Home Aviação Comercial Valor Econômico: Boeing e Embraer detalham proposta

Valor Econômico: Boeing e Embraer detalham proposta

6305
163

Por Vanessa Adachi | Valor Econômico

Boeing e Embraer trabalham para apresentar nesta semana ou na próxima a modelagem da aquisição dos negócios de aviação comercial da fabricante brasileira de aeronaves pela gigante americana. Segundo fonte próxima às negociações, as conversas entre as duas companhias ganharam tração nas últimas semanas, aumentando as chances de que a transação se concretize, embora ainda faltem muitas etapas.

“A ideia é apresentar um arcabouço com mais detalhes ao governo”, comentou a fonte, completando que já foram encontradas algumas soluções para a maior preocupação do governo que é a sustentabilidade no longo prazo dos negócios de defesa da Embraer, que com a venda da área comercial para a Boeing, restaria como única atividade da fabricante brasileira.

Pelo que está na mesa, haveria a criação de uma nova empresa de aviação comercial, de caráter operacional, controlada pela Boeing. Está em discussão ainda qual a fatia acionária da americana, num intervalo de 80% a 90%, conforme o Valor antecipou em 6 de fevereiro. A Embraer ficaria, portanto, com 10% a 20% da nova empresa. Assim, foi afastada a ideia de se criar uma holding acima da companhia operacional.

Chegou-se a ventilar que a Embraer pudesse ter 49% dessa holding e a Boeing, 51%. A ideia de criar a holding com 49% para Embraer surgiu com o intuito de criar um discurso mais palatável para a opinião pública. No entanto, por aquele modelo, a Boeing ainda deteria uma participação direta na companhia operacional, de forma que sua fatia total chegasse nos pretendidos 80%. As duas partes acabaram concordando com um desenho mais racional, sem holding, disse a fonte.

A Boeing tem deixado claro que faz questão de ter uma posição acionária claramente dominante na nova empresa, para que as decisões estratégicas estejam todas em suas mãos. A Embraer deve possuir alguns direitos específicos. Do ponto de vista da aprovação dos acionistas da Embraer, a compra pela Boeing de uma fatia mais relevante do capital tende a ajudar, desde que o preço agrade os investidores.

Se o governo aprovar a modelagem, as duas companhias ainda terão que discutir todo o detalhamento da operação. A Boeing informou que as conversas prosseguem e Embraer não comentou.

FONTEValor Econômico

163 COMMENTS

  1. Lá se vai o último suspiro da nossa dignidade!!! Nessa formato a EMBRAER não fica com nada da nova empresa ou pelo menos podemos considerar isso. Não sou contrário a parceria, mas ao que parece não é uma parceria e sim uma aquisição!!!! A preocupação é de toda a linha de produção da EMBRAER ser deslocada para os EUA!!! Se pelo menos tivesse o comprometimento de que a linha de produção ficaria aqui no Brasil seria mais palatável para todos nós Brasileiros. Realmente desejo que seja um negócio bom para BOEING e bom para EMBRAER e não somente bom para BOEING!!! Acho que isso deve ser o desejo de todos aqui, né mesmo? Saudações.

    • CONCORDO. O MAIOR VALOR DA EMBRAER NÃO É A COTAÇÃO DA BOLSA E SIM CULTURA E TECNOLOGIA QUE NINGUÉM CONSEGUE REPLICAR.

      COMPARE COM A GVT, TELEFONIA COMO MILHARES EXISTENTES MUNDO AFORA, NEGOCIADA POR USD25,0 BI = 5 EMBRAER’S.
      RIDÍCULO, OU AO MENOS : ESTRANHO.

  2. “Pelo que está na mesa, haveria a criação de uma nova empresa de aviação comercial, de caráter operacional, controlada pela Boeing. Está em discussão ainda qual a fatia acionária da americana, num intervalo de 80% a 90%[…]”
    Até quando iremos abaixar a cabeça e aceitar esmolas e tapinhas nas costas de americanos, russos, chineses ou qualquer outro país? Se a Embraer, um poço de inovação, capacidade e com muita credibilidade no que se propõe a fazer aceita isso, imagine um povo ignorante que é jogado de um lado para o outro por forças culturais muito mais organizadas do que ele?
    Me chateia isso, pois temos pessoas e instituições muito capazes por aqui, mas não somos senhores de nossos destinos. Somos sempre moldados e guiados por ideias e nações alheias ao que é melhor para nós.

    • Concordo em muitas coisas do seu comentário, no entanto temos que ser realistas, porque nossas empresas não tem recursos suficientes e cedo ou tarde são absorvidas por outras de maior poder. É a realidade de mercado. Capitalismo é assim. Apenas de boas intenções não conseguem sobrepujar a avalanche de alternativas que empresas de grande porte e que determinam as prerrogativas impõem ao mercado.
      O problema da EMBRAER, pela minha interpretação claro, não é o setor comercial, pois esse setor já é da Boeing (só estão acertando detalhes). O grande problema é a divisão militar que não sobreviverá sozinha sem o aporte de recursos necessários. Claro que vão dizer que o Governo Federal colocou dinheiro para os projetos do KC-390, do ST e do Gripen, mas apenas esses projetos não são suficientes, todos sabem disso.
      Eu sinceramente, não sei de onde virá tanto dinheiro para suprir as necessidades para os produtos militares, ainda mais sabendo-se que projetos desse tipo devem receber recursos sistemáticos ao longo de anos e anos de desenvolvimento, certificação e fabricação. O Brasil não é os EUA, ou Russia que destinam recursos para defesa praticamente “a fundo perdido”. Será que esses recursos viriam dos 10 ou 20 % oriundos da parte comercial que sobraria?
      Duvido.

      • Você respondeu tudo. A Embraer morre. Essa de sobrar Embraer defesa é conversa para boi dormir.
        Nem para os acionistas da Embraer vale a pena. Receber 5 bilhões pela empresa?
        É pouco dinheiro.
        Nem a Embraer nem os acionistas nem o Brasil ganham nada com essa venda.
        Uma parceria poderia ser interessante.
        No caso da Bombardier, parece que foi bom para todos.
        Os EUA não aceitariam que a Boeing fosse vendida para europeus, ou russos ou chineses ou árabes…

        • O Trump tá barrando até a venda de empresa fuleira alegando segurança nacional, imagina uma Boeing ou lockheed Martin. Ninguém esta chamando ele de estatista por isso

          • A China acaba de anunciar restrições à importação de 128 produtos americanos.
            As medidas devem afetar as exportações agrícolas americanas (produtores rurais fazem parte da base de apoio a Trump), aeronaves e outros produtos.
            Algo me diz que os EUA não vão se dar bem nessa.

  3. Sério, melhor descartar toda essa negociação e a Embraer começar a fabricar jatos maiores, basta alargar mais a cabine de tal maneira que comporte mais 2 assentos e teremos um avião de mais de 200 lugares. Acho que a Boeing não quer outro concorrente.

    • Aé? Basta alargar a cabine? Então, inversamente, basta a Boeing encurtar a fuselagem de suas aeronaves para competir no segmento da Embraer? O que você fala está tão longe da verdade que a própria Boeing tentou entrar nesse nicho de mercado e falhou. A engenharia é algo muito mais complicado do que você pensa.

      • é óbvio que essa idéia simplista e figurativa, é claro que tem toda uma engenharia por trás, com novas estruturas, o que eu disse é que é bem mais simples porque muito do que já existe nos aviões regionais pode ser transferidos para um avião um pouco maior. Será que seria necessário desenhar? fala sério.

      • kkkkkkkkkkk
        Boa! E dá pra por aqueles assentos de ônibus também, aqueles que você quase tem que cortar a perna fora para sentar! Ou melhor, coloca assento nenhum não, todo mundo em pé! kkkkkkkkkkkkk
        Ah, e vamos por gente no compartimento de bagagens também ué! Um E190-500! Para 500 passageiros!
        kkkkkkkkkkkk

    • Me desculpe, mas eu gargalhehrei de riri aqui com a sua proposta de engenharia para fabricar aviões maiores e concorrer com Airbus e Boeing. Não quero faltar com respeito, mas esse post foi hilario.

    • Compare os valores acionários da Boeing e da Embraer e veja se a empresa brasileira é uma anã comparada à americana. Ela simplesmente não teria fôlego para concorrer contra as duas maiores fabricantes de aeronaves do mundo.

  4. Cada dia que passa fica mais difícil para o governo aprovar isso, as eleições chegando, o trump taxando aço e alumínio do Brasil e o mesmo com menos de 1 ano de governo já barrou a venda de 3 empresas americanas e a bolsa de Chicago alegando segurança nacional.
    Espero que isso seja só especulação mesmo para algum esperto ganhar $$$$$$$$ na bolsa, porque dar 80/90% da Embraer para a Boeing só pode ser piada, que raios de parceria é essa?

    • Esse é o famoso ‘Complexo de Vira-Latas’. Muito útil para uma pequena parcela da população que ganha muito dinheiro com essa subserviência.

      • E a pequeníssima parcela da população brasileira (Marcelo Odebrecht, Eike Batista, Irmãos “Friboi”,etc) que se uniu à OrCrim que estava no poder e usufruiu das mamatas do BNDES são o quê, “guerreiros do povo brasileiro”?

        • Pergunte ao Professor Pesquisador Dr. Google e e poderá ver que esses grupos nasceram nos governos militares e cevaram nos governos posteriores até chegarem ao grande sociólogo. Aí, ficaram com a mente deturpada. Tarde demais

          • Depende de quem vc chama de guerreiros do povo brasileiro.
            Conheço vários que estão guerreando por auxílio-moradia. E todo ano lá se vão bilhões de reais.

          • Rubinho! Mude o discurso que vc já está ficando sozinho.
            Está virando espécie em extinção. Conhecido popularmente como ‘manifestoche’.
            Agora só faz sucesso na Marquês de Sapucaí.
            Esse discurso não colou.
            Arrume outro.

          • E vocês nem na sapucaí fazem sucesso, basta ver que o heptarréu vem sendo sucessivamente escorraçado das cidades gaúchas em que ouça botar os pés. Quando resolver fazer sua caravana em SP corre o risco de ser linchado…

      • Há (havia) também a síndrome do “Brasil-Putênfia”, com a qual uma minoria de espertos iludiu uma gigantesca tropa asinina….

  5. Parceria comprando toda a área de aviação comercial da Embraer ???????????? Nunca vi isso. O Temer deveria aproveitar a taxação sobre o aço Brasileiro pelo Trump e retaliar cancelando toda essa ridícula negociação Boeing/Embraer.

    • A Embraer pode ser “extinta” ou extinta (sem aspas), pois de um jeito ou de outro (levando tudo para fora ou não), a Embraer deixa de ser Embraer, e essa é a opinião de qualquer brasileiro com no minimo um neurônio ativo.

  6. Todo dia um boato diferente. Voces tem que parar de ficar espernando com essas choradeiras aqui. Povo esquece que ceder o controle da Empresa está fora de cogitação.

    Já disse aqui uma vez e direi novamente, só acredito em alguma coisa quando uma das partes ou ambas se anunciarem sobre qual proposta de negócio eles farão.

    • Matheus, de nada adianta manter o controle sobre uma “Embraer” que não será nem a sombra do que é atualmente. O que está em jogo é a venda da área de aviação civil inteirinha. Isso significa que a Boeing poderá, se desejar, levar a engenharia, linha de montagem e toda a cadeia produtiva para os EUA, em apenas alguns anos. Isso simplesmente decreta o fim do que conhecemos hoje como Embraer….

  7. Parece que a industria aeronáutica brasileira sairá do terceiro lugar e ficará relegada a uma industria de jatos executivos pouco lucrativos e uma industria de defesa largada à própria sorte. Eu apoio uma joint venture que tenha 49% das ações nas mãos da Embraer e que conservasse o que já foi feito, com essa empresa tendo o controle de novos seguimentos na aviação comercial. O que está sendo proposto é a compra, o controle e um cala boca de 10% para fazerem o que bem entendem com a aviação comercial. Parece que rodaram, rodaram, rodaram e acabaram entregando a empresa de mão beijada, sabendo da posição vulnerável da Boeing e do potencial de crescimento da Embraer, é incrível.

    Aí você até poderia pensar, “ah!, mas isso abre espaço para a Embraer investir em novos seguimentos de jatos executivos, como os jatos pesados”. Teria que ser muito inocente para pensar isso, a fonte maior de receita são os comerciais, as equipes de engenharia estão na aviação comercial, com qual capital, estimulo, material humano fariam isso? Agora toda industria aeroespacial brasileira vai morrer de inanição bem lentamente.

    • Pelo que tem sido divulgado, a divisão de jatos executivos estaria inclusa no negócio. Apenas a divisão de defesa continuaria sob controle da Embraer.

  8. Os americanos jogam pesado…ou abre as pernas e cede a embraer, ou não vende mais aço para o titio do norte…e se depender da nossa classe politica, tchau embraer….os militares estão sozinhos nesta parada…muita coincidência os americanos sobretaxarem a importação do aço e justamente agora abrir negociações com o governo brasileiro deixando a sobre taxa em suspensão durante este período de negociação, e paralelamente envia a proposta absurda de compra da embraer, pois na realidade o que trata é isso…esqueçam a area militar, pois é totalmente dependente das vendas dos jatos comerciais…

    • Eu havia dito isso, que os EUA usariam toda a influência política e econômica dela nisso e falaram que eu estava ”’viajando”

      nada como um dia após o outro….

  9. Como explicar para um acionista que o lucro da empresa subiu 35,9% no ano passado, em relação a 2016, e ficou em R$ 795,8 milhões (2017), além de ter diminuído sua dívida em 20%; mas agora em 2018, devido a venda de 80% para a Boeing, os lucros que serão divididos entre os acionista serão apenas 1/5 (um quinto) do lucro total. Como isto é possível ???? A diretoria deve estar querendo se aposentar !!!! Ou não conhecem o que aconteceu com a CEMIG no governo de Eduardo Azeredo, ou com os processos que a Petrobrás está respondendo. Só lembrando que a carteira de pedidos ultrapassa a 05 anos de produção. Uma mina de OURO.

  10. Discurso palatável para opinião pública?? KKK…uma concessão aos sindicatos de ladrões e politiqueiros que querem manobrar com propinas e cabide de empregos.

  11. Gostaria por favor de entender o que a Embraer e o Brasil ganharão com esta nova empresa criada, São aqueles meros 5 bi??? estes 20% que a Embraer terá, englobarão todos os aviões produzidos, seja de médio e grande porte ou somente os do segmento que a empresa Brasileira é detentora de maior share? Fico a me perguntar, para quê tanto esforço, dedicação na criação, no crescimento e conhecimentos que adquirimos por todos estes anos. Para mim, é empresa de segurança nacional, mesmo que o setor militar fique a parte desta negociação.

    • A Embraer não ganhará nada, visto que deixará de existir como empresa autônoma no mercado de aviação comercial.
      O Brasil, não ganhará nada se a produção dos jatos comerciais for transferida para os EUA. E se não for, ganhará menos, pois parte do lucro irá para o s EUA para os bolsos de sua nova matriz.
      Já os acionistas: “Do ponto de vista da aprovação dos acionistas da Embraer, a compra pela Boeing de uma fatia mais relevante do capital tende a ajudar, desde que o preço agrade os investidores.”

  12. Pergunta que fica, a Embraer ainda será o orgulho nacional?
    Com esta operação, ela terá fôlego para dar continuidade aos projetos estratégicos?
    E os tecnicos e engenheiros?

  13. Como explicar para um acionista que o lucro da empresa subiu 35,9% no ano passado, em relação a 2016, e ficou em R$ 795,8 milhões (2017), além de ter diminuído sua dívida em 20%; mas agora em 2018, devido a venda de 80% para a Boeing, os lucros que serão divididos entre os acionista serão apenas 1/5 (um quinto) do lucro total. Como isto é possível ???? A diretoria deve estar querendo se aposentar !!!! Ou não conhecem o que aconteceu com a CEMIG no governo de Eduardo Azeredo, ou com os processos que a Petrobrás está respondendo. Só lembrando que a carteira de pedidos ultrapassa a 05 anos de produção. Uma mina de OURO.

  14. O espaço tríade de defesa se discute assuntos militares e correlatos a uma defesa armada.
    Neste momento o Brasil se encontra sobre ataque em uma guerra híbrida que não tem nada diretamente relacionado a uma defesa armada, pelo menos com as armas que neste espaço se discute.
    Na guerra em que estamos lutando, nossas forças, que não são as armadas, já se mostraram dispostas a uma rendição incondicional com a entrega de todos os nossos ativos (as armas que nos permitem ser viáveis combatentes neste tipo de guerra).
    Desmoralização do nosso mais reconhecido cientista nuclear, entrega de nossas reservas petrolíferas, entrega da Eletrobrás, desmonte e entrega fatiada da Petrobras, isenção de impostos a sua concorrente, desmonte da industria naval, desmonte e desmoralização da nossa industria engenharia e infra-estrutura , entrega da nossa industria aérea, entrega do controle de nosso satélite e sei la eu quantas entregas a mais estarão sendo discutidas com o “mercado” A ultima que tive notícia foi das negociações sobre o Aqüífero Guarani.
    Tive notícias que até nosso ministro do exterior já beijou a bandeira do representante do lado de lá deste tal de “mercado”.
    No passo que vai essa guerra, Em breve estaremos realizando o rescaldo.
    Quanto aos nossos generais de agora, que não são os militares, estarão descansando do duro enfrentamento a que foram submetido , provavelmente e Miami.
    Talvez aí a explicação para o inusitado beijo.
    Às nossas forças armadas, restará a nobre tarefa de combater o tráfego de drogas, quem sabe.

  15. “…a maior preocupação do governo que é a sustentabilidade no longo prazo dos negócios de defesa da Embraer, que com a venda da área comercial para a Boeing, restaria como única atividade da fabricante brasileira.”

    Atividade esta que não terá como se sustentar sozinha, visto que depende de altos investimentos – inclusive governamentais -, não possui um fluxo de vendas constante e depende do capital intelectual da equipe de engenheiros da Embraer que atua também nos projetos civis da empresa.

    “A Boeing tem deixado claro que faz questão de ter uma posição acionária claramente dominante na nova empresa, para que as decisões estratégicas estejam todas em suas mãos.”

    Ou seja, a Embraer como empresa com capacidade de tomada de decisão sobre seus próprios investimentos e projetos deixa de existir, tornado-se não mais uma empresa brasileira que cria produtos brasileiros para o mundo. Torna-se uma subsidiária da Boeing e as aeronaves que ela produzir provavelmente não ostentarão o logo da Embraer mas da Boeing, mesmo que produzidos no Brasil.

    • Caro Robinson, obrigado pela força! então somente quem sairá ganhando serão os acionistas e a Boeing??? Pelo que sei, a imensa maioria acionária está no exterior, então para mim é questão de lesa pátria. Será que se fosse a Embraer adquirindo a Boeing, o governo americano permitiria??? D U V I D O!!! não prego a estatização da mesma, mas um olhar protetor não à ela, e sim ao país, pois, para mim é questão de segurança nacional, manutenção da empresa aqui e seus funcionários e principalmente a expertise que conquistamos a duras penas neste tempo todo. A população consciente tem que mandar um recado sério aos governantes, seja os de agora, seja os que concorrerão. Um abração st4

      • Olá Saldanha.
        Basicamente quem irá ganhar são os acionistas e executivos que receberão bônus recheados. E concordo contigo. Se fosse o contrário o, governo americano – qualquer governo, Trump, Obama, Bush, Clinton – proibiria o negócio por ser contrário aos interesses estratégicos do país.
        Mas aqui, achamos honroso sermos comprados por uma empresa do chamado primeiro mundo.
        Mas a notícia fala da proposta da Boeing, não que ela já tenha sido aceita pelo governo brasileiro.

  16. Em quanto nos prostituimos para o extrangeiro, o Trump veto ha menos de um mes a compra da empresa americana Lattice Semiconductor por outra empresa chinesa por considerar a empresa americana “ESTRATEGICA”, mas no Brasil não existe estrategia né?!

    • Pais sério e isso mesmo .. aki è essa pouca vergonha e nego ainda”aplaude” .. ou pior , ficam endeusando essa ”Donna Hrinak” …ate o americano sensato custa a acreditar em como essa negociata esta sendo tao benéfica e fácil pra BOEING … negocio do século , pra eles …. vão dividir a Embraer .. matar o setor ”civil” e daki a alguns anos veremos a parte militar ser vendida pra uma empresa Israelense qualquer …

      • Quando saíram às ruas gritando ‘Queremos nosso País de volta’ foi justamente para isso. Entregar e se rastejar como sempre fizeram. Triste.

        • E aqueles que choramingam dizendo que foi “gópi” são os mesmos que se deixaram enganar pelo mito do “Brasil-PuTênfia”…

  17. Na minha opinião a Embraer é estratégica para o Brasil, confesso que fico um pouco triste, mesmo ela já sendo de vários acionistas, pulverizada, mas pelo menos o controle ainda sendo nosso. Porque acho que uma coisa complementa a outra, a militar da civil e vice versa. Como vai ficar a distribuição destes engenheiros que trabalham em ambas áreas? Nós não vemos o governo federal dando muita, digamos assim, “prioridade ” para investimentos em defesa, área essa que desenvolve altíssima tecnologia que é ótima para o país. O acordo com a Saab para mim foi excelente nesse sentido, porque confio mais numa efetiva transferência de tecnologia dos suecos do que dos americanos. Não confio numa transferência efetiva de tecnologia dos americanos, eles não passam, até porque o congresso deles não aprova. Enfim é só uma opinião minha, espero que tudo não acabe em pizza para nós novamente, como foi com a Engesa, gostaria que se tivesse mais um pensamento de Estado, que valorizassem e investissem mais nas empresas brasileiras, que com muito suor e esforço alcançaram posição de destaque no mundo.

    • Colega:
      O problema não é talento. O problema é uma coisa conhecida como Dinheiro, coisa que não temos. O Brasil é um país de vira-latas que se viram chafurdando no lixo político para ver se sobra alguma coisinha, alguma merrequinha. Depois vai pra casa assistir um futebolzinho mediocre, sobre o qual ele briga com todo mundo e enche a cara de cerveja até perder o credito no buteco.
      Infelizmente não temos perfil de nação séria e adoramos a esculhambação. Enquanto países da Europa mantem uma linha de crescimento ou retração adaptando-se às condições globais, aqui nós só pensamos nos proximos 4 anos e o quanto vamos “mamar” sem fazer nada.
      Exceto os militares que atuam com doutrina, disciplina e respeito, o resto é uma bando de “sem noção” que nem sabem o que estão fazendo na sociedade, além de se pendurar em alguma coisa que lhe de uma migalha.

    • Não é só material humano que é necessário para construir um avião, com a venda se vão anos de pesquisa e propriedade intelectual. E com a Boeing levando as operações para os EUA, esta mão de obra não sendo mais absorvida pela Embraer, ou mudarão de área ou de país…

    • Vivi uma experiência recente em uma joint-venture formada por uma empresa brasileira e uma norte-americana no ramo de energia. O “bambambam” brasileiro convenceu os Gringos que ele era o pikadasgaláxias no assunto e os gringos colocaram 27 milhões de dolares no negócio para 5 anos de implementação até a empresa começar a lucrar e distribuir seus dividendos. Depois de 5 anos o prejuízo começou a aparecer e o “bambambam” tupiniquim pediu mais 5 milhões de dolares para compensar as perdas e recuperar o negócio. Quando o gato escorregou do telhado os gringos quiseram enviar uma pessoa de lá para verificar “in-loco” o problema, então o “Bambambam” tupiniquim ficou macho pra cacete claro.
      Para onde foi o dinheiro? Mansões custam, automóveis importados custam, Farras nas Europa, no Nordeste e até no Hawaí custam e levaram pelo menos uns 4 anos.
      Quem quer fazer negócios com brasileiros? Quem quer dar dinheiro para brasileiro administrar?
      Isso foi realidade. Mundo Real.
      Nenhuma empresa estrangeira séria vai formar uma sociedade 50-50 com brasileiros, nem em sonho.
      Santa inocência

      • Você está generalizando, esse cara que você citou não era empresário, era um bandido disfarçado. Além disso estamos falando da Embraer aqui, uma empresa que gerencia seus negócios muito melhor do que a Boeing…

      • Luis Antonio, você conhece a quantidade de Industrias Brasileiras? Vamos citar o Grupo Jacto, da cidade de Pompéia/SP. Desenvolvedora de Tecnologias e pouco comentada Brasil a fora, mas lá fora é referência mundial em Agricultura Mecanizada. Os Gringos adoram colocar dinheiro na conta da mesma para APOSTAR nos seus desenvolvimentos. Ela é inédita em diversos produtos de Classe mundial para o setor.

        Colocando na ponta do lápis, esse sujeito que você comentou é apenas um estelionatário e não um industriário, 171 no meio industrial no EUA tem aos montes também, alias, em qualquer lugar do mundo.

  18. Infelizmente falta-nos homens de estado que pensem no estado e não em seus bolsos! falta-nos respeito e amor a pátria , coisa esta que invejo profundamente e intensamente alguns países, dentre estes os EUA. Aqui é terra do me dar bem, do escárnio e da cara de pau, onde basta carnaval, cerveja barata, mulher semi-nua e futebol que a maioria da população estará feliz e radiante, não importando o quanto se desvia, as taxas absurdas de impostos para o bem estar dos poderosos, e se bobear e trocarem a bandeira e o hino nacional, nem se darão conta.

  19. Onde está o Rafael Oliveira?
    Rafael, eu estava vendo alguns vídeos do Roberto Campos.
    Você acha, mesmo considerando que a Embraer já não é bem o caso de uma privatização, que a empresa também não deixa de ser um ‘fetiche’ do brasileiro?

    • Olá Roberto F. Santana!
      Acho que o brasileiro comum não tem qualquer fetiche pela Embraer. Muitos sequer devem saber que ela existe.
      Agora falando dos brasileiros que tem certo fetiche por ela (e me incluindo nesse rol, apesar de não ser uma paixão), como a tendência é a Boeing comprar apenas a maior parte da área comercial (talvez até fazendo desaparecer a marca Embraer das aeronaves comerciais e executivas), mas mantendo a Embraer da área de Defesa, muitos brasileiros ainda continuarão admirando-a, porém, acredito que a maioria que admira a Embraer em razão de sentimentos nacionalistas, passará a odiá-la (muitos já a odeiam desde a privatização), ainda mais porque será parcialmente vendida para uma empresa americana.
      Concluindo, já que ficou confuso, a Embraer, caso confirmada a compra, deixará de ser um fetiche de muitos brasileiros que hoje a “amam”.

  20. É impressão minha ou o Valor Econômico só colocou tudo o que já sabíamos em uma única noticia? Resumindo, ninguém sabe de nada ainda, nem o Valor econômico…

    Só espero que tudo isso seja cancelado por esse ou pelo próximo governo.

  21. HMS TIRELESS
    Ninguem esta defendendo uma estatização, apenas querendo que ela continue a ser esta empresa que sempre nos deu orgulho, sem a Boeing
    Mas como vc só consegue ver as coisas de um determinado ponto de vista

  22. O Trump acabou de vetar a venda da Qualcom (fabricante de processadores para celular) por considerar uma empresa estratégica para os Estados Unidos. Nós, que não temos amor próprio, vamos DOAR a única fabricante de aviões do hemisfério sul do planeta, presente em todo o globo, repleta de clientes e com produtos de alta qualidade. Ao longo das décadas adquirimos uma capacidade que muitos países desenvolvidos não possuem e vamos DOAR com uma canetada.

    American First!!!

  23. Podem rir, mas eu sou um dos que acham que este negócio não sairá. A Boeing quer comprar, como se diz, no interior, ” de porteira fechada”. A Embraer quer parceria, mas para não correr risco com outro competidor, ou seja, objetivos bem diferentes e ainda mais com a necessidade do aval governamental para complicar.
    Então, por enquanto este negócio não sai.

      • HMS, eu já divergi várias vezes contigo aqui no PA. Mas dói esse discurso “nacionalista de meia tigela” que estão usando nesse assunto. Concordo com você, esse negócio não sai assim fácil não e tem gente que mordeu na hora a chumbada quando você falou que já já vão pedir a reestatização da Embraer.
        O BR tem dinheiro, gente, aqui tem muito dinheiro! Mas décadas de controle estatizante de viés esquerdista destruiu nosso parque industrial por conta de um protecionismo que, sob o discurso de “isso é do Brasil”, “O petróleo é nosso!”, “Vamos defender nossos empregos impedindo a concorrência” favoreceu única e exclusivamente as elites no poder. Só não vê quem é cego (ou ganha alguma coisa com isso).
        Abraço!

  24. A essas alturas, malas de dinheiro devem estar a caminho do planalto, da presidência, da diretoria da Embraer (questão de negociação). Aqui é o país da prostituição federativa que faz tudo, tudo tem seu preço e os EUA sabem bem disso. Vai ter gente que até ilha vai poder comprar com a grana. Essa venda só interessa aos EUA, o Brasil não ganhar NADA com isso, a Embraer vai ser mais uma história a se contar.

  25. Nós temos um país realmente hostil às nossas empresas. O resultado é isso ai.
    Estão preocupados com a Embraer? Há centenas de outras empresas brasileiras sendo compradas por outros países.

  26. Na verdade, sempre foi. Desde a época do Barão de Mauá até hoje, cultivamos a ideia de que nossa vocação é o agronegócio. Naquela época defendida por barões do café, hoje por liberais que acreditam em uma espécie de predestinação econômica.
    Nossa elite sócio-econômica, herdeira da visão colonialista, vê com desdém tudo aquilo que é produzido na colônia e com admiração e desejo tudo que é produzido no Velho Mundo.
    Nos governos FHC, estas aquisições de empresas brasileiras por estrangeiras foi acentuado. Um exemplo foi a Aeroeletrônica, comprada pela Elbit como pré-condição para transferência de tecnologia.

  27. Sinceramente, não vejo vantagem em separar a área de Defesa da Embraer. Até mesmo porque se a parte de Defesa for separada, quem vai sutenta-la? A Embraer é uma nanica em Defesa, fora o Super Tucano, oque a Embraer exporta? O KC 390 só tem encomendas da FAB. A parte de Defesa não se sustenta sem o resto da compania. Sem compras do Governo não existe área de Defesa na Embraer.
    .
    Se for para vender (e eu apoio a venda), que se venda a empresa inteira. Sentem e negociem um acordo que seja bom para todos, onde os interesses nacionais sejam resguardados. Até a maioria dos funcionários é a favor da fusão. Quem sustenta a Embraer é o mercado americano e europeu. A empresa só é oque é graças a estes mercados.
    .
    É muito mimimi de quem sequer tem uma ação da empresa.

  28. Creio que a golden share não é medida em volume de ações . Ela é um direito do governo brasileiro em possuir assento no conselho da empresa e, também, direito a veto.

  29. Os nassionalistas voltaram com tudo, nota-se como são educados e com grande apego pela verdade.
    Esses nassionalistas são e eram os mesmos que foram contra a privatização da Embraer nos anos 90, algo que possibilitou a empresa chegar onde chegou, claro que os nassionlaistas eram contra também que a Embraer desde o nascimento fosse em busca do mercado norte americano.
    Pode apostar, se fosse algo com os russos, chineses ou países bolivarianos, esses nassionalistas estariam dando mórrrapoio…
    Sabemos quem são e o que representam.

    • hahahahahahahahahahahaha…… Me mostre onde estão os na–SS–ionalistas aqui nos comentários, não consigo enxergar nenhum. Vejo somente alguns nacionalistas preocupados com a maneira quase que secreta que esse governo esta tratando esse assunto. Também não vi ninguém defendendo a estatização da Embraer não, o engraçado é que quem esta abordando o tema da estatização aqui nos comentários é justamente os que estão criticando os nacionalistas

        • Engenheiros aeronáuticos brasileiros trabalham na Boeing e em outras indústrias aerospaciais mundo afora dada a sua competência e também a excelência da formação do ITA.

          Por seu turno certamente veríamos muitos engenheiros ex-EMBRAER batendo panelas pelo desemprego caso a empresa viesse a ser comprada pela AVIC ou a COMAC chinesas visto que seriam substituídos por engenheiros chineses menos capacitados e ganhando bem menos (em média 1/3 do que recebe um engenheiro da EMBRAER). E ainda assim haverá quem até se sinta “meio orgulhoso” disso….

  30. Melhor chance que essa de reestatizar a Embraer não há !!

    Já disse e repito que o Brasil devia assumir a Embraer pois se trata de uma empresa estratégica para a nossa soberania nacional

    • Soa muito estranho essa súcia que se apossou do Governo vendendo algo tão valioso ao País faltando nove meses para seus integrantes irem para a cadeia.

        • Súcia desde o descobrimento da pátria. Detona tudo que é de futuro da nação. E da-lhe receber sucatas “doadas” pelos americanos.

          • Uma súcia você sabe exatamente como é! A outra se dizia “nacionalista”, “progressista”, “honesta” e promoveu o maior saque ao Estado brasileiro desde 1500.

            Qual é a pior?

          • Não se engane Manoel. Tem muita gente que ganha muito com isso. E agora, com uma inédita parceria, diria, ‘jurisprudencial’.
            Colocaram essa malta no Governo que está vendendo tudo a toque de caixa.
            Como foi gravado: ‘Com Supremo e tudo’.
            Estão infelicitando a nação e já comprometeram o futuro do País.

          • É aquela coisa: o regular funcionamento das instituições do Estado Democrático de Direito, conforme previsto na Carta Magna, sempre incomoda aqueles que vêem a democracia apenas como um fim para se atingir o poder.

            Ademais, ninguém foi obrigado a fazer coligação para as eleições presidenciais..

    • Conforme eu havia previsto já vieram pedir a estatização da EMBRAER….

      Estatizar a EMBRAER para quê Vanessa? Para a empresa virar um cabide de empregos e antro de ineficiência e corrupção? Para ser presidida por um sindicalista preguiçoso ou o genro de alguém e produzir e entregar meia dúzia de turboélices e aviões agrícolas para Bolívia e Venezuela? Quer saber como a EMBRAER ficaria se fosse reestatizada basta olhar para a FaDeA argentina: Falida, sem expertise alguma mas uma “orgulhosa estatal” segundo os “iluminados”

    • O governo Nixon criou a estatal Amtrak, aglutinando várias empresas ferroviárias. Situacao: declino das ferrovias entre os anos 30 e meados dos 70. Motivo: considerar as ferrovias como estratégicas para o país. Situação financeira: deficitária.
      Não defendo a reestatizacao, apenas quero mostrar um exemplo de visão governamental sobre um segmento considerado estratégico.

      • Ainda falando em trilhos os trens britânicos até o final dos anos 70 eram estatizados e, contrariando a famosa pontualidade dos locais, viviam atrasando. Foram privatizados pela Dama de Ferro e voltaram a ser pontuais. Contudo Jeremy “Jezbollah” Corbyn, legítimo representante do sindicalismo arcaico que quase levou a Grã-Bretanha à ruína, almeja estatizá-los novamente se eventualmente vir a ser Primeiro-Ministro.

      • Exemplo de ferrovias são Japão e China. No caso da China dezenas de milhares de quilômetros de ferrovias de trem-bala. Lá, chegou a um ponto que está tirando mercado das aéreas regionais. E tudo estatal. Aliás, a maioria dos gigantescos conglomerados chineses é estatal. E estão comprando o mundo.

  31. Americanos sendo americanos, não vão fazer negocio ruim, não vão fazer relação ganha-ganha, é sempre ganha-perde. Os executivos que estão tentando vender a EMBRAER devem estar recebendo uma boa bolada pra isso acontecer, porque não tem nexo. Manda a Boeing fazer negocio com outra, ou falir sozinha devido a crescente alta de vendas da Airbus.

  32. Arcodem!a embraer so prosperou porque se adaptou ao mercado se dependence do governo ja nao existiria alias toda a industria de defesa remanescente ja nao existiria qualquer pais que que ter uma base industrial de defesa faz compras militares locais so compra de fora o que nao consegue fabricar localmente .basta olhar o inventario das forças armadas do brasil so tem coisa de segunda mao desde p-3 ressusitado a f-5 ex-usaf o pouco que e nacional e usado ate o osso .como podemos desenvolver uma industria aeroespacial forte se o gorveno ta pouco se f… para a defesa

  33. Lá vai a jóia da coroa pro espaço. Perdendo nossa melhor empresa e suas subsidiárias só nos resta importar produtos industriais de outros países e vender soja para o mundo.
    Que m…

    • Dependesse de vocês a empresa jamais teria sido privatizada e certamente teria sido alvo de alguma(s) busca e apreensão da Polícia Federal além de notório antro de incompetência industrial e gerencial.

      No mais você pode ficar “até meio orgulhoso” afinal seus amados chineses estão comprando bastante coisa no Brasil hoje…

      • Esse Antonio não sou ‘eu’. Mas, o que ele falou é pura verdade.
        Governo entreguista que, com o beneplácito de setores do Judiciário, está entregando tudo.
        Não sei quem ganha o quê.
        Mas tem gente enchendo o bolso.

  34. Pois é, vão exterminar de vez um forte e nascente concorrente da Boeing, Franceses e Canadenses.
    E os Brasileiros trouxas que são, ainda apoiam esse absurdo.
    Vamos fazer o seguinte, propor a Boeing a criação de nova empresa, mas com capital majoritário da Embraer; será que a mesma aceitaria ?
    E com a bagatela de 6 bilhões de dólares de investimento.
    Os absurdos de que são capaz, não tem fim nesse país.
    Vale ressaltar que a Embraer nasceu, cresceu e hoje é o que é foi com dinheiro nacional.
    Recebeu grande aporte de tecnologias da FAB/DCTA.
    E hoje estão entregando de bandeja e por uma “pedrinha colorida” este enorme patrimônio nacional.
    Mas fazer o que?
    Todo dia nasce um otário, e no nosso caso somos 260 milhões de otários e otários.

  35. É triste ver como um viés pseudo-politico tem tomado conta da discussão aqui – fazendo, até mesmo, colegas foristas insultarem uns aos outros.

    Apenas para reflexão:

    A Embraer é o que é pois domina o ciclo completo do desenvolvimento de produto aeronáutico. É referência neste assunto. Em 15 anos desenvolveu e certificou mais aeronaves do que qualquer outra OEM. Vocês realmente acham que isso se manterá no caso de uma assimilação pela Boeing (mesmo que neste embuste de JV com 80-20 ou90-10)? Vocês realmente acham que “Embraer” neste novo formato vai participar da concepção de novas aeronaves comerciais? Tenho sérias dúvidas… algumas competências “commodities” como o projeto estrutural, desenvolvimento de FBW, ensaios em vôo, entre outras serão aproveitadas. Porém, pegar uma folha em branco e projetar uma aeronave nova, acho que não mais…

    Isso é triste, principalmente para quem viu isso acontecer algumas vezes. É um retrocesso, não consigo ver vantagens nisso. É uma sentença de morte no médio-longo prazo.

    Alguém aqui disse que a maioria dos funcionários da Embraer é a favor deste movimento. Tenho conversado com muitos… não é bem assim! Obviamente, alguns acreditam no canto da sereia, que seduz com a estória que o 797 será desenvolvido em parceria, e bla, bla…

    O anteprojeto do 797 está pronto, as instruções do Lego já foram escritas. Agora resta juntar as peças. Essa é apenas uma parte do trabalho: obviamente podendo contar com o expertise da Embraer.

    Contudo, ser uma empresa de aeronáutica completa… vai ficar no passado.

    • Parabéns pela lucidez do seu comentário, é triste , mas tem algumas pessoas que não conseguem raciocinar direito e enxergar as coisas a um palmo do seu próprio nariz. Ah e cuidado, daqui a pouco aparece a turminha para te chamar de esquerdista, estatista, nacionalista cego e coisas do tipo

      • Pessoalmente acho que o colega acima (Aerococus) é bem coerente em seu posicionamento! E muito do que ele diz é verdade….

        No mais acho que por ora não há o que se preocupar com o assunto. Pessoalmente a meu ver essa notícia, vinda de um noticioso voltado para a área de economia/mercado financeiro, foi estrategicamente plantada para que alguém (ou alguns) esperto(s) lucrasse(m) na bolsa. E como estamos já adiantados em um ano eleitoral não creio que isso se defina pelo menos até depois das eleições (se é que vai se definir)

  36. Boa noite à todos. Sem entrar no mérito da venda ou não , se a Embraer Defesa dependesse do GF ela inexistia. Ela já quebrou nas mãos do governo. Lembrando:
    O AMX teve sua compra reduzida de 100 para 60.
    A reforma dos 11 jordanianos ficou em 3.
    A reforma dos AMX-A1 de 43 foram 3.
    A reforma do Skyhawk AF-1 de 18 foram reformados só 2.
    Em 19/10 , o Brigadeiro Bonotto afirmava: Segundo ele, 94% do desenvolvimento da aeronave já foram concluídos, mas a aquisição dos aviões pela Aeronáutica é fundamental para que os modelos possam ser vendidos no mercado. “Sem a aquisição pelo próprio país que produz a aeronave, ninguém compra”, disse o brigadeiro. “Não podemos morrer na praia”, concluiu.
    O cronograma de desenvolvimento do cargueiro já atrasou dois anos em função de contingenciamentos orçamentários que começaram em 2012. O orçamento deste ano, por exemplo, previa R$ 1,1 bilhão, mas apenas R$ 700 milhões foram liberados.
    E por aí vai…
    A pergunta é : você como administrador da Embraer , confiaria a saúde financeira da empresa baseando-se nas compras do GF Brasileiro?

  37. Até onde esse avanço ou recuo, dependendo do ponto de vista, da Boeing e da Embraer, teria a ver com a taxa de importação do alumínio e do aço imposta pelos Estados Unidos também ao Brasil mas com o qual, segundo disse hoje o Representante do Comércio dos Estados Unidos ao Congresso Americano, os Estados Unidos “iniciarão uma negociação para redução ou exclusão tarifária”? 🤔

    A pergunta é retórica …

  38. Embraer certamente deixará de existir… Mesmo que seja um processo lento e gradual, será sufocada até a morte com esse acordo.
    .
    Mas enfim… Tá na moda ser “Liberal”.

  39. Hoje a Embraer, como empresa autônoma, faz o que o seu conselho de administração acha que é mais conveniente. O que produzir, o que desenvolver, com quem fazer parcerias, são decisões que são tomadas pelo conselho e pela diretoria executiva da empresa.
    O que está sendo proposto não é uma joint venture. É venda do controle da empresa. Isso ocorrendo a Embraer deixará de ser uma empresa autônoma e se tornará uma subsidiária da Boeing. Fabricará, desenvolverá o que for conveniente para a Boeing, dentro da estratégia global dessa empresa. Não haverá mais Embraer, mas sim Boeing. Será como uma Helibrás, que é uma filial da Airbus Helicopters e só produz e vende o que é conveniente para sua controladora.
    Lamento que alguns achem que isso não tem problema ou que seja indiferente para o país como coletividade. Não existe grande nação sem não tenha empresas com alto desenvolvimento tecnológico controlada por nacionais, de preferência, do setor privado.
    E para os que falam da Bombardier/Airbus, sempre lembro que a Airbus comprou 50% do projeto do CSeries, não comprou a Bombardier, que continua existindo e produzindo aviões.

  40. EduardoSP,
    O que eu entendi das notícias é que a Embraer continuará existindo, sendo proprietária de 100% da unidade de Defesa e de 10% a 20% da unidade Comercial/executiva. Sendo assim, a Boeing comprará apenas a maior parte da unidade de aviões comerciais (que será uma terceira empresa, uma joint venture). A Embraer continuará fabricando KC-390 e SuperTucano, por exemplo, os quais não terão ingerência da Boeing.

  41. O certo é que os Estados Unidos sempre fizeram do Brasil como seu quintal. E com essa turma que temos aqui na política sempre seremos. Infelizmente até a rapadura já patentearam…Vender banana e carne é o que nos resta…Troller logo, logo acaba ( uma empresa não se sustenta muito tempo com um único produto). Na era Lula estava mudando mas o Tio San não gostou disso. Deu no que deu!

    • Vanessa,
      Após a reestatização, você quer que a Embraer seja entregue para o PMDB ou para o PP administrar?
      Quanto tempo você estima para que ela volte a dar prejuízos e pare de projetar aeronaves de 1ª linha?

      • Rafael,

        Sendo bem sincera..
        Minha idéia era reestatizar e manter a diretoria atual que vem indo muito bem

        Se vender para Boeing, estaremos refém dos EUA

        • Vai manter a atual que diga-se de passagem não é obrigada a permanecer até porque vai perder muito com a reestatização da empresa mas e depois? Vai colocar no lugar apadrinhados políticos, genros desocupados e sindicalistas?

        • Infelizmente não é assim que as coisas funcionam em Brasília e não há sinal de que irá mudar. Empresa estatal é dirigida por políticos indicados do partido do presidente ou da base aliada.
          Fora a parte que a Diretoria pode preferir continuar na iniciativa privada.

        • Vanessa. Já foi reportado que a Boeing pode levar embora a linha de produção para os EUA. Metalúrgicos e engenheiros da empresa já estão protestando contra isso. Além do mais, tudo que a Boeing ‘herda’ acaba ficando de lado e sendo ultrapassado pelo mercado. Vide a MD Douglas e os caças F-15 e F-18 que, inclusive, podem sair de linha devido à baixa demanda.
          Com a EMBREAR não será diferente, tendo em vista sua pouca (ou nenhuma) experiênca em aviação regional
          É o Rei Midas ao contrário. Botou a mão, estragou.

          • Os mesmos sindicatos que, aparelhados pelo ParTido recentemente apeado do poder, se servem dos trabalhadores para manter os privilégios e mamatas de uma elite de sindicalistas. Que bonitinho…

          • Elite de sindicalistas? Esse termo é novo. Deve ser porque comem pão com mortadel, visto que o povo, sob o governo atual, está sem comer mesmo.
            No meu tempo, elite era elite. Aquela que tomava champanhe com caviar.
            Como o Brasil caiu……..

          • Ué…. não vejo protestos lá dentro da empresa. Nem pessoas se desesperando. Todos querem um desfecho rápido para esta história. A maioria dos Engenheiros é favorável a associação.
            Não acredito que levarão linhas de montagem para lá… acho que será o contrário.

  42. Muita gente que hoje protesta contra as conversas entre EMBRAER e Boeing (que, pela quantidade de boatos, não vão para a frente) há pouquíssimo tempo atrás atacava a empresa brasileira influenciadas que foram pelas bravatas proferidas por Dimitri Rogozin, Vice Primeiro Ministro russo, barrado na empresa por constar na lista negra do State Department dos EUA.

    De igual forma, caso a COMAC e a AVIC, estatais chinesas, demonstrem interesse na EMBRAER, haverá quem se sinta “até meio orgulhoso” com a possibilidade da empresa nacional ser controlada por capital público do país asiático.

    • A COMAC e a AVIC nunca terão interesse na EMBRAER. Estão indo muitíssimo bem desenvolvendo seus próprios projetos. E vão se fartar no maior mercado do mundo, já em 2020. A sua própria casa.

      • Tanto o AIRJ-21 como o C-919 enfrentaram, e talvez ainda enfrentam, problemas de desenvolvimento. E suas encomendas apenas se deram dentro do país por companhias aéreas estatais que compraram os aviões com financiamento de bancos estatais ou seja, não geraram até agora lucro. E se o partidão deixasse todas elas iriam dar uma banana para os projetos locais e comprariam só da Boeing e da Airbus.

        • Pouco importa se o objetivo deles é conquistar o mercado. O lucro vem depois. Essa prática é comum desde os tempos de Adam Smith e foi praticada por Rockfeller, Vanderbilt, Carnegie e milhares de outros
          Em tempo. Vc está um pouco desinformado sobre o que anda acontecendo no mundo dos negócios. Li, ontem, que os chineses inauguraram o maior túnel de vento do mundo para estudo de aeronaves hipersônicas. Lá, ao contrário daqui, eles estão bastante avançados em matéria de ciência pura e aplicada. Inclusive, já possuem o mais rápido supercomputador do mundo e estão inaugurando um novo que será o primeiro com velocidade medida em exaflops. Tais computadores ajudam muito em diversos estudos, inclusive aeronáuticos Não acredito que estejam interessados apenas na montagem de aviões como a EMBRAER faz. Montadoras eles já têm às dezenas ou centenas de milhares.

          • Só um completo desinformado e militante propagandista sem capacidade cognitiva acredita que a EMBRAER é mera montadora de aviões. Aliás os mesmos tipos que se deixaram influenciar pelas bravatas de Dimitri Rogozin e hoje fingem indignação com as conversas da empresa brasileira com a Boeing

          • Como já te disse antes, atualize-se. Vc está com a mente na década de 60. Deve ter lido muita Seleções, O Cruzeiro e Realidade (fui longe, né?).
            O mundo mudou. E muito

        • O mundo mudou, HMS, mas o pensamento obscurantinta e pseudointelectual dos seguidores de marx jamais mudará. Perde de tempo discutir. Antonio, mude-se para a China. Ou Venezuela, que está mais pertinho! Vá viver seu paraíso socialista que só tem o melhor do mundo e onde toda a ganância capitalista foi exterminada! Muda! Eu ajudo na mudança! O mundo mudou, mude você também!

          • Amigo Wagner, nosso coleguinha Antonio adora fazer propaganda da ditadura chinesa mas é frouxo demais para se mudar para lá visto que lá não terá a liberdade que usufrui aqui no Brasil afinal até a internet é censurada por aquelas bandas.

            Quanto aos outros paraísos socialistas (Cuba e Venezuela) como bom canhoto e portanto hipocrita ele não quer comer arroz com banana como fazem os escravizados por Raul Castro ou ter de usar sabugo de milho no banheiro como é o caso dos que sofrem com os desmandos e incompetência de Maduro.

          • Amigo Wagner esse aí não vai para a China porque sabe que lá vai virar formiguinha de chão de fábrica remunerado com uma tigela de arroz. E por falar em arroz também não vai para Cuba porque a ração dos servos de Raul Castro se resume a arroz com banana.

  43. Qual a probabilidade da EMBRAER ser atingida pela compra da Airbus/Bombardier ?? Na minha humilde opinião a única justificativa plausível para este negócio sair, seria em caso de Risco da Embraer ser atropelada pela Airbus. Caso ela consiga se manter no mercado competitiva não vejo motivo para EMBRAER ser associar ou ser vendida.

  44. Falar a verdade e ser realista agora é ofensa !
    Que seja, se preferem a ilusão e enganação, o engodo estrangeiro que há anos tem nos mantido sobre o cabresto opressor e submisso, que seja.
    Eu já prefiro a fria, dura e natural realidade!
    Mas para amaciar os egos, realmente no Brasil só tem espertos, maliciosos etc..
    Lucraremos muito com essa aquisição, receberemos tecnologias da Boeing que vão dos 797 ao B1-B Lancer, F-117 Night Hawk, F-18 etc..
    Isso para não falarmos dos mísseis!.
    Pronto, egos amansados, e todos felizes.

  45. Essa Boeing quer por quê quer a Embraer!
    Esta dizendo tudo o que o governo brasileiro e Embraer quer ouvir!!
    Está afirmando que o governo americano vai comprar centenas de KC-390 prá todo mundo!
    Temos que ficar de olho! Podem até querer doar o f-18 pra FAB e com isso a transferência já era!
    A pergunta é!!!
    Qual é a vantagem de vender e acabar com a Embraer!?!?!?!

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here