Home Aviação de Transporte Aeromagazine: incidente com KC-390 foi por deslocamento do centro de gravidade

Aeromagazine: incidente com KC-390 foi por deslocamento do centro de gravidade

10649
97
KC-390

Segundo o site da revista Aeromagazine, um engenheiro envolvido no projeto, que pediu anonimato, informou que a aeronave realmente quase se envolveu em um acidente fatal. O motivo teria sido o deslocamento do centro de gravidade durante uma das manobras do ensaio em voo.

Segundo o engenheiro citado pela revista, a aeronave realizava voos de teste em condições imediatamente anteriores à perda de estabilidade (o chamado pré-estol) e com formação de gelo, mantendo uma atitude de voo (ângulo de ataque) mais pronunciada do que a habitual em condições similares. Por uma falha ainda por se esclarecer, um dos equipamentos utilizados para aferição dos dados do ensaio se desprendeu, correndo para a parte posterior do compartimento de carga e desbalanceando o avião, que já se encontrava em um voo crítico.

Com o rápido deslocamento do centro de gravidade, o KC-390 girou no próprio eixo enquanto perdia altura. Os pilotos conseguiram recuperar a aeronave a pouco mais de 1.000 pés em relação ao terreno, o que significa cerca de 300 metros. Um susto e tanto para todos a bordo.

Durante a manobra inesperada, a aeronave teria atingido forças negativas superiores às previstas no projeto, o que teria levado a danos estruturais. A Embraer não confirma a extensão dos danos, nem o comprometimento da célula do protótipo envolvido no incidente.

97 COMMENTS

  1. É, temo que, se o mesmo houvesse acontecido com o KC-390 imediatamente após a decolagem, o destino poderia ter sido o mesmo. Felizmente estavam a uns 20.000 pés, salvo engano.

  2. Sair de uma enrascada dessas só demonstra a capacidade e a tecnologia empregada no projeto KC-390, bem como a habilidade da tripulação, altamente treinados.
    Não é qualquer avião que consegue sobreviver a isso.

  3. Em avioes militares, quem cuida da disposiçao e ancoragem da carga é um loadmaster? Existe essa funçao dedicada na area militar?
    SRN

  4. E isso mostra que o incidente não foi por falha de projeto e sim por falha de algum imbecil que não prendeu o equipamento direito.

    Graças a Deus e a habilidade dos pilotos da EMBRAER que o pior foi evitado e eles levaram o bichão de volta pra casa.

    Parabéns a EMBRAER e tudo de volta ao normal.

  5. Incrível a aeronave ter resistido e pousado em segurança. E impressionante a capacidade de recuperação do controle dos pilotos em uma situação extrema. Esse incidente vai virar lenda.

  6. Cel. Rinaldo Nery, como todo incidente e acidente foi uma soma: teste de stal + simulacro de gelo + deslocamento da carga + (talvez) sombra da asa no profundor devido ao angulo excessivo impossibilitando que fosse picado. Que o senhor acha?

  7. Desconhecia que havia carga em seu interior, se é que havia mesmo, porque essa coisa de “repórter investigativo” tem sempre o risco de ser algo furado.
    Mas se houve deslocamento de carga em seu interior é algo gravíssimo – teria que saber o quanto era essa carga – e o KC-390 mesmo assim conseguiu recobrar o controle de voo e pousar, é algo que atesta a qualidade do avião e da tripulação.
    Li em matérias de jornais na época, que depois do acidente trágico envolvendo o Legacy com o avião da Gol, com o Legacy pousando em segurança, que a procura pelo avião da Embraer aumentou.

  8. Se foi isto o que aconteceu, o desprendimento da carga foi um erro grosseiro. Pode ter sido isto ou estão lançando uma mensagem através de um “engenheiro” da EMBRAER para acalmar os clientes , depois respaldam tecnicamente o que ocorreu. No caso deste incidente o CENIPA investiga? Publicar deve ser outra questão, devido ser um aparelho protótipo.

  9. A nota oficial da Embraer (transcrita na matéria original) foi pouco honesta. Sequer reconheceu a existência de um incidente, basicamente alegou que tudo fez parte dos ensaios de voo:

    “Um protótipo do avião de transporte multimissão KC-390 realizou na manhã de quinta-feira, 12 de outubro, ensaios em voo para situação de estol, que resultam em perda de altitude da aeronave, devido à diminuição da força de sustentação, como parte da campanha de testes para certificação.
    Em razão das manobras efetuadas e seguindo os protocolos estabelecidos, a tripulação solicitou retorno antecipado à base, pousando normalmente no aeródromo da companhia em Gavião Peixoto (SP) onde a campanha de ensaios é realizada.”

  10. Agora, imagina o tamanho desse equipamento.

    Mas um desprendimento de carga para mais uma negligência que uma fatalidade, isso deve ser muito bem investigado.

  11. Tem muito mais “coisas” a serem esclarecidas neste incidente. Já disse isto antes…sobre os painéis e aviônicos terem dado default… sobre a espuma simuladora de gelo (e seu fabricante)…etc.

    Não me convenceu esta suspeita de “alguém” não ter palitizado corretamente um simples contâiner que nem sabemos sequer o peso e o tamanho.

    Sds.

  12. Acho que antes de ficar pedindo cabeças, e adjetivando qualquer pessoa que seja, deve-se esperar até a conclusão da investigação. O desprendimento do equipamento pode ter se dado por falha de componentes como presilhas, engates ou parafusos.

  13. E qual era a tal carga que se desprendeu? Se era um voo de teste de qualidade de voo em condições específicas deveria ter uma carga robusta em seu interior?

  14. Procurada, a Embraer negou que o incidente tenha gerado danos à estrutura primária (fuselagem) do protótipo do cargueiro e informou inicialmente que o incidente não teve relação com o deslocamento de centro de gravidade citado pela revista.

    “A entrada em serviço do KC-390 está prevista para acontecer em 2018, conforme o cronograma do programa. Atualmente, dois protótipos do KC-390 somam mais de 1.300 horas de voo”, afirmou a Embraer.

    https://extra.globo.com/noticias/economia/cargueiro-da-embraer-passa-por-incidente-durante-voo-de-teste-no-interior-de-sp-22044166.html

  15. Eu li que algumas pessoas teriam ficado levemente feridas, se isso é verdade, pode ser por causa do desprendimento desta carga… Já que acredito que os tripulantes deveriam estar com cintos de segurança…

  16. Desprendimento de equipamento!
    Isto foi comentado na época, mas dava a entender que tinha ocorrido em consequência do incidente, e não sua causa.
    A reportagem da revista, citando fonte anônima, diz explicitamente que o desprendimento foi a causa provocadora do incidente (o pré-estol os outros fatores estavam previstos no teste).
    Mérito para os pilotos, que conseguiram evitar a queda; bom para o projeto, que não está questionado, e; mau para o(s) responsável(is) pela fixação do equipamento, que, parece, falharam em suas funções.

  17. Já que você sabe a verdade Tadeu, então conta ela para gente
    obs: Será que foi a engenheira gata que deu essa informação para a aeromagazine?

  18. Caiu até uma lágrima do olho agora. Se realmente foi isso, emocionado por estar todo mundo vivo e mais experiente. Parabéns aos pilotos e ao protótipo

  19. Não arou terra pois do mesmo modo que o equipamento foi lançado para o fundo da fuselagem, após o giro voltou ao lugar ou próximo a ele, o que cessou o passeio de CG e o AC foi controlado.

  20. André Bueno 8 de novembro de 2017 at 12:50
    E qual era a tal carga que se desprendeu? ” — pegando um gancho em outra matéria aqui do PA (http://www.aereo.jor.br/2017/11/07/ira-testa-cargueiro-c-130e-como-bombardeiro/#comment-411702), “vai ver foi justamente um bomba de queda livre em teste de lançamento para a FAB usar o KC-390 como alternativa muito mais barata ao Gripen nas missões de ataque ao solo, no lugar do A-1…” , “o que provaria que um recém chegado comentarista aqui no PA é um visionário!”…. (modo irônico pra lá de ‘ON’, claro!…)

  21. Tinhamos uma Forista participante,
    entraram aqui ameaçando ela (deduragem mesmo), cagalhão puro.
    Uma pena, a moça é 10 e show na área.

  22. Olá Colegas. Eu desconfio de jornalistas com suas certezas sobre acidentes aéreos. Não acertam uma. O CENIPA, NTSB, etc… levam anos concluir um relatório e os caras divulgam com certeza a manchete no dia seguinte. Por outro lado, lembrei do C130 da FAB que caiu perto de Fernando de Noronha devido o deslocamento de carga.

  23. Na decolagem a força sofrida na aceleração é maior que a componente do peso na atitude do ângulo de ataque durante o pré-estol, portanto, caso o equipamento estivesse mal ajustado ele já teria saído no início do voo. Na recuperação do estol a carga voltaria ao ponto de partida e com mais violência ainda, seria algo bem perigoso.
    Seja o que for, a carga não escolhe hora para se desprender.
    Porém, sendo a informação não oficial, vinda de um anonimato e revelando informação que não lhe é permitida, não merece credibilidade, muito pelo contrário, reprovação.

  24. Pode não ter sido um erro. Pode simplesmente ter ocorrido de que o que quer que prendesse o equipamento à aeronave pode ter falhado, visto que vem sendo submetido à mesma bateria de testes que a própria aeronave. Esse tipo de coisa acontece em qualquer lugar do Mundo, ainda mais durante fase de testes aonde os limites do envelope de vôo são definidos. Felizmente não houveram fatalidades.

  25. Olá senhores! Se realmente ocorreu como esse relato não tenho como não ficar mais entusiasmado com esse projeto! Olha turminha da ZAF “ces” que operam o Hercules mesmo o “J” já podem dar uma aposentadoria honrosa em “Mojave” e trocar pelo carrinho de mão (rs) o nosso já querido Kczão (gosto do outro nome também, mas vão me censurar). Isso me lembra dum incidente com o protótipo do Bandeirante que pousou de barriga por falha humana, o piloto esqueceu-se de abaixar o trem de aterragem, ninguém menos que o irmão do Ozires Silva, mas tudo terminou bem e o Bandeirante se tornou um ícone na aviação. Mas uma brincadeira no intuito de saudar os competentes tripulantes: Inventaram a manobra “Cobra” de Pugachev no Kczão, gostaria de saber o nome dos pilotos para lhes dar o mérito da manobra! Ah em tempo já acionaram acidentalmente o paraquedas anti stol do protótipo do CBA-123 em voo!

  26. Se o incidente foi causado pelo desprendimento de carga, há que se verificar qual as dimensões da carga (peso, volume, etc) e se efetivamente o desprendimento decorreu de falha humana (ex: erro de fixação ou excesso de peso) ou se pode ser algum defeito do mecanismo de fixação interna, mas que não seja falha estrutural do avião. O que importa é que todos saíram vivos e o aparelho em condições de pouso em segurança.

  27. “Baschera 8 de novembro de 2017 at 11:45
    O PT-ZNF não voa mais. Deu PT. Soltou, inclusive, partes da fuselagem…e enrrugou tal qual um “croassant”.”

    Fonte ? Fotos ? Viu in loco ?

  28. Pedro Rocha 8 de novembro de 2017 at 13:57

    Que estória é essa de irmão de Ozires Silva? Foi o próprio Ozires que tripulava a aeronave! O incidente foi em Campo Grande. O pessoal do CTA enviou um C-47 com pessoal, peças e ferramentas e o colocaram para voar em pouco tempo.

  29. Vamos esperar que nada de substancial tenha ocorrido ao projeto, pois o Nosso Pássaro do Trovão e seus pilotos, nesta, já provaram que estão ai para vencer adversidades! E nao seria uma falta de sustentação crítica que os atrapalharam! Parabéns aos peritos pilotos, ao KC-390 Pássaro do Trovão, e a Embraer por construí-lo!️️️️

  30. Bem que a Embraer poderia convocar uma coletiva em Gavião Peixoto e mostrar a aeronave. Aí sepultaria todos os rumores existentes. Ou não.

  31. A empresa investe milhoes nesse projeto, quanto menos falar, melhor.
    Existe compromisso de governança com o público, por isso a nota, mas num momento em que precisam vender o projeto mundo afora, é absolutamente ingênuo ficar falando agora qualquer coisa, num momento onde as investigações ainda devem estar acontecendo

  32. Não sei se altitude salvaria aquele 747 Poggio. Eram 80 toneladas de carga, 5 blindados. Um bicho daqueles rolando souto dentro da fuselagem deve ter causado um belo dano estrutural.

  33. “Baschera 8 de novembro de 2017 at 11:45
    O PT-ZNF não voa mais. Deu PT. Soltou, inclusive, partes da fuselagem…e enrrugou tal qual um croassant”.
    .
    Está sabendo mais do que a Embraer sabe hein amigo …
    Fonte: https://todosabordo.blogosfera.uol.com.br/2017/11/08/aviao-militar-cai-7x-mais-rapido-que-o-normal-em-teste-embraer-nega-danos/
    ´Segundo a Embraer, o avião “experimentou um evento além do limite planejado no teste de uma das várias configurações experimentadas”. Após o incidente, a aeronave conseguiu pousar em segurança na pista de Gavião Peixoto, no interior de São Paulo, uma das sedes da empresa. “Após inspeções detalhadas, nenhum dano à estrutura principal da aeronave foi encontrado. Algumas carenagens externas e janelas de inspeção foram danificadas e precisarão ser reparadas antes que a aeronave retorne aos voos”, afirma a empresa.´

  34. Guizmo 8 de novembro de 2017 at 16:35
    Concordo, em gênero, número e grau! Ainda vai rolar muita água até que as razões do incidente seja esclarecidas. O que interessa é que a aeronave pousou em segurança (!), os pilotos não sofreram nada (há o relato de lesões nos olhos — resultantes do esforço ‘G’ que sofreram, mas coisa passageira, Graças a Deus!), e o programa de certificação do KC-390 continua!
    Abraços!

  35. Guilherme Poggio e Clésio Luiz, assistam esse programa que verão o que realmente derrubou o 747.

    http://legacy.foxplaybrasil.com.br/watch/882725443905

    Resumindo, o último carro se soltou, arrebentou um anteparo traseiro, rompeu duas vias de hidráulicos e quebrou o parafuso do profundor. Esse último que fez com que perdessem o controle total. Segundo as investigações senão fosse isso teriam recuperado o controle.

  36. Carlos Alberto Soares 8 de novembro de 2017 at 14:36
    “Baschera 8 de novembro de 2017 at 11:45
    O PT-ZNF não voa mais. Deu PT. Soltou, inclusive, partes da fuselagem…e enrrugou tal qual um “croassant”.”

    Fonte ? Fotos ? Viu in loco ?

    Infomações da “Màe Dinah” meu amigo.
    Entendedores entenderão.

    E sim….para quem perguntou… houve ferimentos causados pela abruta situação de -4 g na tripulação… sangramentos e problemas nas vias auditivas…mas nada muito grave.

    Sds.

  37. João Luiz Barreto Passos 8 de novembro de 2017 at 14:05

    É isso mesmo João. Aparelhos de aferição de dados não costumam ser volumosos ou muito pesados, considerando a capacidade do KC-390. Será que estavam testando os limites de estol com carga?

  38. Carlos Alberto Soares 8 de novembro de 2017 at 13:35
    Tinhamos uma Forista participante,
    entraram aqui ameaçando ela (deduragem mesmo), cagalhão puro.
    Uma pena, a moça é 10 e show na área

    Carlos Alberto…a “moça” é funcionária do setor de contra-informação da EMB. Uma autentica A2….

    Depois da Koslowa…. Não caio mais nesta.

    Sds.

  39. Luiz Fernando, concordo com você, estou esperando o próximo fontado e/ou engenheiro envolvido no projeto dizer que um disco voador disparou no KC-390, mas mesmo assim a sua tripulação o trouxe em segurança de volta, enfim é melhor dar tempo ao tempo, um dia talvez todos saibam o que realmente aconteceu. O mais importante é que aparentemente a tripulação esta bem

  40. Olá Roberto. Não tenho a referência, porque faz muito tempo isso, mas li isso em alguma revista ou coisa assim.. talvez outros colegas do blog devem ter alguma referência.

  41. Olá Roberto. Encontrei uma reportagem que menciona isso. Coloque no google “Justiça condena União a pagar R$ 153 mil por acidente da FAB” para chegar na reportagem (melhor que coloca o link e correr o risco do comentário ficar preso, né?). Se eu encontrar um documento melhor, colocarei a referência por aqui.

  42. Na época eu também tinha ouvido isso, que ele estava no tráfego para pouso em Noronha e transportava um grande cilindro, na curva, as amarras se soltaram e a carga girou junto com o avião.
    Eu só queria saber como ficaram sabendo de tantos detalhes, se é que essa versão seja verdade.

  43. O acidente de outro C-130 em Recife que caiu num pantano na aproximacao depois de retornar por problemas, é outro que gostaria de saber mais detalhes.

  44. Olá Roberto. Pois é. Você tem razão sobre não termos um relatório oficial da FAB ou CENIPA sobre as causas. Também gostaria de saber se essa informação é especulação ou tem alguma confirmação. Talvez seja apenas uma das hipóteses. Concordo com você que com não é correto afirmar a causa da queda foi o deslocamento da carga baseado apenas nas reportagens. Aliás, é uma coisa que eu tento evitar é propagar falsas histórias. Valeu por chamar minha atenção sobre isso.

  45. camarger,
    Existe sim um relatório oficial da FAB para aeronaves mlitares, e é muito bem feito, porém é interno e o acesso é restrito ou somente requisitado, coisa assim.
    Lembro que certa vez li o relatorio do acidente do F-5 que caiu no Galeão, logo que chegou no Brasil.

  46. Olá Roberto. TEm um documento do TRF 5 região que menciona o mal acondicionamento de cargas. Coloque “A 2ª Turma do TRF-5 concedeu a Wemerson Fernandes Leôncio, 23, indenização pela União, em virtude”. Não encontrei o relatório mas tem um documento de um juiz que atesta a versão.

  47. Desculpe, só agora entendi que você se referia sobre o relatorio de determinado acidente e nao de todos acidentes militares de forma geral.

  48. Olá Roberto. Seria muito legal se algum colega que tivesse tido acesso a este relatório do C130 pudesse esclarecer este ponto. O máximo que conseguir achar foi a referência ao deslocamento da carga no site do TRF5.

  49. Olá Roberto. De fato, mencionava o acesso ao relatório deste acidente. Vou continuar buscando.. as vezes dá sorte eu encontro algum documento oficial por acaso… talvez o caminho seja seguir este processo de indenização.

  50. RicardoFerreomodelismo 8 de novembro de 2017 at 16:41
    De tudo o que vimos desde o início dessa história, essa matéria é a única que tem informações específicas da Embraer ( estou confiando que o jornalista diz a verdade quando relata que foi a empresa que deu essas informações ) e eu destaco essa parte:
    “Após inspeções detalhadas, nenhum dano à estrutura principal da aeronave foi encontrado. Algumas carenagens externas e janelas de inspeção foram danificadas e precisarão ser reparadas antes que a aeronave retorne aos voos”
    Se confirmado isso, só tenho a dizer que ‘Deus escreve certo por linhas tortas’, esse evento pode ser mais uma ferramenta de venda, pois se o KC-390 suportou tudo isso e ainda tem condições de retornar aos voos, o bicho foi muito bem projetado e construido. Excedeu a todas as melhores perspectivas da Embraer e dos clientes que não utilizaram a aeronave nem perto das condições extremas alcançadas nesse voo que, na minha opinião, será um divisor de águas.

  51. “um dos equipamentos utilizados para aferição dos dados do ensaio se desprendeu”
    Quantas “toneladas” esse equipamento pesa ,para justificar tamanho deslocamento do CG ,para min essa “estoria” esta mal contada.

  52. Olá Jackson. Não pretendo defender a Embraer nem sou especialista em dinâmicas de vôo, mas não é possível ignorar que a aeronave estava sendo testada em seu limite de sustentação, em baixa velocidade e simulando outras condições limites. Nestas condições críticas (que obviamente é muito diferente que seria a operação da aeronave carregada) uma pequena variação no CG pode ser catastrófica.

  53. Em resposta a Roberto F. Santana 8 de novembro de 2017 at 19:16
    Olá, Roberto.
    Pouco sei além do que foi publicado na imprensa. Tenho mais de uma dezena de amigos na área de ensaios da Embraer, mas, em respeito ao trabalho deles, não vou perguntar.
    Quando a Embraer achar que for interessante para o sucesso do projeto, vai divulgar detalhes.
    Abraço,
    Justin

  54. Justin Case.
    Eu quis dizer que você talvez soubesse ou pudesse dar mais informações sobre o acidente do C-130 (2468) em Fernando de Noronha em 1987.

  55. No Flightradar, é bem claro, a aeronave vinha fazendo vários estois, no sétimo estol é que ocorreu o evento.
    Não acredito que tenha havido desprendimento de carga ou equipamento. Opinião minha: estola ram com ângulo excessivo, provavelmente uma das asas estolou primeiro, fez um meio parafuso e ficou de dorso.

  56. Uma curiosidade: talvez tenham sido utilizados lastros dispostos de forma a simular cargas localizadas de forma assimetrica. Seria por exemplo, algo como uma das fases de lançamentos de containers, combinando-se essa hipotese com a ativaçao do simulacro de acumulo de gelo. Poderia ser algo assim? Se um lastro com massa de, digamos, duas ~ tres toneladas soltou-se e deslocou-se indevidamente certamente poderia ser uma das causas raiz. Vamos aguardar pela finalizaçao das insoeções e analises. Acredito que oportunamente serao divulgados ps resultados da forma mais fidedigna possivel. Nesses casos esconder o jogo nao e a melhor politica, ate porque a Embraer nao tem esse perfil e nada a esconder! Reratificando tudo qye aqui ja disse a respeito, esse evento sera um marco na historia do kc-390, trazendo muita credibilidade à Embraer e seus profissionais. E incrementando vendas. Espero! Abs

  57. Segue o jogo…
    Ouço a frase: sabotagem de informação.
    Há o outro lado. O lado do marketing do mal!
    Será que alguém não está querendo diminuir a credibilidade do projeto? Já pensaram nessa hipótese!
    Sim…. A CIA é expert nisso! A bombardier que o diga!

  58. Do jeito que a banda podre do blog está se esforçando para esvaziar os comentários, parece, por enquanto somente parece, que o que foi dito a respeito do incidental; faz sentido.

  59. Pois é, tava pensando isso ao ler os comentários.
    O cara vem aqui e afirma algo com três pontos de exclamação (!!!). Passa um mês, o avião está de volta no Flightradar.

    Muitas teorias, nada concreto, nem mesmo a nota da Embraer.
    Num caso desses, até que ponto é ilegal (sem considerar a moral) uma empresa privada mentir sobre algo assim.
    Considerando que, diante da situação, é mais vantajosa uma alegação de deslocamento de carga do que alguma falha no protótipo, é estratégia empresarial ou ilegalidade, se eventualmente a Embraer estivesse mentindo ou omitindo algo sobre o fato?

    De qualquer forma, para sair de uma dessas o piloto tem que ser muito bom.

  60. Pessoal, apesar do incidente que graças a Deus não passou de um susto.
    A Embraer agora possui dados valiosos que ajudarão a melhorar o avião. Pois, como dizem as fontes, o cargueiro suportou mais G’s do que foi projetado.
    Saudações

  61. MadMax 8 de novembro de 2017 at 17:57
    Se as pessoas soubessem o que aconteceu no teste, ficariam enojadas
    Você diria que os pilotos ‘sujaram’ a aeronave?… Ora!, e quem não ‘sujaria’ passando por uma dessas? Eu também ‘sujava’ : abria tudo quanto é flap, slat e sei lá ais o quê de superfície aerodinâmica pra controlar aquela bagaça caindo com euzinho dentro! rsrsrs (e, claro, meu uniforme de voo ficaria em estado deplorável…!) 😛

  62. O avião está em desenvolvimento. A EMBRAER não vai divulgar nada por motivos comerciais. E a FAB é dona do projeto. Tem que autorizar qualquer divulgação. E nem ela nem a EMBRAER são obrigadas a divulgar nada.
    O C-130 de Noronha caiu porque o gerador se soltou, conforme já foi dito acima. Vários companheiros do 1°/1° GT e do PARASAR confirmam. Há um relatório final do CENIPA. Inclusive, o resgate dos corpos foi dificultado devido aos tubarões.

  63. Olá Colegas. Vi agora há pouco um video do interior do KC390 com os equipamentos de testes do protótipo (não consegui ver o registro) no programa Aero: por trás da aviação. (Temp.2 Ep.10). Alguns equipamentos são realmente grandes (talvez do tamanho ou até maior do que geradores elétricos a dieesel). Se foi aquele container de equipamentos que se soltou, o efeito no CG seria enorme. Sugiro os colegas assistirem.
    https://globosatplay.globo.com/globosat/v/5693305/

  64. Olá Cel. Nery. Obrigado por confirmar a questão do deslocamento da carga no C130 acidentado. Acho que isso confirma a questão do acidente. Na pagina do CENIPA, os relatórios de acidentes disponíveis são de 2006 em diante.

  65. Nivelou a 300 metros ???
    Caraca, foi por pouco mesmo que não se arrebentaram no chão. Com certeza o pessoal a bordo teve que trocar as cuecas depois dessa !!!!

  66. Esse acidente do C-130 eu já tinha ouvido falar, mas imaginava que era um trator que havia se soltado dentro do compartimento de carga, mas foi um gerador.
    Na época eu lembro que saiu no Jornal Hoje, e testemunhas disseram que o avião caiu depois de iniciar um curva antes de pousar.
    Alguém lembra de um Bandeirante que explodiu em procedimento de aterrissagem em Val de Cães?? acho que foi um Bandeirante, explodiu sobre a baía do Guajará, explosão ouvida em toda cidade.
    Ouvi dizer que este era o “avião das bombas”, alguém comentou comigo que ia carregado com munição, seu destino era a Serra do Cachimbo… tão pouco sei se isso procede.
    _______________
    OT: Quando os portugueses adentraram na foz do amazonas, alguém mandou um marinheiro atirar um balde ao mar e recolher água, algo assim, perceberam que a água era doce, os portugueses então pensaram que haviam descoberto um novo oceano, mas de água doce, era tão grande que não se podia ver as margens, tratava-se do Rio Amazonas.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here