Home Aviação de Caça Caça F-35 é pego espionando

Caça F-35 é pego espionando

26596
117
F-35 da Noruega

Por Jamie Seidel

A campanha de marketing deixa claro: o F-35 justifica seu enorme custo e carga de armas limitada por ser furtividade e por ser extremamente bem informado.

Mas seus clientes internacionais provavelmente não esperavam isso.

As autoridades de defesa norueguesas pegaram um dos seus novos aviões furtivos F-35A Lightning II Block 3F de $A 120 milhões enviando dados confidenciais de volta ao seu fabricante dos EUA – Lockheed Martin.

A Noruega é o primeiro usuário não-americano do F-35 a ter um pacote de software de missão crítica habilitado através da provisão de arquivos de dados de missão.

É um banco de dados crítico e um pacote de software que finalmente entrega o que os vídeos publicitários têm prometido há mais de uma década: “consciência situacional revolucionária”.

Mas parece que a “consciência situacional” corta dos dois lados.

Acontece que a megacorporação militar dos EUA está recebendo telemetria detalhada de tudo o que os pilotos noruegueses estão realizando em suas instalações de Fort Worth, no Texas.

Agente duplo

A Noruega encomendou 40 dos jatos, com uma opção para mais 12. Ela recebeu seus primeiros três aviões em novembro.

Um problema já compreendido pela maioria dos usuários de smartphones: “o desenvolvimento do F-16 para o F-35 é como comparar um antigo Nokia 3210 com um iPhone X. À medida que o número de recursos aumenta, os dados também estão aumentando e a necessidade de protegê-los”, disse o consultor do Ministério da Defesa da Noruega, Lars Gjemble, ao site ABC Nyheter.

“De certa forma, parece o problema das informações que seu iPhone compartilha com os fabricantes”.

Simplificando, o fabricante está rastreando e avaliando os hábitos dos pilotos noruegueses.

Enquanto a privacidade é uma preocupação quando se trata de internet pessoal e uso de smartphones, torna-se uma questão completamente diferente quando aplicada às forças armadas.

“Devido a considerações nacionais, há uma necessidade de um filtro onde os países usuários podem excluir dados confidenciais do fluxo de dados que é compartilhado pelo sistema com o fabricante Lockheed Martin”, disse Gjemble ao ABC Nyheter.

FONTE: News Mail, publicado em 2 de dezembro de 2017

117 COMMENTS

  1. Descobriram certa vez nos F-16 turcos um transmissor pequeno. Imagina se os americanos não vão monitorar os F-35 vendidos.
    A LM tenta justificar que é um sistema no F-35 para auxiliar a logística e o aperfeiçoamento do caça. De um jeito ou de outro os americanos vão monitorar os F-35 vendidos, seja qual desculpa for.

  2. Pode isto Arnaldo ???
    Se estiver naquelas linhas com letrinha pequena no contrato….
    Mas acho que norueguês não é bobo.
    Imagina se depois de colhidos e armazenados pela LM, os dados caem na mão de ciber espiões russos.
    Idem para aeronaves ching-ling….
    Bem vindo ao futuro !

    Sds.

  3. Olá, Baschera.

    Os americanos não aceitaram vender o F-22 a ninguém, os chineses também não colocarão à venda o J-20.
    É até previsível que os americanos não fossem dar tanta liberdade com relação ao F-35.

  4. Space Jockey 5 de dezembro de 2017 at 15:10

    Não amigo! O Tigroso esquerdista dizia que o F-35 era vulnerável a um Flanker “cheio de mísseis”….mas esqueceu de dizer que se um Flanker limpo já tem RCS de árvore de natal, imagine “cheio de mísseis”
    No mais, eu me alinho ao Manuel Flavio. E fica a pergunta: que dados a LM conseguiu obter dos F-35I da Heyl Ha’Avir? Certamente algo que decepcionou quem acredita que um aparelho teria sido “danificado” por um S-200 sírio….

  5. O F-35 não é invisível, mas uma miragem, um engodo… Quanto dos bilhões gastos no desenvolvimento deste aparelho não foram desviados para outras finalidades? Quanto do dinheiro dos “sócios” do programa não alimentaram as contas da LM??? Não confio em ninguém, mas russos, americanos, chineses, franceses e ingleses… Bom, digamos que gosto deles bem, mas bem, longe daqui.

  6. As vezes o mais simples é melhor. Caixinha preta, se bobear “desplugam” ele em pleno voo, é só digitar o códigozinho secreto 😀

  7. O avião mais “invisível” jamais comercializado é o que permite o maior controle por parte dos fabricantes/país de origem, uma senhora ironia não?

  8. Na boa, será que vocês acham que aparelhos de outras origens estão livres de serem monitorados de uma forma ou de outra pelos fabricantes ou países de origem? É bem provável que exista algo assim no Rafale…

  9. Não é natimorto, é “too big to fail”, vão injetar quanto dinheiro for necessário para este projeto dar certo, nem que seja na marra. Não tem outra opção, neste ponto que já é sem volta.

  10. Interessante é que a matéria saiu em um jornal da Austrália, terra do notório Carlo Kopp, o cara que segundo as (não tão) más línguas teria pedido uma boquinha no programa JSF e como teria sido recusado passou a atacar o mesmo….

  11. HMS TIRELESS na verdade as ultimas declarações da USAF apontam que o F-35 é mais furtivo que o F-22, pelo menos na banda X provavelmente.

  12. O maior e mais caro bêco sem saída que os EUA entraram!
    Na história da aviação militar não há nada igual!
    Foi o marketing que disse que ele (Natimorto) é limitado!
    Acho que é pra não ter que devolver dinheiro!

  13. Na verdade os clientes estão todos cientes disse. O F-35 descarrega a telemetria de cada voo automaticamente. Isso nunca foi segredo para nenhum dos clientes.

  14. O artigo do famoso “quem??” não cita ninguém! Nenhum nome! Fato ocorrido sem ser humano envolvido. Isso é que é o cúmulo da automação.
    Ou então é o direito de sigilo da fonte jornalística levada ao extremo.

  15. Pelo visto, em sendo verdade, a Noruega vai devolver os que já têm e cancelar os restantes e entrar com um pedido de indenização ao fabricante e ao governo americano. Simples assim! Logo, logo, saberemos a fidelidade da notícia e suas implicações práticas no mundo real.

  16. Bosco 5 de dezembro de 2017 at 15:58
    Verdade! Afinal isso seria inadmissível para um país integrante da OTAN, especialmente um que possui um parlamento ranheta como é o caso da Noruega. Ocorre que a própria notícia é de um nonsense incrível, parece até fabricada. Basta ver que a noticia fala em “autoridades de defesa”norueguesas mas não vai muito além disso

  17. Pois é!
    Esse f-35 já foi chamuscado S-200 Sírio e pego bisbilhotando!
    Os fatos estão aí!!!
    Espero que “todos” saibam o que seja um” fato “!
    Ou não?!??

  18. Moral da História:
    “Quem não quer que o prolongamento do seu intestino se machuque, construa sua própria cadeira”
    (Velho ditado chinês que deveria ter sido dito)

  19. Na verdade Bosco a notícia é verdade, mas com aquela dose de sensacinalismo. O F-35 descarrega a telemetria do voo automaticamente para o fabricante, isso faz parte do sistema de manutenção automatizado e em rede. Não é nada que os clientes não saibam desde sempre. Ou seja, ninguém foi pego de surpresa, isso é papo furado. Eu sei disso desde os primórdios do programa.

  20. Pois é… a Geopolítica não não é jogo para amadores, pois não existem bonzinhos nele. A Noruega, e demais parceiros já deveriam saber disso há muito tempo. Mas os seus governantes , se a noticia for verdadeira, não vão deixar barato..

  21. Tem gente que acredita em Papai Noel, Coelhinho da Páscoa, Duende, Transferência de Tecnologia, Que o F-35 teria sido atingido por vetusto SAM russo e que um dia o Su-57 vai entrar em serviço….rs!

  22. Antigamente eles se limitavam a instalar rastreadores ,agora já estão “crackeando” por completo o bixo , em caso de conflito contra algum aliado da OTAN o avião decola e volta sozinho para o texas kkkk

  23. RicardoNB 5 de dezembro de 2017 at 16:09

    E já há bastante tempo que essa telemetria existe não apenas no F-35 como também em outros aviões militares. E até mesmo na aviação civil isso existe, como é o caso do ACARS da Airbus.

  24. Sérgio Luis fatos ? Fatos são baseados em algo concreto. O que existe de concreto em um S-200 atingir um F-35 ? Isso é tão concreto quanto o F-35 que destruiu um S-300, vc vai vasculhar a net e vai encontrar apenas uma lenda baseada em suposições altamente duvidodas.

  25. Pelo que entendi o texto so fala o que pode acontecer ja que a Lockheed recebe dados do avião e não o que vem ocorrendo. Tem uma distorção nos fatos mas a consideração final é importante, penso eu que um aliado da Otan nao vai ligar muito pra isso mas um operador fora da Otan tirando Cs e o Japão e de ser preocupar.

  26. Vocês já pesquisaram o autor da notícia? Veja o tipo de notícias que ele costuma dar:

    “ANU astrophysicists Aditya Chopra and Charley Lineweaver just killed ET! ”

    Tradução:

    “Astrofísicos da Universidade Nacional da Austrália Aditya Chopra e Charley Lineweaver, acabaram de matar o ET”.

    Jornalista sério.

  27. HMS TIRELESS exatamente. Nada de novo, o drama é apenas pq no caso do F-35 isso ocorre de forma automática a cada voo e vai para os servidores da LM via rede. E o operador pode se sentir “invadido”. Mas todos já tinham ciência disso. É uma drama tão besta que sei não … Transformam um dilema simples e de amplo conhecimento em um caso de espionagem. Meu Deus.

  28. Augusto, o aparelho está entrando em serviço agora ou seja, doutrina de emprego, perfil operacional, tudo isso está sendo escrito agora com base na experiência operacional que o aparelho vai ganhando. E para isso a telemetria sem dúvida contribui. Ademais a notícia é claramente sensacionalista, serve apenas para enganar os dois “Ts” (trouxas que leem Sputnik e Southfront e os Trolls)

  29. Bosco 5 de dezembro de 2017 at 15:55

    Bosco, os dados do sistema ALIS do F-35 são enviados automaticamente para a Lockheed Martin. Eu já li essas informações na Combat Aircraft e na Air International.
    A LM lá nos EUA tem tanta informação sobre cada aeronave quanto a equipe da terra da Força Aérea do país que opera.

  30. Galera, na boa.

    Qual o espanto na matéria.
    TODOS sabem disso, até os que fingem não saber.

    E concordo com o amigo ai que diz que as outras empresas fazem o mesmo.

    Americano não é santo e muito menos bobo. Pq russos, franceses, chineses haviam de der?

    Ah, os suecos também não são, diga-se de passagem.

    Quer um avião sem estas condições?

    Fabrique o seu. FABRICAR no sentido e concepção total da palavra.

    Não montar.

  31. RicardoNB 5 de dezembro de 2017 at 16:19
    Coisas de mídia sensacionalista, certamente a serviço de algum interesse escusos (tal como o famoso Carlo Kopp)

  32. Alguns estão vendo como propaganda para os russos. Acho que não é por aí. O Pak Fa e o FGFA tem seus problemas também…
    Uma coisa não exclui a outra.

  33. rl 5 de dezembro de 2017 at 16:21

    Olha ninguém é santo, mas não é bom nivelar as coisas. Cada opção vai ter suas vantagens e desvantagens e é bom a gente saber diferenciar.

  34. Com telemetria, sem telemetria, eu queria uns 60 aqui… Pilotos noruegueses testando o F-35 em solo americano, nas instalaçòes da LM e esta recebendo dados destas operações? Qual o problema? Este vetor está sendo comercializado, montado, fabricado e em alguns casos ( Israel , por exemplo) sendo incrementado por membros da OTAN e dos principais aliados dos EUA! Eu acompanho diariamente e admito que não sei 10% do que muita gente boa sabe aqui, mas o site está inundado de informações técnicas e da política de desenvolvimento e emprego de um monte de meios aéreos, não só do F-35. Então seria prudente ler um pouco antes de metralhar via teclado.

  35. Alexandre Galante 5 de dezembro de 2017 at 16:42

    O “inseto”presente no F-16 paquistanês deveu-se ao fato de que esse país compartilhou diversos dados do caça com a China. E segundo um conhecido jornalista Islamabad teria mesmo fornecido um Viper para os chineses.

  36. O fato é !!!!!
    Só tem críticas sobre esse … Não sei o que!!!
    Tô aguardando elogios sobre esse “Não sei o que !!!” Mas não aparece e esse é o problema!
    Caça?!?! (Mas precisa de escolta!)
    Caça-bombardeiro?!?! ( Mas é limitado)
    Caça- (dinheiro dos outros!!!!) Isso sim!

  37. Americanos sendo americanos, quem acha que vai usar equipamento militar americano sem ser espionado por eles, eh bem bobinho. Os Europeus que sao bobos e ainda ficam comprando equipamento americano.

  38. Pergunta de leigo daqueles bem leigos: A Saab receberá dados dos nossos gripens descarregados automaticamente também? Obrigado.

  39. João Argolo,

    Esse é um sistema do F-35, havia 6 candidatos no FX2 e se a FAB fosse obrigada a engolir isso o caça sueco teria sido descartado.
    Ademais, não há nenhuma notícia sobre algo do tipo nos Gripens exportados.

  40. Jean-Marc Jardino 5 de dezembro de 2017 at 17:28

    Aproveita e conta para a gente sobre o vergonhoso embargo francês a Israel, que impediu o país de receber os Mirage V que ajudou a desenvolver e que inclusive já havia pago

  41. Jeff 5 de dezembro de 2017 at 15:32
    As vezes o mais simples é melhor. Caixinha preta, se bobear “desplugam” ele em pleno voo, é só digitar o códigozinho secreto 😀

    ———————————————————————————
    Comentário perfeito, amigo. Sempre penso nisto. Será que em uma situação de conflito entre estes países isto não seria possível? Por isso que penso que todo país gigante, nos tempos modernos em que vivemos, deveria tentar construir a maior parte de suas aeronaves, navios e tanques. Claro que não é nada fácil, viável e barato, mas o nível de segurança é sempre maior. Tudo hoje em dia pode ser rastreado e controlado remotamente. Imaginem daqui a algumas décadas…

  42. Papan 5 de dezembro de 2017 at 17:54

    Israel compra caças dos EUA há 50 anos e com eles impôs uma gritante superioridade aérea no Oriente Médio. Não dá para sonhar com os mesmos?

  43. 737-800 RJ 5 de dezembro de 2017 at 17:56

    O problema é quando isso vira justificativa para o assalto ao Estado Brasileiro

  44. É por isso que na velha e famosa disputa Rafale x Gripen eu sempre fui a favor de que a gente não comprasse nenhum dos dois e usasse o dinheiro para desenvolver um caça 100% brasileiro, desenvolvido aqui. Sairia uma porcaria, seria inferior, mas seria o começo. É assim que funciona. Começaríamos fabricando um “fusquinha” e com o tempo e o desenvolvimento, estaríamos aptos a fabricar “mercedes”.

    Se os Estados Unidos nos atacarem levaremos coro mesmo, com ou sem Gripen.

    Se a Venezuela nos atacar por via aérea, levaremos coro também, com ou sem Gripen (mas pelo menos, no caso Venezuelano, seríamos superior em outros quesitos).

    Então, se é para apanhar, vamos apanhar usando nossos próprios caças. E, com o tempo, quem sabe não nos desenvolvemos. Um dia, chegaremos lá.

    Está na hora de pensar grande, de saber que o Brasil pode ser como os Estados Unidos ou a Rússia. Só precisamos dar o primeiro passo e nos desvencilhar dessa mentalidade de sermos sempre cachorrinhos dos EUA e que não há alternativa; se não formos os cachorrinhos dos Estados Unidos, seremos da Rússia ou da China. Bobagem. Temos condições de sermos os donos do nosso próprio nariz.

    OBS: Entre Gripen e Rafale, eu prefiria o Rafale, mesmo mais caro. Começar a desenvolver nossa defesa a partir da plataforma francesa, esse seria o caminho. O Lula foi incompetente em muitas coisas, mas nisso ele estava certo. Porque se fóssemos comprar da Rússia, que seria o mais vantajoso, os idiotas úteis pró-americanos, e os próprios americanos claro, iriam gritar que nem bichas histéricas e teríamos diversos problemas práticos. Então, esqueça a Rússia e o equipamento russo, mas vamos nos desvencilhar dos Estados Unidos comprando equipamento francês, que é ótimo. Só é caro. Mas nem sempre o mais barato é o melhor.

  45. Pois é por isso que a FAB queria código fonte aberto no caça do FX2, para poder checar inteirinho se tinha alguma linha traidora escondida. Além de poder fazer por conta própria toda modificação e integração necessária.
    F-35 e 18 melaram a venda para o Brasil porque os amis não aceitaram que caças novos e modernos deles voassem livres e soltos nas mãos de nosotros.
    Espertos eles e esperta nossa FAB.

  46. A noticia aqui e sobre sobre o F35 …..mas algumas pessoas já começa a falar de SU57 , lamentável!! E neste ponto que separamos o conhecimento técnico e o amadorismo das torcidas…E sobre o F35 hoje saiu a noticia e as fotos , do lugar da carenagem que ele perdeu lá nos treinamentos que estão acontecendo no Japão..
    Mas o que e estranho quando os japoneses falaram os americanos negaram ,mas ai surgiu as fotos e eles voltaram atrás e confirmaram….

  47. Que extremo absurdo! Nossos amigos noruegueses também estão sendo espionados pelos satânicos e demoníacos imperialistas do norte! Eu já sabia! É isso que dá fazer negócios com essa gente! Deveriam mesmo é ter comprado os poderosos e fodásticos caças tecnológicos e no estado da arte da nossa grande Mãe Rússia! Aí sim! não existiria nada disso, rsrs

  48. Se não fosse o importante e conveniente apoio dos EUA para Israel, este já tinha sido vertido do mapa. A Rússia através da Síria e do Iran já tinha tomado aquele território, não vamos misturar as opiniões em relação a espionagem americana em relação aos seus caças para outros países.

  49. Sérgio, o que essa notícia diz respeito à furtividade do F-35? Pq até agora você foi o único que encontrou uma relação.

  50. Quer falar mal do F35, ok! Não sou americano (infelizmente) e não tenho nada a ver com isso. Agora tem gente escreve pelos cotovelos: “natimorto”, “não é tão furtivo assim”, “recursos desviados”, “uma fria, maior fracasso da história” etc… ajuda aí né! Se possuem informações, por favor compartilhem, sejam elas boas ou ruins, querem falar dos defeitos do caça, ok, existe material de sobra na internet, mas por favor procurem dar um pouco de fundamento as suas críticas, senão fica parecendo lavadeira que perdeu o sabão. Em tempo, a Noruega é um país integrante do programa JSF, treinando em solo americano, não acho que irão se descabelar com o uso da telemetria pela Loockheed. Aproveito para compartilhar um belo vídeo com os amigos, 2 F35 holandeses, treinando no Rainbow Canyon CA.
    https://www.facebook.com/dafydd.phillips3/videos/1873010179394459/

  51. Bruno Wecelau,
    Que o F-35 pode ter perdido uma “pecinha” é verdade, mas essa que os americanos negaram até serem confrontados pela foto será que não é imaginação da sua cabeça não???

  52. Se a LM pode saber tudo que os F-35 fora dos EUA fazem, daí para intervirem em seus sistemas durante voo em caso de ações desaprovadas pelos EUA é um pulo.
    .
    Agora todos já sabem porque Israel monitora os F-35 recebidos e faz questão de aviônica própria.
    .
    Nunca mais ditei que o F-18SH era a melhor compra. Sou F-39 desde criancinha.
    .
    E não é que a Maria Lacoste tinha razão ? Tem um chip no F-35 !

  53. Os EUA faz uma operação com 240 caças a 10.000 km do país e aí cai uma pecinha de unzinho só e é o maior alvoroço. rsrsss Haja munição para o SputnikNewsFantasticWorld. rsrsss
    O caça é americano, não é marciano não. Cai peça, pneu fura, piloto caga dentro do cockpit, piloto espirra dentro da máscara de O2, rrsrss.

  54. Se o F-35 tem um sistema de suprimento controlado pela LM onde não é necessário fazer pedidos para as revisões, porque a fábrica detecta as horas voadas e controla as revisões, sempre esteve claro aos usuários que sua utilização é monitorada, conforme ja disse o Alexandre Galante, isso é contratual e conhecido.
    O problema é se saber a verdadeira extensão deste envio de informações dos F-35 para a LM, exatamente qual a amplitude do que é controlado.

  55. Legal, o pessoal da Noruega descobriu 50% do problema, o downlink. O pior sera o uplink, esse so irão um pouco tarde D+.
    There is no free lunch !
    😉

  56. Meu caro Bosco a fonte foi a NIPON NEWS..
    Me parece que VC e um leitor assíduo da saudosa Sputniknews ,pois nunca a esquece…Mas se esta noticia foi noticiada lá , então ela não e tão mentirosa assim..
    E outra não foi em treinamento com 240 aeronaves , foi num vôo de rotina que aconteceu no dia 30/11..
    Procure se informar primeiro para responder um comentário…
    Boa noite..

  57. Que coisa horrível, aviãozinho sem jeito esse.
    Esse avião é tão ruim, mas TÃO RUIM, que na FAB há que dê uma perna e um braço para ter um esquadrão deles por aqui.

    Na China e na Russia dariam mais…

  58. É por isso que Israel recebe a aeronave e incrementa com eletrônica e armas de sua procedência. É aquela coisa: a telemetria é algo trivial e está no contrato que o fabricante receberá dados… mas a dúvida é se há ou não algo mais… quem não investe em defesa e compra tudo de prateleira nas mãos de “aliados”, corre o risco de levantar vôo e na hora H tudo travar…
    Não precisa desenvolver tudo, mas fazer o que a Suécia e Israel fazem… armas e tecnologia sensível eles tentam controlar.

    Sds.

  59. HMS TIRELLES
    Opaa, saiu uma noticia não muito “digna” do seu f-35, e por causa disso vc ataca o Su-57, que não é o assunto dessa matéria.

  60. Delfim Sobreira 5 de dezembro de 2017 at 19:15
    Quem disse que estes aviões made in USA vem com um “chipinho” que ninguém sabe o que tem dentro foi um brigadeiro da FAB, apenas reproduzi o que o militar declarou em uma palestra sobre a Força Aérea e quando respondeu a uma pergunta sobre o Gripen.

  61. Bruno Wecelau,
    Eu não respondi nada. Só perguntei!! E sim, eu leio muito o Sputnik mas não tenho o costume de ler o Nipon News. Só arranho o japonês mas sou fluente em russo.
    おやすみなさい

  62. Mas mais relevante que a pecinha que caiu do F-35 foi um C-2 com 11 pessoas a bordo que caiu dia 22/11 lá perto de Okinawa. Isso sim é que foi uma “pecinha” problemática.

  63. Fábio Jeffer, a notícia é sensacionalista e, ao que tudo indica, mentirosa! Quanto ao Su-57 eu não o ataquei mas apenas disse a verdade.

  64. Papan, de onde você tira essas bobagens que escreve? A URSS, muito mais poderosa que a Rússia atual, apesar de ter despejado quantidades incalculáveis de armamentos nos países árabes, foi incapaz de derrotar Israel. A Síria perdeu quatro guerras e incontáveis escaramuças contra o Estado Judeu e o Irã, caso ataque Israel, pode sofrer um ataque nuclear que inevitavelmente transformaria Teerã em um aterro radioativo.

    Assim, sugiro a você escrever essas coisas lá no PlanoBarril pois aqui a conversa é outra..😉

  65. Normal… mesmo porque.

    A partir de agosto de 2018 a Rússia terá sua própria internet. Bem como esta substituindo todos os hubs e switches que interligam suas redes de computadores por fabricados localmente.

    E o sistema operacional dos computadores estatais…por um versão “caseira” do Linux.

    Em resumo… no mundo digital…se quer privacidade e segurança…faça tudo você mesmo.

    ps. lembrando que a Rússia fabrica sua própria CPU… claro…bem inferior a uma Intel.

  66. Tem momentos que fica chato esse Grenal. Se alguém posta um dado, informação, matéria, etc, que de alguma forma atinge o F35….alguns tem um ataque cardíaco.

    Tietar um objeto é coisa de guri. E se alguém ñ curtiu, RECLAME com os editores….pois foi através deles que eu e muitos souberam dessa suspeita. E como me consta o Aero ñ costuma publicar asneira.

  67. Tem momentos que fica chato esse Grenal. Se alguém posta um dado, informação, matéria, etc, que de alguma forma atinge o F35….alguns tem um ataque cardíaco.

    Tietar um objeto é coisa de guri. E se alguém ñ curtiu, RECLAME com os editores….pois foi através deles que eu e muitos souberam dessa suspeita. me consta o Aero ñ costuma publicar asneira.

  68. Caraca, meu!
    Se o efinho perde peça no ar (um painel de acesso de manutenção), páh! que é que tem?

    Se o software do efinho ctrl c ctrl v tudo que o cliente faz com ele, páh! que é que tem?
    Se o jotinha (J20) perde peça no ar (ainda não vi relatos, mas hora ou outra vai acontecer, normal), páh! lixo chinês, escória, xingling, porcaria!
    Se o software do jotinha (bom, esse ainda não vi indicativo que vai ser exportado, mas rolando grana alta? Chinês gosta de um bom negócio, né?) ctrl c ctrl v tudo o que o cliente faz, páh! lixo chinês, escória, malditos chineses espiões, xingling, porcaria!

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    É hilário, meu! A Lockheed tem Lobby aqui no PA também!

    ps.: Aos odiadores, usei o jotinha apenas como abstração. Coloquem no lugar o avião e o fabricante que quiserem (desde que não seja o efinho, claro!) que essa lógica viciada dá na mesma.
    Ah, e se alguém souber dos detalhes dos contratos dos compradores dos f35, puxa vida, postem aí para a gente ver!

    Falando para os comentaristas sérios agora, a guerra (fogo amigo, no caso?) pelo acesso, controle e distribuição de informação atingiu níveis que até bem pouco tempo atrás acreditávamos ser coisa apenas de ficção científica. É de assustar. E no caso de aeronaves americanas, até onde sei, e posso estar bastante equivocado, a programação não é modular. São milhares (milhões?) de linhas de códigos, sabe-se lá quanta coisa esquisita tem ali no meio criada para pegar informação de maneira bem discreta (stealth-passada-de-perna) e mandar para Maryland. Como dizia minha sábia vózinha: o mundo é dos espertos!

    Abraço

  69. Conforme a matéria …
    AGÊNCIA DE INTELIGÊNCIA

    No cerne do problema, a inteligência artificial da F-35 é denominada ALIS: é responsável pelo registro de dados de desempenho, além de monitorar e otimizar o sofisticado equipamento da aeronave.

    Para fazer isso, ele “telefona para casa” para o Texas.

    A Noruega diz que ficou impaciente com os atrasos constantes na provisão prometida de um “filtro” de dados pela Lockheed Martin. Então, começou seu próprio projeto para encontrar maneiras de bloquear seus novos F-35 de reportar de volta aos seus antigos mestres dos EUA.

    Também está preocupado que não seja capaz de otimizar – ou proteger – os arquivos de dados da missão extremamente sensíveis. Esses pacotes de dados otimizam o desempenho da aeronave sob diferentes condições, bem como fornecem uma base de dados de desafios e condições regionais.

    Mais uma vez, a Noruega quer Lockheed Martin fora do circuito.

    “A Noruega entrou em parceria com a Itália para financiar conjuntamente a aquisição e operação de um laboratório onde podemos inserir dados sensíveis a nível nacional, como fazemos atualmente na F-16”, disse Gjemble.
    ————————————————————–
    Parece bem claro nesse trecho da notícia que a Noruega não aceita que suas informações críticas de missão sejam enviadas para os EUA.
    É um direito deles. Eu quero o produto, e não ser espionado nas minhas atividades.
    ————————————————————–
    Para o colega que perguntou se o Gripen enviaria informações para a SAAB, sim enviará.
    Mas a FAB possui controle do código fonte. Os engenheiros Brasileiros estão lá agora trabalhando nele, para a tristeza de alguns aqui no PA.

  70. O que acho estranho é que as notícias vêm de países que são os compradores.
    E tem de tudo aqui …
    -O jornalista está contra o projeto
    -A fonte é Fake News
    -Um cara queria fazer parte do projeto e saiu falando mal por que não foi aceito …
    -A notícia é comprada
    Tem de tudo …
    Só falta falarem que …
    -Os Russos estão interferindo no desenvolvimento, que nem fizeram com a eleição do Trump!
    -Os Australianos e Noruegueses são comunistas e contra o F35.
    Agora … imagina se fosse o Gripen !!!
    Meu chapéu !!! Desgraça ia ser pouca pro que iam falar !!!

  71. O Onix da Chevrolet tem o My Link …
    Ele avisa troca de óleo, revisão, se tu bater e acionar o airbag o pessoal te liga … Uma belezura !!!
    Mas nem por isso, eles ficam monitorando se estou em um cabaré ou no cinema com a esposa e os filhos.
    É o caso aqui …
    Tem que informar as horas de vôo, ok !!!
    Mas não o envelope de missão dos caras.
    Ah, e a matéria cita nome, sim !!! Lars Gjemble.
    Não é anônima !!!

  72. Isso já ocorre com ocorre com as aeronaves comerciais a algum tempo.
    Sua operação, os parâmetros de voo e o funcionamento dos sistemas é monitorado em tempo real.

  73. Carlos Eduardo Maciel acho q vc e alguns n entenderam que os sócios sempre somberam que o F-35 descarrega a telemetria automaticamente. O que se questiona é o sensacionalismo criado com algo que sempre existiu e todos sabiam.

  74. Nos últimos 40 anos que acompanho a aviação civil e militar nunca percebi qualquer incapacidade dos Norte-Americanos em fazer um avião eficiente. Quem tem mais de 50 anos como Eu deverá lembrar o que era o “mico” do F-16 (segundo a imprensa especializada) em sua implantação. Um sofisticado avião recheado de problemas insolúveis. Acho que todos sabemos o final dessa historia. Acredito que com o F-35 acontecerá o mesmo e o potencial do menino é tão grande que deve ser monitorado mesmo (eu faria isso se construí-se esse “menino”). Quanto a venderem tecnologias de ponta para o Brasil, é bom lembrar que durante os governos do Lulla e da Dilma o Brasil (dado as suas posições politicas) não era visto pelos EUA como um “aliado estratégico” estávamos mais para um Pais que precisava ser melhor acompanhado/monitorado/espionado). Segue o jogo, os aviões americanos são tão ineficientes que os Russos e Chineses não perdem a mania de copiar as aves americanas.

  75. Bosco 6 de dezembro de 2017 at 8:12

    Boscão você foi na veia! Mas o melhor da sputnice não é o seu conteúdo mas sim os comentários. Vejam agora o mais risível:
    “mais um pais de vassalo e de governo corrupto compra aviões dos americanos alem de serem inferiores aos dos russos ainda são muitos mais caros portanto a comissão deve ser bem maior alem dos mesmos serem espiões dos americanos”

    Moral da história: Quem lê e dá crédito à Sputnik apenas pode ser parvo e néscio….

  76. RicardoNB 6 de dezembro de 2017 at 7:31
    Obrigado pelo comentário Ricardo.
    O que vc me argumenta nele, entendi desde o inicio.
    O problema é que parece que a Noruega não concorda com a forma como esses dados estão sendo enviados e Principalmente o conteúdo deles.
    … A Noruega diz que ficou impaciente com os atrasos constantes na provisão prometida de um “filtro” de dados pela Lockheed Martin. …
    … Também está preocupado que não seja capaz de otimizar – ou proteger – os arquivos de dados da missão extremamente sensíveis. …
    … Mais uma vez, a Noruega quer Lockheed Martin fora do circuito. …
    … “A Noruega entrou em parceria com a Itália para financiar conjuntamente a aquisição e operação de um laboratório onde podemos inserir dados sensíveis a nível nacional, como fazemos atualmente na F-16”, disse Gjemble. … E por aí segue, RicardoNB.
    ———————————————————-
    Bosco 6 de dezembro de 2017 at 8:12
    Bom dia Bosco.
    A Sputinik (obviamente interessada em qualquer informação que venha a denegrir o projeto), publicou no dia 24/11/17.
    A questão é que a fonte da matéria publicou dia 21/11/17.
    O Autor original é o jornalista (se for) Martin Jacob Kristoffersen.
    Jamie Seidel apenas reproduziu a matéria dele na NEWS.
    Portanto, nãos e trata de Sputinice.
    ———————————————————-
    Em tempo … Encontramos nos outros sempre os nossos piores defeitos.

  77. Então …
    Aquela ideia lá nos primeiros comentários de que agencia de noticias da Austrália, por influência de alguém interessado em prejudicar o F35, estava fazendo matérias fake sobre um possível problema Norueguês, não faz sentido.
    A fonte é Norueguesa. Os australianos apenas reproduziram.
    Forte essa teoria da conspiração !!!

  78. Carlos,
    Ninguém disse que a matéria é “fake”. O que muitos dizem é que é manipulada de modo a saciar a gana antiamericana que precisa da sua dose diária pra passar o dia feliz e que voltou com força total depois que o “golpista” Temer se instalou no Poder, com esse velho discurso dos “americano mau” que querem dominar o mundo. E se se puder mostrar falhas no castelo americano tanto melhor porque aumenta a esperança dele um dia ser destruído. Do mesmo modo se calam em relação às falhas na fortaleza dos que em tese se contrapõem aos “americano”.
    Há sensíveis diferenças de “teor” do artigo “original” desse senhor Martin Jacob Kristoffersen (não faço a mínima ideia de suas credenciais, mas de acordo com o Linkedin ele tem : 6 anos de experiência como jornalista em mídia nacional e alguma experiência como diretor editorial, experiência de meio ano como conselheiro de comunicações, especialmente interessado na UE, ambiente, segurança alimentar, macroeconomia e questões legais.) e do artigo da SputnikNews.
    https://www.abcnyheter.no/nyheter/norge/2017/11/21/195349469/f-35-utfordrer-nasjonal-suverenitet
    Em tempo: eu não tenho esse defeito não. Meu dia não se torna mais feliz em denegrir país e cultura nenhuma do mundo e não culpo ninguém pela merxx que é o MEU país, seu povo e seus governantes e não acho que a esquerdalha mentirosa que está aí bradando em algo e bom som contra o imperialismo, a favor de nossa soberania e dos desvalidos seja solução para absolutamente nada, muito pelo contrário.

  79. fabio jeffer 6 de dezembro de 2017 at 10:41
    Ao contrário do francófilo Jean Jaques eu sei! O referido embargo deu-se por traição do bode velho De Gaulle, que interessado em aumentar seus negócios com o petróleo árabe e no intuito de agradá-lo decretou tão covarde e criminoso embargo. E cumpre ressaltar que o Mirage V foi desenvolvido em conjunto com técnicos israelenses para atender a requisitos específicos da Heyl Ha’Avir. E ato quase contínuo ao embargo De Gaulle vendeu 100 aparelhos à Líbia, onde Kadafi havia recentemente dado um golpe de estado depondo o Rei Idris. Inclusive alguns desse aparelhos foram usados pela coalizão árabe contra Israel em 1973 o que forçou os israelenses a pintar triângulos nas asas de seus Mirages e Nesher para evitar fraticídio.

  80. Interpretam ? Eles sempre souberam disso. O mundo sabia. Como falei, sensacionalismo barato. Lógico que existe algum tipo de preocupação. Mas isso sempre esteve claro e todos os sócios sabiam. Compraram algo que potencialmente viola sua soberania ? Se o vendedor deu as condições e eles aceitaram, agora vão reclamar ?

  81. Wagner 6 de dezembro de 2017 at 1:01

    Falou muito bem!
    Mesmo para nós meros leigos, fica evidente a grande torcida pró-Americana no site, mesmo dos que possuem um bom conhecimento técnico.
    E só sair uma notícia contra o F-35 que logo começam a acusar os equipamentos Russos. Lamentável.

    A ignorância sobre geopolítica entre os comentaristas do site, uma parte e não todos, e muito grande. Não existe amigo em geopolítica! O aliado de hoje pode ser o inimigo de amanhã e vice-versa. Como não tem problema mandar os dados para o pais de origem? Bobo e quem confia e depende.
    Não sei se a notícia e verdadeira, mas depois do WIKILEAKS, dos televisores SAMSUNG, dos chips em HD vendidos, escutas nos chips de operadoras, etc, acredito que no mínimo essa matéria deveria ter um pouco mais de credibilidade.

    HMS TIRELESS 5 de dezembro de 2017 at 23:44

    Você fala muito da Sputnik mas para um simples leitor como eu, já acompanho o aéreo uns 4 anos, você faz aquilo que tanto critica.

  82. Ps: por que não saiu nada no Aéreo dos dois ataques de Israel a Síria? Tema bom. Aviões, Misseis e defesa Aérea ativa. Segundo o que saiu em sites seculares de notícia.

  83. Eu acho ótimo isso ter acontecido! Quem sabe agora os países que compraram o F-35 ou intencionam fiquem alertas sobre que tipo de arma estão comprando.
    Como dizia a minha querida falecida tia, que Deus a tenha: Quando a esmola é demais, o santo desconfia.
    Nada vem de graça.

  84. Bosco 6 de dezembro de 2017 at 11:22
    Bosco, o último comentário que vi seu foi o do au-au !!!
    Desculpe a demora.
    Não,vc não tem aquele defeito.
    Por isso uso o —- para defirnir onde termino uma opinião ou comentário e começo outro.

    Quanto a reportagem entendo de maneira completamente diferente.
    Vejo uma nação soberana, aliada militar, com alinhamento político e comercial se sentindo insatisfeita e preocupada quanto ao tipo de informação que está sendo retirada do seu sistema de dados, sem sua autorização e com o atendimento prestado pela Contratada.
    Insisto … Todos os fornecedores militares recebem dados e fazem atualizações em seus equipamentos, mas a reclamação da Noruega é pontual quanto a Informações Críticas para a Missão e não sobre as horas de voo do avião e programação logística.

    Lars Gjemble não é uma pessoa à margem dos fatos.
    E as citações são dele, isso é indiscutível.
    – Norge har inngått et samarbeid med Italia om å fellesfinansiere anskaffelsen og driften av et laboratorium der vi selv kan legge inn nasjonale sensitive data, slik vi i dag gjør på F-16, sier Gjemble.
    “A Noruega entrou em parceria com a Itália para financiar conjuntamente a aquisição e operação de um laboratório onde podemos inserir dados sensíveis a nível nacional, como fazemos atualmente na F-16”, diz Gjemble.

    É uma entrevista formal para um veículo do país.
    E por mais que se encontrem detalhes de tradução o sentido central é o mesmo.
    A Noruega não aceita que seus dados sigilosos sejam compartilhados com uma empresa privada americana.
    Não existe patriotada ou antiamericanismo ou qualquer outro sentimento obscuro nisso.
    E eu acredito que essa é uma posição de um país soberano e entendo que um dia meu país pode e deve chegar nesse nível de atuação e auto proteção também.
    Abraço.

  85. JJJ

    E vão comprar o quê ?

    Comprar anvs fora da área-teatro de conflito tem muita lógica, basta raciocinar um pouco.

    Bosco,
    Pois é ….

  86. Alexandre Galante 5 de dezembro de 2017 at 16:42

    Esse tópico eu havia perdido.

    Show de matéria, com certeza uma das mais destacadas.

    Li os comentários e completam “o todo”.

    Está explicado o ocorrido neste tema.

  87. Download de dados:
    Se os noruegueses se sentiram incomodados com o conteúdo dos dados transferidos pelos F-35’s a LM no Texas, estes provavelmente envolvem detalhes de utilização desta aeronave além dos que foram “contratualmente” pactuados.

    Acesso ao código fonte: Proprietário LM / Fechado

    Não podemos nos esquecer da pressão exercida por Margareth Thatcher sobre o presidente francês durante a guerra das Malvinas/Falklands, com a finalidade de obter os códigos de desativação dos mísseis Exocets fornecidos a Argentina.

    Ela obteve os códigos e a partir daí o sucesso dos ataques da FAA passaram a ser frustrados.

    Quantidade e função das linhas de código ocultas, ou melhor, desconhecidas por seus usuários e presentes no sistema e, que podem ser ativadas mediante uplink de dados.

    Pacotes de dados que possam tornar inativa ou promover uma significativa degradação no sistema de gerenciamento e de integração de armas presentes em aeronaves com este atual grau de sofisticação e dependência tecnológica.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here