domingo, novembro 28, 2021

Gripen para o Brasil

Israel demonstra interesse na variante STOVL do F-35

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

F-35B

As novas ameaças enfrentadas por Israel incentivaram a potencial compra da variante de decolagem curta e pouso vertical (STOVL) do caça Lockheed Martin F-35B como uma alta prioridade

Estão em curso discussões, com o ministério de defesa de Israel, na expectativa de chegar a uma decisão antes que um novo acordo de 10 anos de financiamento militar estrangeiro com os EUA entre em vigor em 2019.

As entregas dos F-35I de decolagem e pouso convencional para a Força Aérea Israelense (IAF) continuam, com o serviço até agora tendo encomendado 50 exemplares. O esquadrão “Águia de Ouro” que opera o “Adir” e o esquadrão de teste de voo da IAF continuam a adaptar o caça furtivo para atender aos requisitos específicos da nação, com este trabalho, incluindo a adição de vários sistemas desenvolvidos por Israel.

O requisito inicial de Israel era de 75 caças F-35 e a necessidade de substituir os antigos caças Boeing F-15 — o mais antiga entregue em 1976 — está se tornando uma questão de alta prioridade.

Fontes indicam que a IAF terá que escolher entre obter F-35 adicionais — potencialmente incluindo exemplares STOVL — ou uma versão avançada do F-15. Nenhum detalhe foi revelado sobre a variante potencial do F-15 em que as avaliações estão sendo baseadas, mas espera-se que ela seja capaz de carregar uma carga de armas expandida.

FONTE: Flightglobal

- Advertisement -

20 Comments

Subscribe
Notify of
guest
20 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
HMS TIRELESS

Se a mais bem sucedida força aérea depois da II GM tenciona seriamente adquirir o F-35B é porque o aparelho é, sim, muito bom

Clésio Luiz

É. Se vem quase da graça porque não comprar… Se o Brasil fosse beneficiário de um acordo desses, “para manter a ordem na América do Sul”, recebendo bilhões do bolso do contribuinte americano, também poderíamos sair comprando tudo do bom e do melhor que o Tio Sam faz, assim, como quem vai a um supermercado, sem precisar mendigar no congresso ou fazer concorrências.

LucianoSR71

É o conceito do Harrier ( não Sea Harrier ) voltando c/ tecnologia do século 21. Vc pode dispersar aeronaves de modo a evitar que sejam destruídas numa base aérea e ainda surgir p/ atacar de onde menos se espera.

Adriano R.A.

E quais seriam essas novas ameaças? A presença russa na Síria? Abraços.

Delfim Sobreira

Adriano R.A.
Na verdade não há. O problema é o envelhecimento da frota e a necessidade de dispersão.
Os F-15 são naturalmente STOL devido à grande potência, mas como a matéria mostrou estão ficando velhos.

Fabiano martins

Os EUA bancando fica fácil rsrsrsrsrs.

Alfredo Araujo

“Adriano R.A. 5 de agosto de 2017 at 20:33
E quais seriam essas novas ameaças?”
.
A aquisição – por parte dos vizinhos de israel – de aeronaves russas e francesas de 4++ geração, de sofisticadas baterias de misseis AA, da jihad islâmica que nunca termina, e etc…

André Luiz.'.

LucianoSR71 5 de agosto de 2017 at 17:57
Tenho minhas dúvidas, Luciano. Se não for pra usar embarcado, aeronaves VTOL (ou, vá lá!, STOVL, como é o precisamente o caso…) têm alguma vantagem significativa descontados os maiores custos de operação/manutenção? Acho que não, tanto que, tirando o Sea Harrier, nenhum outro projeto de caça V/STOL foi muito adiante (nem o Mirrage III V, nem o Yokovlev Yak-141…)

Caerthal

Talvez eles estejam pensando em projetar poder de uma forma que inimigos distantes como o Irã sejam surpreendidos.

LucianoSR71

André Luiz.’. 7 de agosto de 2017 at 16:40 1º) O fato de o F-35B ser um STOVL permite que vc opere a partir de praticamente qualquer lugar, ou seja se alguém quiser repetir o Israel fez na Guerra dos 6 Dias ( creio que eles temem exatamente esse troco na mesma moeda ) não vai ter o mesmo sucesso, pois ainda terão como operar fora de suas bases. 2º) “tirando o Sea Harrier, nenhum outro projeto de caça V/STOL foi muito adiante (nem o Mirrage III V, nem o Yokovlev Yak-141…)” – todos sabemos que esse tipo de aeronave… Read more »

André Bueno

Caerthal 7 de agosto de 2017 at 18:30

Penso em algo parecido. Como, por exemplo, que poderão usar uma equipe avançada e discreta que possa abastecer um grupo de ataque em algum ponto do deserto, na Jordânia ou no Iraque. Como? Não sei, isso é tarefa para os estrategistas israelenses! 😀

André Luiz.'.

LucianoSR71 7 de agosto de 2017 at 20:14 Mas a IAF está realmente considerando também operar o F35-B? Baseado em terra?! É esse meu questionamento. O argumento da capacidade STOVL do F35-B para operar em pista semi-preparadas, parece-me exagerado; e, como comentado no texto, aeronaves de decolagem e pouso convencional mas com muita potência nos motores, como o F-15, também podem operar em pistas curtas…O próprio texto comenta que a dúvida é essa: “F-35 adicionais — potencialmente incluindo exemplares STOVL — ou uma versão avançada do F-15. ” Tenho a impressão que se Israel comprar o F-35B terá sido mais… Read more »

Ivan Recife

Interessante esta parte: “Fontes indicam que a IAF terá que escolher entre obter F-35 adicionais — potencialmente incluindo exemplares STOVL — ou uma versão avançada do F-15.” . Incrivelmente o F-15, quase cinquentão (primeiro voo em 27 de julho de 1972), ainda está na pauta de discussões sobre futuras compras. . Entretanto é bom que se diga que os atuais F-15, a partir dos Strike Eagle, são muito – muitíssimo – mais modernos e capazes. A partir dos McDonnell Douglas (sim, ainda McDonnell Douglas) F-15E Strike Eagle foram desenvolvidos incríveis F-15K Slam Eagle para a ROKAF (Coreia), F-15SG para a… Read more »

LucianoSR71

André Luiz.’. 8 de agosto de 2017 at 10:25 “Tenho a impressão que se Israel comprar o F-35B terá sido mais por uma ‘entubada’ americana do que pelas vantagens operacionais que a variante STOVL do F-35 traria para a IAI” Meu amigo, tá pra nascer alguém que consiga ‘entubar’ algo nas forças armadas israelenses. Se eles vierem a adquirir o bicho, pode ter certeza que será por decisão fria e calculada de custos e benefícios. Outra coisa, mesmo que se considere o F-15 capaz de operar em pistas curtas ( considero isso meio forçado – quão curtas seriam ? )… Read more »

André Luiz.'.

LucianoSR71 8 de agosto de 2017 at 13:35 O amigo me desculpe, mas ainda discordo. EUA e Israel tem relações bastante intrincadas e, nesse caso, a eventual aquisição do F-35B para operar na IAF (onde escrevi ‘IAI’ nos posts anteriores leia-se ‘IAF’…!) não seria por decisão fria e calculada exclusivamente dos militares! Os custos e benefícios seriam (serão!) calculados também na esfera política: é só lembrar de como e porquê o projeto do IAI Lavi foi cancelado…! Vá dizer que isso não foi ‘entubado’ neles! Sou leigo, e pouco conheço do tema (frequento o PA justamente pra aprender! 🙂 ),… Read more »

LucianoSR71

André Luiz.’. 8 de agosto de 2017 at 14:45 “Especificamente sobre o F-35B, tema de nossa discussão: ele é capaz de pousar na vertical, mas pra decolar carregado pra missão, ainda precisa correr (fora aquela ‘ajudadinha’ da catapulta de lançamento no porta-aviões), certo?” Errado. o F-35B não necessita de catapulta, vc está atrapalhando c/ o F-35C. Não dá p/ considerar o fim do Lavi como entubada, ele seria provavelmente mais caro de comprar e manter que o F-16 e ainda teria a dependência americana de pelo menos o motor. Além disso, quem garante que ele seria melhor aeronave que as… Read more »

André Luiz.'.

LucianoSR71 8 de agosto de 2017 at 15:50 Quanto a confundir (ao invés de ‘atrapalhar’) F-35B (US Marines) com F-35C (US Navy), ok. Quanto ao fim do Lavi, se ele seria provavelmente mais caro de comprar e manter que o F-16, e não necessariamente melhor operacionalmente: isso também é conjectura!, tanto quanto a adequação do F-35B para o TO do Oriente Médio, se operado a partir de bases terrestres! O amigo reafirma que o F-15 não levanta voo armado em menos de 100 m ?… Conte-nos suas fontes!! 🙂 Mas que houve a ‘entubada’ americana (“On 30 August 1987, Israel’s… Read more »

LucianoSR71

André Luiz.’. 8 de agosto de 2017 at 16:27
Amigo, na boa, segue o jogo. Abs.

Carlos Alberto Soares

F 35 STOVL ? NÃO VAI ROLAR !
___________________________________

Ivan Recife 8 de agosto de 2017 at 11:16
Onde assino ?
Shalom

Carlos Alberto Soares

“If this report is correct, and Israel wants more Eagles to join their 25 F-15Is and mix of earlier F-15A/B/C/Ds, many of which have been converted into multi-role fighters are quite old, it could be great news for Boeing’s St. Louis plant.” A report from Flightglobal.com states that Israel is requesting a batch of F-15s as part of a compensation program for the U.S. making a deal with Iran over its nuclear program. According to the report, not just any F-15 was requested, but the F-15SE Silent Eagle. The F-15SE was Boeing’s attempt to compete internationally with the F-35A Joint… Read more »

Últimas Notícias

O Gripen E vai igualar e, em muitos casos, ser melhor do que os atuais caças de quinta geração, afirma o Chefe da Força...

A Saab apresentou os seis primeiros Gripen E produzidos em série e que em breve ficarão prontos a Força...
- Advertisement -
- Advertisement -