importante. Em segundo lugar, atualizar os seus Ninrod para um padrão equivalente aos KC-135VW da USAF sairia muito mais caro e as aeronaves teriam um tempo de vida útil menor. Na minha opinião os “novos” aviões permitirão a aposentadoria dos Ninrod R1.

ramillies

O problema da RAF é falta de dinheiro e falta de avião. O Nimrod R.1 é velho e pequeno demais para as necessidades futuras, mas não existem verbas para um upgrade do tipo MRA4.

Quanto às capacidades dos RC-135, o R.1 combina as funções do RC-135U (dedicado ao ELINT) e do RC-135V/W (dedicado ao COMINT). Se a RAF optar pelo V/W, vai perder as capacidades ELINT que o R.1 proporciona, mas da maneira que estão as coisas, não deve ter outra opção.

Alfredo_Araujo

Ue!!! Mais os Nimrod nao sao de vigilancia/patrulha maritima???

Vassily Zaitsev

Os RC-135 serão para a RAF, um novo patamar de operações no quesito
reconhecimento estratégico de longo alcance. Para curto/médio alcance, usarão os R-99B. E viva a Embraer que desenvolveu esse desbravador eletrônico tupiniquim.

Poggio

Alfredo_Araujo,

A principal versão do Ninrod é ASW. Mas existem versões AEW e inteligência e espionagem de sinais.

Baschera

Caro Vassily,
Onde está escrito ou divulgado, que a RAF “usará” os EMB 145 R-99B ??
Sds.

marcandrey

Tambem quero saber onde foi divulgado isso?????

edilson

Caro Poggio, acho que o governo britânico agiu certo na escolha do velho zoiudo da USAF, no entanto se observarmos atentamente vamos notar uma perda de capacidade e tercerização dos britânicos no que tange aos seus equipamentos de defesa.
é claro que estão melhorando os sistemas, porém estão perdendo a capacidade de desenvolvê-los e creio que é um erro e terá custos muito autos no futuro.
Não seria melhor uma operação conjunta aos moldes dos E3 à serviço da OTAN?
parabéns novamente pela matéria e obrigado a todos pelas esplicações
grande abraço
Edilson

edilson

É OS NIMROD???

Poggio

Excelente pergunta edilson! No meu ponto de vista existem duas questões básicas. Os britânicos operaram muito próximos dos norte-americanos tanto no Iraque como no Afeganistão e viram o quanto esta aeronave é importante. Em segundo lugar, atualizar os seus Ninrod para um padrão equivalente aos KC-135VW da USAF sairia muito mais caro e as aeronaves teriam um tempo de vida útil menor. Na minha opinião os “novos” aviões permitirão a aposentadoria dos Ninrod R1.

ramillies

O problema da RAF é falta de dinheiro e falta de avião. O Nimrod R.1 é velho e pequeno demais para as necessidades futuras, mas não existem verbas para um upgrade do tipo MRA4.

Quanto às capacidades dos RC-135, o R.1 combina as funções do RC-135U (dedicado ao ELINT) e do RC-135V/W (dedicado ao COMINT). Se a RAF optar pelo V/W, vai perder as capacidades ELINT que o R.1 proporciona, mas da maneira que estão as coisas, não deve ter outra opção.

Alfredo_Araujo

Ue!!! Mais os Nimrod nao sao de vigilancia/patrulha maritima???

Vassily Zaitsev

Os RC-135 serão para a RAF, um novo patamar de operações no quesito
reconhecimento estratégico de longo alcance. Para curto/médio alcance, usarão os R-99B. E viva a Embraer que desenvolveu esse desbravador eletrônico tupiniquim.

Poggio

Alfredo_Araujo,

A principal versão do Ninrod é ASW. Mas existem versões AEW e inteligência e espionagem de sinais.

Baschera

Caro Vassily,
Onde está escrito ou divulgado, que a RAF “usará” os EMB 145 R-99B ??
Sds.

marcandrey

Tambem quero saber onde foi divulgado isso?????

edilson

Caro Poggio, acho que o governo britânico agiu certo na escolha do velho zoiudo da USAF, no entanto se observarmos atentamente vamos notar uma perda de capacidade e tercerização dos britânicos no que tange aos seus equipamentos de defesa.
é claro que estão melhorando os sistemas, porém estão perdendo a capacidade de desenvolvê-los e creio que é um erro e terá custos muito autos no futuro.
Não seria melhor uma operação conjunta aos moldes dos E3 à serviço da OTAN?
parabéns novamente pela matéria e obrigado a todos pelas esplicações
grande abraço
Edilson

Combates Aéreos

Combate aéreo Índia-Paquistão: um relato minuto a minuto da batalha aérea de Abhinandan

As evoluções da manhã de 27 de fevereiro duraram 16 minutos, desde o momento em que os jatos paquistaneses...
- Advertisement -
- Advertisement -