quinta-feira, março 4, 2021

Gripen para o Brasil

F-16 belgas para a Jordânia

Destaques

Defesa aérea da Sérvia atingiu outro F-117 durante a Operation Allied Force

A história de como um jato de ataque stealth F-117 Nighthawk da Força Aérea dos Estados Unidos foi abatido...

HENSOLDT: Sistemas antidrone e de proteção de áreas críticas e estratégicas

Nos últimos anos, a venda de drones cresceu muito no mundo. Esses objetos voadores, cada vez mais comuns em...

FAB coordena Operação Escudo Antiaéreo

Operação aconteceu de forma conjunta entre a Marinha do Brasil, o Exército Brasileiro e a Força Aérea Brasileira No período...
Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

No final de agosto de 2007, o Governo Belga finalizou a venda de 14 caças F-16 (12 F-16AM e 2 F-16BM) para a Jordânia, por um preço total de 70 milhões de euros. Esta venda é parte de um acordo assinado entre a Jordânia e a Bélgica para a venda de 20 caças F-16 MLU (6 dos quais são antigos aviões da Força Aérea Holandesa e 14 ex-belgas).
Após as modificações necessárias, pilotos da Jordânia estão recebendo formação na Bélgica antes de retornar ao seu país.
A Força Aérea Real da Jordânia já opera 33  F-16A/B dos excedentes da USAF, parte dos quais receberá atualização MLU, e 3 F-16BMs ex-Koninklijke Nederlandse Luchtmacht.
Na terça-feira, 9 de setembro de 2008, cinco destes aviões tiveram suas marcações belgas removidas e substituídas pelas da Royal Jordanian Air Force.
O translado até a Jordânia deveria ser feito com reabastecimento em vôo, mas a idéia foi abandonada e os aviões voarão até Aviano, na Itália, e depois Souda, em Creta, equipados com três tanques externos.

NOTA DO BLOG: Antes de decidir-se pela compra dos Mirage 2000 para substituir seus Mirage IIIEBR, a FAB recebeu várias propostas de caças “tampão”, dentre as quais F-16 usados. Há quem diga que esses aviões teriam sido uma compra melhor, pois sua aquisição e eventual modernização seria mais barata que a do caça francês.

- Advertisement -

30 Comments

Subscribe
Notify of
guest
30 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
FALCON

Concordo c/ a nota do blog ,também acho q o F-16 seria uma melhor opção,pois tem entre outras vantagens um raio de ação maior q o MIRAGE-2000,seu armamento também é superio ao caça frances ,sem contar sua logística(mais barata),por isso tudo na minha modesta opnião ele seria o melhor se comparado ao MIRAGE,se bem q dentre todos q foram oferecidos p/ servir de “tampão”o melhor sem sombra de duvida seria o russo SU-27 .ABRAÇOS A TODOS.

Robson Br

Tudo que é americano é duvidoso. O avião pode ser bom, mas se o caça tampão fosse o F16M o processo seria outro. A independência no processo está sendo o diferencial.

Leo

E como é que o governo iria resarcir a Dassault/Embraer pelas doações para a campanha presidencial?

Leo

Walderson

Concordo contigo, Robson Br,

a logística seria totalmente diferente, aliás, como bem colocou, todo o processo seria diferente. Será que os EUA permitiriam sem colocar a colher, sem vetar algo. Penso que não.
Um abraço.

Tempestade

Os F16 estão subistituindo os F-5 que os Jordanianos venderam algumas células para a FAB

Fábio Max

O F-16 é o avião de caça ocidental mais numeroso no mundo, isso significa manutenção barata e cadeia de peças de reposição. O Brasil não teria problemas com isso, porque, ao contrário do que acontece com a Venezuela, não sofreria restrições dos EUA.

Mas a melhop opção para a FAB era certamente o Mirage 2000 dada a experiência de operação com aviões da mesma marca…

Tiago Jeronimo

Também prefiro o Mirage-2000 por toda a prévia experiência com os Mirage IIIBR e a maior independência em relação a armamentos e vetos americanos.

Walderson

falou tudo, Tiago.
Um abraço, amigo.

Vassily Zaitsev

Os Mirage-2000 que adquirimos estão equipados com radar RDM, iguais aos do Peru, ou RDI, mais modernos?
em uma comparação grosseira, qual se sairia melhor: O APG-67 ou o que adquirimos?
Falo grosseira, pq não só de alcance pode-se afirmar a qualidade de um radar, mas tb de clima, habilidade do piloto, ECM, terreno, entre outros fatores.

thiago

O BRASIL TEM O RDI(110KM-S-530D) O PERU E O RDM(80KM-S-530F)

Baschera

Gostaria de saber como os jordanianos operam seus F-16 no meio do deserto, pois o aparelho só decola ou pousa com pista aspirada.
Deve ter um “monte” de jordanianozinhos varrendo a pista logo cedo de manhãzinha……heheheh.
Sds.

CorsarioDF

É uma questão difícil, pois caça “tampão” pra mim não serve nenhum1 o F-16 é um excelente avião, porém como lembrou os amigos os EUA com certeza não liberariam os armamentos requisitado, teríamos que recorrer a Israel, que é um grande operador, sobre modernização com certeza é muito mais fácil do que o M-2000. Mas em se tratando de continuidade do modelo e não modificar muito a doutrina do emprego, o M-2000 leva ampla vantagem, mas em questão de armamento(geral sem contar as restrições) ele leva um banho do F-16 e do Su-27, esse sim (Su-27) seria um bom caça… Read more »

tailhook

O pessoal adora meter o malho no F-16. Por quê ?? O sucesso de vendas dessa aeronave deve significar que ela é boa. São mais de 4000 unidades em mais de 20 operadores. Só pode ser bom. É um sucesso. agora olhem o Mirage 2000. Não chegou nem perto do F-16 em sucesso de exportação, quanto mais em emprego em combate. Fecharam até a linha de produção. Será que estamos certos e todos os outros estão e sempre estiveram errados ?? Negociar com franceses é bem mais complicado do que negociar com os americanos. Na Verdade, nenhum deles transfere tecnologia… Read more »

[…] F-16 belgas, recentemente, a Força Aérea daquele país vendeu alguns exemplares para a Jordânia. Clique aqui para ler matéria a […]

[…] F-16 belgas para a Jordânia […]

Tiago Jeronimo

Também prefiro o Mirage-2000 por toda a prévia experiência com os Mirage IIIBR e a maior independência em relação a armamentos e vetos americanos.

Walderson

falou tudo, Tiago.
Um abraço, amigo.

FALCON

Concordo c/ a nota do blog ,também acho q o F-16 seria uma melhor opção,pois tem entre outras vantagens um raio de ação maior q o MIRAGE-2000,seu armamento também é superio ao caça frances ,sem contar sua logística(mais barata),por isso tudo na minha modesta opnião ele seria o melhor se comparado ao MIRAGE,se bem q dentre todos q foram oferecidos p/ servir de “tampão”o melhor sem sombra de duvida seria o russo SU-27 .ABRAÇOS A TODOS.

Robson Br

Tudo que é americano é duvidoso. O avião pode ser bom, mas se o caça tampão fosse o F16M o processo seria outro. A independência no processo está sendo o diferencial.

Leo

E como é que o governo iria resarcir a Dassault/Embraer pelas doações para a campanha presidencial?

Leo

Walderson

Concordo contigo, Robson Br,

a logística seria totalmente diferente, aliás, como bem colocou, todo o processo seria diferente. Será que os EUA permitiriam sem colocar a colher, sem vetar algo. Penso que não.
Um abraço.

Tempestade

Os F16 estão subistituindo os F-5 que os Jordanianos venderam algumas células para a FAB

Fábio Max

O F-16 é o avião de caça ocidental mais numeroso no mundo, isso significa manutenção barata e cadeia de peças de reposição. O Brasil não teria problemas com isso, porque, ao contrário do que acontece com a Venezuela, não sofreria restrições dos EUA.

Mas a melhop opção para a FAB era certamente o Mirage 2000 dada a experiência de operação com aviões da mesma marca…

Vassily Zaitsev

Os Mirage-2000 que adquirimos estão equipados com radar RDM, iguais aos do Peru, ou RDI, mais modernos?
em uma comparação grosseira, qual se sairia melhor: O APG-67 ou o que adquirimos?
Falo grosseira, pq não só de alcance pode-se afirmar a qualidade de um radar, mas tb de clima, habilidade do piloto, ECM, terreno, entre outros fatores.

thiago

O BRASIL TEM O RDI(110KM-S-530D) O PERU E O RDM(80KM-S-530F)

Baschera

Gostaria de saber como os jordanianos operam seus F-16 no meio do deserto, pois o aparelho só decola ou pousa com pista aspirada.
Deve ter um “monte” de jordanianozinhos varrendo a pista logo cedo de manhãzinha……heheheh.
Sds.

CorsarioDF

É uma questão difícil, pois caça “tampão” pra mim não serve nenhum1 o F-16 é um excelente avião, porém como lembrou os amigos os EUA com certeza não liberariam os armamentos requisitado, teríamos que recorrer a Israel, que é um grande operador, sobre modernização com certeza é muito mais fácil do que o M-2000. Mas em se tratando de continuidade do modelo e não modificar muito a doutrina do emprego, o M-2000 leva ampla vantagem, mas em questão de armamento(geral sem contar as restrições) ele leva um banho do F-16 e do Su-27, esse sim (Su-27) seria um bom caça… Read more »

tailhook

O pessoal adora meter o malho no F-16. Por quê ?? O sucesso de vendas dessa aeronave deve significar que ela é boa. São mais de 4000 unidades em mais de 20 operadores. Só pode ser bom. É um sucesso. agora olhem o Mirage 2000. Não chegou nem perto do F-16 em sucesso de exportação, quanto mais em emprego em combate. Fecharam até a linha de produção. Será que estamos certos e todos os outros estão e sempre estiveram errados ?? Negociar com franceses é bem mais complicado do que negociar com os americanos. Na Verdade, nenhum deles transfere tecnologia… Read more »

[…] F-16 belgas, recentemente, a Força Aérea daquele país vendeu alguns exemplares para a Jordânia. Clique aqui para ler matéria a […]

[…] F-16 belgas para a Jordânia […]

Combates Aéreos

Nunca chegue cedo demais

  Por Roberto F. Santana No dia 2 de setembro de 1980 um F-14 Tomcat da Força Aérea Iraniana (IRIAF) decolou...
- Advertisement -
- Advertisement -