Home Aviação de Caça Caça F-35I ‘Adir’ de Israel iniciará operações completas em dezembro

Caça F-35I ‘Adir’ de Israel iniciará operações completas em dezembro

11041
34
F-35I e F-16I

O avião F-35 “Adir” de Israel está se preparando para se tornar plenamente operacional na Força Aérea do país (IAF) no próximo mês, em um esforço para impedir o Hezbollah no Líbano e proxies apoiados pelo Irã na Síria, de acordo com um relatório publicado em 29 de outubro.

O nome hebraico Adir se traduz como “poderoso” ou “grande”, de acordo com o Times of Israel. Sob um acordo especial entre Washington e Tel Aviv, a Força Aérea de Israel é a única força militar do mundo autorizada a modificar o F-35, em parte porque as duas nações compartilham muita tecnologia com a outra, e também porque Israel está aparentemente preparando-se para a guerra a qualquer momento.

O F-35I israelense é “uma máquina de coleta de inteligência único” como resultado das habilidades secretas que vão além das capacidades dos F-15 e F-16s da IAF, de acordo com um relatório do Begin-Sadat Center for Strategic Studies.

O caro avião de combate pode “evadir-se de vários sistemas de radar inimigos instalados na arena do norte” e está preparado para “desempenhar um papel fundamental na busca de Israel em impedir o Irã e seus proxies de criar um posto avançado militar ameaçador na Síria”, diz o relatório.

O F-35I também é “adequado para a missão atacar seletivamente o programa de tráfico de armas iraniano-Hezbollah em andamento”, acrescenta o relatório.

No que diz respeito às modificações específicas de Israel, em 2016, a Israel Aerospace Industries anunciou que acrescentaria um conjunto de comando e controle, além da programação básica dos jatos. A baía de armas também será exclusiva do F-35I para se adequar às munições guiadas de precisão israelense e mísseis de cruzeiro de longo alcance.

Israel atribuiu fundos para a compra de 50 caças F-35 até o momento. Desde 16 de setembro, a Lockheed entregou sete dos jatos à IDF.

Os militares farão uma análise de alternativas antes de comprar mais aeronaves F-35. A IAF inicialmente planejava comprar 75 ou 100 unidades, mas “com todas as limitações existentes” que o F-35 apresenta, “não podemos ignorar a necessidade de avaliar meticulosamente a face do futuro, especialmente no que diz respeito às plataformas de combate aéreo, que são tão caras, críticas e sujeitas a tecnologias em rápida mudança”, de acordo com um relatório de 25 de setembro do Knesset Foreign Affairs and Defense Committee.

FONTE: sputniknews.com

Subscribe
Notify of
guest
34 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
HMS TIRELESS
HMS TIRELESS
2 anos atrás

Nem mesmo a notória Sputnik endossa a farsa do southfront…😉

Emmanuel
Emmanuel
2 anos atrás

Em dezembro começa a história do F-35. Se aprovado em combate pelos israelenses, então, não haverá mais dúvida da sua capacidade e possíveis potencialidades. A IAF não faria uso de um vetor apenas por uma questão política ou benefícios financeiros. Eles não precisam disso. Eles não lutam por petróleo, gás, minérios. Lutam por sobrevivência. E precisam do que é o melhor em meios para fazê-lo. Se o F-35 for aprovado, de verdade, então acabará esse questionamento sobre seu custo porque o investimento valerá cada centavo.

Fernando Jesus
Fernando Jesus
2 anos atrás

Ainda acho que daqui 30 anos ainda haverá muitos F16s segurando o piano em muitas Forças Aéreas.

wilhelm
wilhelm
2 anos atrás

Emmanuel 4 de novembro de 2017 at 15:23, diga isso para os contribuintes americanos que bancaram a farra de meia dúzia.

Não se trata aqui de desmerecer as qualidades do vetor (mesmo porque, conforme as últimas notícias revelam, ele realmente possui inúmeras e promete ser revolucionário), mas sim reconhecer que houve, de fato, um número absurdo de erros no desenvolvimento desse avião, sobretudo na transparência do programa. Por isto, creio que o questionamento não apenas é válido, mas também necessário.

sanney
sanney
2 anos atrás

Ainda bem q aquele S200 nao abateu o caça israelense. Pq se nao a sua invisibilidade estaria comprometida. A resposta israelense sobre esse incidente. O adir entro em uma nuvem de passaros. Mas ngm viu o estrago q os passaros fez.

Washington Menezes
Washington Menezes
2 anos atrás

Pronto, agora um relatório diz que o F35 é grande esforço para combater o Hezbollah no Líbano.

HMS TIRELESS
HMS TIRELESS
2 anos atrás

Roberto, esse “todas as limitações existentes” já é por conta da Sputnik

Adriano A.R.
Adriano A.R.
2 anos atrás

Excelente oportunidade para os americanos conseguirem tudo o que precisam em relação ao comportamento do avião frente aos sistemas russos na região. Mas…os russos também devem estar ansiosamente esperando pela presença do F-35 no teatro Sírio, pelo mesmo motivo…

Junior
Junior
2 anos atrás

Adriano ,
Pensei a mesma coisa , hora perfeita para testar o F-35 contra um S-35 ou S-400 .

André Lourenço
2 anos atrás

israel de forma inteligente faz melhorias em seus caças, veja o caso do F16 I, pode ser que esteja próximo do deserter falcon dos Emirados em seus sistemas eletrônicos.

eles tem uma industria de armas bem desenvolvida, a FAB poderia adotar uma versão exclusiva do Gripen, não apenas no painel amplo de instrumentos, quem sabe uma versão com misseis no interior da fuselagem, tanques conformais dando mais tempo de voo.

Marcos
Marcos
2 anos atrás

Os S-400 estão nas mãos dos russos, portanto, a não ser que as coisas mudem por lá, Israel e Rússia vão continuar fazendo cara de paisagem.

Junior
Junior
2 anos atrás

Marcos ,
Quando dizemos testar os S-400 não digo que seja necessário uma agressão (ataque) propriamente dito , uma passagem no espaço aéreo controlado com sensores passivos ligados já é uma forma ótima de coletar dados e testar seu equipamento .
Vamos com nossos F-35 sobre o S-400 e ver quanto tempo levam para nos detectar e começar a berrar pelo radio ? Vamos tentar uma aproximação sorrateira por trás daquele S-35 dando sopa ali e ver se conseguimos engajar ele antes que o mesmo de sinais que nos viu ?

WAGNER
WAGNER
2 anos atrás

A não ser que usem o f35 contra o Irã, vão usar contra qual sistema de AAA minimamente eficiente? Ou vão apenas bombardear “terroristas de sandálias e ak47”?

Tiger 777
Tiger 777
2 anos atrás

Este avião vai conseguir um alto score de vitórias no campo ar ar, que vão deixar seus detratores de queixo caído.
Há muitos segredos de seus sistemas, que demorará anos pra ser passado ao público.

Farroupilha
Farroupilha
2 anos atrás

“WAGNER 5 de novembro de 2017 at 1:02 A não ser que usem o f35 contra o Irã, vão usar contra qual sistema de AAA minimamente eficiente? Ou vão apenas bombardear “terroristas de sandálias e ak47”?” Exatamente, é por aí mesmo. Seria patética tal atribuição. Esta é uma máquina de guerra para combate contra inimigos de poder simétrico. Seu custo só se justifica para uso contra este tipo de inimigo. Para ações assimétricas contra forças precárias em tamanho de tropas e qualidade de meios, que utilizam equipamento desatualizado, há várias outras aeronaves mais de acordo (sendo que principalmente o bolso… Read more »

Delfim Sobreira
Delfim Sobreira
2 anos atrás

Só eu acho que sistemas tão caros vergam o erário israeli ?

Marcos
Marcos
2 anos atrás

Junior 4 de novembro de 2017 at 23:33
Marcos ,
Quando dizemos testar os S-400 não digo que seja necessário uma agressão (ataque) propriamente dito , uma passagem…
Isso vale para os dois lados.
Sabendo disso, não acha que os russos não estarão de alguma forma fazendo a mesma coisa?

Gavião
Gavião
2 anos atrás

…”o único país autorizado a modificar o F-35″, isso é pra quem pode, não pra quem quer!

Antonio de Sampaio
Antonio de Sampaio
2 anos atrás

Será um belíssimo alvo para os Su-57 comprados em massa pelos países árabes.
As S-300 e claro, as S-400, também o esperam para lhes dar uma calorosa recepção.
Bela máquina.

PEDRO HENRIQUE PEREIRA SOARES
PEDRO HENRIQUE PEREIRA SOARES
2 anos atrás

Bom dia a todos! Já que os nobres colegas não acreditam em nada vindo da Sputnik, alguém sabe outra fonte com as palavras exatas do relatório de Israel sobre a compra de novos F35? Seria um dado importante para pender a balança sobre o interminável debate das capacidades do F35! Quanto a testarem… com certeza todos os envolvidos farão o teste, se e que já não estão fazendo, porém pouco ou quase nada vai chegar aos nossos ouvidos. Pergunta para quem entende de geopolítica: Acreditam mesmo que Israel está a correr para conseguir operacionalidade no F35 por causa do Hezbollah?… Read more »

Marcos
Marcos
2 anos atrás

Emmanuel 4 de novembro de 2017 at 15:23
A IAF não faria uso de um vetor apenas por uma questão política ou benefícios financeiros. Eles não precisam disso.

Israel recebe anualmente US$ 3,8 bilhões em ajuda financeira militar dos EUA, fora outros suportes pontuais, como transferências de tecnologia, informações técnicas, etc. Ou seja, em dez anos receberão US$ 38 bilhões. Isso vem desde sempre. Sem contar os subsídios na hora da compra.

Marcos
Marcos
2 anos atrás

O F-35 é uma excelente aeronave, mas que ainda tem muitos problemas e que será cara de operar e cara de manter.
A grande vantagem da aeronave é a furtividade, que pode e será usada em ataques pontuais. Foi para isso que foi projetada.

Flávio Henrique
Flávio Henrique
2 anos atrás

O F-35 combina com Israel (tirando os problemas…creio que todos sejam sanados ou controlados), Caças furtivos são os primeiros a ir (sem ser reconhecido), coletar informações, destruir (em solo), combater (pontualmente e há uma certa distancia) e voltar para casa. não acho que seja um vetor muito indicado para dogfight (a não ser que mesmo em contato visual seja capaz de “não ser visto” pelas armas do inimigo).

Sérgio Luis
Sérgio Luis
2 anos atrás

O tio Jacó não foi pra Síria de f35 ?!?!
Uai!!! Será porquê ?

Humberto
Humberto
2 anos atrás

Me desculpe Antonio de Sampaio, não entendi. Quem comprou em massa o S-37? Ou vc tinha entrado em modo irônico? Mudando de assunto, creio que foi o sputinik que tinha informado que TALVEZ o F-35 tinha sido danificado pelos Sírios não? Se vai entrar em operação em dezembro, será que alguns ‘entendidos’ aqui comeram barriga junto com eles? O F-35 é um avião problemático, como foram os B-2, F-22 F-111 assim por diante, alguns conseguiram provar em combate que eram bons, outros não tiveram a oportunidade, então temos que dar tempo a tempo para vermos como ele se comporta, em… Read more »

Helano Moura
Helano Moura
2 anos atrás

Tentaram antecipar o futuro deu nisso !!!!

Ricardo Da Silva
Ricardo Da Silva
2 anos atrás

Pelo visto vai ser mais uma carcaça estadounidense com o recheio israelense !
O “I” depois da designação do avião (F-15I, F-16I, F-35I) está fazendo mais diferença que o logo “i” nos carros nacionais no começo da injeção eletrônica (GTi, GSi) !

helio
helio
2 anos atrás

F-35 é realidade… defeitos serão corrigidos. Como alguém muito bem disse na outra matéria sobre o F-35 (o tal relatório….) não vamos confundir as mazelas do programa em si – custos sem explicação, relatórios parciais, jogo políticos – com problemas operacionais.
Todo novo sistema de armas complexo nasce precisando de ajustes… Normal. E sejam eles quais foram, não tenho dúvidas de que o Tio Sam vai dar jeito….

Claudiney
Claudiney
2 anos atrás

Para quem quer as fontes originais da notícia:
https://besacenter.org/perspectives-papers/f35-fighter-israel/

Sobre o alegado relatório do Knesset, referido no último parágrafo não encontrei nada alem da Sputnik e cópia dele.

Gilson Moura
Gilson Moura
2 anos atrás

PEDRO HENRIQUE PEREIRA SOARES 5 de novembro de 2017 at 11:17
Concordo, mas em minha opinião o Irã não será o único a representar um perigo sério para Israel futuramente, e sim em conjunto com a Turquia. Se a Rússia oferecer SU-30 ou 35 para esses países, já poderemos ver essa balança geopolítica pesar para determinado lado.

JPC3
JPC3
2 anos atrás

Acham que 48 sukhois vão fazer a balança pesar contra Israel?
Com acrobacias, pelo visto.

O que impede Israel de acabar com o Irã são os mísseis balísticos, a geografia e a distância.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
2 anos atrás

Não entendi bem. VÁRIAS matérias aqui mostraram as várias deficiências da aeronave (hipóxia, motor que pega fogo, capacete que quebra pescoço, dentre outros), além de que 108 aeronaves são considerados ¨protótipos¨. E Israel conseguiu resolver tudo? Por que a USAF não consegue?
Alguma coisa não encaixa…

PEDRO HENRIQUE PEREIRA SOARES
PEDRO HENRIQUE PEREIRA SOARES
2 anos atrás

Gilson Moura 6 de novembro de 2017 at 13:06

Eu colocaria como grande prioridade o Irã, mas com certeza Israel está de olha na nova Turquia que emergiu depois do fracassado golpe de estado.
Porem acredito que o Irã está apenas protegendo seus interesses, como fazem todos os países, Israel precisa maneirar e começar a negociar a paz com os Palestinos.
Tomara que não aconteça esse enfrentamento, se acontecer com certeza colocar fogo no oriente médio e provavelmente no mundo.

Obs: Seria legal se o PA fizesse uma matéria com o real poder bélico do Irã.

César A. Ferreira
César A. Ferreira
2 anos atrás

Realmente, não foi uma bateria de S-200 a retirar do serviço o F-35. Convenhamos que para tanto seria demasiado: para avariar o F-35 bastam duas garças…