domingo, maio 9, 2021

Gripen para o Brasil

PAK-FA/T-50: concepções

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Clicando nas imagens, pode-se examinar algumas concepções do futuro caça russo de 5a. geração, que apresentam similaridades com o F-22 Raptor americano. Notar que o projeto prevê uma versão embarcada. Brasil e Índia poderão participar do Programa de desenvolvimento do PAK-FA/T-50.

SAIBA MAIS:

- Advertisement -

254 Comments

Subscribe
Notify of
guest
254 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Douglas

Pergunta. Vamos participar com o que? A embraer não tem tecnologia nesta área que seja interessante aos russos. então seremos socios capitalistas, vamos bancar o desenvolvimento com dinheiro, muito dinheiro, para viabilizar a pesquisa russa. Ai tem um problema, não temos tanto dinheiro assim e ninguem garante que os russos vão abrir os livros no fim e nos transferir o que descobriram.

Igor

Tirando as asas parece o yf-23

Manfred Von Richthofen

Belo design! vai dar muito trabalho para os americanos. O avião provavelmente deverá ter tecnologia comparável ao F-35. A versão embarcada poderá ser utilizada pelas marinhas dos BRICs. A China também deve ter interesse no projeto.

Roberto

Douglas, concordo com vc, mas precisamos começar por algum lugar e, hoje, qual pais esta em vias de desenvolver um caça de 5ª geração ? Seria interesante participar para capacitação técnica de nossos engenheiros e absorção de conhecimentos que hoje não temos… lembre-se que foi assim no programa AMX e, com isso, a EMBRAER pode desenvolver toda sua familia de aviões, que como sabemos, é sucesso comercial. Apesar da empresa ser privada a Aeronáutica ainda tem participação e pode ‘exigir’ que ela participe do desenvolvimento. realmente não há garantias, mas acho que nossos militares não seriam tão burros a ponto… Read more »

Roberto

Quanto a beleza, o F22 é infinitamente superior…

Henrique

Olha, se alguém souber mais sobre o contrato que foi assinado pelo Brasil com a Rússia nos avise. Já eu acho que o Brasil/Embraer tem capacidade de ajudar no desenvolvimento do PAK.

Alfredo_Araujo

Concordo com o q o Mauro escreveu… mais o q o Douglas escreveu tem um certo fundamento né… o F-35!! Não é isso q esta acontecendo com o projeto JSF??

marujo

Bravo,Galante!

Henrique

Mauro,
hehehehe verdade, a china deve ter inventado uma máquina de copiar.

[]s

pablo

a Embraer tem muito a oferecer aos russos, muito mesmo…
espero que esse contrato de concretize mesmo…
se nos obtermos as tecnologias do avionicos e turbinas, ja esta mais do que satisfatorio em termos de offset…
alguem sabe se ha algum armamento em estudo para uso exclusivi no PAK ??
viva a Vodka !!!!!

paulo

Onde o Blog conseguiu tais concepções? O Campo de Batalha Aerea também mostrou esses desenhos, mas quanto disso se aproxima do que será mostrado pelos russos? De qualquer maneira parabéns pelas imagens! Em tempo: o custo de desenvolvimento de um avião desse naipe é altíssimo (vide o sofrimento dos franceses com o inferior Rafale até hoje) então já bastará aos russos que sejamos sócios de capital para que contrapartidas de produção sejam fornecidas além das futuras unidades prontas. US$ 15/20 bi não é qualquer um que se dispõem a injetar sozinho num projeto e será esta mais ou menos o… Read more »

Galante

Paulo, se a gente revelar aonde conseguimos os desenhos, teremos que eliminá-lo! rs
A origem é TOP SECRET…rs

paulo

De qualquer maneira, meus parabéns!

Galante

Paulo, foi informado que a Índia deverá investir mais de 3 bilhões de euros (uns 8 bilhões de reais) no PAK-FA. O Brasil, se vier a participar mesmo, terá de desembolsar o mesmo valor.

Henrique

nada a ver com o tópico, mas ha uns tempos atrás fui em uma apresentação das forças de auto defesa do japão

http://www.short-cut.blogspot.com

Marco

Por que o Brasil não como moeda de troca sua tecnologia de enriquecimento de urânio, visto que EUA e Rússia usam a difusão gasosa, que é considerada obsoleta, pois consome vinte e cinco vezes mais energia do que a tecnologia de ultracentrifugação, empregada pelo Brasil?
Certamente é do interesse da Marinha pois o projeto do PAK prevê uma versão embarcada que poderá ser usada no futuro pelo país.
Se é um segredo único no mundo tão guardado assim é pq interessa a outros, então…?

pablo

ue, o pre-sal nao esta ai ???
entao 3 bi ou 5 bi nao farao dferenca para nos… acho que 5 bi para um projeto de ma caca de 5 geracao e baixissimo…
o que fara diferenca sao as belonaves que poderao equipar a nossa Forca Aerea…

camberiu

Os Russos tem uma longa tradicao de buscar inspiracao nos designs e conceitos ocidentais. Claro que existem muitos projetos russos que sao ate mesmo conceitualmente bastante originais (TU-128, TU-95, AN-22, MIG-21, etc…). Entretanto a lista de projetos russos inspirados (nao copias) em versoes ocidentais e’ longa, passando pelo SU-24 (F-111), SU-25 (Northrop YA-9), MIG-25 (A-5 Vigilante), TU-154 (Boeing 727), MIG-29 (F-18), SU-27 (F-15), Buran (space shuttle), IL-76 (C-141), Antonov AN-12 (C-130), TU-160 (B-1B Lancer) e por ai vai. Com esse esboco do PAK-50, fica obvio que a tradicao de buscar inspiracao e definicao de conceitos no ocidente continua. Sem duvida… Read more »

pablo

a troca de tec nucler e proibida no mundo inteiro…
acho que uma coisa nao tem nada a ver com a outra…
nao podemos abrir mao da tec das nossas centrifugas para obter um aviao topo de linha… sao duas coisas bem deiferentes no meu ver, posso estar enganado…

konner

Os requisitos do PAK FA são que o avião seja furtivo, tenha capacidade de vôo de supercruzeiro, tenha supermanobrabilidade, capacidade de ataque a alvos terrestres em qualquer condição atmosférica e com capacidade de operar em pista curtas, com cerca de 400 metros. Muitos dizem ser parecido com o protótipo YF-23 que deu origem ao F-22 Raptor, discordo, até mesmo que seja parecido com o F-22 Raptor. Uma caracteristica marcante deste progeto, creio ser o fato de os motores serem bem separados, o que garante uma sustentação aerodinâmica superior aos modelos sem essa característica. O desenho mostra claramente soluções para diminuir… Read more »

Luciano

O que mais me assusta na compra de armamento russo ( lembro que usamos o mesmo armamento por várias décadas ) é justamente o pós-venda e essa repentina volta à ditadura mesmo com eleições capengas, p/ dizer o mínimo ( todos sabem que o Putin, ex-KGB, manipula tudo inclusive imprensa ). A Europa, e não apenas os EUA, já está preocupada e estudando formas de controlar esse ímpeto imperialista, como diria o companheiro Chaves, o que poderia a médio prazo criar barreiras à utilização de tecnologias ocidentais em armamentos russos, nos deixando completamente amarrados a estes. Não quero ser dependente… Read more »

Moreau

PAK-FA T-50 acho que tão sonhando alto demais: O custo de denvolvimento deste caça supera facil 20 bilhões de dolares digamos que o Brasil entre com 25% ai vão 5 bilhões so em custo de desenvolvimento. Até poderia compensar entrar nessa com os Russos se comprassemos uns 250 exeplares o que não tem a menor chance de acontecer.
Um projeto mais realista seria o EADS MAKO, a versão monoplace seria um bom substituto para os F-5 e claro seria bem mais baratinho…

Pedro Rocha

Olá senhores! Pelo o que eu sei os projetos MB 326 e AMX já estavam desenvolvidos quando a Embraer se associou aos mesmos. Fizemos alterações nos dois (por exemplo, a troca do canhão do AMX). Eu tenho notado, pelas as entrevistas dos diretores da Embraer, que a engenharia da empresa necessita urgentemente de inovações para enfrentar os competitivos mercados de aviação civil. O maior desafio hoje é a velha pergunta “O que virá após o E-Jet 195”? Eu sei que o 390, continua andando, graças a Deus. Porém esse projeto não agregará muitas coisas para a área de novos projetos… Read more »

König

Acho dificil esse ser o desenho definitivo olhem o desenho da saida das turbinas aquilo concerteza sera modificado.
Saudações

pablo

a Embraer poderia participar do projeto X14(um foguete que utiliza um motor hypersupermegasonico)… a partir dai projetar uma aeronave que voe na extratosfera… ou entrar num projeto de um novo concorde…
a Embraer nao podeeia fabricar UAV ??? ja que ela projetou o R98 e R99

Henrique

Bom, que os russos respondem ao ocidente é claro, já que eles não tem grana pra ditar as regras. Que seja parecido tem sentido, já que diminui o tempo de design para tornar furtivo.

O que o konner disse tem sentido também, já que ser furtivo faz do dogfigth batalha constante, e mísseis de curto alcance deverá fazer diferença.

Esse avião se o Brasil participar e obter boa quantidade fará do Brasil potência militar. Isso se alguém não inventar alguma contra medida.

pablo

so me faltava essa agora:

“Antes previsto para o dia 7 de setembro, o lançamento do programa ainda não tem nova data. Depois do desfile realizado em comemoração ao dia da Independência, no domingo, o chefe do Núcleo de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, ministro Roberto Mangabeira Unger, afirmou a jornalistas que a divulgação do documento deve gerar polêmica”

sera que o Brasil so aprende do pior jeito ??? sera que temos de ser bombardeados, invadidos para os nossos politicos acordarem ????

GustavoB

Marcos e Pablo, agora vemos como funciona essa história de transferência de tecnologia. Que tal uma proposta dessas: vocês ensinam pra gente como se faz um caça de 5ª geração, nós passamos a vocês a tecnologia das ultracentrífugas de enriquecimento de urânio. O pessoal da MB deve pular da cadeira ao ler isso. Ninguém quer passar segredos tecnológicos, eles representam vantagem (militar e econômica), mérito nacional e até certa dissuasão. Já participar de um projeto conjunto é outra história. Parece bem mais inteligente desenvolver um produto de ponta, com mercado garantido por uns bons anos, entre parceiros que dificilmente confrontarão… Read more »

Tempestade

15/04/2008: Foi a data da assinatura do memorando de inteção: Brasil e Rússia criarão foguete e avião da quinta geração Os governos do Brasil e da Rússia assinaram nesta terça-feria (15), em Brasília, um acordo de cooperação para o lançamento de satélites e a construção de foguetes e aviões. Recorde-se que em fevereiro Brasil assinou o contrato com a Ucrânia sobre a participação no projeto “Cyclon-4” , um foguete que é capaz de lançar a carga até 5 toneladas à altura de 500 quilômetros. O ministro extraordinário de Assuntos Estratégicos, Roberto Mangabeira Unger, que assinou o documento com o vice-presidente… Read more »

pablo

Gustavo,
EU SOU CONTRA dar a nossa rec nuclear em troca de um projeto de um caca de 5 geracao… acho que dois projetos distintos…
agora nao acho nada demais de “comprarmos” uma participacao no projeto do caca, ai sim eu apoio…

André de POA

O Brasil pode sim participar de um projeto compartilhado complexo, o histório do AMX prova isso. Na época tivemos de “inventar”(e copiar) coisas que não existiam e nem faziam parte da “cultura” tecnológica tupiniquim. Me lembro que da caixa de armamento do T-27 (baseada em relés!!) passamos a quebrar a cabeça sobre aviônicos que exigiam processadores! Hoje pode parecer até facil projetar uma unidade para fotografia aerea mas lá naqueles anos foi chumbo grosso. Então na minha opinião o Brasil não só pode como deve participar de um grande projeto, mesmo que quem hoje ocupa as bancadas tenha de reinventar… Read more »

Douglas

Galante, a questão é o dinheiro. não temos tento dinheiro. veja, vc disse que o investimento minimo seria de 8 bi, os royalties da MB acumulados são 3 bi…. É muita grana só para um projeto. temos as fragatas pra construir, os subs, e tudo mais. E o projeto russo, como todo proj de supercaça é de prazo longo, orçam,ento estourado seguidamente, (VEJAM F 35 F 22 e Eurofighter..) e os russos são complicados. Acho o SU 35 soberbo, mas seriam um parceiro sem credibilidade. Como já disse aqui, preferiria um parceiro Europeu. Alias. qual o projeto frances para daqui… Read more »

Douglas

Esclarecendo melhor, para entrarmos no projeto teríamos que ter fontes de custeio muito maiores que as que estão sendo faladas hoje. pois quase tudo vai pra pagamento de ativos e inativos. e os acrescimos serão vertidos em novos navios, patrulhas, avioes de 4ª geração, helos e outras coisas.
Prefiro parceiro europeu, que tambem vai estourar orçamento e atrasar o cronograma, mas não vai dar o pé, ou pelo menos mais será dificil.

Claudio

Sobre a transfêrencia de tecnologia, eu vou transcrever um post da engenheira Koslowa, brasileira aque trabalha no programa espacial russo. Esta mensagem foi colacada no fórum Aeroespacial no Yahoo. A solução é um contrato extremamente focado no que é essencial. Transferência de tecnologia é no Brasil uma palavra de ordem apenas e não uma estratégia rigidamente planejada e implementada. A tecnologia de operação e melhoria de uma plataforma deste tipo pode ser dividida em vários níveis diferentes. 1) Nível 1. Posse e operação da plataforma. Neste caso as tecnologias cedidas pelo fornecedor são aquelas necessárias a operação da plataforma, porem… Read more »

pablo

tenho certeza de que dinheiro nao e problema…
sera que os russos aceitariam a entrada do Brasil no projeto PAK mesmo o Brasil comprando os RAFALE ???

GustavoB

OK Pablo, usei a deixa para evoluir a idéia, não critiquei vocês. Abraço

GustavoB

Muito bom seu post Claudio, a opinão dela é sempre bastante relevante.

Jorge Lee

Acho que uma coisa não tem a ver com a outra. O fato do Brasil comprar Rafales, se comprá-los – tudo indica que sim – não influi numa participação no PAK-FA, até porque os Rafales deverão voar aqui entre 2010-2015, enquantos os primeiros PAK estariam voando por aqui, na melhor das hipóteses em 2020, protótipos, devendo estar totalmente operacional lá para 2030-2035, então um substituto lógico, já que a própria frança não tem um substituto para o Rafale. Outra questão, é que a USAF está “inclinada” doutrinariamente a considerar o F22 o último caça embarcado daquela força, não seria, então… Read more »

Fábio Max

A transferência de tecnologia que envolve um off-set nunca é integral. O Brasil não vai aprender a construir aviões supersônicos, mesmo que adquira 500 Su35. Os russos vão transferir extratos de tecnologia em várias áreas, mas nunca, aliás, jamais, vão liberar tecnologia sensível. Acontece que liberando extratos de tecnologia, eles conquistam um mercado cativo. Parte das peças de determinados aviões poderão ser produzidas no Brasil e isso barateia o custo de manutenção e facilita a aquisição de aviões daquele país. De resto, o país só construirá aviões supersônicos de tiver programas próprios, como Israel teve com o Lavi, que não… Read more »

König

Na verdade o PAK-FA devera estar com o projeto totalmente pronto em 2015.
Atualmente o unico pais a ter algum esboço de algum caça de 6º geração é a França.
Saudações

andre

Aos entendidos!!!

O Rafale será o ultimo caça a ser desenvolvido na FRANÇA?
Os Franceses iram produzir o RAFALE pela eternidade?
Não iram desenvolver mais nada?!!!!!!!!!!!!

Sou fã dos aviões RUSSOS, mas considero a França como um bom parceiro nessa area. Sem duvida melhor que os Russos e muito
melhor que o Tio Sam…

Jorge Lee

König, qual seria essa aeronave de 6ª geração? Não acha 6-7 anos um período muito curto para desenvolvimento? Veja o Rafale que demorou quase vinte anos e o próprio F22 que demorou uma década de desenvolvimento, com todos os recursos do cofre do TIO SAM…

Andre, não duvido da qualidade dos franceses, só externei que que não vejo conflito entre a compra do Rafale com o desenvolvimento do PAK.

konner

[” (…) considero a França como um bom parceiro nessa area. — andre em 09 set, 2008 às 19:40 (…) “] Não estou me opondo a sua opinião, só estou buscando mais dados para entende-la: — Com base em que esperiencia anterior ?? [ Que eu tenha conhecimento, nunca desenvolvemos progetos de tal envergadura com a França. — A França não está propondo o desenvolvimento conjunto de um caça de quinta geração. A proposta é de transferencia de tecnologia e linha de montagem no Brasil de um caça de quarta geração. ] — Nunca desenvolvemos progetos de tal envergadura com… Read more »

König

O eu não lembro, mas isso eu escutei de um amigo que que segundo ele havia lido no orkut.
Mas deve ser apenas um esboço longe de ficar operacional.

Agora 2015 quem estipulou foram os russos eu pessoalmente acredito que estara la pra 2017/2018.
Saudações

konner

Também tenho a informação de que o primeiro vôo do protótipo deve ocorrer, no máximo, até 2012 e sua entrada em serviço, deve ocorrer até 2018. [só não me recordo a fonte]

König

Konner esse seria o cronograma original mas houve atrasos com os motores e outros sistemas que acabou passando para 2015 mas se fomos levar em conta que o F-22 levou um bom tempo tambe para ficar pronto.
Saudações

konner

Concordo König.

Obrigado por atualizar minha informação.

Leo

Acho que se pode fazer muitas críticas ao russos, mas há algo que eu não considero correto. Não se pode dizer que eles não transferem tecnologia. Se há um país que de fato transfere tecnologia sensível, é a Rússia. Os indianos são os primeiros a reconhecerem isto…

A França jamais transferiu nada a ninguém…

Leo

Leo

CAmberiu,

O próprios russos dizem que o Mig-29 foi inspirado no Su-27. Havia uma grande controvérsia entre as duas empresas sobre o assunto.

A questão da inspiração é de mão-dupla. A versão VStol to F-35 teve todo o seu sistema de vetoramento de empuxo projetado por engenheiros da Yakovlev. Se não me falha a memória a LM comprou os direitos de uso…

Leo

João-Curitiba

Senhores. Desculpem as perguntas que farei, mas como sou leigo, gostaria que alguém pudesse respondê-las. 1) Por que a construção da Corveta Barroso está levando 14 anos? 2) Por que a construção do nosso sub nuclear está parada? 3) Por que nossa participação na Estação Espacial Internacional não evolui? E olha que são apenas uns 300 milhões de dólares. 4) O que já foi feito em Alcântara após a explosão? 5) A Rússia aceitaria a parceria da Embraer no caça de 5a. geração sabendo que a Dassault tem participação na empresa? 6) Por que nossos meios de defesa estão sucateados?… Read more »

Reportagens especiais

Viggen, I’m your son!

Quando os primeiros caças Saab Viggen começaram a ser entregues à Força Aérea Sueca em 1971, já se pensava...
- Advertisement -
- Advertisement -