Home Tecnologia A Boeing briga pelo Programa FX-2 da FAB com seu Super Hornet

A Boeing briga pelo Programa FX-2 da FAB com seu Super Hornet

424
109

A Boeing Company entregou uma proposta detalhada no dia 30 de Julho, oferecendo o caça avançado F/A-18E/F Super Hornet à Força Aérea Brasileira, dentro do Programa FX-2. “O interesse internacional no caça Super Hornet que foi provado em combate continua a crescer, e a Boeing está honrada pelo Brasil considerar o F/A-18 para atender as suas necessidades de defesa à médio prazo,” afirmou Bob Gower, vice-presidente dos programas F/A-18 e EA-18 da Boeing Integrated Defense Systems.
A Boeing recebeu um Request for Information (RFI) do governo brasileiro no dia 12 de Junho. O requisito inicial é para 36 aviões, com um potencial para até 120 aviões.
A variante do Super Hornet que a Boeing está oferecendo ao Brasil é baseada no F/A-18E/F Block II , modelo atualmente operado pela U.S. Navy e também em produção para Royal Australian Air Force (RAAF). Tecnologias avançadas – tais como o radar Active Electronically Scanned Array (AESA) Raytheon APG-79 – e a comprovada confiabilidade do avião, estão atraindo a atenção e interesse internacional no avião, como uma solução de custo-eficácia efetiva em operações de defesa aérea.
“O Super Hornet que nós estamos propondo ao Brasil está equipado com tecnologias de ponta, um caça multimissão que está pronto hoje,” afirmou Gower. “Com os avanços do Block II, as cacidades de combate do Super Hornet continuam a crescer, oferecendo uma ampla gama de soluções multimissão a um custo razoável.”
A Boeing já forneceu mais de 360 Super Hornet à US Navy. A Austrália também encomendou 24 F/A-18F Super Hornet para complementar sua frota de F/A-18 Hornet. A Boeing está em discussões com vários outros potenciais clientes interessados em adquirir o caça.

O programa FX-2 da FAB é uma nova tentativa de reaparelhamento da Aeronáutica, através da abertura de uma concorrência de US$2,2 bilhões para a compra de até 36 aviões de caça novos. No momento, os interessados em disputar a concorrência são a russa Sukhoi, a americana Boeing, a francesa Dassault Aviation, e a anglo-sueca Gripen.
O F/A-18, oferecido pela Boeing, é orçado em US$56 milhões a unidade, preço este do modelo mais avançado, utilizado pela US Navy.

109
Deixe um comentário

avatar
109 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
38 Comment authors
Lucas Cromwell FilhoFábio Wangler SaezMarcos Stenderdouglasluiz eduardo Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Paulo Costa
Visitante
Paulo Costa

Muito bom caça,com radar aesa,pelo preço deve ser sem armamento,
ou vai ser montado pela Embraer.

Paulo Costa
Visitante
Paulo Costa

Muito bom caça,com radar aesa,pelo preço deve ser sem armamento,
ou vai ser montado pela Embraer.

andre
Visitante
andre

Vantagens ele tem de sobra, pois ja foram fabricados mais de 600superhornet, pra USNAVY, o que sera certo no futuro é um baixo custo de manutenção, em relação a outros modelos concorrentes no FX.

andre
Visitante
andre

Vantagens ele tem de sobra, pois ja foram fabricados mais de 600superhornet, pra USNAVY, o que sera certo no futuro é um baixo custo de manutenção, em relação a outros modelos concorrentes no FX.

Raimundo
Visitante
Raimundo

Vejam só essa notícia de ontem do Jornal O Estado de São Paulo: ======================================================= Uma proposta “muito tentadora” do Tio Sam para o Brasil ======================================================= “Para vender caças, Boeing aceita repassar tecnologia” Tânia Monteiro Com discurso mais agressivo e se comprometendo a vencer as barreiras americanas que restringem a transferência de tecnologia, a Boeing Company apresentou à Força Aérea Brasileira (FAB), no último dia 30, a proposta de venda de 20 a 36 caças F/A-18E/F Super Hornet, para o programa FX-2 de substituição dos atuais supersônicos brasileiros destinados a missões de superioridade aérea. “Houve uma evolução nas negociações. O governo… Read more »

Raimundo
Visitante
Raimundo

Vejam só essa notícia de ontem do Jornal O Estado de São Paulo: ======================================================= Uma proposta “muito tentadora” do Tio Sam para o Brasil ======================================================= “Para vender caças, Boeing aceita repassar tecnologia” Tânia Monteiro Com discurso mais agressivo e se comprometendo a vencer as barreiras americanas que restringem a transferência de tecnologia, a Boeing Company apresentou à Força Aérea Brasileira (FAB), no último dia 30, a proposta de venda de 20 a 36 caças F/A-18E/F Super Hornet, para o programa FX-2 de substituição dos atuais supersônicos brasileiros destinados a missões de superioridade aérea. “Houve uma evolução nas negociações. O governo… Read more »

Baschera
Visitante
Baschera

André, Na verdade, o F/A-18E/F Block II Super Hornet começou à ser entregue à UsNavy há pouco tempo. Estima-se em aproximadamente 350 unidades, o que já é muito. Não confundir com o F/A-18 A/B/C/D Hornet. Paulo Costa, Referente ao preço do SH, o próprio CEO da Boeing Mr.Gower, responde: “Setenta milhões de dólares? Só se for em preços de 1991” (e não Us$56 mi), a fonte é o colega forista Pepê do BM, durante entrevista ao mesmo em Brasília, dia 18 de agosto. Quando perguntado, então, quanto seria o seu valor, o mesmo respondeu “não vou comentar o preço do… Read more »

Baschera
Visitante
Baschera

André, Na verdade, o F/A-18E/F Block II Super Hornet começou à ser entregue à UsNavy há pouco tempo. Estima-se em aproximadamente 350 unidades, o que já é muito. Não confundir com o F/A-18 A/B/C/D Hornet. Paulo Costa, Referente ao preço do SH, o próprio CEO da Boeing Mr.Gower, responde: “Setenta milhões de dólares? Só se for em preços de 1991” (e não Us$56 mi), a fonte é o colega forista Pepê do BM, durante entrevista ao mesmo em Brasília, dia 18 de agosto. Quando perguntado, então, quanto seria o seu valor, o mesmo respondeu “não vou comentar o preço do… Read more »

Douglas
Visitante
Douglas

bom concorrente. Melhor que todos os outros exceto o F 35. Pergunto o que pretende a FAB de posse do codigo fonte do Rafale, provavel vencedor? Contratar a Embraer fabricar meia duzia de “Rafale 2” ao custo de 10 F 22? e obsoleto se comparado a F 22 F 35 Eurofighter e PAK 50? Lembro-me dos “F 32” italianos, os nossos AMX que em determinado momento chegaram a custar o dobro do F 16. Moral da história… estamos ai com os AMX obsoletos sendo comidos pela ferrugem enquanto o F 16 está na sua variante D block 60. Porque? proque… Read more »

Douglas
Visitante
Douglas

bom concorrente. Melhor que todos os outros exceto o F 35. Pergunto o que pretende a FAB de posse do codigo fonte do Rafale, provavel vencedor? Contratar a Embraer fabricar meia duzia de “Rafale 2” ao custo de 10 F 22? e obsoleto se comparado a F 22 F 35 Eurofighter e PAK 50? Lembro-me dos “F 32” italianos, os nossos AMX que em determinado momento chegaram a custar o dobro do F 16. Moral da história… estamos ai com os AMX obsoletos sendo comidos pela ferrugem enquanto o F 16 está na sua variante D block 60. Porque? proque… Read more »

Douglas
Visitante
Douglas

Tipico dos vira latas latino americanos. Peço desculpas pelo uso dos bordoes privativos da esquerda que frequenta essas bandas.

Douglas
Visitante
Douglas

Tipico dos vira latas latino americanos. Peço desculpas pelo uso dos bordoes privativos da esquerda que frequenta essas bandas.

Meirelles
Visitante
Meirelles

Acho pouco provável que ele venha ser escolhido.Primeiro e óbvio que eles não vão transferir tecnologia.Segundo,mesmo que ele seja o escolhido e vier sem tranferência mesmo(por pressão do EUA) acho difícil eles venham com radar AESA juntamente com os AIM-120 AMRAAM,ficarão lá estocados e eles só liberarão quando eles acharem mais coveniente,ou seja,só poderíamos usar quando os americanos quiserem.O recente conflito da Rússia\Geórgia só serviu pra mostrar ainda mais que os russos não são lá tão confiáveis e se não houver total transferência,o futuro do Su-35 aqui poderá ser incerto.Restam o Rafale e o Gripen,um tem o problema do super-cruzeiro… Read more »

Meirelles
Visitante
Meirelles

Acho pouco provável que ele venha ser escolhido.Primeiro e óbvio que eles não vão transferir tecnologia.Segundo,mesmo que ele seja o escolhido e vier sem tranferência mesmo(por pressão do EUA) acho difícil eles venham com radar AESA juntamente com os AIM-120 AMRAAM,ficarão lá estocados e eles só liberarão quando eles acharem mais coveniente,ou seja,só poderíamos usar quando os americanos quiserem.O recente conflito da Rússia\Geórgia só serviu pra mostrar ainda mais que os russos não são lá tão confiáveis e se não houver total transferência,o futuro do Su-35 aqui poderá ser incerto.Restam o Rafale e o Gripen,um tem o problema do super-cruzeiro… Read more »

pablo
Visitante
pablo

Pessoal, com certeza tem algo de estranho nessa oferta.
Qnd o Chil e comprou o F16, foi prometido um missil(nao lembro o nome), pois bem, o Chile comprou o aviao e o Tio Sam disse que os misseis ficariam la nos EUS e nao no Chile…
agora o tio sam vem com esse balela de transferencia de tecnologia, de armamentos top, radares top…
espero que a FAB escolha o Rafale…

pablo
Visitante
pablo

Pessoal, com certeza tem algo de estranho nessa oferta.
Qnd o Chil e comprou o F16, foi prometido um missil(nao lembro o nome), pois bem, o Chile comprou o aviao e o Tio Sam disse que os misseis ficariam la nos EUS e nao no Chile…
agora o tio sam vem com esse balela de transferencia de tecnologia, de armamentos top, radares top…
espero que a FAB escolha o Rafale…

Voluntário da Pátria
Visitante
Voluntário da Pátria

Que venham os SUPER HORNET como CAÇA DE DEFESA AÉREA!! Apesar que vamos precisar de pilotos excelentemente treinados, nivel EUA e ISRAEL, e suas armas, para dar conta da “vizinhaça” FLANKER, já que mesmo os F-18 E parecem inferiores aos SUKHOI. A Boeing tem participação no F-35? Bom é ver no texto expressões como “…A MÉDIO PRAZO” ou “…que está PRONTO HOJE” (??!!).

Voluntário da Pátria
Visitante
Voluntário da Pátria

Que venham os SUPER HORNET como CAÇA DE DEFESA AÉREA!! Apesar que vamos precisar de pilotos excelentemente treinados, nivel EUA e ISRAEL, e suas armas, para dar conta da “vizinhaça” FLANKER, já que mesmo os F-18 E parecem inferiores aos SUKHOI. A Boeing tem participação no F-35? Bom é ver no texto expressões como “…A MÉDIO PRAZO” ou “…que está PRONTO HOJE” (??!!).

Direto do Céu Azul
Visitante
Direto do Céu Azul

Senhores, leiam a entrevista EXCLUSIVA com o Vice Presidente para a linha F-18 da Boeing na ALIDE.
O Super Hornet ganha força. muita força no FX-2.

http://www.alide.com.br/noticias/boeing03/index.htm

Direto do Céu Azul
Visitante
Direto do Céu Azul

Senhores, leiam a entrevista EXCLUSIVA com o Vice Presidente para a linha F-18 da Boeing na ALIDE.
O Super Hornet ganha força. muita força no FX-2.

http://www.alide.com.br/noticias/boeing03/index.htm

Robson
Visitante
Robson

Como foi publicado no defesanet com os F-5 tivemos mais vitórias que derrotas contra os F-15/16 da USAF, então com qualquer caça do FX-2 a “vizinhança” vai ficar sob controle, só temos de levar em conta que p/ Red Flag o PAMPA treinou duro, se fosse possivel $$$$ o ideal é ter sempre o esquadrão no nível em que se encontra agora.

Robson
Visitante
Robson

Como foi publicado no defesanet com os F-5 tivemos mais vitórias que derrotas contra os F-15/16 da USAF, então com qualquer caça do FX-2 a “vizinhança” vai ficar sob controle, só temos de levar em conta que p/ Red Flag o PAMPA treinou duro, se fosse possivel $$$$ o ideal é ter sempre o esquadrão no nível em que se encontra agora.

daniel
Visitante
daniel

Os Americanos sempre prometem mas na hora de cumprir já é outra historia, vejam a Venezuela com os F-16.

e se lembrem do diplomata americano exigindo a nao utilizacao dos navios de origem americana na crise da lagosta.

sem duvida o melhor aviao para o brasil é o russo, o problema é a manutençao, mas temos a Embraer, o frances ainda nao deslanchou nem na frança, nao ganhou nenhuma concorrencia internacional.

daniel
Visitante
daniel

Os Americanos sempre prometem mas na hora de cumprir já é outra historia, vejam a Venezuela com os F-16.

e se lembrem do diplomata americano exigindo a nao utilizacao dos navios de origem americana na crise da lagosta.

sem duvida o melhor aviao para o brasil é o russo, o problema é a manutençao, mas temos a Embraer, o frances ainda nao deslanchou nem na frança, nao ganhou nenhuma concorrencia internacional.

Igor
Visitante
Igor

T-50, pacote completo!

Igor
Visitante
Igor

T-50, pacote completo!

Nunão
Visitante
Nunão

Boa entrevista da Alide, Direto do Balde Voador, aham, quer dizer, Direto do Céu Azul. Tava sentindo falta de notícias e entrevistas frescas no site. Saudações.

Nunão
Visitante
Nunão

Boa entrevista da Alide, Direto do Balde Voador, aham, quer dizer, Direto do Céu Azul. Tava sentindo falta de notícias e entrevistas frescas no site. Saudações.

Paulo Costa
Visitante
Paulo Costa

As vezes acho este FX-2 um jogo de xadrez,em que não temos todas as peças,pois é confidencial.Sendo assim somos levados pelas novidades,
que aparecem a cada dia,sem sabermos o caminho que será tomado.
Tipico de situações que envolvem segurança e defesa.
Acredito que devido às situações acontecidas nestes ultimos meses,
lá e cá,temos novos pesos na balança da decisão a ser tomada.

Paulo Costa
Visitante
Paulo Costa

As vezes acho este FX-2 um jogo de xadrez,em que não temos todas as peças,pois é confidencial.Sendo assim somos levados pelas novidades,
que aparecem a cada dia,sem sabermos o caminho que será tomado.
Tipico de situações que envolvem segurança e defesa.
Acredito que devido às situações acontecidas nestes ultimos meses,
lá e cá,temos novos pesos na balança da decisão a ser tomada.

Tomcat
Visitante
Tomcat

Mauro e Meirelles, concordo com vocês que o SU-35 seria o ideal e que deveremos ficar com o Rafale. Também acho que, ficando FAB com o Rafale, a Marinha também deveria adquirí-lo; porém o A-12 não daria conta por causa da capacidade das catapultas e dos elevadores. Isso significaria um novo PA. Se mal conseguimos botar o Opalão para rodar, o que faríamos? Disponibilidade de PA atualmente, só o Kitty Hawk, que a Índia já está namorando. Supondo que o adquiríssemos, por conta da idade e necessárias reformas (demandando meses ou anos parado), teríamos a natural evolução para “Omegão” (não… Read more »

Tomcat
Visitante
Tomcat

Mauro e Meirelles, concordo com vocês que o SU-35 seria o ideal e que deveremos ficar com o Rafale. Também acho que, ficando FAB com o Rafale, a Marinha também deveria adquirí-lo; porém o A-12 não daria conta por causa da capacidade das catapultas e dos elevadores. Isso significaria um novo PA. Se mal conseguimos botar o Opalão para rodar, o que faríamos? Disponibilidade de PA atualmente, só o Kitty Hawk, que a Índia já está namorando. Supondo que o adquiríssemos, por conta da idade e necessárias reformas (demandando meses ou anos parado), teríamos a natural evolução para “Omegão” (não… Read more »

Henrique
Visitante
Henrique

Acho os EUA repassariam tecnologia sufciente para o Brasil comprá-lo, se não me engano, um projeto muito velho, da época dos F-5 foi cogitado vende-lo ao Brasil, na época. O fato é: se escolhido, quando o Brasil começar a operá-lo os EUA já estarão os desativando e substituindo pelos F-35 Não desperecendo os F-18, mas apesar de ser um avião com os defeitos corrigidos e pronto pra batalha, o projeto é velho. Particularmente prefiro o Rafale, pela logística, parceria Embraer/Dassaut e, ser possível adaptá-lo ao A-12.

Henrique
Visitante
Henrique

Acho os EUA repassariam tecnologia sufciente para o Brasil comprá-lo, se não me engano, um projeto muito velho, da época dos F-5 foi cogitado vende-lo ao Brasil, na época. O fato é: se escolhido, quando o Brasil começar a operá-lo os EUA já estarão os desativando e substituindo pelos F-35 Não desperecendo os F-18, mas apesar de ser um avião com os defeitos corrigidos e pronto pra batalha, o projeto é velho. Particularmente prefiro o Rafale, pela logística, parceria Embraer/Dassaut e, ser possível adaptá-lo ao A-12.

Adler Medrado
Visitante

“O requisito inicial é para 36 aviões, com um potencial para até 120 aviões.”

É, se ele for escolhido, vão comprar uns 10 no máximo.

Adler Medrado
Visitante

“O requisito inicial é para 36 aviões, com um potencial para até 120 aviões.”

É, se ele for escolhido, vão comprar uns 10 no máximo.

Helder
Visitante
Helder

O Hornet é sem dúvida uma excelente plataforma para os dias de hoje e para os próximos 10-15 anos. Seria ideal que a FAB já os tivesse hoje. Mas, hoje. Porém, ele é uma plataforma para o hoje, e que já está a caminho de ser substituído. Ele já tem hoje concorrentes que o superam. Este tipo de negociação é muito comum, foi assim com os Phantons, com os Fighting Falcon, etc. O que quero dizer é que agora que o caça já não é mais tão de ponta, dento em vista que ele permanecerá na FAB pelos próximos 30-40… Read more »

Helder
Visitante
Helder

O Hornet é sem dúvida uma excelente plataforma para os dias de hoje e para os próximos 10-15 anos. Seria ideal que a FAB já os tivesse hoje. Mas, hoje. Porém, ele é uma plataforma para o hoje, e que já está a caminho de ser substituído. Ele já tem hoje concorrentes que o superam. Este tipo de negociação é muito comum, foi assim com os Phantons, com os Fighting Falcon, etc. O que quero dizer é que agora que o caça já não é mais tão de ponta, dento em vista que ele permanecerá na FAB pelos próximos 30-40… Read more »

Helder
Visitante
Helder

Parece que está piorando.
Onde se lê embarco, leia-se EMBARGO.

HELDER.

Helder
Visitante
Helder

Parece que está piorando.
Onde se lê embarco, leia-se EMBARGO.

HELDER.

Voluntário da Pátria
Visitante
Voluntário da Pátria

Não quis dizer que nosso pilotos e demais militares não sejam ca pacitados e profissionais, quis dizer que necessitam de horas voadas em treinamento tanto quanto as Forças Aéreas de 1ª linha.

Voluntário da Pátria
Visitante
Voluntário da Pátria

Não quis dizer que nosso pilotos e demais militares não sejam ca pacitados e profissionais, quis dizer que necessitam de horas voadas em treinamento tanto quanto as Forças Aéreas de 1ª linha.

Raimundo
Visitante
Raimundo

Acho que procurar parcerias múltiplas na área de defesa e armamentos é o ideal (França, Reino Unido, Alemanha, EUA, Suécia, África do Sul, etc). Quanto à questão do embargo citado acima deve-se levar em consideração o seguinte: se o BRasil se aliar só à França, no caso de se envolver num conflito armado contra um aliado da França, os prováveis mísseis(exocet), submarinos(Scorpene) e caças (Rafale) franceses poderiam não funcionar adequadamente. Mas mesmo assim acho que essa questão não é tão relevante assim, pois, se algum dia, o Brasil se envolver em um confronto armado com outro país, e esse país… Read more »

Raimundo
Visitante
Raimundo

Acho que procurar parcerias múltiplas na área de defesa e armamentos é o ideal (França, Reino Unido, Alemanha, EUA, Suécia, África do Sul, etc). Quanto à questão do embargo citado acima deve-se levar em consideração o seguinte: se o BRasil se aliar só à França, no caso de se envolver num conflito armado contra um aliado da França, os prováveis mísseis(exocet), submarinos(Scorpene) e caças (Rafale) franceses poderiam não funcionar adequadamente. Mas mesmo assim acho que essa questão não é tão relevante assim, pois, se algum dia, o Brasil se envolver em um confronto armado com outro país, e esse país… Read more »

Raimundo
Visitante
Raimundo

Só para complementar o último comentário:
—————————————————-
Deve-se ressaltar que os países-membros da OTAN são muito unidos e coesos: ATÉ HOJE, PELO QUE SEI, NENHUM PAÍS MEMBRO DA OTAN DEIXOU OUTRO PAÍS MEMBRO DA OTAN DESAMPARADO E SEM AJUDA! ISSO É O FATO MAIS RELEVANTE A SER CONSIDERADO!
—————————————————-
Então, basta o BRasil não importunar a OTAN que tudo ficará bem com o Brasil.

Raimundo
Visitante
Raimundo

Só para complementar o último comentário:
—————————————————-
Deve-se ressaltar que os países-membros da OTAN são muito unidos e coesos: ATÉ HOJE, PELO QUE SEI, NENHUM PAÍS MEMBRO DA OTAN DEIXOU OUTRO PAÍS MEMBRO DA OTAN DESAMPARADO E SEM AJUDA! ISSO É O FATO MAIS RELEVANTE A SER CONSIDERADO!
—————————————————-
Então, basta o BRasil não importunar a OTAN que tudo ficará bem com o Brasil.

Jose Luis
Visitante
Jose Luis

É possível confiar nos USA. Sempre consideraram o Brasil um parceiro de 2a.categoria, bloqueiam o nosso crescimento econômico e tecnológico de todas as formas possíveis.O brasil precisa acreditar no seu potencial humano e no seu parque industrial,pois se somente comprarmos hoje um caça moderno, daqui a um ou dois anos ele já estará desatualizado e aí, serão mais bilhões jogados fora e enquanto isso a nossa Avibrás vai quebrando…

Jose Luis
Visitante
Jose Luis

É possível confiar nos USA. Sempre consideraram o Brasil um parceiro de 2a.categoria, bloqueiam o nosso crescimento econômico e tecnológico de todas as formas possíveis.O brasil precisa acreditar no seu potencial humano e no seu parque industrial,pois se somente comprarmos hoje um caça moderno, daqui a um ou dois anos ele já estará desatualizado e aí, serão mais bilhões jogados fora e enquanto isso a nossa Avibrás vai quebrando…

Raimundo
Visitante
Raimundo

Gostaria de complementar meu último comentário com dois assuntos: [1] Vale ressaltar que os países-membros da OTAN são muito unidos e coesos: ATÉ HOJE, PELO QUE SEI, NENHUM PAÍS MEMBRO DA OTAN DEIXOU OUTRO PAÍS MEMBRO DA OTAN DESAMPARADO E SEM AJUDA NO CASO DE UM CONFLITO ARMADO! ASSIM, SE O BRASIL NUNCA SE ENVOLVEU EM CONFLITO ARMADO CONTRA UM MEMBRO DA OTAN, NÃO HÁ O QUE TEMER! [2] Foi citado em outros comentário o posicionamento dos EUA, França e Reino Unido em duas ocasiões: Guerra das Malvinas e “Guerra da Lagosta”. Acho muito simples compreender a postura conjunta desses… Read more »

Raimundo
Visitante
Raimundo

Gostaria de complementar meu último comentário com dois assuntos: [1] Vale ressaltar que os países-membros da OTAN são muito unidos e coesos: ATÉ HOJE, PELO QUE SEI, NENHUM PAÍS MEMBRO DA OTAN DEIXOU OUTRO PAÍS MEMBRO DA OTAN DESAMPARADO E SEM AJUDA NO CASO DE UM CONFLITO ARMADO! ASSIM, SE O BRASIL NUNCA SE ENVOLVEU EM CONFLITO ARMADO CONTRA UM MEMBRO DA OTAN, NÃO HÁ O QUE TEMER! [2] Foi citado em outros comentário o posicionamento dos EUA, França e Reino Unido em duas ocasiões: Guerra das Malvinas e “Guerra da Lagosta”. Acho muito simples compreender a postura conjunta desses… Read more »