Home Aviação de Ataque Mais A-29 Super Tucano para o Chile

Mais A-29 Super Tucano para o Chile

6229
36

O Jane’s noticiou que a Embraer entregou dois novos aviões A-29B Super Tucano à Força Aérea do Chile (FACh) em meados de março, disseram altas fontes militares em Santiago.

Eles fazem parte de um pedido para seis Super Tucanos, que a Embraer anunciou pela primeira vez em outubro de 2017 sem desvendar a identidade do cliente.

Esse pedido soma-se a 12 A-29Bs, no valor de US$ 120 milhões, que o Chile encomendou em agosto de 2008 e recebeu entre 2009 e 2010.

O Grupo Aéreo 1 do Chile, localizado na Base da Força Aérea de Los Condores, em Iquique, no norte, usa as aeronaves como treinadores táticos e apoio aéreo aproximado para as brigadas blindadas do exército instaladas nos territórios do norte.

36 COMMENTS

    • Não existe pirotecnia! Projeto ótimo,aeronave bem sucedida, provada em combate e fácil de manter. Não sei o porquê de o Uruguai e Paraguai ainda almejarem adquirir aviões chineses tendo esta obra-prima ao seu alcance.

    • Consolidando a qualidade do vetor e da força que o opera.
      A FACh com muita coerência e sem alarde, vem mantendo a sua capacidade de combate mantendo a sua linha logística. Escolhe o melhor vetor do mercado pra esta função e aumenta a sua frota.

    • Também espero Coronel!!! Quanto a compra “digrátis”, além do Uruguai e Paraguai, tem também a Bolívia e quase “digrátis”a Argentina.ST4

    • Prezado Cel.
      O que é bom aguenta a prova do tempo.
      Quando o comprador é sério, o que determina a compra é a relação, custo, qualidade, benefício.

      • A Sua dificuldade de entendimento ficou notória na suas perguntas. E gostaria de saber de onde você
        tirou de uma afirmação uma teoria da conspiração. E o mais estranho é você não saber que quem quer vender não se importa com quais aeronaves os clientes operam. Seguindo sua lógica limitada os EUA não ofereceriam aeronaves para Índia.

    • Aqui, a Sierra Nevada só fabrica lá quando o cliente compra via FMS, ou seja, nada mais natural, afinal é o contribuinte americano que esta pagando o financiamento da venda em suaves prestações

      • A participação da Sierra Nevada é essencialmente na integração de sistemas visto que as fuselagens são construídas em Gavião Peixoto e montadas nas instalações da EMBRAER em Jacksonville. Ou seja, mesmo nas aeronaves vendidas via FMS a empresa brasileira ganha.

  1. Eu vi que tínhamos 99 super tucanos, mas 6 foram vendidos, alguns para esquadrilha da fumaça e deve ter tido algum perdido em acidente? Será que temos quantos hoje disponíveis?

    • RESPONDENDO MINHA PERGUNTA: Brasil – 99 aeronaves.[32] Dessas, 6 foram perdidas em acidentes, 7 transferidas para a esquadrilha da fumaça e 3 vendidas à Nigéria, restando 83 nas missões de combate e treinamento.

  2. AFGHAN AIR FORCE DROPS FIRST LASER-GUIDED BOMB ON TALIBAN IN FARAH
    http://www.safety.marines.mil/?videoid=591614
    http://www.youtube.com/watch?v=KLvDrHvO5Po
    KABUL, Afghanistan (March 27, 2018)
    On March 22, the Afghan Air Force tasked the A-29 squadron to destroy a Taliban compound in Farah. The Afghan attack pilots were equipped with both guided and unguided bombs, and elected to employ the GBU-58 laser-guided bomb to avoid collateral damage. The drop resulted in a direct hit along the route of a major Afghan National Army clearing operation, marking the first time the AAF dropped a laser-guided bomb in combat. The AAF used the laser-guided technology because of the target’s close proximity to civilians. The success comes just three months after the AAF completed training to employ a laser-guided bomb. AAF weapons personnel and crew chiefs loaded, armed, and launched the aircraft with minimal advisor input. “Key pieces that you’re seeing is that the Afghan Air Force itself, one of the more lethal organizations they have, and one that we’re looking to triple in size by 2023, is conducting significantly more air operations in direct support of the ANDSF on the battlefield, to the tune of 500 more sorties this year than they did the year before,” said U.S. Air Force Brig. Gen. Lance Bunch, director of future operations, Resolute Support, in a December 2017 press conference. Bunch also noted the Afghan forces conducted their combat operations through 2017 with the lowest level of support from the coalition forces in the 16-year war here, yet has seen some of the most success they’ve ever had. This laser-guided drop is just another chapter in the success story of the AAF. “The Afghan pilots have learned their trade during combat and our advisors have expanded their skills in a deliberate step by step approach increasing the Afghan Air Force capability and this recent laser-guided bomb strike is an example of the success of the AAF and TAAC-Air’s efforts,” said Brig Gen. Phillip A. Stewart, Train Advise, Assist Command-Air commander. “The Afghan pilots do their jobs very well and they can do it in any part of the country.” The AAF pilots who conducted the operation were from Kabul Air Wing’s Kandahar A-29 detachment. The AAF also assisted the ANA in destroying equipment the Taliban had stolen. The AAF gained the capability to conduct airstrikes just over tw0 years ago; first with the MD-530 attack helicopter in August 2015, followed by the A-29 Super Tucano in April 2016. Today, the AAF flies around 100 sorties each day, and around 10 percent are strikes. The ability to conduct laser-guided strikes is part of Resolute Support’s plan to develop a professional, capable, and sustainable AAF, giving the country a lethal advantage over the enemy. While the AAF has the ability to employ laser-guided munitions in combat, they won’t always use this technology. The AAF is able to successfully strike within ten meters of a target without laser guidance. “Most of the enemy targets in Afghanistan can be engaged effectively by the Afghan Air Force using non-precision 1,1eapons,” said Brig. Gen. Phillip A. Stewart, Train, Advise and Assist Command-Air commander. “The AAF has demonstrated again and again that their pilots, using the A-29 and the skills they have learned from our advisors and perfected through combat experience, that they can drop non-precision weapons within 10 meters of their targets. There are certain targets that require laser-guided bombs and the AAF has shown it can accomplish that task now as well.” The rapid gro1,1th and training of the AAF is expected to continue over the next six years. Currently, it is around 8,000 members strong, with 129 aircraft total. That will grow to a force of 11,000; the fleet is expected to triple in size as part of President Ghani’s Roadmap.

    • E nós, maior usuário da aeronaves, ainda não qualificamos as nossas e nossas tripulações para lançar bombas guiadas. Apesar de a precisão no modo CCIP ser muito boa (CEP de 8 metros).

  3. Se permitir os EUA vendem sim seus Wolverine para o Chile. Todos nós conhemos bem o Tio Sam, mas para alguns é proibido criticar o “benevolente e justíssimo” Tio Sam

    • Cara, qualquer país serio faria isso (pensar nos seus interesses e se suas empresa). agora faça um pequeno exercício e se coloque no lugar deles e pense. vc deixaria de vender um produto pra alguém pq outra empresa tem um produto parecido? que pensamento pequeno hein amigo.

  4. Nada muito diferente do que se espera da FAch. São profissionais e tem bom senso quanto ao armamento que escolhem, sejam aviões para COIN, caças e AWACS. Já não podemos dizer o mesmo do Peru que optou pelo “Torito” no lugar do A-29; tem uma mistura alla indiana de caças franceses e russos (apesar de que são bons vetores, mas claramente já em fase de obsolência) entre outros pormenores, como na aviação de transporte.

    P.S.: Espero que a FACh também optem pelo KC-390

  5. Acompanhei a passagem desses aviões aqui por Foz do Iguaçu. Havia um C-130 da FACH dando suporte e todos escalaram em nossa cidade antes de seguir para o Chile.

  6. A Embraer militar não pode parar,o KC-390 será entregue em julho,duas unidades de varias,e com certeza será um grande sucesso.torço para que tenhamos de novo o nosso cavalo de batalha um
    jato subsônico,monomotor,asa alta,dois canhões de 20mm ,probe de reabastecimento,com capacidade de misseis IR,bombas guiadas,etc.Turbohelice tem varias limitações,para pais pequeno,nada como um jato que pode ir rápido a qualquer lugar do pais e continuar sendo versátil.

  7. “DOUGLAS TARGINO 27 de Março de 2018 at 11:19
    RESPONDENDO MINHA PERGUNTA: Brasil – 99 aeronaves.[32] Dessas, 6 foram perdidas em acidentes, 7 transferidas para a esquadrilha da fumaça e 3 vendidas à Nigéria, restando 83 nas missões de combate e treinamento.”

    Douglas, foram comprados e recebidos 99 A-29. Desses, foram perdidos 8 em acidentes e o EDA recebeu e opera 12 aeronaves. Nenhum foi retirado da dotação da FAB para ser vendido para a Nigéria. Na FAB, aproximadamente 24 células equipam o 2°/5° GAV (Natal), os 3 esquadrões do 3° GAV operam ao redor de 16 células cada um (Boa Vista, Porto Velho e Campo Grande), 2 células equipam o IPEV (São José dos Campos) e o EDA, 12 células (Pirassununga). Ainda sobram umas 5 células em reseva ou em rodízio de manutenção de grande porte.

  8. 1) Ótimo Embraer

    2) Parabéns Chile – FAC

    3) Tribunais internacionais, saída para o mar …. tenderam bolivarianos de La Paz ?

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here