Home Aviação de Ataque Pentágono interrompe recebimento de caças F-35 por causa de disputa de custo...

Pentágono interrompe recebimento de caças F-35 por causa de disputa de custo de conserto

13884
60

WASHINGTON (Reuters) – O Departamento de Defesa dos EUA parou de aceitar a maioria das entregas de caças F-35 da Lockheed Martin por causa de uma disputa sobre quem cobrirá os custos de conserto de um erro de produção encontrado no ano passado em mais de 200 aviões furtivos, disseram três pessoas familiarizadas com o assunto.

No ano passado, o Pentágono parou de aceitar os F-35 por 30 dias depois de descobrir a corrosão, onde os painéis externos de fibra de carbono dos aviões estavam presos à estrutura da aeronave. Uma vez que uma correção foi planejada, as entregas foram retomadas, e a Lockheed atingiu seus números de entrega de aeronaves para 2017.

As entregas foram interrompidas novamente devido a uma disputa sobre quem pagará o que provavelmente será uma solução logística complexa que pode exigir que os técnicos viajem muito para reparar aeronaves em todo o mundo, disseram as pessoas, que falaram sob condição de anonimato porque não estão autorizadas a falar publicamente sobre o assunto.

Quando o Pentágono deixa de receber os caças F-35, os clientes estrangeiros também podem ser afetados. Até agora, pelo menos dois governos estrangeiros pararam de aceitar os F-35 como resultado dessa questão, disseram duas fontes.

O Pentágono não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.

Um porta-voz da Lockheed disse na quarta-feira: “A produção do programa F-35 continua e estamos confiantes de que atingiremos nossa meta de entrega de 91 aeronaves para 2018. Enquanto todo o trabalho em nossas fábricas continua ativo, o Escritório do Programa Conjunto F-35 temporariamente suspendeu a aceitação de aeronaves até chegarmos a um acordo sobre uma questão contratual e esperamos que isso seja resolvido em breve”.

Não ficou claro quando a suspensão das entregas começou.

As ações da Lockheed apagaram um ganho de 2,7 por cento no dia seguinte às notícias, e estavam sendo negociadas normalmente às a 3:32 pm.

A pausa de entregas é o mais recente de vários problemas de produção que surgiram no programa de armas mais caro do Pentágono, e chega em um momento em que a administração do presidente Donald Trump criticou o custo do caça.

Em 2016, uma correção para problemas de isolamento nos tanques e linhas de combustível dos jatos causou uma desaceleração nas entregas.

Dois jatos foram recebidos pelo Pentágono apesar da suspensão devido a necessidades específicas no campo, disse uma das pessoas.

Durante a manutenção de rotina na Base Aérea de Hill, em Utah, no ano passado, a Força Aérea detectou “corrosão excedendo os limites técnicos”, onde o painel externo de fibra de carbono é preso à estrutura de alumínio. A falta de revestimento protetor no ponto de fixação que teria evitado a corrosão foi identificada como o principal problema, disse o Pentágono na época.

FONTE: Reuters

Leia mais sobre o F-35

Caça F-35 conclui programa de teste de voo mais abrangente na história da aviação
F-35: ainda sem linha de chegada à vista
Militares russos conhecem o caça F-35 em base na Noruega

 

60 COMMENTS

  1. Até agora eu não consigo ver um justificativa plausível para a USAF ter toda a sua frota de aviões de combate de aeronaves stealth. Com tantos problemas nesse projeto, eu duvido muito que a USAF vai realmente adquirir 2400 unidades desse vetores.

  2. Mais não disseram que era impossível isso acontecer???

    Acho essa a ação correta, enquanto não se discutir como fica o ajuste das pendências nós caças antigos e não se corrija as pendências nós caças novos não se pode aceitar mais caças é o mínimo esperado por um país sério como os EUA.

    • Olá Poggio.
      Evento para lá de previsível. As notícias sobres os custos de manutenção corroboram isso.
      Por mais que se queira achar “normal” dais percalços no processo de desenvolvimento da aeronave, há muito que se vê que o aparelho é problemático de manter.
      SDS.

  3. Tem duas coisas que eu admiro nos americanos: o humor ácido e, normalmente, a capacidade de dizer na lata o que pensam ou o que querem.

  4. Li outro dia num blog estrangeiro que não me recordo agora o nome, que o pentágono tem como meta conseguir que os custos de manutenção do F35 se equiparem aos custos dos caças de 4a geração.

    Para conseguirem essa façanha vão ter que fazer 2 + 2 ser igual a 3 !

  5. A conta de manutenção tem ser paga pela Lockheed. Mas o F-35 possui tantos componentes e processos terceirizados, que gerenciar controles de qualidade chega a ser uma tarefa monstruosa.

    Mas o Pentágono está mais que certo.

  6. Da USAF eu não tenho pena, mas tenho dó dos países que compraram essa bomba voadora. Vão ter que cortar a munição de fuzil para pagar os custos para operar o F-35.
    Quem ainda não assinou o contrato ainda da tempo para desistir e quem assinou pode reduzir a compra.

    • E o pior. Vão ficar no hangar pegando pó por falta de uso. Dinheiro jogado fora. Bem fez a Alemanha que bloqueou a compra disso.

      • Não acho que a Alemanha não compre, acho que tão esperando o F-35 ficar pronto, ter custos de aquisição/manutenção estabilizados pra daí analisar a compra.

  7. A novela sobre esse avião só vai acabar quando a sexta geração de caças se tornar realidade. Até a aposentadoria do último F-35 serão detectados problemas, por mais simples que estes possam ser, desde trincas nas asas a insetos colados no para-brisas.

    • Sexta geração será não tripulado. Ataques combinados desses aviões não tripulados com alguns tripulados para avaliar e melhorar a consciência situacional.

    • Não porque não existia o F35, a Rússia não tem o expertise para construir um caça com o poder computacional e preparado para tudo.

      Lógico que esqueci de mensionar o medinho de Relâmpago do F35.

      Tirando o Sargasmo os russos não colocariam os ovos em na única sexta e provavelmente não iriam querer um jato faz tudo como o F35, eles tem uma mentalidade diferente para os mesmos problemas enfrentados pelos americanos.

      • Mano!!!
        O que você está falando?
        Os Russos sempre fizeram e tiveram as melhores aeronaves pelo menor custo…
        Sem falar no maior poderio atômico do planeta 🌏… Os F 35, F16 e caças em geral dos EUA 🇺🇸 além de serem cheios de bugs e problemas não se quer passam perto dos SUKOI’s… O SU 27 já fez os EUA parecerem piadas aéreas, quanto mais os SU 35, 37, 47 e 50 è ainda tem os T’s, tanques e toda uma frota, sem falar na Tsar Bomb, Satan 2 e etc… Quem é os EUA perto das forças da Rússia mesmo?

  8. Acho que se fizer um compilado de todas as materias de aviação ja publicadas na historia da imprensa mundial ,o F-35 com certeza encabeça a lista …Eita aviaozinho para sair na midia

    • Esse programa da motivos de sobra para sair notícias dele na mídia, se as entregas estivessem ocorrendo normalmente como planejado, duvido muito que saísse alguma matéria sobre o F-35 na mídia

    • Esse programa esta cheio de erros primários, realmente não da para acreditar, e o pior é que acontece um atrás do outro, a cada dia que passa eles se superam

  9. O que eu acho impressionante é a Lockheed pinta e borda e nada de prejuízo para ela. Êta contratinho bom danado! Até as ações sobem quando dá problema na produção!!!

  10. Vamos no básico do básico. Se por exemplo, eu comprar uma geladeira, e uma semana depois aparecer um problema de corrosão, vou pagar para consertar?
    Esse programa deveria ser ser suspenso e passar por uma revisão completa.

  11. A maior contribuição que esse projeto realizou para o Estados Unidos e seus aliados é a lição de como não se dever gerenciar um projeto.

    O video abaixo mostra a “evolução” de um outro projeto do Pentágono. Ao que parece o pessoal do alto escalão do Pentágono e os políticos dos EUA não aprenderam com a experiência de seus projetos fracassados.
    “https://www.youtube.com/watch?v=v17QVwRT56E”

    Vejam o vídeo e comparem com o caso do F-35. Qualquer semelhança não é mera coincidência.

  12. Com esse exemplo, me pergunto por que o Brasil não para de receber a Kombi do Juarez até sanarem o problema? Essa situação do Caracal está cruel…

  13. A Impressão que eu tenho desde programa do F-35 é que deram bastante atenção as capacidades digamos assim da aviônica e software inovadoras da aeronave e não tanto as capacidades da máquina em si, quando vemos por exemplo que a Razão de curva instantânea vs Razão de curva sustentada do F35 é a pior entre os caças modernos (e não é pouco não é bem abaixo mesmo) não sei se este avião pode ser chamado de caça…. Apesar de multirole pra min é um avião mesmo de de ataque, com alguma capacidade de caça.

    Ai dito isso vemos uma notícia dessa de problema de corrosão de painel, isso dava no opala 79 do meu tio que morava em Santos, devido a maresia…. Cara parece coisa de amador essa lockheed martin desaprendeu de fazer avião ! Meu comentário não é de depreciação ao avião pelo contrário, quem me dera o Brasil ter esta capacidade ou poder ter este avião para a FAB, mais essa falha ao meu ver é imperdoável e se eu fosse o comprador de um Mustang 2017 novinho ia devolver pra fábrica se meu carro viesse com o mesmo problemas do opala 79 do meu tio de Santos.

  14. Ao menos que seu país esteja do lado da Rússia(Finlândia por ex) ou do lado de uma Coreia do norte(Japão e Coreia do sul) não vejo porque comprar várias unidades do F35.
    Países como Israel, Coreia, Japão, Turquia, Noruega e EUA dá para entender o número de pedidos.

    Eu iria de F18, Rafale, Eurofighter, Gripen,F16,F15 até os problemas do F35 sejam resolvidos.
    A verdade é que aviões 4.5++ ainda vão ficar boas décadas no ar carregando o piano.

  15. Também sou a favor de que EUA tenham um outro caça de Superioridade Aérea, geração 4++, como o SU35. Falo de um projeto novo a ser desenvolvido e não somente fabricar novos F15SE, ou F18 atualizados, mas um novo vetor 4++ iniciado com projeto a partir do “zero”.

    Toda frota furtiva é muito arriscado, visto que as manutenções são muito dispendiosas, tirando a operacionalidade de combate, ou seja, prontidão. Além disso, os valores até agora são astronômicos.

    Num passado recente, apostaram tudo num F4 PHANTOM, mas o plano deu errado, os MIGs derrubavam aos montes, enquanto os F5 eram bem mais eficazes. Eles estão sem Plano B. Perigoso!

  16. A pouco tempo atrás passou um documentário sobre o Boeing 787 e de como quase ele levou a Boeing a falência, devido a complexidade e a grotesca quantidade de colaboradores envolvidos na fabricação de diversas partes do avião, chegou a um ponto que somente com a compra desses colaboradores a Boeing conseguiu finalizar o projeto, devido as partes/peças fabricadas não atenderam as especificações e qualidades e os problemas com logística…
    Não sei se o número de colaboradores do F35 é próximo ao que foi o do 787 mas se teve um fato que o projeto do 787 comprovou que quanto maior o número de colaboradores e países envolvidos em um projeto maior a chance de fracasso…

  17. Essa matéria apenas confirma uma tendência que já escrevi aqui: A produção do F-35 será suspensa entre a 400ª e a 600ª unidade, por simples incapacidade financeira de construir e manter uma frota de centenas de aeronaves furtivas.
    Notem que o Pentágono já está com um senhor problema: O número expressivo de F-22 precisando de atualizações caríssimas para atingir o padrão de combate ( dezenas de protótipos ) e lembrem-se que foram construídos apenas 179 no total !
    Vejo um paralelo com a década de 60, quando o novo interceptador da USAF da época, capaz de atingir mach 3 ( F-108 Rapier ) foi suspenso pelo seu custo altíssimo ( construção + operação + manutenção ) absolutamente inviável.
    E para quem gosta dos russos, vou lembrar que na época eles não fizeram nada diferente: O avançado e caríssimo SU-100 capaz de atingir mach 3 também foi cancelado ! Por que será heim ?
    Parece que ninguém aprende com os erros passados, vivem repetindo as trapalhadas.

    • So como uma observação complementar (concordando com tese principal 🙂 ) : Su-100 nunca existiu. O que estava “voando” chamava-se T-4 ou “Izdelie 100”.E ele nunca atingiu 2M. Menos ainda 3M e nem confirmou os outros “números” declarados (capacidades de peso, altitudes , etc). E , por ultimo , parou no 9o voo de teste porque o projeto XB-70 fechou.
      Mas sim. O valor era absurdo (quase 2 Bi dos Presidentes mortos em “papel picado” da época OU 200 Mi em ouro)! Falava-se que ele custava exatamente quanto pesava (em ouro , é claro).
      Um grande abraço!

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here