Home Aviação de Ataque Para comprar o F-35, Emirados devem concordar em proteger informações sensíveis

Para comprar o F-35, Emirados devem concordar em proteger informações sensíveis

2988
47
Lockheed Martin F-35A

Por Lara Seligman

DUBAI, Emirados Árabes Unidos – A aprovação do pedido dos Emirados Árabes Unidos de comprar os caças F-35 na região do Golfo depende do país concordar em tomar medidas para proteger a tecnologia sensível do caça centrado em rede e em um vasto banco de dados de informações críticas, de acordo com o principal comprador de armas do Pentágono.

O F-35 é mais um supercomputador do que um caminhão de bombas – é um hub de dados voador, projetado para aspirar informações de ameaças críticas e transmitir esses dados perfeitamente para toda a força aliada. Mas essa capacidade apresenta um novo conjunto de desafios: proteção de tecnologia sensível e informações soberanas compartilhadas entre operadores internacionais sobre a vasta rede da aeronave.

Esta questão já mostrou-se complicada para os parceiros internacionais do F-35 e aliados que atualmente planejam operar o caça. Agora, as notícias de que os EUA estão considerando vender o F-35 às nações do Golfo podem alarmar os parceiros existentes – especialmente Israel. Tel Aviv é atualmente o operador exclusivo do Joint Strike Fighter na região do Oriente Médio.

À medida que os Emirados Árabes Unidos buscam um briefing reservado do F-35, os EUA estão trabalhando em estreita colaboração com os Emirados para estabelecer uma estrutura para proteger esse tipo de informação, disse Ellen Lord, subsecretária de defesa dos Estados Unidos para aquisição, tecnologia e logística, em uma entrevista no Dubai Airshow.

Os EUA “continuam a se associar com os Emirados Árabes Unidos ao poderem liberar mais hardware e software para eles e, até certo ponto, dependem de um sistema para controlar informações críticas que se alinham um pouco com os EUA”, disse Lord. “Não é uma questão de certo ou errado, é poder comunicar-se efetivamente e garantir que entendamos as posições de cada um”.

Os EUA têm procedimentos para garantir que funcionários governamentais de alto nível revejam informações críticas antes de serem distribuídas em toda a força, explica Lord. Antes que os Emirados Árabes Unidos possam comprar o F-35, a nação do Golfo deve concordar com um padrão similar, disse ela.

“Queremos que esse mesmo processo pensativo seja aplicado de forma consistente com os EUA para que possamos compartilhar novas tecnologias”, disse ela.

Por enquanto, o Pentágono está focado em continuar a atualizar a frota dos F-16 da Lockheed Martin dos Emirados Árabes Unidos, disse Lord. Os caças F-16 Desert Falcon block 60 do país do Golfo foram descritos como alguns dos F-16 mais avançados do mundo, e foram os primeiros a estar equipados com um radar de matriz eletronicamente ativa e tanques de combustível conformais.

À medida que os Emirados Árabes Unidos continuam a atualizar o F-16, as discussões estão em andamento sobre a implementação de processos para garantir a segurança da tecnologia nessas aeronaves. Essa conversa poderia levar os EAU a garantir potencialmente outros recursos no futuro, como o F-35, disse ela.

“Eu acho que estamos fazendo muito progresso nos F-16”, disse Lord. “Eu acho que há mais que podemos fazer, e novamente, quando colocamos mais estruturas para lidar com informações tecnicamente sensíveis, isso nos permitirá fazer mais em termos de compartilhamento”.

A Lockheed e as Forças Armadas dos Emirados Árabes Unidos anunciaram um contrato de atualização de suporte de US$ 1,65 bilhão para os F-16 da Nação do Golfo, em 11 de novembro. O Major-General, Adbullah Al-Hashimi, diretor executivo do comitê militar do Dubai Airshow, disse que a atualização resolveria problemas de obsolescência nas aeronaves block 60 que foram encomendadas pelos Emirados Árabes Unidos nos anos 2000. Os funcionários da Lockheed recusaram-se a fornecer detalhes adicionais.

Lord destacou a importância da interoperabilidade entre aliados em um campo de batalha cada vez mais conectado.

“Na batalha multi-domínio, a interoperabilidade é muito importante para os EUA com nossos parceiros e aliados”, disse Lord. “Queremos ter certeza de que iremos à guerra se precisarmos entrar em guerra, com nossos parceiros e aliados com sistemas interoperáveis, então, para fazer isso, gostaríamos de vender tudo o que pudermos”.

FONTE: Aviation Week

47 COMMENTS

  1. Caramba!

    Mais um entuber do efinho35 J.A.C.A. Block XXX. Será realmente que pilotos dos EAU vão voar esse bicho aí? Ou é só mais uma base aérea da USAF, disfarçada para escapar das mãos do contribuinte americano?

  2. O F-35 é mais um supercomputador do que o caminhão de bombas ” — aliás, esse supercomputador deve rodar Windows Vista…! 😛 (piada, claro!)
    Não acredito que essa venda de F-35 para os Emirados Árabes Unidos se concretize… Mesmo os EAU, que está os países mais moderados no Oriente Médio, tem lá suas rusgas com Israel (https://en.wikipedia.org/wiki/Israel%E2%80%93United_Arab_Emirates_relations)… Duvido que o lobby de Tio Jacó não breque!…

  3. Os EUA, tem de botar as barbas de molho, para não vender tecnologia sensível a um país, e ocorrer o que houve no Irã (uma revolução deixou um puta armamento F-14, nas mãos erradas). A Al Qda vendeu um tomahowk que não explodiu no Afeganistão, para a China. Imagina um sistema como o F-35, cair em mãos Chinesas ou Russas…

  4. Wagner 14 de novembro de 2017 at 14:52

    Pelo que li no texto foram eles que solicitaram o avião.
    É só um avião não tem porque esse ataque todo cara. De que importa a opinião dos Haters quando o pessoal especializado da força aérea deles acha que é a melhor escolha?

    Quem é o pessoal da internet para achar que sabe mais que todas as forças aéreas do mundo?

    Vou deixar um link russo com uma opinião séria sobre o F-35.
    https://www.youtube.com/watch?v=ScM_rN9a-js

    Eles discordam de vocês.

  5. Quanto aos colegas que “sentam o pau” no F-35 e fiz uma reflexão… e deixando de lado a aviação e levando em conta a vida no dia a dia:
    Produto nenhum vende unica e exclusivamente porque o seu fabricante faz lobby. Como empresario, os meus produtos vendem bem na sua grande maioria porque são bons, são diferenciados e tem preço justo, além é obvio da nossa força comercial que se empenha em vender junto aos nossos clientes. O dia que que os meus produtos não tiverem mais um diferencial, não forem aquilo que eu prometo que sejam, que eu não tiver uma força de vendas e também não atender bem meus clientes, as vendas irão começar a cair até chegar um ponto onde a vaca vai pro brejo… Voltando falar do F-35, a Lockheed na questão de fazer lobby/propaganda, está na dela… Até uma meretriz na zona faz o seu lobby expondo as partes mais “virtuosas” de seu corpo. Natural…. Mas produto nenhum se sustenta apenas com propaganda. Se não prestar, vira mico. Mas não é o caso da referida aeronave. Será que todos esses países que o compraram e os que tem manifestado interesse são tolos, ingênuos e/ou corruptos para comprar um produto caríssimo e que não presta, sendo simplesmente enganados ou ludibriados pelo lobby ? Aqui é um espaço para discutirmos aviação militar, mas acho que muitos dos colegas aqui se acham mais espertos, mais reais que o rei. O F-35 pode até não entregar tudo o que um dia foi imaginado, projetado, mas daí dizer que é uma enganação, que é uma jaca, que é isso que é aquilo… me parece infantilidade de moleque que coleciona super trunfo. Quem tem um minimo de conhecimento aeronáutico e também administrativo-comercial geral ou que já tenha trabalhado com vendas na vida, sabe que enganar a tudo e a todos assim é coisa de novela, de cinema, não do mundo real. Pode até enganar um ou outro, mas uma hora a casa cai.
    Não me parece que a casa do F-35 está para cair, muito pelo contrário… Enfim, cada um pensa do jeito que quer…

  6. Tenho visto gente criticar a atualização dos F-16E/F block 60 por serem novos demais, a variante mais moderna vendida antes do F-16V atual, mas tem que se levar em conta que o EAU assinou o contrato em 2000 onde foi especificado o “recheio”, a dezessete anos atrás e teve as entregas de 2003 a 2006, portanto ja está na hora de se programar uma atualização dos sistemas se pretendem usar a aeronave por mais uns 20 anos.
    Nós por questões financeiras não podemos atualizar nossos aviões a cada 15 anos, fazendo como no Mirage III que voou com o radar Cirano até seus ultimos dias, mas eles estão certos nos EAU, tecnologia de 2000 ja deve ser atualizada em 2017.

  7. Vamos por partes!

    1) Chamo o efinho do jeito que eu quiser, não ligo para mimimi.
    2) Ninguém aqui ganha dinheiro defendendo ou criticando seja qual programa militar for (eu pelo menos não ganho nada) e esse espaço, e sou grato aos editores da trilogia que há tanto tempo dedicam seu suor para nos brindar com excelentes textos e informações, é usado para troca de informações e OPINIÕES e CONSIDERAÇÕES sobre quaisquer assunto em pauta na reportagem. Não vejo problemas em pequenas provocações intelectuais, mas sim os vejo em ofensas pessoais. E não se trata de enganar a todos, mas sim enganar a quem se precisa, extorquir a quem seja necessário e tirar da jogada aqueles que possam oferecer uma resistência sólida. Hitler, fez isso. Stallin também o fez, Mao o fez melhor ainda e Marx, bom, Marx engana muita gente até hoje. Talvez a sua abordagem tenha sido nada mais que preconceituosa (no sentido de haver um julgamento pré concebido) e superficial.
    Quanto à aquisição de f35 pelos EAU, há a questão de Israel, há a questão da facilidade de intercâmbio de informações entre outros países árabes (muitos nada bem vistos dentro das agências de inteligência ocidental) e a possibilidade real de transmissão de dados sensíveis para oponentes sérios e relevantes… Mas creio que também não havia imaginado essa possibilidade antes… Por isso penso que se algum efinho operar por ali, quem me garante que os pilotos não sejam americanos? Será que entram fotógrafos facilmente nas bases dos EAU para confirmar ou não se tem gringo operando lá? Pura especulação, claro! Aliás quase tudo aqui o é.
    A casa do f35 mi.m.imi. block 23 não vai cair, assim como a batata não assou para o F104 (conhece essa história?). Vai ser a nave que vai voar pelo ocidente por muitos anos. Mas como não pensar que é uma jaca? Caríssimo, de desenvolvimento muito difícil, cheio de problemas conceituais e de projeto (estruturas, sistemas, etc, bla bla bla, uma zebra atras da outra)…
    Você tem o direito de achar que a jaquinha, ops, o aparelhinho, eh, o aviãozinho é o ó-do-borogodó, claro! Mas não cairei na deselegância de lhe ofender pessoalmente, taxando-lhe de moleque-jogador-de-super-trunfo ou algo que o valha, mesmo porque Super Trunfo era um jogo super divertido!

    Abraço e fica na paz!

  8. O F-35 tem esse bizarro sistema de manutenção baseado na “nuvem” que transmite para a Lockheed dados da aeronave. Fizeram um sistema onde a manutenção é completamente dependente desse software.
    .
    Agora, quando estão tentando vender a aeronave para um “parceiro” que eles vigiam com o canto do olho, estão preocupados com a segurança dessa rede.
    .
    Fica a pergunta de quem foi o bizonho que assinou o contrato, achando que distribuir dados de manutenção suas aeronaves de combate na “nuvem” era uma boa ideia.

  9. Meu caro Sérgio Luis,

    Como você sabe que ele não deu as caras lá?
    Você é piloto ou comandante da IAF?
    Sequer ataques com F16 confirmam?
    Acho que é uma afirmação sem qualquer certeza.
    Isso sem contar que o F-35 sequer foi declarado operacional o que deve ocorrer somente no mês que vem.

  10. Que isso wagner , não precisa explicitar sua falta de coerencia , kkkk, vc mesmo ja cansou de retrucar pessoas que colocavam adjetivos depreciativos contra trastes russos ,kkkk, e quanto ao fato de vc no alto de sua sapiencia quase eslava ,chamar o F35 de Efinho , a maioria ja notou que isto deriva de uma imensa dor de cotovelo aliada a um amargo sentimento de desespero pois ja percebeu que a mãe russa avança a passos largos para uma insignificancia constrangedora ,kkkk, ja ja estarão fazendo chantagens nucleares para conseguirem ração da ONU !

  11. Confiem em um pouso suave de um A380 que perdeu as 2 asas a 5000 metros de altura , mas não confiem nestes caras ai , a China vai botar a mão nesta tecnologia no dia seguinte da entrega , se forem os russos pode relaxar , eles perderam a capacidade de copiar faz tempo !

  12. Emerson Sobreiro raciocina !!
    É tão simples! Qualquer sortida israelense sobre a Síria é monitorada tranquilamente primeiro pelo hesbolah e outra coisa você tem que ler mais, pois é óbvio que a Rússia tem primeiramente satélites de vigilância 24h sobre Israel , os radares do S-400 na Síria tem alcance que vai além do território israelense e depois a própria Síria você acha que vai ficar caladinha se Israel jogar uma bombinhas de 225 kg nas suas bases!!???
    A alma do negócio é gostar de ler e lógico compreender o que está lendo!

  13. Sérgio Luis, o Sputnikboy, perdendo mais uma chance de ficar calado senão vejamos:

    – A milícia preposta do Estado Fascista iraniano não tem radares capazes de detectar os jatos israelenses decolando de suas bases. Apenas percebem os aviões da Heyl Ha’Avir quando os mesmos já estão sob suas cabeças.

    – Embora de fato os russos tenham radares e baterias de S-400 em território sírio eles estão fazendo cara de paisagem tal como foi acordado entre Putin e Netanyahu. E não custa lembrar que não interessa aos russos o fortalecimento do Hezbolah visto os problemas que inevitavelmente vão criar para os interesses de Moscou na Síria do pós-guerra.

    – Embora tenham radares a capacidade de guerra eletrônica da Heyl Ha’Avir é vastamente superior ao que os sírios possam se contrapor. Não é à toa que bombardeiam a Síria impunemente, inclusive quartéis e base aéreas,sem serem incomodados a despeito das bravatas de Damasco…😉

  14. Bosco , Wagner errado ? xiiiii , então Wagner “o outro” ,desconsidere as 3 primeiras linhas ,kkk, ou tudo se preferir …….. Mesma ideia ,mesmo nome , achei que o cara cansou do gravatar com a foto da Enterprise ! Valeu ai professor !!!!!!!

  15. HMS Tirelessy Trumpboy
    Pois é fiquei sabendo que na Síria andaram chamuscando a fuselagem do F-35 Natimorto!?!
    Eu estou esperando o F-35 voltar a voar sobre a Síria!
    Quando isso acontecer nos informe ok?!
    Um grande abraço

  16. “Sérgio Luis 15 de novembro de 2017 at 17:14
    “fiquei sabendo””
    .
    Posta as fontes ae por favor. Gostaria de ler essa matéria toda…

  17. Alfredo Araujo,
    Faça assim vou te dar as dicas de como buscar informações neste site democrático! Vá la no buscador desse mesmo site e digite “F-35 Israel” ai você verá varias informações sobre o Natimorto!
    Sugiro também que busque ler em outras fontes na WEB! Onde tem fumaça há chamuscados!

    E lembre-se que opiniões sobre aeronaves cada um aqui tem a sua!
    SDS

  18. Sérgio Luis meu caro Sputnikboy, quer dizer que você continua acreditando naquela comversinha fiada de um site russo sem credibilidade? Pelo visto você também acredita que “um Su-24 paralisou um destróier da USN no mar negro e 27 tripulantes pediram baixa”. A propósito, você também acredita em papai noel, duende, coelhinho da páscoa e que o Su-57 não tem problema algum certo?😉

  19. Alfredo Araujo, liga não! É que nosso Sputnikboy ainda não se recuperou da cornetada que os indianos deram no Su-57. Segundo ouvi dizer até terapia ele está fazendo! Então para amenizar a dor de cotovelo ele continua a requentar notícia falsa de site sem credibilidade 😉

  20. USS Tirelessy Trumpboy,
    Fiquei sabendo que alguns marinheiros desse destróier do USN pediram arrego e desceram no próximo porto!
    Mas vc lembrou muito bem! Se um obsoleto SU-24 fez isso com a USN imagina o SU-57!?!
    Mas vamos aguardar e ver a remotorizacao do SU-57.
    Agora deixa eu tomar minha cerveja aqui!!
    E leiam mais!

  21. Wagner errado!
    Pensa igual ao outro Wagner – Errado!
    Dor de cotovelo do efinho – Errado!
    Gravatar da Enterprise – Errado!
    Gosta de produtos da Mão Rússia – Errado!
    Continuo não ofendendo pessoalmente quem discorda do que penso – Certo!

    É incrível como um projeto tão patife e sem vergonha angaria tantos fãs!
    Antes de qualquer coisa, tudo que vocês dizem sobre mim baseia-se em que? Em dois comentários nos quais me posicionei a respeito do efinho? kkkkkkkkkkkkkkk. Mestres da advinhação! #SQN!
    E se conseguirem me provar que a J.A.C.A é o melhor projeto de avião que já houve – uhuuu, que têm atingido tudo o que prometeu e que não arrombou vergonhosamente os custos previstos, que não apresenta sérios problemas conceituais e de produção, além de um obscuro programa de construção de “protótipos infinitos” (ironia, ok? respirem, por favor), mudo minha opinião pois não vejo esse assunto de maneira religiosa. Apenas quero dados que contradigam os dados oficiais do projeto e que demonstrem que o f35 mimimi block 24 é muito mais que o patão do ocidente (esclarecendo aqui, já que não dá para desenhar, serei simples: o patão é melhor que qualquer papagaio que os russos colocam no ar, tá?). Israel queria mesmo era o F22, mas levou o efinho, fazer o que? E serão o melhor operador do efinho do planeta, como o são com quase tudo em que colocam as mãos. E vão passear com o avião sem resistência alguma no oriente médio (aliás, que resistência a aviação convencional da חיל האוויר tem sofrido? Algum árabe mandou um dogfight com os israeli? AAA de alguém derrubou alguma coisa com a estrela de Davi pintada na asa?)…

    Senhores, por favor…

  22. Existem dois tipos de textos longos aqui na trilogia, aquele que é técnico e eu paro pra ler e aquele eivado de torcida ideologia barata, esse eu costumo pular, tenho mais o que fazer.
    A trilogia já foi mais tecnica, mas de uns tempos pra cá caiu muito na qualidade dos comentarios, temos poucos sites sobre tecnologia de armas na língua portuguesa com qualidade, não deixem a trilogia perder a sua.
    Não sou novato aqui, nunca postei, mas já acompanho a trilogia creio que desde sua criação, comprei inclusive uma revista sobre o caça SU-35 esperando na época poder participar das discussões, mas por um motivo que não entendi até hoje não consegui na época, hoje os comentários são abertos e acabamos por ler cada bobagem.
    Vou permanecer calado por mais 10 anos, quem sabe alguma coisa melhore até lá.
    Sou entusiasta de militarismo há mais de 30 anos, e vejo que tem muita gente boa nessa área, mas como em outros locais na rede tem gente que só aparece pra mostrar seu ego inchado e sem conteúdo, por isso mesmo se mostra tanto.

  23. O vídeo do debate postado pelo JPC3 é muito interessante! Nele, o Tenente-Coronel David Burke vai no âmago da questão – a meu ver, obviamente. Em uma livre interpretação de tudo o que ele diz, o que o piloto de combate quer não é simplesmente um avião acrobático, mas estar em uma plataforma que lhe dê boa informação situacional e que lhe permita maior chance de ver antes de ser visto. É isso que, estatisticamente, na maioria das vezes vai definir quem vira poeira e quem vai tomar uma cerveja no bar depois da missão. Como ele diz, “ninguém sai por aí procurando um dogfight”.

    Racionalmente, não vejo contra-argumentação sobre o que vai acima. Deficiências em situações específicas sempre podem ser discutidas. Todo projeto tem e é até salutar discutí-las, pois só assim podem ser resolvidas ou amenizadas. O F-35 pode não ser tudo que se sonhou, ter custado mais caro do que devia e demorado mais do que se esperava. Infelizmente, tais tipos de concorrências estatais ainda são como salsichas. Se você conhecer como são feitas, não compra. Você, no caso, é o contribuinte americano, que, sem dúvida, teve seu bolso rasgado. Mas no frigir dos ovos, quando as esquadrilhas tiverem nele 20% das horas de vôo que tem no F-16, conhecendo plenamente suas capacidades, tanto acrobáticas como de sistemas, ele deverá ser um adversário extremamente indigesto para qualquer geração 4 ou 4,5.

    De forma muito saudável, acho que nas próximas décadas as pessoas vão questionar muito como seus estados gastam o dinheiro. Até aqui já começamos a fazê-lo. O F-35 é, facilmente, um exemplo de má gestão. Mas o resultado no campo de batalha deverá ser eficaz.

  24. Acho que aqueles que mais criticam o “aviãozinho” são os que devem andar com foto na carteira.
    Sabe aquela coisa de: “se falar do 35 puxo a foto e digo que é uma porcaria”.
    Enquanto você, seja lá quem for, fala mal da “orquinha”, mais um cliente aparece querendo toda a sua “parafernália inútil e sem sentido”.
    Coisas da vida.
    Abraços.

  25. José Roberto 15 de novembro de 2017 at 22:33

    Depois que abriu a coluna de comentários determinados seres trevosos, os mesmos que acreditam nas bobagens do southfront e sputnik no intuito de atacar o F-35, passaram a infestar aqui.

  26. O que a Lockheed está tentando fazer com o f35 é realmente um salto: uma integração de sistemas como nunca antes vista em um aeronave monomotor de ataque. E ainda por cima numa plataforma que possui significativas características stealth, principalmente no quadrante frontal.
    Óbvio que passos nesse nível são problemáticos e complexos, além de muito importantes no intuito de se manter a dianteira tecnológica do ocidente em relação ao resto do mundo.
    Todos sabem disso.
    É exatamente por isso que torço pelo sucesso do programa, dado que quer gostemos ou não será a espinha dorsal do ocidente pelas próximas décadas e um embate de civilizações não está muito longe de acontecer.
    Agora, valores exatos de refletância/absorbância, por exemplo, são segredos de estado e quaisquer textos publicados em qualquer lugar sobre dados sensíveis do f35 não passam de especulação pura e simples, feitas por nós, pobres amadores. Salvo postagens de quem realmente entende, entre elas as considerações do Cel. Nery e outros fabianos que aqui postam, que além de dominarem teoria de voo, história e outras coisas, ainda por cima voam/voaram supersônicos militares e entendem realmente do negócio, há muita bobagem travestida de conhecimento pseudotécnico. Isso nunca me impressionou.

    As questões que tenho levantado (e por incrível que parece tem ferido muitos aqui) são:

    Até agora:
    – o avião tem entregado muito menos que o prometido, principalmente no quesito eletrônica embarcada;
    – tem apresentado problemas primários de projeto;
    – não vou falar de orçamento: vou falar de buraco negro;
    – há sérias dúvidas sobre se um dia poderá apresentar a capacidade sonhada;
    – é muito mais feio que o F16.

    algumas fontes:
    http://www.aereo.jor.br/2017/06/15/o-que-deu-errado-com-o-f-35-joint-strike-fighter/
    http://www.janes.com/article/74771/raf-increases-f-35-risk-rating

  27. Wagner, concordo com você. E com o Almeida: tem muito fanboy. Não conheço a aeronave a fundo, mas, há inúmeras matérias mostrando os defeitos do projeto. Alguns básicos. O orçamento, como você muito bem pontuou, é um ¨buraco negro ¨. Só os EUA pra suportar um custo desses.
    O que mais confunde são as matérias contraditórias: uma mostra as deficiências (que realmente ocorrem), e outra mostra o ¨sucesso na Red Flag¨e Israel ¨satisfeito com o avião¨. Alguma coisa não encaixa.
    Postei em outra matéria e ninguém respondeu: Israel consertou todas as cacas da LM?
    E outra coisa: o argumento de ¨tecnologias imaturas ¨nunca me convenceu.
    Agora: sou brasileiro, quero que o F-39 funcione. E o F-35 que exploda.

  28. HMS TIRELESS
    Monte uma trilogia sobre assuntos militares e permita só comentários que sejam iguais aos seus.
    Aqui, felizmente, sou livre para discordar de você e de outros adoradores do efinho.

  29. Não é um risco futuro a Israel caças ão avançados nas mãos dos arabes; podem dizer que hoje são aliados americanos, que não são ameaças, mas Catar também não era aliado?
    Sei lá, tudo pode acontecer naquelas bandas.

  30. Wagner 16 de novembro de 2017 at 22:20

    Não estava me referindo a você e sim aos russófilos que dão credibilidade às bobagens da Sputnik e do southfront (inclusive o decano deles, uma triste figura que perambula como zumbi por todos os sites de defesa e geopolítica destilando sua prosa ruim)

  31. HMS ,este ai é um clone do Wagner Enterprise , ou é o mesmo ,sei lah …. só confio se eu olhar nos olhos ,kkkkkkkk , quanto aos Emirados com F35 esqueçam , teram que se contentar que a rainha das piruetas russa su35 , F35 sõa para aliados (se bem que a Turkia adora uma trairagem ,kkkk) !

  32. Casuar, recomendo veementemente que comece a estudar a língua portuguesa. Ajudará você a melhor concatenar as suas ideias. Fica a dica. Quanto a ser clone, fale de si mesmo, nunca me escondi por trás de pseudônimos nem gravatares esdrúxulos. Dito isso, não devo satisfação a ninguém sobre quem sou ou deixo de ser, portanto vamos nos limitar a discutir o assunto em pauta daqui por diante, ok?

    Abraço

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here