Home Aviação de Ataque Saab: primeiro caça Gripen da FAB será entregue em 2019

Saab: primeiro caça Gripen da FAB será entregue em 2019

13648
136
AEL Sistemas
Saab JAS 39E Gripen

Desenvolvimento do caça Gripen E segue o cronograma, diz presidente da Saab

A Saab permanece no cronograma para entregar os primeiros exemplares de produção da série Gripen E no terceiro trimestre do próximo ano e também tem esperança de concluir as vendas atrasadas de exemplares dos modelos C/D de nova fabricação em 2018, noticiou o site FlightGlobal.

“Vamos nos manter de acordo com o planejado e entregar as duas primeiras aeronaves para a Força Aérea Brasileira e a Força Aérea Sueca no próximo ano”, diz o presidente-executivo da Saab, Håkan Buskhe. “As coisas estão seguindo de acordo com o plano”, disse ele ao discutir os resultados financeiros da empresa de 2017, em 16 de fevereiro.

“Os testes e a avaliação do primeiro avião [protótipo] estão indo extremamente bem. Estamos recebendo dados melhores do que esperávamos”, diz Buskhe. Um segundo protótipo vai se juntar aos testes até o final deste ano.

“É sempre desafiante ter esse tipo de programa, mas, se não for desafiador, provavelmente não será um bom produto no final”, ele observa, enquanto descreve o trabalho de desenvolvimento como um progresso “bastante bom”.

Observando que a Saab está tendo oportunidades potenciais para vender o Gripen E para outras nações, incluindo Canadá, Finlândia e Suíça, ele diz: “Nosso desempenho na entrega também provará que temos um produto pronto”.

Caça Saab Gripen E em voo de testes

Buskhe diz que a Saab esperava concluir as novas vendas de seu Gripen C/D até o final do ano passado, mas esses fatores, incluindo processos políticos em potenciais países clientes, impediram que isso acontecesse. “O número de ofertas possíveis não mudou”, ressalta. “Temos algumas discussões intensivas com alguns países, e há grandes possibilidades durante este ano”.

Com a Força Aérea dos EUA tendo adiado uma decisão em sua competição de treinadores T-X do ano passado até meados de 2018, Buskhe diz que a Saab também gastou “muito mais do que antecipado” na atividade no ano passado. Trabalhando em parceria com a Boeing, empresa líder na licitação, está buscando um contrato para 350 aeronaves a fim de substituir o Northrop T-38 Talon da USAF.

SAIBA MAIS:

136 COMMENTS

  1. A trilogia bem que poderia investigar o futuro padrão de camuflagem dos Gripens… Padrão FAB verde e cinza? Padrão Saab? Camuflagem de superioridade aérea bicolor com as cores da SAAB mas esquema de pintura dos Mirage 2000 do GDA?

    Torço para que não seja esse esquema padrão da SAAB. Acho bem feio.

  2. Quantos dos pilotos caçadores da FAB já estão se qualificando para voar o F-39? (cara!, nessa horas me dá uma baita ‘dor de cotovelo’ de não ter conseguido ingressar na AFA…!)

  3. Este caça desponta como a opção ocidental de um caça moderno e “barato” tornando-o uma forte opção a países que não tem $$ para bancar um F-35, acho questão de tempo a conquista de novos clientes.

  4. A frase: “Vamos nos manter de acordo com o planejado e entregar as duas primeiras aeronaves para a Força Aérea Brasileira e a Força Aérea Sueca no próximo ano” – dá a entender que a FAB vai receber duas e a Suécia também duas, totalizando 4… Bom se fosse né?
    Todavia, esse modelo vai vir para servir de testes na FAB, primeiro esse e em 2021 começam a entrega dos outros em uma sequencia maior! Garanto que a primeira aparição pública será no 7 de Setembro do ano que vem em Brasília!
    Quanto ao padrão de cores, prefiro o de superioridade aérea mesmo – acho que nem o pessoal da FAB se decidiu ainda, pois no material que eles divulgam há vários padrões sendo utilizados, uma coisa pode ser certa, a tinta a ser utilizada deverá ter tecnologia Stealth:
    http://www.aereo.jor.br/2016/03/03/aeronautica-desenvolve-processo-de-pintura-stealth-para-avioes/

  5. Compra a conta gota não vale, por sinal deveriam ter até vergonha de anunciar pois só incentiva os bolivarianos. Que pelo menos se faça como muitos países que dizem “um número indeterminado de item tal foi adquirido”.
    A FAB tem que se adaptar a ameaça e ela não é a Argentina.
    A Venezuela tem 23 Su-30 mais um punhado de F-16. Esse “arsenal” da FAB desapareceria em dois dias de conflito se tivesse sorte de abater todos os alvos da primeira vez e ainda faltaria.
    Onde está um bom míssil antirradiação?? Caso não perceberam a Venezuela tem a defesa antiaérea mais moderna da América do Sul. Eu não confio em um míssil antirradiação fabricado por um país com zero por cento de experiência na área, leia-se MAR-1.
    Onde estão os Taurus KEPD 350 para lidarmos com um S-300?

  6. Acho um risco para o nosso país depender apenas de um vetor. Gostaria muito que além dos GRIPEN, o Brasil tivesse uns F18, visto que a superioridade aérea é algo fundamental, dois modelos de caças além de persuadir, nos previne para as possíveis falhas do GRIPEN. Apostar tudo nele, não seria a minha opção, embora seja um excelente caça!

  7. Gostaria muito de ver o 1o Gripen com a bandeira do Brasil que vi aqui na trilogia! Sei que esta cor não é estratégica, mas ficou lindo e talvez seja uma excelente arma como produto de marketing! Fico de peito inflado vendo o Brasil se equipando, seja Fab, Marinha e exército

  8. Johan.
    O Gripen E não é nada barato, diferente do custo de operação, que sim é atrativo.
    Assim fosse a falida Argentina e outros já o teria comprado.
    No caso do F-35 já sabemos que o programa ficou caro demais, o que encarece o valor final do caça.

  9. Chega 2025 mas não vai chegar 2019! Será muito bom vermos nosso NG por aqui fazendo os primeiros testes em solo brasileiro. Poderia chegar uns 2 NG´s em 2019, né! Mas como venho frizando em alguns posts, acho que ainda assim precisamos de um segundo operador para evitar o single source! NG + Su-35 faria da FAB a mais temível fora EUA. Nossos bravos guerreiros já são sem dúvida mas termos máquinas de primeira linha traria confiança e respeito de qualquer nação. Parabéns á SAAB e FAB.

  10. Por questões de estratégia, imagino que os Gripens provenientes da Suécia irão preservar o tradicional cinza-padrão.
    Já aqueles montados por aqui, devem receber a polêmica camuflagem da FAB. Não é suposição, mas sim preservação do interesse estratégico da tecnologia da pintura.

    Sds.

  11. Nesse ritmo, até 2020 teremos o primeiro esquadrão operacional, já que as entregas vão até 2022 na provável cadência de 12 aeronaves/ano.

    Sds

  12. Ótima noticia… ficar aflito ate 2019 !! aos especialista, até lá teremos quantos F5? as baixas começarão em 2018?
    Os Jordanianos entram em operação?

    Obrigado!

  13. Havia um comentarista assíduo nesse espaço que dizia que os Gripens somente chegariam em 2021. Não havendo nenhuma grande surpresa negativa, ele estava muito enganado (graças a Deus!).

  14. Não precisamos de grandes quantidades de naves, precisamos de qualidade. Mas precisamos de um segundo lote pois só 36 acho insuficiente pra manter a qualidade que a FAB tem. Dá pro começo mas no mínimo tem que haver um segundo lote a vista. Concordam?

  15. Sobre a pintura eu torço para que adotem um estilo mais EuroFighter Typoon.
    E ao que parece o Brasil foi tão sagaz na escolha do Gripen e especificações pessoais que com exceção da Suécia, os demais clientes irão receber a configuração de telas adotado pela FAB e produzido pela brasileira AEL Sistemas. O WAD foi uma modificação da FAB ao projeto original do Gripen, e uma vez eu vi um piloto respondendo que para eles não serviria pois é mais cultural a versão antiga.

  16. E lá vamos nós…
    .
    A SAAB vai entregar o primeiro Gripen da FAB em 2019… E a aeronave não vai vir direto pra cá para operar.
    Assim que forem entregues, essas aeronaves vão iniciar o “período de certificação” da configuração da FAB.
    .
    O Gripen será entregue para operação, no ano de 2021.
    É nesse ano que iniciaram o IOC do caça.

  17. Cor de caça para mim é o padrão metálico dos anos 60/70, como eram os vetustos Mirage III do 1° ALADA …

    Mas a despeito das preferências cromáticas o importante é a chegada do Gripen e a manutenção desse cronograma.

    Como dito no think tank sobre esse projeto, em post anterior da trilogia, algumas das assertivas pronunciadas ali davam conta de que a FAB deveria ter pensando mais em si que no país, e assim teriam caças no estado da arte, via FMS, mas em contrapartida não haveria, por exemplo, a pujança da indústria aeronáutica nacional traduzida hoje pela Embraer … Tais argumentos, naquele contexto confabular, podem ter tido o caráter de meras licenças retóricas.

    Pois ao se levar ao pé da letra tal raciocínio, então, até mesmo nisso estaríamos muito atrasados em relação, por exemplo, à Eritréia e à Etiópia, dois países socialmente miseráveis, com metade das populações abaixo da linha da pobreza, mas com os imponentes e tecnologicamente avançados Sukhoi Su-27 nos hangares de seus esquadrões. E por que não citar nossa vizinha Venezuela …

    Nenhum projeto militar deve estar destoado da dimensão social, política e econômica de um país, até porque é este que detém a soberania, sendo aquele um mero instrumento de seus interesses, e não o contrário como parecem pensar alguns.

    Que venham tantos Gripens quanto forem possíveis à Força Aérea Brasileira e todo o avanço tecnológico resultante à indústria brasileira, sem o qual nenhuma aeronave eleita faria o menor sentido social, político e econômico, por maior que fosse seu sentido militar.

  18. “Com a Força Aérea dos EUA tendo adiado uma decisão em sua competição de treinadores T-X do ano passado até meados de 2018, Buskhe diz que a Saab também gastou “muito mais do que antecipado” na atividade no ano passado.”

    Ta aqui um programa q eu gostaria q a Embraer tivesse participado, mesmo q minimamente. É quase um Baby Gripen rss

    Mas falta $$$

  19. Meio que um “resumo bem resumido”:
    .
    2013- Seleção da SAAB como vencedora do F-X2, no final de 2013.
    2015- Após longo período de negociações, é assinado o contrato para o financiamento do projeto.
    2017- Primeiro voo do protótipo Sueco.
    2019- SAAB entrega 1ª aeronave Brasileira.
    2019- Inicia-se a campanha de certificação da configuração da FAB, com a aeronave entregue.
    2020- Embraer começa a produzir o primeiro monoposto.
    2021- A FAB recebe um lote de 11 aeronaves monoposto com “Capacidade Básica” de operação.
    2021- Inicia-se as campanhas de integração de armamentos
    2021- Primeiro voo do protótipo biposto.
    2022- Embraer entrega o primeiro monoposto feito aqui.
    2023- Entrega do primeiro biposto feito na Embraer.
    2024- Entrega do último biposto feito na Embraer.
    2024- Aeronaves com capacidade operacional plena.
    .
    Entregas para a FAB, creio que vai ser “mais ou menos” isso:
    2021: 11 monoposto
    2022: 9 monoposto
    2023: 8 monoposto
    2024: 8 Biposto

  20. Parabéns a todos os envolvidos. Sobre o potencial de venda para outras nações, incluindo Canadá, Finlândia e Suíça é uma fantasia gigantesca. Somente a Finlândia é um provável comprador. Demais processos de aquisição já estão bem encaminhados com o F-35 e F-18.Voltando a Saab, acredito que este seja o momento ideal de engatarmos o projeto Sea Gripen e fecharmos todas as nossas lacunas.

  21. Dentro desse “resumo bem resumido”, fica claro que deveríamos ter feito leasing de caças Gripen C/D para segurar as pontas pelos próximos 10 anos.
    .
    Mas $$$$…

  22. “Ozawa
    Nenhum projeto militar deve estar destoado da dimensão social, política e econômica de um país, até porque é este que detém a soberania, sendo aquele um mero instrumento de seus interesses, e não o contrário como parecem pensar alguns.”

    Exato. Até pq qm paga a conta é o povo.

  23. O maior atraso foi que o FHC não quis resolver o problema que já se arrastava e passou a bola pro seu sucessor que também deixou rolar, ou seja 3 presidentes, 11 anos pra escolher um caça!

  24. Há um certo canal de defesa no YouTube que se tornou muito popular recentemente. Este canal disse que o primeiro Gripen seria entregue em 2021 e ainda criticou fortemente a FAB e a SAAB por isso, mas não vi uma errata ou pedido de desculpas naquele canal quando essa informação foi demonstrada como errada, já que o primeiro caça será entregue em 2019.

    Por isso devemos tomar extremo cuidado com o que vemos e confiar especialmente em sites já consagrados, como o Poder Aéreo.

  25. Só acho que quando chegar, um extenso programa de marketing deve ser feito em todas as regiões brasileiras, com portões abertos e mídia nas capitais, usando até o Kc390.
    Tudo isso para enaltecer as conquistas, mostrando o trabalho e competências adquiridas, a cadeia produtiva e de empregos gerados, e sobre tudo a necessidade de melhorar a aceitação, o investimento e a presença da FAB para garantir a soberania nacional!!
    E para isso….estas naves devem estar lindonas!!
    Ousem FAB!!! Usem uma camuflagem espetacular!!
    Armada até os dentes como uma foto destas aí no post…..

  26. Compartilho a vontade de alguns colegas de ver os Gripens revivendo o padrão de pintura do Mirage III.
    Na impossibilidade de deixar no metal polido (até porque não deve mais ter muito metal no revestimento moderno), o padrão cinza chumbo do Jaguar tem meu voto!

    Att.

  27. Daglian, o canal não está errado. Em 2019 será entregue uma aeronave NÃO operacional, ou seja, seria o mesmo que achar que o KC-390 já esteja em operação na FAB, quando está no máximo voando para certificações. Então o canal não está errado e por tanto não precisa de nenhuma errata.

    Ah tá, torçamos para que não aconteça nenhum outro problema, gerando assim mais atrasos.

  28. Achava horrível a pintura dos nossos Mirages III.
    Prefiro a atual camuflagem padrão da FAB, a contrário de muitos, não acho feia.
    Coincidência ou não mas as camuflagens mais bonitas foram as utilizadas nos Mirages 2000. Taiwan (cinza claro), dos EAU (marrom desértico), e até do Peru são bonitos.

  29. Independente do padrão, o importante mesmo, é tê-los conosco, operacionais e em mais lotes. Vamos aguardar e continuar na torcida. Saudações a todos, tenham uma ótima noite.

  30. Yuri e Wellington Góes,

    Salvo engano, o canal disse que o Gripen seria recebido em 2021, não que estaria operacional em 2021, e nesse caso ele está, sim, errado. No entanto, se eu cometi um equívoco e foi dito, na realidade, que o Gripen estará operacional somente em 2021, então não entendi as críticas. A FAB só não possuirá os caças antes pela demora do governo federal em decidir o FX-2. O programa Gripen segue o cronograma para a FAB, sem atrasos significativos.

    No mais, duvido fortemente que a FAB vá adotar o padrão de pintura dos F-5EM nos F-39. Não faz sentido algum. Ainda que possa se argumentar a questão da “padronização”, sejamos sinceros, é somente uma pintura de aeronave, não haverá custo significativo numa eventual pintura diferente para os F-39, além de que a pintura tradicional verde e cinza não é a ideal para alguma missão de superioridade aérea que os caças venham a realizar. Em todo caso, como a maioria dos colegas, espero uma pintura similar à do Mirage-2000 na FAB ou pelo menos algum tom de cinza.

    Por fim, ainda que os caças apresentem a pintura tradicional da FAB, ressalto que ao passarmos da discussão desesperada sobre se o FX-2 seria finalizado para, agora, qual será o padrão da pintura dos caças, sofremos um salto qualitativo. Que venha laranja, se tiver que ser.

  31. A algum tempo eu estava vendo os comentários em uma postagem de 2010 quando alguém afirmava que o Gripen NG era um caça de papel, mas hoje vemos os resultados aparecendo, precisamos de um novo lote de pelo menos mais 36 aeronaves para compensar a dita “transferência de tecnologia” … graças ao bom Deus a Jihad Francesa do Rafale se calou .

    Eu torci para o Flanker, mas adorei o Gripen, se vier o Meteor então …

  32. Daniel 21 de Fevereiro de 2018 at 19:40
    Eu particularmente não acho o padrão verde e cinza da FAB feio, só não o acho adequado para caças, mesmo o F-5EM. Entendo que o verde e o cinza, da forma como estão dispostos, são também “discretos”, mas acho o verde prejudicial no caso de um caça, não importa sua tonalidade. Cinza é o ideal, seja ele claro, seja ele mais escuro (como um F-35 ou F-22 por exemplo, excluindo as questões de tinta RAM).

    Evidentemente que se a FAB escolheu o padrão verde/cinza para os F-5EM, ela tem seus motivos que eu, alguém que não é militar, desconhece, e por isso respeito a decisão.

  33. Galante também gosto desse padrão que você colocou na postagem. A propósito vi uma materia onde o ITA teria desenvolvido uma tinta especial para usar no padrão Stealth. Alguém sabe se nossos NG serão pintados com essa tinta mesmo.

  34. Muito demorado.
    Sem falar que é apenas um gripen C alongado.
    E com radar aesa, IRST, que nada têm a ver com o avião.
    Isto é, um avião adicionar um radar aesa não o torna um novo avião.
    Muito diferente de se desenvolver um SU 57, um F35.
    E essa demora toda…
    No final de 2018 lançarão um novo protótipo…
    Tome lentidão…

  35. Olá pessoal, Bem eu acho linda a pintura dos antigos Mirage 2000 da FAB, Ficaria muito boa de certeza! mas eu acho que vão colocar uma pintura parecida com a do f-22 ou F-35 já que temos a tal tinta para diminuir o RCS deve a mesma ser usada e assim acho que vão usar o padrão de pintura que mais ajude a diminuir a ação do radar. a não ser que o uso de qualquer cor e desenho não interfira nisso, mas acredito que não seja assim.

  36. Daglian, o problema n tem nada a ver com a demora na decisão.

    O programa está atrasado em 2 anos. Oq estaremos recebendo ano q vem, eramos pra ter recebido ano passado e o primeiro operacional era pra ta pronto em 2019 e n 2021.

    O canal está certissimo.

  37. Deem graças a Deus que o cronograma está atrasado em apenas dois anos. A situação poderia está bem pior. Vide o exemplo do F-35 que está atrasado em mais de uma década.

    Mas de fato a situação dos F-5M da FAB é preocupante. Eu acredito que devido a isso um segundo lote de Gripens deva ser encomendado bem antes que as entregas do primeiro lote seja finalizada.

  38. Arariboia, pois é!
    Mais cedo tinha visto imagens e vídeos de 4 Su-35, 4 Su-25 e 1 A-50 chegando na base de Khmeimim. Agora nesse vídeo, indiscutivelmente são Su-57.

  39. Uma pergunta, por qnt cada Gripen sairia num segundo lote?

    Já q n teria o valor embutido de ToT, instalações e participação no desenvolvimento do F na soma total.

    Uns $60/70mi cada?

    Um novo lote de 36 custaria então entte $2,2bi e $2,5bi?

  40. Fotografias-imagens aérea e satelital para descobrir onde estão as bases de mísseis e aviões do adversário, e o número de equipamqntos, ficam prejudicadas ou neutralizadas por bom uso de camuflagem.
    A FAB sabe muito bem o que faz para o melhor padrão de pintura de seus aviões para o cenário tropical do Brasil, onde em todo o país predomina o verde. Não se trata de beleza mas de possíveis cenários operacionais tanto em bases no solo espalhadas pelo país, em caso de guerra, como em voo.
    Em países frios, e com parte do ano com quase tudo sendo coberto de neve, e árvores sem folhas, onde o cinza e branco prevalecem, com serras e montanhas brancas, um padrão de pintura nesses moldes é então aconselhável.

    E…
    Parecia que o KC-390 nunca ia chegar, mas chegou, e voou bonito.
    Agora, só mais um pocadinho mais… E é a vez do Gripen NGBR também, chegar e,
    voar lindo pelos nossos céus.

  41. Farroupilha 22 de Fevereiro de 2018 at 1:35

    Se me falassem em 2010 q entrariamos a proxima década com Riachuelo, Gripen e KC390 operacionais eu iria rir e chamar de maluco rs

  42. Yuri 21 de Fevereiro de 2018 at 23:58

    No seguinte link, há um infográfico da própria FAB detalhando o cronograma do Gripen na Força Aérea. Nele, está registrado que em 2019 ocorreria o “Início da Certificação” e o primeiro voo da aeronave FTI (Flight Test Instrumentation) monoposto brasileira. Em nenhum momento, pelo menos segundo esse infográfico, era esperado que o Gripen E estivesse plenamente operacional já em 2019. Nesse sentido, não há (até o momento) qualquer atraso no programa, exceto se já houve alguma mudança de cronograma por parte da FAB, o que eu desconheço.

    http://www.aereo.jor.br/2017/10/03/cronograma-detalhado-do-caca-gripen-da-fab-na-campanha-institucional-dimensao-22/

    Sds

  43. Daglian 22 de Fevereiro de 2018 at 2:18

    Esse é o cronograma já atualizado do ano passado.

    O primeiro vôo do Gripen era pra ter acontecido em 2015, depois foi adiado pra 2016 e depois pra 2017 qnd finalmente levantou vôo.

    Eu posso estar enganado em relação ao contrato brasileiro mas eu acho q ele inicialmente ja estaria operacional em 2019 e n em 2021, mas n posso confirmar.

    Mas o programa em si está sim atrasado por 2 anos.

    Não é uma critica, ate pq 2 anos pra um programa dessa complexidade n é nada, mas q teve atraso, teve.

  44. Olá Yuri!
    .
    O cronograma não está atrasado.
    .
    O plano original era sim da aeronave ter voado antes. Mas isto dependia da assinatura de um contrato de exportação. A Suécia não tinha interesse no novo Gripen agora e se comprometeu em compra-lo caso tivesse um cliente externo, no intuito de viabilizar a nova aeronave.
    .
    Estes cronogramas anteriores tinham valor lá atras, imaginando que o contrato fosse assinado lá na época. Mas demoramos anos para decidir pelo Gripen e depois que decidimos, mais um ano para assinar o contrato.
    .
    Como pode ter atraso se não tinha nem encomenda? É o mesmo que eu, engenheiro civil, prometer em 2015 entregar pra você uma casa em 2018, mas você só compra-la em 2018. Você vai querer que a casa esteja pronta em 2018 se vc não comprou lá em 2015? Não… a casa estará pronta em 3 anos após vc ter comprado, em 2021. Não há atraso.

  45. Essa foto do Gripen que o Galante postou é a mais bonita que já vi em um Gripen.
    Por mim, poderia ser. Mas não vejo nunca a FAB querendo adotar uma pintura “digital”

    Matheus 21 de Fevereiro de 2018 at 19:13
    Os F-5 estão 4 bases hoje…. o número exato não se sabe (no máximo 46), mas que poderiam estar em condições de voo (ou próximo a isso), por volta de 40, ou pouco menos…
    As bases são: Santa Cruz (Jambok e Pif-Paf), Anápolis (Jaguar), Manaus (Pacau) e Canoas (Pampa). Acredito que ainda estejam distribuídos desta forma.

  46. Tenho Fé que a FAB e Suecia serão apenas os primeiros.
    .
    É o unico monoturbina realmente moderno.
    .
    Isto permitirá explorar um nicho dos caças medios na qual todos já possuem celulas de concepção antiga.
    .
    Se insistir neste caminho, vai rolar muita venda afora em face do custo benefício.
    .
    Espero que seja uma reedição do sucesso que foi o Mirage III.
    .
    Tirando ele, só existe o F-35, mas que passa longe do foco “custos”….e tenho certeza que o Gripen NG dará show de operacionalidade…. então….faça sol ou chuva, não como não pensar que será um sucesso de vendas….
    .
    F-18, Mig´s, SU-30/35, F-16 terão um lista razoavel de objeções de diversas naturezas em eventuais concorrencias novas e que se ampliarão ano após ano, na medida em que o F-39 será o caça realmente novo, operacional e acessivel….

  47. Muitos aqui devem ter dificuldade cognitiva ou preguiça ou então fazem perguntas só pra encher o saco mesmo!!

    Leiam, aqui no Poder Aéreo mesmo, o cronograma do F-39 publicado pela FAB no Dimensão 22. Se não conseguirem entender o que está escrito lá, até com desenho (para os mais burrinhos entenderem).

    Haja saco pra ler as mesmas perguntas e dúvidas a cada vez que se fala na entrega dos F-39, sendo que isso já foi falado centenas de vezes aqui e em outros canais. (comentário editado)

  48. Não existe atraso de dois anos…
    .
    Selecionaram a SAAB em 2013, mas só no final de 2015 que acertaram o financiamento do programa. Ninguém trabalha de graça.
    .
    A Suécia comprou os seus 60 praticamente junto com o Brasil, quando acertaram o contrato de financiamento e está seguindo o mesmo cronograma.
    .
    O único “porém” foi a SAAB ter pedido alguns meses para ambos, Brasil e Suécia, para amadurecer o software da aeronave, antes do primeiro vôo. Tudo visando uma maior segurança e tentando evitar erros do passado.

  49. Editores, desculpem-me pelo off-topic. Ultimamente não se tem falado muita coisa a respeito do KC390. Faz um tempo a Engenheira Gata postou que o PT-ZNF voaria novamente. Creio que a as últimas notícias postadas neste espaço são da época do Singapore Airshow. Será que vocês conseguem uma atualização do assunto junto à Embraer e/ou Comando da Aeronáutica?

  50. Esse infográfico bonitinho com desenho foi lançado tem 5 meses já atualizado com o novo cronograma.

    O contrato Saab/Fab pode n estar atrasado, mas o programa sim está.

    Se o primeiro vôo era pra acontecer em 2015 e rolou em 2017 é pq atrasou.

    Não é demérito, ate pq o motivo do atraso n foi nada grave, foi apenas pra melhorar os sistemas, menos mal.

    Mas n precisa dar chilique como se eu tivesse xingando a mãe de alguém, só apontei um atraso, que houve, seja por esse motivo ou aquele.

    Abs

  51. Uma pergunta..talvez boba e ingênua…maissss…sera que no gripen da pra por uns tanques conformais..ai liberaria uns pods pra mais armas..e aumentaria o seu alcance?!?! ( nao sei se ja foi discutido isso aqui) thanks

  52. Rennany Gomes 21 de Fevereiro de 2018 at 18:09
    O maior atraso foi que o FHC não quis resolver o problema que já se arrastava e passou a bola pro seu sucessor que também deixou rolar, ou seja 3 presidentes, 11 anos pra escolher um caça!

    Sei, estaríamos voando com Mirages 2000-5. Grande coisa!

  53. Marcelo Andrade 22 de Fevereiro de 2018 at 15:49

    Teríamos os Mirage 2000 Br há cerca de dez anos. Com sorte teríamos uns 50 ou 60 unidades, com mais sorte estaríamos realizando uma mid life update neste momento e [com mais sorte ainda!!!] em mais uns 15 anos estaríamos recebendo caças novos, uns 40 F-35 A.

    Os Gripen, nesse caso, possivelmente não existiriam.

  54. Marcelo Andrade 22 de Fevereiro de 2018 at 15:4

    Os Mirage 2000 Br seriam algo mais do que os atuais F-5, não? Então, embora a situação não fosse “de outro mundo”, seria [possivelmente] algo bem mais confortável do que está hoje.

  55. Vocês como tudo no Brasil, com algumas exceções, pensam no curto prazo! 60 caças de prateleira. Não estaríamos aprendendo on-the-job nenhuma tecnologia e ainda dependeríamos dos franceses como na época do Mirage 3.

    Se assim fosse, não teríamos a Embraer pois na época muita gente no governo era contra: “Pra que construir aviões se podemos comprá-los à centenas dos excedentes americanos?”

    Graças a Deus que homens com visão BVR como Casemiro Montenegro e Ozires Silva, discordaram!

  56. Alexandre Galante 21 de Fevereiro de 2018 at 19:48

    Que tal essa pintura para o Gripen da FAB?

    Cara, essa é a camuflagem mais bonita em minha opinião! Não sei se seria viável para nosso ambiente, mas que é bonita é rsrsrs.

  57. Continuo tendo a absoluta certeza da necessidade de uma compra de prateleira. Refiro-me a compra de pelo menos 12 aviões de combate para compor um esquadrão na Amazônia. MIG 35, sukoi su35, f18 até mesmo o Rafaele. A situação é crítica na fronteira com Venezuela e sejamos realistas. Esse gripen e uma aposta, não dá para confiar. Temos que ser mais agressivos com essas republiqueta bolivariana!

  58. O que eu quis dizer é que graças a postergação de 11 anos de uma decisão tão crucial, ficamos com uma força aérea capenga durante as 2 primeiras décadas do século e um gap que só irá ser parcialmente preenchido em 2024 e, 36 caças não são suficientes, precisamos de pelo menos o dobro e, quanto ao Gripen torci por ele e pelo projeto sueco desde o inicio mas a FA está pagando um preço altíssimo que só será resolvido quiçá no final da próxima década.

  59. Acho que essa camuflagem pixelizada que vc mostrou ficaria bem nos Gripen da FAB, Galante…. mas sugeriria nela um certo tom esverdeado bem discreto.

  60. Quem vai definir o padrão de pintura do F-39 é a Quarta Subchefia do EMAER. Postaram aí ¨ouvi dizer, parece que a pintura vai ser assim assado…¨. Não sei de onde tiram essas idéias.
    Pintura custa caro, sim.
    O Mirage 2000 já veio da França naquele padrão de pintura, e a FAB não viu necessidade em mudar.

  61. Alguns falavam 2021, eu sempre disse que seria 2019, 2021 serão os primeiros GRIPEN feitos na EMBRAER.

    Em relação a pintura dos caças há um motivo para aquele verde e cinza que a FAB usa, é uma tinta especial que diminui a detectação da aeronave por radares inimigos, uma tinta que foi desenvolvida por brasileiros inclusive.

    Me preocupo com a aquisição de misseis isso sim, precisamos de no mínimo 150 misseis A-DARTER e 150 misseis BVR para termos caças afiados de fato.

  62. A FAB precisa de no mínimo 84 caças Gripen E/F para suprir suas necessidades, podendo enfim desativar todos F-5M até 2030. Ainda creio que os AMX modernizados ficarão até 2035, uns 20 caças.

  63. Qnt custaria um segundo lote ja sem os custos de transferência de tecnologia, instalações e participação no desenvolvimento da versão F?

    Uns 70mi cada?
    2.5bi por mais 36 caças?

  64. Yuri 23 de Fevereiro de 2018 at 0:59
    Esses 2,5 bilhões de Temers são obtidos em cerca de apenas 8½h de arrecadação de impostos.
    Uma quantia que seria para dar mais Defesa e respeito, no estado da arte, para nosso país por muitos anos. Ou seja, seria muito bem aplicada.
    Que esse 2° lote venha e o mais rápido possível.

  65. Infelizmente só vão discutir um segundo lote em 2024, no ano que chegarão as ultimas unidades do primeiro, e com sorte, continuamos a produção em 2025-2030.

    O preço por unidade do caça tende a ser menor, o primeiro lote foram 5,4 bilhões de dólares por 36 caças, creio que um preço semelhante por 48 unidades seja possível ou até menos, já vamos saber montar, já teremos as instalações, e já teremos absorvido muitas tecnologias, e treinando pilotos em solo brasileiro.

    Creio que seja certo a aquisição de um segundo lote, a EMBRAER vai agir muito em prol disso junto com a FAB, salvo se tivermos outra crise econômica por estes anos rsrs… creio que no mínimo outros 36, o ideal seriam 48.

    Lá pelos anos 2000 tínhamos como primeira linha 14 Mirage III e 46 F-5E, 60 caças mais os AMX, se chegarmos a 72 Gripen E mais uns 20 A-1M está razoável, um único Gripen vale por 3 F-5M.

  66. Torço também pra o esquema de pintura ser igual aos M2000 ou ainda dos Mirage IIIBR, aviões históricos na FAB, seria uma bela homenagem, mais do que isso é mais bonito, o padrão camuflagem da FAB hoje não é feio é bacana até, mais aceitável na minha opinião para aviões de transporte, helicópteros, e aviões de ataque como o Super Tucano, mais para caça , ainda que Multifunção como sera o Gripen é esquisito me da a impressão de “avião mais lento e velho”

    Veja os F-5E , guando usavam esquema cinza de baixa visibilidade, pareciam mais sofisticados:

    http://www.rudnei.cunha.nom.br/FAB/en/f-5.html

  67. mf, 23:41h.
    De onde vc tirou que o padrão verde e cinza é material de absorção de energia eletromagnética? Quem te falou? Um cabo que é amigo do primo do vizinho que serve no COMGAP?

  68. Adoraria ver o Gripen com uma dessas camuflagens digitalizadas ai, mesmo sabendo que vai ser uma dor de cabeça incrível reproduzi-la em escala pra minha coleção kkkkk… mas acho difícil.
    Certa vez pesquisando sobre as cores e padrões de pintura das aeronaves da FAB, me deparei com uma norma da própria FAB de 2016 em que diz que as aeronaves serão pintadas de acordo com o cenário de emprego:
    Média Altitude: Cinza (C767)
    Baixa altitude sobre o mar: Cinza (P3)
    Baixa altitude sobre terreno: Camuflado Verde e Cinza (F5 A29 etc…)

    O Mirage 2000 da FAB tinha previsão (documento de 2006) para receber a pintura totalmente cinza, porém o tempo previsto de operação dele, até onde sei, não justificou a repintura dele aqui no Brasil, ainda assim alguns (2 ou 3) receberam um retoque de pintura que os deixou sutilmente diferentes dos demais com a pintura “original francesa”, além de terem recebido as marcações em “preto baixa visibilidade”

    Mas como a esperança é a última que morre, quem sabe não apareça, em um futuro em breve, uma alternativa
    á camuflagem totalmente cinza, quem sabe uma que se aproxime dessa atual utilizada pela Suécia ou talvez próxima da utilizada pela Africa do Sul. Vai que né?
    Abraço

  69. mf 23 de Fevereiro de 2018 at 2:21
    O preço por unidade do caça tende a ser menor, o primeiro lote foram 5,4 bilhões de dólares por 36 caças, creio que um preço semelhante por 48 unidades seja possível ou até menos
    .
    Mf, isso é difícil de acontecer, a modernização dos F-5 só aumentou com o passar do tempo, a do segundo lote ficou bem mais cara que o primeiro, foi objeto de discussão nos blogs.

  70. André Luiz.’. 21 de Fevereiro de 2018 at 15:19
    Alguém sabe como anda a conversão dos nossos caçadores para o F-39?… Já começou?, ou quando vai começar? Já estão treinando nos simuladores, etc?…

  71. O treinamento dos pilotos não começou ainda. O Grupo Fox, liderado pelo Leite, no COMPREP, é quem definirá isso. Cel Mioni, o piloto que trouxe o primeiro F-2000 para o Brasil, num vôo direto Dakkar /Anápolis (com alguns REVO), é o atual comandante da ALA 2. Leite também fez parte do primeiro grupo de pilotos de F-2000 (8 pilotos).

  72. Cel. Nery,

    Na contratação de um hipotético segundo lote de 36 aeronaves, com mais oito bipostos, totalizando dezesseis caças deste modelo, o senhor acharia interessante centralizar todos os bipostos num esquadrão de treinamento em Natal, como é feito na Suécia, ou a melhor alternativa é dispersá-los entre todos os esquadrões que possuirão o Gripen, funcionando mais como aeronaves de transição operacional?

  73. A FAB nunca teve uma OCU (Operational Conversion Unit), mas podem pensar nisso. Sediar em Natal significa dotar a base de logística para o Gripen e simuladores. Não tomaria essa decisão. Por que lá?

  74. Hélio Henrique, para que serviriam Gripens C/D agora, faltando tão pouco tempo para recebermos os E/F. Se pensou, lá atrás, em 2013/2014, em adquirir alguns para cobrir a desativação dos Mirage 2000. Mas, não foi adiante, por falta de células disponíveis na Suécia e pelo custo envolvido.
    Agora, não teria o menor sentido. Os F-5M já cumpriram, e vem cunprindo, muito bem sua função no GDA,

  75. Pintura em um caça é uma questao mais furtiva que pessoal. O tatataravo da Suzana Richthofen que matou os pais pra ficar com a herança deles. Manfred Albrecht Freiherr von Richthofen
    também conhecido como Barão Vermelho, foi um piloto de caça alemão na Primeira Guerra Mundial e é considerado ainda hoje como o “ás dos ases”. Servindo no braço aéreo do Exército Imperial Alemão ele foi um líder militar, e como piloto se tornou um ás da aviação , obtendo o maior número de vitórias (oitenta) de um único piloto durante a Primeira Guerra. Perguntado que camuflagem ele preefria que pintasse o seu avião., ele respondeu : “ Vermelho.” _ “ Mas comandante ai os nossos inimigos vão ver o seu avião de longe – disse um mecãnico ao grande Barão e ele respondeu : .” Isso mesmo vermelho. Eu quero que eles me vejam e tremam.” Por tanto seja qual for a camuflagem do nosso Grifo , que nossos vizinhos o vejam e TREMAM. Ta vendo Nunão o Aéreo também é cultura..KKKK

  76. Muito poucas aeronaves e uma demora muito grande para chegar a primeira unidade … Alias acredito que talvez so em 2021 teremos alguns dos nossos caças gripens totalmente operacionais … o Ideal seria nos conseguimos algo em torno de 80 caças gripens e como sou um defensor de que o Brasil tenha um LIFT seria ótimo contar também com 80 M-346 FA/T (Advanced Trainer/Light Attack) fabricados aqui no Brasil em parceria com a Embraer para substituir os ja cansados A1-AMXs

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here