Home Apoio Aéreo Aproximado OA-X: pilotos americanos começam a treinar no A-29 Super Tucano

OA-X: pilotos americanos começam a treinar no A-29 Super Tucano

8334
72

A Aviationweek informou que a Sierra Nevada Corporation (SNC), parceira da Embraer na produção do avião de ataque leve A-29 Super Tucano nos EUA, começou a treinar pilotos da USAF na aeronave em 7 de julho.

O treinamento visa preparar os pilotos para testar o A-29 no Programa OA-X, que vai analisar aeronaves disponíveis no mercado que possam complementar ou substituir os A-10 Thunderbolt II na função de apoio aéreo aproximado.

Os aviões da Textron, Scorpion AirLand e AT-6 Texan II, também vão participar da avaliação.

“Quanto mais dura a avaliação,
mais o A-29 brilhará”

O A-29 é produzido pela SNC e Embraer em Jacksonville, Flórida. A US Air Force já certificou o A-29 através de programas de vendas militares estrangeiras (FMS) com o Afeganistão e o Líbano, e tem pilotos qualificados que fornecem treinamento de tripulantes e mantenedores nos Estados Unidos através do 81º Fighter Sqdn na Moody AFB, Geórgia.

Pilotos da USAF vão começar a testar o A-29 e seus concorrentes na Holloman AFB, no Novo México, a partir de 31 de julho.

Em uma entrevista de 29 de junho, Taco Gilbert, vice-presidente sênior da área de negócios de inteligência, vigilância e reconhecimento (ISR) da SNC, disse que “uma avaliação justa e completa favorecerá o A-29”. “Quanto mais dura a avaliação, mais o A-29 brilhará”, completou.

72
Deixe um comentário

avatar
72 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
35 Comment authors
JuarezRinaldo NeryIvan BCJ JuniorWalfrido Strobel Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Antonio de Sampaio
Visitante
Antonio de Sampaio

O AT-6 Tejano já é o vencedor, e o Scorpion vai dar uma surra no Super Tucano.
Vocês leram o relatório do OAX??

Hélio
Visitante
Hélio

Que relatório é esse?

julio buzoli
Visitante
julio buzoli

Ainda bem que temos informação privilegiada, diretamente do futuro, aqui nos comentários.
É sempre bom contar com especialistas e futurólogos nos comentários. 😉

Mauricio_Silva
Visitante
Mauricio_Silva

Olá.
Posso estar enganado, mas acredito que ainda não exista um relatório da OAX sobre a avaliação das aeronaves envolvidas. Até porque, se assim fossem, não haveria necessidade de uma “nova” avaliação.
O resto é torcida e “Super Trunfo”…
SDS.

Alex Nogueira
Visitante
Alex Nogueira

Camuflagem linda essa da foto, acho que é a mais bonita até agora, quanto ao OA-X, deixa rolar, sem pessimismo, se tiver que ser será 😀 Bom dia a todos!

Rafael Oliveira
Visitante
Rafael Oliveira

Acredito que o Antonio de Sampaio esteja sendo irônico com outros frequentadores do fórum. Melhor não levar a sério.

João Argolo
Visitante
João Argolo

Alguém saberia informar qual a quantidade mínima e máxima que o OA-X projeta?

João Argolo
Visitante
João Argolo

Outra pergunta: Existe alguma outra situação em que haja o patrocínio dos americanos em relação aos concorrentes como o A-29 no Afeganistão? A bem da verdade eles já está sendo testados e aprovados em situação real de combate. Isso traz extrema vantagem ainda que o cenário e as necessidades não se igualem. Isso sim seria um bom relatório.

Gonçalo Jr
Visitante
Gonçalo Jr

João Argolo 10 de julho de 2017 at 12:23
R: Estima-se de 200 a 300 aeronaves
.
João Argolo 10 de julho de 2017 at 12:30
R: Não.

Gilberto Rezende/RS
Visitante

Senado americano já autorizou U$ 1,2 bilhões para começar a comprar as primeiras aeronaves…

http://www.defensenews.com/articles/senate-panel-approves-12b-to-start-air-force-oa-x-aircraft-procurement

Dá para comprar um bocadinho…

LucianoSR71
Visitante
LucianoSR71

É bom sempre lembrar que o AT-6 é uma adaptação do T-6 que é um Pilatus PC-9 americanizado, ou seja é um suíço c/ green card.

Ederson Joner
Visitante

Esta concorrência americana é uma das mais complicadas de se ganhar, e não tinha como ser diferente, é a maior.
Mesmo sendo um cenário muito bom para o ST, as características técnicas não serão os únicos fatores em jogo na escolha.
É um jogo tão duro, que mesmo provando que é superior, pode sair como perdedor na concorrência.
Como não podia se diferente, dadas as capacidades da aeronave brasileira, acredito nela, mas vai ser dureza…

Luiz Trindade
Visitante
Luiz Trindade

Em uma entrevista de 29 de junho, Taco Gilbert, vice-presidente sênior da área de negócios de inteligência, vigilância e reconhecimento (ISR) da SNC, disse que “uma avaliação justa e completa favorecerá o A-29”. “Quanto mais dura a avaliação, mais o A-29 brilhará”, completou.

Prefiro acreditar no o senhor Taco Gilbert falou acima! A Embraer evoluiu muito e os seus concorrentes sabem disso!

Adriano R.A.
Visitante
Adriano R.A.

Concordo plenamente com o Ederson Joner. Outras coisas, além de desempenho e custo, estarão pesando na decisão.

Walfrido Strobel
Visitante

Luiz trindade, nada surpreendente que um dirigente da SNC ache que uma escolha justa seria o ST.
Os dirigentes da Textron ja acham que justo sera a escolha do AT-6 ou Scorpion.

ednardo ferreira
Visitante
ednardo ferreira

Objetivos do OA-X: – COIN; – horizonte operacional de 20 a 25 anos – preço em conta (aquisição e operação) O adversário do Super Tucano é o Scorpion. mas olhando os preços, vi que o Scorpion custa entre 15 e 20 milhões de doletas a unidade. O ST custa uns 10 a 15 milhões. O custo de operação do ST deve ser menos da metade do Scorpion. No aspecto custo dá ST. No aspecto experiência de combate leva o ST. Creio que o Scorpion levaria muita vantagem se ele participasse do programa TX, o novo treinador a jato da USAF.… Read more »

Caerthal
Visitante
Caerthal

Walfrido,
A Textron tem se esquivado de uma comparação técnica, se enrolando na bandeira americana. Até pode dar certo, nem que seja para melar a concorrência.

Rafael Oliveira
Visitante
Rafael Oliveira

Ednardo,
A Embraer ou a SNC fabricarão as asas e a fuselagem nos EUA? Pensei que seriam importadas do Brasil, como ocorre com as aeronaves do LAS.

Walfrido Strobel
Visitante

Caerthal, eu não torço a favor nem contra nenhum dos 3 aviões, mas não vejo a Textron fugindo de nenhum comparativo, até acho que ela tem o melhor concorrente para esta função, o Scorpion, porem é mais caro. O ST ja é testado e aprovado, cumpre a função, mas a USAF faz testes completos nas suas avaliações, e o histórico não conta muito, o desempenho nestes voos do OA-X é que devem contar. O AT-6 apesar de ainda não ter vendido, é uma incógnita, muitos falam que sua célula oriunda do T-6II/PC-9 não é adequada ao motor P&W de 1600… Read more »

João Argolo
Visitante
João Argolo

Obrigado Gonçalo Jr pelas respostas.

Jeff
Visitante
Jeff

Tomara que o ST leve essa, só tenho medo de um canetaço político.

JapaMan
Visitante

Não tem que ter medo de nada, se perder será por questões políticas, o que qualquer país faz, é natural que exista uma ajuda para produtos nacionais. Porém o ST está sendo testado no Afeganistão, em operação, com certeza isso também será levado em conta, tenho certeza que muitas informações já foram passadas de quem está pilotando o bicudo. Se não levar, pelo menos ganha maior visibilidade, já que é o único avião não Americano na disputa. Vejo com bons olhos essa participação.

Guizmo
Visitante
Guizmo

Existem mais variáveis neste processo, senhores. Aspectos políticos, looby no Legislativo, empregos gerados em cada Estado……fora aspectos técnicos da RFP, que eu não li. Se o preço não for aspecto decisório, se deve levar em conta se a preferência da USAF será por jatos, ao invés de turbo-hélice….sinceramente, se eu trabalhasse na equipe comercial da Embraer, talvez me preocupasse, mas como não trabalho….

João Argolo
Visitante
João Argolo

Penso que num país sério o que mais é levado em conta são as questões técnicas e o atendimento às necessidades para as quais o aparelho foi designado em primeiro lugar. Não fosse assim, o ST nem estaria no Afeganistão, e olha que não é nem o país deles. Pressão existe e é natural tanto de natureza política quanto social mas o que importa é se atende ou não atende. Mas calma, não sou profeta.

Gustavo
Visitante
Gustavo

O Slogan diz tudo, inclusive nas entrelinhas, não percebe quem não quer.
Por qualidade, requisitos, custos e efetividade o ST leva… “Quanto mais dura a AVALIAÇÃO, mais o A-29 brilhará”

Flamenguista
Visitante
Flamenguista

Caros colegas.
O aspecto ao qual nao nos atentamos é que, ganhando ou perdendo, já é excelente para a
Embraer participar dessa, digamos, shortlist. Tal como no futebol, nem sempre o melhor ganha!!

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Jogo é jogo, treino é treino !

ednardo ferreira
Visitante
ednardo ferreira

“Rafael Oliveira 10 de julho de 2017 at 14:26 Ednardo, A Embraer ou a SNC fabricarão as asas e a fuselagem nos EUA? Pensei que seriam importadas do Brasil, como ocorre com as aeronaves do LAS.” Confesso que não sei os detalhes de quem fabricará o quê. Mas creio que: 1- Se os EUA fizerem questão de fabricar mais peças por lá, não tenho dúvidas que não será problema. As empresas americanas estão plenamente prontas para fabricarem quase todas as peças. 2- Não sei se haverá uma exigência de 100% de fabricação local. Até o F35, que é a menina… Read more »

ednardo ferreira
Visitante
ednardo ferreira

perdão:

Em lugar de “Melhor ter 1000 T50 que 800 T50 e 200 Texan.”

seria “Melhor ter 800 T50 que 600 T50 e 200 Spartan”

Ivan BC
Visitante
Ivan BC

Flamenguista 10 de julho de 2017 at 17:30 Exatamente, eu penso igual! De qualquer forma ser um dos indicados para essa disputa já é algo excelente para a Embraer. Na outra ponta não vejo tantos problemas políticos para essa aquisição, acho um exagero comentários tipo: se o ST perder será simplesmente por motivos políticos (discordo totalmente). Olha, se realmente houvesse tanta relevância o aparelho ser 100% USA ou agradar políticos a Embraer nem estaria nessa lista, seria desclassificada desde o início da disputa. Essa “conversa” política já virou paranóia, logo estarão fazendo analogia com o caso do blindado Osório. Era… Read more »

Rafael Oliveira
Visitante
Rafael Oliveira

Ok, Ednardo, é que do jeito que você escreveu pensei que já tinha lido isso em algum lugar.
No mais, concordo que dependendo do tamanho da encomenda e de quanto os EUA querem pagar, a Embraer aceitará fabricá-lo lá. Mas sei lá se eles vão exigir isso.

Jeff
Visitante
Jeff

“Gustavo 10 de julho de 2017 at 17:25
O Slogan diz tudo, inclusive nas entrelinhas, não percebe quem não quer.
Por qualidade, requisitos, custos e efetividade o ST leva… “Quanto mais dura a AVALIAÇÃO, mais o A-29 brilhará”
.
Você não percebeu que quem disso isso foi um funcionário da Sierra Nevada??

ednardo ferreira
Visitante
ednardo ferreira

Não é de graça que a Boeing tá chegando junto da Embraer. Ela entra em uns nichos interessantes.

ednardo ferreira
Visitante
ednardo ferreira

No quesito ‘política’, creio que a disputa inicial foi muito mais pesada que a atual.

Não que não haja política e tudo mais. existe sim. Mas não sei se a USAF aguenta mais um projeto inovador, caro e não testado para uma aeronave claramente tampão e com funções muito bem estabelecidas.

Se eles optarem pelo Spartan, é porque dentro da doutrina deles preferem jatos que turbo hélices por alguma razão lá deles.

Jeff
Visitante
Jeff

IVAN, não é o caso de agradar políticos, o caso é direto do Trump dar um canetaço protecionista lá pra fazer um auê, ele gosta disso.
MAS, vamos aguardar né, não tem outro jeito.

Walfrido Strobel
Visitante

Ednardo, vc confundiu Scorpion com Spartan.
Spartan é o Alenia, atual Leonardo C-27J
https://encrypted-tbn1.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcSbYy17MJFOifaNomQ-Jl10vduQTmSEfQdQCJ1TlqZKirtNXK47Z1p27ruq

Ivan BC
Visitante
Ivan BC

Na minha humilde opinião o maior empecilho do ST nos EUA e até mesmo no mundo é próprio governo brasileiro com sua predisposição a essa ideologia maldita que reina no país (não preciso nem citar o nome). Nosso governo é muito ruim e um governo é o reflexo da população! Se o governo brasileiro e o povo fossem mais inteligentes teríamos laços muito mais fortes com os EUA, mas como somos iludidos por populistas que tratam os EUA com distância (basta ver a retardada da Dilma), ficamos nessa, estagnados no tempo! É nítido que os caras querem aproximação e nós… Read more »

Leonardo M.
Visitante
Leonardo M.

A Inglaterra já montou um ST com motores mais potentes para ter o que queriam.
Os EUA já estão montando o status na FL.
Diversas forças do mundo operam o tucano e ST(Chile,Colômbia,GB,Afeganistão,etc)
Se o ST ganhar 300 unidades da Usaf então vai vender 300 a mais mundo a fora.

ednardo ferreira
Visitante
ednardo ferreira

“Walfrido Strobel 10 de julho de 2017 at 18:14
Ednardo, vc confundiu Scorpion com Spartan.
Spartan é o Alenia, atual Leonardo C-27J”

Grato pela correção! E troquei umas 3 vezes! 🙂

Jeff
Visitante
Jeff

Leonardo, verdade isso. 200 ou 300 unidades é uma bela propaganda.

Paulo Fernandes
Visitante
Paulo Fernandes

Interessante notar que, dentre os vários comentários postados pelos leitores da “Aviationweek” sobre a matéria (alguns deles depreciando o ST), há um de um comentarista que se identifica como ex-piloto de A7 e F/A 18 (US Navy) e atualmente instrutor de simulador do ST para a força aérea do Afeganistão, atuando naquele próprio país. Não dá pra saber se é verdade, mas pela razoabilidade e discernimento nos argumentos colocados, não é impossível que seja mesmo. Ele defendeu o ST, elogiando bastante sua alta efetividade contra os talibãs, assim como os baixos custos de operação e manutenção. Li em outra matéria… Read more »

Walfrido Strobel
Visitante

Leonardo M. tocou em um ponto interessante, o fato de uma fábrica desenvolver um novo produto em um nicho do mercado não garante muitas vendas por tempo prolongado. Na instrução avançada o mundo precisava de um avião turbohélice para substituir aviões como os Cessna T-37 usados na FAB, USAF e outros, e o BAC Jet Provost na RAF. Muitas empresas remotorizaram seus instrutores e sairam aviões como o PC-7, Orlik, T-34C, até o Brasil pensou em um T-25 remotorizado, ficaria parecido com um Fuji T-5 da JMSDF. Mas a Embraer saiu com uma proposta totalmente nova, com motor P&W Canada… Read more »

Luiz Carlos
Visitante
Luiz Carlos

Não sei o que essas pessoas ganham falando notícias falsas como essa que o Antonio Sampaio espalhou.
O complexo de vira latas desse povo atrapalha o futuro dele mesmo é do país.

Antonio de Sampaio
Visitante
Antonio de Sampaio

Paulo Fernandes 10 de julho de 2017 at 19:16 Só que não gosta e fala mal dos produtos brasileiros, produtos Embraer em particular, são os próprios brasileiros, muitos deles abundantes neste espaço. O que eu leio de elogios ao KC-390 em sites de vários países em diversas línguas é muito grande, raramente alguém faz alguma crítica ao KC-390, a detonação ocorre mesmo é entre os brasileiros, por aqui, isso abunda. Tem um aí que tem essa doença, chega a ser patético mesmo. Tenho a impressão que os norte americanos de uma maneira geral, digo os militares, seja da USAF ou… Read more »

Juarez
Visitante
Juarez

Antonio Sampaio, tu nega as raízes de professor universitário, so falta dizer que é do “partido” também. pergunte para os Mexicanos o que els acharam da Alca, o salto que a economia Mexicana deu na década. O Chile e a Colombia fizeram acordos comercias bi laterais com os Tio Sam e estão muito bem obrigado, porque????????????????? Porque a economia deles é saudável, é organizada, está com seus fundamentos estáveis e não estão atrelados a vanguarda do atraso do “Merdosul” e seus ranços ideológicos pré históricos.. O único medo do Brasil em relação ao nafta era porque nossa economia feudal, amparada… Read more »

JT8D
Visitante
JT8D

Parece que alguém mordeu a chumbada …

claudio
Visitante

Parece que o´´partido´´ tem raízes …oxe … meu sonho seria ver o Brasil um cadim mais america e menos Cúbano kkkk

Antonio de Sampaio
Visitante
Antonio de Sampaio

Juarez 10 de julho de 2017 at 22:01
Amigo, melhor você falar de avião, por que nesse ramo aí de comércio exterior, eu conheço um pouco.
Novamente, sem querer aparecer, minha primeira pós graduação foi exatamente em “Comércio Exterior”.
E uma das minhas teses, o título é exatamente este: “Estratégias Empresarias para o Mundo Globalizado”
Amigo na boa, sem querer te escrachar, volta ao teu rami rami e fala de avião.
Sei do que falo.
_________________
Qual a velocidade do Super Stallion guinchando um Strick do US Army, quero saber se o KC-390 pode reabastecê-lo em voo com os slates invertidos.

claudio
Visitante

uia……. agora então que minha torcida pelo ST supita …adoro ver ´´pós´´graduado do sistema de ensino de Banânia sapecar a língua kkkkkkkkkkkkkk Juarez concordo contigo …..

Ivan BC
Visitante
Ivan BC

Boa noite! Não tem o que se discutir diante da ALCA, a América Latina não aceitou o acordo e com isso perdemos a grande oportunidade de ter um parque industrial imenso. A Europa e América do norte perderam indústrias, essas indústrias não evaporaram ou desapareceram como mágica, elas estão atualmente na India e China (ambos com crescimento imenso). Esses 2 países, assim como alguns outros, fizeram o terreno (legislação tributária, trabahista, previdência, administração pública etc…) para receber tais empresas. As empresas não foram para esses países porque o Governo dos EUA e Europa quiseram, muito pelo contrário (perderam empregos com… Read more »