Home Aviação Comercial Relembre como foi a privatização da Embraer em 1994

Relembre como foi a privatização da Embraer em 1994

4001
49
AEL Sistemas
Aviões da Embraer em 1985

Embraer foi privatizada por R$ 154,1 milhões

FERNANDO CANZIAN
DA REPORTAGEM LOCAL

A Empresa Brasileira de Aeronáutica (Embraer) –e outras quatro coligadas– foi privatizada ontem (7.12.1994) em apenas 57 minutos na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) por R$ 154,1 milhões.

O valor foi pago integralmente em títulos da dívida de estatais (“moedas podres”). O preço ficou 0,3% acima do valor mínimo fixado para o leilão.

Consórcio liderado pelo Banco Bozano, Simonsen, representando fundos de pensão brasileiros e investidores internacionais, adquiriu 71,37% das ações ordinárias (com direito a voto) leiloadas, segundo a Bovespa.

Os grupos representados pelo Bozano, Simonsen agora detêm 40% do controle acionário da Embraer, segundo o diretor financeiro da empresa, Manoel de Oliveira.
A participação da União na Embraer caiu para menos de 20%.

O leilão envolveu 55,4% das ações ordinárias (com direito a voto) da Embraer.

Lotes
No total, foram leiloados 3.074 lotes de ações (com 1,032 milhão de ações cada) ao preço médio final de R$ 48,57 o lote de mil.

O Bozano, Simonsen comprou 2.194 lotes. Parte foi adquirida em nome da Sistel (fundo dos funcionários da Telebrás, com 543 lotes) e da Previ (do Banco do Brasil, com 542 lotes).

Outros 896 lotes foram adquiridos pela Bozano, Simonsen Limited em nome de investidores internacionais –que compraram 33% das ações leiloadas, representando 18% do capital ordinário.

O restante das aquisições do Bozano, Simonsen foram feitas em nome da Bozano, Simonsen Leasing (189 lotes) e da Caixa dos Empregados da Usiminas (24).

A corretora Primus, que teve a segunda maior participação no leilão, de 6% sobre o total das ações ofertadas (ou 176 lotes), operou em nome da Caixa de Previdência dos Funcionários do BNB, do Instituto Aeros de Seguridade Social e do Nucleos Instituto de Seguridade Social.

Segundo o edital de privatização da Embraer, os novos donos serão obrigados, de imediato, a investir R$ 30 milhões na empresa. Esta foi a condição do governo federal para aceitar 100% em “moedas podres” no leilão.

Estrangeiros
O leilão de ontem foi o que contou, até agora, com a maior participação de investidores internacionais no programa de privatização brasileiro.

Neste programa, foram vendidas 15 empresas durante o governo de Fernando Collor de Mello e 18 companhias (incluindo a Embraer) na gestão Itamar Franco.

O processo de privatização da Embraer demorou 1.059 dias para ser concretizado. Junto com a companhia, foram privatizadas as coligadas Neiva (aviões leves e agrícolas), a EAC (braço norte-americano da Embraer), a EAE (divisão européia) e a Embraer Divisão de Equipamentos.

“Na mão da iniciativa privada, a empresa terá mais chances e liderdade para crescer”, disse ontem o atual presidente da Embraer, Osiris Silva, que acompanhou o leilão na Bovespa junto com o presidente do Programa Nacional de Desestatização, André Franco Montoro Filho. Participaram também o presidente da CVM, Tosta de Sá, e o brigadeiro Eliscanda Barros, do conselho da empresa.

FONTE: Arquivo Folha de São Paulo/UOL

49 COMMENTS

  1. Uma coisa é privatizar uma estatal ineficiente, mas estratégica e assim permanecer em mãos, outra coisa é ela ser adquirida por estrangeiros. Exemplo disso é o histórico do que ocorreu com outras empresas do setor e que ficaram em mãos estrangeiras. Caso da HELIBRAS E CELMA, agora, com a aquisição pela BOEING, a EMBRAER vai pelo mesmo caminho das duas citadas.

  2. É um segmento que depende de fortes subsídios estatais, independente se as empresas são privadas ou públicas. A privatização evitou uma derrama maior e alçou a empresa a vôos impensáveis antes. Sempre aproveitando nichos não explorados pelas duas gigantes do setor, o que se por um lado a tornou líder também a impediu de ganhar escala. Os resultados que importam – $$$, patinam desde os anos 2000. Abraços e feliz 2018 a todos.

  3. Leonardo as grandes empresas de aviação da Russia e a SAAB sueca nasceram como estatais e já naquela época fabricavam e desenvolviam tecnologia de ponta, o que só continuou com suas privatizações. Muitas empresas americanas, inclusive as de tecnologia aeronáutica, sempre se beneficiaram de programas conduzidos pelo governo americanos como os da NASA e junto com esses volumosos recursos públicos. O fato não é ser estatal ou privada, o fato é ter uma boa gestão tanto das empresas quanto dos governos de seus respectivos países, unidos em um projeto de país. Coisa que infelizmente o Brasil, seja no setor público ou privado; civil ou militar; pela esquerda ou direita não tem!

  4. Privado ou Público, sempre dependerão de Boa Gestão. E é apenas a isso que o sucesso da Embraer e o insucesso da VASP devem.
    Nem a privatização e nem a estatização garantem “nada” do que a Embraer se tornou.

  5. Wellington, antes de repetir mantras sobre estrangeiros e outras coisas tolas, procure se inteirar melhor sobre a atual situacao das 2 empresas q voce citou. Qto a Embraer, procure arejar sua opiniao e enxergue com mais otimismo o que podera sair dessa parceria ou sei la o que. Essa falsa ideia de nacionalismo nunca trouxe beneficios para nos aqui no Brasil, muito ao contrario, so nos trouxe bilhoes de dolares em prejuizos mensuraveis ou nao e isso nao enche e nunca encheu o estomago duma maioria e muito menos empregos. Tente olhar e ou enxergar melhor o quadro a frente da economia mundial sem paixoes……nao havera espaco para novos players nesse mercado, nao importa se chineses ou russos. Estes so terao mesmo seus mercados cativos e todos quao conhecam esses mercados sabem do desses numeros (Nunca mais de 20 % da demanda mundial). Faca um bom exercicio sobre esse assunto economicamente falando para os proximos 30 anos, mas nao copie o que a Airbus e Boeing ja sabem rsrsrsrsr. Entao eh o seguinte…..a Embraer esta numa encruzilhada sobre o que quer ser nesse mercado, adivinha a qual conclusao chegaram……..sera q la nessa empresa sao todos idiotas ou nosd aqui eh q damos paçpite demais. Mais uma coisa, so quem ja viveu o suficiente eh que pode ter uma opiniao mais clara sobre o que foi, o que eh e como sera. Sds

    • Não é que os executivos da Embraer são idiotas ou nao(muito pelo contrario), mas sim se esta venda vai ser boa para o país e para os brasileiros, pois o que é bom para os executivos da Embraer não necessariamente é o melhor(economicamente e em termos de estratégia) para o Brasil. Os caras são simplesmente investidores e só enxergam seu próprio lucro, e a coisa que com certeza não pesou nada na decisão deles é nossos empregos ou pior ainda nossos estômagos vazios.

  6. Esqueceram de citar que após a privatização os “estadunidense malvados”, já naquela época, conspiravam contra nós. Não esqueçam as sabotagens nos aviões da Embraer.

  7. Os estadunidenses malvados, através da NSA, forneceram os contatos dos engenheiros da Embraer, de modo que o pessoal da Bombardier pudessem contrata-los, ou vocês acham que o pessoal da Bombardier ligaram para o Presidente vida Embraer para pegar os nomes dos engenheiros???

  8. Há uma diferença brutal entre algo público e privado, quem trabalhou nos 2 meios sabe exatamente as diferenças.
    Para a sociedade há uma diferença muito importante: os ônus de falência e de ineficiência de uma empresa privada são absorvidos pela organização (donos), não pela sociedade.
    Em regra uma empresa mal gerida deve ir a falência, nada de socorro estatal, nada de proteger empregos, nada de proteção estatal com “mil desculpas”.
    Um banco irresponsável deve falir, uma montadora ruim deve falir etc…
    essa conversa de perder empregos é conversa mole, em uma país aberto, com facilidades para empreender e com bom nível de renda, sempre haverá investidores interessados no mercado.
    Basta ver nos EUA em 2008, muitas empresas faliram, com isso muitas empresas foram compradas por outras ou simplesmente sumiram, dando espaço para outras e com isso gerando novos empregos.
    O mesmo vale para o Brasil entre 2013 e 2016, mais de 1 milhão de CNPJ desapareceram nesse período, as empresas que não conseguiram sumiram, atualmente outras estão emergindo e ganhando espaço, gerando empregos novamente.
    Eu acho inaceitável esse tipo de concluio entre donos de grandes empresas e políticos, sempre com essa desculpa de “proteger empregos”.
    Quando a Varig faliu eu não perdi dinheiro, quando a Nokia faliu eu não perdi dinheiro, quando qualquer empresa tem perdas por corrupção, ineficiência ou decisões de negócios errados, EU NÃO PERCO NADA.
    Tributos dos contribuintes deve ser empregado em setor coletivos: saneamento, saúde, segurança pública etc…e não salvando empresas de financiadores de políticos e partidos.
    Eu não estou nem aí se a empresa é brasileira ou estrangeira, quero produto bom e barato, que respeito o meio ambiente, que respeite funcionários através de um ambiente saudável de trabalho e boa remuneração, não vou consumir algo de brasileiro pelo simples fato de ser brasileiro.
    O mesmo vale para políticos, eu particularmente gostaria muito de votar em estrangeiros caso fosse possível, pois de brasileiro já vi que não vai sair nada de bom…só esquema e interesses particulares.
    TukhMD 3 de Janeiro de 2018 at 16:42
    “”É um segmento que depende de fortes subsídios estatais””
    Esses subsídios servem justamente para expulsar outras empresas do mercado, os próprios empresários (os grandes que representam menos de 0,01%) defendem impostos elevados e muita burocracia justamente para dificultar a entrada de outros concorrentes, adoram uma regulação estatal. Subsídio é uma forma de corrupção, não traz nada de bom…fornecem dificuldades para depois entregar “facilidades” para melhorar os negócios.
    Se eu fosse presidente fecharia o BNDES no outro dia, grandes empresas que vão buscar dinheiro com debentures, venda de ações na bolsa de valores, parcerias, crédito bancário, fundos de investimentos, funsões etc…o que não é aceitável são casos como JBS, empresa extremamente rica recebendo dezenas de bilhões de bancos públicos, dinheiro que deveria ser empregado em setores de interesse coletivo: saúde, segurança, pagamento de dívida pública, sanemanto etc…

    • “os ônus de falência e de ineficiência de uma empresa privada são absorvidos pela organização (donos), não pela sociedade.”
      Nem sempre, vide OI/Telemar

  9. Um verdadeiro festival de insanidade os posts daqui. Sem lógica, sem argumentos e até alguns sem um pingo de verdade.
    Como comédia até dá para rir um pouco… Ou chorar de dó.
    Será que estes posts seguidos, sobre o mesmo assunto, sem fatos novos relevantes não são apenas para gerar acessos ao site e agradar anunciantes???
    Se é para postar teorias conspiratórias… Vai a minha…

  10. o acordo de hoje não tem NADA a ver com uma privatização… quem apoia agora, no futuro irá se arrepender, a não ser que esteja sendo beneficiado. BRASIL IL IL IL

  11. Como é engraçado: em caso de vitória da Embraer na concorrência OA-X, o contrato inicial de 120 aeronaves (USD 1.500 bilhão), possa ser ampliado para até 300, chegando ao valor de USD 3.500 bilhões. O valor de mercado da Embraer até o anúncio eram de R$ 12.520 bilhões, que convertidos em dólares, dariam cerca de USD 3.800 bilhões. Ou seja, somente com esta concorrência, o contribuinte americano, pagará a Boeing pela compra da Embraer. Pensava que só aqui, que o contribuinte pagava para empresa comprar a concorrência…

  12. sub-urbano 3 de Janeiro de 2018 at 20:52
    Inúmeras empresas chinesas pertencem a fundos de investimento ou empresas japoneses, americanos e europeus. Na outra ponta, há muitas empresas americanas, europeias e japonesas nas mãos de chineses.
    No caso da Embraer até o momento é uma parceria com resalvas em algumas áreas, ou seja, não é necessariamente “vender” a empresa do jeito que foi expresso.
    O pessoal aqui adora fazer acordos e parcerias nos EUA, principalmente quando os negócios são para vender Kc-390, super tucano e avião comercial, mas quando ocorre o oposto, a Boeing fazer parceria com a Embraer para expandir negócios, aí é o fim do mundo, estão roubando o Brasil. Vocês não acham de deve ter muito americano “nacionalista” reclamando da Embraer estar apenas “””usando””” a Sierra Nevada para invadir o mercado americano? Será que tem gente lá reclamando do fato do super-Tucano ser possivelmente o vencedor da disputa????
    Embraer vender super-tucano a USAF e outros países, ter fábrica nos EUA, ter ações vendidas na Bolsa dos EUA, vender inúmeros aviões comerciais nos EUA com parcerias (principal destino dos aviões Embraer), DAÍ PODE! nesse caso os EUA não podem reclamar do Brasil roubar empregos deles?
    Já o oposto, a Boeing ampliar vendas no nosso mercado, DAÍ NÃO PODE!

  13. “Luiz Fernando 3 de Janeiro de 2018 at 19:46
    Será que estes posts seguidos, sobre o mesmo assunto, sem fatos novos relevantes não são apenas para gerar acessos ao site e agradar anunciantes???
    Se é para postar teorias conspiratórias… Vai a minha…”

    Pronto, sobrou para os editores do site. Tava demorando…

  14. Esquecem que quando a EMBRAER era do governo era necessário sair no Diário Oficial a autorização para algum engenheiro viajar ao exterior para resolver algum problema relacionado ao Bandeirante. Absurdos que não permitiriam a empresa sobreviver se não fosse a privatização. O governo cumpriu seu papel no fomento da indústria mas a privatização era inevitável para a sobrevivência assim como alguma espécie de união com outra empresa será vital para a manutenção de seu mercado. Sds.

  15. Pessoal, por um leigo contribuinte!
    1- ainda não vi grandes empresas privadas falirem e dar prejuízo aos seus donos. Em geral, a contá cai aqui, no contribuinte.
    2- se não haverá empresas nacionais para absorver tecnologia do gripen, o projeto deve ser suspenso. Existem outras opções mais baratas, de 2a mao, para equilibrar poder aéreo regional.
    3- estou seguro que os engenheiros brasileiros poderão montar spin-off de food-truck
    4- tem uma matéria por aqui mostrando como a FAerea pode ajudar no patrulhamento urbano deixando essas coisas como soberania, desenvolvimento e democracia para os vermelhos. Assim o desempenho das bolsas, das ações, de NYork poderão render muito mais.

  16. Frederico Curado fala sobre os 20 anos da privatização da Embraer

    https://www.youtube.com/watch?v=cQyR-TAITiw

    “Luiz Fernando 3 de Janeiro de 2018 at 19:46
    Será que estes posts seguidos, sobre o mesmo assunto, sem fatos novos relevantes não são apenas para gerar acessos ao site e agradar anunciantes???
    Se é para postar teorias conspiratórias… Vai a minha…”

    NÃO, o tema é relevante.

  17. Maravilha, a EMBRAER foi salva momentos antes de ser aparelhada e dilapidada como a Petrobras, Correios e outras… PRIVATIZA TUUUDOOO..

  18. Em 1993:

    ■ fabrica em São José dos
    Campos 2 modelos comerciais—
    o EMB-110 Bandeirante
    e o EMB-120 Brasília
    e 2 militares — o EMB-312
    Tucano e o AMX, este último
    em conjunto com empresas
    italianas;
    • monta na Neiva o avião
    agrícola EMB-201A Ipanema,
    de concepção própria,
    além de aeronaves e helicópteros (??)
    leves sob licença;
    ■ desenvolve no presente 3
    novos modelos — o
    CBA-123 Vector, conjuntamente
    com a FMA argentina,
    o jato regional,
    EMB-145 e o Super Tucano;
    e
    ■ tem o EMB-312 Tucano
    montado sob licença no Egito
    e na Irlanda do Norte.

    E hoje fabrica o quê e é lider em quê seguimentos ?

    Fosse estatal e sob as garras do estado.

    Importante: O atual contrôle acionário é estrangeiro e há muito tempo.

  19. Pois é até hoje não conseguiriam encontrar elementos para contrariar o que o jornalista Aloysio Biondi publicou, esta lá o preto no branco, não foi privatizado foi entregue a preço de banana.

  20. _________________________
    _________________________

    A Petrobras já deveria ter sido privatizada na mesma época que foi a Embraer e Vale.

    O petróleo é nosso é? Pois com a gasolina á R$ 4,30 o litro e em várias cidades já está acima de R$ 5,00, e detalhe, gasolina batizada com etanol de baixa qualidade com aval do governo, quero mais é que a Petrobras se exploda ou vendam-na a qualquer um que esteja disposto a compra-la. Empresa estatal só serve para ser ineficiente, saqueada e servir de cabide de emprego para parasitas incompetentes.

    O que é setor petrolífero no Brasil hoje, é que era o setor de telefonia no passado. Lembro até hoje que meu pai ficou cerca de 8 anos numa lista de espera para poder adquirir um linha telefônica para nossa residência. Olhem os Correios que lixo de empresa ineficiente e sem qualidade. Mal chega aos pés de uma FEDEX. Michel Temer não tem pretensão a releição, então ele poderia aproveitar e privatizar tudo o que ele conseguisse em 2018. Por mim, que vendam até os bancos públicos, os quais eu faço questão de não ter conta corrente ou possuir cartões de crédito.

    COMENTÁRIO EDITADO. AJUDE A MANTER O BLOG LIVRE DA INTERMINÁVEL BRIGA DE COXINHAS E MORTADELAS

  21. Tem um pessoal que se diz de direita e que enche o peito para defender privatizações.
    Eu detesto comunismo e seus filhotes.
    Considero-me nacionalista.
    Sempre me orgulhei da Embraer e dos seus últimos feitos.
    Só dando tacadas certeiras, algumas, inclusive, fruto da época em que era estatal. Já havia o tucano. O suprrtucano estava em desenvolvimento.
    O mesmo que está prestes a ganhar concorrência nos EUA.
    Não concordo com venda.
    Atualmente não existe controle de nenhum grupo específico.
    Parece até que anda sozinha… Sem um grupo pensante… Mas funciona…
    Entregar a Embraer para a Boeing para quê?
    Se for entregue, não há mais motivo para ter orgulho do KC 390. Um jato da Boeing, como muitas empresas e produtos anteriormente adquiridos pela Boeing.
    Macdonalds Douglas? MD 11? O que é isso?
    Perderemos nossa empresa, uma das poucas de alta tecnologia…
    Continuaremos, por sorte, vendendo frango e boi…
    Até o dia que a JBS (que não é mais orgulho de ser brasileira) for adquirida por uma empresa americana ou saudita ou chinesa.
    O fato é que o pequeno quando se sobressai, o grande cria inveja e quer engolir.
    E geralmente tenta remunerar muito bem quem sair do caminho da refeição…
    O que é melhor?
    Ser uma ex empresa nacional?
    Ser uma empresa nacional não tão bem sucedida, não tão grande, mas desenvolvendo bons produtos?

  22. Estatal é tão bom mas tão bom, que até uma empresa sem concorrência quebra… A diferença é que se uma privada quebra o problema é dos donos, se uma estatal quebra é injetado mais dinheiro do tesouro para manter a ineficiência de sempre…

  23. Foi bom enquanto durou. A EMBRAER jamais conseguirá competir contra alguma investida da BOING em seu nicho de atuação. O mesmo se aplica contra a AIRBUS-BOMBARDIER. A “parceria” se torna, portanto, inevitável.

  24. Meu deus, eu vejo os comentários no blog, fico imaginando que estou na Coreia do Norte ou na Venezuela como essas defesas nacionalistas (na verdade a maioria nem sabem o que estão escrevendo). Graça a deus que a Embraer foi privatizada senão ela jamais se tornaria o que e hoje. (apesar de tudo o Collor foi até hoje o único presidente que tinha uma visão e uma política de futuro a longo prazo, pois simplesmente abriu a economia brasileira para o mundo, e se tivesse continuado os projetos de modernização econômica e educacional, tenho certeza que seriamos uma nação mais justa e desenvolvida, pois naquela época ele começou a construção das escolas de tempo integral que foram boicotada pelos coronéis da política e pelos partidos da esquerda). Vcs acham empresa chinesa de aviação não ficaria louca para uma parceria dessa, coloquem na cabeça se a Embraer não fazer essa parceria, a Boeing faz com outra, a Mitsubishi do Japão ou a Saab devem esta esta torcendo para que essa parceria não saia, se não tiverem tentando negociando com a Boeing por fora. Só vejo os comentários nacionalistas colocando as desvantagens. Mais ninguém analisou as vantagens que são centenas de vezes maiores. A Embraer vai te acesso a linha de financiamentos inúmeras vezes mais vantajosas que a do BNDES (sendo que esse vai ter um enorme fôlego para pode financia outros projetos, como da Novaer). Vai ter acesso a um mercado civil e militar 100 x maior que o atual, não se esqueçam que cada venda do KC 390 ou super tucano mesmo que fabricado no EUA gerar uma porcentagem de lucro a FAB. E por ultimo a Boeing só teve interesse pela Embraer não por causa de seus aviões e sim por causa de sua mão de obra, sendo que essa mão de obra e quase toda do ITA (que vai continua sendo uma universidade brasileira e fornecendo inúmeros engenheiros altamente capacitados). Então parem com esse mimi de conspiração, nacionalismo ultrapassado, essa e uma oportunidade gigante. Por isso sempre falo na minhas aulas, a China e muito mais capitalista que nos, de vez de aproveitamos as oportunidades do capitalismo preferimos fica reclamando como coitadinhos.

  25. Legal. Agora a Boeing pode ficar associada tanto à EMBRAER quanto à SAAB. Excelente. A união dessas três pode gerar algumas coisas fantásticas.

  26. Às vezes eu acho que um liberal ama mais esse país do que um ufanista cego.

    O ufanista cego consegue sentir orgulho de estatal que presta serviço de péssima qualidade e de estatal que produz gasolina de péssima qualidade e ainda cobra um preço altíssimo, grita “O petróleo é nosso” mas é barrado em qualquer sede e refinaria dessa estatal.

    Mais vale uma privatizada gerando lucro e empregos do que uma estatal falida servindo de cabide político.

  27. Welington…..seria muito bom mesmo e com certeza voce se tornaria num bom debatedor e com mais conhecimento. Alem do mais, sua ironia nao vai ajuda-lo em nada, mas continue por esse caminho, a vida vai lhe ensinar muito mais. Aprenda tbm a viver com a divergencias inda que lhes pareca insuportaveis. Vendo sob minha perspectiva ate reconheco q em algumsentido o que voce escreeu, porem e com absoluta tranquilidade posso te adiantar q suas observacoes estao perdidas no passado e nao cabem no futuro logo adiante. Sds

  28. Eduardo Holanda, o dia que a Petrobras for privatizada você verá as refinarias sendo desativadas uma após outra. A gasolina, o óleo diesel, os lubrificantes e demais derivados serão todos importados. Se serão mais baratos ou mais caros , o tempo dirá. Aqui em Curitiba havia uma fábrica de uréia, a Ultrafértil, bem o fhc a privatizou, o dono americano a fechou , e hoje importamos uréia, que é usado na agricultura. Assim, aos poucos estamos voltando ao Brasil de 1930, onde não se fabricava, quase nada e quase tudo era importado.

  29. Tomara que volte logo ao Brasil de 1930, assim pelo menos desistimos desse negócio de industrialização logo de uma vez. Aliás, poderíamos fatiar logo o Brasil e vendê-lo logo de uma vez. Acredito que uma administração qualquer seja muito mais eficiente do que aquela que temos agora (e que sempre tivemos, fora uma ou outra exceção, TALVEZ). Assim não precisamos nos preocupar com absolutamente nada, apenas em trabalhar na lavoura e nos campos e virarmos o grande celeiro do Mundo, com investimentos (estrangeiros, claro) para o aumento da produção de alimentos. Tudo administrado por fora.

    Afinal de contas, se alguém de fora compra uma fábrica e em seguida a fecha, obrigando todos à importarem determinado produto antes fabricado por aqui, então por que nenhum empresário local assumiu a fábrica e arrebanhou esse óbvio nicho de mercado com lucro garantido? Isso é apenas mais um exemplo de que esse país onde vivemos não é sério. As pessoas não tem a mínima vontade de fazer isso aqui funcionar e arranjam sempre uma desculpa esfarrapada de fatores externos como sendo o grande motivo do nosso próprio fracasso. O Brasil está assim porque o POVO brasileiro não quer nada com a vida, e não o contrário. É o POVO brasileiro que não fica indignado com os governantes e vota nos mesmos safados repetidamente. Então para que insistir? Loteia o país e leiloa tudo para fora. Assim, quando as coisas não derem certo, podem culpar os estrangeiros com total justiça.

  30. Aurélio só para não fica que tudo que acontece no Brasil e culpa dos americanos, veja de onde o Brasil importa a uréia, e na época da Ultrafértil e só atendia 5% do mercado, e era altamente deficitaria, resumindo eu, vc pagava para ela funciona.
    – Canadá
    – Rússia
    – Alemanha
    – Israel
    – Estados Unidos
    – Espanha
    – Chile
    – Reino Unido
    – Holanda

  31. Prezado Aurelio, seu comentario eh mais do que inutil e fora de qualquer fato historico que o consubstancie. Dito dessa forma , fica parecendo tao simples que nem da pra discutir. Mas serio mesmo, meu avo eh dessa epoca ee era proprietario de fazenda aqui em Sao Paulo e pelo que ele sempre contava, a vida era bem mais simples e nao haviam tao gdes distorcoes como ha hoje. Tudo comecou a piorar mesmo a partir da intervencao de Getulio Vargas eda intromissao do estado em todos os aspectos da vida dos cidadaos. Dali pra frente a historia eh sempre contada por figuras carimbadas de nossa politica podre e da mesma forma conduzida ate os dias de hoje a base de MENTIRAS e UFANISMO da pior especie que vem doutrinando as mentes mais fracas.
    Mas o melhor dos comentarios ate agora fica mesmo por conta do foi escrito pelo Leandro Costa…..digno de ter minha assinatura , irrepreensivel e quer gostem ou nao, essa e a triste realidade. Brasil, pais de ……..

  32. Os defensores do estado dono de tudo esquecem que, se uma fabrica privatizada for fechada, é porque dá prejuízo ou lucro menor do que fabricas em paises mais liberais que o Brasil. Ou seja o pais que quer ditar a hora que vc deve trabalhar ou descansar é o mesmo que gera uma economia ineficiente e improdutiva, que acaba valendo a pena usar fábricas dos EUA ou China. Privatizar é o começo, mas o processo só se completa quando tirarmos o estado da vida das pessoas. Empresas privatizadas que não fecharam como Embraer e Vale é porque ou são de nicho muito especifico como a Embraer ou porque já são suficientemente internacionalizadas. O exemplo da fabrica de uréia é clássico para demonstrar que uma economia fraca não mantem fabrica aberta a não ser com dinheiro do tesouro. O estatismo é uma doença infanto-juvenil que só cura com a maturidade, afinal temos de crescer e sermos responsáveis pelos próprios atos, deixando de culpar o estado por tudo de ruim que acontece.

  33. Nos últimos anos observo esta polarização, seja em qualquer campo/tema e, na maioria das vezes argumentos sem fundamentação.
    Como diria o Cap. Nascimento: “jamais serão”.

  34. O Estado Unidos é o país que mais protege seu patrimônio, eles não entregam seu patrimonio de mão beijada, para cederem algum tipo de tecnologia estratégica tem que passar pelo congresso e aí o bicho pega. Mesmo as tecnologias da empresas privadas. Querem entregar a Embraer depois de tudo que o governo investiu para ter as tecnologias que possuímos, pode não ser muito, mas é assim que se faz uma nação forte e independente. Este negócio de misturar corrupção com negócios não dá, uma coisa e corrupção e outra e entregar de graça o que possuímos.
    ___________________
    ___________________

    Não queiram comprar a nossa Embraer, que dela depende nossa autonomia de Defesa, e levar nossa tecnologia e dar uma banana para os brasileiros. Isso é bem coisa de Americanos querendo engoliu tudo e para os corruptos é prisão.

    COMENTÁRIO EDITADO. MODERE O LINGUAJAR.

  35. Aurelio,
    Não fale do que você desconhece. Uréia é um produto de baixo valor agresgado produzido por quem tem MP barata (gas natural). Refino segue uma lógica econômica totalmente diversa. Você é taxista?

  36. Todo mundo mete o pau falando que estatal é ineficiente e não serve para nada, mas a Embraer só é o que é, porque ela foi estatal e desde os primórdios o governo gastou milhões com formação de mão de obra qualificada que não tinha no Brasil, para se criar um bom produto. uma empresa só sobrevive no mercado privado se tiver um bom produto para vender. Duvido que alguma empresa privada gaste anos investindo somente e formação de mão de obra antes de ter um produto. isso só o estado faz.

  37. O Brasil recebeu em desenvolvimento de tecnologia, pesquisa, infraestrutura, formação de pessoal, qualificação de mão de obra, know how estratégico, cadeia produtiva e também em empregos e tributos milhares de vezes o valor pago em leilão. Mesmo de graça teria valido a pena essa privatização!

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here