Home Aviação de Ataque Wild Weasels versus SAM – parte 5

Wild Weasels versus SAM – parte 5

2938
6
F-105F usado por Thorsness e Johnson na missão condecorada

Agitando o ninho dos MiGs: Major Leo Thorsness e Capitão Harold Johnson

Em 19 de abril de 1967, o Major Leo Thorsness (piloto) e o Capitão Harold Johnson (EWO) lideraram uma formação Wild Weasel em uma missão contra o quartel do exército Xuan Mai a cerca de 30 milhas a sudoeste de Hanoi. Depois de silenciar um site de SAM e destruírem outro, a artilharia antiaérea inimiga (AAA) derrubou o avião dos majores Tom Madison e Tom Sterling que os acompanhavam. Agora sozinhos, Thorsness e Johnson ficaram para trás para cobri-los e para chamar as forças de resgate pelo rádio. Johnson viu outro MiG-17, e Thorsness disparou com fogo de 20mm.

Com pouco combustível, eles aceleraram para um avião tanque para reabastecer. Retornando depois para cobrir as forças de resgate, Thorsness e Johnson engajaram três MiG-17s, avariando um deles. Então, Johnson viu mais quatro MiGs chegando atrás deles, e Thorsness se evadiu dos MiGs, acelerando a baixa altitude através de passagens nas montanhas próximas. Apesar de estar sem munição, Thorsness e Johnson voltaram para atrair os MiGs para longe das forças de resgate, mas mais caças chegaram para assumir o controle. Infelizmente, apesar de seus esforços heróicos, o resgate teve que ser cancelado devido às esmagadoras defesas inimigas, e Madison e Sterling foram capturados.

Quando Thorsness e Johnson se dirigiram para o único avião-tanque KC-135 na área, um piloto de outro F-105 informou que estava perdido e quase sem combustível. Embora perigosamente sem combustível, Thorsness convenceu o único KC-135 da área a voar para o F-105 perdido. Ao desistir da chance de reabastecer, o outro F-105 foi salvo. Sem tempo de sobra, Thorsness dirigiu sua aeronave para Udorn, a base amiga mais próxima. Quando eles pousaram, o indicador de combustível registrava “vazio”. Ao sair do cockpit, Johnson comentou de forma discreta a Thorsness: “Esse foi um dia de trabalho cheio”.

Por valor em combate, além do chamado do dever, o Major Thorsness foi premiado com a Medalha de Honra, e o Capitão Johnson foi premiado com a Cruz da Força Aérea.

Major Leo Thorsness (l) e capitão Harold Johnson (direita) em Takhli no início de 1967. Nessa época, Thorsness era “Weasel chefe” no Takhli. (Foto da Força Aérea dos EUA)
Coronel Leo Thorsness recebe a Medalha de Honra do Presidente Nixon após sua volta para os EUA em 1973. Também aparecem na foto sua mãe e sua esposa Gaylee. (Foto da Força Aérea dos EUA)

Ataque à Ponte Doumer: tenente-coronel James McInerney e o capitão Fred Shannon

Em 11 de agosto de 1967, o tenente-coronel James McInerney (piloto) e o capitão Fred Shannon (EWO) lideraram um voo Wild Weasel cobrindo o primeiro ataque aéreo contra a forte ponte Paul Doumer, defendida em Hanoi, no Vietnã do Norte. Hanoi era o centro central da rede ferroviária do Vietnã do Norte, e a ponte Paul Doumer de uma milha era um elo chave que trazia um trilho e duas rodovias.

Durante o ataque, McInerney e Shannon destruíram dois sites SA-2 e suprimiram outros quatro. Eles voaram através de intenso fogo de artilharia antiaérea e se esquivaram dos três SA-2 lançados contra eles. A força de ataque cortou completamente a Ponte Doumer e, como resultado direto da ação de McInerney e Shannon, nenhuma aeronave foi perdida.

Por seu heroísmo e habilidade, o tenente-coronel McInerney e o capitão Shannon foram premiados com a Cruz da Força Aérea. McInerney, que comandou o Esquadrão Wild Weasel 355th TFW (13º TFS), mais tarde tornou-se major general da USAF.

Ponte Paul Doumer após o ataque de 12 de agosto de 1967. (Foto da Força Aérea dos EUA)
No caminho para o norte durante uma missão em setembro de 1967, McInerney (esquerda) e Shannon (direita) tiveram uma falha no motor do avião que os forçou a ejetar. Shannon teve uma perna quebrada, encerrando seu tour

Superando os SAMs: o F-105G e o Míssil Standard AGM-78

Em 1967, a USAF começou a desenvolver o caça-bombardeiro F-105G mais capaz, com equipamentos de detecção e alerta de radares melhorados e padronizados. Igualmente importante foi a introdução do míssil anti-radiação Standard AGM-78, que foi uma grande melhoria em relação ao míssil Shrike AGM-45. O AGM-78 foi empregado pelos F-105 Wild Weasels pela primeira vez em 10 de março de 1968.

Embora a Operação Rolling Thunder tenha terminado em 1968, os Thud Wild Weasels permaneceram ocupados voando para o norte em ataques de “reação protetora” até 1972. Esses ataques inicialmente alvejaram os sites de SAM norte-vietnamitas que disparavam em aeronaves de reconhecimento, mas depois incluíram outros alvos norte-vietnamitas.

Míssil Shrike AGM-45 (menor) e Standard AGM-78 (maior) na asa de um F-105G preservado

No entanto, persistiram limitações frustrantes. Os Wild Weasels não tinham permissão para atacar os sites de SA-2, a menos que os radares de SAM “travassem” em aeronaves americanas ​​primeiro. Como os políticos limitaram a campanha aérea contra o Vietnã do Norte durante esse período, o inimigo pode ampliar sua cobertura de SAM no Laos e na parte sul do Vietnã do Norte. Além disso, os primeiros mísseis Standard sofreram problemas de confiabilidade e continuaram a ser escassos até 1970.

Em 1970, como parte do programa “Vietnamização”, a USAF começou a reduzir suas forças no Sudeste Asiático. Em novembro, os Wild Weasels foram consolidadas no 6010th Wild Weasel Squadron em Korat. Em dezembro de 1971 foi redesignado como 17th Wild Weasel Squadron.

F-105G decolando para uma missão de Korat em 1971. Observar que está carregado com um míssil Shrike AGM-45 e um Standard AGM-78. Na outra asa há um tanque de combustível alijável (Foto da Força Aérea dos EUA)
Wild Weasels usavam grandes quantidades de combustível durante suas operações de combate, de modo que os aviões tanque eram críticos para suas missões. (Foto da Força Aérea dos EUA)
Uma doninha selvagem, apelidada de Willie, figura proeminente em muitas bolachas e logotipos oficiais e não oficiais dos Wild Weasels (Força Aérea dos EUA)

VEJA NA SEXTA PARTE: primeiras missões com o míssil Standard AGM-78, participação nas Operações Linebacker e a chegada dos F-4C Wild Weasel

6 COMMENTS

  1. Beeeelissima série.
    Só acho q esse material inteiro, deveria estar em uma nova edição da revista…
    Falando em revista Forças de Defesa…. Não vai ter mais ?

  2. Caro Alexandre Galante: você eventualmente faria um estudo e artigo sobre os “Panavia-Tornado” alemão. (Tipo: pontos fortes e fracos).
    Sei que está se tornando uma aeronave “obsoleta”, mas ainda acho que nada feito na Alemanha é obsoleto. (Exceto os crimes de Guerra!).
    Caso tenha algo em mente, gostaría de saber.

  3. O motivo pelo qual Thorseness recebeu a medalha quando voltou para casa apenas em 1973, é porque ele foi abatido em uma missão umas semanas depois e passou o resto da Guerra como ‘convidado’ dos Norte-Vietnamitas até a liberação dos prisioneiros em 1973. Acho que é meio óbvio pelo texto, mas caso alguém tenha alguma dúvida, aí está.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here