Home Aviação de Ataque Alemanha declara preferência pelo F-35 para substituir Tornado

Alemanha declara preferência pelo F-35 para substituir Tornado

7559
56
F-35

Segundo o Jane’s, a Força Aérea Alemã tem uma lista restrita de plataformas existentes para substituir os seus caça-bombardeiros Panavia Tornado de 2025 a 2030, mas o Lockheed Martin F-35 Lightning II Joint Strike Fighter (JSF) é a “escolha preferida” do serviço, disse um oficial sênior em 8 Novembro.

Falando sob a Chatham House Rule, o oficial disse que o F-35 já cumpre a maioria dos requisitos que a Luftwaffe exige para substituir seus Tornados no período de 2025 a 2030, e que oferece uma série de outros benefícios além disso.

“O substituto do Tornado precisa ser uma aeronave de quinta geração que pode ser detectada o mais tarde possível, se for o caso. Ele deve ser capaz de identificar alvos de um longo alcance e alvejá-los o mais rápido possível.

“O Ministério da Defesa da Alemanha [MoD] está buscando por vários aviões hoje, incluindo o F-35 – que já está comercialmente disponível, foi encomendado por muitas nações e está sendo introduzido no serviço hoje e tem a maioria dos recursos necessários.”

A Alemanha já havia contratado a Airbus Defesa e Espaço (DS) na definição dos requisitos para uma futura substituição do Tornado no âmbito do seu programa FCAS (Future Combat Air System). No entanto, os cronogramas envolvidos em uma aposentadoria antecipada do Tornado por volta de 2030 fizeram com que a Luftwaffe procurasse em vez disso uma plataforma já desenvolvida.

Como explicou o oficial, “o prazo sugere que precisamos começar a introduzir o sucessor por volta de 2025 para cobrir a aposentadoria do Tornado em 2030 – precisamos de uma fase de transição de cinco anos. Isso está a apenas sete anos de distância, e por isso é muito improvável que a indústria possa desenvolver e introduzir um tipo de aeronave inteiramente nova que atinja as funcionalidades que nós precisamos. A história mostra que o Eurofighter levou 25 anos antes da introdução da primeira aeronave”.

Cockpit do F-35

56 COMMENTS

  1. Se vai substituir o Tornado é porque vai ser usado como uma aeronave de ataque. Assim como em Israel. E o problema da Alemanha não são os chineludos de AK-47 e sim os russos.
    .
    Alemanha realmente está levando seu rearmamento a sério.
    .
    Só espero que não venha um novo “escândalo Lockheed” aí.

  2. Os liberais europeus devem estar se coçando com essa notícia, não me espanta a Merkel fazer um limpa nas forças armadas depois disso é a mídia falando que o expurgo foi feito em prol da ‘unificaçao da europa’ e que as forças armadas tem muitos radicais.

  3. Mais uma prova que F-35 veio pra ficar e não há concorrente ocidental ainda.
    E outra prova que a Europa sem os EUA não vai pra frente, mesmo com a tentativa de sempre juntarem os países pra construir um avião comum pra competir com EUA e sempre acabam com um avião inferior e mais caro.
    Além de que não saiu nessa notícia ai, mas diz um diretor da Lockheed que o preço atual de um F-35 está na faixa dos U$80 milhões. Bem mais em conta que vários outros com tecnologia inferior.
    Enfim, podem falar o que quiser, mas o F-35 veio pra ficar e não vai sair da linha de frente por no mínimo uns 50 anos, assim como o F-16.

  4. Rui Chapéu
    Cinquenta anos?
    E eu achando muito, o que muitos falam, que os Gripens da FAB terão vida útil estimada de uns 30/35 anos.

  5. Pra trocar um sistema de baixas e medias altitudes, por outro de somente medias altitudes sinceramente o Eurofighter seria mais jogo.
    Afinal o F-35 nem tão “stealth” assim é.
    Ainda mais agora que os russos converteram 16 regimentos de defesa aérea para o S-400.
    Haja míssil ARM e aquelas bombas de EPM.

  6. A alemanha poderia tambem modernizar os Typhoons, com capacidade de controlar drones, baia de armas internas entre outras coisas e desenvolver com os franceses um UAV stealth baseado no Neuron, acho que seria uma boa solução tbm.

  7. Em trinta anos teremos, possivelmente, caças não tripulados capazes de realizar manobras puxando G’s impossíveis para fisiologia humana, então, provavelmente, os caças tripulados estarão obsoletos.

  8. Johan, na década de 50 as pessoas imaginavam que estaríamos andando em carros voadores depois dos anos 2000.
    Hoje existem correntes dizendo que a Terra é plana.
    Acho que vai demorar um pouquinho mais para acontecer isso que você está falando.
    Abraço

  9. Emmanuel, vamos comparar a evolução na área de informática que ocorreu nas últimas décadas, área, na qual, é imperativa para que ocorra a automação que mencionei. Lembra dos computadores de 20 anos atrás? A capacidade de processamento avançou de forma absurda. Computador pessoal de 30 anos atrás só fazia o “feijão com arroz” se comparado com o que temos hoje. Já podemos comprar impressoras 3D e termos a nossa própria “fábrica” em casa.
    Ná década de 50 as pessoas ainda tinham uma visão romantizada da tecnologia, pois estavam na “Era Espacial” e acreditavam em tudo (tenho guardado artigo de revista dos anos 60 sobre viagens espaciais interplanetárias com naves movidas a motores de íons). Hoje as pessoas são mais céticas e pés no chão, incluindo os cientistas.

  10. Depois do desastre que foi a entrada em serviço do A400M na força aérea alemã, creio que a mesma queira distância de qualquer produto com o selo made in airbus

  11. Johan 9 de novembro de 2017 at 7:57
    Pode bem ser que daqui a 30 anos os caças sejam totalmente autônomos, mas a capacidade de realizar manobras puxando G’s impossíveis para a fisiologia humana — como disse o amigo — seja irrelevante!, porque os combates serão majoritariamente BVR!, sem raros os engajamentos em ‘dogfight’ que exijam tais manobras puxando altos G’s (que comprometem também a própria estrutura dos aviões…!). Enfim, é uma conjectura!
    Abraços!

  12. É um bombardeiro de 5• Geração seria um grande salto para a substituição dos tornados. Acho que é a função mais adequada para o Joint Strike no momento. Ademais, se for concretizada essa compra tenho intuição que os países demonstraram interesse no F-35, logo os preços poderão ser mais competitivos, problemas sanados por soluções mais simples. Acredito que a Lockheed está trabalhando para simplificar ao máximo a versão de exportação do Joint, até para o projeto dar uma oxigenada.

  13. Eita, mas um para ficar com seus aviões no hangar!!! Eles já têm um produto pronto, chamado Eurofighter, porque não apressar os Tranche 3 operando, futuramente com os UACV Neuron, vai ser mais barato que essa Jaca aí? Mas, sei que vou ser crucificado aqui pelos F-35 Boys!!!

  14. Parece-me que a exigência da Alemanha por uma aeronave furtiva faz todo sentido. A Alemanha tem uma dificuldade em sua defesa que é o enclave russo em Kaliningrado cuja defesas aéreas devem estar entre as mais densas do mundo. A manutenção do equilíbrio estratégico, naquela região, exige a credibilidade de que os alemães têm capacidade de atacar aquele enclave.

  15. A escolha, se concretizada, seria coerente pois, o F 35 É um caça de ataque por natureza. Todos aqueles que o utilizarem como tal, estarão bem servidos. O problema é utilizá-lo como caça de superioridade aérea, como alguns operadores estão por fazer.

    SRN

  16. Realmente a Alemanha ( e a Europa) não tem tempo para começar um 5º, 5,5º geração agora e entregar em menos de 15, 20 anos. E como os USA não disponibilizam o F-22 de superioridade aérea, terão de ir com a dobradinha Typhoon-F-35. Seria para mim a venda mais significativa do F-35. Quem sabe não puxa também a França para a aquisição do F-35 (Rafale-F-35)? Assim teríamos toda a Europa Ocidental de F-35. O que daria fôlego para partir para o Neuron. E os USA poderiam desdobrar um número mais parrudo de F-22 para a Europa Oriental (mas isso talvez dependa da retomada da linha de produção do caça).

  17. Pois é né!!!
    A tela é dupla né!!! ( Tem uma divisão entre elas)
    Ouvi ” dizerem” que era tela única como Gripen BR!!!

  18. Sérgio, o WAD da Elbit também é tela dupla. Só que são sistemas e processadores duplicados e independentes. Cada um deles operando sozinho pode prover tudo que o piloto precisa. Redundância visando a funcionalidade.

  19. Tudo bem entendo o que vc está dizendo mas é óbvia ( é visível a moldura divisória) entre as telas!
    Mas não resta dúvida que no ocidente essa aeronave é a única opção e os alemães não fugiriam a regra!

  20. Eu não sei pq falam que o f-35 não presta pra superioridade aérea, se conhecessem os aspectos técnicos do F-35 saberiam que ele abate qualquer caça à nao ser o F-22, além de ter uma suíte eletrônica muito mais avança que o do raptor.

  21. Não saberia dizer se presta ou não para sup. aerea. O fato é que ele não foi concebido para tal fim. O proprio tornado foi (ou ainda é) tem uma variante de interceptaçao, no entanto, ele foi protejado para ser um caça de ataque ao solo, simples assim. Com relaçao aos aspectos tecnicos, entrariamos na esfera do “super trunfo”, aí nao dá!
    SRN

  22. Com defesas equipadas com S-400, qualquer força aérea deve enviar uma “chuva” de UAVs, combinado com aviões de guerra eletrônica. Israel, conseguiu desta forma na 1ª Guerra do Líbano, que as suas perdas de aviões fossem mínimas.
    Mas o óbvio ululante, é que qualquer ataque contra Rússia e China, é o Armagedon, e aí ferrou-se o mundo.

  23. Aviso aos mais sensíveis: NÃO LEIAM MEU COMENTÁRIO A SEGUIR. PERIGO!!!
    Vocês já pararam pra pensar se o fato do F-35 não ser específico para superioridade aérea não traduziria que os EUA e a OTAN não consideram ser a aviação de caça russa essa “brastemp” toda, apesar dos fodásticos Su-35 e Su-57??

  24. Decisão muito acertada da Alemanha,caso se concretize… Pois o F-35 pode,não só cumprir as funções do Tornado,como também, as do Typhoon… Sendo melhor que ambos,nas duas funções! Por incrível que pareça!

  25. No tabuleiro geopolítico: check;

    Pode ser um jogo de cena para sacrificar um bispo pra comer uma rainha. Mas tudo indica que é tudo um movimento de sacrifício de alguns peões…

    O negócio tá esquentando…

    Saudações a todos.

  26. Aviso aos mais sensíveis: NÃO LEIAM MEU COMENTÁRIO A SEGUIR. PERIGO!!! (2)
    Mas desde sempre foi assim Bosco.
    Os caças que caíram nas mãos de ambos (EUA/ALIADOS) não passavam de uma DAKO. Tanto que as guerras contra Israel mostram bem isso. Foi e é um produto inferior. Isso significa que é ruim? Não. Apenas mostra que querem vender Dolly como Guaraná Antártica, só.
    País sério não compra made in Russia.
    Super manobrabilidade é bom para video game. Na vida real você morre sem saber quem te matou.
    Abraço.

  27. André Luiz.’. 9 de novembro de 2017 at 9:32
    É uma possibilidade o que você mencionou, mas os conceitos de 6ª geração apresentados até o momento, deduzem possuir uma fuselagem para manobrabilidade de altos G’s. Não acredito que vão abrir mão disso (minha opinião).

  28. Os F35 queira ou não só vai servir pra lutar com os “chineludos”
    como alguém fez uma referencia aos terroristas pelo mundo, pois uma guerra entre China/Russia/EUA/Europa, jamais vai acontecer como foi na segunda grande guerra e o maior exemplo é a CN que vive desafiando os EUA e nada acontece graças a Deus. Então não importa muito quem vai voar de quê se o fator Artefato nuclear estiver incluso

  29. Bosco, é isso mesmo, os russos não são considerados séria ameaça aérea tanto pelos EUA quanto pela OTAN. Agora, convenhamos, o bicho é bonito, ultra avançado, parece extraterrestre, é um pássaro de respeito apesar das críticas que na minha opinião são mero despeito por não ter um igual. O F-35 é muuuuito superior a qualquer coisa que existe por aí, só perde mesmo para o Raptor, infelizmente o Brasil não estará entre os países com a força aérea mais avançada nos próximos 50 anos, sempre estamos 1 século atrás, não que o Gripen tenha sido a escolha errada, longe disso, para uma país de analfabetos que ainda teimam em votar no molusco no ano que vem, qualquer máquina que voa serve.

  30. Caros colegas…. Quanto aos EUA eu nao sei, mas quanto a Europa, eles temem sim a Russia. Independentemene da qualidade das armas russas, a doutrina militar européia sempre levou em conta um eventual avanço das forças russas Europa adentro.
    Quanto a termos o F 35, bem, quando formos a policia do mundo e tivermos um orçamento de mil doletas per capta, talvez faça sentido. No mais, o gripen em quantidade suficiente já estará muito bom prá nós, que defendemos o nosso país com F5
    SRN

  31. Os alemães parecem pragmáticos.
    O melhor caça-bombardeiro de 5ª geração do mercado para substituir o melhor caça-bombardeiro europeu do final do século XX.
    .
    Continuar a desenvolver um futuro caça de 5ª geração pan-europeu ainda será necessário.
    Eles estão pensando em substituir o Tornado e não o Typhoon.
    .
    Apesar dos multitudo, jogada de marketing para abocanhar uma fatia maior do orçamento, os aviões de combate ainda priorizam uma ou outra missão.
    Tornado IDS é ar-superfície;
    Typhoon é ar-ar.
    .
    Sds.,
    Ivan, o Antigo.

  32. Luftwaffe e seus heróicos e melhores do mundo pilotos suicidas renascendo? O mundo em alerta? Grandes histórias!!!

  33. Que cockpitzinho feio da desgraça.
    Inversamente proporcional ao vetor. Pode ser funcional mas….
    O painel do Fiat 147 do meu avô é mais bonito.

  34. Amigos, o f-16 é um caca que atua como caca-bombardeiro e de superioridade aerea, inclusive pode fazer frente aos f-15 depedendo da versao de cada e ser ate superior ao mesmo. Entao eu nao entendo porque o seu sucessor vai ser ruim em ‘superioridade aérea’. Unica coisa que o F-35 perde pro f-22 é o alcance de radar e a capacidade de levar misseis a supermanorabilidade do f-22 nao se pode considerar uma vantagem ja que o f-35 tera hmd e misseis ir de 5 geracao, sem contar que o f-35 tera irst e o f-22 nao tem e a fusao de dados do ‘relampago’ é muuito superior mais muito mesmo, quanto ao numero de misseis é so levar um missil moderno que seja imune a dircm como o aim-120d. Simples assim, tanto que a Usaf sacrificou f-22 por f-35, ou seja, isso da a resposta que o f-35 é bom tambem na superioridade aerea. E mais uma coisa o f-35 nao foi concebido e nem é um caca-bombardeiro é um aviao omnirole.

  35. O bom é que este cockpit do F35 vai deixar os pitbuilders para simuladores de vôo com uma missão muito mais fácil e barata rs

  36. Bosco – li seu comentário!!!!!!!!!!

    E… estou rindo até 2020! RSRSRSRS! Um pouco de racionalidade e bom senso não faz mal a ninguém. Com certeza, não se trata de uma coincidência ou “falha de avaliação” – mas pode ser pura e simplesmente contatação!

  37. Emmanuel 9 de novembro de 2017 at 15:45
    Eu fiz um comentário irônico ainda em cima da comparação que o amigo fez das aeronaves russas e a conhecida marca de linha branca (que inspirou até um funk proibidão, e que já não tem mais no mercado…!), mas o comentário ficou retido…! Que pena! Ainda podia alegar que estávamos falando só do fogão!…
    Agora, tentando falar sério: até onde a deficiência comparativa dos meios russos é culpa dos ‘fogões’… digo, aviões, e não dos ‘cozinheiros’ — pilotos?! Quanto a diferença de doutrina, e de suporte logístico não influencia no resultado de operacionalidade e efetividade dos meios?… Isso sem falar no armamento em si (que nessa metalinguagem gastronômica seria ‘panelas’, ‘garfos e facas’?! 🙂 )…
    Eu falando tanto de coisas de cozinha e já deveria ter saído pra almoçar!! rsrsrs
    Abraços!

  38. Kakakak…só rindo mesmo..rsrs…

    1- A Alemanha vai pegar o Caçar que os Amis quiserem que eles peguem afinal alguém tem que pagar por essa tranqueira!!!
    2- A Alemanha vai correr assim que os Russos marcharem de Kalingrado podem ter certeza.
    3- Caçar de verdade é o que o povo do deserto tem que é sua espinha dorsal que são os F-15 nem acredito que estou de acordo com o representante do Tio Jacó rsrs…..

  39. André Luiz.’. 10 de novembro de 2017 at 11:13
    Meu caro,
    Lembro desse pancadão da grande artista Tati Quebra Barraco. Uma letra ímpar que deveria entrar para os anais da história da música popular brasileira. Só espero que não doa.
    André, pegue, como exemplo, os motores de um Mig-29 hoje e de um F-16. Compare a qualidade de um e do outro. Principalmente a questão da saída de fumaça e vida útil. E depois reflita se isso não interfere em algo.
    Dako é uma porcaria, mas nas mão de um bom cozinheiro faz milagres é verdade. Mas toda dona de casa, se pudesse, teria uma Brastemp em casa. E os russos não fazem Brastemp.
    Abraço.

  40. Emmanuel 10 de novembro de 2017 at 13:42
    “…Uma letra ímpar que deveria entrar para os anais da história da música popular brasileira…” — você veja só como são as coisas, né? A funkeira elogia a marca do fugão (ela gosta!, problema dela!) e o meu comentário é que fica retido…! 😛
    Sim!, o comentário do amigo foi bem pertinente! Leigos (como eu mesmo…) se empolgam com a beleza das aeronaves russas (inegavelmente belas!) ou suas pretensas capacidades de velocidade, manobrabilidade e o escambau!, e esquecem dos aspectos de engenharia dessas máquinas, tais como a durabilidade dos motores, facilidade de manutenção, consumo (claro!), etc. E aí, a diferença de qualidade se torna mais evidente. Pós venda então, nem se fala!…
    Abraços!

  41. Acho que o Brasil poderia, mais pra frente, encomendar uns 24, sei lá, só como forma de impor respeito no cenário internacional e se reafirmar no continente como maior potência. Imaginem Gripen E + F- 35 + Super Tucano + KC 390 + E-99!
    Sonhar é de graça e às vezes faz bem!

  42. PC de Bordo 10 de novembro de 2017 at 17:25
    Amigo, sonhar é ‘de graça’, vá lá, mas ‘delirar’ é sinal de distúrbios mentais… ! “Já tomou seu gardenal hoje?!”
    Não leve a mal o sarcasmo da resposta. Só que o você sugere é algo… absolutamente infactível!, e desnecessário…!
    Cordialmente.

  43. Vou repetir uma pergunta capciosa….se este sistema laser chegar a possuir uma eficacia de missil kill de 70-80%….num embate F-15+laser Vs F35+laser….não vai dar pau na capacidade de carga BVR/WVR do F35???

  44. Historicamente os alemães sabem muito bem no que dá subestimar os russos no campo de batalha.

    Se o equipamento militar russo fosse uma porcaria a OTAN já teria virado “clube de golf”.

    Fato é que os russos nos últimos 05 anos focaram em modernizar sua força aérea.. estudem o que fizerem na Síria (logística/armas de precisão/número de incursões dia).

    E como diz o ditado..”Niguem joga pedra em árvore que não dá fruto”.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here