Home Asas Rotativas Helicóptero Black Hawk atinge 30 mil horas de voo na FAB

Helicóptero Black Hawk atinge 30 mil horas de voo na FAB

2923
24

Marca foi alcançada no fim do mês de julho

O helicóptero H-60L Black Hawk atingiu, na última semana de julho, 30 mil horas de voo na FAB. A aeronave já foi empregada em diversas missões como reconhecimento armado, transporte aerologístico, busca e salvamento, infiltração e exfiltração de tropas, dentre outras.

O Chefe da Seção de Operações do Esquadrão Harpia (7º/8º GAV), Major Aviador Leonardo Ell Pereira, considera o número uma conquista para FAB. “Alcançar as 30 mil horas de voo é a materialização do cumprimento da missão, baseada na dedicação e no profissionalismo de todos os envolvidos”, comenta.

O Major Ell ainda destaca como o helicóptero coopera para a realização da missão da FAB. “Nesses 11 anos de operação do Black Hawk, a Aeronáutica, por meio de seus esquadrões aéreos, operadores deste robusto e eficaz vetor, salvou vidas, aliviou o sofrimento de muitas pessoas e, principalmente, cumpriu sua missão precípua, que é ´Manter a soberania do espaço aéreo e integrar o território nacional, com vistas a defesa da pátria´”, revela.

Panorama geral

O helicóptero utilitário, fabricado pela norte-americana Sikorsky Aircraft , é bimotor. Os motores apresentam a potência total de 3.680 hp e a aeronave possui velocidade de cruzeiro de 280 Km/h. O H-60 tem autonomia de voo de 6h10min transportando uma carga de uma tonelada.

FONTE: Força Aérea Brasileira

24 COMMENTS

  1. Senhores, o tempo é senhor de todas as verdades, e elas vem, demoram mas vem.
    DNA militar, robustez construtiva, projeto modular, grande capacidade de sobrevivência em combate, alta taxa de disponibilidade, preço de manutenção compatível, assistência técnica invejável, isto faz del o the best, o heli da patronagem, o vetor que CUMPRE A MISSÃO.
    Parabéns FAB, obrigado Igor Sikorsky, se não fossem vocês estaríamos na mão com daquelas imundícias daquelas malditas kombis podres.

    G abraço

  2. Quando ele entrou em operação, ganhou o apelido de “Deathhawk” pelas tripulações, por causa da pouca confiabilidade, tendo inclusive quem preferisse continuar nos UH-1H. Depois ele foi melhorando e as tripulações perderam o medo de voar nele.

  3. Tinham que ter comprado mais dele e Battlehawks ao invés daquela tranqueira russa e da airbus, vivendo e aprendendo…

  4. Juarez,
    .
    Vim aqui deixar meu protesto! Não aceito que você compare a Kombi, que é um carro robusto e confiável, com aquela bosta de helicóptero!
    .
    Mais respeito com as Kombis!

  5. Gosto muito do BH e deveríamos investir mais, principalmente o EB e a MB, mas acho que o H225M pertence a outra categoria pois leva até 22 pessoas, um complementa o outro.

  6. Um vetor desse utilizado para resgates e justificar sua compra para um população e políticos toscos.
    Na utilização CORRETA deste vetor o vídeo só mostra em áreas de treinamento. Fronteiras continuam porosas. A costa brasileira continuam porosa para armas, drogas, contrabando e só não vem imigrantes porque aqui é pior. Estamos anos luz de gente civilizada, coerente, de bom senso…então aplaudam de pé e efusivamente batendo no peito…a utilização de um micrometro para desencapar fios. Pobre Brasil.

  7. Marcel, não entendi! Helicópteros só servem para combate? Uma aeronave versátil como essa?

    Ou vc que colocar um helicóptero a cada Km de fronteira? Vamos precisar de mais de 16.000!!

  8. Bem que o Brasil poderia aproveitar essa “bondade americana” conosco – fornecendo tanques para o EB, por exemplo- e comprar mais uns 60 helicópteros do tipo Blackhawk e distribuí-los entre as três forças, o que seria bem interessante, pois complementaria os do EB, os da FAB e os da Marinha – esta última, helicópteros ada versão especializada, o SH-60.
    abraços a todos.

  9. Ótimo helicóptero, talhado para operações militares e, como qualquer aparelho dedicado para estas missões, cobra seu preço, daí porquê não termos mais destes aparelhos. Mas uma pergunta, a estória do centro de manutenção, com o armazém alfandegado de peças, morreu de vez?! Alguém tem mais detalhe sobre a quantas anda?!
    .
    Pois então Clésio, o S-92 também passou por algo parecido no começo de suas operações. Felizmente a Sikorsky corrigiu este problema na MGB deles.
    .
    Até mais!!! 😉

  10. A diferença é que a Sikorsky corrigiu rápido o problema. Enquanto isso a Kombosa continua voando a base de gambiarra

  11. Acho esse helicóptero formidável. Uma bela máquina, muito versátil, confiável, resistente e imponente. Virei um super fã desse helicóptero por causa do filme Black Hawk Down, que a propósito, é um ótimo filme o qual não me canso de assistir. =)

  12. Fresney, os H-60 que aparecem em pintura totalmente verde escuro (muito semelhante à pintura do EB), são do primeiro lote recebido pela FAB, com matrículas do nº 8901 a 8906. Posteriormente, os do 2° lote cieram pintados no padrão cinza e verde. Esses, possuem matriculas do 8907 ao 8916. Desses, 2 celulas foram incorporadas ao 7°/8° e as restantes pertencem ao 5°/8° (cada esquadrão possui 8 células do H-60). À medida que forem passando por inspeções gerais, os que hoje ostentam a pintura verde escuro passarão a ostentar a pintura cinza e verde.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here